– Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa! Creia, meu irmão, que se você foi salvo por Jesus, toda a sua família também será salva! Isso é promessa de Deus para a sua vida!

Quem já não ouviu algum pregador dizer isso? Eu já, algumas vezes. O grande problema é que, não, isso não é promessa de Deus para você, nem para mim. Como assim? É o que veremos nesta reflexão. Se você acompanha o APENAS, talvez estranhe o post de hoje. Procuro sempre tratar neste espaço de questões de vida cristã cotidiana, mas hoje, excepcionalmente, vamos falar de um assunto da teologia (mas que tem influência direta sobre a sua vida prática). Como esse tema é algo que tem forte impacto sobre nossa compreensão da Palavra de Deus, decidi abrir esta exceção. Por isso, hoje vamos falar sobre um palavrão chamado hermenêutica. 

Que troço é esse? Por que é importante? Eu explico: hermenêutica é, em resumo, a área da teologia que nos ensina a interpretar corretamente o texto da Bíblia. Em outras palavras, as regras de hermenêutica nos ajudam a compreender exatamente o que o Espírito Santo quis nos dizer quando inspirou os escritores a redigir determinada passagem das Escrituras. O principal objetivo da hermenêutica bíblica é descobrir a intenção original do autor do texto. Por essa razão ela é tão importante. 

Se você lê a Bíblia sem seguir as regras de hermenêutica, é possível que deturpe, sem querer, a intenção do Espírito Santo. Sem compreender as normas de hermenêutica, cada pessoa atribui o sentido que prefere às palavras de Deus. O gigantesco mal é que, se entendemos a Bíblia do nosso modo e não dá maneira que Deus deseja que entendamos, a autoridade final fica sendo o homem, e não Deus. E vai dar tudo errado.

Deixe-me dar um exemplo prático: o texto com que abri esta reflexão. É extremamente comum ouvirmos pregadores dizendo “Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa” (At 16.31) como uma afirmação de que qualquer pessoa  que vier a crer em Jesus, em qualquer época e em qualquer contexto, terá sua família salva. Já ouviu isso? O problema é que essa não é uma promessa universal. Ela simplesmente não se aplica a todas as pessoas, mas aplica-se a apenas uma: o carcereiro de Filipos. Paulo estava dizendo algo específico àquele homem e à sua família. Só. Tanto é assim que você deve conhecer centenas de crentes cujos parentes morrem sem crer em Jesus. Sabe por que tantas pessoas erram nisso e propagam esse ensinamento errado? Porque não analisaram o contexto e universalizam algo que, na realidade da Palavra, é individual. Falta de conhecimento de hermenêutica. 

Outro exemplo: o famoso vale de ossos secos mencionado em Ezequiel 37. É enorme a quantidade de pregações que usam essa passagem aplicada a qualquer processo de restauração, como restauração da vida financeira de um indivíduo, de seu casamento, de sua situação espiritual e coisas assim. Porém, quando você lê Ezequiel 36 e o final do capítulo 37, fica totalmente claro que a visão do profeta se relacionava especificamente à restauração da nação de Israel no contexto da época em que o livro de Ezequiel foi escrito: “estes ossos são toda a casa de Israel” (Ez 37.11), deixou bem claro o escritor. Portanto, se alguém usa essa passagem como uma promessa de que “Deus restaurará a sua vida financeira”, por exemplo, ou “Deus fará seu casamento reviver”, pode ter certeza: essa é uma promessa sem nenhuma garantia de que se cumprirá. Por que esse erro ocorre? Porque tais pregadores não analisaram o contexto e universalizaram algo que é individual. Falta de conhecimento de hermenêutica. 

Vamos a um terceiro exemplo: em Jeremias 1.5, lemos as palavras do Senhor: “Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações”. Já ouviu alguém usar esse versículo como argumento para dizer que Deus constituiu a mim e a você como profetas às nações? Eu já. O problema é que o versículo anterior deixa claro: A mim me veio, pois, a palavra do SENHOR, dizendo:”. Logo, fica claro que essa palavra é dirigida única e exclusivamente a Jeremias. Não a mim. Não a você. E, se é assim, por que isso é ensinado? Porque quem ensina dessa forma não analisou o contexto e universalizou algo que que é individual. Falta de conhecimento de hermenêutica. 

Esses são apenas três de inúmeros exemplos. Tenho visto e ouvido muitas pregações e tenho lido muitos textos que prometem o que a Palavra de Deus não promete, simplesmente porque os pregadores ou escritores não seguiram as regras de hermenêutica. Portanto, puseram na boca de Deus o que Deus não disse. E, com isso, agiram como guias cegos, que conduzem pessoas para o barranco. 

Se consegui despertar seu interesse em conhecer mais a fundo a hermenêutica bíblica, recomendo que busque se informar sobre as regras de correta interpretação da Palavra de Deus. Aqui eu listo algumas regras básicas:

1. Primeira Regra – É preciso, o quanto seja possível, tomar as palavras em seu sentido usual e comum.
2. Segunda Regra – É de todo necessário tomar as palavras no sentido que indica o conjunto da frase.
3. Terceira Regra – É necessário tomar as palavras no sentido indicado no contexto, a saber, os versículos que estão antes e os que estão depois do texto que se está estudando.
4. Quarta Regra – É preciso levar em consideração o objetivo ou desígnio do livro ou passagem em que ocorrem as palavras ou expressões obscuras.
5. Quinta Regra – É necessário consultar as passagens paralelas, “explicando coisas espirituais pelas espirituais”. (1Co 2.13).

Viu como não é algo tão complicado? Se você tiver interesse em se aprofundar no entendimento da hermenêutica (e recomendo enfaticamente que o faça, para não acreditar em promessas que não se cumprem), um livro fácil de entender e rico em ensinamentos é o Entendes o que lês? (editora Vida Nova). Acredite: vale o investimento. 

Meu irmão, minha irmã, o entendimento correto sobre o que o Espírito Santo quis dizer exatamente na Bíblia é fundamental e indispensável para termos uma vida cristã rica e ajustada à real vontade de Deus. Erramos no dia a dia, muitas vezes, porque não sabemos compreender corretamente as Escrituras. Não cometa esse erro. Viva uma vida baseada na verdade bíblica e não em desvios ensinados por pessoas que não sabem enxergar a verdade das Escrituras. Tenho certeza de que você consegue. E, com um pouquinho de leitura sobre o tema, você será capaz de entender verdadeiramente o que Deus quer lhe falar por meio da Bíblia e de se proteger de ensinos humanos que não encontram nenhum embasamento na Palavra de Deus. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

Clicando nas imagens acima e abaixo você vai para a livraria virtual das lojas Saraiva.

APENAS_Banner três livros Zágari

Anúncios
comentários
  1. Etiane Cardoso disse:

    Nesse caso, se formos analisar ao pé da letra e o contexto, como entenderíamos esse trecho?

    Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
    Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
    Mateus 28:19,20.

    Essa palavra se aplica somente aos discípulos que viveram com Jesus? Por ser direcionada à eles? Dessa forma somente a eles caberia a tarefa de levar o evangelho, batizar, serem usados para curar, expelir demônios, como é dito em outras passagens, emfim, a nenhum outro cristão isso se aplica?
    Desculpa minha ignorância, mas fiquei um pouco confusa.

    • Olá, Etiane,
      .
      segundo as regras de hemenêutica, se há uma referência clara a quem se dirige determinada ordenança bíblica, devemos entendê-la como dirigida exclusivamente a tais pessoas. Se não há, podemos compreender como uma ordenança universal, à luz de cada contexto.
      .
      Sua dúvida é sanada quando seguimos outro princípio de hermenêutica: todas as passagens correlatas devem ser analisadas em conjunto para se compreender o todo. No caso, a Grande Comissão está em Mt 28, Mc 16 e At 1. Em Atos, vemos que Jesus universaliza o “ide”, quando diz que seríamos testemunhas dele “até os confins da terra”. Naturalmente, os onze apóstolos ali presentes não cumpriram tal ditame, o que deixa claro que Jesus estava se referindo aos seguidores como um todo.
      .
      Espero ter esclarecido sua dúvida.
      .
      Abraço fraterno,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  2. Esse Hermeneutica do curso de teologia básica do helder cardin também é bem explicadinho para quem gosta de ler algo muito, mais muito didático rs
    Ótimo texto Zágari! Que Deus continue a te usar de modo que o verdadeiro evangelho brote não de conhecimentos arrogantes como tenho visto hoje em dia, mas de humildade como Jesus fez aqui na Terra.

  3. Helen disse:

    Muito pertinente. Já refutei muitas vezes, em amor, irmãos que diziam categoricamente que era promessa do Senhor a salvação de toda família baseando-se nessa palavra de Atos 16. As vezes é chato falarmos aquilo que a pessoa não quer ouvir mas já passei pela experiência de acreditar em promessas falsas dadas pela boca de “profetas” baseadas em palavras fora de seu devido contexto, então prefiro passar por chata do que manter alguém numa vã esperança. Claro que Deus é poderoso pra ouvir nossa oração e cumprir os desejos do nosso coração mas jamais devemos usar a santa palavra do nosso Deus de forma incorreta.
    Deus abençoe.

  4. sara disse:

    muito bom este ensino acho que todo cristão precisa mesmo conhecer este palavrao rsrs estava me interessando pela área de teologia e esta é uma área que eu me interesso muito a Hermenêutica muito obrigado Mauricio Zágari

  5. Cley disse:

    Maravilha pura. É dessa maneira que entendo. Obrigada meu Deus pelo nosso amado irmão existir e explicar a Tua rica e santa Palavra aos teus servos que, com fome e sede, querem aprender através da verdade.

  6. Olá,

    Agradecida por compartilhar algo tão importante.

    Deus continue te guiando irmão.

    🙂

  7. Mateus disse:

    Ótimo texto.

    “Você, mulher, como sabe se salvará seu marido? Ou você, marido, como sabe se salvará sua mulher?” – 1 Coríntios 7:16

    Além de como você citou – o caso do carcereiro ser particular – ainda há outra interpretação, a qual diz que o “tu e tua casa” do final do versículo é um complemento da ordenança “Creia”, e não da consequência (serás salvo). Uma outra tradução seria: “Creia no Senhor Jesus, tu e tua casa, e serão salvos”.

    Em todo o caso, a conclusão é a mesma: Deus não promete salvar os da nossa família. Salvação é algo particular entre o Senhor e o indivíduo.

    Abraço!

  8. Guilherme Kayser disse:

    Bom dia Zágari.

    Muito obrigado por esse texto elucidativo.

    Em Cristo,

    Guilherme

    ________________________________

  9. pv disse:

    Ei, mano,

    Poderia criar uma seção para esclarecer mais trechos bíblicos e fazer isso com mais frequência: quinzenalmente, mensalmente, sei lá.

    Por causa de vários fatores, nem sempre é fácil extrair do texto o sentido preciso e verdadeiro. É muito gratificante quando aprendo algo que antes entendia errado. Tudo muda.

    Fica a sugestão.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s