islaTenho andado muito preocupado com o que vejo acontecer por todo o planeta com relação ao crescimento e às posturas do povo islâmico. A verdade é que milhões de muçulmanos têm migrado para países ocidentais e, aos poucos, se estabelecem e ocupam novos espaços. Normalmente, este não é o tipo de comentário que posto no APENAS, prefiro falar mais sobre a alma humana e questões que venham ao encontro de corações, mas hoje peço licença para abrir uma exceção. Estou muito triste e reflexivo com a situação do mundo e acredito que vale a pena chamar a sua atenção para a realidade do que está acontecendo. Este post traz alguns vídeos, mas acredito que vale a pena dedicar um tempo a assisti-los, caso você deseje. Pois a situação é grave e urgente. Não quero de modo algum incitar sentimentos negativos ou agressivos contra seres humanos, mas, sim, acender uma luz de quem não está dando muita atenção ao assunto com relação a um movimento civilizatório que está em andamento a toda velocidade no mundo – e que ameaça a cristandade.

isla 1Vejo cidades inteiras em países como França, Inglaterra, Espanha e Estados Unidos serem ocupadas por islâmicos, com todas as suas tradições ortodoxas, em grupos familiares que se multiplicam muito e rapidamente. Em minha última viagem a Londres, fiquei hospedado em um bairro onde cruzava com mulheres vestidas de preto a cada dois passos. As projeções numéricas são alarmantes e muitos analistas acreditam que ainda neste século alguns países europeus terão mais de metade da população islâmica que, por isso, sem fazer uso de força e sem derramar uma gota de sangue, tomariam conta das esferas de poder por meios democráticos, pelo voto. A matemática é simples: quando chegar ao ponto em que a maioria da população de um país seja muçulmana, mais muçulmanos serão eleitos e, sem dúvida, começarão a criar leis que favoreçam sua ideologia religiosa. Em poucas décadas, países como a Inglaterra ou a França podem vir a ser governados pela Sharia, a lei baseada no Alcorão. A Primeira Igreja Batista de São José dos Campos (SP) produziu um vídeo há poucos anos com dados assustadores sobre a questão, a que recomendo enfaticamente que você assista:


(Se não conseguir visualizar, clique AQUI para ver no YouTube)

Seria muita ingenuidade acreditar que, dentro do projeto de expansão islâmico, o Brasil ficaria de fora. Em Brasília já está em construção a embaixada da Palestina, no formato de uma mesquita. Veja o vídeo:


(Se não conseguir visualizar, clique AQUI para ver no YouTube)

Eu não duvidaria nada que em muito pouco tempo comece um fluxo migratório cada vez maior de islâmicos para o nosso país. Não será nenhuma surpresa para mim se dentro de dez ou vinte anos eu cruzar com mulheres de burca andando pela praia de Copacabana ou islâmicos fazendo suas orações ajoelhados na Praça da Sé, em São Paulo. Para mim, isso não é uma questão de “se”, mas de “quando”. Se isso parece surreal para você, veja o que já está acontecendo em cidades da França:


(Se não conseguir visualizar, clique AQUI para ver no YouTube)

Se você acredita que o problema são só os islâmicos radicais, precisa muito assistir ao vídeo abaixo, em que líderes muçulmanos afirmam categoricamente que não existem islâmicos moderados. Todo islâmico acredita no que todo islâmico acredita. Veja:


(Se não conseguir visualizar, clique AQUI para ver no YouTube).

Não quero ser alarmista nem ficar inventando teorias escatológicas apocalípticas ou doidas. Para falar a verdade, a escatologia é a área da teologia de que menos gosto. Mas a verdade é que os rumos do mundo, dentro da realidade de um projeto de expansão islâmico que dominaria países ocidentais, se encaixam perfeitamente nas profecias bíblicas. Não estou dizendo que é isso, mas pode ser que seja. Esse fato me faz pensar no que acontecerá quando houver uma invasão pacífica de islâmicos no Brasil, com um fluxo migratório que comece a aumentar aos milhares ou milhões a quantidade de muçulmanos em nossa sociedade. Ou, ainda, quando países bem aparelhados e armados como a Inglaterra e a Rússia forem controlados por muçulmanos.

Claro que esse pensamento tem uma série de desdobramentos, mas, em essência, o que eu gostaria de perguntar é se você se sente preparado caso a sua cidade comece a ter um fluxo migratório islâmico e os seguidores de Alá comecem a compor grande parte ou a maioria da população no seu município, como aconteceu na cidade deste assustador vídeo:


(Se não conseguir visualizar, clique AQUI para ver no YouTube).

isla 2Você está preparado para a islamização da sua cidade, do seu país? Eu olho para o passado e tento entender os mecanismos que ditaram as mudanças nas civilizações que nos antecederam. Esse conhecimento me faz olhar para o futuro com muito realismo, que para muitos pode soar como pessimismo. Mas vejo os islâmicos atuando em diversas frentes para se expandir. E o regime democrático é um prato cheio para que eles possam começar a se mudar para países ocidentais, implementar seus costumes e se multiplicar. É uma questão matemática. É uma questão de tempo. Enquanto nos países islâmicos você tem de obedecer às leis e aos costumes islâmicos, nos países democráticos somos, naturalmente, obrigados a aceitar a diversidade e a acatar tudo o que vem junto com a cultura muçulmana. Isso é bom, é certo e é justo, mas fico me perguntando aonde pessoas com um projeto de dominação com total liberdade de ação podem chegar dentro de um cenário como esse. E as respostas me preocupam muito.

isla 2Esse assunto não é brincadeira, nem de longe. No entanto, vejo as pessoas darem muito pouca importância para isso no Brasil, como se fosse uma realidade totalmente distante e que não nos afetasse para além das páginas de jornal. Existe um terreno riquíssimo para que os islâmicos proliferem em nosso meio, alcançando em especial as classes mais desfavorecidas. Não é brincadeira. É grave. E penso que devemos orar por isso e refletir sobre esse assunto. Aliás, não apenas os evangélicos, mas todos os ramos da sociedade. Afinal, se os islâmicos começam a dominar uma determinada região, não importa se você é católico, espírita, umbandista ou ateu: se não é islâmico, vai para o inferno. E, em muitas dessas nações, ou se converte ou morre. Esse é um alerta para todos os brasileiros. Mulheres que gostam de andar com o rosto de fora ou ir à praia de maiô deveriam se preocupar com isso. Homens que prezam a sua liberdade de expressão e opinião deveriam se preocupar com isso. Pais que querem ver seus filhos serem ensinados no evangelho de Cristo precisam se preocupar com isso. Qualquer ser humano de bem precisa se preocupar com isso.

cobra 1Enquanto o futuro nos reserva desafios dessa gravidade, olho para as discussões em que nós, evangélicos, temos nos metido e elas me parecem perder o sentido. Como tenho dito com certa insistência aqui no blog, vejo a Igreja de Cristo se afundar em eternos debates sobre temas secundários ou irrelevantes da fé e deixamos de falar sobre o que é o principal. Vejo irmãos calvinistas e irmãos arminianos gastarem tempo e energias para ficar uns batendo nos outros e, quando olho para as brigas bíblicas entre irmãos como Caim e Abel, Esaú e Jacó, e Absalão e Amnom, só enxergo resultados trágicos. Vejo cessacionistas e pentecostais fazendo piadinhas mútuas que não levarão ninguém a lugar nenhum. Vejo ortodoxos e adeptos da Missão Integral se criticando e gastando litros de saliva para combater uns aos outros e imagino Deus balançando a cabeça e dizendo “Meus filhos, meus filhos… parem de brigar, eu os amo”.

Quem não é herege é meu irmão, ponto. Nasceu de Cristo? É meu irmão. Devo cuidar dele, amá-lo e ampará-lo, com carinho e amor. Se Deus me manda amar o inimigo, quanto mais o irmão que pensa diferente ou está incorrendo em algum erro. Pode ter certeza: os problemas graves do futuro da Igreja cristã não passam nem de longe por coisas bobas como o que o cantor Thalles Roberto disse ou deixou de dizer ou outras bobagens gospel que incendeiam os debates entre cristãos nas redes sociais. Porque, no dia em que a coisa apertar, questões como essas importarão tanto para nós quanto dois tostões furados.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

.
O fim do sofrimento_Banner APENAS
Clicando nas imagens acima e abaixo você vai à loja virtual da livraria Saraiva

Perdaototal_Banner Blog Apenas

Anúncios
comentários
  1. Alexsander Silva disse:

    Bom dia MauricioIrmão realmente ao ver esses vídeos e ler seu texto, confesso que não tive uma noite facil, não conseguir dormir, agora que não durmo mesmo. Acredito muito em que você disse, será uma questão de tempo, para chegar a esse tempo.Em Porto Alegre já existem regiões que bem dizer, são dos muçulmanos.Tenha uma boa semanaDeus t abençoe

    Alexsander Silva+55 (31) 9238 – 3133 (TIM)Email: xalexisxsilva@hotmail.com Reflita – Isaías 53:4-5

    Date: Mon, 21 Sep 2015 10:01:25 +0000 To: xalexisxsilva@hotmail.com

  2. Bom dia, mano!

    Eu tenho pensando bastante sobre isso, esses dias de terror da guerra da Síria tem me assustado bastante em relação ao avanço do Estado islâmico e sua forma violenta de domínio. Eu não sou só no mundo, tenho filhos, sobrinhos, queridos inocentes… Sinto uma dor profunda só em imaginar, não sei o que fazer a não ser orar. Porque alertar as pessoas até parece um sussurro em meio a um oceano inteiro; até parece um sussurro em meio a centenas de milhares de vozes contrárias à minha… Puxa! Eu oro e choro, meu irmão, mas aí eu penso, e se isso já era uma previsão do nosso Deus? E se isso for o princípio das dores? Se isso for o cumprimento da Palavra? E se isso tudo for uma preparação para a chegada do anticristo como nos foi alertado pelo nosso Pai? Ah, meu Deus, são tantos temores! São tantas dúvidas?

    Deixa eu te ser franca: às vezes penso que o arrebatamento da igreja é a morte dos cristãos, que a igreja de Cristo já está sendo arrebatada a muito tempo através da morte física dos nosso irmãos, que quando se derem conta disto não haverá mais igrejas de Cristo na terra e apenas alguns raros irmãos isolados que não foram arrebatados porque suas conversões foram tardias. Você está me entendendo? Tomara que sim. Eu não me aprofundei ainda sobre esse tema do Apocalipse, o pouco que conheci não me deixou muito firme a respeito de “um só momento em que Jesus vem e arrebata a sua igreja e que as pessoas desaparecem de um momento para o outro”. Queria compreender melhor isso, talvez assim eu tivesse a resposta para muitas coisas que está ocorrendo hoje no mundo, talvez assim sofrêssemos menos diante de todo caos na terra que está eminente. Eu sei que preciso conversar com o pastor da nossa igreja a esse respeito, mas eu preciso te dizer que não me sinto muito segura ao questionar sobre essas determinadas dúvidas que tenho. Pretendo estudar para conhecer e ensinar. Que nosso Pai nos ajude a todos, pelo amor do Seu Filho Jesus Cristo que padeceu em nosso lugar.

    Com muita emoção, um abraço.

    • Eu também tenho pensando e me preocupado bastante com tudo isso. Todo esse terror da guerra da Síria tem me assustado bastante em relação ao avanço do estado islâmico, que tem crescido, avançado e conquistado espaço espalhando terror e violência entre povos. Tenho medo especialmente porque eu não sou só no mundo, tenho filhos, sobrinhos, queridos inocentes… Sinto uma dor profunda só em imaginar, e não sei o que fazer a não ser orar. Porque alertar as pessoas até parece um sussurro em meio a um oceano inteiro; até parece um sussurro em meio a centenas de milhares de vozes contrárias à minha… Eu oro, choro e penso, e se isso são planos do nosso Deus? E se isso for o princípio das dores? Se isso for o cumprimento da Palavra? E se isso tudo for uma preparação para a chegada do anticristo como nos foi alertado pelo nosso Pai? Ah, meu Deus, são tantos temores! São tantas dúvidas?

      Deixa eu te ser franca: às vezes penso que o arrebatamento da igreja é a morte dos cristãos, que a igreja de Cristo já está sendo arrebatada a muito tempo através da morte física dos nossos irmãos, que quando se derem conta disto não haverá mais igrejas de Cristo na terra e apenas alguns raros irmãos isolados que não foram arrebatados porque suas conversões foram tardias. Você está me entendendo? Tomara que sim. Eu não me aprofundei ainda sobre esse tema do Apocalipse, o pouco que conheci não me deixou muito firme a respeito de “um só momento em que Jesus vem e arrebata a sua igreja e que as pessoas desaparecem de um momento para o outro”. Queria compreender melhor isso, talvez assim eu tivesse a resposta para muitas coisas que está ocorrendo hoje no mundo, talvez assim sofrêssemos menos diante de todo caos na terra que está eminente. Eu sei que preciso conversar com pastores da igreja a esse respeito, mas eu preciso dizer que não me sinto muito segura ao questionar sobre determinadas dúvidas que tenho, talvez por medo de não ser compreendida, talvez por medo de não receber o aprofundamento necessário para o esclarecimento de questões tão complexas. Cultivo o sonho estudar para conhecer de fato e ensinar com compromisso. Porque em nossos dias, a pressa tem deixado muita gente a mercê das dúvidas, e entendo que isso é muito perigoso. Entretanto, eu confio no Pai o nosso Senhor Jesus Cristo, o nosso Pai também, nós não estamos sós.

      Com muita emoção, um abraço.

      (Desculpe, Maurício, eu reescrevi para sua melhor compreensão, eu estava muito emocionada, por isso não tive o cuidado de te ser mais clara).

  3. Graça Pontes disse:

    Parabéns, Maurício! Muito bom…

  4. Ângela disse:

    Olá, irmão. Entendo sua preocupação, mas se observarmos os acontecimentos atuais por outro ângulo, vamos perceber que nunca foi tão viável evangelizar os muçulmanos. Todos sabemos que o maior entrave sempre foi a entrada e permanência de missionários nos países islâmicos. Agora eles estão vindo até nós. Concordo que muitos temos perdido boa parte do tempo com discussões doutrinárias e peço que o Senhor Deus tenha misericórdia e nos dê sabedoria e amor suficientes para aproveitarmos essa tão clara oportunidade. Eles só serão inimigos se não acreditarmos que o poder do Senhor pode transformá-los em nossos irmãos em Cristo. Abraços.

  5. Cleide Rocha disse:

    É verdade mano, está na hora desses debates darem lugar a uma ação evangelista conjunta. Cumprindo o ide, em uma só voz, seremos muito mais fortes!!! Grande abraço.

  6. pv disse:

    Estou rogando a Deus misericórdia pelo sofrimento que este cenário mundial apresenta. Colaboro regularmente com trabalhos missionários em áreas de alto risco. Sei lá, mas parece tão pouco. Não adianta muito ficarmos boquiaberto, paralisados esperando “quem poderá nos defender”. Claro que Deus é o nosso pastor. Não tenho dúvida alguma que tudo está em seu soberano controle. Mas fico inquieto e torturado, não fazer nada.

    Será o que poderíamos fazer?

    Pouquíssimos líderes levam missões a sério, estão mais preocupados com suas agendas ministeriais. Que desolação. Deus, abra nos olhos!

    Deus seja com você.

  7. Daniel disse:

    Mas Maurício , então qual é a solução? Deixar que morram todos e que ” se virem” com os seus problemas?

  8. Roberto disse:

    Olha Mauricio eu hoje não vejo diferença alguma entre evangelicos e mulçumanos, aqui no Brasil os evangelicos querem governar o Brasil com leis de acordo com a biblia, ja temos até a bancada evangelica no congresso nacional e em varias cidades e estados do país. Um exemplo é so vermos a briga que ocorre entre os gays e os evangelicos no Brasil e tambem nos estados unidos.
    A persiguiçao que evangelicos fazem contra pessoas de religião de origem africana com o candomble por exemplo.

    Quem não é herege é meu irmão, ponto. Nasceu de Cristo? É meu irmão. Devo cuidar dele, amá-lo e ampará-lo, com carinho e amor. Se Deus me manda amar o inimigo, quanto mais o irmão que pensa diferente ou está incorrendo em algum erro.

    O que voce escreveu é muito bonito mas na pratica sabemos que isso não acontece, e nem vai acontecer.

    Uma coisa voce está certo, quando a coisa apertar muitas coisas bobas perderão importancia, mas quem sabe isso precisa acontecer para que os cristãos se unam verdadeiramente e amem ao seu proximo nao importando se é de outra religiao, se é gay ou não, que todos estaremos no mesmo barco e seremos perseguidos igualmente.
    Um forte abraço pra voce e a todos daqui.

    • Roberto, olá,
      .
      respeito sua opinião, embora discorde dela. Não quer dizer que vou decapitá-lo, afogá-lo ou incinerá-lo vivo por não concordar comigo. Percebeu?
      .
      A propósito, sou evangélico. E nunca persegui pessoas de religiões africanas, nem gays. Recomendo cuidado, para não tomar a parte pelo todo, isso é o erro da generalização.
      .
      Abraço, Deus o abençoe,
      mz

      • roberto disse:

        Bom mauricio voce por nao concordar com minha opniao nao vai me decapitar ou incinerar, é uma minoria. agora imagina se o brasil fosse tivesse uma populaçao de 80% de evangelicos e votassem somente em candidatos evangelicos nao teriamos tambem um estado evangelico?
        O sonho da bancada evangelica lá no congresso nacional com 80 deputados o sonho deles é fazer do brasil um estado teocratico ou estou errado? e muitos evangelicos e pastores o apoiam.
        Ja ouvi de pastores e evangelicos que a constituição deveria ser subistituido pela biblia e que democracia é coisa do demonio, vc nao persegue os gays mas a bancada evangelica em brasilia persegue, qualquer lei que beneficie a população homoafetiva eles fazem de tudo para barrar, ou voce nao se lembra na primeira eleição da Dilma a bancada evangelica fez ela assinar uma carta de compromisso de nao aprovar o casamento gay no civil? para apoia-la nas eleiçoes. E mesmo com o STF tenha aprovado o sonho da bancada evangelica em brasilia é um dia de revogar esta decisão.. Vc nao persegue pessoas de religiao africana, mas aí nao rio uma menina foi apedrejada na rua por evangelicos, e tambem nos morros cariocas e sabido por todos que pessoas de religiao africana sao perseguidos por traficantes que se tornaram evangelicos, e muitos terreiros tiveram que ser fechados. Em um pais africano em uganda um pastor evangelico queria provar uma lei de pena de morte aos homossexuais, so nao foi aprovado por pressao da comunidade internacional, mas mesmo assim ele quer aprovar uma lei de prisao perpetua, fora em outro paises que sao cristaos, e tambem mulçumanos tem pena de morte para homossexuais em cerca de 10 paises, fora os outros 70 que tem pena de prisao, e podem chegar a prisao perpetua.

      • Olá, Roberto, tudo bem?
        .
        Na verdade, me parece que você está exagerando um pouco. No Brasil, quem é decapitado ou incinerado por discordar da opinião de outro? Felizmente isso aqui não ocorre, ao contrário do que é fato em países islâmicos. Sobre a sua pergunta acerca da hipótese de o Brasil ter uma maioria evangélica, eu te perguntaria o seguinte: hoje a maioria é católica e será que as leis do país refletem ao pé da letra a doutrina católica? Não existe lei que proíba o uso de preservativos, ao contrário do que a igreja católica defende, tampouco somos obrigados a frequentar uma igreja católica e caso não façamos vamos para a cadeia. Muito menos existe restrição de liberdade religiosa, cada pessoa tem o direito de seguir a religião que quiser, pois somos uma democracia. Do mesmo modo, se fôssemos de maioria evangélica, ninguém seria obrigado a ir a um culto nem haveria leis fechando centros de umbanda ou coisas parecidas. O evangelho nos diz que devemos obedecer as autoridades constituídas e as leis de onde estamos – e a nossa Constituição jamais permitiria absurdos como esses. Portanto, não, se tivéssemos uma maioria de congressistas evangélicos o nosso estado continuaria sendo laico, do mesmo modo que hoje temos uma maioria católica e no máximo o que temos são feriados católicos (e alguns espíritas, diga-se de passagem).
        .
        Sim, acredito que você está errado quando diz que o sonho dos deputados evangélicos fazer do Brasil um país teocrático. Teocracia pressupõe que se extirpem todas as outras religiões. Isso é exatamente o que acontece nos países muçulmanos, não sei se você acompanha a situação da falta de liberdade religiosa em países como Indonésia, Sudão, Arábia Saudita, Egito e tantos outros. Em muitos deles você portar uma Bíblia é crime, é terminantemente proibido abrir uma igreja cristã e caso você pregue o evangelho para um muçulmano você é preso e seus bens são tomados pelo Estado. Isso é uma teocracia. No Brasil isso jamais aconteceria se houvesse uma maioria evangélica no Congresso, até porque o verdadeiro evangelho respeita a pluralidade religiosa. Jesus nunca disse que deveríamos proibir outras religiões, mas sim pregar o evangelho para quem é de outras religiões. Por isso que nos países de maioria protestante ao longo da história o que houve foi missões e não proibições, como qualquer livro de história vai te mostrar.
        .
        Evidentemente sempre existem indivíduos que falam bobagens. Evangélico que diz que a Constituição deveria ser substituída pela Bíblia não conhece a Bíblia. Também nunca ouvi dizer que democracia é coisa do demônio, se alguém falou isso é um ignorante, que está à margem do Evangelho e de forma alguma representa o todo. Qualquer evangélico sério vai rir se ouvir isso.
        .
        Eu creio que você, na questão dos homossexuais, está confundindo um pouco o que vem ocorrendo e os atritos com os evangélicos. O problema todo começou quando tentaram aprovar o projeto de lei 122, que tornava os homossexuais ima “categoria” privilegiada dentre a população. Se esse projeto tivesse sido aprovado, casais homossexuais poderiam entrar em uma igreja e começar a se beijar sem que nada pudesse ser feito para evitar isso, sob pena de crime de homofobia. Foi por isso que houve uma movimentação contrária da bancada evangélica. Em outros campos, a atuação dos congressistas evangélicos é baseada sim em valores cristãos, pois um pastor ser obrigado por lei a celebrar um casamento entre dois homossexuais sendo que a Bíblia indica o comportamento homossexual como pecado naturalmente é um absurdo, pois representa interferência do Estado nas crenças religiosas. Beira o absurdo achar normal ou justo que um sacerdote que representa uma fé que não coaduna com a prática homossexual celebre um casamento entre dois homossexuais. É como querer aceitar que duas lésbicas subam nos ombros de amigos e comecem a se agarrar e se beijar durante o culto evangélico, como você bem sabe que ocorreu. Isso não é nenhuma questão de religião, é uma questão de respeito e bom senso.
        .
        Sim, uma menina foi apedrejada na rua por um indivíduo que se diz ser evangélico. Assim como homossexuais assassinam heterossexuais, espíritas espancam ateus e monges budistas agridem outros monges budistas no Japão. Querer atribuir ao erro de indivíduos uma postura de todos os cidadãos que compõem determinado grupo não faz o menor sentido. Eu pessoalmente conheço um homossexual que cometeu determinado crime mas eu jamais vou cometer o absurdo de dizer que todos os homossexuais são criminosos por causa das atitudes daquele homem. O verdadeiro evangelho jamais apoiaria jogar uma pedra na cabeça de outra pessoa. O evangelho verdadeiro prega a paz, o amor, a mansidão, a proclamação do Evangelho e jamais a imposição. Mas é óbvio que no meio de milhões de pessoas que se dizem ser evangélicas (ou espíritas, ou ateias, ou católicas ou o que for) vai haver aqueles que praticam loucuras. E se você perguntar a qualquer espírita se ele apoia que outros espíritas assassinem uma pessoa, a resposta será negativa, pois o kardecismo não aceita esse tipo de comportamento.
        .
        Confesso, Roberto, que chega a ser engraçado chamar um traficante de evangélico. De modo algum o evangelho aceitaria algo como o tráfico de drogas e tudo o que ele envolve, a ilegalidade, a violência, a disseminação de drogas que destroem vidas humanas. Um traficante dizer que é evangélico não quer dizer que ele seja. Nenhum cristão sério levaria isso a sério. A atitude desses traficantes parte de um entendimento totalmente equivocado do que significa ser evangélico e um desconhecimento sobre a ética cristã que, repito, não prega a perseguição religiosa mas sim a proclamação do Evangelho para pessoas de outras religiões.
        .
        Sobre o que você disse de Uganda, disse bem: um pastor. Um. Uma pessoa isolada, que não representa o todo. Eu sou radicalmente contra a pena de morte, pois o homem não tem direito sobre a vida de outro homem, esteja essa pessoa dentro de uma cadeia, dentro do útero de sua mãe ou o que for.
        .
        Roberto, como você bem sabe e até mencionou no seu comentário, em países muçulmanos existe pena de morte para homossexuais, pois é o que a lei do Alcorão prega e qualquer país que se torne uma pátria islâmica e assuma uma legislação islâmica terá esse tipo de lei. Nas democracias verdadeiramente cristãs isso é impensável. Qualquer evangélico que proponha pena de morte para um homossexual dentro de uma democracia não entende nada do Evangelho.
        .
        Querido, cuidado com a generalização. O que uma ou outra pessoa faz não representa o todo. O evangelho verdadeiro é o de Cristo, o príncipe da paz, o manso Cordeiro, que prega o amor e a conversão mediante a proclamação das boas novas e jamais mediante a coação. O evangelho verdadeiro entende que as mudanças ocorrem pelo poder do Espírito Santo e não por leis humanas. É uma pena que muitas pessoas que se consideram evangélicas não entendem o evangelho, o que de modo algum lança culpabilidade sobre os autênticos ensinamentos cristãos.
        .
        Obrigado por compartilhar a sua opinião de forma educada e amável, como sempre tem de ser o diálogo entre pessoas de bem. Um abraço carinhoso, Deus te abençoe,
        mz

  9. HP disse:

    Maurício,

    Toda essa miséria de refugiados (na sua maioria islâmicos) chegando a Europa, Estados Unidos e Brasil, é reflexo da instabilidade que se tornou o Oriente Médio, desde quando Bush e Tony Blair, ordenaram a invasão do Iraque pelas tropas de “coalizão”.
    De lá para cá, miséria, ódio, violência, intolerância religiosa recrudesceram em toda a região.

    Você lembra que Bush e Blair insistiram em afirmar que Saddam Hussein estocava armas de destruição em massa. O tempo cuidou de mostrar que era Mentira.

    Mentira e não engano.

    Depois que o Iraque foi reduzido a escombros, pipocaram aqui e ali denúncias de que tudo não passava de embuste. Não havia nenhum fundamento a suspeita de que o Iraque fosse santuário para a Al-Qaeda. Bastaram alguns meses de ocupação e evidenciou-se que a “doutrina Bush” foi tosca, atrapalhada, mal planejada, violenta, interesseira e vil.

    Não adiantou a Onu negar o aval ou o Papa advertir sobre os horrores de um possível massacre.

    O Oriente Médio virou um inferno. Osama Bin Laden não sobreviveu, mas a geração de extremistas que o sucedeu mostrou-se mais violenta. O tênue equilíbrio que mantinha alguma convivência entre etnias, grupos religiosos e culturas, esboroou. Xiitas e sunitas se enfrentam, como nunca, em conflitos fratricidas. A frágil comunidade de cristãos, espalhada na Síria e no Iraque, foi praticamente dizimada.

    Porém só agora com fotos de crianças, homens, mulheres e idosos desembarcando – ou mortos – em praias da Europa é que o mundo acorda;

    Isso é apenas reflexo da desgraça que aquela invasão ainda custará à humanidade.

    E sejamos justos: poucos sabem que grandes segmentos evangélicos apoiaram, abençoaram e incentivaram a aventura do Bush.
    Não devemos esconder que muitos evangélicos alinhados com o conservadorismo e moralismo, deram suporte espiritual ao presidente.

    Lembro bem de entrevistas de Max Lucado, John McArthur e Bob Jones à CNN nas vésperas da invasão. Os três têm as mãos sujas de sangue inocente.

    A Bíblia adverte que um líder espiritual passa por mais severo juízo. Mesmo com tão dura advertência, não se ouviu qualquer mea culpa da parte deles.

    E mesmo que um dia expressassem genuíno arrependimento, não vão conseguir devolver os braços e as pernas do menino que também perdeu a família. Nenhuma lágrima apagaria os abusos de Abu Graib. Reunião de oração, pedindo misericórdia divina para o Oriente Médio, não tem como devolver a vida de 4.000 soldados americanos e 90.000 civis iraquianos.

    A caixa de Pandora foi aberta. Agora o ISIS – esse sim – ameaça, sem freios, com a criação de um califado. E o mundo cristão arcar com as consequências do islamismo.

    Abraços

    • Oi, HP,
      .
      na verdade, se me permite, esse fluxo migratório para países ocidentais precede a invasão do Iraque. Em 1996 eu fui à Inglaterra e França e já se via muitos pelas ruas, museus e cafeterias. De resto, é isso aí.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  10. Ana Paula disse:

    Maurício, que bom que você nos trouxe isso pra refletir. Eu fico indignada em ver esse povo querendo impor suas leis e costumes sobre as pessoas de outras nações. Dá medo em pensar nesse povo, infelizmente. Isso nos motiva a orar pela europa e outros países que estão tendo que aceitar esse domínio. Que o Senhor nos proteja.
    Abraços, Deus te abençoe sempre!!

  11. roberto disse:

    Em outros campos, a atuação dos congressistas evangélicos é baseada sim em valores cristãos, pois um pastor ser obrigado por lei a celebrar um casamento entre dois homossexuais sendo que a Bíblia indica o comportamento homossexual como pecado naturalmente é um absurdo, pois representa interferência do Estado nas crenças religiosas. Beira o absurdo achar normal ou justo que um sacerdote que representa uma fé que não coaduna com a prática homossexual celebre um casamento entre dois homossexuais

    Mauricio sem querer ser chato o STF aprovou o casamento gay no civil, e não vi nenhuma manada gay correndo para as igrejas para se casarem, a lei que foi aprovado perminte somente o casamento no civil respeitando as doutrinas das religioes, nao obrigando-as a seguir a lei,agora acho uma hipocrisia da igreja ser contra o casamento gay com todo o direito mas quando a lei que permite divorciado casar de novo a igreja nao se rebelou por ser contra os valores cristãos,inclusive entre os congressistas evangelicos existem alguns deles divorciados e casados de novo inclusive na igreja. Conheco pastores divorciados que se casaram na igreja, membros divorciados que se casaram na igreja, mas aí tudo bem porque como é casamento entre homem e mulher é permitido, nao vamos mexer com uma lei que vai prejudicar a maioria da população, alias hoje em dia tem muitos divorciados casado de novo nas igrejas.Cada um faz o que quer da sua vida mas a justiça seja igual para todos, nao defendo o casamento gay nas igreja, mesmo porque a lei aprovada nao permite. A populaçao crista pode ser cordeira mas nao confio em quem usa da fé para chegar ao poder, porque lá estara uma minoria representando uma maioria, e a historia crista ja deu exemplo das catastrofes cometidas em nome de Deus, as cruzadas, onde os cristaos mataram milhares de mulçumanos, a inquisição cometida pela igreja catolica, e fora a caça as bruxas pela igreja protestante nos eua.
    Não confio em religioes e nem em lideres religiosos muito mais se estiver metido em politica, eu tenho medo dessas pessoas.
    Bom desculpe mais uma vez, um forte abraço pra vc e todos aqui.
    obs: hoje mesmo extremista islamicos assassinaram dez homossexuais na siria,inclusive um de menor.

    Olha tudo que esta acontecendo na europa com os refugiados, deve-se graças aos estados unidos e seus aliados na europa, o estado islamico é cria americana, eles armaram esses rebeldes para derrubar o governo da siria,libia e o egito na primavera arabe, so que no lugar de eles derrubarrem o governo formaram um grupo para implantar o estado islalmico, so que quem paga o pato agora sao os paises europeus por estar proximo do oriente medio e da africa, ja que os estados unidos esta a milhares de quilometros de distancia do estrago que fizeram.E a coisa vai piorar ainda mais.

  12. LAM disse:

    Esse texto fez a pior analise da crise imigratória que eu já li, infelizmente escrito por um cristão. Carregado de preconceito e extremismo. Acho que o que Jesus ensinou passa bem distante disso tudo que você escreveu.

    • Caro(a?) LAM (anônimo?),
      .
      análise? Não foi uma análise, mas uma exposição de fatos. Assista aos vídeos, não fui eu quem os produziu. Extremismo? Não, querido(a?), basta um pouco de informação e leitura. Hoje os sociólogos e antropólogos europeus (não cristãos, diga-se de passagem) fazem projeções de países europeus governados por islâmicos devido ao crescimento populacional antes do final deste século. Um pouco de conhecimento não lhe faria mal, amigo(a?). E, se você for uma mulher, vamos ver como terá de se comportar quando quiser visitar uma Londres ou uma Paris governada por leis baseadas no Alcorão (você acha isso fantasioso? Veja as mudanças no cenário geopolítico do mundo ao longo dos séculos, qualquer livro escolar de história te mostrará isso). Aí, então, você volta aqui e deixa seu comentário dizendo como foi ser obrigada a andar de véu e com pernas e braços cobertos pelas ruas. Se você acha exagero, procure se informar um pouco mais de qual já é a realidade HOJE em países de maioria islâmica, como Sudão, Afeganistão, Líbano, a região do Estado Islâmico, a Nigéria do Boko Haram e outros. Se não sabe onde se informar, veja o que fazem organizações como a https://www.portasabertas.org.br/ , de auxilio à perseguição religiosa em países islâmicos e comunistas, por exemplo. Olhe um pouco além do que a sua realidade, amigo(a?) e, quem sabe, se você tiver uma visão clara do que ocorre em nossos dias em países islâmicos com quem não é islâmico você veja a diferença de preconceito e extremismo para realismo. Leia livros como o “Perseguidos”, de Paul Marshall, Lela Gilbert e Nina Shea. Abra os olhos para o mundo, querido(a?), que vai bem além das novelas da Globo.
      .
      Ah, sim, só para lembrar, o que Jesus ensinou o levou a ser morto por pessoas que agiam naquela época como os membros do Estado Islâmico de hoje.
      .
      Um abraço,
      mz

    • pv disse:

      Olá,

      Não sei posso participar das discussões, mas gostaria de uma parte.

      Prezado(a), LAM, perceba os fatos. Os cristãos do Oriente Médio estão neste exato momento enfrentando um mini-holocausto. Nada menos do que um genocídio. Perseguição sem paralelo desde o nascimento do islamismo há 1.300 anos. Esse islamismo também é chamado de jihadismo, Sharia, o movimento em prol de um novo califado que seja dominante.

      Algumas estatísticas:
      – No início do século passado, os cristãos representavam 20% da população árabe. Hoje eles representam 4%.
      – Aproximadamente 100.000 cristãos são mortos anualmente em países muçulmanos.
      – Desde o ano 2000, 77% dos cristãos iraquianos fugiram.

      Notícias de vários setores da imprensa estão confirmando episódios da imigração em massa provocados por islâmicos entre refugiados.

      Na fronteira entre a Itália e a Áustria vi uma multidão imensa de imigrantes. Com toda solidariedade para com as pessoas em circunstâncias difíceis, vi uma resposta que causa horror. O vídeo mostra uma massa de gente praticando atos de selvageria pura, falando coisas vulgares, jogando garrafas, gritando “queremos a Alemanha.”

      Vi uma idosa italiana num carro que foi cercado pelos imigrantes. Eles a arrancaram pelos cabelos do carro e queriam usá-lo para ir para a Alemanha. Eles tentaram tombar o ônibus. Eles jogaram fezes, dando pancadas na porta para o motorista abrir, cuspiam no vidro.

      Minha pergunta é: qual o propósito disso? Entre eles quase não havia nenhuma mulher e criança. A vasta maioria eram rapazes agressivos.

      Milhares de “refugiados” muçulmanos estão invadindo a Europa para alcançar a Alemanha, às vezes mais de 10 mil por dia.

      A Arábia Saudita, que se orgulha de Meca e sua centralidade para o islamismo mundial, ofereceu “ajuda” a Alemanha. Sua oferta é construir 200 mesquitas na Alemanha para a assistência espiritual dos “refugiados.” Essa é toda a ajuda que os sauditas estão dispostos a oferecer aos seus irmãos espirituais.

      A Alemanha poderia reagir à oferta saudita oferecendo-se para construir 200 igrejas evangélicas luteranas na Arábia Saudita, sendo a Alemanha o berço do luteranismo, um movimento protestante criado para exaltar Cristo e Sua Palavra. No entanto, a Arábia Saudita proíbe Bíblias e proíbe a construção de igrejas cristãs em seu território.

      Diferentemente do que acontece em muitos países ditos cristãos, para a maior parte dos muçulmanos, fé e cultura, religião e política, se integram de tal forma, que renegar a fé é trair o povo e a nação. É por isso que alguns deles não veem nenhum mal em transformar a sharia em lei nacional, declarar guerra santa a quem teima em permanecer no caminho do mal, matar homossexuais, chicotear e apedrejar mulheres em praça pública.

      Se você quisesse, por exemplo, conversar pessoalmente, poderíamos tomar um café juntos e falar sobre o assunto. Divergiríamos e convergiríamos em algumas posições talvez. Eu poderia até lhe apresentar o evangelho se me permitisse e você poderia tanto aceitá-lo quanto poderia recusá-lo, ironizá-lo. Independente do resultado, seria um prazer para mim pagar a conta ao final. Caso algum dia você tivesse alguma dúvida e quisesse conversar novamente, eu estaria a disposição.

      Entende que isso não acontece no islamismo? Esse espaço que usufruímos neste momento não há em um país de maioria islâmica. Consegue imaginar uma passeata pública contra o islamismo, zombando da crença e dos símbolos que compõem a fé deles? Acredita que seria possível alguma manifestação de repúdio as suas leis baseadas na Sharia? Mas acredito que você já deve ter visto movimentos assim contra a fé cristã.

      Pense nisso. Não são questões tão simples assim.

      Forte abraço. Tenha um ótimo dia.

  13. mestanqueiro disse:

    Parabéns Maurício!
    Excelente texto e serve como um grande alerta a toda a sociedade.
    O Apenas me surpreende, sempre que volto aqui, tem coisas muito boas.
    Voltarei mais vezes.Compartilhei no meu Facebook!
    Abraço.

  14. João Paulo Alves disse:

    Decepcionada com essa análise de fatos, parece mais algo vindo de um senhor chamado Malafaia. Você ignora completamente a solidez(!?) da nossa democracia, e a maioria dos “fatos” que expôs a nossa Constituição não permitiria. Todos sabem que essa crise humanitária que culminou nessa imigração de refugiados islâmicos para países ocidentais, teve, e muito, a contribuição da nação cristã-protestante EUA e de países europeus, principalmente na era Bush. Não lembro de exposição de fatos, feitas por você, sobre o risco futuro daquele genocídio,disfarçado de missão de paz, de mulher, crianças e homens muçulmanos. O seu texto é alarmista e carregado de preconceitos, algo que não esperava de você. Acho que você se esquece que influencia a posição de muitas pessoas, e quando lança um texto como esse na rede, só aumenta o sentimento de ódio, revolta e preconceito contra os islâmicos, gerando um xenofobismo imenso contra esse povo, não fala isso diretamente, mas trás nas entrelinhas. ” O Brasil concedeu status de refugiados a mais de dois mil sírios desde 2011 até agosto deste ano, segundo dados do Conare (Comitê Nacional para os Refugiados). O número é maior do que o de alguns dos principais portos de destino na Europa e do que quase todos os países do continente americano, exceto pelo Canadá, que recebeu aproximadamente 2.500 no mesmo período, de acordo com o Ministro da Imigração Chris Alexander.” http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150910_vizinhos_refugiados_lk
    Como viu no trecho que postei, desde 2011, dois mil sírios foram aceitos como refugiados no nosso país, mais do que alguns países na Europa, e isso é o dado de uma instituição. Fora isso, acho que você desconhece a realidade desse povo em nosso país, largam tudo para trás, casa, bens, empregos e vem viver aqui em busca de sobrevivência, enfrentam preconceitos, ódio pela sua religião, por suas vestes e diferença cultural, fora a cultura criada pelos Estados Unidos de que todo islâmico é terrorista ou homem-bomba. Acho que nossa preocupação como cristãos não devem ser os islâmicos, mas sim nós mesmos, com nossos preconceitos e desamor a dor do próximo. Você escolheu uma péssima hora para tratar desse assunto, e o fez de uma maneira infantil, desinformada e sem embasamento. Esse texto meu caro, me lembrou o discurso de um certo austríaco que comoveu um povo com falas xenofóbicas carregadas de ódio, e mais tarde se tornou um dos maiores ditadores genocida do mundo. Não deixe sua opinião servir com pedra de tropeço paras muitos, e criar um sentimento de ódio contra seres humanos, por que isso é o que são antes de serem islâmicos.

    Abraço, e fique na paz de Cristo!!

    • Bom dia, João,
      .
      Respeito a sua opinião, mas gostaria de fazer algumas ponderações sobre tudo que você escreveu.
      .
      Acredito que a diferença entre Malafaia e o que eu escrevi é que tudo o que coloquei aqui é baseado em conhecimento histórico e em uma análise dos fatos como eles são. Meu discurso não é raivoso e gratuito, é triste e abatido. Não sei até que ponto você já estudou história do mundo e a dinâmica das civilizações. Caso você tenha curiosidade de estudar sobre isso, vai perceber que o panorama geopolítico das nações está em constante mudança. Recomendaria em especial a leitura do livro “The lost history of christianity”, infelizmente ainda sem tradução para o português, que mostra como nos primeiros séculos de cristianismo todo o norte da África e países inteiros da chamada janela 10/40 eram territórios cristãos e, pela dominação islâmica, hoje são consideradas “nações não alcançadas”. Também não sei até que ponto você está informado sobre o que acontece com os cristãos em países islâmicos, em que você é preso, perde seus bens e é morto pelo simples fato de carregar uma Bíblia embaixo do braço. Ao contrário do que você falou, não existe nada de preconceito ou alarmismo no que eu disse, existe uma consciência sóbria a respeito da dinâmica do panorama mundial ao longo dos últimos 2000 anos, por exemplo.
      .
      Um grande problema de muitas pessoas em nossos dias é achar que o mundo sempre será como ele é hoje, sendo que jamais ele permaneceu com a mesma configuração durante muito tempo. Basta você fazer uma análise dos últimos 200 anos e verá quanto o cenário mundial mudou, diversas vezes, por diversas razões. Portanto, não há nada de preconceituoso no que eu escrevi, É uma análise histórica sóbria com base em toda a caminhada da humanidade. Acreditar que o mundo permanecerá com é hoje só porque nós vivemos em uma democracia é no mínimo ingenuidade.
      .
      A Constituição de uma nação é válida enquanto o governo a reconhece como tal. Também considero ingenuidade acreditar que uma nação que passa a ter maioria islâmica na sua população, que venha a eleger maiorias islâmicas para o Congresso, continuará tendo uma lei exatamente como tinha antes, uma vez que é evidente que todo islâmico presa mais o Alcorão do que a lei da democracia, uma vez que elas não se coadunam. A sharia e a democracia são excludentes, não sei até que ponto você tem informações sobre o que o alcorão determina. Mas você me parece ser uma pessoa bem informada, portanto sabe disso.
      .
      Nossa democracia ou de qualquer país é sólida até o ponto em que a população desse país a respeita.
      .
      Outra questão é que você está lendo o meu texto a partir da perspectiva da crise dos refugiados, quando o que eu exponho vem de muito antes do início dela. Tenho um irmão que mora há 25 anos na Espanha e a migração de islâmicos para a península ibérica já começou desde que o general Franco saiu do poder. Lá se fala sobre a intenção de se dominar novamente a Espanha simplesmente pela ocupação demográfica há décadas, o próprio Yasser Arafat dizia isso, não sei se você sabe. Esse fenômeno ocorre desde muito, muito antes da era Bush, a Europa já discutia isso muito tempo antes, recomendo que você procure um pouco mais de informações realistas sobre o que está em andamento e nações como Espanha, Inglaterra e França, principalmente.
      .
      Portanto, eu respeito a sua opinião, mas não concordo que o que escrevi aqui é baseado em preconceito; é, isso sim, uma análise de conceitos e de fatos. Se você viu os vídeos deve ter percebido isso. Aliás, eu recomendaria que você procurasse ler mais livros e assistir a mais documentários sérios sobre o que acontece no Estado Islâmico, como seus integrantes enxergam o Ocidente e quais são os planos deles para as nações ocidentais. isso tudo já foi dito está amplamente noticiado, basta você procurar. Talvez, aí então, você perceba que não há nada de preconceito no que eu escrevi. Vou postar aqui apenas um. Assista e depois, por favor, me diga que não tenho motivos para me preocupar ou que sou um xenófobo equiparável a Adolf Hitler: https://www.youtube.com/watch?v=AUjHb4C7b94
      .
      Não estou de modo algum incitando o ódio ou a xenofobia. Se você dissesse isso para qualquer ser humano, cristão ou não cristão, que teve de fugir da região do Estado Islâmico para não ser decapitado, crucificados ou coisa parecida tenho certeza de que não consideraria que eles são xenófobos. Se você entrar no site do Ministério Missão Portas Abertas ou do ministério MAIS e procurar informações sobre o que acontece com os cristãos na maioria dos países islâmicos, talvez tem uma visão um pouco mais realista dos fatos e me considere um pouco menos radical.
      .
      Discordo totalmente da sua análise do meu texto, até porque não falei sobre indivíduos, mas sobre um processo que está em andamento nas civilizações. Não tem nada a ver com Adolf Hitler, é um alerta sobre um fenômeno global que está ocorrendo. O Brasil recebe muçulmanos há décadas, existem comunidades enormes de sírios e libaneses no Rio, em São Paulo e outros lugares, que contribuiram para a formação do nosso país é da nossa cultura. Meu comentário não tem nada a ver com isso. A diferença é que essas pessoas migraram para o nosso país em outra época da história humana, em que as relações entre islâmicos e ocidentais era bastante diferente. Você é uma pessoa bem informada, tenho certeza de que já leu sobre isso, como eu leio e já li. Portanto, querer comparar a migração ocorrida ao longo das décadas, em especial de populações siro-libanesas, para o nosso país com o projeto de dominação que existe hoje é de uma ingenuidade histórica gigantesca, perdoe-me.
      .
      Infelizmente, João, nem tudo é como nós queremos. O mundo não permanecerá como nós queremos. E a democracia não é nada sólida como você supõe.
      .
      Sou um defensor da paz, se você acompanha este blog sabe disso. Eu defendo a conciliação, o diálogo, o amor e as virtudes cristãs. Porém, isso não faz de mim um alienado das coisas do mundo. Eu tenho contatos pessoais com irmãos de ministérios variados baseados em muitos lugares do planeta, muitos deles em países islâmicos, portanto sei exatamente o que estou dizendo, e sei o que essas pessoas enfrentam pelo fato de serem cristãos em culturas islâmicas. Não é nada bonito e não é nada democrático. Acredito sim que precisamos orar por isso. Acredito sim que devemos alertar nossos irmãos sobre isso. Se você acha que tudo que estou falando é apenas discurso de ódio, é seu direito ficar acreditando que nada nunca mudará, que no dia em que um país democrático tiver maioria islâmica nada mudará na legislação e não haverá nenhum tipo de restrição à liberdade de religião. É um direito seu. No entanto, temos exemplos bem práticos no Brasil sobre isso que no minimo nos levam a pensar: já pensou, querido, se alguém dissesse 30 anos atrás que no Brasil haveria tentativas de aprovar leis que impedem, por exemplo, pastores de pregar contra o pecado… talvez dissessem que isso era um discurso de ódio. Porém, a história nos mostra que isso está acontecendo em nossos dias.
      .
      Abraço, e fique na paz de Cristo,

      mz

  15. João Paulo Alves disse:

    Maurício, tudo isso me parece mais uma daquelas teorias da conspiração, assim como vc bem disse, o cenário geopolítico do mundo está em constante mudança, e querer creditar uma possível intenção de dominação islâmica ocorrendo nos dias atuais em países ocidentais comparando com a dominação ocorrida nos primeiros séculos do cristianismo no Norte da África e dos países da janela 10/40, os tornando “nações não alcançadas” não convence, nem mesmo com uma exposição tão concisa de referências bibliográficas, somos um mundo hoje globalizado, e mesmo a democracia e o estado de direito não sendo perfeitos, ainda assim são o mais ideal para vivermos em harmonia, mesmo tendo religiões e culturas distintas numa sociedade. O EI é um acontecimento recente, só uma consequência daquilo que foi a ação desastrosa da Guerra do Iraque e a busca por Osama Bin Laden, estamos superestimando o seu alcance e poderio.. E eles tem dois alvos principais, EUA e as potências europeias, além de querer dominar territórios na própria região do Oriente. Fora que devemos pensar que impedir o livre trânsito dos islâmicos, ou de qualquer outro povo, não pode e não é a solução, para um problema que atualmente e futuramente pra mim não ocorrerá como você expôs no texto. Respeito a sua opinião, e sei que você é um defensor da paz, amo ler os seus textos, e não deixarei de admira-lo como homem e cristão, até peço perdão por comparar o que escreveu ao discurso antissemita de Hitler, foi um equívoco. Apesar de ter sido ponderado, sabe que muitos leem e usam isso para justificar o preconceito que sentem, o ódio e a segregação de islâmicos, aí que mora o perigo, querer igualar o todo pela atitude de alguns. Sei da situação dos cristãos, em países islâmicos principalmente, não estou alheio a isso. Ainda assim não creio que se estabelecerá no Ocidente povos em sua maioria islâmicos. Quanto ao exemplo que citou do Brasil, nossa Constituição protege o livre culto e o que é dito dentro de templos ou igrejas. Mas aquilo que é dito em redes sociais ou na mídia deve sim ser dito com bom senso maior do que dito num culto, Mas a justiça está aí para mediar isso, aquilo que passa de opinião e se torna discurso de ódio. Leio o Apenas há muito tempo e continuarei lendo, somos irmãos, e irmãos as vezes discordam entre si. Mas naquilo que importa ainda concordamos, o Caminho é Cristo e a Salvação vem somente Dele, por que de nós não se aproveita nada.

    Abraços irmão, fique na paz de Cristo.

  16. pv disse:

    Gostaria de comparar os comentários – principalmente dos que acreditam que é especulação, conspiração -, depois de 13 de novembro de 2015, dia dos atentados em Paris, que, até o momento desta mensagem, deixam 140 mortos e mais de 350 feridos que é considerado o pior da história recente da França.

    As vítimas dos atentados em Paris não são anônimas. Gostaria de convidar os discordantes a procurar um breve perfil das pessoas que perderam a vida nos ataques terroristas e manter suas posições.

    Poucas horas depois das mortes, o Estado Islâmico assumiu a autoria dos atentados.

    Ah, se conhecessem Jesus, o Filho de Deus, que veio ao mundo para morrer na cruz e, em misericórdia e graça, salvar e unir pessoas de todos os povos em um só corpo – a Igreja; abandonariam e se arrependeriam do “olho por olho, dente por dente”.

    “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao perverso; mas, a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra; e, ao que quer demandar contigo e tirar-te a túnica, deixa-lhe também a capa.”

    Só a misericórdia do Senhor infinita nos sustém.

  17. Li esse página Gostei pois tudo que está ali escrito são puras verdades.
    Eu Não gosto de criticar religião nenuma, poisso sou evangélica, tenho amigos Gays , Eu tenho valores e não vou abrir mão deles. Se você me perguntar se eu acho certo [a homossexualidade], eu não acho. Mas isso não nos torna inimigos”,
    Nos evangélicos , pregamos a palavra de Deus pregamos sobre paz sobre a morte de Jesus na cruz do calvário. Muitos criticam falam que nos evangélicos falamos coisas fortes como por exemplo : se vc não aceitar a Jesus como suficiente Salvador da sua vida vc irá para o inferno. Infelizmente essa é a realidade. Mais nem por isso obrigamos todos se tornarem a ser evangélicos e obrigamos alguém crer em Deus . Cada um é cada um . Só que ninguém venha me dizer que mulcumanos tem religião viu religião não pra mim são bando de assassinos e bando de pessoas usada por satanas pra tirar a vida até de crianças inocentes. Única coisa que podemos fazer é dobrar nossos joelhos e pedir a DEUS que nos guarde desses homens sanguinário.. O nosso País precisa de Paz e infelizmente não estamos tendo. Já existem tantos roubos ,tráficos e muitas mortes sem esses mulcumanos agr imagine com eles .
    Só Por Deus. EssA é a minha opinião cada um fala oq acha que é . Que Deus abençoe a todos .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s