Posts com Tag ‘talentos’

carater 1Semana passada, meu pastor anunciou que vai plantar uma nova igreja, em um bairro da zona norte do Rio. O anúncio foi feito durante um culto e, na ocasião, ele informou que quem ficará à frente da congregação será um dos pastores auxiliares, Pr. Evandro. Ao fazer o comunicado, Pr. Marco Antônio chamou Pr. Evandro ao púlpito e contou um pouco da história do relacionamento entre eles. Foi quando mencionou algo que chamou especialmente minha atenção: a motivação para ter ordenado Pr. Evandro ao ministério não foram os seus talentos, mas, sim, o seu caráter. Isso me deixou extremamente pensativo. Saí do culto e cheguei em casa me perguntando: me conhecendo como me conheço, será que eu poderia ser considerado uma pessoa de caráter? Afinal, talentos todos temos: um canta afinado, o outro prega bem, há quem ensine com habilidade e outros que cuidam com competência da contabilidade. Eu recebi de Deus o talento de refletir e escrever. Mas… e o caráter?
.
Confesso que essa reflexão me deixou bastante mal. Pois a conclusão a que cheguei é que meu caráter não é lá grande coisa. Como alguém que preza muito as palavras, fui ao dicionário procurar o significado de “caráter”. A definição é: “O que faz com que os entes ou objetos se distingam entre os outros da sua espécie; Qualidade distintiva;  Índole, gênio; Firmeza; Dignidade”. Sei que Jesus me salvou, sabe-se lá por quê, mas permaneço falho e cheio de defeitos. Passei, então, a refletir se me encaixo nas definições de “caráter”.
.
O que faz com que os entes ou objetos se distingam entre os outros da sua espécie. Qualidade distintiva”. De forma alguma enxergo isso em mim. Não sou melhor do que ninguém. O que me diferencia dos demais é exatamente aquilo que meu pastor disse que não deve impressionar ninguém: talentos. Pois os dons que Deus me concedeu são únicos, assim como os que ele concedeu a você e a qualquer outro: todos nós nos distinguimos por nossos talentos (que são dons concedidos pelo Senhor, ou seja, nem mesmo pelos nossos talentos nós temos mérito). Fora isso nada me torna melhor do que qualquer outra pessoa: ideias, aparência, status social, educação, experiências, histórico familiar, realizações na vida… tudo o que você possa pensar é circunstancial. Não sou melhor, sou apenas diferente.

.

carater 2“Índole”. Podemos dizer que, em termos de cumprimento de legislação, tenho uma boa índole: não roubo, não mato, não fraudo, não sonego, não dou propina. Mas, se formos olhar o interior… ah… quantos pensamentos maus, quantas inclinações pecaminosas, quantos sentimentos inconfessáveis. E nas práticas da vida… não me faça dizer quantos pecados já cometi em meus 19 anos de conversão. Primeiro, porque eu morreria de vergonha. Segundo, porque não caberiam neste post. Então a índole não é tão patente como parece: por mais que sejamos bons, nunca deixaremos de ser maus. “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço” (Rm 7.18-19).
.
“Gênio”. Pergunte à minha mãe e ela terá prazer em contar muitas histórias que revelam quão terrível é meu gênio. “Firmeza”. Meu irmão, minha irmã, como eu gostaria de ter sido firme em muitas e muitas vezes em que fraquejei! Já falhei tantas vezes no domínio próprio que não sei contar. Não, meu histórico denuncia um indivíduo bem menos firme do que o ideal. Por fim, “dignidade”. Aí eu leio o que João viu na visão do Apocalipse: “Vi, também, um anjo forte, que proclamava em grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de lhe desatar os selos? Ora, nem no céu, nem sobre a terra, nem debaixo da terra, ninguém podia abrir o livro, nem mesmo olhar para ele e eu chorava muito, porque ninguém foi achado digno de abrir o livro, nem mesmo de olhar para ele” (Ap 5.2-4). Digno, eu? Não. Só Cristo me dignifica.
.
Cheguei ao final da leitura do dicionário e de minha dolorosa reflexão e percebi que sou um homem cujo caráter jamais mereceria uma menção no púlpito. E nem fora dele. Não que eu não faça coisas boas, entenda, mas porque já fiz e ainda faço tantas coisas ruins que me considero, no máximo, alguém esforçado e que luta para alcançar o que Cristo deseja de mim. E esse é o ponto focal de toda esta reflexão, que muito me quebrantou, pela percepção da minha extrema falibilidade e pela noção clara de minha absoluta e total dependência da graça de Deus. Lembrei-me de que “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; renovam-se cada manhã” (Lm 3.22-23).
.
carater 3Se depender de quem eu sou, em essência, jamais alguém poderá dizer “eis aí um homem de caráter” a meu respeito. Mas tenho uma ponta de esperança. E ela se volta totalmente para Cristo. Se o meu Salvador me estender sua graça diariamente, perdoar os meus pecados, purificar meus pensamentos, guiar minhas ações, me estimular em minhas omissões e me conformar ao seu caráter, quem sabe um dia alguém diga “eis aí um homem de caráter”. Se eu ouvir isso, por dentro saberei que, na verdade, não será o meu caráter deficiente que tal pessoa estará apontando, mas, sim, o caráter daquele que me amou primeiro e quis me chamar das trevas para a luz.
.
Você vê falhas de caráter em si mesmo, meu irmão, minha irmã? Bem-vindo ao clube. Mas permita-me dar uma sugestão: busque a Cristo. Prostre-se constantemente aos seus pés. Rasgue seu peito em total transparência, confesse diariamente a ele os seus pecados, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga o Redentor. Esse é o bom combate. E se você combater o bom combate e sair vitorioso pelo sangue do Cordeiro, o que ouvirá no final não será “eis aí um homem de caráter”, mas algo ainda mais honroso, fruto única e exclusivamente da graça: “Muito bem, servo bom e fiel! […] Venha e participe da alegria do seu senhor!” (Mt 25.21).
.
Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

 .
Perdaototal_Banner Blog Apenas
Clicando no banner você vai à loja virtual da editora Mundo Cristão