Ted1Para que o Verbo se fez carne? A Bíblia diz, entre outras coisas, que o Cristo veio para perdoar pecadores, resgatar almas, curar os doentes, dar esperança ao desesperançado, conceder paz ao aflito, compartilhar sua graça, buscar a ovelha desgarrada, cuidar dos desesperados, zelar por Sua noiva. Só que, infelizmente, em grande parte nós, seus embaixadores na terra, parece que nos esquecemos disso. Estou escrevendo este texto ainda sob o impacto de um documentário a que assisti, chamado “O Julgamento de Ted Haggard” – que, admito, emocionou-me profundamente. Pela inequívoca constatação de que uma grande parcela da Igreja evangélica está pecando gravemente na missão que Jesus nos confiou: a de cuidar, tratar e restaurar pecadores. Não afundá-los ainda mais na lama, mas conduzi-los ao Pai em reconciliação. Felizmente, a Igreja como um todo não é assim, é misericordiosa e amorosa. Mas, ao ver esse filme, o que se descortinou ante meus olhos foi uma parcela feia da igreja: uma igreja impiedosa, egoísta e deficiente em seus propósitos. Uma igreja descartável e sem nenhuma semelhança com o Reino de Deus. Em outras palavras: uma igreja que não serve para nada.

Confesso que o nome Ted Haggard me era familiar, mas eu não sabia nada da história desse pastor. Em resumo, ele era um famoso pregador nos Estados Unidos, do tipo que dá entrevistas na televisão, é recebido na Casa Branca e enche estádios com suas cruzadas. Fundou a New Life Church, em Colorado Springs, no estado do Colorado, uma congregação com mais de 14 mil membros. Até o dia em que veio a público a notícia explosiva: Pr. Haggard, um homem casado e pai de dois filhos adolescentes, teve um encontro  homossexual com um garoto de programa, que, para piorar, lhe vendeu drogas.

O que me deixou de queixo caído foi o que fizeram com ele. O homem foi excomungado (expulso) da igreja que fundou e os demais líderes da igreja simplesmente o proibiram de continuar vivendo no estado do Colorado. Isso mesmo: a igreja o baniu não só da congregação, mas do estado! Não ficou claro para mim como o fez, mas fez.

Isso me chocou porque sempre achei que, horizontalmente, uma igreja serve para tratar pecadores. Para acompanhá-los, acolhê-los, exortá-los, ministrar o Evangelho a eles e, como decorrência do seu amor cristão, pôr o caído novamente de pé – e, assim, conduzi-lo a Cristo. É o que as três parábolas de Lucas 15, por exemplo, me ensinam. A atitude correta e bíblica que a liderança da igreja deveria ter tido com Pr. Haggard? O afastado do cargo, tratado de sua alma como se faz com qualquer ovelha ferida, acompanhado e amparado sua família, mantido o suporte para não piorar sua situação e, quando ele estivesse restaurado e totalmente recuperado de seu pecado, o reinstituído na obra do Senhor. Mas o que a liderança da New Life Church fez com Haggard me lembrou muito mais a ditadura bolchevique de Stálin, que exilava seus desafetos na Sibéria para definhar e morrer por lá sem criar problemas.

Ted2Entenda que em momento nenhum estou defendendo o pecado desse homem. O que ele fez contraria a santidade de Deus, é grave, vai contra os ensinamentos de Jesus e cheira mal às narinas do Senhor. Meu objetivo com essa reflexão não é em momento algum justificar o pecado. Foi errado e ponto. Não há discussão sobre isso. O circo da mídia já explorou à exaustão o erro de Haggard, até mesmo com piadinhas sujas e sádicas – que foram vistas na TV pela família do pastor, inclusive – não preciso fazer mais isso aqui. Minha reflexão é sobre como a New Life Church agiu – como muitas igrejas agem, assim como eu e você – quando descobriu que esse cristão incorreu em um pecado.

A propósito, quantos pecados eu e você cometemos mesmo desde nossa conversão? Atiremos, pois, a primeira pedra. Mas nessas horas ninguém se lembra disso…

Voltando ao caso Haggard, o documentário mostra como o pastor, sua magnífica mulher (que manteve-se ao seu lado, o apoiando, apesar de tudo) e seus filhos tiveram de sair do estado em que moravam com uma mão na frente e outra atrás, totalmente desamparados pela igreja, para viver em casas emprestadas e hotéis de beira de estrada. Não houve um mínimo de cuidado com sua vida, se não por amor e misericórdia cristãos, pelo menos por reconhecimento a seus muitos anos colaborando para o crescimento da congregação (que fundou, lembre-se). Anos e anos de dedicação de repente foram apagados do mapa devido a um pecado. E nenhum de seus ex-colegas de ministério lhe deu sequer um mísero telefonema para saber como ele estava. Simplesmente lhe viraram as costas.

Ted4Em certo momento, a diretora do filme pergunta: “Onde estão seus amigos?”. E Haggard, num sorriso amarelo, responde: “Foram embora”. A próxima pergunta: “Como é o exílio?”. E ele: “Estamos infelizes”. Depois é a vez de a esposa dele falar: “Não acredito em banir pessoas porque cometeram erros, simplesmente porque a Bíblia ensina justamente o contrário”. Elementar. Básico do básico. É o que nos ensinam na escolinha bíblica infantil. Mas nessa hora o Evangelho não teve peso algum na decisão dos líderes da New Life. Bíblia? Que Bíblia? Perdoar setenta vezes sete? Deixar as 99 ovelhas para buscar a desgarrada? Não devolver mal com mal? Ao próximo como a mim mesmo? Amor? Compaixão? Preocupação com o destino eterno daquela alma? Ficou tudo na teoria. Banam o pecador leproso, para que morra no deserto, será menos incômodo para nós.

Chamou minha atenção que em todo momento Haggard reconhece seu pecado. Ele não culpa ninguém. Não ataca quem o expulsou. Não atribui dolo a seus colegas de ministério ou aos “amigos” que sumiram. Sempre assume sua posição como aquele que cometeu o erro. Mas em um momento de profunda depressão ele deixa escapar como se deu sua saída da New Life Church: “Me disseram para ir pro inferno e decidiram me exilar”.

Ted5 Desamparado, para tentar dar um pouco de dignidade a sua família Haggard começou a buscar empregos seculares, até mesmo como motorista de ônibus. Após 6 meses de exílio, ele continuava desempregado. Decidiu, então, ingressar numa faculdade de Psicologia. Quando indagado pela entrevistadora sobre a razão de escolher esse caminho, ele diz: “A igreja não fez nada por mim após minha queda, mas os terapeutas fizeram. Por isso resolvi estudar psicologia”. O peso dessas palavras me arrebentou: “A igreja não fez nada por mim”. Jesus no céu deve estar orgulhoso dessa igreja, que larga a ovelha doente e ferida para morrer no degredo. Meu Deus… meu Deus…

Um ano depois de o pecador ter sido expulso, conseguiu seu primeiro emprego: começou a vender seguros de vida de porta em porta. E confessou: “Quando estou sozinho eu choro. Neste momento de minha vida sou um perdedor de primeira classe”. E aí comparo esse sentimento com o que deve ter sentido a mulher flagrada em adultério ao ouvir de Jesus: “Nem eu te condeno, vai e não peque mais”. Que diferença é quando Jesus trata o pecador e quando o homem trata o pecador…

O filme intercala cenas de pregações que ele fez na época de ouro de seu ministério com imagens atuais de sua vida após ter sido enxotado da igreja. Curiosamente, as cenas do documentário que mostram imagens de arquivo de sermões de Haggard são sempre voltadas ao perdão, à restauração de pecadores, nunca propõem execuções sumárias. O homem que pregava que o papel de cada cristão é pegar o caído e botá-lo de pé teve seu crânio esmagado quando chegou sua vez de cair. Que triste ironia. Ah, se os líderes da New Life estivessem lá quando ele pregou aquelas mensagens… bem, provavelmente estavam.

Ted6Só 18 meses depois de ter sido exilado do estado, a benigna e amorosa liderança da New Life Church (foto) permitiu que Haggard, sua mulher e os filhos voltassem a sua casa, no Colorado. O filme termina com a informação de que agora ele está se sustentando vendendo seguros de vida – um emprego digno, nada contra. Mas o que me deixou assombrado ao extremo foi a atitude dos líderes da New Life, tendo passado todo esse tempo, para restaurá-lo, ajudá-lo enquanto alma necessitada, carregar seu fardo, erguer o caído. Sabe qual?

Nada mais, nada menos do que proibi-lo de pisar na igreja. Vou repetir: ele foi proibido de pisar na igreja.

Richard Foster escreveu que “a maldição de nossos tempos” é a superficialidade. Com todo respeito e deferência que tenho por esse brilhante escritor e pensador, acredito que ele está errado. A grande maldição do século 21 é o descumprimento do Grande Mandamento. Muitos não amam de fato o próximo como a si mesmos. Todo o resto é consequência disso. A Igreja de Cristo é maravilhosa, essencial, benigna, amorosa e compassiva. Só que uma parcela gigantesca dela transborda de belos discursos mas não tem feito ao próximo o que gostaria que fizessem a si. Não trata o pecador da forma que gostaria de ser tratada. E as multidões de feridos, desiludidos, desigrejados e deprimidos como consequência desse desamor aumentam enormemente a cada dia. É por isso que só podemos depender mesmo da graça do Deus que se fez homem para nos reconciliar com o Pai. A maravilhosa graça da cruz, que pega pecadores como Ted Haggard, eu e você, nos purifica, nos restaura, veste-nos de branco e escreve nosso nome no livro da vida.

Em silêncio,
Maurício

About these ads
comentários
  1. Mery disse:

    É caro Maurício ,a coisa é complicada,falta de amor nas igrejas é o que mais tem,certa vez aqui em minha cidade um Pastor eu admirava tanto ,por sua postura no ministério infantil ao qual trabalhávamos juntos,na sua posição de conselheiro tutelar da cidade,por ter uma família linda,quando foi descoberto que ele possuía uma amante há 14 anos,tudo caiu por terra, as liderança da igreja o afastaram ,mas continuaram a manter esposa e filhos sobre seus cuidados,não desamparam a família ,aqui não tiveram o poder de manda-lo embora da cidade,mas confesso que fiquei muito triste com isso , seu adultério na hora eu não conseguia olhar para ele com amor cristão,pq ele nos enganou por 14 anos,na época a igreja ajudou muito sua mulher e filhos,mas com ele não o ajudou,o que eu quero dizer que a reação da igreja quando acontece algo nessa proporção fica sem chão ,mas tem que refletir ,ajudar o pecador se erguer,aqui no caso,esse pastor ,não quis ficar com a esposa preferiu a amante, hoje congrega em outra igreja como um membro somente,e eu sempre que lembro oro por ele.

  2. Ethe Costa disse:

    Infelizmente a igreja de hoje se comporta dessa maneira. Logo que entrei para a igreja, era dias festivos da páscoa, era um sábado e como era de se esperar o domingo eu lá estaria. Então fui, com roupas ainda fora do que é permitido, pois nem havia 24 horas que Deus havia me convertido. Uma senhora durante o culto me disse: Procura vir como crente, isso não é roupa de menina cristã e muito menos de vir para a igreja.
    Eu fiquei aterrorizada e me questionando: Como assim? Nem faz 24 horas que estou aqui e já querem que eu troque todo meu guarda roupa.
    Senti tristeza e chateação, pois aquele ato era de expulsão e não de acolhimento.
    E isso não aconteceu só comigo, anos depois com outros irmãos novos convertidos, as senhoras, as pessoas mais antigas destilavam seu “amor” dizendo a eles: Cortem esse cabelo, mudem essa roupa, tirem esses brincos, agora vocês são membros de uma igreja e precisam dar testemunho.
    Infelizmente muitos saíram meses depois, não foram inseridos nos “grupos” da igreja.

    • Oi, Ethe,
      .
      creio que pessoas sem instrução na Palavra tomam essas atitudes não por maldade, mas simplesmente porque aprenderam que é o certo. Temos que exercer a misericórdia para com elas. Minha tristeza está em ver líderes bem, instruídos nas Escrituras tomarem posturas tão antibíblicas.
      .
      Deus te abençoe,
      mz

  3. rmdias disse:

    Nesse momento que Deus mostra o quanto ele não olha para os nossos pecados, mas olha para nossas vidas!

    Para os olhos do mundo, Ele foi punido por Deus pelo mal que fez, como se Deus fosse um Rei atento prestes a tacar um raio em cima das pessoas a cada pecado que cometem. Mas aos olhos da igreja, (a que presta) podemos enxergar que é Deus permitindo que a consequência do mal que ofilho amado cometeu, caísse sobre ele de tão alto, para “quebrar” as pernas, braços, ficar “tetraplégico” para não se perder, e sim ser restaurado no amor de Jesus.

    A verdade, é que quando Deus puni definitivamente, no caso dele, provavelmente não teria caído,mas teria conseguido esconder o pecado e viveria a vida achando que estava bem. No qual seguiria em direção ao abismo sem saber, mas Deus é amor e nos surpreende cada vez mais o quanto esse amor , seu perdão, seu zelo e compaixão são enormes.

    Muito bom texto Zágari, é um assunto importantíssimo para refletir!

  4. Beth disse:

    Oi Maurício!!!

    Infelizmente isso é recorrente em todas as igrejas. Em minha opinião nenhum igreja tem a capacidade de lidar com situações similares. A igreja é um quadrado completamente parametramizado, Se sair alguma coisa fora do padrão, ela se perde e não sabe lidar com a situação. Isso não é necessariamente em relação a pecados “graves” não. Vou lhe dá 2 exemplos simples: 1) A igreja está acostumada a verem seus “jovens” se casarem com no máximo 25 anos, se uma pessoa der azar de sair desse padrão ficará deslocada na igreja, porque ela fingirá que não é composta de “minorias”. 2) Um homossexual que resolve aceitar Jesus e frequentar a igreja… terá problemas. (aconteceu isso na minha igreja, o menino tinha muitos trejeitos e não foi aceito pelo grupo jovem) A igreja não sabe lidar com essa situação. Saiu do tradicional, saiu do padrão, uma regra/doutrina foi descumprida de forma “grave” (como foi no caso desse pastor) ela (igreja) não saberá o que fazer. E o caminho mais simplese fácil é ignorar ou escurraçar a pessoa (s). Infelizmente não vejo como mudar isso não. Porque a igreja é composta de pessoas e tem várias implicações: a questão sociológica, filosófica, psicológica , teológica, etc…

    Fica com Deus!!!

    • Olá, Beth,
      .
      eu entendo com sua colocação e concordo parcialmente com você, mana. Mas há aspectos que precisamos ponderar. Primeiro, não são todas as igrejas. Conheço casos de líderes que agiram de forma magnífica com pessoas pecadoras e as trataram de tal modo que foram restauradas e hoje vivem em fidelidade a Cristo. Não podemos generalizar, há igrejas e líderes piedosos.
      .
      Sobre a questão do casamento até 25 anos concordo que há uma pressão grande, que acaba gerando matrimônios infelizes. Mas sou obrigado a reconhecer que há igrejas onde os não casados mais velhos são bem acolhidos. A minha igreja local é um exemplo e tem ministérios voltados para esse grupo.
      .
      No caso dos homossexuais é fato: a maioria das igrejas ainda não sabe lidar com isso.
      .
      Penso que a forma de mudar isso é trabalhando com as novas gerações que vão liderar amanhã. Discipulando e formando líderes piedosos e devotados. E, claro, orar e confiar na ação do Espírito.
      .
      Abraço carinhoso pra ti, na graça e no amor de Cristo,
      mz

  5. Cristina disse:

    Não sei nem o que dizer diante deste absurdo tão grande. A Bíblia destes líderes deve ser diferente. Estão todos cegos e suas ovelhas também, pois não se revoltaram contra esta decisão absurda. Se eu fosse membro desta igreja, ficaria apavorada de cometer um pecado e este vir a público, pois correria o risco de ser expulsa também. Muito triste isto.

  6. Jacy disse:

    Compartilho de seu silêncio… :(

  7. Dayana disse:

    Enquanto a igreja viver a salvação como um meio de escape do inferno e não atentar que a salvação oferecida na cruz foi manifestada para restaurar o proposito eterno de Deus que é de ter uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus, ela, a igreja vivera na superficialidade, negando os traços principais que nos fazem semelhantes a Cristo: o perdão, o amor e a misericórdia! O propósito da salvação é nos colocar de voltar ao estado em que fomos criados_ ser semelhantes a Ele. E Cristo veio em carne para ser o exemplo de que nesse corpo podemos retornar a esse proposito, podemos ser igreja sujeita a cabeça que é Cristo, e Cristo sujeito a Deus. Fiquei entristecida com a história, compartilho com o seu silêncio :(

  8. Luisa Bonini disse:

    Obrigada querido Maurício!
    Fiquei chocada com a igreja, mas principalmente comigo mesma. Este post me fez olhar para dentro de mim mesma. Nunca falei, ou fiz algo assim para uma pessoa que tivesse caído, mas simplesmente a julguei dentro de mim. E Jesus nos ensina a acolher, sendo que muitas vezes, mesmo não dizendo nada, eu tinha um pensamento julgador dentro de mim.
    Te agradeço por esse impactante post!
    Um abraço e a paz de Cristo.

  9. solange disse:

    Bom dia !
    Oi Mauricio,a paz de Cristo ! ,precisamos refletir em nós mesmos e nossos pecados ,me coloquei antes de minha conversão, e tive nojo de certos pecados cometidos,da minha resistência em me converter da vida errada, quando decidi pedir ajuda para um suposto pastor da primeira “igreja” que congreguei,abri meu coração e confessei todos os meus pecados,ele me ouviu e me disse,
    sua presença é abominável nesta igreja e diante de DEUS. Porém existia um propósito em tudo,e eu lhe respondi,estou aqui não por sua causa Pastor ,mais porque eu creio que DEUS pode mudar minha vida. 15 dias depois ele foi transferido e hoje sei que não está mais como pastor,e eu pela misericórdia fui transformada ,remida pelo sangue de CRISTO.
    A igreja pode não fazer, mais JESUS faz pela sua infinita graça.
    Abraços .

    • Bom dia, Solange, tudo bem?
      .
      Se, ao confessar seus pecados, devido ao arrependimento, o pastor disse “sua presença é abominável nesta igreja” me perdoe, mas esse não é um pastor e isso não é uma igreja.
      .
      Deus te abençoe, minha irmã,
      mz

  10. Nadine Melo disse:

    Choque de realidade Maurício… verdadeiramente estamos muito distantes do carater de Cristo!
    Mais uma vez quero louvar a Deus pela tua vida. Sempre deixando ser usado pelo Pai que deseja nos mostrar o quanto temos que mudar, o quanto precisamos viver aquilo que pregamos…
    Não basta ter o título de cristãos, temos que fazer jus a ele!

    Um abraço mano

    • Oi, Nadine,
      .
      obrigado pelo carinho, mana.
      .
      Vou um pouco além no seu pensamento: não basta ter o título de cristãos, temos que saber que ser cristão não é titulo, mas prática de vida.
      .
      Abraço carinhoso, no amor do Pai,
      mz

  11. ROBERTO TAVARES DE OLIVEIRA disse:

    Mano,

    Gosto e leio todos seus posts, para que tenha algo que vem até minha alma e diz :
    Ei, sou eu, vc ainda está vivo – pode confiar, ainda existe SALVAÇÃO e é pelo poder da imerecida Graça.

    Mano Mau rício- que de mal, tem somente as iniciais – acho que teremos que fazer uma corrente – a corrente e caravana dos “resistirei até o fim” apesar dos pesares.

    Não tem sido fácil ser contra-mão, já que a igreja está repleta do mundo, pois este, sem pedir licença, invadiu-a.

    Pessoas sem identidade nenhuma com o Evangelho, invadem nossas casas – os teleevangelistas são verozes na busca do pecador e criam esta falsa imagem e o famoso evangelho 2.0 que vc já manifestou-se aqui.

    Criamos os estereótipos – ah, temos que orar …ah, temos que…

    Verdadeiramente – Mauricio e demais Cristãos sérios e que querem o poder de JESUS CRISTO, o que deveremos fazer?

    New Life Church e Haggard .são sinônimos de nosso dia a dia e dentro do meu lado pentecostal, não tenho a menor dúvida…O Senhor está nos mostrando os caídos e os que poderão cair.

    Qual é a nossa parte nesta história?
    Não esqueçam – o que fizermos ou não, será registrado no livro da VIDA.

    Graça e Paz,

    Roberto

    • Olá, Roberto,
      .
      creio que nossa parte nessa história é pôr em prática o grande mandamento: amar a Deus e ao próximo como a nós mesmos. E isso inclui instruir, exortar, perdoar, suportar, ajudar e muito mais.
      .
      Abraço, mano, na graça e na paz de Deus,
      mz

  12. Lamentável….
    Somente isso que conseguimos dizer, para mim essa triste história se resume em Isaías 49:15.
    “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre?
    Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. ”

    como você disse…

    Em silêncio,
    http://verdadeirosdiscipulos.wordpress.com/

  13. Marco Juric disse:

    Boa tarde Zágari!

    É como num hospital expulsar os doentes…L A M E N T Á V E L!
    Não desejo, mas se um daqueles precisar desse mesmo “hospital”…

    Also silent…

  14. Pri disse:

    Maurício, penso exatamente como você. Já vi outros casos Haggard e sempre, sempre questionei a postura da igreja nesse sentido. Mas, não só na igreja, vejo até mesmo dentro de casas de família pessoas que se acham no direito de massacrar a outra pelo erro que ela comete, esquecendo-se dos seus próprios erros. Isso sempre me entristeceu, não sou digna de pisar na cabeça de ninguém porque meus pecados cheiram mal igual ao de todo mundo. Que sirva de reflexão para nós.
    Um abraço,

    • Olá, Pri,
      .
      bem posto, querida. Todo pecado tem o mesmo cheiro. Mas existem razões e razões que levam muitos a agir como se os seus pecados fossem mais perfumado do que os dos outros. Que Deus me livre de cometer esse pecado (já me bastam os meus muitos). Fazer o que, não é?
      .
      Abraço pra ti, no Amor maior,
      mz

  15. “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores”…

    Oi Zágari,
    Excelente e pertinente reflexão.
    Que triste saga desse homem.

    É fácil o acesso a esse filme? Eu gostaria de ver.

    Que o Senhor tenha misericóridia de nós.
    Em Cristo.
    Luciana.

    • Oi, Luciana, tudo bem?
      .
      Espero que vc e toda a turma da MO e da Catedral estejam em paz.
      .
      De fato, muito triste. Assisti ao filme na HBO, não sei quando vai passar novamente, mas se você buscar na programação creio que vai encontrar fácil.
      .
      Beijo carinhoso pra ti, Suzana e pra todo o pessoal,
      mz

  16. Jean disse:

    Graça e paz,amado!
    Zágari,o que caso relatado por ti me,remete ao que aconteceu com o Caio Fábio aqui no Brasil.
    Guardada as devidas proporções,Caio sofreu e sofre até hoje,da fúria de muitos setores da igreja institucionalizada,por causa de seu pecado. Ressalto que não estou entrando no mérito do que aconteceu depois na vida dele e nem seu ministério atual e suas posições teológicas;apenas creio que o pecado sexual,ainda é visto no nosso meio como o mais grave de todos;aquele o qual o homem/mulher não pode cair jamais,pois há o risco de execução sumária em caso de descoberta.Não há chance de redenção diante os homens;não sabemos perdoar em caso de queda sexual,há uma inquisição pré-estabelecida contra os caídos nesta área.
    Duvido que se houvesse escândalo de uma fraude milionária nos dízimos e ofertas de qualquer grande líder de Igreja no Brasil,haveria tamanho juízo ou penalidade.Na verdade,gostamos de ver o sangue jorrar,de ver o irmão agonizar em praça pública,dos círculos de fofoca,de presenciar o espetáculo do desprezo,da humilhação,não respeitando à família dos envolvidos,rasgamos a Bíblia descaradamente e nos vangloriamos da nossa pseudo “inviolabilidade genital”,ignorando os pensamentos adúlteros e impuros,cheios de lascívia e concupiscência que tão perto nos rodeiam.
    Amado,muito pertinente seu post,pois é pra refletirmos que a falta de perdão, de misericórdia,é um dos sinais de apostasia;bem pior que os pecados sexuais praticados.

    Estou com você,em silêncio..

  17. Alessandra (Lelê) disse:

    Mauricio,
    São muito fortes as suas palavras!
    Qual é o papel da igreja atual? dar pulinhos nos louvores, orar quando convem, dar dizimos quando é necessário?
    E o amor? e o perdão? e a misericórdia?
    Fico indiganada quando leio essas histórias, pois mais parece do ímpio mais cruel e não de um cristão que lê a palavra de Deus.
    Isso tudo me deixa indignada!
    Sem palavras.
    Com carinho e admiração,
    Lelê

    • Oi, Lelê, saudades!
      .
      Histórias como essa tem uma consequência boa: nos levam a refletir sobre nossas próprias atitudes e como erramos quando deixamos de praticar o que Jesus espera de nós. E isso em todos os âmbitos.
      .
      Beijo carinhoso pra ti e Séju, na paz do Mestre,
      mz

  18. helen disse:

    A Paz do Senhor Jesus, Maurício. Me senti muito comovida e tocada por seu texto. Realmente, somos os primeiros a perceber o cisco no olho do próximo mas dificilmente vemos e reconhecemos o poste que está no nosso. Essa história fez com que eu refletisse e examinasse meu coração e meu posicionamento com relação a meus irmãos, pois não quero ser cobrada pelo Senhor por ser intolerante e acusadora. Não é essa a postura de um verdadeiro cristão pois todos nós somos fracos pecadores. Como a Sagrada Escritura diz: “Aquele que está de pé, cuide que não caia”.
    Grande abraço, Helen.

    • Oi, Helen, a paz de Cristo.
      .
      É como disse Jesus: “Os muitos pecados dela lhe foram perdoados, pelo que ela amou muito. Mas aquele a quem pouco foi perdoado, pouco ama” (Lucas 7:47). Só quem já pecou muito, como eu, sabe o valor do perdão e da misericórdia – e a dor que a impiedade provoca.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  19. Valderi disse:

    Caro Maurício, aquela igreja extraordinária que fascinava judeus, gregos e romanos, odiados por ambos, ficou lá pelos anos 150 d.C.
    Agora nós temos somente como uma “imagem em um espelho”, embora haja, e muito, cristãos hoje como a daquela época.
    Você é um dos tais.

    • Oi, Valderi,
      .
      gosto de pensar que ainda há muitos cristãos bons e sinceros, muito melhores do que eu. Só que eles estão espalhados por aí, longe dos olhos da mídia e do grande público. Ainda acredito na Igreja piedosa, mano, tenho que acreditar.
      .
      Deus te abençoe,
      mz

  20. Terrivel este relato. Sei como é ser execrado da igreja. Infelizmente perdão custa caro em nossos dias. Que Deus tenha misericórdia dos caidos.

    • Terrivel mesmo, mano.
      .
      Difícil é achar alguém de quem Deus não tem que ter misericórdia. O que me leva a pensar: se um pecado nos torna réus de todos, quem é pior do que quem? No dia em que entendi isso foi que o real sentido da graça pulou ante meus olhos.
      .
      Abraço, mano, no amor de Cristo,
      mz

  21. Jose Junior disse:

    A paz do Senhor Jesus, nobre amigo Zágari.

    Esse post é de nos causar um silêncio pétreo.
    Esse episódio narrado fez me lembrar da “grassa dos homens”, não!

    Que o Senhor Jesus continue tendo misericórdia de nós e nos guiando rumo a vida eterna.
    Abraço fraterno,
    José.

  22. roberto disse:

    Pelo que eu fiquei sabendo deste respectivo pastor na época, é que ele pregava contra a homossexualidade na sua igreja, e depois que foi descoberto a verdade, deu todo o escandalo que deu, pois ele vivia em contradiçao, uma coisa que aprendi na igreja é que cristao nao é amigo de ninguem a nao ser que vc se comporte da mesma maneira que eles, sou homossexual, ja fui evangelico, e hoje nao tenho mais religiao, e nao sinto falta alguma da igreja,pois ao mesmo tempo que a igreja condena a homossexualidade baseada na biblia, ela aceita o segundo casamento, inclusive tem muitos cristaos nas igrejas nesse estado,qdo nao ela mesma realiza a cerimonia e fora outros tipos de pecados que a igreja fecha os olhos, há muita hipocrisia na igreja e sempre havera, so que a igreja adora ser a palmatoria do mundo, sendo que ela mesma nao vive o que prega.
    Estou lhe enviando um link do youtube de um filme se vc quiser assistir esteja a vontade.

    Sinopse do filme:Mary (Sigourney Weaver) é uma religiosa que segue à risca todas as palavras da bíblia. Quando seu filho Bobby (Ryan Kelley) revela ser gay, ela imediatamente leva o filho para terapias e cultos religiosos com o intuito de “curá-lo”. No entanto, Bobby não suporta a pressão e se atira de uma ponte, encerrando sua vida aos 20 anos de idade. Depois desse fato, Mary descobre um diário do garoto e passa a conhecer melhor o mundo dos homossexuais, tornando-se, logo, uma ativista em prol dos diretos gays. Baseado em uma história real.

    Orações para Bobby – Prayers for Bobby [completo]

    Obs: esse filme emociona muito, eu mesmo as duas vezes que assisti chorei muito, me identifico muito com o personagem titulo, e com a dor e duvidas da mae do rapaz.

    • Olá, Roberto,
      .
      querido, entendo toda a sua revolta. Refleti muito sobre o que você escreveu e penso que a reflexão vale um post, que espero publicar em breve. Num comentário extremente sintético, eu diria que tudo o que você falou é verdade, mas para uma parcela da Igreja. A meu ver, o equívoco de suas ponderações é a generalização. Dizer que “toda” a Igreja ou “todos” os cristãos são assim ou assado é como dizer que “todos” os homoafetivos são isso ou aquilo. Muitos serem não quer dizer que todos sejam.
      .
      Mas entendo que teu posicionamento é motivado por feridas profundas e por isso sei que há um componente emocional forte. Oro a Deus que tuas feridas cicatrizem, que consiga estender perdão aos que te fizeram mal e ter paz com todos.
      .
      Um abraço carinhoso pra ti, no amor de Jesus,
      mz

      • roberto disse:

        Quero lhe pedir desculpas por ter generalizado todos os cristaos, uma coisa que não tolero é injustiça e sei que fui injusto, e tbm nao tenho direito de julgar ninguem pra mim as pessoas podem se casar o qto quiserem, que importa e que sejam felizes, desde que nao passe por cima de outras pessoas, pois nao cabe a mim julgar, pois eu serei julgado um dia tbm.
        Sabe eu vou me abrir com vc, a dez anos atras eu tive um encontro maravilhoso com cristo, mas faz oito anos que fui me afastando dele aos poucos, de tanto os outros jogarem na minha cara o corintios 6:9-10, mesmo nao sabendo que sou homossexual, a minha fé foi minando aos poucos,não é fácil ouvir que vc é uma abominação aos olhos de Deus, que qdo vc morrer vc vai pro inferno que Deus nao pode lhe salvar, isso revolta e dói ao mesmo tempo, ja chorei muito escondido, ou a noite com a cabeça no meu travesseiro, mas não posso fazer nada.
        Posso dizer que nesses anos que fui me afastando aos poucos de cristo, que eu ainda tenho fé em cristo mas não é mais a mesma fé que antes, que ainda tenho amor por ele, mas não é mais como antes, mas a confiança eu perdi completamente, como posso confiar em um DEUS que diz que pessoas como eu nao entra no reino dele por ser o que sou? sempre vem o corintios 6:9-10 a minha cabeça e isso me entristesse,doi, eu sempre jejuava duas vezes por semana, orava varias vezes ao dia, mas hj nao oro mais, como posso pedir alguma coisa a ele se ele nao me aceita como sou? eu nao quero chegar a presença dele somente por interesse, se fosse por interesse estaria na presença dele ate hj, nao vou ser hipocrita em nao dizer que quero ser abençoado por ele, mas pra mim o amor e a aceitaçao dele é o principal, posso ate ter o amor mas a aceitaçao nunca. Entao eu nao oro mais, nao peço mais nada, me afastei de vez.
        Sou cinefilo feito vc estou te mandando um curta acho que vc vai gostar, desculpe de estar mandando este video talvez vc nao goste e se nao gostar pode dizer.

        sinopse:O filme que tem inspirado milhares de vídeos comparando o sacrifício de Jesus na cruz com a história de um pai que decidiu entregar a vida de seu filho para salvar outras vidas, em postagem legendada em português exclusiva do Canal Batista do Caminho.


        descobri este filme por acaso no youtube, é muito emocionante, alias eu sou um chorão confesso, tenho uma sensibilidade aguçada, não é a toa que escolhi a profissao de ator e roteirista,rs, vou fazer faculdade de cinema, sei que tem o curso aí na uff, vc como carioca deve saber essa faculdade é boa? mas vou ver se consigo fazer aqui em sampa mesmo, junto com o curso de teatro, bom desculpe o incomodo, e por ter colocado todos os cristaos no mesmo balaio de gato, so louco pra conhecer sua cidade, quem sabe um dia, um forte abraço, fique com Deus.

      • Olá, Roberto, tudo bem?
        .
        Não tem pelo que se desculpar, entendo a sua dor e sei que dores nos tiram do prumo às vezes. Tenha paz quanto a isso. Alias, seus comentários me fizeram refletir e escrevi um post sobre o que você falou que será publicado amanhã. Espero que sirva para te dar um pouco de luz sobre a forma como eu, pessoalmente, vejo a Igreja. Talvez provoque uma reflexão em você também, oro por isso.
        .
        Sobre o que você escreveu aqui, permita-me fazer algumas ponderações pelo que entendo ser a ótica bíblica acerca do que você disse.
        .
        Você mencionou que “o que importa é ser feliz”. Isso, na verdade, Roberto, é um pensamento da civilização pós-moderna, se você for à Palavra verá que em absolutamente nenhum lugar Deus diz que felicidade é o alvo nesta vida (só no Céu). O que importa aqui é fidelidade ao evangelho. Pense nos apóstolos, que foram todos mortos (à exceção de João). Pense nos mártires da Igreja primitiva. Pense nos milhões de cristãos são perseguidos em países não cristãos por sua fé. Nenhum deles toma ou tomou a felicidade como parâmetro, mas sim sua fidelidade a Cristo.
        .
        Nesta vida, Jesus nos promete aflições. Ele diz que, para segui-lo, é preciso negar-se a si mesmo e tomar a sua cruz. Isso lhe parece felicidade? Então, mano, a promessa de Deus para esta vida é sofrimento – mas com o alento de saber que Jesus está conosco todos os dias, até a consumação do século. Parece duro? Mas é o que é.
        .
        Permita-me lhe dizer uma coisa sobre 1Co 6.9-10. Roberto, você é muito amado pelo Senhor. Ele te formou no ventre de sua mãe e acompanhou você todos os dias de tua vida. Você não é um monstro por ser homossexual. O que precisamos separar é a pessoa da pratica. Você não é abominação para Deus, a prática homossexual é. Deixe-me fazer um paralelo para exemplificar o que estou dizendo: um homem heterossexual solteiro tem inclinação de se relacionar com mulheres. Ele em si não é abominação nenhuma, mas carrega essa vontade de praticar sexo fora daquilo que Deus planejou: o casamento. Logo, se ele tem a inclinação de levar a namorada para o motel, não é abominável (a Biblia diz que Jesus em tudo foi tentado, mas não pecou). Porém, se ele consumar o ato, aí estará pecando e, logo, se tornando abominação para Deus.
        .
        Entendo que com um homossexual se dá a mesma coisa. Você, em si, não é abominação nenhuma. É um ser humano, digno, amado por Jesus. Porém carrega em si a inclinação para o relacionamento com pessoas do mesmo sexo – e isso sim a Bíblia diz que é abominação para Deus. No meu entendimento, você pode viver a sua fé cristã na sua plenitude, evitando, porém, pecar o pecado da homossexualidade. Consegue alcançar o que quero dizer? Se eu, que sou um heterosexual casado, sinto atracão por outra mulher (e sinto, pois sou normal)isso não me faz abominação para Deus, faz de mim uma pessoa comum, com inclinação pelo pecado, e amado por Deus. Se, porém, eu consumar o ato do adultério, me torno abominável. Compreende a diferença entre quem você é e o que você quer fazer e a prática do que você quer fazer? Esse é o grande xis da questão.
        .
        Você vai morrer e ir para o inferno? Bem, até onde me lembre, o que nos salva é a graça de Deus, pelo mérito da cruz. Não vem de nós. É claro que o salvo continuará pecando ao longo de sua vida, mas a diferença é que ele faz de tudo para não pecar. O cristão é um pecador esforçado. Se você, Roberto, foi chamado pela graça, recebeu a fé para crer e demonstra pelas suas ações que tem em si essa fé… mano, você é salvo. Se você tem inclinação para relacionamentos gays, eu tenho inclinação para o adultério, o outro irmaos da igreja tem inclinação para a glutonaria, a outra irmã para a mentira e por aí vai. A questão é: contemos e sublimamos a inclinação ou permitimos que ela se converta em ato pecaminoso? Pois aquele que recorrentemente peca, isso me mostra que ele não tem a fé para a salvação – como diz Tiago.
        .
        Você pergunta “como posso confiar em um DEUS que diz que pessoas como eu nao entram no reino dele por ser o que sou?”. Eu te responderia: do mesmo modo que confio nele sabendo que ele dz que pessoas como eu não entram no Céu. Pois sou mesquinho, iracundo, hipócrita, glutão, murmurador e um monte de outra coisas ruins. Só que o mérito não é meu, Roberto, é da cruz de Cristo. É só por ela que tenho como entrar na glória. Tua salvação vem pela graça. Você não vai pro Céu porque é hetero ou homo, você vai pro Céu se Jesus morreu por você e te chamou pela graça imerecida dele. Agora, se um hetero cede à tentação e vive na pratica do adultério, isso prova que ele não recebeu a graça e, assim, vai para o inferno. E, se um gay cede à tentação e vive na pratica da homossexualidade, isso prova que ele não recebeu a graça e, assim, vai para o inferno.
        .
        Deus te aceita como você é, Roberto, ele não aceita é o que você faz, se o que você faz fere a santidade do Senhor. Você se afastou dele porque Deus não te aceita? Bem, então você se afastou porque confundiu o amor que Ele sente por você pelo ódio que ele tem pela prática homossexual. Cara, Ele te ama e te aceita! Mas Ele espera de você que não siga a tentação e não peque. E vou te contar um segredo: é exatamente a mesma coisa que ele espera de mim e de qualquer outro cristão. Você se afastou dele sem que Ele tenha se afastado de você, querido. E Ele está de braços abertos para te receber, acolher, compreender e amar. Mas, em meio a isso, Ele cochicha no teu ouvido: “agora vai e não peque mais”.
        .
        Eu já conhecia o curta, já chorei muito mesmo vendo esse vídeo. E dizer que havia montes de gays naquele trem, hein. Mas as palavras ficam, só que, para você, com uma pequena variação: volta e não peques mais.
        .
        Pelo que sei, o curso da UFF é o melhor do país. E de graça. Vale a pena.
        .
        Roberto, espero que minhas palavras tenham servido para algo. Leia o post desta 2a, talvez te dê um pouco de luz. E que o Senhor, o nosso Deus, te faça conhecer todo o amor que tem por ti.
        .
        Abraço, querido, na paz do alto,
        mz

  23. Sonia disse:

    Paz.; O pior de tudo é quando você quer ajudar uma pessoa que por uma fraqueza cai no pecado , somos afrontados , acusados de compartilhar e esconder o pecado ,estes é os primeiros que apontam o dedo pra nós . Mas uma coisa é certa um dia o Senhor Jesus não olhou nosso pecado ,ele se entregou por mim e mudou a minha vida. Ainda há esperança pois em muitos lugares existem pessoas que estão ganhando vidas ,ajudando a resgatar pessoas que “pessoas” mataram com as palavras e ações gente humilde,simples mas que ama o próximo .Um dia vamos todos dar conta de tudo isso na presença de Deus , ninguém vai escapar , por isso quero fazer a minha parte aqui na terra , AMAR ,AMAR ,AMAR , pq um dia Ele me amou e não olhou para minha aparência , olhou para o meu coração. Um grande abrço.

  24. roberto disse:

    Gostaria de saber quem produziu o tal documentario será algum amigo do devido pastor? Porque é facil mostra-lo no domumentário como um injustiçado, mas ninguem pensa nas vidas que ele tbm com certeza deve ter afastado da igreja.? Qtos homossexuais ele deve ter expulso da igreja por serem homossexuais? Qtos pais devem ter expulsado seus filhos fora de casa por serem homossexuais influenciados pela pregação deste homem? Será que se ele nao tivesse sido delatado, não estaria em vida dupla até hj? Eu sei que ele vivia na casa branca em encontros com o Bush já que ele pregava contra o casamento gay nos estados unidos , contraditorio nao? mas depois que estorou o escandalo nunca mais foi convidado para comparecer na casa branca, eu acho que ele colheu o que plantou, agora me diga uma coisa, se ele fosse pego com outra mulher a igreja seria tão dura assim com ele? a ponto de proibi-lo a pisar na igreja? com certeza nao.
    E se ele estivesse separado da esposa pelo desgaste do casamento, e anos depois ele casasse com outra mulher ele seria proibido de continuar sendo pastor nesta igreja, e de pisa-la nela novamente? com certeza nao? infelizmente a igreja usa dois pesos e duas medidas.
    Um forte abraço.

    • Valderi disse:

      Roberto, o seu posicionamento é importante. E como que fica as pessoas que se desviaram após esse escândalo? E como que fica a hipocrisia?
      Será que os líderes erraram demasiadamente? Sim. Mas nós não jogamos pedras quando a Igreja Católica não expulsa os padres envolvidos em escândalos sexuais, mas sim transferindo-os para outros continentes?
      E se ele não fosse descoberto? Será que até hoje não estaria cheirando uma carreira de pó nos braços de um go-go boy?

      • Olá, Valderi,
        .
        a questão não é ele ter sido descoberto ou não. A questão é como ele foi tratado pela igreja. Se ele se arrependeu, a Bíblia ordena que o perdoemos. Não é uma opção. Proibi-lo demonizar na igreja resolve o quê? É desumano, anticristão e joga fora tudo o qua a Palavra ensina sobre amor e perdao.
        .
        Se alguém se desviou por causa disso, mano, é porque não era verdadeiramente salvo. Pois o salvo perseverará até o fim, a despeito de qualquer coisa.
        .
        Sobre a hipocrisia, recomendo a leitura do post que será publicado neste segunda.
        .
        Um abraço carinhoso, em Cristo,
        mz

  25. cinaranmoraes disse:

    Fiquei muito impactada, mas ao mesmo tempo agradecida a Deus por eu nunca ter visto um caso deste tipo na minha igreja. Muito pelo contrário eles conversam muito com o pecador, mas não o expulsa da igreja, apenas o afasta das atividades do ministério por um tempo para que ele possa refletir e aprender com o erro. A minha igreja deve ter no máximo uns duzentos membros, mas mesmo assim eu não acho que só porque é uma igreja pequena que ela deve cuidar de seus membros. Toda a igreja de Cristo deve fazer o mesmo.lndependente se ela for pequena ou não. A igreja é o hospital dos pecadores. Ela não pode banir um pecador, porque isso está totalmente fora dos princípios de Deus. Que as nossas igrejas possam cada dia mais aprender sobre o grande amor de Cristo por todos nós. Que possamos sempre diminuir para que Cristo cresça em nossas vidas e que sejamos sempre luz, não somente em meio as trevas, mas também em nossas igrejas. E que nunca esqueçamos do segundo mandamento da lei de Deus que é amar o nosso próximo como a nós mesmos.

    A paz de Cristo!

  26. Danila disse:

    Olá Maurício,
    Estava sem tempo de estar por aqui querido irmão. Voltei a trabalhar depois de uma licença maternidade de 6 meses do meu 3º filho, então dá pra imaginar a correria não? Mas agora, mais organizada, estou colocando em dia a leitura dos posts.
    Muito apropriado o título, “igreja que não serve pra nada”, Jesus veio para os doentes e não para os sãos, veio pra mim, pra vce e pra todos, porque todos pecaram. Sempre me emociono qdo lembro de Jesus e a mulher adúltera,Jesus e a samaritana,Jesus e Zaqueu,Jesus e eu,Jesus e o meu esposo,Jesus e aqueles pra quem falei dEle e o aceitaram como o seu salvador…É ao mestre que devemos seguir,é a Ele que devemos imitar e é dEle, que é manso e humilde de coração, que devemos aprender. Se assim não for,não serviremos pra nada no Reino de Deus,seremos como o sal que perde o sabor e só serve pra ser pisado.
    No amor constrangedor de Cristo,
    Danila.

  27. Greize disse:

    Ficamos chocados, mas fazemos isso direto.Eu mesma estou em um dilema, com o pastor que assumiu o cargo de Direitos Humanos, sou contra o que ele prega há muitos anos, totalmente contra.Fala e fez absurdos o que esta gerando uma onda contra os evangélicos, generalização.
    E na internet esta um embate, e eu na parte de crítica junto.
    Mas um ferrenho pastor que sempre o criticou, postou apenas a seguinte frase: se Deus permitiu vamos orar por ele, por sabedoria.
    Foi um “tapa” na cara.Pois eu não pensei nisso em nenhum momento.Seu texto me fez refletir mais e mais.
    Vi esse documentário do Pr. Haggard e uma entrevista que ele deu a apresentadora oprah winfrey, o coração da gente é estranho julgamos quando vemos o pecado, ele pecou contra o que ele mais pregou, mas vendo o documentário, filhos e esposa.Me dava uma vergonha do que ele fez mas também pena.
    Ai de mim…Vou calar minha boca, e refletir mais.

    • Olá, Greize,
      .
      desculpe, não sei que pastor assumiu esse cargo. Procuro me manter longe dessas informações. Sair das redes sociais, nesse sentido, é uma benção. Estou cansado das polêmicas.
      .
      Um beijo fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  28. Bianca disse:

    Poxa isso é deprimente Maurício, acho até que ele deveria ser punido sim, mas de acordo a palavra de Deus e o que os líderes dessa igreja fizeram foi julgar e sentencia-lo a morte. Por isso muitos ímpios não querem saber de igreja, pastores que escandalizam, líderes que não perdoam como isso fica na cabeça dos incrédulos…precisamos orar …
    :(

    A PAzz!!!

    • Oi, Bianca,
      .
      não creio que ele deveria ser punido. Deveria ser disciplinado, com vistas à restauração e à reconciliação. Lembre-se de Gl 6.1: “Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão.”. Para mim, esse é o procedimento.
      .
      A paz, minha irmã, no amor de Cristo,
      mz

  29. Bianca disse:

    Verdade usei a palavra errada desculpe punido…..não foi por querer julga-lo…
    :)

    A Pazzz!!!

  30. Bianca disse:

    A Palavra de Deus me comove, me constrange é muito linda .Gl 6.1: “Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado, vocês, que são espirituais, deverão restaurá-lo com mansidão.”. Para mim, esse é o procedimento.

  31. Joel Garcia disse:

    Olá meu irmão!

    Ii seu artigo sobre “Igreja que não serve pra nasda”.

    Concordo com o que você disse sobre não apoiar o pecado, mas apoiar o pecador.

    Tenho lido seus artigos e comentários, os quais tem me feito muito bem. Obrigado!

    Neste comentário em especial, me identifiquei com o pastor em questão (não pelo seu pecado) ,mas pelo abandono.

    Explico!

    Fui pastor em uma igreja durante 20 poucos anos, a servi fielmente, tanto eu como minha família. Neste uĺtimos dez anos em uma igreja no interior paulista.

    Porque eu fui contra algumas heresias que eram ensinadas em aulas de “teologia” (alguns alunos eram membros da igreja) uma delas que “Jesus foi a primeira criatura que Deus criou”, me pus contra, levei uma advertencia por causa disso.

    A quase um ano quando iria começar o culto da noite, uma comissão entrou na igreja e disseram que a partir daquele momento eu não era mais pastor dali . Posso imaginar como esse pastor deve ter fica. Passei duas noites sem dormir.

    Hoje o atual pastor é o filho do superintendente, que me deu o prazo de 15 dias para eu ir embora.

    Mesmo tendo levado testemunhas e provado minha inocencia não quiseram saber.

    Hoje moro em outra cidade, trabalho em uma empresa, vivo um conflito sobre se volto ao ministério ou não.

    Nem colegas de ministérios ligam, mesmo aqui onde moro “amigos” não veêm nos visitar.

    Pra ajudar minha esposa ficou muito doente quase morreu, e eles mesmo sabendo não fizeram nada

    Mauricio, meu maior apoio vem de dois pastores que não são da denominação e é duro dizer isso de mais outros que nem cristãos são. Os quais nos tem apoiado inclusive a voltar ao ministério (gente que não é crente, pasme!).

    Desculpe o longo comentário.

    Ps: Essa denominação em seu credo Crê e prega o que diz o capitulo Evangelho Segundo S. João 1

    Na graça daquele que é o Pai de todas as consolações.

    Joel Garcia

    • Pastor Joel,
      .
      que lamentável. Que triste. Que decepcionante.
      .
      Meu querido, eu diria que se o irmão tem a certeza do chamado de Deus para sua vida, não desista. Se Ele o vocacionou para o ministério, siga essa voz. Quando homens tentam ir contra o que Deus estabeleceu seguramente quem está por trás não são os homens.
      .
      Me solidarizo com sua dor. Também já enfrentei o abandono eclesiástico, mas louvo ao Senhor porque encontrei amparo em verdadeiros homens de Deus. Não entregue os pontos. Se o Espirito Santo o chamou não foi para descartá-lo.
      .
      Oro pelo irmão, sua esposa e toda sua família. Te abraço com carinho,
      mz

  32. Gisele Santos disse:

    Achei seu blog por acaso e estou amando. Bem diferente de outros blogs que só querem polêmica. Lendo o texto fiquei indignada com a falta de amor dessa Igreja, mas aí parei para pensar, e se eu fosse dessa Igreja? O que eu faria? Cheguei á conclusão de quão pecadora eu sou e quanta hipocrisia há em mim. Talvez minha atitude seria há mesma que essa Igreja e nem iria perceber a falta de amor que há em mim. Obrigada por esse texto, por me fazer refletir sobre os meus pecados!

    Deus te Abençôe.

    • Olá, Gisele,
      .
      fico feliz que os textos do APENAS estão falando ao teu coração. Louvo a Deus por isso.
      .
      O objetivo maior desse post é exatamente este: levar cada um de nós a uma reflexão sobre como temos agido, a partir da realidade dessa igreja. Se isso ocorreu com você o dia está ganho.
      .
      Eu que agradeço pelo carinho. Bênçãos sobre a tua vida,
      mz

  33. Rafael Allevato disse:

    Caro Maurício,
    Fiquei feliz. Achei que só eu no mundo havia visto esse documentário. Vi na HBO com minha esposa e em alguns momentos choramos, em vista da crueldade humana em fúria contra aquele pastor. Realmente é chocante. Ainda bem que o Deus em quem cremos nos ama com um amor altruísta e perdoador.
    Abraço. Paz.

  34. Jacqueline disse:

    Maurício, eu sei que você é pelo amor e pelo perdão, mas Paulo não deixou recomendações na carta aos Coríntios que com certas pessoas não podíamos nem almoçar? a igreja foi deveras muito rígida com ele. Absurdo expulsá-lo do seu lar com sua família. Mas, por outro lado, ele foi um péssimo exemplo também. Ele não equivale à mulher adúltera porque esta não tinha conhecimento da Palavra. E sejamos sinceros: Que tipo de amor é esse ao Evangelho em que a pessoa não se segura para não cometer tamanho erro. Muito ímpio não cometeria esse tipo de pecado. Eu sei que o crente cai, mas eu não sei porque não há vigilância para que sua queda não se torne em escândalo avassalador.

    • Olá, Jacqueline,
      .
      pensemos na parábola do filho pródigo. O que ela nos ensina? O rapaz viveu anos e anos com seu pai, na família. Em certo dia se perde, dorme com prostitutas, torra os bens com uma vida dissoluta, vai cuidar de porco (animais impuros para os judeus)… minha pergunta seria: quem pecou mais, o jovem da parábola ou o citado pastor? Resposta: nenhum. Os dois pecaram igual. Pois a Palavra diz que basta transgredir um único mandamento da Lei para ser culpado de todos. Eu perguntaria então uma segunda coisa: em que eu ou você pecamos menos do que o filho pródigo ou o pastor do texto? Será que o meu e o seu pecado são menores do que os deles? Nao somos igualmente culpados?
      .
      Você diz que a adultera nao conhecia a Palavra. Claro que conhecia! Ela conhecia a Palavra que até então havia sido revelada, o Antigo Testamento. Ela conhecia perfeitamente os dez mandamentos. Ela sabia perfeitamente “Não adulterarás”. Ela não era mais ignorante do que o pastor americano, era tão culpada de desobediência quanto.
      .
      Jacqueline, me preocupa você dizer “ele foi um péssimo exemplo também. E sejamos sinceros: Que tipo de amor é esse ao Evangelho em que a pessoa não se segura para não cometer tamanho erro.” Pois, ao dizer isso, você me diz que o pecado dele foi “pior” ou “maior” do que os que eu e você cometemos. Adultério é mais grave que mentira, por exemplo? Mas nao estão ambos os pecados nos dez mandamentos? Você já mentiu? Sabe, ele cometeu o pecado dele uma vez. Eu devo ter mentido umas dez mil vezes. Então por que ele é mais pecador do que eu? Eu sim sou um péssimo exemplo. Peco todos os dias e com isso me torno um péssimo exemplo. Você seria capaz de jogar a primeira pedra nele?
      .
      Diante do seu raciocínio eu poderia te perguntar: quantos pecados você cometeu somente nas ultimas 24 horas? Se você me disser “um” eu poderia te fazer a mesmo pergunta: “Que tipo de amor é esse ao Evangelho em que a pessoa não se segura para não cometer tamanho erro.”? Paulo diz que quem peca por glutonaria nao herdará o Reino de Deus. Permita-me perguntar: você já cometeu glutonaria? Paulo também diz que quem peca pela ira não herdará o Reino de Deus. Permita-me perguntar: você já irou? Ainda se ira? Seria capaz de garantir que nunca mais vai se irar?
      .
      Diante de tudo isso, mana, será então que eu posso me se ter para almoçar com você? Ou será que alguém pode se sentar para almoçar comigo, que peco todos os dias, dou mau exemplo todos os dias?
      .
      Querida, temos que parar com esse habito antibiblico de achar que uns pecaram mais do que os outros. Todos nos pecamos. Todos somos totalmente depravados, como Calvino disse. Todos carecemos da graça e da misericórdia de Deus. Eu, você, o filho pródigo e esse pastor. Estamos no mesmo barco. E o colete salva-vidas de todos nós se chama “graça”. Jesus morreu na cruz. Quem sou eu para dizer que morreu mais por mim do que por esse pastor?
      .
      Abraço, minha irmã, e que a graça seja contigo,
      mz

  35. Estou entrando em ceara alheia, mas li a matéria e gostaria de expressar a minha opinião! Sou espirita e sei das diferenças teológicas que separam os evangélicos e os espiritas sem falar dos católicos romanos. Assim mesmo acredito que essas coisas sempre aconteceram, a igreja não pode ser um fim em si mesmo, ela não pode perder a sua missão de viver e levar o evangelho, e se tornar uma instituição humana com valores humanos, como aconteceu ao sinédrio onde os fariseus e escribas serviam ao próprio ventre e se julgavam portadores de verdades reveladas por Moisés e os antigos profetas, só que não reconheceram ao Cristo esperado. Não reconheceram por vaidade e ignorância. A verdade é que todos somos criaturas muito falhas e que Deus é infinitamente bom e que cuida de nós . Sei que não sou a pessoa mais indicada a dar conselhos aos cristãos evangélicos mas sinceramente a igreja só terá vida através da oração continua daqueles que dela fazem parte, orem mesmo é a única maneira de vencer forças invisíveis que trabalham pela destruição da igreja que querem que os homens vivam na ignorância, que olhem para Deus como um ser pronto a atender todos os seus caprichos, um Deus com d minúsculo. E pouco importa se as igrejas estão cheias, isso é puro engano, Jesus perguntou a multidão que o seguia se eles estão lá só por causa do pão, a igreja precisa acordar ou corre o perigo de cair no gosto de Caifas. Um abraço. Alexandre

  36. Sem palavras!

    Fika com Deus!!!

  37. Victor Hugo disse:

    Nossa..muito triste o que aconteceu a esse pastor, ainda mais ele mostrando-se tão arrependido. Creio que, olhando superficialmente, esse pastor ensinou bem a igreja, o que se deve fazer, de acordo com a bíblia, se compararmos com 1 Coríntios 5. Mas esquecem o que está escrito em 2 Coríntios 2. 5-11, do que fazer com o arrependido, o pecador penitente. Nesse trecho ainda é dito para se perdoar “para que Satanás não alcance vantagem sobre vós”, o que aumentou de importância a questão do perdão da igreja.

    Existe, pelo menos na maioria das igrejas, sempre os extremos. Ou não se disciplina ninguém, ou leva-se ao extremo de expulsá-lo. O equilíbrio, do jeito que você escreveu, do jeito que a bíblia fala, sempre é o mais adequado. Deve haver disciplina com amor. Senão, nunca saberão que somos discípulos dEle (João 13.35).

    Parabéns por esse site. Um dos poucos que conheço que, sendo site cristão, trata todo assunto com bom senso, de acordo com a palavra, e sem fanatismos e exageros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s