Arquivo da categoria ‘Pessoal’

O Brasil tomou conhecimento há alguns dias de uma realidade assustadora: os principais frigoríficos do país vêm adulterando seus produtos, vendendo carne podre tratada com ácido cancerígeno para parecer fresca e misturando materiais bizarros ao alimento. Todos ficamos perplexos ao saber que o churrasco, o frango ou a linguiça que consumimos há sabe Deus quanto tempo eram como cavalos de Troia alimentícios: pagamos por algo saudável e recebemos produtos de terrível qualidade, cheios de péssimas surpresas dentro. Para além da natural indignação, esse episódio nos leva a algumas reflexões sobre a natureza humana.

Primeiro, cada vez mais fica patente que a ganância não encontra limites. Para não perder dinheiro, os empresários preferem vender seu produto putrefacto ou recheado de porcarias, o que eles têm plena consciência de que faz mal. A saúde de seus clientes? Só podemos concluir que para eles não importa. Lembro de que há cerca de oito anos fui internado no CTI com septicemia abdominal causada por um filé de frango estragado. Assim que dei entrada no hospital, minha esposa acionou a vigilância sanitária, que deu uma batida no restaurante onde ingeri o alimento podre. Não queira saber as condições que os fiscais encontraram. Posso dizer que, em resumo, a cozinha do restaurante parecia um chiqueiro onde porcos não gostariam de viver. Por isso, sei o que é passar mal por conta da ganância alheia.

Segundo, cada vez mais fica comprovado que a corrupção humana não encontra limites. Trinta e três profissionais do governo, responsáveis pela fiscalização das condições de funcionamento dos frigoríficos, foram afastados do cargo sob a acusação de receber propina para deixar essas empresas fazerem o que bem entendessem. A corrupção não é nova, mas é impressionante como, a despeito dos avanços da civilização, para muitos a vantagem financeira segue sendo mais importante que a verdade. Avançamos em tecnologia, mas como seres humanos somos os mesmos depravados de sempre.

Terceiro, o mandamento de amar o próximo como a si mesmo não parece fazer parte do dia a dia de grande parte da humanidade. Desde que pingue um dinheirinho, seres humanos são capazes de fechar os olhos a toda e qualquer barbaridade feita com a vida alheia. O bem-estar do próximo é posto abaixo da possibilidade de lucro pessoal. O que isso denuncia? Um gigantesco egoísmo. Desde que eu tenha uma boa propina no banco, não me importa que meu vizinho, meu tio, meu professor ou o jornaleiro da esquina ingiram carne podre, produtos cancerígenos, papelão ou cabeça de porco. O que importa é o meu interesse. Os outros? Hm…

Ganância, corrupção, egoísmo. Tudo isso junto mostra como a humanidade é idólatra de si mesma. Jesus disse: “Em todas as coisas façam aos outros o que vocês desejam que eles lhes façam. Essa é a essência de tudo que ensinam a lei e os profetas” (Mt 7.12). Quem ignora esse mandamento se põe acima de Deus e, com isso, peca por autoidolatria, o pecado maior de Satanás. É triste ver como este mundo caído se assemelha ao pai da mentira, à antiga serpente. Em contrapartida, cada vez mais fica patente como necessitamos de Cristo! Como precisamos da graça salvadora! Pois só ela nos liberta de nossa autoidolatria, nos faz amar o próximo de fato como a nós mesmos, nos faz não amar o dinheiro, nos conforma à natureza de Cristo.

Que Deus converta os corações. Pois, longe do Senhor, tudo o que nos resta é carne podre.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

Confiança inabalável_Banner ApenasClicando nas imagens acima e abaixo você vai para a livraria virtual das lojas Saraiva.

APENAS_Banner três livros Zágari

susto-1Lá para setembro do ano passado eu já sabia direitinho como seriam os meses seguintes de minha vida: eu mandaria pintar meu apartamento para viver nele mais 15 anos, passaria as férias de janeiro em Cabo Frio, minha esposa seguiria feliz e contente em seu trabalho, meu irmão continuaria seu serviço missionário na Espanha sem interrupções, meu pai e minha mãe prosseguiriam em sua vida tranquila de aposentados… tudo na paz e sem grandes preocupações. Sem sobressaltos. Era só seguir o fluxo dos dias e minha bem roteirizada vida permaneceria planejadinha e previsível. Que tolo, eu. Em pouco tempo, veio o furacão. A vida tranquila de meus pais sofreu um baque quando o estado parou de pagar seus salários, e em vez de pintar meu apartamento vi a necessidade de trazer meus pais para morar comigo, e por isso passei a procurar casa nova, e pusemos à venda o apartamento de meus pais, e minha esposa teve uma mudança drástica no trabalho, e tive de cancelar as férias, e meu pai acabou adoecendo e falecendo, e por isso meu irmão teve de voar correndo para o Brasil, e minha mãe passou a morar comigo e…

Acredite: se você me dissesse em setembro que minha vida em fevereiro seria como está hoje, eu riria. Não tinha como. Mas… teve. 

susto-4A coisa mais previsível da vida é que o imprevisível acontece. De repente, você dobra uma esquina e um piano cai em sua cabeça. De uma hora para outra, vem o Estado Islâmico e, quando você vê, não mora mais em uma cobertura duplex na Síria, mas em um campo de refugiados na Grécia. Sem nenhum aviso, o governo muda uma regra e você passa a receber um salário bem menor. Imprevistos que mudam tudo. Em pouco tempo, o que era confortavelmente estável tem de ser refeito, repensado, replanejado. E esses imprevisto, creia, são totalmente previsíveis. A Bíblia nos mostra isso com clareza. Penso em Jó, pobre homem. Vivia em paz, feliz, cercado de uma família maravilhosa, cheio de bens, deleitando-se no Senhor. Dias depois, estava arrebentado, em crise existencial. Quem poderia prever isso? Pedro sempre foi pescador e creio que acreditou que sempre seria, até que aparece um nazareno e faz dele um pescador de homens. Quem poderia prever isso? Davi estava no campo, pastoreando como possivelmente acreditava que sempre faria, quando chega um profeta e faz dele rei de uma nação. Quem poderia prever isso? 

Tiago discorreu sobre a imprevisibilidade da vida: “Prestem atenção, vocês que dizem: ‘Hoje ou amanhã iremos a determinada cidade e ficaremos lá um ano. Negociaremos ali e teremos lucro’. Como sabem o que será de sua vida amanhã? A vida é como a névoa ao amanhecer: aparece por um pouco e logo se dissipa. O que devem dizer é: ‘Se o Senhor quiser, viveremos e faremos isso ou aquilo’. Caso contrário, estarão se orgulhando de seus planos pretensiosos, e toda presunção como essa é maligna” (Tg 4.13-16). 

susto-5Jesus contou uma parábola sobre essa realidade: “Um homem rico tinha uma propriedade fértil que produziu boas colheitas. Pensou consigo: ‘O que devo fazer? Não tenho espaço para toda a minha colheita’. Por fim, disse: ‘Já sei! Vou derrubar os celeiros e construir outros maiores. Assim terei espaço suficiente para todo o meu trigo e meus outros bens. Então direi a mim mesmo: Amigo, você guardou o suficiente para muitos anos. Agora descanse! Coma, beba e alegre-se!’. Mas Deus lhe disse: ‘Louco! Você morrerá esta noite. E, então, quem ficará com o fruto do seu trabalho?’.” (Lc 12.16-21)

Meu irmão, minha irmã, tenha esta certeza: a vida humana transborda de incertezas. A paz pode se transformar em guerra a qualquer segundo. A tristeza pode se transformar em alegria sem aviso. A incerteza é certa. O imprevisível é previsível. Diante disso, dá para viver bem? Sim, dá. Basta estar alicerçado naquele em quem não há variação nem sombra de mudança (Tg 1.17), pois, passem céus e terra, suas palavras não passarão. Ele não muda (Ml 3.6; Hb 13.8). Se tudo é fugaz e flexível, Cristo segue inabalável, sólido, confiável. 

Seu salário diminuiu? Deus segue grande. Um parente morreu? Deus segue vivo. Seus planos foram frustrados? Os planos de Deus não podem ser frustrados. Sua vida virou uma grande confusão? Deus segue sendo de paz e não de confusão. Subitamente ficou tudo ruim? Deus segue sendo bom. Haja o que houver, Deus segue sendo Deus. 

susto-3O imprevisível é previsível. De uma hora para outra, qualquer coisa pode mudar. Felizmente, também é previsível que para Deus nada é imprevisível. Ele sabe tudo de antemão. Aquilo que nos surpreende estava claramente esquematizado e planejado na mente divina. Os grandes sustos e as reviravoltas da vida não assustam nem desestabilizam o Deus que já sabia que ocorreriam. Nada – nada! – surpreende o Senhor. Nada é imprevisível no entendimento divino. O Criador tem controle absoluto das mínimas coisas. Por essa razão, na hora em que o imprevisível pular à sua frente, mantenha-se firme e confie que ele não é maior do que o Deus que, previsivelmente, ama você, cuida de você e deseja conformar você à natureza de Cristo. Pois Deus sabe que, ao permitir que o imprevisível roube o seu fôlego, ele o estará conduzindo cada vez mais ao centro da sua divina vontade. 

Perceber isso faz-nos chegar, afinal, à grande conclusão: o imprevisível não existe. Nós é que não sabemos quais são os planos de Deus e, por essa razão, nos iludimos ao achar que aquilo que nos é surpreendente surpreende a Deus. Portanto, meu irmão, minha irmã, quando vier o imprevisível, glorifique o Senhor, por saber que, acima dos sustos e das mudanças, paira, gloriosa, a vontade absoluta, inquestionável e magnífica do Todo-poderoso. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

Confiança inabalável_Banner ApenasClicando nas imagens acima e abaixo você vai para a livraria virtual das lojas Saraiva.

APENAS_Banner três livros Zágari

kara-tepe-3De Gênesis a Apocalipse, a Bíblia nos aponta a beleza e a importância de dar. “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é mister socorrer os necessitados e recordar as palavras do próprio Senhor Jesus: Mais bem-aventurado é dar que receber” (At 20.35)Embora pareça óbvio, é sempre importante refletirmos sobre o óbvio: o que significa “dar”? Dar é pegar algo que lhe pertence e transferir a posse para outra pessoa. É abrir mão do direito de possuir algo para que o outro seja beneficiado. Portanto, é priorizar o outro, como diz a Palavra: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rm 12.10). Não há nenhuma dúvida com relação a isso. Não há interpretação. É o que é: aos olhos de Deus, dar é melhor que receber. Portanto, devemos nos desapegar do que é nosso em favor do próximo. 

Ao dar, priorizando o próximo, nos assemelhamos a Deus. Sem precisar fazer nada pela humanidade pecadora e rebelde, ele deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). Deus não só nos manda dar, ele deu o exemplo. 

O evangelho vai além: não basta dar, para Deus é fundamental a forma como está nosso coração na hora em que damos: “Cada um contribua segundo tiver proposto no coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá com alegria” (2Co 9.7). Se você não dá com alegria no coração, é preciso buscar, em Deus, o desapego. Desapego, aliás, que o próprio Cristo mostrou ter ao se dar por nós: “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2.5-8). 

Além de dar, e dar com alegria, precisamos saber que o desapego que agrada ao Senhor é aquele que demonstra amor. E amor não existe sem abnegação e renúncia. Lembre-se das palavras de Jesus ao ver tamanho amor no coração da viúva: “Estando Jesus a observar, viu os ricos lançarem suas ofertas no gazofilácio. Viu também certa viúva pobre lançar ali duas pequenas moedas; e disse: Verdadeiramente, vos digo que esta viúva pobre deu mais do que todos. Porque todos estes deram como oferta daquilo que lhes sobrava; esta, porém, da sua pobreza deu tudo o que possuía, todo o seu sustento” (Lc 21.1-4). Aquela mulher deu com alegria, preferindo o próximo a si mesmo e em amor sacrificial. Isso é ser irresponsável? Não, caso contrário Jesus não teria elogiado a postura da viúva. A atitude dela demonstrou fé, graça, obediência, compaixão. Virtudes que todos nós devemos ter. 

Fui levado a esta reflexão sobre a importância de dar por uma questão pessoal. Meu irmão, Cláudio, que é pastor na Espanha, viajou há algumas semanas a um campo de refugiados na Grécia, onde há atualmente 6.500 refugiados de diferentes religiões – entre eles muitos islâmicos e hindus -, que tiveram de fugir de suas casas para não serem mortos. Cláudio foi até lá como voluntário, para dar: dar doações, dar amor, dar a si mesmo. Ele me relatou o que está acontecendo nesse campo e qual é o papel dos cristãos ali. Fiquei profundamente movido e comovido e resolvi não simplesmente lamentar e largar para lá. Por isso, fiz o que está ao meu alcance para dar algo àquelas almas que ali estão: que Cláudio gravasse um pequeno vídeo falando sobre a situação do campo de refugiados, que preparei da melhor forma possível, com meus parcos conhecimentos de produção de vídeo, e o resultado está no pequeno vídeo abaixo. 

É rápido, não demora, por isso peço, por favor, que você assista. E, se possível, que faça algo. Tenho certeza de que você tem algo a dar. Por favor, se puder, assista:

Os donativos podem ser feitos do Brasil por transferência bancária à conta da REMAR na Suiça:

Titular: REMAR SOS

Banco: RAIFFEISENBANK USTER
País: SUIÇA
IBAN: CH95 8147 1000 0046 6159 6
BIC/SWIFT: RAIFCH22E71

Caso seja solicitada mais informação relativa ao beneficiário:
REMAR SOS SWEISS
Bertschikerstrasse 2
8620 Wetzikon
Tel: (Suiça) 0844 777 770
E-Mail: info@remar.ch
Website: www.remar.org

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

Confiança inabalável_Banner ApenasClicando nas imagens acima e abaixo você vai para a livraria virtual das lojas Saraiva.

APENAS_Banner três livros Zágari