brasil 1O Brasil tem vivido dias de imensa fúria. Em nosso país, a situação deplorável do governo, a corrupção onipresente, a polarização entre adeptos da esquerda e da direita e a crise econômica lotam os noticiários, pautam as discussões e fazem as redes sociais fervilharem. Os debates que envolvem as notícias do dia, na maioria das vezes, são recheados de afirmações revoltadas, reclamações injuriadas, agressões para todos os lados e intermináveis discussões e trocas de acusações. Vivemos dias duros. A toda hora a notícia da hora nos faz ferver o sangue. Queremos comer o fígado de políticos, mandar os corruptos para o quinto dos infernos e explodir todos aqueles que não concordam conosco. Dias difíceis, os nossos. Dias saborosos para os zelotes e amantes da espada, mas estarrecedores para os mansos e humildes de coração. 

Tem sido raro encontrar aqueles que estejam plácidos, equilibrados e controlados diante do cenário da nossa nação. Os estoicos e blasés desapareceram do mapa, dando lugar aos explosivos e revoltados. A indignação é válida e devemos, sim, nos indignar com toda a lama que escorre dos palácios do governo e dos escritórios de grandes corporações corruptoras. Não há como amar a justiça e a verdade e se manter impassível diante do atoleiro de mentiras, trapaças, sujeiras e pecados que se tornou o Brasil. 

Minha pergunta é: como devemos manifestar toda essa justa e necessária insatisfação? Será que nós, cristãos, devemos reagir como o mundo reage, fazendo chacotas indecentes, usando palavras torpes, adjetivando de modo desrespeitoso fulano ou sicrano, destilando veneno em nossas palavras e em nossos memes, desejando que os maus morram e se arrebentem, entre posts imprecatórios nas redes sociais e falas avalânchicas por onde passamos? 

Qual é a postura adequada a quem vive para ser imitação de Cristo? O amor ou o ódio? A pacificação ou o acréscimo de lenha à fogueira? A destemperança ou a paciência? A amabilidade ou a ofensa? A bondade ou a raiva, destilada entre perdigotos e olhares injetados? A mansidão ou a fúria? O destempero ou o domínio próprio? Afinal, como devemos reagir a tudo o que nos cerca?

brasil 2Ser cristão é ser diferente. É nadar contra a correnteza, quando a correnteza não segue de acordo com o relevo do evangelho. É controlar nossos impulsos humanos de vingança e raiva para dar lugar à pacificação que nos fará bem-aventurados. Não somos cristãos se agimos e reagimos como o mundo, com a diferença que vamos à igreja aos domingos. Se somos iguais ao mundo, somos mundo – mesmo frequentando o culto e cantando músicas cristãs. Cabe, então, a pergunta: você tem reagido aos lamentáveis noticiários como um santo ou como um pagão? Como alguém que entende que sua pátria não é deste mundo ou como um cabeça-quente que vive entre imprecações e gritos de revolta? 

Sim, não devemos nos conformar com a injustiça. Não podemos, como servos de Deus, nos manter impassíveis diante da corrupção humana. Deus não fica impassível; nós também não devemos ficar. Meu questionamento não é “sim ou não”, mas “como”.  De que modo você reage? Que palavras escolhe ao se posicionar? O que há no seu coração? Sua alma busca a justiça e a verdade com paz ou com guerra? 

Os dias são maus, meu irmão, minha irmã. Mas não podemos permitir que a maldade do mundo caótico nos contamine. Temos de permanecer como diferentes, como luz. Brilhemos nessa treva tão densa. Afinal, se formos trevas em meio a trevas, que diferença fazemos? Se há uma hora em que precisamos mostrar ao mundo quem habita em nós, a hora é esta, pois é em meio à crise que os santos sobressaem. 

Jesus não nada no mar do caos, ele caminha por sobre as águas. Assim devemos nós fazer.

brasil 3Deixo a reflexão: como você tem se posicionado ante tantas notícias revoltantes que inundam os jornais do dia? Como um revoltado ou como um ponderado? Como um desvairado ou como um equilibrado? As notícias te dominam ou o Espírito Santo é quem conduz suas ações e palavras? Ser fiel ao amor quando tudo vai bem é moleza. Mas é justamente na hora em que alguém grita “fogo!” que descobrimos quem são os que dão passagem às mulheres e crianças primeiro e quem são os que saem pisoteando quem estiver pela frente. Quem é, afinal, que controla as suas palavras e as suas ações diante da miséria humana, da corrupção do mundo e do caos provocado pelo pecado? O amor? Ou o ódio? Descubra quem é o seu senhor na hora da crise e você constatará se tem agido conforme a vontade do Senhor Jesus Cristo. 

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

O fim do sofrimento_Banner APENAS
Clicando nas imagens acima e abaixo você vai à loja virtual da livraria Saraiva

Perdaototal_Banner Blog Apenas

Anúncios
comentários
  1. excelente texto, especialmente “Jesus não nada no mar do caos, ele caminha sobre as águas”

  2. valdiguga disse:

    Olá, Pastor,

    Bom dia!
    Está bem difícil a ira não subir no termômetro diante de tantos atos surreais cometidos por nossos representantes legais… Atualmente, só consigo confiar em Deus e orar… Não chego nem a decidir por qual lado optar, até porque não se pode acreditar na imprensa sensacionalista.
    Enfim, que o bondoso Deus tenha misericórdia da nossa nação e nos guie na busca pela paz!

    Abraço fraterno e grata pelo texto.

    • Olá, Valdirene,
      .
      de fato é difícil, mas a proposta de Jesus a quem deseja segui-lo é negar a si mesmo e diariamente tomar a sua cruz. Já era previsto que não seria fácil, não é? O certo, muitas vezes, é o mais difícil.
      .
      Abraço fraterno,
      mz

  3. pv disse:

    Olá, mz,

    Acredito que a maior dificuldade nossa é saber o que fazer na prática. Você disse sobre nossa linha principiológica e é extremamente importante, pois refletem nossa base, nossa sustentação.

    Mas, por exemplo, o cristão dever ir pra rua se manifestar? O cristão deve protestar publicamente? O cristão deve denunciar os erros daqueles que deveriam trabalhar para serem ministros de Deus e abençoar os cidadãos? Qual sua posição diante disso considerando, é claro, que as atitudes devem ser condizentes com os princípios cristãos da mansidão, não ao desrespeito, e todo o mais que abordou no texto.

    Parece que muitos confundem o amor e a bondade com a omissão. Não estou desconsiderando a importância da oração nesse processo, algo até abordado no livro que conclamava o povo a orar todos os dias pela nação. Acha que o papel do cristão é só orar? Não veja o uso da palavra “só” como menosprezo. Mas para nos ajudar a sermos mais úteis para glória de Deus nesse momento de tamanha escuridão.

    Essa é também uma dúvida que tenho. A oração é uma ação e, pra mim, a principal. Mas há outras ações subsidiárias que também podem ter diante desse quadro?

    Forte abraço na paz de Cristo.

    • Olá, Paulo,
      .
      sim, o cristão deve ir para a rua e manifestar publicamente, com ordem, respeito e civilidade. O fruto do Espírito deve se manifestar onde quer que estejamos. Devemos orar e agir. Jesus não se conformou em apenas orar, ele manda pegar a moeda do tributo da boca do peixe. Crença no transcendente, atos de justiça no imanente: esse é o caminho.
      .
      Recomendo a esse respeito o livro “Contra a idolatria do estado”, de Franklin Ferreira, recém-lançado pela editora Vida Nova.
      .
      Abraço fraterno,
      mz

  4. Fabio Cardoso disse:

    Olá Maurício,

    Confesso que não possuo uma resposta. O Brasil possui entre 15 e 20% de cristãos e países com apenas 2 ou 3% possuem uma estrutura muito mais saudável que a nossa.
    Penso que talvez, mesmo sendo cristãos pecamos mais que países com menos cristãos.
    Sei que é muito complexo você me responder, mas se puder me orientar a ler um post que você ou outa pessoa escreveu, abordando este assunto, seria grato.

    Obrigado, abraço.

    • Fábio,
      .
      o fato de sermos cristãos não nos garante tranqulidade e paz. Supor isso seria um pensamento mais na linha da teologia da prosperidade do que da teologia bíblica. Vivemos em um mundo de aflições e aflições viveremos. Descanse na soberania do Senhor, sabendo que ao final tudo convergirá para o bem dos Santos.
      .
      Abraço fraterno,
      mz

  5. Vanda disse:

    Irmão Maurício,
    Confesso que o seu post veio a calhar mesmo. Pois nos últimos dias tenho visto o mundo caminhar cada vez mais para o que Jesus alertou sobre os fins dos tempos que seriam como nos dias de Noé. Em Mateus 24 diz que ” E como foi nos dias de Noé, assim também será a vinda do Filho do homem. Nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam-se, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca. E não perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim também será a vinda do Filho do homem.”
    Penso sinceramente que ao constatarmos que estamos vivendo dias difíceis, injustiças tremendas e crimes inexplicáveis, estamos muito perto da vinda de Jesus. Como verdadeiros filhos de Deus, acho que não devemos murmurar, nem ficar espantados porque sabemos que isto tinha que acontecer para que tudo se cumpra.
    Sinceramente, sou daquelas cristãs que acredita que o arrebatamento será na nossa geração. Porque vejo muito à minha volta que o amor de muitos se esfriou e a ciência se multiplicou. Com a ajuda da Internet e dos sofisticados meios de transporte cada vez mais rápidos será possível o evangelho chegar a todas as nações e povos rapidamente. E quando todos tiverem acesso ao evangelho, o fim virá. E muitos povos distantes estão a converter-se ao evangelho, muitos muçulmanos estão a conhecer Jesus. Jesus morreu por todos, todos mesmo. Mesmo pelos terroristas e por aqueles que pensamos que seria impossível. A porta da graça ainda está aberta, mas não sei por quanto tempo mais. O Noivo virá de surpresa e cinco virgens irão com Ele e outras cinco ficarão.
    Desculpe este meu comentário ser muito forte, mas é baseado nas minhas reflexões e por tudo aquilo que estou a assistir.
    Mudando de assunto, o seu livro “Perdão Total” já chegou às minhas mãos esta semana. Consegui através da livraria Capu em Lisboa, Portugal. Estou muito feliz por poder começar a ler. Prometo depois dar testemunho.
    Um abraço fraterno,
    Vanda

    • Olá, Vanda,
      .
      realmente, vivemos dias difíceis. A profecia bíblica está nas manchetes dos jornais, para quem quiser ver. Estejamos aos pés da cruz a cada dia, na expectativa da chegada do Noivo.
      .
      Fico feliz que o “Perdão total” chegou às suas mãos, peço a Deus que a leitura seja edificante para você.
      .
      Abraço fraterno, Deus te abençoe muito,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  6. Érica Joéllen Gomes disse:

    Texto muito verdadeiro. Mas vou confessar que eu sou uma das que destilo o meu ódio através dos memes e palavras de revolta. Minha mãe essa semana mesmo, falou que eu deveria parar, por ser cristã. Mas eu não consigo! É mais forte do que eu. Eu tô com um ódio no meu coração de todos os políticos e sei que isso não é bom pra mim nem para o testemunho que eu tenho que dar como cristã. Esse texto falou muito ao meu coração com relação a como eu queria e deveria ser. Mas eu vejo tantas injustiças e estou passando por tantas dificuldades diante deste país em crise que simplesmente acho que se eu não me expressar nas redes sociais eu vou explodir de raiva. Já falei várias vezes a Deus em oração que eu não aguento mais viver num país onde eu não vejo solução!!!! Quero muito mudar, e preciso muito de oração, pois sei que sozinha não consigo. Ore por mim meu irmão, pra que esse ódio seja excluído da minha vida!!! Paz…

    • Olá, Érica,
      .
      querida, se você diz que está destilando ódio e que ele é mais forte do que você, precisa urgentemente mudar algo. Se a leitura de redes sociais causa isso em você, pare de entrar nelas. “É mais forte do que eu” é uma frase muito preocupante, pois você se confessa escravizada por revolta e ódio, mas você só deve ser escrava de Cristo. Sua postura não está correta, mude quanto antes. O que você está sentindo é destrutivo e o que você está fazendo não condiz com o evangelho do manso Cordeiro.
      .
      Se você tem dificuldade com isso, procure urgentemente seu pastor e peça aconselhamento a ele. O que está em jogo aqui não é o país, é você. Seus memes e suas palavras revoltadas não vão mudar o mundo, mas denotam que você está mudando – e, perdoe dizer isso, para pior. É preciso fazer algo e rápido. Procure seu pastor.
      .
      Oro por você, Érica. Abraço fraterno, Deus te abençoe muito,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  7. Edson Andrade disse:

    Caro Mauricio, após ler este artigo, mudarei de postura e agirei com mais prudencia !!!

  8. S. Silva disse:

    Nos últimos dias tenho lido tanta coisa vinda de pessoas que se dizem cristãs, que fiquei espantado. É bom saber que temos pessoas sensatas.
    Ler esse texto renovou minhas esperanças. Deus te abençoe e ilumine sempre!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s