Um fenômeno incompreensível no nosso meio é a alegria que muitos frequentadores de igreja demonstram quando um  cristão cai em pecado. E digo “frequentadores de igreja” não por acaso: um cristão de verdade jamais se alegra com o pecado de ninguém. A verdade é que, enquanto Jesus diz que “haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento” (Lc 15.7), aqui na terra a turma se esbalda quando alguém peca. Evidentemente não estou falando só de pecados gravíssimos, terríveis, como: glutonaria, rancor, ira, maledicência, discórdia, ciúmes, egoísmo, inveja e outros dessa estirpe (ou você achava que esses pecados não eram sérios? Leia Gálatas 5.19-21). Refiro-me basicamente à tríade sexo, poder e dinheiro – os grandes pecados que elegemos para não perdoar, junto, é claro, com o álcool e o cigarro. Envolveu um desses pecados e a turma vai adorar falar por anos a fio sobre os envolvidos nessas histórias, que na cabeça do cristão brasileiro são piores que a blasfêmia contra o Espírito Santo.

Não, pecar não é correto. Não se justifica. É uma desobediência ao Rei dos Reis. É feio. É condenável. Cheira mal às narinas do Santíssimo. Mas permita-me abordar 4 aspectos da questão:

1. Absolutamente todo mundo peca. Eu e você, inclusive.

2. Todos pecados são hediondos, mesmo os que você pratica e acha que não são. O glutão é tão pecador como o assassino. O invejoso e o ciumento são tão pecadores como o estuprador. Se você acha que o seu pecado é menor do que o do bandido da boca de fumo, novamente sugiro que leia Gálatas 5.19-21 e me diga se estou errado.

3. Jesus encarnou como o Cordeiro de Deus que veio para tirar o pecado do mundo. Depois da Cruz, ele concede o perdão a todo pecador que se arrepende (a única exceção é a blasfêmia contra o Espírito Santo, mas nesse caso não haveria arrependimento). E, se Deus já perdoou, quem você pensa que é para continuar acusando o pecador arrependido?

4. Alegrar-se quando alguém peca é tão pecado como qualquer outro, pois vai contra o maior mandamento: amar o próximo como a si mesmo.

Apesar dessas verdades, o que vejo ao meu redor é que o frequentador de igreja em geral ama crucificar quem Deus já perdoou. Ama de paixão. Tem um prazer e uma alegria sádicos de ficar apontando o pecado alheio. É como se dissesse: “Hehehe, sou melhor do que você”. Pior: há os que amam ficar sabendo e tricotando sobre o pecado do outro. “Você não soube o que fulana fez? Vou te contar, mas é só pra você orar por ela”, diz o fofoqueiro. “Pode contar, só quero saber para interceder por beltrano”, diz o frequentador de igreja com aparência de piedade mas que por dentro está se escangalhando de se entreter com a desgraça do seu próximo.

Tudo pelo sádico prazer anticristão de ver o próximo se dar mal. Essa que é a pura verdade.

Pois o cristão de fato não se alegra com a queda do irmão: o ajuda a se reerguer, o preserva, chora com ele, proteje-o. Pois todo aquele que escorregou tem o grande potencial de se tornar um cristão melhor após ser reerguido pelo Espírito de Deus – basta ver o exemplo de Davi no caso de Bateseba. E o cristão de verdade sabe disso e luta para que o irmão que pecou torne-se um homem segundo o coração de Deus. Não pisa na cabeça dele nem o acusa. Isso já tem alguém chamado Satanás para fazer, nenhum ser humano precisa tomar do diabo aquilo que ele já fará naturalmente. Quem o faz torna-se cúmplice dele.

Como disse um sacerdote veterano certa vez, quando alguém lhe perguntou se deveria perdoar alguém que praticou grande mal: “Bem… temos duas opções: ou nós não o perdoamos ou fazemos o que a Bíblia manda”. Sim, a resposta do problema era matemática: 70 vezes 7. E a equação estava resolvida. Esse relato me lembra uma frase de Jesus quando uma certa mulher adúltera foi levada até ele, pois queriam apedrejá-la. Você conhece a história. Disse o Cordeiro de Deus: “Visto que continuavam a interrogá-lo, Jesus se levantou e lhes disse: ‘Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela’.” (João 8.7).

Meu irmão, minha irmã, perceba: você peca todo santo dia – por pensamentos, palavras, atos e omissões. Você e eu não somos menos pecadores do que o pior dos assassinos. Mas aí vem logo alguém com aquele argumento óbvio: “Ah, eu peco, só que eu não vivo pecando”. E eu perguntaria: “Não vive pecando? Ok. Então me diga um único dia da sua vida em que você não pecou”. Pois é. Você e eu pecamos TODOS os dias das nossas vidas, tirando talvez algum dia em que estivemos em coma. Fora esse, você pecou TODOS os dias.

Então, caro amigo vaidoso, glutão, fofoqueiro, invejoso, iracundo, maledicente, preguiçoso, cobiçoso, egocêntrico, que não põe Deus acima de todas as coisas, que deseja o mal ao próximo, que não prefere os outros em honra, que devolve mal com o mal, que não perdoa as dívidas e ofensas, que é rude com os outros, que desdenha os mais pobres, que inveja os mais ricos, materialista, que tem inimizades e ciúmes, que tem iras e discórdias, que promove dissensões e facções… meu querido, lamento informar, mas você e eu vivemos  SIM pecando. Di-a-ri-a-men-te. E Paulo diz em Gálatas 5 que “não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam”. Então, caro, estamos mal na fita – e carecemos da graça de Deus tanto quanto quem você acha o pior dos pecadores.

É a isso que Jesus se referia quando disse para olharmos a trave em nosso olho antes de olhar o argueiro no olho do outro, caro frequentador de igreja. Diante disso, se me permite, sugiro que a partir de hoje você olhe menos para o pecado do seu próximo – em especial se por acaso você sente aquela satisfação sádica de ver o pecador se arrebentar – e passe a dirigir mais sua atenção para os seus próprios pecados e, principalmente, para a Cruz de Cristo. Pois, pode acreditar: você vai precisar muito dela no Dia do Juízo.

Paz a todos vocês que estão em Cristo – e que, como eu, sabem que são miseráveis pecadores.

.

.

Direitos Reservados
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. É mandatório quem for reproduzir um post creditar: 1) Nome do autor. 2) URL do blog (com link). 3) Nome do blog: “APENAS”.

Licença Creative Commons Blog APENAS by Maurício Zágari is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 2.5 Brasil License.

As reflexões expressas neste blog são pessoais e não representam necessariamente a posição oficial de nenhuma igreja, denominação ou grupo religioso.

Anúncios
comentários
  1. Eunice disse:

    Que história triste. Quem precisa do diabo tendo “irmãos” assim?

  2. godshacker disse:

    Mauricio… post iluminado!
    Uma outra coisa: aonde compro o A Verdadeira Vitórioa do Cristão sem ser pelo site da Anno Domini?? Minha conta no Pagamento Digital esta com problemas…:-/

    Abraço e que a paz do senhor esteja com você.

    Davi Ribeiro

    • Davi,
      muito gentil de sua parte, obrigado.
      Sobre o livro, você pode adquirir pelo 0800-701-3490, nas lojas da CPAD e da editora Vida, em qualquer livraria atendida pela distribuidora Z3 (são muitas pelo Brasil, desculpe, não sei dizer quais), nas livrarias Nobel ou nas que estão neste link:
      http://www.editoraannodomini.com.br/livraria/pages.php?pageid=5
      Também as Igrejas Cristãs Nova Vida costumam ter em suas livrarias.
      Se você me disser em que cidade mora posso tentar descobrir junto à editora.
      Espero que, se você vier a ler um de meus livros, seja de fato edificado.
      Um forte abraço, na paz de Cristo.

  3. Jean disse:

    Zágari,graça e paz!
    Sabe amado,hoje com o advento da internet,surgiram os Nélsons Rubens evangélicos.Gente fofoqueira que sente prazer em relatar o pecado alheio e torce pra ver o circo pegar fogo e propaga isso pelas redes sociais com alegria,dando uma de guardião da moral cristã.É a turma do quanto pior,melhor..gente que adora ver pastores adulterando,roubando,sendo presos..é gente que fica doida pra que você diga abertamente quem são os “pecadores famosos” do meio evangélico.Não nego que já me vi assim,mas hoje sei o quão trágico é carregar um peso de abandono e culpa nas costas pelo pecado cometido e precisando de ajuda,você encontra pessoas pra te afundar cada vez mais.Agir assim é se colocar como aquele falso irmão,que Paulo disse para nem andássemos com ele.É muita falta de sensibilidade,de amor,solidariedade com o irmão enfraquecido.Se analisarmos o perfil de tais pessoas,veremos que em muitas das vezes,são indivíduos que nunca tiveram a experiência da injustiça,da vergonha,do abandono,pelo simples fato de sua soberba,tornar seus corações endurecidos e assim nunca venham a conhecer a Jesus Cristo e sua misericórdia que cobre a cada segundo,nossas multidões de pecados.Que o Senhor guarde nossos corações desse engano de se achar menos pecador que nosso semelhante.

  4. Jean disse:

    E tem um site aí que propaga essas fofocas,e os responsáveis acham que estão à serviço do Reino de Deus.É um vexame.

  5. A paz do Senhor irmão!
    É bem verdade o que vc escreveu; infelizmente. Pior de tudo é ver que somos pecadores que não perdoa pecadores.
    Casos como o que vc relatou acontece diariamente, e a despeito das nossas falhas, é bom sermos confrontados com isso, para que pelo menos reconheçamos que ainda temos infinitas limitações (espiritualmente falando), mas que em Cristo podemos ser transformados.
    Preciso aprender a amar…a perdoar… isso eu sei.
    Deus abençoe sua vida meu irmão!!! Forte abraço!!

    • Salve, Alexandre!
      “Pior de tudo é ver que somos pecadores que não perdoa pecadores” é uma frase magnífica.
      Todos precisamos disso. É nossa realidade e nossa sina. Mas em Cristo um dia seremos libertos disso, na eternidade. Que linda esperança!
      Abraço, mano, na paz do Mestre.

  6. Luiz Fernando disse:

    É mano Zágari, quão sujos nós somos. Eu fico analisando as atitudes das pessoas ao meu redor, e as vezes eu me acho melhor, por não está passando por aquela situação(pecado). Me acho mas santo. Mas só parar e pensar e analisar nossa reação qnd alguém peca, parece que nós ficamos mais felizes, do que quando alguem e abençoado por Deus, está alegre, em vez disso não nos regozijamos juntos, mas sim sentimos inveja. Mais e só o irmão se estrepar Todinho, que a gente morre de felicidade, alegria, chega triste no culto volta até feliz para casa. Meu Deus, descubri que sou mais miserável do que um pedófilo. Vou passa a prestar mas atentamos em minhas atitudes.
    Shalon Adonai querido irmão.

  7. Lelê (Alessandra) disse:

    Palavras duras, Maurício!
    Palavras sábias, palavras verdadeiras e digo mais, palavras que deveríamos ler diariamente!
    Pq temos a ilusão de que não pecamos, só pq não fazemos as coisas que o mundo faz. Mas para Deus não existe “pecadinho” ou “pecadão”. Pecado é pecado e ponto final. Todos eles nos afastam de Deus e nos tornam s mais pecador dos homens.
    Quanto mais conheço Deus, mais amo a Sua lei. E isso não é inversamente proporcional a quantidade dos meus pecados. Pois todos os dias me esforço muito para não transgredir seus mandamentos. Mas nunca consegui cumprir. Mas vivo buscando essa meta, por mais impossível que seja.
    E quando eu chegar de frente para o Pai quero que Ele estenda seus braços pra mim e fale: Venha, entra na dua nova habitação!
    Obrigada por mais esse deleite!
    Até sexta! rs
    Bjss na família

    • Lelê,
      você nunca conseguiu cumprir e nunca conseguirá. Simplesmente pq é humana.
      Daí a necessidade tão grande da graça de Deus.
      Um beijo grande, até sexta. A obesidade nos aguarda rs
      Na paz!

  8. Luiz Fernando disse:

    atençao* nao atentamos –‘ vou comprar um notbook, o celular e mt chato de escrever rsrsrs. A paz

  9. Jacy disse:

    Eu, uma miserável pecadora…

  10. Jose Gad disse:

    Paz em Deus, irmão Maurício,

    A medida que fui lendo o seu texto, alguns pontos obscuros foram sendo esclarecidos, mas outras perguntas surgiram. Gostaria que o irmão me ajudasse compreendê-las.

    Levantarei duas bandeiras de argumentos: Uma teológica e outra de comportamento pessoal.

    Você disse: “Evidentemente não estou falando só de pecados gravíssimos, terríveis,”; “Refiro-me basicamente à tríade sexo, poder e dinheiro – os grandes pecados que elegemos”, “Todos pecados são hediondos,”.

    Entendi que o título do texto não esta procurando perscrutar se existem pecados grandes ou pequenos, mas sim o sentimento que os frequentadores de igreja sentem diante do pecado de seu semelhante (“Apesar dessas verdades, o que vejo ao meu redor é que o frequentador de igreja em geral ama crucificar quem Deus já perdoou.”). Mas foi justamente na “dimensão” do pecado que o meu entendimento falhou…

    Talvez você já tenha comentado o assunto em outro post (e te peço desculpas por levantar o assunto aqui), mas fiquei em dúvida diante dessa tese, ou seja, da existência ou não de “graduações” de pecados. Sei que qualquer pecado me torna passível de ser condenado. Mas conforme você descreveu, entendi que existem “pecados gravíssimos” em detrimento dos “não graves”.

    Ao agirmos com tamanha falta de amor e descumprirmos o que a Bíblia nos ensina, haverá, no Dia do Juízo, sentenças diferentes?
    Essa foi a parte teológica.

    A pessoal, é que já estive dos dois lados. Achava eu que “estava por cima da carne seca”, por ser “evangélico, filho de Deus”. Graças a Deus que fui percebendo o quanto era miserável e que carecia, a todo tempo, da graça do Senhor Jesus, caso contrário, pereceria eternamente. Não quero dizer com isso que hoje estou isento de alguns comportamentos pecaminosos, mas tenho me esforçado para amar e perdoar, e assim cumprir a Lei de Cristo.

    Graça e paz.
    Jose Gad

    • Jose, graça e paz,
      meu entendimento é que todo pecado é uma ofensa a Deus. Que há uma gradação é clara pelo simples fato de haver um pecado – a blasfêmia contra o Espírito Santo – que não tem perdão. Um pecado sem perdão sem dúvida é mais grave do que os demais. Porém todo pecado é terrível. A Biblia diz que os glutões não herdarão o Reino de Deus. A Biblia diz que os assassinos não herdarão o Reino de Deus. Eu perguntaria então: qual é a diferença? Percebe?
      Sobre o Dia do Juízo, nem sei responder, querido. Como Deus sentenciará cada um é algo guardado por Ele e não revelado a nós.
      Sua atitude é correta. Temos de reconhecer nossa condição de pecadores. Isso é fundamental. Pois sem isso não há o arrependimento. E, a partir daí, buscar ao máximo evitar o pecado.
      Ajudei?
      Deus o abençoe!

  11. Juliana disse:

    Irmão, como sempre, artigos supreendentes! Glória a Deus por mais essa revelação maravilhosa!
    Lendo o artígo, surgiu uma duvida boba com relação a um caso como esse, de adulterio… é possivel perdoar e não se “reconciliar”, ou seja, divorciar-se? ou seria uma atitude não cristã? pois podemos entender que o adultero já quebrou o vínculo matrimonial, correto?
    abraço e a paz do Senhor!

    • Olá, Juliana,
      sim, correto. É a unica exceção que Jesus abre para o divórcio.
      Mas, lembrando que “Deus odeia o divórcio”, logo, o perdão e a reconciliação seriam as atitudes mais bíblicas.
      A paz de Cristo!

  12. Wildson Lopes disse:

    Olá Maurício…!
    Gostei deste post,
    Essa é a realidade: reconhecermos que somos pecadores e que pecamos todos os dias.
    Quem não tem pecado atire a primeira pedra.
    Infelismente vemos isso no meio da igreja, pessoas que só sabem julgar e matar os feridos, que Deus tenha misericórdia de todos nós.

    • Infelizmente, Wildson.
      Graças a Deus a primeira pedra sempre ficará no chão, pois todos pecaram e destituídos estão da graça de Deus.
      Que a misericórdia venha.
      forte abraço, mano, na paz do Mestre.

  13. Nivaldo disse:

    Infelizmente, muitos que se acham “Cristãos” serão surpreendidos quando estiverem diante de Cristo no dia do juizo (veja Mateus 7:22). E a minha luta diária é para que eu mesmo não esteja entre estes.

  14. Mônica Vilela disse:

    Querido irmão Maurício,

    Mais uma vez gostaria de parabenizá-lo por mais um texto abençoado. Infelizmente o que escreveu é verdade e dói reconhecer a nós mesmos como grande pecadores. Realmente nunca consegui encerrar o meu dia e orar pensando que não cometi nenhum pecado no dia que se passou. É triste, mas é algo importante para continuar nos lembrando de não julgar os demais.

    Gostaria de fazer uma pergunta que talvez você possa me responder diretamente ou escrever um texto sobre isso, não sei. No texto de hoje você mencionou o pecado imperdoável contra o Espírito Santo. Sei que você não é pastor. Sei que deveria perguntar para o meu pastor. Quando era recém convertida, eu perguntei para o meu pastor, pois tinha medo de cometer o tal pecado e não poder ser perdoada. Ele simplesmente respondeu que se eu me preocupava com isso, não poderia cometê-lo.O problema é que eu já perguntei para diversas pessoas e pastores, mas cada um me dá uma resposta diferente e eu nunca consegui ter certeza sobre isso. Afinal, o que é o pecado contra o Espírito Santo que não pode ser perdoado?

    Obrigada e fique na paz de Deus.

    Mônica

  15. Evangelista disse:

    A paz do SenhorJesus.

    Olá Maurício.

    De fato, considero-me um cínico. É duro quando ainda ficamos justificando o pecado, e nos afastamos da chance, da graça da transformação, da santificação.

    Deus abençoe a todos em nome de Jesus.

  16. «73n £1Øn» disse:

    Reblogged this on …para esses dias….

  17. Elinton Oliver disse:

    Pois é Mauricio, é o que estamos vivendo aqui em minha igreja, irmão olhando para o nosso erro e não vê os seus próprios, digo eu e meus amigos irmãos do Ministério de Louvor. Muito bom, e serviu muito para mim também. Que deus continue lhe abençoando. Até mais.

    • Fico triste pelo que ocorre na sua igreja mas feliz por ter servido para você.
      Quem sabe, Elinton, você não será o instrumento de Deus para levar mais amor a esses corações de pedra?
      Deus te abençoe!

  18. Elinton Oliver disse:

    vixi eu errei na escrita de Deus, era para sair com letra maíuscula.

  19. Carla Campos disse:

    “(…) tirando talvez algum dia em que estivemos em coma.” Ótimo post, Maurício, continue a nos “incomodar” com a verdade! Abraço.

  20. Otimo post.. É parece que não é só eu que conheço o sadismo de alguns irmãos da Igreja. Assunto sério e relevante Zagari. Que nós possamos agir com graça e amor para aqueles que caem em pecado, como também possamos olhar para nós mesmos e ver que também somos tão pecadores ! temos que ser humildes em relação a isso e TODOS, sem sombra de dúvida, precisamos caminhar juntos a santidade. Graça e Paz.

  21. Marco Juric disse:

    Bom dia Zágari!
    Lamentável o relato. O pior é que não é tão raro assim nas igrejas…
    Muitas pessoas, inclusive pastores, ficam criando fórmulas e regras puramente do homem; carnais, complicando tudo e não esclarecendo nada. Também essa coisa de pecadinho e pecadão; de pecado dos pecadores e pecado dos santos…cara, já to legal disso…ficam esquartejando a Palavra de Deus pelo seu próprio entendimento ou conveniência.
    Que Deus me ajude a sempre escolher o perdão, não a acusação.

    Grande abraço mano!

  22. Victor Soares disse:

    Muito importante esta exposição. Precisamos sentir mais a dor do outro. Todos sabemos como o pecado nos feri. Oro para que a igreja abra os olhos e viva de manera acolhedora e, acima de tudo, possa ser um ambiente de restauração de vidas e não um lugar de acusação. Obrigado pelo post Maurício Zágari! Deus continue lhe inspirando.

  23. Fabiana disse:

    Esse seu texto mostra bem o porquê de muitas vidas dentro e fora das igrejas estarem tão machucadas e um dos vários motivos pelos quais há tantos desigrejados. Situação calamitosa. Se tivéssemos o hábito de nos examinarmos mais, com certeza não teríamos tempo ou corajem(ou será covardia?) de apontarmos o outro. Que o Senhor continue te inspirando.

    a Paz

  24. Ana Paula disse:

    Querido irmão Zágari, queria entender o que significa blasfemar contra o Espírito Santo? Seria no caso pronunciar palavras horríveis contra Ele?
    Abraços de sua leitora assídua,rsrs.
    Fique no Senhor.

  25. Oi Maurício. Tinha dado um tempo de Internet, fazia tempo que visitava o Apenas. Lendo esse post me deu uma tristeza, pois já passei por uma situação parecida com a do seu conhecido, de fazer algo certo, mas por causa dos falatórios acabei sendo execrado publicamente. Saí da congregação. Posso estar errado, mas acho que não adianta seguir em uma Igreja onde você não se sinta bem. Mudei para outra, me senti pior ainda. Parece que a falta de amor é um mal generalizado. Hoje tenho sentido uma enorme dificuldade em me congregar. Espero que esse tempo passe, pois o desânimo é muito forte. Deus te abençoe.

    • Te entendo, Klelber, pois de fato as pessoas estão muito sem amor. Não é culpa das igrejas, mas dos indivíduos.
      Não desista, há bons pastores, boas igrejas e bons cristãos. Não perfeitos, mas bons. Oro que vc encontre seu caminho.
      Abraço forte, mano. Não deixe que cristãos maus e impiedosos te desanimem. Deus é por ti.
      Na paz que excede todo o entendimento.

  26. Vitor Claus disse:

    O Mais hipócrita nessa historia é muitos diriam que essa mulher não tem caráter.Se fosse assim também diríamos que Davi não tinha caráter,tendo feito o que fez(Adulterou e assassinou).
    Davi por acaso perdeu o título de homem segundo o coração de Deus por ter feito aquilo? NÃO! Deus sabia que Davi, apesar de ter feito tal coisa,não era era definido por tal feito. Meu Senhor,como precisamos aprender mais contigo!! Grand abraço Mauricio.

  27. Dayana disse:

    Na verdade nos acostumamos com a mediocridade de tratar os frutos e não a raiz, é por isso que a igrejas estão cheias de crentes na porta do reino, nem entram e muitas das vezes impedem os que querem entrar. É lamentável a história descrita, mas é mais lamentável constatar que tudo isso é fruto de que ainda não vendemos tudo para comprar o bom tesouro que encontramos no campo (segundo a parábola de Jesus em Mateus)no qual a maior venda é o nosso”eu”. Que a mente de Cristo esteja no comando em nossas vidas, para nos alegrarmos com o que Ele se alegra, deixemos o foco dos frutos, mas nos atermos a raiz, uma raiz boa produz bons frutos.

  28. Ismael Paulo Costa disse:

    Quanto a isso o Apóstolo Paulo já havia dito aos crentes de Roma: ¨Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.¨ Rm 8.33,34.

  29. Ismael Paulo Costa disse:

    Em tempo: Maurício, que bom que voce tem se deixado ser usado pelo Espírito Santo, tenho sido abençoado através de suas ¨palavras¨, e sei que milhares de pessoas também o tem sido. Desejo e oro para que Deus continue te abençoando em tudo! Continue sempre na paz de Cristo!

  30. Howe disse:

    sensacional….

    Extravagantemente atual esse seu post. parabens, Mauricio. Você é vida inteligente, raridade no meio evangelico

    Abracos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s