O ator Flávio Migliaccio tirou a própria vida esta semana, aos 85 anos. Em seu bilhete suicida, ele escreveu: “Me desculpem, mas não deu mais. A velhice neste País é o caos como tudo aqui. A humanidade não deu certo. Eu tive a impressão que foram 85 anos jogados fora num país como este. E com esse tipo de gente que acabei encontrando. Cuidem das crianças de hoje! Flavio.” Esse bilhete me deixou reflexivo. E, como cristão, me senti responsável por ele ter chegado ao fim da vida tão deprimido. Falhei, por não fazê-lo saber algumas realidades que poderiam tê-lo sustentado.

Primeiro, quando Flavio mostra a decepção por a humanidade não ter dado certo, fico triste, pois quem conhece a Escritura sabe disso desde Gênesis 3. Que cristão acredita que a humanidade deu certo? Todos sabemos que caímos, transgredimos, falimos. Por outro lado, essa percepção não espanta nenhum de nós, pois sabemos que essa falência tem prazo de validade. Na cruz, fomos resgatados. Há redenção. E, na volta de Cristo, haverá glorificação. Não somos surpreendidos ou deprimidos por a humanidade ter dado errado. Ela deu. Mas, no fim, isso será revertido.

Segundo, Flavio teve a impressão de que foram 85 anos jogados fora. Que triste ler isso. Porque jamais uma vida é jogada fora se há propósito, motivação, razão de ser. E ter Cristo em nossa vida nos estimula a amar o próximo, o que, quando feito com diligência, nos dá completude no senso de utilidade e valor pessoal. Quem dos que dedicam a vida a amar o semelhante e servi-lo sente que está desperdiçando tempo? Acordar de manhã desejando realizar algo para fazer alguém sorrir e ir para a cama à noite sabendo que se ajudou alguém a viver proporciona uma sensação de plenitude e propósito que nos fazem ver cada segundo da existência como preciosidade.

Terceiro, Flávio se mostra decepcionado com as pessoas, “esse tipo de gente”. Todo ser humano conviverá com pessoas horríveis. Entro nas redes sociais e vejo multidões de pastores e membros de igrejas grosseiros, brigando por política ou teologia, ofendendo uns aos outros, arrogantes e desagradáveis. Como conviver com isso? Eis o segredo: perdoando. Na nossa fé, somos instados a perdoar “esse tipo de gente” por entender que não sabe o que faz e está escravizada por seu pecado. E a instrui-la, com mansidão e paciência. Por quê? Por crer que, se até mesmo pastores e teólogos famosos, arrogantes e agressivos podem vir em algum momento a ser salvos por Jesus, quanto mais qualquer outra pessoa! Sim, crer na redenção até do mais endurecido religioso dá esperança de salvação “dessa gente”. Qualquer que seja.

Sim, eu falhei. Falhei com Flavio porque não lhe apresentei o senso de propósito que há no amor a Deus e ao próximo. Falhei por não mostrar que a falência da humanidade em Gênesis 3 terá reversão em Apocalipse 22. Falhei por não mostrar que há perdão e restauração para toda gente horrível. Falhei porque o cristo que ele conheceu foi o falso, o genérico, aquele que milita na política partidária e nos programas de televisão com ódio, arrogância, estupidez, palavreado destemperado e falta de amor nas palavras. E, desculpe, você também falhou. Todo cristão falhou. Porque perdemos tempo com vãs discussões em vez de investi-lo em fazer gente como Flávio Migliaccio conhecer o Cristo verdadeiro: o que ama, redime, conserta, restaura, controla, pacifica e estende a mão. O Cristo da cruz e da sepultura vazia.

Falhamos com Flavio. Mas há milhares de outros flavios ao nosso redor, em situação bem parecida com a dele. A grande pergunta é: o que você pretende fazer a respeito?

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari
Facebook: facebook.com/mauriciozagariescritor
Instagram: instagram.com/mauriciozagari

APENAS_Banner três livros Zágari

Clicando na imagem acima você vai para a livraria virtual Amazon

comentários
  1. Paulo Jacobina Almada disse:

    Muito bom, Maurício. Realmente falhamos e ainda vamos falhar mais . Oro para que tenhamos consciência de que ser cristão é, antes de tudo, ser semelhante à Jesus, ser imitador Dele, ter frutos do Espírito. No ponto. Também falhei com o Flávio, como com tantos outros .

    • Paulo Jacobina Almada disse:

      Outro ponto que defendo, é que uma ação na maioria das vezes, vale mais do que 1000 palavras. Antes de falar do amor de Deus, dê testemunho. Seja em casa, na igreja, no trabalho, no transito , em todos os lugares, seja um testemunho vivo do Senhor.

  2. Regina Henriques disse:

    Olá Mauricio!

    É pena que tudo tenha que ser assim e que haja tanto sofrimento no mundo, mas nós não entendemos os desígnios de Deus. Desde o princípio que se sabia que iria ser assim, porque Deus não parou logo, só Ele saberá. Obrigada pelas mensagens. Que Deus abençoe a sua vida.

    apenas escreveu no dia quarta, 6/05/2020 à(s) 14:25:

    > Mauricio Zágari publicou: “O ator Flávio Migliaccio tirou a própria vida > esta semana, aos 85 anos.

  3. suscaloc disse:

    Irmão, obrigado por seus artigos. Realmente precisamos mais viver o IDE que Jesus nos comissionou, pq só as Escrituras tem as respostas, inclusive para a crise que vivenciamos.
    Continuemos a combater o bom combate até o dia final. Paz!

    Dra. Suzana
    ________________________________
    De: apenas
    Enviado: quarta-feira, 6 de maio de 2020 10:30
    Para: suscaloc@hotmail.com
    Assunto: [Novo post] O jesus genérico e o Jesus autêntico

    Mauricio Zágari publicou: “O ator Flávio Migliaccio tirou a própria vida esta semana, aos 85 anos.

  4. GUILHERMINA CORREIA disse:

    OLÁ IRMÃO !!! JÁ TINHA LIDO A NOTÍCIA DA SUA MORTE, mas desconhecia o Motivo. Conhecia-o de Telenovelas antigas, já alguns anos atrás. Hoje não vejo Novelas.
    Fiquei TRISTE, mas estou de acordo CONSIGO em todas as áreas que fala. DEUS ama a TODOS.
    Temos o DEVER de mostrar e AMAR O PRÓXIMO.
    Abração da Irmã em Cristo
    Guilhermina Correia – Lisboa – Portugal

  5. Lucinalva disse:

    Bom dia, Mauricio
    Reflexão interessante. Precisamos pregar o evangelho em tempo e fora de tempo. Um forte abraço.

  6. Marco Juric disse:

    Boa noite Zágari!!
    Sempre nos trazendo reflexões excelentes e verdades incontestáveis:
    “Porque perdemos tempo com vãs discussões em vez de investi-lo em fazer gente como Flávio Migliaccio conhecer o Cristo verdadeiro”.
    Tenho mesmo falhado, mas continuo lutando contra a minha mente para fazer o melhor: a vontade de Deus.

    Abração saudoso!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s