Em nossa vida somos confrontados diariamente com diversas situações que exigem que façamos escolhas. Ponho a luva ou o anel?, já perguntava o poema de Cecilia Meireles. Vou ao culto ou ao jogo de futebol? Canto no louvor ou participo do grupo de teatro? Me torno professor ou faço concurso pra funcionário público? Caso ou compro uma bicicleta? Eu, você, todos nós temos que fazer escolhas todos os dias. Algumas são escolhas bobas, como que prato comer no almoço. Outras têm consequências graves e eternas, como a pessoa com quem vamos nos casar e compartilhar o resto de nossos dias e noites. Recentemente, uma pessoa conhecida tomou uma decisão que vai impactar seu destino, mas, aparentemente, não fez a opcão que mais desejava. E justificou-se com essa frase: “Eu não tive escolha”. Talvez você passe por situações assim ou esteja enfrentando neste exato momento um grande dilema, que exija de você escolhas que serão decisivas. Pois ouça o que vou te falar: ao tomar uma decisão você sempre tem escolha. Sempre.

Por quê? Pois Deus presenteou você com uma dádiva maravilhosa, chamada “livre-arbitrio”. Então, não se ofenda, por favor, mas um cristão dizer “eu não tive escolha” é um gesto de ingratidão a um presente extremamente generoso concedido por Deus. Além de, implicitamente, estar chamando o Criador de mentiroso. O Senhor deu o direito de livre escolha à humanidade desde Adão e Eva. Só que, do Eden até nossos dias, a humanidade se justifica ao fazer más escolhas com desculpas como “foi a serpente”, “foi a mulher que Tu me destes”, “eu não tive escolha” e frases do gênero. Então, se você parar pra pensar biblicamente, “eu não tive escolha” é uma frase antibíblica.

Na Biblia vemos isso muitas e muitas vezes. Pilatos tinha uma escolha e preferiu lavar as mãos do que libertar Jesus – porque havia uma multidão pressionando-o. Herodes tinha a escolha de não decapitar João Batista, mas como os olhos de todos na festa estavam voltados para ele, optou por executar o primo de Jesus e exibir a cabeça dele numa bandeja de prata. Arão tinha a escolha de não fazer o bezerro de ouro, mas o clamor popular o levou a cometer a abominação. O povo tinha a escolha de não construir a torre de Babel, mas só com a intervenção de Deus eles pararam a obra. Aos amigos de Noé foi dada a escolha de entrar ou não na arca, mas optaram por ignorar o que o homem de Deus lhes falou e acabaram morrendo de forma trágica. Judas tinha a escolha de não trair o Mestre, mas preferiu as trinta moedas – e acabou enforcado e com as tripas espalhadas pelo chão. Ananias e Safira tinham a escolha de serem honestos e sinceros quanto ao que desejavam em seu coração, mas decidiram agir com desonestidade e acabaram fulminados. Jacó tinha a escolha de casar-se com Lia, mas decidiu esperar sete longos anos para ficar com quem amava de fato. Moisés tinha a escolha de encarar sua escolha errada de matar o egipcio e se retratar, continuando a viver em paz no palácio, no Egito, mas optou fugir para Midiã, onde virou trabalhador braçal. Os irmãos de José tinham a escolha de não o tratarem como trataram, mas escolheram vendê-lo e, assim, fizeram dele um escravo.

Aliás, esse é o unico tipo de gente que não tem escolha: escravos. Esses não são donos de seus destinos. Fazem o que os outros querem. Escravos abrem mão de seus sonhos, seus desejos e suas vontades para viver vidas que não são suas. Que não lhes completam. Que são mentiras. Vem então a pergunta: na sua vida você é quem toma suas decisões ou é escravo da vontade alheia?

Porque, especialmente nós, que vivemos em igreja, sofremos muitas pressões. Pressão para trabalhar em algum departamento, pressão para se casar “na idade certa” e com “a pessoa adequada”, pressão para manifestar dons… pressão, pressão, pressão. E muitos são os que lavam as mãos e soltam Barrabás. “Eu não tive escolha”, dizem. Mas é claro que teve escolha! Só não teve peito de fazer a escolha de seu coração, encarar as pessoas e dizer “NÃO É ISSO O QUE EU QUERO! Não é esse o rumo que quero dar à minha vida.”. O clamor da multidão gritando “Crucifica-o! Crucifica-o!” levou Pilatos a se anular e seguir a escolha das massas. O resultado? Cruz para um inocente. Mas que ele tinha escolha… ah, isso tinha. “Não tinha como dizer não”, deve ter alegado. Então vou ensinar, repita comigo: “Não!“. Pronto, simples assim.

Vejo isso todos os dias. Pessoas vivendo infelizes ano após ano após ano porque fizeram as escolhas erradas. Porque cederam à pressão do grupo. No post “Solitários, carentes e infelizes” já tratei um pouco desse tema, mas volto a ele por continuar vendo cristãos estragarem suas vidas quando poderiam tomar outros rumos.

Se você faz uma escolha sob a pressão de situações e grupos, ao final todos voltam felizes para seus lares e vão cuidar de suas vidas. Mas quem fica ali, infeliz, é você. Sentindo-se míserável, um morto-vivo. Condenado ao choro escondido pelo resto de seus anos, encharcando de lágrimas seu travesseiro e seus bichos de pelúcia, numa tentativa desesperada de lidar com todas as frustrações que uma escolha errada causou. Tudo porque um dia não teve coragem de fazer a escolha certa – e entregou sua escolha numa bandeja de prata aos outros. Mas os outros não vão chorar por você ou com você! Vão cuidar de seus próprios problemas. Já parou pra pensar que nenhum daqueles que gritaram “Crucifica-o!” foi crucificado? E que nenhum dos que estavam no banquete com Herodes teve a cabeça arrancada  do corpo? Então para eles é fácil.

“Eu não tive escolha” é uma frase que não justifica nada. Em nome dessa frase, muitos de nós cometemos pecados bárbaros, seguimos por caminhos de morte, fazemos bezerros de ouro e criamos problemas que se não forem solucionados logo vão virar uma bola de neve que, depois, para ser resolvido, torna-se muito mais difícil e doloroso. Ou vira um decreto de infelicidade diária pelo resto da vida.

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres”, diz a Palavra de Deus.  Você é livre para fazer suas escolhas. É livre para tomar as rédeas da sua vida, mas também é livre para se tornar escravo. Pois sempre se tem escolha. Sim, é possível tornar-se escravo por desejo próprio, voluntariamente. E aqui um ponto importantíssimo: as suas escolhas podem não ser as mais populares ou fáceis de tomar. Mas, do ponto de vista bíblico, escolhas nunca foram feitas para serem populares ou fáceis. Foram feitas para serem certas ou erradas.

Pense em alguma escolha séria que você tenha feito recentemente. Esqueça tudo. Esqueça a pressão das pessoas. Esqueça a situação social em que a escolha foi feita. A única pergunta que você deve se fazer é: “A escolha foi certa ou errada?”. Se foi certa, vá em frente e siga em paz. Se foi errada, não importa o que te custe: conserte o erro. Pois, como diz a Palavra, “aquele que confessa e deixa alcança misericórdia”. Consertando um erro, você pode passar pelo que for…alcançará misericórdia.

A decisão certa, custe o que custar

Vou contar uma história que considero bem ilustrativa e que depois que tomei conhecimento passou a nortear muitas de minhas escolhas. É uma história verídica. Tenho um amigo pastor. No inicio de seu ministério você pode imaginar a pressão que era para ele se casar logo. Pastor solteiro não é lá muito bem visto, a gente sabe, então eram pessoas e mais pessoas e mais pessoas pressionando. “E aí, casa quando?”. “Vai ficar pra titio, hein”. “Você está sendo exigente demais”. “Melhor casar que abrasar-se”. “Todos os seus amigos já se casaram, e você, quando desencalha?”. E por aí vai. Então, para cumprir o manual da sociedade, ele ficou noivo de uma boa moça. Moça bacaninha, de família, até tocava teclado no louvor, veja você. A “candidata ideal”. A igreja e os parentes agora estavam satisfeitos. Mas o coração dele estava pesado, pois em seu íntimo sabia que não amava aquela moça o suficiente para construir com ela um projeto conjunto de vida. Mas fez o que os olhares ao seu redor esperavam dele. Ficou noivo. Marcou data. Encomendou buffet. Distribuiu os convites. Mas, a poucos dias do casamento, lendo a Biblia, caiu justamente no trecho sobre a morte de João Batista.

Diz o texto que Herodes estava num evento social, cercado de gente, e encantou-se tanto pela dança da filha de Herodias que lhe jurou que se ela pedisse algo ele lhe daria. E ela pediu a cabeça de João Batista. Diz o texto: “Entristeceu-se o rei, mas, por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa, determinou que lha dessem; e deu ordens e decapitou a João no cárcere”.

Meu amigo leu isso e foi como um soco no estômago. Pois viu que estava comprometendo sua felicidade por toda a vida “por causa do juramento e dos que estavam com ele à mesa”. Estava se preparando para viver uma grande mentira. Pior: ao viver essa mentira, estava ainda por cima iludindo e enganando a noiva, fazendo-a se sentir alvo de um amor que na verdade não existia. Sendo desonesto com ela. Porque, sejamos sinceros, quem gostaria de se casar com alguém que não nos ama, por mais que nós a amemos? “Casamento por caridade? Não”, pensou meu amigo, que é um homem de Deus, “isso está errado”.

Então, apesar das criticas, do espanto geral e até de ofensas que sofreu, desmanchou o noivado. Foi difícil. Mas foi o certo. Anos depois ele conheceu sua atual esposa, com quem se casou. E adivinha só? Eu fui um dos padrinhos do casamento. E hoje eles vivem felizes, com uma filhinha simpatissíssima. Curioso é que hoje, na igreja e nas famílias. ninguém mais se lembra da história daquele noivado desfeito, caiu no esquecimento com o tempo. Mas meu amigo vive feliz e isso todos reparam sem que ele precise vestir máscaras. Esse pastor, inclusive, foi quem celebrou meu casamento e é meu amigo pessoal. Ele me diz que, apesar do estresse social que enfrentou ao desmanchar o noivado, nunca se arrependeu. O estresse passou, os anos se passaram, todavia a felicidade de ter seguido pelo caminho momentaneamente mais difícil porém correto… essa permanece até hoje.

Aí eu te pergunto: ele tinha escolha? Tinha, como sempre se tem. Tomou a decisão mais fácil e popular? Nem de longe. Mas hoje, anos depois, pergunte a ele se em algum momento se arrependeu de ter feito a escolha correta.

Deus nos deu o presente maravilhoso do livre-arbítrio. E muitas vezes usamos esse presente concedido do Alto como marinheiros embriagados. Não valorizamos esse dom. Queridos, Deus deu ao ser humano o direito de escolher! Você já parou para pensar em que enorme privilegio é ter a capacidade de escolha?!  Mas muitos de nós jogam esse presente no lixo, abrem mão dele e tocam suas vidas pela vontade alheia.

Você tem que fazer uma escolha? Está num momento crucial de sua vida?  Pois escute, querido, Deus te deu a capacidade, a liberdade e a honra de escolher.  Não desperdice isso. Não faça pouco caso dos tesouros que o Senhor te concede. Faça mais do que o que é certo: faça o que é  honesto. Honesto com você e com todos os envolvidos. Não viva uma mentira. Pois aí você nem mesmo estará vivendo: estará apenas sobrevivendo à infelicidade dos dias.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

.

Anúncios
comentários
  1. Lelê disse:

    Como esse post veio na hora certa.
    Estou prestes a tomar duas decisões cruciais na minha vida.
    Paro, reflito e leio a palavra de Deus!
    E busco a resposta que o Senhor me dará!

    Ele não me abandonará! Eu creio nisso!

  2. Jean disse:

    Zágari,meu amado!..Dessa vez vc “viajou” definitivamente..dizer que “eu não tive escolha” é ingratidão com o Criador é demais..Meditemos pois:Que escolha tiveram os discípulos ao serem buscados individualmente pelo Mestre?..Será que Jesus se frustrou com outros 12 que não quiseram e foi pedir por favor para que iletrados e incultos o seguissem?..Que escolha teve Paulo após o impactante encontro com Cristo?..Iria ele dizer que teve uma experiência alienígena e seria o percursor da ficção científica pelo fato de não ter escolhido o Senhor?..”Não fostes vós que me escolhestes a mim,mas que eu escolhi a vós outros”.Essas palavras do mestre dizem tudo..Paulo diz que “estávamos mortos em pecados,ofendas e delitos”..nessa situação não temos poder de escolha a não ser que sua misericórdia nos alcance e o Espírito nos convença dos nossos pecados e nos leve ao arrependimento..Esse costume litúrgico de apelar para “aceitar” Jesus é anti-bíblico,devemos recebê-lo em nossos corações,segui-lo,e não nos tornarmos crentes por indução de quem prega,ameaçando os presentes ao culto com o fogo do inferno,maldições,etc..Essa não é uma escolha qualquer,foge do foro íntimo humano..é sobrenatural,vem do Pai..no NT não há referência explícita a este termo chamado livre arbítrio..ao qual os crentes adoram..se vangloriam até de terem feito a “escolha” certa,pela igreja..esquecem que de onde vieram se não fossem regatados,jamais sairiam do inferno de suas vidas… dizer que escolhemos a Deus é colocar o homem como o centro e não o Pai..Pra finalizar,creio no direito a escolha após a pessoa conhecer a verdade revelada e com consciência,abrir mão de vivê-la…Quanto as outras escolhas da vida,sim..são meramente humanas..A paz de Cristo!!!.

    • Querido Jean,
      .
      me perdoe, mas quem viajou feio foi você. Você misturou soteriologia com hipercalvinismo e pelagianismo.
      É óbvio que ao falar sobre salvação todos sabemos que estamos lidando com a graça de Deus que independe da vontade humana, “é dom de Deus, para que ninguém se glorie”. Evidente isso. Só que parece que você não leu direito o post. Salvação não é o assunto em questão, são as escolhas do dia a dia. E em momento algum a Bíblia diz que o homem é uma marionete que faz escolhas de forma autômata. Porque, se fosse assim, querido, você está me afirmando que o homem peca porque Deus é quem o faz pecar. Cuidado, mano, não confunda as coisas!
      .
      No NT não tem referência explicita ao termo “livre-arbítrio”? Também não há na Bíblia referência explicita ao termo “Santíssima Trindade”…então ela não existe? “Livre-arbítrio” é apenas um jargão absolutamente sinônimo do “direito a escolha” que você mencionou para definir algo totalmente bíblico.
      .
      Você confundiu a liberdade no dia a dia com a liberdade para salvação. Preste atenção no que lê, querido, lé com lé, cré com cré. Determinismo tem limite.
      .
      A paz do Mestre, autor e consumador da fé.

      • Jean disse:

        Zágari,meu amado..concordo com você..não li o texto em sua plenitude..confesso que ao ler os primeiros parágrafos conjecturei sobre o restante do post..dessa vez viajei no meu comentário..obrigado pela observação..graça e paz na sua vida!!!!

      • Sem estresse, mano, combatemos o bom combate ombro a ombro.
        Abraço forte, na paz de Cristo.

    • Concordo Com Maurício, Deus criou o homem com o livre arbítrio e nunca interferiu nisso, como o Pastor Chinelato mesmo diz, só entra em nossa casa quem permitirmos, a biblia diz que Ele está a porta e bate SE VOCÊ ABRIR ELE ENTRARÁ E CEARÁ COM VOCÊ… Maurício não levou para o lado da salvação, mas comentei sobre seu comentário baseado no que vc disse… paz irmão e quando for críticar seja mais sábio, ainda que esteja certo, palavras duras tiram qualquer teor de apenas compartilhar idéias e passam para intrigas… paz de JEsus

  3. Glerysson Dennys disse:

    Quer dizer que Judas poderia ter escolhido não trair Jesus?
    Se ele não traísse, Jesus não seria entregue.
    Judas teve mesmo escolha? O próprio Jesus não o trata como filho da perdição, tendo se perdido para que a escritura se cumprisse, em João 17?

    Na paz de Cristo!

    • Determinismo? Calvinismo? Arminianismo? Deus te obriga a pecar? Ah, como nossa fé é linda, tamanhos são os misterios de Deus…

      Abraço forte, na paz.

      • Glerysson Dennys disse:

        Deus não nos obriga a pecar, mas…
        “Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?
        E que direis se Deus, querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição;”
        Romanos 9:21-22

        Pelo o que compreendo desse texto, o Oleiro tem poder para fazer vasos para honra e para desonra. Creio que Judas seria um vaso para desonra, preparado para a perdição, para que o propósito de Deus pudesse se cumprir, com certeza Judas teve escolhas em sua vida, pois ele não é uma marionete nas mãos de Deus. Mas, uma escolha como essa de trair Jesus, que foi determinante em Sua morte e logo está relacionado à salvação.. entendo que Judas foi levantado para isso e não teve escolha alguma em relação a entregar Jesus e trocá-lo por 30 moedas.
        Vejo esse ponto como questão de propósito e não como escolhas normais do ser humano (pecar, escolher a roupa, tomar banho, etc.)

        Maurício, não é minha intenção criar discussão nenhuma, longe de mim. Mas é que quando você falou: “Judas tinha a escolha de não trair o Mestre, mas preferiu as trinta moedas”. Isso me deixou intrigado. rsrs…
        E como temos a opção de expor e compartilhar nossas idéias em seus posts, aproveito.
        Encerro por aqui minha participação e agradeço por sua atenção em sempre responder seus leitores.

        Abraço forte, irmão.
        Na paz de Cristo.

    • Neto Dias disse:

      Um tema bastante interessante…com certeza nossas escolhas diárias podem nos levar para o caminho do mal. Agora confesso que quando li o trecho que falava do “livre arbítrio” fiquei pensando como ia acabar essa história. Na verdade já sabia que muitos comentariam, mas a verdade seja dita:

      O servo obedece, o vaso não questiona!

  4. Re disse:

    Maurício, esse post se resume no AMOR.

    Em todas as possíveis escolhas que você cita o que sobressai é o Amor. Onde há Amor, há escolha certa. Onde há Amor, Deus está. E quando seguimos nossa vida no caminho de Deus, por isso Jesus veio nos salvar dos ‘demais caminhos’, há Amor.

    Entendi perfeitamente o conteúdo do texto: amor – se estamos com ele, é porque estamos com Ele, não há como falhar. Amar ao próximo como a si mesmo, e a Deus sobre todas as coisas.

    Period.

    Bjs, no Amor de Cristo
    Obrigada porque esse post caiu como uma benção para esses dias muito, muito maus.

  5. Giovani disse:

    Ótimo post, como sempre!!! estou prestes a fazer uma escolha, e sempre D-us usa tua vida Mauricio! Quero poder um dia conhecer você pessoalmente! Deus abençoe tua vida!

  6. ivone disse:

    Pois e querido Mauricio, ja me vi em situações decisivas que graças a Deus fiz a escolha certa depois de muitas erradas, e sou tão grata a Deus por isso que não tenho palavras, pois vejo que ele foi infinitamente misericordioso, tendo uma eterna paciência comigo, pois eu era como uma criança engatinhando e dando os primeiros passinhos, ultimamente sinto que tenho que sair de cima do muro diante de algumas situações que tem me incomodado, obrigada pois vc tem me ajudado em muitas reflexões, diante de um mundo tão conturbado as vezes ficamos meio a deriva deixando o vento levar, mas Deus quer que cresçamos e para isso precisamos exercitar esta dadiva que e o livre arbítrio, fazendo escolhas nem sempre corretas ao nossos olhos, porem para Deus e a oportunidade para nos ensinar, vou parar com esse medo e confiar, permitir aprender atraves de experiencia de escolhas.Graça e Paz.

  7. João disse:

    Irmão Mauricio muito simples e ao mesmo tempo preciosas as suas palavras. Estou passando por uma situação que a decisão cabe somente a mim, e tenho orado a Deus para que a vontade Dele prevaleça, Jesus me converteu há 1 ano e meio, e tenho congregado em uma igreja em células desde então, e tenho lido a Palavra de Deus como nunca, e a cada dia vejo como Deus é Benevolente, Gracioso e Soberano, e também tenho mergulhado nos ensinos de Spurgeon, Calvino, Lutero, e tenho lidos posts, do seu blog e de outros que tem feito que eu pense, reflita e que mude de ideias, como disse Pascal, não tenho vergonha de pensar. Tenho passado por reformulações de conceitos teológicos, que tem batido de frente com vários ensinos da minha igreja, que é Neopentecostal, e tenho pensado em mudar de igreja, é uma decisão que me traz paz, mais ao mesmo tempo me deixa aflito, não conversei isso com ninguém ainda, e tenho sofrido, penso se é a decisão mais sensata, ir para uma nova igreja, sair e enfrentar acusações de rebelde, que estou desonrando o pastor, essas coisas. Mas não se trata disso, respeito muito os irmãos, os pastores, todos que convivo na comunidade cristã, tenho momentos maravilhosos ao lado deles, e honro a vida deles. Mais seria honesto comigo,? Seria honesto com os meus ideais? irmão, perdão pelo desabafo, envio não querendo resposta para o que devo fazer, só queria dividir esse drama com alguém, talvez o irmão me ajude a refletir sobre isso, Tenho a certeza do que TENHO que fazer, mais não sei se DEVO fazer, deixo ainda uma canção, que reflete de uma forma sincera o que penso quando escrevo meu “comentário” , rs.

    A Paz de Jesus, Abraço apertado e demorado.

    • Amado,

      peço a Deus que te conduza pela mão pelo melhor caminho. Mas se me permite uma sugestão…
      Se sua igreja é neopentecostal, saia dela ontem. Procure uma igreja séria. O neopentecostalismo é uma agressão às Escrituras Sagradas. Isso de forma alguma é rebeldia ou coisa do gênero, é zelo pela sua alma.

      Se me permite a dica, recomendo um livro que será extremamente util a você e que acaba de ganhar o Premio Areté de Livro do Ano: “O Fim de uma Era”, de Walter McAlister. Mudou minha vida. Pode ser que te dê uma direção. Fala exatamente sobre essa questão toda que vc disse. Vc encontra pelo
      http://www.editoraannodomini.com.br/livraria/products.php?product=O-Fim-de-uma-Era

      Abraço forte, mano, Deus te abençoe e te guie.

  8. Rodrigo disse:

    Boa noite mauricio, a paz de Cristo irmão.
    Gosto muito dos seus post e sou muito edificados por eles, mas esse me deixou com a pulga atras da orelha.
    Primeiramente é IMPOSSIVEL conciliarmos a questão da escolha humana com a soberania de Deus, então é por isso que o tema do post já é espinhento, rs.
    Quando eu li a parte que o escravo é o único que não tem escolha, me lembrei que há versiculos que somos chamados de escravos de Cristo:

    Paulo:

    Pois aquele que, sendo escravo, foi chamado pelo Senhor, é liberto e pertence ao Senhor; semelhantemente, aquele que era livre quando foi chamado, é escravo de Cristo. (1 Co 7:22)

    Obedeçam-lhes, não apenas para agradá-los quando eles os observam, mas como escravos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus. (Ef 6:6)

    Mas agora que vocês foram libertados do pecado e se tornaram escravos de Deus, o fruto que colhem leva à santidade, e o seu fim é a vida eterna. (Rm 6:22)

    Paulo, servo* de Cristo Jesus, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus, (Rm 1:1, *doulos, isto é escravo)

    – Pedro:

    Simão Pedro, servo* e apóstolo de Jesus Cristo (2Pe 1:1, *doulos, isto é escravo)

    – Tiago:

    Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, às doze tribos dispersas entre as nações: Saudações. (Tg 1:1, *doulos, isto é escravo)

    – Judas:

    Judas, servo de Jesus Cristo e irmão de Tiago, aos que foram chamados, amados por Deus Pai e guardados por Jesus Cristo (Jd 1:1, *doulos, isto é escravo)

    Como este post fica a luz destes versiculos?

    Que Jesus te abençoe e continue te iluminando para edificação da igreja invisivel.

    Abraços,
    Rodrigo Motta

    • Oi, Rodrigo,
      uma coisa nao anula a outra. Ja respondi parcialmente isso em outros comentarios deste post, mas vamos la: a verdade é que soteriologicamente a salvação é merito de Deus. Ponto. Mas no dia a dia, Deus nos permite escolhas. Se assim não fosse, poderiamos acusar Deus de cada pecado que cometemos. Poderiamos acusar Deus de cada atitude humana. A turma pra quem Paulo, Pedro e João escreveram suas epístolas não eram cristãs? Mas ainda assim não faziam escolhas erradas? Ceiavam errado, faziam acepção de pessoas, usavam mal os dons…Deus era o responsável por esses erros? O fato de Jesus dizer “sem mim nada podeis fazer” não quer dizer “sem mim nada podeis fazer inclusive errar”. Ou Jesus nos conduz ao erro? Percebe a fragilidade do argumento? É puerilidade teológica e hermenêutica acreditar nisso.
      Deus não nos fez marionetes, deu-nos liberdade de escolha. Ou foi Deus quem fez Adão e Eva comerem o fruto?
      Somos escravos de Cristo, mas mesmo escravos se rebelam. E é na rebelião que está o problema. Quando falo no texto dos escravos, falo dos que se submetem, falo do escravo superlativo, nao do Spartacus.
      Respondido?
      Graça e paz.

  9. Rafael Ferraz Rodrigues disse:

    é meu caro zagari como sempre digo seus textos sao altamente elucidantes…eu entendi perfeitamente o que vc quis dizer e n acho q as coisas se anulam mesmo se a pessoa observar de uma otica calvinista(ótica q n tenho,mas tb n enfrento problemas se alguem argumentar ela),acho que escolhas sensatas vem de uma mente sensata e uma mente sensata num viés cristao vem pela ”completa mudança da mente de voces.Assim vcs conheceram a vontade de Deus que é perfeita,boa e agradavel”(RM 12.2 versao ntlh) fico feliz em poder aprender mais de Deus atraves de vc mano,e n se preocupe o extremismo existe pro dois pendulos (o extremismo calvinista e o arminiano tb) acredito que a serenidade teologica é a chave e que se formos ficar nos atendo a divinizar uma interpretaçao ou outra tendemos a perder o foco, e nossa vida crista deixa de ser uma busca a Deus e sim uma busca pra saber quem tem mais inteligencia

    Deus te abençoe hj e sempre e um grande abraço em cristo

    Rafael Ferraz Rodrigues

  10. Olá amado , se lembra de mim ? Espero que esteja bem querido .

    Este post sobre escolha , apesar de não ter ênfase sobre a salvação do ser humano em Cristo , causa um pouco de polêmica , por causa da palavra-chave “livre arbítrio” aonde Arminianos e Calvinistas debatem muito . Uns debatem saudavelmente outros nem tanto . No site Voltemos ao Evangelho houve um debate saudável entre alguns participantes , aonde não houve ofensas , testemunho disto pois também fiz colocações em alguns posts lá pela clareza que o Senhor me tem dado nas Escrituras sobre o assunto .

    Quanto ao livre arbítrio , pessoalmente , acredito que Deus possuí este livre arbítrio , e que ao criar Adão e Eva também foi dado a eles .

    Mas após os dois pecarem , creio que o livre arbítrio foi afetado segundo algo que o irmão Pedro diz :
    Porque de quem alguém é vencido, do tal faz-se também servo.
    2 Pedro 2:19 – A Palavra servo aqui quer dizer escravo .

    Quando Adão e Eva pecaram , os dois se tornaram escravos daquele que também domina Satanás : o pecado .

    Satanás é escravo de seu próprio pecado , pois Jesus disse : Todo aquele que vive pecando é escravo do pecado.
    João 8:34

    E sabemos que o diabo peca desde o princípio .

    Há algo que você escreveu no seu artigo que me chamou a atenção .
    “Aliás, esse é o unico tipo de gente que não tem escolha: escravos. Esses não são donos de seus destinos.”

    Sobre escravos , eles são pessoas que possuem senhores as quais são submissos . Cada escravo só pode escolher , ou fazer escolhas que seu dono permitir ou ordena . Os donos dos escravos limitam sempre suas escolhas . Mesmo com escolhas limitadas , eles não deixam de ser escravos , ainda tem uma vontade à qual eles tem que se submeter .

    Com Adão e Eva , após pecarem se tornaram escravos do pecado e não somente eles , mas todos que são descendentes de Adão . ( Exceto Jesus que nasceu sem pecado ) .
    O pecado age como um agente dominador sobre todas as pessoas . O pecado não age em certas escolhas da vontade humana , mas em algumas sim , e uma que cito , seria a escolha do ser humano por Cristo Jesus .

    E baseio tal afirmativa no que Cristo disse .

    Todo o que o Pai me der virá a mim, e quem vier a mim eu jamais rejeitarei.
    João 6:37

    Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, não o atrair; e eu o ressuscitarei no último dia.
    João 6:44

    mas vocês não crêem, porque não são minhas ovelhas.
    João 10:26

    Meus argumentos até aqui se baseiam nas questão do livre arbítrio em relação a salvação ainda que o amado não tenha dado está ênfase no artigo postado acima .

    Continuando ….

    Vocês não me escolheram, mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça, a fim de que o Pai lhes conceda o que pedirem em meu nome.
    João 15:16

    Sobre os argumentos dos convites que Jesus faz a todos abertamente dando sim a idéia de que há livre arbítrio , creio pessoalmente que o Senhor , os profetas e os apóstolos não faziam estes convites por causa do suposto livre arbítrio , mas exatamente por que não havendo livre arbítrio , somente os eleitos se manisfestariam com os convites a salvação em Cristo pelo poder de atração do Pai.

    Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
    Mateus 11:28
    Quem virá a Jesus , com as reais intenções de compromisso e salvação ? Os eleitos .
    Assim todos cansados e oprimidos , são todos os eleitos no meio da multidão , mas o convite é aberto a todos , mesma sabendo que todos não virão .

    Outro motivo do convite aberto mesmo para pessoas que não venham , creio pessoalmente no Senhor que é por questão de testemunho , para que fique claro aos perdidos que Deus os chamou , mas não vieram por amarem mais as trevas exatamente por estarem dominados por elas e Deus não é culpado por não querer liberta-las , pois Deus não induz ninguém a pecar .
    Que induz as pessoas pecarem é os próprios desejos pecaminosos , veja o que Tiago diz :

    Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta.Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.
    Tiago 1:13-15

    Outros exemplos de convites abertos , com os propósitos que creio no Senhor .

    E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
    Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
    Marcos 16:15-16

    Pregar sim a toda criatura como testemunho e dentre todas criaturas humanas que ouvirem , poucos crerão , os eleitos que irão crer , por que ? Por causa do poder do Pai em Cristo para atrair .

    Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.
    Apocalipse 2:10

    Quem será fiel até a morte ? os eleitos .

    E ao que vencer, e guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei poder sobre as nações,
    Apocalipse 2:26

    Quem vai vencer e guardar até o fim ? os eleitos .

    Para comprovar a interpretação que uso de que só os eleitos fazem as ações como ” quem perseverar até o fim ” , ” quem for fiel até o fim” ou “preguem e quem crer ” , é Atos 13:48
    E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.

    Algumas versões “destinados” , ou “dispostos” .

    E por que Deus tem que escolher ? Exatamente por que se depender do homem , ninguém será salvo , visto que o homem é escravo do pecado e suas escolhas e decisões são afetados pelo pecado , principalmente na questão da salvação .
    Assim todo homem que ir ao inferno ira por sua próprio culpa , e todo homem salvo , será salvo pela escolha da graça de Deus . Por isso Deus diz a Moisés :

    Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma.
    Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia.
    Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.
    Romanos 9:14-16

    Há a questão sobre as passagens em Ezequiel 18 que diz que Deus não tem prazer na morte do ímpio . Sobre está questão também tenho a dizer o que está escrito em Deuteronômio 28:63

    “E como o Senhor teve prazer em lhes fazer o bem e lhes fazer prosperar, então o Senhor terá prazer em destruí-los e arruiná-los.”

    Observei este verso acima em várias versões e dizem semelhantemente a mesma coisa .
    Quem ler pode pensar que há uma contradição em Deus entre Ezequiel 18:32 e Deuteronômio 28:63 , mas não há de maneira nenhuma !

    Coloco aqui as palavras do irmão John Piper
    “A solução para ao problema
    Eu recomendei uma solução antes e vou recomendá-la novamente: nominalmente, que a morte e a miséria dos não arrependidos não é de nenhuma maneira prazer de Deus. Deus não é sádico. Ele não é malicioso ou sanguinário. Ao invés disso, quando uma pessoa rebelde, má e incrédula é julgada, o que dá prazer a Deus é a exoneração da verdade e da bondade em Sua honra e glória.
    Quando Moisés avisou Israel que o Senhor teria prazer em arruiná-los e destruí-los caso eles não se arrependessem, ele quis dizer que aqueles que haviam se rebelado contra o Senhor e ultrapassado o limite do arrependimento não seriam capazes de se vangloriar pelo fato de terem feito o Todo-Poderoso miserável. Pelo contrário, Moisés diz que quando eles forem julgados, eles terão dado inconscientemente a Deus uma oportunidade de se alegrar na demonstração de Sua justiça e de Seu poder e do valor infinito de Sua glória.”

    Deixarei o link de todo o conteúdo sobre o que o Piper diz de que Deus faz o que lhe agrada , para que o amado possa ler e entender um pouco desse assunto entre Ezequiel 18:32 e Deuteronômio 28:63

    – Mas alguns diriam , então se o Senhor tem este poder de salvar quem Ele quiser , então Ele pode salvar todos ? Resposta = Sim pode . Mas o próprio Senhor não decidiu salvar todos mas alguns .

    -Diria alguns : Por que apenas alguns e outros não ? A Escritura diz que Deus não faz acepção de pessoas , então Ele não pode escolher alguns e deixar outros .
    Resposta = Ao escolher Deus não faz acepção de pessoas , por que a escolha de Deus não se baseia nas pessoas escolhidas , mas sim na soberania da Sua Pessoa , na Sua sabedoria e na sua glória , assim Deus baseia-se em si próprio e assim não comete acepção de pessoas . Pois acepção é quando a escolha é baseada nas questões de quem é melhor . E se Deus agisse assim seria injusto , mas não é assim que Ele age .

    – Alguns diriam ainda : Mas ainda não nos foi dado o motivo do por que somente alguns que Ele decidiu salvar .
    Resposta = O motivo de forma clara pertence ao Senhor , a única coisa clara é que esta escolha foi feita pra sua glória conforme tudo que Ele planejou , Deus será sempre glorificado , como sendo justo , bom , formoso , tremendo e maravilhoso . Não tendo parte de culpa na condenação dos ímpios , pois Deus não enviou um Salvador para os anjos caídos e se Deus não enviasse um Salvador para os homens , Ele ainda permaneceria amável , justo , perfeito e glorioso .

    – Persisto nos argumentos . Outros diriam : Mas se Deus tem seus eleitos e eles serão salvos de qualquer formar mesmo , por que temos que evangelizar ?
    Resposta : temos que evangelizar conforme a ordem de Jesus em Marcos 16:15 por que nos não sabemos que são os eleitos que irão herdar a salvação , somente o Senhor sabe e por não sabemos devemos ir de casa em casa pregando o evangelho .

    Termino dizendo está verdade :

    “Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos”.
    Mateus 22:14

    Chamar devemos fazer , a toda criatura pregar .

    Deus seja louvado em Cristo Jesus .

  11. Ai esqueci de deixar o link do Piper sobre que Deus faz o que lhe agrada no quesito se há contradição entre Ezequiel 18:32 e Deuteronômio 28:63 …

    aqui vai o link agora hehe

    http://pt.gospeltranslations.org/wiki/O_Prazer_de_Deus_em_Tudo_o_Que_Ele_Faz

    Deus o abençõe Mauricio

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s