Vale tudo para ganhar almas?

Publicado: 08/01/2012 em Amor ao próximo, Espiritualidade, Evangelismo, Glória de Deus, Graça, Igreja dos nossos dias, Inferno, Morte

Existe um equivoco muito comum entre os cristãos: a ideia de que a coisa mais importante do universo para Deus é ganhar almas. Isso se baseia na leitura de Marcos 16, onde, antes de subir ao Céu, Jesus proclama a chamada Grande Comissão, também conhecida como o “ide” de Jesus: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura“. Com base nesse versículo isolado, uma gigantesca e desinformada parcela da igreja acredita que sua maior missão é ganhar almas, o que acaba gerando um pensamento distorcido: se essa é a grande meta, vale tudo para alcançá-la! Assim, acreditam muitos que qualquer meio é valido para esse fim e o que ouço todos os dias é “ah, mas se pelo menos uma alma foi ganha valeu a pena” ou “o importante é que a semente foi plantada”.

Só que todo esse pensamento está errado.

Escandalizado por eu ter dito isso? Não tem problema, vamos deixar de lado a clichezada gospel e vamos à Bíblia. Primeiro: o “ide” não é sobre “ganhar almas”. Pois as pessoas leem Marcos 16 mas passam por cima de Mateus 28 (que apresenta a Grande Comissão completa) como quem passa por cima de um bueiro na rua. Diz o texto: “Ide portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a  guardar todas as coisas que vos tenho ordenado” Ou seja: o “ide” não é sobre “ganhar almas”, é sobre FAZER DISCÍPULOS E ENSINAR-LHES A OBEDIÊNCIA. O que não é nem de longe o que faz quem organiza, por exemplo, um festival de música gospel ou um grande evento de  alguma igreja qualquer. Pois grandes eventos não discipulam nem uma mosca.

Essa constatação nos leva automaticamente a uma pergunta: o que é um discípulo? Respondo: um discípulo é alguém que não sabe nada sobre nada e que, pela convivência, pela instrução e pelo exemplo pessoal do discipulador vai crescendo dia após dia, se solidificando, amadurecendo, estudando, lendo e se fortalecendo – aprendendo a guardar tudo o que Jesus nos ordenou – até o dia em que ele estará tão maduro que viverá sua vida de fé tão enraizado na Rocha que será capaz de discipular novas pessoas.

Mas, no imaginário de milhares e milhares de cristãos equivocados, basta “aceitar Jesus”. Não, Mateus 28 mostra que não basta. O “ide” de Cristo não é sobre arremessar ovelhas para dentro da igreja: é sobre cuidar delas, tosá-las, escová-las, catar suas pulgas, alimentá-las  e muito mais. Para que se tornem obedientes. Mostre-me um cristão desobediente aos mandamentos de Cristo e te mostrarei alguém que foi mal discipulado.

Então, quando alguém diz “o importante é que a Palavra foi pregada e almas foram ganhas pra Jesus” eu suspiro profundamente. Na igreja em que me converti, em 1996 havia 6 mil membros. Os batismos periódicos eram (e, ao que consta, ainda são) sempre com cem pessoas ou mais. Hoje, 16 anos depois, a igreja tem… 6 mil membros. Estranho, não? A conta não fecha. Mas sabe por quê? Porque a ênfase está em “ganhar almas”: foi à frente na hora do apelo, levantou a mão, recebeu oração, fez umas aulinhas sobre o básico da fé, foi batizado e… acabou. Não há um prosseguimento. Não há um envolvimento pessoal. Não há… discipulado. E sem discipulado a Grande Comissão não foi cumprida.

Segundo: quando digo que nem todo método ou evento é válido para evangelizar, canso de ouvir “ah, Zágari, não importa onde ou como foi pregada a Palavra.  Filipenses 1.18 diz “Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade, também com isto me regozijo, sim, sempre me regozijarei“. Ou seja, o irmão lê essa passagem totalmente fora do contexto geral da Bíblia e passa a  achar que toda e qualquer forma de proclamação é válida “se apenas uma alma foi ganha” ou “se a semente foi plantada” – é o que tenho ouvido repetidas e repetidas e repetidas vezes. Minha pergunta é: será?

Será que realmente não importa como e onde foi pregado o Evangelho, desde que “ao menos uma alma tenha sido ganha para Cristo?”. Façamos o seguinte: em vez de só ficarmos repetindo frases feitas como vaquinhas de presépio, vamos pensar.  Vamos nos distanciar dos clichês gospel e refletir. Pois esse argumento me dá base, por exemplo, para abrir uma boate de striptease gospel. Entre um show de sexo ao vivo e outro vem um pregador e dá uma palavra evangelistica. Escandalizou-se com a ideia? Ué, mas… e se um alma for ganha? Não valeu a pena?

“Ah, Zágari, não é bem assim”. Hmmm…então já começamos a pensar. Vamos adiante: poderíamos inaugurar um prostíbulo gospel, onde cada prostituta pregaria o arrependimento após atender cada cliente, proclamaria as boas-novas de salvação e lhe daria uma Bíblia de presente. Parece uma ideia esdrúxula? Não só parece: é. Só que ela se encaixa perfeitamente na ideia de que “se pelo menos uma alma for salva…”.

Ou podemos críar um campeonato de Ultimate Fighting gospel. Entre um espancamento, um murro e um chute na cara, um pregador entra na arena e dá uma palavra evangelística Vai que uma alma é ganha! E daí que aquilo é violência pura? Não é um bom meio de atrair gente que gosta de sangue e violência? Ou então abrimos uma tenda de cartomantes gospel. Chamamos uma médium e entre uma sessão e outra de leitura de tarô um pastor senta à mesa e prega o Evangelho ao cliente. Vai que um dia alguém se converte?

Em qualquer um desses casos almas podem “ser ganhas” e a “semente plantada”. A pergunta é: vale mesmo a pena?

Outra coisa: sempre que alguém chega exultante até mim dizendo “Fulano aceitou Jesus!”eu digo “traga ela aqui dentro de 20 anos e veremos se aceitou mesmo”. Pois ela pode ter se empolgado em um show gospel (nos velhos tempos eu mesmo me empolguei vendo muitos shows, pulei, suei e me emocionei vendo Roger Waters, Rolling Stones, Guns and Roses, Yes e até no sambódromo… mas depois chegava em casa e toda aquela empolgação passava), se emocionado num culto ou ficado apavorada numa cruzada porque disseram que ia pro inferno e foi à frente na hora do apelo. Aceitou Jesus? Coisíssima nenhuma. Essa pessoa foi apenas movida por empolgação, emoção ou medo. Novo nascimento? Veremos…

Minhas perguntas são: “Está sendo bem discipulada? Está sendo instruída? Está aprendendo a resistir às tentações do mundo?”. Então eu exulto não com mil e uma pessoas que se emocionaram num ambiente religioso e que em pouco tempo estarão de volta no mundo, mas sim com cristãos que têm anos de estrada e demonstram o fruto do Espirito, que vivem para a glória de Deus.

E aqui está o terceiro ponto: a grande missão da Igreja biblicamente não é ganhar almas, isso é apenas uma de suas muitas tarefas. Repare que as Escrituras não dizem em lugar nenhum que Jesus no ultimo dia chegará e perguntará “quantas almas você ganhou?” O que a Bíblia diz que Ele falará é: “Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos 
está preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; era forasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me“. Ou seja. Jesus vai falar mais sobre o amor ao próximo do que sobre evangelismo. Surpreendente para muitos, não? Mas me diga você: não é o que a Bíblia diz?

“Deixa de inventar moda, Zágari, se ganhar almas não é a grande razão de ser da Igreja, qual é?”, você poderia perguntar. Bem, um curso básico de Teologia responderia isso: a glória de Deus.

Assim, quer vocês comam, bebam ou façam qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus.” (1 Coríntios 10.31)

Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém.” (Romanos 11.36)

Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo, assim como nos escolheu, nele, antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis perante ele; e em amor nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade, [repare agora o que diz o texto] para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado” (Efésios 1)

No mesmo capítulo voltamos a ver que as pessoas são salvas para a glória de Deus: “Nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade, a fim de sermos para louvor da sua glória“.

Deus não existe em função das almas. As almas é que são ganhas em função de Deus. Para ir ao Céu e lá se juntarem à grande multidão celestial que brada, como relata Apocalipse 19, “Aleluia! A salvação, e a glória, e o poder são do nosso Deus (…) Aleluia! Pois reina o Senhor, nosso Deus, o Todo-Poderoso. Alegremo-nos, exultemos e demos-lhe a glória“.

Então, meu irmão, minha irmã, continue proclamando o Evangelho, evangelizando e “ganhando almas”. Só nunca se esqueça de que isso não é sinônimo de “missão cumprida”: é apenas o primeiro passo de uma longa jornada de discipulado e intimidade com Deus que redundará na magnífica glorificação final.

Vale tudo para ganhar uma alma? Vale levar pessoas a pecar em nome de “ganhar almas”? Vale se misturar com o mundo com esse fim? Jesus rejeitou todas as ofertas de Satanás no deserto. Termino com uma reflexão: será que o Todo-Poderoso Espírito Santo precisa que adotemos a mentalidade do “vale tudo” para “salvar pelo menos uma alma” ou será que Ele tem poder suficiente para resgatar uma alma do inferno sem que precisemos prostituir nossos princípios?

Para fazer o que Ele quer Deus depende de Deus ou Deus depende de eventos, festivais, shows, programas de TV e outras megaproduções? Tudo de que ele precisa, meu querido, é de “lábios que confessem o seu nome“. O resto é clichezada gospel.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

.

About these ads
Comentários
  1. alemacio disse:

    Fato. A missão integral da igreja é muito mais que o anúncio público do Evangelho, apenas com o intuito de expansão geográfica.
    Minha oração é que os itinerantes que têm por aí, também os “evangelistas” de multidões, um dia entendam isso, parando de se gabarem dos supostos números de almas que já ganharam – ganharam na visão deles – para Cristo.

    Visite
    http://www.ospensees.blogspot.com

  2. Renan disse:

    Quando enxergamos ‘a grande comissão’ sob a perspectiva de fazer discípulos, vemos o quão forte e profundo é o chamado de Jesus. Porque é muito mais complexo que apenas convidar alguém para um culto ou entregar um folheto; não que essas sejam iniciativas inválidas, mas discipular alguém requer muito mais que alguns minutos. Requer uma vida inteira de amor ao nome de Jesus, vivendo a essência do evangelho a cada dia. De fato, só pode ser discipulador quem verdadeiramente nasce de novo.
    Preguemos o evangelho o tempo todo; com palavras, se for necessário.

    Grande abraço, Mauricio. Louvo a Deus pela sua vida e oro para que Ele possa continuar te fazendo crescer na graça e no conhecimento, para edificação e louvor de Seu nome.
    No amor de nosso Senhor.

  3. Ricardo disse:

    Seu post tem total coerência e respaldo, eu aprovei 100%.
    Discipular
    Evangelizar
    Consolidar
    Treinar
    Enviar

    • Duda Serra disse:

      Do seu post, suponho que faça parte de uma igreja EM células.
      Particularmente, não acho que precisa fazer parte de igreja EM célula (movimento celular) para cumprir a grande comissão.
      A igreja viveu séculos sem modelo G12, M12, MDA, etc, cumprindo sua missão.

      • Errou, Duda. Sou membro da Igreja Cristã Nova Vida (www.portalnovavida.com.br).
        Não vejo conexão entre precisar ser igreja em células para discipular os membros. Discipular é a missão da Igreja em qualquer modelo e foi assim por 2 mil anos, enquanto igreja em células não tem 40 anos de existência.
        Deus o abençoe.

      • Duda Serra disse:

        Zagari,

        A resposta era para o Ricardo. (risos)
        Como ele falou em
        Discipular
        Evangelizar
        Consolidar
        Treinar
        Enviar

        Supus que ele faz parte de igreja em células.

        Entendi perfeitamente seu artigo.

      • Queira perdoar, Duda, entendi errado. Shame on me.
        Deus o abençoe.

      • karolyne disse:

        precisa sim fazer parte de uma celula!!! Jesus ultilizava as casas em grande parte de seu ministerio!!!” em pleno culto você não pode cumprir os mandamentos recíprocos??? Ama-se uns aos outros- jo 13.34, sujeita-se uns aos outros- ef.5.18-21, suporta-se… edificar-se uns- 1ts 5.11…Deixar de julgar uns aos outros- Rm 14.13…nao provocar uns aos outros- Gl 5.25-26…sirvam uns aos outros- gl 5.13…A IGREJA PRIMITIVA REUNIA-SE EM DOIS LUGARES DISTINTOS; NO TEMPLO E TAMBEM NAS CASAS “CELULAS” (ATOS 2: 46)

  4. A pergunta que acho que deveria ser feita é: “Vale ganhar uma alma perdendo a sua própria?”.

    Tudo bem que, as vezes, é necessário granjear com as riquezas da injustiça para alcançar aqueles que estão a caminho de Emaús. Costumo dizer que o problema não está no “fazer”, e sim no que está por detrás, na pretenção, no que te moveu a agir de tal maneira. Certa vez, um mano estava pregando pra um rapaz, o qual disse: “Me disponho a ouvir tudo quanto você tem a dizer se você sentar no bar comigo e tomar um copo de cerveja.”. Bem, o mano foi lá, bebeu, pregou e o rapaz foi convertido. A espiritualidade dele continuou intacta, sua alma permaneceu imutável nas mãos de Deus, mas somente porque, antes de fazê-lo, foi ao Senhor e pediu direção, perguntou se lhe era permitido tal tipo de coisa.

    Fazer essas coisas do “vale tudo” sem a direção de Deus, sem a certeza da imutabilidade do entendimento, sem se preocupar, principalmente, consigo mesmo, é caminho de morte.

    [ Se penso de maneira que vá me prejudicar, ou a alguma ovelhinha do Senhor, pode puxar minha orelha, mano C: ]

    Paz seja convosco, os que estão em Cristo, e também com os que não estão.

    nEle, que me fez lícitas todas as coisas, sendo que nem todas me convém.

    • Marcelo,
      creio que eu nem preciso responder isso. Pecar para “ganhar almas”…o que vc acha que Deus diria?
      Amado, o Onipotente não precisa disso.
      Deus te abençoe.

      • davidjunior disse:

        paulo disse: não se embreagueis com o vinho q há conteda mais encheivos do Espirito Santo,querido Deus jamais vai permitir alguem usar estrategias como esta que leve seu servo contradizer ou ferir suas palavras Deus não é Deus de confusão ele é inteligente mais do q vç imagina, aind q isto seja uma estrategia. agora imagine se o tal camarada não aceitasse o senhor vç ficaria sozinho com teu pecado. quando paulo disse: se fiz de louco para ganhar os loucos , ele estava entrando na mesma condição deles porém uma condição q não leva a contradizer a sua palavra

    • davidjunior disse:

      A biblia diz inumeras vezes que devemos ser santo porque ele e santo , paulo tambem diz q não devemos se conformar com este século, Rm 12:1 , a biblia tambem fala que não ha comunhão com o templo do Espirito e com o altar de demônios . camarada Deus em seu eterno poder não precisa de artificio malefico para ganhar almas.

  5. Lonardo disse:

    Zágari,

    Como o texto de Paulo aos Coríntios (1 Co. 9:16-23) se harmoniza com esta compreensão de evangelismo?

    Abraço,
    Lonardo

    • Leonardo,
      simples: vendo o contexto. Vc não pode pegar só a partir do versículo 16. Venha do início do capítulo e vc entenderá sobre o que Paulo está falando. Ele não está justificando que “vale tudo” pra pregar o Evangelho, está justificando a validade de o pregador do Evangelho ser sustentado por fazê-lo.
      Cuidado, querido, essa é uma norma básica da hermenêutica: não pegar textos fora do contexto. Tenho certeza que se vc ler o capítulo todo vai compreender.
      Deus o abençoe.

  6. ISABELLE disse:

    Maurício, mais uma vez parabéns pelo seu trabalho e que Deus continue te abençoando cada dia mais e mais, concedendo-lhe muita sabedoria e entendimento sempre. Não se ofenda, mas você
    me faz rir, seus exemplos são um tanto irônico, e eu gosto disso, me identifico com esse tipo de linguagem, não digo por mal não, pelo contrário, às vezes, é preciso chegar nos extremos para que as pessoas enxerguem sua ‘ignorância’.
    Não me esqueço de uma frase de A.Cury em que ele diz que hoje não se faz mais pensadores,
    mas repetidores de informações.

    Um abraço e uma ótima semana para ti

  7. Carlos Douglas Diniz disse:

    Grande Zágari. Não sei qual a denominação cristã que o irmão participa. Mas, sei que Deus tem aproveitado seus estudos e conhecimentos para elucidar muitas dúvidas daqueles que pensam estar perto de Deus, mas, pelo que me parece, apenas perto da igreja. Estar perto da igreja é o mesmo que gostar do barulho, das festas, porque, estar perto de Deus é ter uma vida de reflexão que glorifique o Pai e testemunha tão forte a presença do Senhor que nem é preciso “pregar” o Evangelho. A vida prega por si só. Glorifico ao Senhor por sua vida.
    Fica na paz. Pr. Douglas Diniz

  8. Sabe qual é o problema nessa história toda? É que tem muita gente e organização mais preocupada com os números, mas não com a qualidade. Porque igreja ou evento cheio dá estatus, mais rendimentos e, muitas vezes, esquece-se do fundamental: cuidado com as pessoas. Por isso, que ao mesmo tempo em que a igreja cresce, há um grande número enorme de desviados e pessoas desiludidas com a igreja, que deveria ser lugar de salavaçã, cura, cuidado, amor, carinho verdadeiro, coisas que ninguém encontra no mundo. Fiz uma reportagem para a extinta Enfoque Gospel que mostra muito da decepção desses desviados:
    http://www.revistaenfoque.com.br/index.php?edicao=81&materia=1027

    Tenho aprendido muito com seus textos e estou vendo a necessidade de buscar um curso de teologia.

    Um abraço e que Deus abençoe nessa jornada.

    • Uilians,
      fantástica a sua ideia de estudar Teologia! Mas pesquisa bem antes de se decidir por uma instituição. Algumas estão contaminadas pelo Liberalismo Teológico e outras são ruins mesmo. Pesquise antes.
      Mas que alegria saber que ainda há quem busque não só ler, mas compreender a Bíblia.
      Deus o abençoe.

  9. Bruno Ranieri disse:

    Sem sombra de dúvidas eu concordo com você Zagari, o que vejo é que tem uma modinha aí ultimamente os “CRENTES” tem sentido um desejo tremendo de pregar o evangelho em show’s seculares, micaretas e etc E eu fico pensando será que “ESSES PREGADORES” não entendem que essas mesmas pessoas estão todos os dias no supermercado, parada de ônibus, colégio, faculdade e etc?
    Será que é mais válido ir ate elas em show´s onde estão certamente sobre o efeito de álcool e outras coisas ilícitas ao invés de falar do amor de Cristo nos lugares convencionais do dia a dia.

    Creio que eles pensam; O que importa é que uma alma seja salva ou que afirmem: todavia a semente foi plantada.

    Obg por me abençoar com mais um Post!!!

    Se não for pedir de mais, poderias pensar numa futura postagem sobre Jejum e Oração?

    Abração meu caro.

    • Bruno,
      pregar e cantar nos becos e vielas escuras não dá dinheiro, status ou fama e…bem, mendigo e drogado não têm dinheiro pra comprar CD. Aí, já viu, né, vamos fazer festivais!
      Sobre sua sugestão, está anotada. Se Deus me puser algo no coração sobre isso escreverei com prazer.
      Deus o abençoe

  10. Claudio Nossa disse:

    Essa idéia de ganhar almas, nasceu daquele texto do evangelho: A árvore que não dá fruto é cortada…
    Alguns associaram essa passagem com ganhar almas. Confesso que esse discurso já me perturbou muito, hoje, vejo que a nossa missão é falar, é pregar, quem convence é o Espírito Santo. Eu, realmente, não acredito que alguém se converte por causa do pregador, nem por causa das minhas muitas orações e jejuns. Percebo que o amor as vidas nos dá uma nova dimensão de vida. Uma vez, tinha um colega de trabalho evangélico e eu estava fora da Igreja, este colega só me enxergava como um número, tive que dizer isso a ele, eu sou uma pessoa, sabe o que aconteceu este “colega” nunca mais me procurou. Amados, vejo uma busca desenfreada por números sem se importar com elas, sem tempo e sem assunto. Nisto reconheço o povo de Deus: Se andarmos na luz como na luz ELE está, e mantivemos comunhão uns com os outros o sangue de jesus nos purifica de todo pecado. Na luz eu sou eu, me mostro como sou, com todos os meus defeitos, mas se ainda assim eu tiver comunhão uns com os outros, o sangue…

    • É, Claudio, as pessoas não entendem que quem salva é Deus e não estratégias ou belas oratórias. Que salvação é um fenômeno espiritual e não de convencimento intelectual.
      Falta conhecimento, estudo e discipulado bíblicos, grande parcel da Igreja está beirando o analfabetismo bíblico, infelizmente.
      É mais fácil ir tocando e repetindo clichês do que suar um pouquinho para aprender.
      Oremos por essa parcela preguiçosa da Igreja de Cristo, pra que Deus ponha Estêvãos à beira do caminho para explicar aos eunucos aquilo que estão lendo.
      Deus o abençoe!

  11. Dayana disse:

    Ainda tem muitos cristãos que pensam que os meios justificam os fins, mas se quisermos realmente ganhar almas ensinando-as para que sejam discípulos de Cristo, vale observar o que diz Mateus 10.25: Basta ao discípulo ser como o seu mestre. Não existe arma mais eficaz do que junto com o ensino sermos o exemplo daquilo que ensinamos, assim como Jesus o foi para os seus seguidores.

  12. Mauricio Zágari,

    Me converti no ano passado e algo que paira em minha mente é sobre ser discípulo e sobre o discipulado.
    Desejo ser um discípulo de Jesus Cristo e também discipular.
    Obrigado por mais esta sua explanação, que para mim está sendo um discipulado.

    Deus o abençõe.

  13. Uma vez ouvi uma pregação do Pr. Paulo Junior que ele falava extamente isso. O que temos feito para “ganhar almas”, quais métodos estamos buscando para que isso aconteça, qual tem sido a forma que as igrejas tem usado para atrair os pecadores? Muitas vezes eu sinto vergonha, vergonhar de ligar a televisão e ver o evangelho sendo falado de uma forma tão abusiva, tão esdruxula. Ligar o rádio e ouvir o pastor pedindo testemunho das pessoas e a única coisa que elas sabem falar é que ganharam carros, casas, empresas … e o pastor fala: glória a Deus … as pessoas estão sendo atraídas pelo dinheiro, pelo status, querem milagres o tempo todo.

    “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado,mesmo que faça chover milagres todos os dias”. Foi o que Martinho Lutero disse muito tempo atrás.

    Tenho visto que ninguém quer compromisso com a obra, não querem abrir mão das suas vidas, do seu conforto, das suas idéias…

    Tem uma pregação de Paul Washer que ele fala: “Métodos carnais, atraem pessoas carnais”
    Se você usa meios carnais para atrair pessoas para a igreja, você ira atrair pessoas carnais e terá que continuar usando meios carnais maiores ainda para mantê-los na igreja.

    ” Alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo.
    Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.
    Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.”
    Gálatas 1:7-10

    O Senhor atraia pessoas apenas pela PREGAÇÃO do Evangelho (Puro e Simples)

    Deus te abençoe Maurício!

  14. Paz mano!

    Como sempre Zágari, você realizou mais um ótimo post. E esse em questão, reflete muito bem tudo o que penso sobre o que tem acontecido em nossos dias.

    “Os fins justificam os meios”. Para mim essa frase é diabólica, só pode ser. Mas infelizmente está a todo vapor no meio cristão, uma vergonha.

    O que tenho visto é várias adesões a nossa fé, conversões pouquíssimas, mas lá em frente aos holofotes para muitos é ganho alguém ir até a frente com um coração duro e repetir uma oração na qual crê que agora faz parte do reino.

    Esses ministérios que pregam esse meio vergonhoso de evangelização, são os que se preocupam com quantidade de membros, mas sem o arrependimento e a fé, o homem somente será membro de uma denominação e não do corpo de Cristo.

    “Termino com uma reflexão: será que o Todo-Poderoso Espírito Santo precisa que adotemos a mentalidade do “vale tudo” para “salvar pelo menos uma alma” ou será que Ele tem poder suficiente para resgatar uma alma do inferno sem que precisemos prostituir nossos princípios?”

    Pra mim essa frase é mais que uma pergunta é um desafio! Os homens criaram padrões de evangelização conforme suas próprias concupiscências, e se esqueceram que Deus não precisa e nem aceita seus métodos mundanos.

    Hoje poucos produzem teologia, muitos produzem marketing.

    Abração.

  15. Claudio Nossa disse:

    Zágari,

    Fiquei com uma uma dúvida: Você conhece alguma igreja que trabalhe o discipulado como você falou? Não vi isso nem em Atos dos Apóstolos. Ando sem rumo, de verdade. Não tenho resposta para as inquietações. Olha, o G12 até que tentou. Não vejo alguém nos dias de hoje querendo ser discípulo do outro, ao menos dos crentes irrelevantes, dos famosos talvez. O modelo de igreja não trabalha com discipulado como você propõe. Na minha caminhada me espelhei em alguns, na verdade fui motivado, mas nunca fui discipulado, tive até algumas aulas, mas acompanhado nunca. Chega uma época que a gente vai buscando, errando, volta pra palavra, volta pra oração, pro louvor, ouve uma palavra de um, outra de outro e vamos crescendo. Estou vivendo uma crise, não da fé, mas do modelo a ser implantado, a ser perseguido, e isto faz toda diferença. Saber o que, como e quando fazer. A maioria de nós, sejamos francos, somos frequentadores de cultos. E olhe que amo adorar ao Senhor, mas, senão fosse a adoração não teria função. Até a pregação é uma repetição sem fim. A gente só ouve falar de vitória, ainda que velada. E vitória na terra. Você não ouve mais palavras que edificam a sua vida, que ultrapassam a emoção.

    • Conheço, Claudio: a minha.
      .
      Evidentemente há cultos, momentos de expressão coletiva de adoração e de exposição da Palavra.
      Mas a vida da igreja não se fecha no culto. É na companhia uns dos outros que crescemos. E por isso que digo: igrejas têm que ser famílias: gente legal, gente chata, gente mais madura, neófitos…mas todos juntos, crescendo pela convivência.
      Discipulado não é aula. É convivência.
      .
      Por isso que megaigrejas estão fadadas à falência do ponto de vista espiritual: ninguem se conhece. Igreja-show é um modelo acabado.
      .
      O G12 é um erro por muitas razões. Mas neste contexto, porque não há um pastoreio, uma liderança centralizadora. Na minha visão, o ideal é o modelo que Jetro ensinou a Moisés: um líder que lidera lideres de comunhões menores, que por sua vez se subdividem em comunhões menore ainda. Mas não adianta fazer uma “igreja de 12″. Esse grupo tem que sempre se relacionar com os outros grupos.
      .
      Por isso que em certas igreja da minha denominação não há retiros só para jovens ou só para adolescentes ou só para casais. É a familia toda reunida.
      .
      Abraço, no amor de Cristo

  16. Maria Amélia disse:

    Bem, antes de fazer discípulos é necessário pregar o Evangelho. Na verdade o “ide” no original se parece mais com um “indo”, ou seja, enquanto vai, pregue. Pregue enquanto vive no seu dia-a-dia. Pregue depois que pregar e continue pregando. Como posso tentar fazer discípulos sem pregar e como posso fazer discípulos quando não sou, tentando pregar contaminada com o pecado?

  17. Maria Amélia disse:

    Continuando ( apertei sem querer o botão de publicar…), tudo, enfim, deve ser feito para a glória de Deus, e quando tento pregar de uma forma que ofende a Sua santidade, não O estou glorificando. O problema está na motivação, no coração.

    Paz de Cristo, e que Ele nos ajude.

    • Maria,
      se me permite divergir, o problema não está na motivação. Está no mal entendimento bíblico. Pois multidões acham que o “ide” é só “ir e pregar”. Naturalmente é preciso ir e pregar. O problema está em que muitos pensam que uma vez que foram e pregaram…acabou.
      Mas Mt 28 deixa muito claro que esse é só o primeiro passo. É como querer encerrar um jogo de futebol aos 10 minutos do primeiro tempo. Pois depois que se “vai e prega” é preciso formar o discipulo. Instruir. Educar. Fortalecer. Ajudar. E isso é coisa de anos. E mais: formar discipulos que obedeçam.
      Se fosse só pregar…por que Jesus não se entregava aos seus algozes após o Sermão do Monte? Ele já não tinha pregado? Mas não: ele passa três longos anos discipulando 12 homens (e um deles ainda se desencaminhou, hein) para que fossem sólidos na fé antes que Ele pudesse partir e, assim, dessem continuidade à tarefa de proclamar o Evangelho, formndo novos discípulos. Uma igreja, amada, não é formada de convertidos, mas de convertidos discipulados. Há uma enorme diferença.
      Assim, achar que o “ide” é só “ir e pregar” é um perigoso reducionismo que limita a ação da Igreja e ajuda a formar crentes flácidos, despreparados e que não compreendem o Evangelho.
      Deus a abençoe!

      • Maria Amélia disse:

        Eu concordei com tudo que você escreveu, Maurício, lá no início, só dei um pequeno complemento dizendo que pra fazer discípulos, deve-se pregar o Evangelho, e que pregar o Evangelho é muito mais do que uma pequena mensagem aos domingos ou em um evento gospel. É no dia-a-dia. Depois que pregar continuar pregando é o mesmo que discipular. E dizer que se pode pregar de qualquer jeito para ganhar almas é um equívoco pois não é feito para glória de Deus pois não está de acordo com a Sua santidade. Quando falei que depende do coração e motivação, quis dizer que a motivação dessas pessoas não é pra essa glória, a glória de Deus.
        Acho que não me expressei bem, pois achamos às vezes que os outros sabem o que a gente está pensando, rsrsrs. Só pra deixar mais claro ainda, nunca aprovei esse tipo de “estratégia” de evangelização, o próprio Evangelho, puro e simples, é o poder de Deus pra salvar todo aquele crê.

        Paz, acho que agora fui mais clara.

      • ;-) Tamos juntos!

  18. Lelê (Alessandra) disse:

    Mais um excelente texto Mauricio,
    É isso msm! Os fins não justificam os meios!

    E além do mais temos que nos preocupar com o que está sendo pregado e em que circustância!

    O que falta nas instituições é o verdadeiro envolvimento, onde todos de fato zelam pela qualidade da palavra que é pregada e será desseminada depois disso! Pq depois que falamos algo ela nunca chega ao ouvido do interlocutor exatamente a mesma! E por issso a falta zelo com Deus!

    Não podemos deixar que todos “preguem”da maneira q bem entendem!

    Gostei muito de te ver ontem! Só te ver, pq não tivemos oportunidade de conversar! Mas “conversei” bastante com a Laura! rs

    Bjss nos 3

  19. Ree disse:

    Os comentários mostram como um bom texto mexe c/ a gente, sacode, faz pensar e desejar conhecer profundamente a Palavra.

    Acertou o alvo. Manda mais :)

  20. Aline Avelar disse:

    É Maurício, definitivamente não vale tudo para ganhar almas.
    A realidade é que com tantos meios que a igreja tem arranjado, o que menos tem acontecido realmente é ganhar almas. Testemunho todos os dias pessoas indo à frente e saindo depois porque acham que não há diferença entre a Igreja e o mundo :/
    Reconheço que eu preciso melhorar tanto, porque minha tendência é desânimo total, dá uma tristeza imensa quando vejo essas coisas.
    Sou de uma grande igreja que pretende ser maior ainda, adota G12, é cheia de confissão positiva e etc. Só recentemente descobri tudo isso porque eu era ignorante, não sabia dar nome as bois.
    Uma vez li você falando sobre os membros votarem com os pés.
    Às vezes tenho vontade de ir pra uma igreja menor, não sei, mas já fui de uma igreja pequena em que havia muitas panelinhas, e como sou um pouco tímida tinha vergonha de ir em alguma das rodinhas conversar com os irmãos no fim do culto.
    Participo de uma célula e minha líder é muito de Deus mas a célula está morrendo, não há união, não há um interesse comum de crescer no conhecimento de Deus.
    Já ouvi de tudo, que não existe Igreja perfeita e que se formos pra lá vai deixar de ser rsrs, isso é até verdade, mas acho que tem coisas em que a igreja NÃO PODE ERRAR. Não sei se penso errado, mas por exemplo, se a doutrina de uma igreja está errada, tudo o mais estará. Errada no que cerne a heresias e afins, não a discordâncias teológicas. Se bem que estou vivendo um momento de questionar cada pequena área da minha vida, então talvez eu esteja com pensamentos revolucionários demais. O fato é que às vezes me dá uma vontade imensa de mudar de igreja. Alguns vem com aquela história de frutifique onde Deus te plantou, mas está difícil. Confesso que às vezes não tenho motivação pra ir aos cultos, sei que está errado, mas tem sido assim.
    Só o Senhor pra me ajudar, vou continuar orando.
    Que Deus continue te abençoando e te inundando com a Paz que excede todo o entendimento.

    • Aline, querida irmã,
      .
      a Igreja sempre errou e sempre continuará errando, infelizmente, por ser formada de pessoas errantes. Mesmo assim, temos de buscar uma familia de fé onde vivamos uma fé viva e eficaz.
      .
      G12? Confissão Positiva? Sem meias-palavras: mude de igreja. Essa deixou de ser Igreja. Mude ontem.
      .
      Deus te abençoe.

      • Ree disse:

        Com relação a esse assunto colocado por algumas pessoas (G12, confissão positiva, prosperidade como foco etc), vi agora esse vídeo [http://vimeo.com/34608207] divulgado por um pastor em seu blog.

        As declarações dos ‘jovens’ que participam do vídeo acerca da condição ‘financeira’ e/ou social de Jesus deixam bem claro que eles não seguem Evangelho de Jesus algum, mas se apropriam de algumas coisas que interessam, distorcem outras e por aí vai.

        A-ná-te-ma. Sem temor algum de Deus!

        Bjs

      • Mauricio Zágari,

        Me desculpe a ignorância, mas não conheço como funciona o G12, poderia me explicar ou até mesmo um post sobre o tema?

        Na igreja que congrego ouvi dizer que tem projeto para implantação de igreja em grupo (ou células). É a mesma coisa que o G12?

        Deus te abençõe.

      • Pedro,
        vc pode saber tudo sobre o heretico G12 neste site do Instituto Cristão de Pesquisas (ICP):
        http://solascriptura-tt.org/Seitas/Pentecostalismo/QEstaAtrasG-12.G12.GrupoDoze-MBasilio.htm
        .
        Igreja em células é modelo G12. Igreja com células não necessariamente. Minha igreja, por exemplo, tem grupos pequenos, que facilitam a comunhão dos irmãos e isso é muito bom. Mas igrejas em células é um perigo. Procure ver bem qual modelo sua igreja vai adotar.
        .
        Abração, na paz.

      • Mauricio Zágari,

        Eu solicitei o estatuto da igreja onde congrego, por e-mail à secretaria (ainda não me enviaram). É correto um membro ter direito ao estatudo da igreja?

        Me desculpe estar fora do tema e por não perguntar direto na igreja onde congrego.

        Deus te abençõe.

      • Desculpe, querido, não sei te responder isso.
        Mas não vejo pq um membro não poderia ter acesso ao estatuto da sua igreja.
        Paz.

  21. Aline Avelar disse:

    Maurício, não sei se postei um comentário aqui,eu estou até ficando tan tan de tanto desespero, se eu não tiver postado, eu queria saber mais sobre o G12, eu estou desesperada, a acusação que você faz é muito forte e tenho certeza que você não diria se não conhecesse, já até falei com minha líder. Me ajude por favor, eu não sei o que pensar. Vou dizer o nome da minha igreja: é a Batista da Lagoinha, e pelo que li sobre a confissão positiva está lá sim, porque um dos pastores principais se formou no seminário do Kenneth, e fez um seminário com as matérias iguais praticamente lá na Igreja. Vou continuar orando, mas por favor me ajude, se o que você está falando é verdade eu quero seguir, mas me ajude por favor.
    Obrigada
    Deus continue abençoando

  22. ANDREI NELSON disse:

    EU PRECISO DIZER UMA COISA ????? PORQUE TEMOS QUE IR EM IGREJAS ?????? SE U POSSO ACREDITAR EM ‘”DEUS”” EM MEU PRÓPRIO LAR , HOJE EM DIA , IR PRAS IGREJAS É SÓ PRA SUSTENTAR OS “”PASTORES”” OU OS PADRES”” !!!! EU NÃO TENHO RELIGIÃO NENHUMA , MAS ACREDITO 100% EM DEUS E EM JESUS CRISTO , NOSSO SALVADOR !!! TO CERTO OU ESTOU ERRADO MAURICIO ??????? :-)

    • Tá errado, Andrei.
      .
      O Cristianismo não é uma religião individualista. É uma religião para se viver em coletividade. Onde um ajuda o outro, corrige, exorta, ampara, sorri com quem sorri e chora com quem chora. Se você ler 1 Coríntios 12 terá uma percepção bem clara da necessidade de estarmos ligados a um só corpo. Pois uma mão decepada do corpo é uma aberração, não é uma entidade que subsista por si só. Além disso, o mesmo capítulo fala dos dons. Se não fosse para vivermos a fé em comunidade, para que haveria dons? Para que dons de curar se não haja quem seja curado? Para que profecia sem ter para quem profetizar? Por que Deus daria uns para Mestres sem ter a quem ensinar? E por aí vai. Como vc percebe, Jesus preparou os que o amam para viverem em união (Sl 133), na edificação, na exortação e no amor.
      .
      Jesus sempre promoveu a comunhão. Havia 120 no cenáculo em pentecostes. A igreja sempre se reuniu. Cristianismo sem coletividade é outra coisa qualquer, menos Cristianismo.
      .
      E por que ir à igreja? Bem, para que um carro vai a um posto de gasolina? Para se abastecer da Palavra pregada, para orar pelos irmãos, para ajudar os que estão tristes, para ensinar e aprender, para trabalhar em alguma atividade que venha a glorificar Deus, para expressar uma adoração de forma coletiva, em congregação, como sempre o povo de Deus fez desde os tempo de Abraão, entre outros. Lhe soam como boas razões?
      .
      E vc não vai à igreja pra “sustentar pastores ou padres”. Querido, os sacerdotes não são seus inimigos, se são homens de Deus. E há muitos deles. Há milhares de pastores sérios por esse mundo que não são charlatóes, que devotam-se à causa do Evangelho a custa de muito sacrificio pessoal. Conheço sacerdotes que já pegaram malaria 7 vezes para cuidar de igrejas junto aos indios da Amazônia. Lá em Efésios 4.11 fica claro que Deus preparou pessoas para serem pastores, para orientarem e guiarem espiritualmente seu povo. São pessoas escolhidas e capacitadas por Deus para isso.
      .
      E se você é contra o sustento financeiro dos líderes espirituais que dedicam-se em tempo integral à obra de Deus, copio abaixo um estudo interessante e esclarecedor sobre o assunto que mostra que sim, é bíblico sustentarmos os nossos pastores, retirado do website http://www.palavraprudente.com.br/estudos/steve_h/micelanea/cap08.html
      Espero que isso acalme teu coração quanto a essas questões, Andrei.
      Deus te abençoe.

      SUSTENTO DOS MINISTROS DA IGREJA

      A. Paulo optou não usar o direito de receber ofertas pelo serviço que prestou às igrejas como missionário. I Co 9.12.

      1. Nesta passagem, Paulo defende seu apostolado que alguns tinham colocado em dúvida. Ele não recebia sustento regular, como salário, das igrejas novas onde ele trabalhava. Por isso, pensavam que não era um verdadeiro Apóstolo. Os outros Apóstolos evidentemente recebiam sustento financeiro!

      2. Ninguém serve o militar à sua própria custa. I Co 9.7.

      3. Ninguém planta a vinha e não come do seu fruto. Idem.

      4. Ninguém apascenta o gado sem tomar o leite! Idem.

      5. A lei também ensina esta verdade. I Co 9.8-10. O boi que trabalha merece comer.

      B. O ministro tem direito de receber seu salário. Paulo disse que outros usavam “deste poder” sobre a igreja. I Co 9.12. A palavra “poder” quer dizer direito. O ministro tem direito de receber salário ou dinheiro pelo serviço à igreja. Ele dá coisas espirituais e deve receber coisas materiais. I Co. 9.11.

      1. “Digno é o operário do seu alimento.” Mt 10.10; Pr 27.18.

      2. Como o sacerdote no Velho Testamento foi sustentado pelo altar, assim o pregador é sustentado pelo evangelho. I Co 9.14.

      C. O pastor é responsável pelo ensino da Bíblia na igreja.

      1. Ef 4.11 mostra que o “pastor e doutor” é um dom de Cristo à sua igreja. Doutor é quem ensina!

      2. O pastor deve ser “apto para ensinar.” I Tm 3.2.

      3. Quem ensina deve ser pago pelos alunos. Gl 6.6. “E o que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui.” Mais claro não pode ser!

      D. Paulo deixou de receber um salário para não colocar uma pedra de tropeço no caminho dos gentios.

      1. Seu galardão era pregar de graça. I Co 9.18.

      2. Paulo não foi pesado para ninguém. I Ts 2.9.

      3. Trabalhou dia e noite para não ser pesado para nenhum irmão. II Ts 3.8-9.

      4. Tinha direito para receber salario, mas não o recebeu. Quis dar um bom exemplo para os outros. “Se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” Vs 10.

      E. Paulo trabalhou para seu próprio sustento, mas aceitou ofertas também. At 20.33-35;18.3.

      1. A igreja em Filipos ajudou Paulo quando estava na prisão em Roma. Fp 2.25; 4.18.

      2. Deu lhe apoio financeira mais que uma vez. Fp 4.16.

      3. É bom ajudar um pregador. Versiculo 14.

      4. As necessidades da igreja que ajuda o pregador serão supridas. Fp 4.19.

      5. Paulo quis que os irmãos em Roma o ajudassem viajar para outros lugares depois da sua visita lá. Rm 15.24. Ele disse: “E que para lá seja encaminhado por vós.”

      6. Atos 15.3 A igreja ajudou os irmãos viajar. Foram “acompanhados” pela igreja, isto é, ajudados na sua viagem.

      F. Havia alguns que não queriam ajudar o pregador. 3 Jo 9-10.

      1. Eles não pediram nada de ninguém para pregar o evangelho. Não receberam nada dos gentios, vs. 7.

      2. Um ditador na igreja não os recebia e proibiu os outros de recebê-los. Isto é pecado.

      G. O pastor que trabalha na palavra e na doutrina é digno de salário dobrado! I Tm 5.17-18.

      1. O versículo que segue menciona o boi que debulha, como em I Co. 9.

      2. Também está escrito sobre este assunto, “Digno é o obreiro do seu salário.”

      H. Pastores não devem ser cobiçosos. I Pedro 5.2. Torpe ganância é ilícita. Não convém o homem de Deus ficar correndo atrás negócios para ficar rico! Deve aprender ficar satisfeito com que Deus lhe dá.

      • marcojuric disse:

        Bom dia Zágari!

        Muito bem embasada sua resposta. Fico muito alegre ao ver pessoas como você que se esmera no estudo, e por que não dizer, ao ensino. Tenho aprendido muito com seus textos.
        Mas agora lhe pergunto:
        1-Quem são os obreiros dignos do seu salário?
        2-Já que você mencionou o VT, toda a tribo de Levi recebia por seu trabalho na Tenda da Congregação, e o sacerdote recebia o dízimo dos dízimos. Mas parece que a prática corrente, e que não é de hoje, é que só o sacerdote recebe por seu trabalho. Como você vê esse cenário?
        3-Será que tanto êxodo de “levitas” não se dá pelo mesmo que em Neemias 13:10?

        God bless you!

        Marco Tullio

      • Marco,
        meu entendimento:
        1 – Aqueles que dedicam suas vidas integralmente à proclamação do Evangelho ao cuidado com o rebanho.
        2 – Vejo que hoje não há mais uma tribo inteira se dedicando ao serviço no templo. Na minha igreja, por exemplo, analogicamente, a “tribo de Levi” resume-se a 3 pastores de tempo integral. Logo, os três recebem um salário. O Pastor presidente recebe um salário maior, dada a sua responsabilidade ser maior. Afinal, os “levitas” (metaforicamente) também precisam comer, pagar aluguel, pôr os filhos na escola etc. Deus cuidaria de quem cuida do seu povo no AT mas na Nova Aliança desampararia os que o fazem? Não creio.
        3 – Eu suponho que os levitas de Neemias 13:10 não voltaram a suas terras por birra, mas para ter como se sustentar. Se não recebiam o dizimo, como sobreviveriam? Tinham de comer, afinal. E confesso que não sei se entendi muito bem o que vc chamou de “tanto êxodo de “levitas” na sua pergunta.
        Abração, na paz dEle.

      • marcojuric disse:

        Caro Zágari,
        Estou plenamente de acordo que os que se dedicam integralmente ao ministério devem receber o seu sustento do próprio ministério. E também não acho que os levitas estavam de birra. Acho mesmo que era falta de grana/sustento.
        Pra mim, levitas são os do VT, ou seja, todos aqueles que trabalhavam no serviço da tenda da congregação.
        Fazendo uma analogia para os dias de hoje (para mim um equívoco contextual), todos que se dedicam aos vários setores das igrejas, independentemente da carga horária.
        Não quero com isso dizer que todos que hoje trabalham em algum setor da igreja necessariamente precisam receber salário ou algum tipo de ajuda de custo. Mas, existem casos e casos.
        Quando eu disse “êxodo de levitas” estava me referindo somente aos músicos e cantores que, assim como atletas, principalmente de futebol, na maioria esmagadora dos casos, trabalham nos finais de semana e em horário noturno. Por isso, muitas vezes ficam impossibilitados de estar nos cultos(tocando). Por vezes esses profissionais sofrem uma “pressãozinha” da liderança da igreja para estarem nos cultos(tocando), e não poucas vezes ouvem aqueles velhos argumentos: “domingo é o dia do Senhor” ou “quem toca na igreja não pode tocar no “mundo”(essa é pior ainda)”, e por aí vai. Mas essa “pressãozinha” não parece acontecer quando um obreiro é um médico, delegado, bombeiro, policial etc e tem um plantão ou está em escala no trabalho secular.
        Aí quando uma outra igreja ou trabalho secular oferece uma ajuda de custo ou um salário para um músico ou cantor, e ele aceita, então não poderá estar mais na sua igreja de origem, pois vai tocar em outra e receber por isso, pois também precisa comer, pagar aluguel, pôr os filhos na escola etc.
        Obs.:Só pra esclarecer e pra dizer que não estou puxando a “brasa para minha sardinha”: Sou Bibliotecário pós-graduado com 28 anos como funcionário da União, não recebendo e não necessitando receber nenhuma ajuda de custo ou salário de empresas ou da igreja onde congrego por mais de 20 anos, e onde também atuo como músico, e isso faço com amor e por amor a Deus.

        Grande abraço!
        Godbless you!!

        Marco Tullio

      • Marco,
        eu divirjo de você sobre a remuneração dos que não se dedicam integralmente à igreja, pois esses têm como se sustentar em outros empregos. Os levitas do AT tinham dedicação integral. Então em minha visão só os de dedicação integral deveriam receber salário.
        Claro que há casos e casos. O operador da mesa de som da minha igreja recebe uma ajuda de custo, pois não se trata de um ministério, é um trabalho técnico e o cara tem que estar lá 10h, 17h e 19h.
        Já entre os músicos ninguem ganha nada, pois aí estamos falando de adoração ao Senhor. Ser pago para fazer isso eu considero uma agressão às Escrituras. Nós louvamos Deus por amor e não por dinheiro. Sou radicalmente contra músicos rceberem para tocar em suas igrejas locais. Essa coisa de “ministro de louvor” como se fosse um emprego eu abomino. Se o cara mora longe e precisa ir de carro pra transportar o instrumento eu até entendo que se pague a gasolina e tal. Mas receber salário para tocar em cultos ao Senhor em minha opinião é abominação.
        E, bem, eu tenho que dizer que não acho que o argumento de que “domingo é o dia do Senhor” seja uma deculpa. Simplesmente pq é verdade! Tem uma história ótima sobre isso que o cantor João Alexandre contou no Congresso da Editora Vida Nova, que gravei e pus na web. Escuta só (e depois ainda aproveita e curte o som): http://www.youtube.com/watch?v=dicjVGXog-s&list=UULUUwavRYLtS__HFQDPCaVQ&index=8&feature=plcp
        E, sinceramente, o musico deixar de tocar na igreja em que é membro para ir a outra só porque lá vão pagar a ele eu considero uma ofensa. Marco, não são aquelas duas horinhas numa semana de tantas horas que vão matar aquele musico de fome. Ele tem outras 6 noites na semana e todos os dias para tocar em função de dinheiro. E aí ele se vende naquelas únicas duas horas que tem para tocar na sua familia de fé? Sou contra.
        .
        Deus te abençoe!

      • Marco Juric disse:

        Oi Zágari!
        Concordo com praticamente tudo que você disse.
        Certamente não construí minha resposta anterior de forma esclarecedora.
        Na verdade não sou exatamente à favor da remuneração dos músicos ou de qualquer outro obreiro que não se dedique em tempo integral.
        Divirjo de você sobre remunerar o operador do som e dele desempenhar “apenas”(grifo meu) um trabalho técnico. Para mim ele faz mais que oprar o som; ele participa do grupo de louvor e de todo o culto.
        Na minha igreja todos os operadores, músicos, cantores etc somos membros da igreja, logo não vejo distinção quanto ao trabalho (enquanto trabalho em equipe) que desempenhamos, ou por outra, são todos membros trabalhando na mesma obra. Também em nossa igreja vários de nós, a maioria músicos, já ficamos por mais de um ano, trabalhando em quatro cultos consecutivos aos domingos, e mais os das segundas e quartas. Ou seja, só aos domingos eram cerca de 8 horas de dedicação à obra, bem mais que duas horinhas. Não digo que a liderança era contra a dar uma ajuda de custo aos que se dedicavam com fidelidade e amor, mas também nunca ofereceram. Não que isso tenha criado algum tipo de animosidade de nossa parte, muito pelo contrário, sempre, e até hoje, nos esforçamos para dar o nosso melhor.
        No meu entendimento um operador de som não difere em nada de um músico, cator, porteiro, diácono etc(exceto os pastores. Por que praticamente todos têm esse título se nem todos têm esse dom?). Se operador recebe, por que um músico não receberia(música também é um trabalho técnico)?
        Quanto ao dia do Senhor, bem, ele é o mesmo para todos os cristãos que precisam trabalhar aos domingos: médicos, policiais, bombeiros, músicos, cantores, caixa de supermercado, balconistas, atletas etc, e nem por isso deixam de trabalhar aos domingos. Não estou dizendo que não temos que guardar o dia do Senhor, mas há casos e casos, e não devemos ser legalistas.
        O João Alexandre disse que o Alex Acuña tinha sido “contratado para trabalhar em uma igreja”. Contrato sugere um documento regendo um trabalho e, por analogia, supõe uma remuneração.
        Carinhoso é uma linda música com uma linda letra; uma obra prima do Pixinguinha. Mas para alguns conservadores, tocar Pixinguinha em um evento evangélico é uma heresia rsssssss(pra mim não).
        Quando me referi ao músico receber ajuda de custo ou salário, me referia ao músico profissional (como médicos, policiais etc) que precisam cumprir com suas obrigações: trabalho secular. Se um pastor/lider quer aquele músico tocando na igreja, acho natural que uma oferta de trabalho para o músico, e que ele passe a ser um funcionário da igreja, e por isso receba salário.
        Zágari, por favor me perdoe o alongar de minhas palavras.

        Grande abraço!

        God bless you!

        Marco Tullio

      • Marco,
        são questões a serem ponderadas e discutidas, há muitas nuances e argumentos.
        No frigir dos ovos, o que me consola é que quando estivermos no Céu louvando o Senhor dia e noite junto com os santos anjos poderemos dizer “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos exércitos, o Céu e a Terra estão cheios da Sua glória”…sem precisar receber um tostão por isso. Será lindo, cara.
        Um abraço bem forte, na paz do Onipotente.

      • Marco Juric disse:

        Amém Zágari!!!!!!!!

        Grande abraço!

        God bless you!!

        Marco Tullio

  23. Diana luna disse:

    Entendendo esse assunto dessa maneira, será mais difícil encontrar quem esteja disposto a tal coisa. Visto que o nível de responsabilidade é bem maior. Minha pergunta é: Todo cristão maduro é um discipulador ou essa tarefa cabe apenas ao líder da comunidade?
    Com Deus meu irmão.

  24. Joel Lima disse:

    Paz! Parabéns mais uma vez por seu post, gostei muito mesmo… acredito q estamos vivendo dias onde o amor de muitos está se esfriando e um destes motivos tem sido estes últimos fatos onde a igreja está se tornando uma babilônia, já não importa para onde o homem se dirija em busca de prazeres, no poder, na riqueza ou em qualquer outra coisa, ele será frustado nesta procura. Estou convencido de que não temos a menor ideia do que significa para o espírito Santo habitar dentro de nós. Se soubéssemos como seríamos pessoas humildes, como iriamos aborrecer o pecado, seríamos rápidos em nos esquivar até das formas mais sutis do mal…

    “O que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus” Miqueias6:8

    Deus o abençoe abundantemente.

    • Joel Lima disse:

      você não me respondeu por acaso não está aparecendo meu comentário…
      Paz!

      • Mano,
        eu aprovei seu comentário, ele está lá, basta vc procurar. Não respondi pq na verdade vc expôs uma visão clara e creio que o que vc disse fala por si mesmo. Se eu fosse comentar diria apenas: AMEM! rsrs
        Paz, meu querido!

  25. Rod disse:

    Olá Maurício,
    artigo interessante, ao lê-lo me veio a memória as inúmeras vezes que fui coagido com “propósitos” de pulpo do tipo “vc que vai trazer 100, 50, 10, 5 almas semana que vem, vamos fazer isso ou aquilo…” ou “ganhar almas é um mandamento do Senhor!” ou seja, se você é um membro dessas igrejas malucas, há uma obrigação de ganhar almas para a igreja e um compromisso imposto ao membro, para mim o que rola é que ao final a maioria que não cumpre tal propósito fica com um sentimento de frustração e rejeição sem falar das chances de você ser visto como um peso morto pelo clero. Lembrei-me também das vezes q ía a um grupo de jovens e os “bons” faziam verdadeiros arrastões pelos bairros da cidade, traziam centenas de jovens, quem cumpria o objetivo era visto como pessoas de fé, santas, era a conquista de um status para almejar subir na hierarquia. Qto ao resultado da “colheita” das centenas de “almas”, metade comparecia até a segunda semana, nem um terço um mês depois e após seis meses, se sobrasse 1 ou 2 era muito. Discipulado? Nessa época nem suspeitava que isso existia.
    O freakshow gospel é impressionante, a idéia de um prostíbulo gospel não me assuta nenhum um pouco, não que aprove a idéia mas as vezes sinto que voltamos a um período pré-medieval.
    Essa idéia maluca de ganhar almas a todo custo gera coisas desse tipo aqui http://www.youtube.com/watch?v=c8oHt83AJTQ bom… vou parar meu comentário por aqui.
    Pra relaxar, vamos de Tim Maia, recomendo essa música aqui, http://www.youtube.com/watch?v=r2PxveQoq4E
    Abç!

    • Rod,
      infelizmente é o que acontece.
      O que não podemos deixar ocorrer é perdermos o foco por causa dessas aberrações.
      Nosso papel enquanto Igreja permanece inalterado.
      Deus o abençoe.

  26. Pri disse:

    Maurício,

    Queria te dizer que graças à seu blog, não sou mais uma desingrejada, estou na igreja batista do morumbi, sede de moema.

    Sou nascida em família cristã, frequentei outra igreja desde pequena e saí dela com 18 anos (dez anos atrás) com conhecimento básico da palavra. Hoje, tenho grande dificuldade de interpretar os textos da bíblia e me preocupo com isso, pois sei que é fundamental conhecer a palavra. Diante disso, querendo eu entender melhor a bíblia, gostaria de te pedir uma sugestão, você acha que devo estudar teologia ou existem cursos que não sejam de graduação para quem quer conhecer melhor a bíblia?

    Obrigada,

    Pri.

    • Pri,
      em primeiro lugar, vc não sabe a alegria de saber que vc voltou à comunhão. Isso sim é viver Igreja, com todos os seus defeitos e idiossincrasias. Mas é o modo certo.
      Pelo que vc me falou, seu conhecimento teológico é bem básico. Nesse caso, eu não pensaria de cara numa graduação, mas em cursos sobre os fundamentos da fé, como os que a Sepal oferecem. Ajudam muito. Eu diria para você estudar e ler muito por uns dois anos antes de pensar em ingressar num seminário teológico. Falo como quem fez 2 seminários e lecionou num deles por 9 anos. Vi muita gente crua chegar e não aguentar o ritmo por ter pouco conhecimento do básico. Como estudar Historia da Igreja, por exemplo, alguém que nem entende a divisão de Israel em Reino do Norte e do Sul? Percebe?
      Então meu conselho é que vc faça primeiro cursos panorâmicos, que te deem uma visão geral sobre a Biblia, a Hisoria da Igreja etc, para só depois se aproundar.
      Não tenha pressa. Você tem tempo.
      Espero ter ajudado. Qq coisa, tou aqui.
      Deus a abençoe!

  27. marcojuric disse:

    Fala Zágari,

    Suas argumentações estão mesmo embasadas e é também no que creio.
    Mas me permita uma colocação:
    Acho que podemos até dizer que os “shows gospel” não ganham almas, necessariamente ou por consequência. Mas também acho que não podemos afirmar que não ganham.
    Minha colocação se baseia na parábola do semeador, onde poderíamos fazer uma analogia (sem entrar no mérito Jesus e os “artistas”) entre Jesus no barco e uma multidão na praia com os “shows gospel” ou cruzadas evangelísticas.
    Na verdade uma multidão, lá e cá, estavam desejando ouvir alguma coisa. Se o que foi falado caiu à beira, nas pedras, nos espinhos ou em terra fértil, isso só Deus o sabe ou o tempo revelará.
    Acho que os grandes eventos como cruzadas e shows são muito válidos para pregação da Palavra de Deus, mas como a própria Palavra de Deus nos diz, o joio cresce com o trigo. O tempo fará a distinção.
    Um “show gospel” não é nenhuma heresia ou anátema, necessariamente.

    God bless you!

    Marco Tullio

    • Marco,
      Esperemos 20 anos e vejamos onde estarão os frutos desse evento. Aí voltamos a essa conversa, combinado? rs
      Até lá, só o Onisciente sabe. Pelas contas de Billy Graham, 97% dos que “aceitaram Jesus” ali vão apostatar. É esperar e ver quem vai ouvir “entra, servo bom e fiel”. Até lá, prefiro me manter afastado das inovações globais e praticar o bom e velho evangelismo corpo a corpo, seguido de um discipulado dedicado. Que funcionou muito bem por 2 mil anos.
      Deus te abençoe.

      • marcojuric disse:

        Mas o bom e velho evangelismo nunca ficou restrito ao corpo a corpo, vide os sermões de Jesus e as pregações de Paulo, Pedro e outros.
        Não defendo mega eventos por achar que têm maior alcance em suas práticas, e que por isso muitas almas serão ganhas.
        Defendo a pregação da genuína Palavra de Deus, seja em em templos ou fora deles. Num simples ar livre com meia dúzia de cristãos ou em um mega evento.
        Deus conhece nossos corações e nossas intenções, e não será por maus exemplos ou maus testemunhos que enterraremos nossos talentos.
        Certamente Deus não precisa de mega eventos para se fazer ouvir, mas também pode nos capacitar e nos instruir para utilizar mega eventos para pregar sua Palavra.

        obs.:minha opinião particular é que muuuuuitos dos ditos crentes/gospel (e aí me refiro aos que estão nas mídias e as próprias mídias ditas gospel) estão caindo na ganância; numa ciranda puramente comercial/econômica.

        God bless you!

        Marco Tullio

      • Marco,
        se vc examinar bem as Escrituras verá que Jesus nunca organizou grandes aglomerações. Mas as multidões o seguiam, o que ele podia fazer. Leia o Sermão do Monte e outras passagens e vc verá que Jesus nunca pediu que as multidões se reunissem para ouvi-lo. Mas era tanta gente em volta que ele tinha, às vezes, que subir em barcos para conseguir falar a todos. Jesus pregou para multidões sempre por iniciativa das multidões e não dEle. Leia bem os textos e vc verá.
        .
        Paulo já pregou num outro contexto. Como ele pregava para os gentios, foi a lugares onde era habito falar em areópagos para muita gente (vide em Atenas). Então ele apenas cumpriu rituais culturais de sua época: ir ao ágora de cada cidade heleênica ou sob influência helênica e fazer o que todos faziam.
        .
        Já Pedro falou à multidão em pentecostes porque eles tb se reuniram espontaneamente para ver aquele estranho fenômeno que ocorreu.
        .
        O ponto aqui, amado, é que nunca vc vê a iniciativa de juntar multidões na Igreja apostólica. Sempre havia um contexto em que o povo já estava aglutinado. Poderíamos pegar muitos exemplos contrários, como Jesus e os dois discípulos de Emaús, Estevão e o Eunuco, Pedro na casa de Cornélio e aí vai.
        .
        Deus o abençoe

      • marcojuric disse:

        Estimado Zágari,

        Tenho procurado examinar bem as Escrituras, e acho que entendo perfeitamente o seu ponto de vista sobre os mega eventos; “show business”(grifo meu).
        Certamente Jesus não organizava grandes aglomerações, mas elas aconteciam.
        Paulo na ágora pode ser comparado como um “ar livre” nos dias de hoje.
        Lhe pergunto: Seguindo sua linha de raciocínio (Paulo e Pedro em espaços públicos), se um cristão, obreiro, pastor, alguma denominação ou algum grupo musical cristão parar em uma área pública ou privada para pregar a Palavra de Deus ou montar uma estrutura de evento com o mesmo objetivo(obviamente tudo autorizado pelas autoridades), sem fazer qualquer propaganda ou divulgação e sem envolvimentos comerciais(lucro financeiro dos próprios ou de outros), e ali afluir uma multidão dando forma de um mega evento, isso poderia alcaçar de forma mais eficaz o propósito de ganhar almas, assim como aconteceu com Paulo e Pedro?
        Obs.:Eu também tenho minhas críticas, principalmente em relação aos eventos, grupos e cantores gospel. Pra mim a coisa descambou muito para o comércio; para o lucro financeiro. Isso destoa do Evangelho.

        p.s. as vezes me pergunto se minhas considerações racionais e/ou filosóficas não estão atrapalhando o seu blog. Gostaria de trocar e-mail para não atrapalhar.

        God bless you!

        Marco Tullio

      • Marco,
        vc jamais atrapalha meu blog. Enquanto os dialogos são feitos com educação e espirito cristão é bom que conversemos em forum aberto, para que o que falamos possa abençoar outros. Vc é um querido e, por mais que por vezes suas opiniões possam divergir das minhas, jamais eu destrataria vc ou desqualificaria nossa troca de visões. Dessa dialética muita coisa boa pode surgir.
        Sobre seu questionamento, posso te responder: não faço a minima ideia.
        Por uma simples razão, Marco: quem estende a graça salvífica aos perdidos é o Espirito de Deus, mediante uma explanação clara das Escrituras. Veja o caso do Eunuco etiope. Ele lia, mas nao compreendia. Se o que houver num evento publico for uma proclamação clara do Evangelho é natural que vidas sejam tocadas. Mas a grande questão, e parece que é isso que as pessoas não entendem, é que esse é somente o primeiro passo de uma grande jornada, de discipulado, aprendizado, crescimento, comunhão. Um apelo não faz um cristão.
        Billy Graham afirmou que 97% dos que “aceitaram Jesus” em suas cruzadas em toda sua vida apostataram da fé. Que aterrador! Não seria melhor investir os recursos desses grandes eventos no preparo das pessoas, para que elas saibam evangelizar e discipular melhor? Em cursos bíblicos que de fato ensinem as Escrituras?
        E, afinal de contas, pq fazer da proclamação do Evangelho algo grandioso e megalômano se essa jamais foi a proposta de Cristo? Eu não consigo entender essa tara dos evangélicos por grandes eventos, grandes concentrações, grandes isso, grandes aquilo! Meu Deus, que mal há em se proclamar para o vizinho, o colega de trabalho, o primo? Pelo meu evangelismo pessoal 12 pessoas da minha familia foram conduzidas a Cristo. E nenhuma se perdeu! Uma taxa de 100% de sucesso! Por que então essa obsessão por grandes concentrações? Sabe o que eu acho? Muitos têm vergonha de pregar Cristo e preferem deixar isso nas mãos de outros. E há os que só querem festa mesmo.
        Então, eu não sei, Marco, se a coisa for espontânea se será mais bíblico. O que sei é que é um modelo desnecessário, supervalorizado acima do que merece e com uma taxa de sucesso pífia.
        Quer ver uma coisa: faça uma pesquisa na sua igreja quantos foram convertidos mediante um convite pessoal de alguem e quantos foram convertidos em megaeventos. A resposta te esclarecerá muito.
        Abraço, querido, na paz de Cristo.

      • Marco Juric disse:

        Zágari,
        perfeito em suas considerações. O ser tocado em em evento público de qualquer magnitude ou mesmo em um evangelismo pessoal é mesmo o primeiro passo e, somente o Espírito Santo é quem pode convencer o pecador.

        God bless you!

  28. Andréia Franco disse:

    Parabéns Zágari!!!

    Ótimo artigo, vc sempre me abençoa!!!

    Abração,
    Andréia Franco.

  29. Eliana disse:

    Mto edificada com a leitura do texto e tbm dos comentários. Obrigada, Maurício, Deus o abençoe.

  30. Duda disse:

    Zágari,

    A igreja da qual sou membro junto com meu esposo, aderiu ao modelo celular ano passado e, sinceramente, não estamos gostando.
    Quando surgiu o G12 na década de 90, eu era uma grande crítica e nunca imaginei que faria parte de uma igreja em células que não é G12, mas pelo que já li, os métodos são muito parecidos.
    Se possível, gostaria de conversar com você por e-mail sobre a situação.

    • Vou te enviar um email e vc responde, ok?
      Deus a abençoe.

      • Sara disse:

        Irmão eu quando vou passeando na palavra de Deus a bíblia,eu vejo que Jesus na sua palavra ele fala que não veio para os sãos,e sim para os doentes pois eles que necessitam de cura e salvação,e quando vou mais fundo,Jesus participava,de jantares,e festa,foi ate em prostibulos, com pessoas que não eram Cristão mas ele estava ali,mostrando a sua obra,quantos ouviam Jesus e.Paulo ele si fez de louco pra confundir os tolos,temos que ser cristãos com temperança e Deus nos deu armas e ferramentas e si ele me chamar pra pregar num buteco,me santificando,sendo luz,sendo o sal no mundo creio que a minha parte eu fiz,pois quem convence não é homem mas sim o espirito santo,somos ferramentas de Deus.E creio que os missionarios,seja na Africa,na rua,em qualquer lugar precisam de um missionario lá,nas baladas,quem foi do mundo como já fui voce nao tem ideia como essas pessoas sao escravas e vazias,nao vamos fazer o que eles fazem mas vamos ser luz,sabedoria,queremos salvar os doentes e não os sãos,Jesus está voltando um dia voce vai entender o que é um chamado na area de missões urbanas,igreja não sao 4 paredes,igreja somos nós,está cheio de Jonas fugindo do seu chamado sendo engolido por baleias,eu nao posso fugir do meu chamado!Ok…essa é a ,minha opinião.

  31. maristela disse:

    JÓIA ESSE ARTIGO, EU MUITAS VEZES JÁ ME SENTI MAL POR NUNCA TER GANHO ALMAS PARA JESUS MAS JÁ FIZ OUTRAS COISAS PARA AJUDAR O MEU PRÓXIMO E SEMPRE QUE TENHO A OPORTUNIDADE PLANTO A SEMENTINHA NO CORAÇÃO DE QUEM PRECISA, ACREDITO QUE ISSO TAMBÉM AGRADA A DEUS.

  32. Michelle disse:

    Dou graças a Deus por perceber que a nossa geração não está “perdida”, tem muita gente por aí engajada em falar do evangelho, sem firulas e principalmente genuíno. Que Deus continue te capacitando, a trazer estas reflexões que, assim como tem abençoado minha vida, certamente abençoa outras. Paz!

  33. Rafael Alvarenga Cândido disse:

    Querido, é muito bom ler seus textos, graças a eles, tenho tido mais vontade de ler a Bíblia, lendo livros como “O Fim de uma Era”, tenho investido tempo no meu devocional, e as mudanças são nítidas. Saiba que o irmão tem me abençoado grandemente com seus textos. Tenho apenas uma pergunta, vejo que o irmão tem certa aversão a igreja EM células, e faço parte de uma igreja nesse modelo, Quais seriam os pontos negativos de congregar em uma igreja nesses moldes? Abraços querido, e que você continue esse homem, com um coração tão grande. A Paz do nosso Senhor seja contigo!!!

    • Amado Rafael,
      obrigado pelas gentis palavras.
      A bem da verdade, nao tenho aversão a igrejas em células. Eu repudio o modelo em que não há uma liderança central capaz de cercear os abusos. Pois a experiência me mostra que muitos lideres de celulas sao teologicamente despreparados, não têm chamado pastoral, simplesmente estão ali porque eram mais antigos na igreja original ou porque…simplesmente se dispuseram. Mas não é qualquer um que é capaz de dar um estudo, de discipular, de pastorear. Isso vem de um chamado de Deus. E o que tenho visto são legiões de despreparados fazendo isso.
      Respondido?
      Deus o abençoe.

  34. f[[[[ disse:

    Sim amado, e infelizmente devo concordar contigo, a grande maioria são teologicamente despreparados, e se tornam líderes apenas para agradar o pastor. Conversando com alguns irmãos que são líderes percebo o quanto esses carregam um fardo pesado, e acabam se frustrando por não “frutificarem” o quanto são cobrados, por fim, muito desses acabam saindo da igreja. Obrigado querido por me responder. Abraços, Deus o abençoe.

  35. Lourayne Natiely disse:

    Muito ótimo esse texto como sempre, muito abençoador, concordo com você, não basta apenas evangelizar mais sim também discipular, e se Deus diz que precisamos fazer a diferença, como é que dizem que “vale tudo” pra ganhar uma alma, fazendo igual aqueles que estão perdido, desse “vale tudo” é pouco provável sair algo frutífero.
    Post muuito abençoador!
    Deus continue a te usar!
    Abração!

  36. Bianca Dias disse:

    Mauricio, concordo plenamente com você, pois na igreja que congrego vai haver uma festa a fantasia para atraírem os jovens, só que a eu acho errado, pois a igreja não tem que imitar o mundo para atrai-los, não me sinto a vontade de participar de tal evento como esse, nesse aspecto sou um pouco radical não sei se isso é certo, mas meu coração diz que não pelo pouco de Bíblia que conheço, O que você acha?

    A paz!!!

    • Bianca,
      penso que depende da festa. Se for apenas um ambiente de confraternização onde pode ser feita uma integração entre as pessoas, em dado momento o pastor dá uma palavra e o ambiente é saudável e passa um senso para um não cristão de que os cristãos nao são malucos fanáticos, mas que podem viver felizes e de modo saudavel, não vejo pq nao.
      Mas ha festas e festas. Se houver excessos ou se sair da linha de algum modo e escorregar para fora da Bíblia…aí é um problema e não vale a pena comparecer.
      Tudo o que não é de fé é pecado, diz a Palavra. Se você não se sentirá à vontade, não vá. Mas taambém tome cuidado para não se tornar uma opositora que gere murumurações ou contendas por causa disso. Se não concorda procure seu pastor, exponha a ele pq com argumentos bíblicos e de modo educado e simplesmente nao compareça.
      É o que penso.
      .
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  37. Bianca Dias disse:

    Mauricio todos os dias eu leio seu blog e os comentários das pessoas que curtem ele, você é muito sábio, estou impressionada, sou sua fã com todo respeito, me dá uma dica pra chegar perto dessa sabedoria divina, porque mundana não é mesmo… a Pazzz…gostaria muito de vê-lo, costuma participar de algum programa de TV???

    • Bianca, querida irmã,
      obrigado pelas gentis palavras. Fico feliz por meu blog te edificar.
      Não me vejo como tão sábio assim. E, creia, não seja minha fã, seja minha irmã e será muito mais produtivo para ambos, que tal? ;-)
      Não tem dica, querida. Leia, busque, ore, veja o quão imperfeita você é, dependa da graça… o resto é obra de Deus, somos uma barrinho tão frágil, ne?
      Não, eu não vou a programas de TV, não sou ninguém. Mas vc pode ouvir um programa de rádio que locuto (www.mosaicocristao.com.br) e, se desejar, ler meus livrinhos. Ali tem um pouquinho dos meus pensamentos tb. Quatro já foram lançados, o ultimo semana passada (dê uma lida no post “A Verdadeira Vitória do Cristão” ou pelo site http://www.editoraannodomini.com.br/livraria.
      E não pense que eu sou ninguém especial não. Sou tão normalzinho como qualquer um.
      Deus te abençoe, querida, com sua paz e sua doce mão.

      • Bianca Dias disse:

        Desculpe por chama-lo de ídolo, pois só o nosso Deus é que devemos idolatrar não é???, estou tão anestesiada com suas publicações que foi a primeira palavra que veio em mente. Na verdade somos irmãos em Cristo….uma outra coisa que preciso lhe dizer, especial!!! claro que você é, o reino de Deus procura seus verdadeiros adoradores, pelo que tenho lido aqui no seu blog, e com certeza vou ler seus livros você é um verdadeiro adorador e muito especial para o nosso Deus….Chega né rsrsrsrs a honra a glória seja dada ao nosso Deus….e com certeza ele vai te exaltar para a Glória dele….amém.

        A Paz de Cristo….

      • Bianca,
        .
        você é muito gentil, muito mais do que eu mereço.
        Espero que meus livrinhos edifiquem a sua vida!
        .
        Deus te abençoe muito, na paz do Nosso Senhor.

  38. Bianca Dias disse:

    A festa tudo bem o problema é a FANTASIA que eu não consigo entender que seja necessário, pra que?, copiar o mundo para atrair os jovens?, eu achei a resposta para essa minha dúvida quando li a publicação do Vale apena tudo para ganhar almas?? mas talvez esteja sendo muito radical….

    obrigada……

    • Imagina, Bianca.
      Olha, uma sugestão: se você for à festa, vá vestida como a mulher adúltera que Jesus salvou do apedrejamento. Se alguém perguntar “que fantasia é essa” é uma ótima oportunidade de você falar sobre a graça e o perdão de Deus. Melhor do que ir fantasiada de bailarina rsrs, pelo menos alguma utilidade haverá na fantasia.
      Deus a abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  39. Bianca Dias disse:

    excelente idéia vc é demais Mauricio Deus o abençoe kkkkkkkkkkk isso é sério né vc não tá brincando comigo vou mesmo heim!!!!!! kkkkkk

  40. Bianca Dias disse:

    Poxa mas pensando bem logo a mulher adúltera….??????? Mauricio :((((( porque logo essa ?? podia ser madalena né? ou Ana, ou maria mãe de Jesus kkkk

  41. carlinhofogo disse:

    apaz do senhor a todos irmão, de uma coisa eu sei joão 8 32 e conhecereis averdade e a verdade vos libertará e ainda te digo irmão preste atenção no que voce esta falando porque paulo nos ensina que pelo coração nos se- cremos e pela boca se condena cuidado, abri os olhos espirituais
    peça ao senhor que coloque colírio espiritual para que vc enxergue a verdade porque cristo enviou de 2 em 2 para anunciar o cristo que e revelação do espiríto.

    • Querido Carlinhofogo,
      não entendi nada do que você quis dizer, mas obrigado ainda assim pela colaboração.
      Pode deixar, presto muita atenção ao que estou falando.
      Não vou pedir a Deus esse “colírio espiritual” porque nunca vi isso na Bíblia e este blog só expõe as questões de modo bíblico.
      Continue seguindo ao Senhor Jesus e proclamando o Evangelho do modo que Jesus – e não os homens – ensinou.
      .
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão.

  42. carlinhofogo disse:

    apaz do senhor de novo , irmão vamos usar a internet para levar apalavra de deus, não para confundir , o apostolo paulo e claro sobre isso, cristo e o cabeça da igreja, se ele manda amão levantar quem somos nos para abaixala, para com isso leva apalavra de deus vc esta gerendo
    um mal estar, tanto que o irmaozinho aí estar falando até dos homens de deus antes eles ganhando para deus, do que para outros deuses mentirosos, problema deles se eles não ganhar galardão faz sua parte leva a palavra de deus com ousadia, com zelo ,com obediencia ,com consiencia ,que deus irar dizer vinde benditos de meu pai possui por erança que eu vos preparei.

  43. A paz do senhor! Caro Mauricio Zágari,
    Concordo com as palavras de “Carlinho Fogo”. Acho completamente imaturo a forma que muitos cristãos vem julgando uns aos outros. A maneira que muito usam para ganhar almas para Igreja ( balada gospel, Arraial gospel, Festa gospel e outros), são um método completam válido pro reino. As pessoas entram nesse movimento com desejo mundano, porém aos poucos, o espírito renova muitas dessas pessoas, quando abrem seu coração.
    Os exemplos que o senhor utilizou, ao meu ver foram completamente irônicos. “Prostíbulo gospel”, ninguém nunca uniu o “PECADO” com o meio de ganhar vidas!
    Me perdoe se estou sendo grosso. Sei que não cabe a mim jugar. Mas simplismente me indigno com a falta de sabedoria que muitos líderes, escolhidos por Deus, tem usado para “JULGAR” outros cristãos que tem pago o preço pra evangelizar. Espero que essa guerra de egos dentro do próprio cristianismo acabe, pois o pecado tem se apossado tanto dentro da igreja quanto fora da igreja. Espero que o espírito santo mostre ao senhor que sua crítica e irônia são completamente destrutiva. “Deus não quer grandes estrelas para falar do seu amor, mas sim os humildes de coração!”
    Que Deus lhe abençoe!!!

    • Douglas,
      .
      obrigado por sua opinião, a qual respeito.
      .
      Lembremos sempre do modelo de Cristo para proclamar as boas novas da salvação, que foi o mesmo da Igreja apostólica e tem sido o mesmo por mais de 1.900 anos: abrir a boca e expor o plano da salvação. Tudo o mais é invenção humana desnecessária. Quem convence do pecado, da justiça e do juízo é o Espírito de Deus e não estratégias desenvolvidas pelo homem. Temos é que pregar que o homem pecou, destituído está da glória de Deus e precisa de Cristo para ser perdoado dos pecados e herdar a vida eterna. Ponto. Nunca nada além disso foi necessário ao longo de séculos de proclamação do Evangelho. Jesus, os apóstolos, os pais da Igreja, os sacerdotes da era medieval, os escolásticos, os reformadores, os grandes pregadores do primeiro e do segundo grande avivamentos e os verdadeiros pregadores de nossos dias todos só fizeram isso. Charles Spurgeon pregava a sã doutrina e dez mil pessoas o ouviam em silêncio. Wesley idem. Jonathan Edwards. George Whitefield. E por aí vai.
      .
      Querido, isso não tem nada a ver com “julgar”, você precisa entender o contexto bíblico em que Jesus menciona a questão de não julgar o próximo: está falando de pecadores que criticam outros pecadores, nada tem a ver com o nosso caso nem com o post em questão. Usar um texto fora de seu contexto é um perigo, cuidado.
      .
      Meus exemplos não foram irônicos, são verídicos. Históricos e aconteceram. Procure se informar sobre o movimento “A família” e você verá que usavam sexo e sedução com o argumento de “evangelizar”.
      .
      Minha critica não foi destrutiva e não houve ironia desconstrutiva. É uma critica seria, baseada em absurdos que vêm sido cometidos e que têm gerado legiões de falsos convertidos. Também não há nada de guerra de egos, não sei a que grande estrela você está se referindo – eu certamente não sou, visto que não tenho fama nem celebridade, sou só uma ovelhinha como você. Na sua opinião uma “balada gospel” é válida para transmitir uma verdade mas um artigo escrito por mim não? Por quê?
      .
      Você não foi grosseiro, Douglas, somente o seu comentário passa uma grande desinformação histórica. Sugiro que você leia mais sobre História da Igreja e analise como o Evangelho foi proclamado ao longo de quase todos seus 2 mil anos. Simplesmente essas aberrações que você mencionou são usadas há pouco menos de 30 ou 20 anos, são desnecessárias e fruto de pessoas que não têm profundidade em sua pregação suficiente para simplesmente expor o Evangelho puro e simples e assim precisam inventar mil circos para “atrair” pessoas. O que, biblicamente, é surreal.
      .
      Que a graça de Cristo seja sobre ti.

  44. Rogerio Lázaro disse:

    Simplesmente fantástica a sua abordagem!!! Quem dera que esta visão (bíblica!) não fosse deturpada pela ganância de “pregadores” ídolos e “adoradores” pop star que inescrupulosamente induzem os crentes ao erro. Pena que os crentes, em grande número, estejam abrindo mão do trabalho de buscar conhecimento na Palavra de DEUS e prefiram se contentar com qualquer conteúdo que lhes seja apresentado por puro comodismo.

    • Olá, Rogério,
      É uma triste verdade, infelizmente. Temos muito pelo que orar e muito o que fazer.
      Comecemos por nós mesmos e pela renovação de nossa mente.
      Forte abraço, na paz do Mestre.

  45. maxx disse:

    Olá Maurício!
    Em plena transição na igreja que congrego (está aderindo a uma nova visão de igreja em células com a visão de ganhar, consolidar, treinar e enviar) li esse post…
    Me diga, qual é a tua opinião sobre o assunto e o que acha davisãomda?
    abraço!

    • Salve, Max,
      desculpe, mas não sei o que é visão mda, nao me sinto habilitado, por isso, a opinar.
      Deus o abençoe, na paz do Mestre.

      • Pr.Fernando Ferreira Gomes disse:

        ola,mauricio ,fiquei feliz em te conhecer,uma pessoa q defende a sã doutrina e os interesseis de Deus, pois ELE ,é soberano e não mordomo do universo!!!!!!!!!

      • Saudações, Pastor Fernando,
        .
        muito obrigado pelas suas palavras, muito gentil de sua parte.
        .
        Num mundo como o nosso, com tantas heresias e descalabros, defender a sã doutrina torna-se uma tarefa imperativa. Somos soldados de um mesmo exército, reverendo, numa luta difícil mas recompensadora. A alegria de ver pessoas se afastarem dos ensinos espúrios e abraçando o puro Evangelho não tem preço.
        .
        A paz seja contigo, mestre,
        mz

  46. Cirlene Silva disse:

    Miito interessante!!!
    As pessoas hoje em dia so quer ganhar almas e somar vidas , mas nao estao cuidando delas, as pessoas entram pela porta da frente da igreja e saem pela porta dos fundos..
    temos q mudar essa situação… Ganhar almas nem q seja uma, mad cuidar bem dela .

  47. JOSE CARLOS disse:

    O GANHAR ALMAS PARA CRISTO, NÃO SÓ ESTA EM MARCOS 16, ESTA TAMBEM EM ATOS, NAS EPISTOLAS PAULINAS E GERAIS, MARCOS 16 , IDE PREGAI, NÃO É ISOLADO, ISOLADO É A MENTE DE UMA PESSOA QUE NÃO TEM CRISTO NA VIDA,

    • Olá, José,
      .
      obrigado pelo comentário. Se não soubesse que você é um cristão amoroso e tão preocupado com as almas humanas, poderia até pensar que seu comentário carrega um certo tom de agressividade. Mas não… você não seria agressivo, é um bom cristão, cheio do fruto do Espírito. Além do mais tenho certeza que você, como bom hermeneuta que todo pastor deve ser, entendeu o todo do post e não se prendeu a um trecho isolado do mesmo.
      .
      Na paz do Cristo que vive em minha vida e na sua,
      mz

  48. Jean disse:

    Mauricio, me permita comentar algo:
    Impossivel seria tomar a frase dita por Jesus, ” fazeis discípulos por todas as nações”, de forma literal, e não interpretativa. Isso seria um erro no sentido de trazer a obrigação ao indivíduo de discipular todas as pessoas para as quais ela pregar o Evangelho. Totalmente impossível, no sentido literal, claro.
    Mas, quando ensinamos aos homens o Caminho pelo qual eles podem realmente crescer, e se manter em Deus…ai encontramos um ministério excelente. Jesus nunca disse façam discipulos para si. Mas ele disse: Façam discipulos por todas as nações…mas os discipulos são do Espírito Santo…é Ele quem convencerá o homem dos seus pecados, ensinará a cerca da Justiça e do Juízo. Precisamos ensinar o Caminho da Fé. Se acharmos que podemos, ou que temos a obrigação de fazer e ter discipulos, Jesus!!! Quão equivocados estaremos, poderemos com isso estar discipulando e ensinando aos “discipulos” caminhos de tropeço, porque nós somos falhos. Mas o Espírito Santo é Perfeito, assim como seus caminhos e ensinos.
    Concordo com você no que tange ao “ganhar almas”…na verdade Jesus não ensinou ninguém a ganhar almas, nem encontro nas Escrituras tal missão. Jesus ensinou a pregar o Evangelho.
    Mas veja bem…se nos determos no pregar, ou mesmo no Ganhar almas, sem entender o fim ultimo disso, ou seja, o fim ultimo a que Deus se consagra, acabamos correndo um tremendo perigo…começamos a usar nossos esforços pessoais e nossos meios para tal feito. Tornamos a Graça um resultado a ser alcançado, esquecendo-se qual relamente é o princípio da Fé. E isso é o oposto da verdade do Evangelho.
    Pois o resultado passa a ser uma obrigação, uma meta..caracterizando obras descrentes, simples obras da lei, e não obras de fé. Sem fé ninguem pode fazer nada que não sejam obras da lei.
    Mas a verdadeira fé coloca o individuo na plenitude da vontade de Deus.

  49. Jean disse:

    O senhor está certo no que diz respeito aos meios que estão sendo usados para anunciar a Palavra.
    ….Analisando o Novo Testamento, podemos ver que os discpipulos de Jesus testificavam de “casa em casa” e fizeram outros discípulos entre o povo.
    Hoje o conceito é o de trazer as pessoas à igreja e depois a Cristo. Este sistema é muito bom para aqueles que forem à igreja — mas, aproximadamente 90,7% dos pecadores não irão à igreja.
    O conceito do Novo Testamento, e da Igreja pirmitiva, é o de levar os homens à
    Cristo, depois ao local de reunião — de conquistá-los onde eles
    estão. Isso não tem limite!
    Em dois anos, evangelizando de casa em casa, toda a Ásia menor, e quando digo toda, são todas as pessoas mesmo, já haviam ouvido o Evangelho. Eles não tinham recursos tecnológicos nenhum. Eles apenas iam.
    … Os nossos programas de treinamento são baseados em recomendar o Edifício da Igreja. O conceito do Novo Testamento foi baseado em recomendar Cristo. Se gostarmos ou não de admiti-lo, a Igreja (como um edifício ou uma denominação) possui o pior de todos os apelos aos pecadores — a sua classificação é exatamente ZERO, porque as pessoas que estão no pecado e não conhecem Jesus, jamais irão a igreja, e se forem, será apenas por ir. Todavia, o fato fantástico permanece, que a pessoa de Jesus Cristo — quando Ele é apresentado acertadamente — possui o maior apelo singular do mundo ao coração humano, pois o Seu Amor é maior que o mundo todo.
    Cada um é a Igreja, cada um é o Corpo de Cristo, os embaixadores vão a frente, eles representam aquele a quem Seguem e servem. Mas é preciso ir…
    Acabamos invertendo os conceitos, nos tornamos membros de uma denominação, mas deixamos de ser membros do Corpo de Cristo, nos acostumamos a participar de reuniões, e esquecemos que a missão do Corpo é alcançar todas as criaturas. E a responsabilidade será individual.
    Cristo Vive em nós, mas não temos representado Ele de forma correta. Temos afastado as pessoas de Jesus devido aos nossos maus testemunhos. Temos inpedido as pessoas de conhecerem o Deus maravilhoso que as ama e pode Tudo por elas.

  50. stefanny santos disse:

    gostei muito!
    me ajudou demais, era justamente o que eu queria pregar mas estava cheia de dúvidas mas agora já sei!
    obrigado, Deus te abençoe!

  51. A missão do crente não é ganhar almas Isto é Deus quem faz através de nos mas pregar o evangelho e anunciar a salvação é sim a maior missão do crente

  52. NATI disse:

    MAS NO CASO SE A GENTE FAZER DISCÍPULOS E ENSINAR-LHES A OBEDIÊNCIA.MAS PRA ISSO NAO TEMOS QUE BUSCAR GANHAR ESSA ALMA PRA DEUS PRIMEIRAMENTE?

  53. joaquim neto disse:

    Fui missiinario no sertão do piaui hoje sou pastor em uma pequena cidade do piaui e queria lhe dizer que estou glorificando a Deus por sua vida e por seus comentários o que vc postou é pura realidade, vejo isso no campo com meus próprios olhos. Sobre os eventos de grande porte concordo com vc já fiz muitos e os resultados são quase zero, a realidade de uma igreja sadia é outra, igreja não vive de eventos gospel mas de santidade e ensinamento, quem não gosta de doutrina bíblica não se firma nunca, e o melhor verdadeiramente é o discipular.

    • Salve, reverendo,
      .
      louvo a Deus por sua clareza e por sua visão. Peço ao Senhor que abençoe muito sua vida e seu ministério, que, certamente, é muito precioso.
      .
      Um abraço carinhoso, no amor de Deus,
      mz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s