barrigaGostaria de refletir sobre um assunto altamente espiritual: minha barriga. Calma, não ria, é sério: pensando sobre minha barriga aprendi algumas coisas interessantes sobre nossa vida espiritual. Para você entender aonde meus pensamentos me levaram, primeiro preciso dizer que, até os 27 anos, eu fui magro. Mas muito magro. Imagine que eu tinha 1,80 metro e 55 quilos. E era uma magreza de origem genética, pois, por mais que eu tentasse engordar (e eu tentei), era inútil. Nada do que eu fizesse ou comesse alterava meu peso, que me acompanhou desde que terminou minha fase de crescimento até eu completar 27 anos.

Naturalmente, essa condição me proporcionava muitas vantagens. A principal delas é que eu não tinha limitações para comer: podia mandar para dentro de tudo e mais um pouco, que não engordava um grama sequer. Então eu cometia atrocidades, como ingerir uma lata inteira de leite condensado enquanto assistia a um filme, devorar um balde de pipoca doce sem drama de consciência, comer quanto quisesse nos rodízios de pizza… era uma vida livre de preocupações alimentares.

Mas aí chegou o dia em que meu DNA disse “é agora!”. Sem que me desse conta, minha barriga começou a crescer. Meu umbigo, que era uma bolinha estufada, desapareceu nas profundezas de um buraco que surgiu sabe-se lá de onde. E, assim, tudo mudou. Eu, que nunca me preocupara com balanças, passei a ir regularmente a uma farmácia para me pesar, assustado com essa realidade inédita. E foi quando comecei a perceber que, dependendo do que, a partir de então, eu comia, a barriga crescia ou diminuía.

Tive de comprar calças novas. Mudar o buraco do cinto. O terno que usava desde os 18 anos foi doado. Comecei a sentir uma dor na lombar que nunca sentira antes, fruto do peso extra que agora transportava na grande pochete abdominal. Tudo mudou. Tive de formatar minha mente e recalibrá-la para entender que não dava mais para comer como antes comia, nem viver como antes vivia. Essa nova realidade me forçou a transformar o modo como eu pensava e agia.

Falando desse modo parece fácil, não é? Mas não foi. 27 anos acostumado a comer do jeito que queria, o que queria, quantas vezes por dia quisesse e, de repente, se ver obrigado a mudar tudo. Foi duro. Minhas refeições, antes descontroladas, passaram a ser planejadas. Alimentos tiveram de ser repensados, bem como a quantidade e a frequência de sua ingestão.

Hoje, aos 43 anos e com 83 quilos, continuo com aquela barriga protuberante, que, se eu seguir os passos de meu pai e meus tios, vai ficar ali para sempre, me presenteando com um perfil hitchcockiano. Nesses 16 anos, imergi em uma nova realidade alimentar e é até difícil, hoje, pensar em como era viver do jeito que vivi por 27 anos. Somou-se à protuberante barriga uma taxa nada simpática de colesterol, de origem genética, e o resultado teve de ser uma total renovação na minha maneira de me relacionar com a comida. Mudei. E é um caminho sem volta.

A conversão nos leva a algo parecido. Ser chamado por Cristo das trevas para a luz muda tudo. Mas, ao contrário do que muitos pregam, não é uma mudança que ocorra sem esforço. Vivemos por muitos anos de modo descontrolado e, de um dia para outro, somos obrigados a repensar toda a nossa existência. Práticas pecaminosas têm de ser abandonadas. Passamos a nos pesar diariamente em uma balança chamada “Palavra de Deus”, que denuncia quando saímos do rumo. O novo nascimento nos leva a isto: uma total renovação da mente e do coração.

Pecados que antes eram práticas naturais ao homem perdido precisam ser avaliados e deixados de lado. A maneira de nos relacionarmos conosco e com o próximo necessariamente se transformam. Precisamos pensar não mais por nossa conta, mas segundo a mente de Cristo. É metanoia, a transformação da mente e do coração.

Se você foi chamado por Cristo para a salvação por meio de sua graça, é preciso reavaliar tudo. Amizades, atividades, gostos, práticas, preferências… é uma lista extensa. O novo nascimento, como é um fenômeno sobrenatural, muda instantaneamente muito de nós, de um jeito que nem entendemos. Mas não há como fugir desta realidade: muitas inclinações ao que foi pensado e praticado por muitos anos permanecem, como um eco indesejado que se propaga mesmo depois de o grito ter cessado. E só conseguimos vencer essas inclinações mediante a renovação da mente e do coração.

A boa notícia: é possível. A má notícia: muitas vezes não será fácil. Eu, hoje, não tomo mais uma lata inteira de leite condensado de uma vez só, mas, às vezes, dá uma vontade! Olho para a pizza salivando, mas me restrinjo a uma pequena quantidade – e de vez em quando. Não dá para ser como antes, pois as coisas mudaram. Na vida espiritual é a mesma coisa: hoje não é mais você quem vive, mas Cristo vive em você. Você não tem mais como senhor o príncipe deste século, mas o Príncipe da paz. Você não é mais escravo do pecado, mas habitação do Espírito Santo. Sua condição mudou; portanto, suas ações precisam mudar.

Eu sei que você quer fazer o bem, mas o mal ainda reside em ti. Porque, no tocante ao homem interior, tem prazer na lei de Deus; mas vê, nos seus membros, outra lei que, guerreando contra a lei da sua mente, te faz prisioneiro da lei do pecado que está nos seus membros (Rm 7.21-23). Por isso, é preciso se reinventar, se repensar e lutar para abandonar as antigas praticas e as inclinações que seguem o eco da natureza carnal.

Quando eu tinha 55 quilos, comia tudo o que queria. Mas minha aparência era a de um homem doente, seco, esquelético. Hoje, com 83 quilos, tenho de abrir mão de prazeres que antes tinha, mas meu aspecto é muito mais saudável. O homem sem Deus é um cadáver ambulante; o homem com Deus é a vida eterna sobre duas pernas. Acredite: vale a pena qualquer esforço por isso. E você? O que ainda precisa mudar?

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

Perdaototal_Banner Blog Apenas

Anúncios
comentários
  1. anobre77 disse:

    Paz mano!! Boa tarde!!
    Me vi no seu relato….rsrsrs…. sempre fui magro também, mas depois dos 30 eu pulei dos 73 para 84 quilos em pouco tempo.
    Hoje, depois de uma mudança alimentar, voltei pros 77, ainda, mas espero emagrecer mais. A questão toda, na verdade, é que eu meditei no que você escreveu e vi que muitas vezes estava mais disposto a mudar hábitos para emagrecer, mas não mudar hábitos para melhorar minha vida espiritual.
    Mas aos poucos estou equilibrando isso …. preciso mudar muita coisa, mas com a ajuda do Espírito Santo vou abandonando aos poucos essa preguiça espiritual e deixando de lados alguns gramas de pecados tão arraigados em mim.
    Valeu pelo texto … um forte abraço meu irmão!!

    • Salve, Alexandre!
      .
      Fico feliz que você esteja buscando esse equilíbrio e domínio próprio. Siga firme!
      .
      Grande abraço, na paz de Cristo,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  2. Luiz Fernando disse:

    Maurício, graça e paz.
    Gostei muito da analogia.
    Mais um texto edificante.

    “Todo sacrifício vai
    parecer insignificante quando
    encontrarmos Jesus face a face.” Graça Namuena

  3. Mateus disse:

    Tão legal essa capacidade de pegar aspectos do cotidiano e compara-las às coisas espirituais.
    Parabéns,

  4. pv disse:

    Irmão mz,

    Gostaria de me sentir mais confortável com o Senhor. Sempre quando acho que melhorei e venci em Cristo algumas coisas, outras aparecem como gigantes. É como se caminhasse em direção a um alvo que parece estar se aproximando, mas quando vejo ele está tão distante como da primeira vez. É um alvo que parece inatingível.

    Acho que Deus sabe disso. Apesar de ele odiar alguns de meus pensamentos e práticas, considera o desejo forte de estar mais limpo diante dele. Mas não é nada fácil viver assim.

    Continue de olho na balança, pois acredito que escrever, digitar, ler não faz perder tantas calorias assim.

    Deus te abençoe.

    Ah, a formatação tá diferente. A outra parecia melhor.

    • Oi, PV,
      .
      os alvos sempre são inatingíveis, pois Deus espera perfeição de seres imperfeitos. O que Deus deseja de nós é que nos esforcemos ao máximo, tendo o alvo como meta, mas ele sabe que somos pó. Leia o Salmo 103, vai ser bom para você.
      .
      Desculpe pela formatação. Minha filha foi para o hospital na noite em que eu prepararia a postagem e não tive tempo de formatar adequadamente. Preferi publicar o texto assim mesmo, pelo menos a mensagem foi transmitida. Mas nos próximos o formato seguirá sendo o padrão, obrigado por compreender.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Cristo,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

      • Paulo Victor disse:

        Obrigado pela referencia. É bom saber que Deus não fica magoado com a gente pra sempre, se houver arrependimento.

        Não precisa se desculpar pela a formatação, porque o privilégio é nosso aprender da palavra aqui. Pensei que ou não tinha reparado ou que houvera acontecido algo.

        Forte abço, mz.

      • Abraço, mano, Deus te abençoe muito.

  5. “Gostaria de refletir sobre um assunto altamente espiritual: minha barriga. Calma, não ria, é sério…”, já era, eu já estava rindo. kkkkkk Me identifiquei (literalmente) com o texto (já que sou magro – 60kg, alto -1.90 – e como muito. Hahahaha O médico disse que meu corpo vai se desenvolver aos 28. Ou seja, faltam 5 anos (a partir de hoje :D). Enfim…

    Mano, como eu me delicio lendo teus textos (quero escrever tão bem quanto você escreve), você consegue abordar assuntos tão (teoricamente) complexos de uma forma tão simples. Sou obrigado a citar o famosa palavra de Jesus que, infelizmente, é tão pregado, tão ensinado, mas pouco praticado: “Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me” Mateus 16:24.

    Ah, “minha aparência era a de um homem doente, seco, esquelético” (kkkkkk) por que você era magro? ME senti agora um “um homem doente, seco, esquelético”. Zoando, mano!!!

    Você é bênção!!! Gloria a Deus por sua vida, mano!!!

    • Oi, Lucas,
      .
      fico feliz que os textos te abençoem, querido, meu objetivo é precisamente este: escrever sobre assuntos teologicamente complexos na linguagem mais simples possível, para que todos possam compreender. Espero estar conseguindo.
      .
      Grande abraço, na paz do Mestre,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  6. Fabio Cardoso disse:

    Olá Maurício,

    É isso mesmo, com o tempo o metabolismo muda, mas graças a Deus vamos amadurecendo e aprimorando o domínio próprio, mas quem comanda a cozinha deve cooperar, fazendo pratos saudáveis.
    A alimentação equilibrada na cozinha e na vida espiritual só trazem benefícios.

    Irmão, abraço !

  7. Ângela disse:

    Olá, irmão Maurício. Ótimo texto! Gostei da analogia. Uma vida desregrada, sem se preocupar com as consequências é o que nossa natureza humana deseja. Mas louvado seja Deus que, com imensa graça e amor, nos ajuda na tão necessária dieta. Que a gente possa sentir fome, sim, mas da Sua Palavra, que é o melhor dos alimentos. Grande abraço. Estou orando aqui por sua filhinha que ficou dodói.

    • Olá, Ângela,
      .
      fico feliz que o texto te tocou. Obrigado pela oração, a pequena está bem melhor, embora não plenamente recuperada. Obrigado, de coração.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  8. Ana Emília Pereira disse:

    Lindo este texto! Foi muito esclarecedor e foi uma excelente comparação com aquilo que vivemos como “recém-convertidos”!
    Que Deus o continue a abençoar grandemente com palavras que vêm Dele!
    Obrigado querido irmão em Cristo, por se deixar ser usado por Deus.As suas palavras são, a cada dia, uma inspiração para mim!

    Que Deus o abençoe grandemente,
    Ana Emília

    • Olá, Ana,
      .
      louvo ao Senhor por ele ter falado ao seu coração por meio do texto, mana. Eu que agradeço pelas palavras tão carinhosas de incentivo.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Deus,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  9. Ana Paula disse:

    Olá irmão Maurício. Muito edificante seu texto!! Eu também luto para ganhar uns quilos pois sou muito magra mas eu não consigo rsrs. Mas graças a Deus temos saúde. Lendo seu texto fiquei pensando como é triste saber que nessa vida nunca vamos viver com perfeição mas quando você nos lembrou que “Deus sabe que somos pó” e que “Cristo vive em você” deu uma alegria e encorajamento para continuar vivendo na verdade.
    Desejo que Deus lhe ajude em seu regime físico e que Ele continue abençoando sua caminhada!
    Grande abraço!!

    • Oi, Ana,
      .
      louvo a Deus por ele ter te encorajado a seguir no bom caminho por meio do texto. Muito obrigado pelas palavras e pela oração, são muito importantes.
      .
      Deus a abençoe muito, na paz,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  10. João Alberto disse:

    Prezado irmão Maurício que a Graça e a Paz de Cristo esteja sobre a sua vida. Meu amado irmão não tinha tempo para poder ler os textos sempre bem fundamentados e contextualizados por você. A reflexão feita nesse texto é um dos mais profundos e lindos textos da relação do homem com Deus e o pecado. Que o Senhor continue te usando para que almas sejam alcançadas pelas vossas reflexões.

    Grande abraço que quem lhe admira.

    • Olá, João,
      .
      fico feliz que o texto o edificou, meu irmão, louvo a Deus por isso. Muito obrigado pela oração, você é muito gentil.
      .
      Grande abraço, querido, de alguém nada admirável,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  11. Muito boas essas dicas. Não emagrece quem tem preguiça rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s