image

Pode soar estranho eu dizer isso, mas o seu pecado pode ser muito útil para ajudá-lo a viver uma vida de santidade. Aliás, permita-me ser um pouco mais específico: não o pecado em si, mas a percepção do seu pecado. É quando você se dá conta de que peca todos os dias, e muito, que passa a olhar para os demais pecadores em igualdade de condições, compreendendo que você não é moralmente superior a ninguém. Pois o fato de termos a natureza pecaminosa em nós nos nivela a todos, algo que só Jesus é capaz de desfazer. É ao confrontar-se com sua inclinação incorrigível para fazer o mal que percebe que os demais pecadores são simplesmente o que você também é: alguém que erra vez após vez e carece da graça divina. 

A percepção do nosso pecado retira de nossos olhos a soberba, de nossos lábios a acusação e de nosso coração a arrogância. É ao nos percebermos culpados de tantas falhas que somos capazes de estender uma mão restauradora ao pecador, em vez de um dedo acusador. Miseráveis homens que somos, sujeitos à escravidão do pecado e às tentações mais vis. E quantas vezes sucumbimos! É… não temos o direito de nos colocarmos num patamar moral superior ao dos outros pecadores. O que temos é o direito de clamar pela misericórdia divina. Ajuda-nos, Senhor, em nossas misérias, pois não somos melhores que nossos pais…

Eu valorizo o meu pecado. Não por ele merecer minha valorização. Eu o odeio. Eu o abomino. Assim como abomino o seu pecado. Assim como abomino qualquer pecado. Mas o meu pecado é uma pedra no sapato que constantemente, a cada passo de minha jornada, ajuda a me pôr no meu devido lugar: pó. Nesse sentido, ele é um indesejável aliado, que constantemente me recorda de que o único caminho é ser misericordioso com os meus iguais: aqueles que pecam todos os dias. 

Não tenho opção a não ser estender compaixão e perdão. Pois preciso fazer ao próximo o que gostaria que fizessem a mim. E ai de mim se não fosse a misericórdia e a compaixão e, acima de tudo, a graça, que me trata como se eu não fosse pecador. Não ser gracioso não é uma opção. Mas quem gosta de ser gracioso? Nós queremos é ver sangue! Só que, se não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim, eu não importo. Tenho de negar a mim mesmo, tomar a minha cruz e seguir o manso Cordeiro. 

Valorize o seu pecado, para que se lembre constantemente dele e faça de tudo para esmagá-lo. Jesus nunca se esqueceu do seu pecado, tanto que subiu à cruz para que um dia você pudesse, enfim, se ver livre dele. Esse dia chegará. Num lugar chamado eternidade você não terá mais de conviver com pecado algum. Até lá, que ele sirva como um lembrete continuo de que você não é melhor do que ninguém. 

E ainda assim, Deus te ama. Que amor sublime e extraordinário…

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício Zágari < facebook.com/mauriciozagariescritor >

.
O fim do sofrimento_Banner APENAS
Clicando nas imagens acima e abaixo você vai à loja virtual da livraria Saraiva

Perdaototal_Banner Blog Apenas

Anúncios
comentários
  1. Zuleide disse:

    Realmente, olhando dessa maneira para o pecado ele me ajuda a manter-me humilde e não acusar o meu próximo e sim ter compaixão. Quantas vez já aconteceu de estar acusando uma pessoa na minha mente e o Espírito Santo me ajudar a enxergar a minha situação também. Obrigada pela reflexão, Zágari

  2. Ana Paula disse:

    Maurício,

    Acompanho sempre seu blog, mas não costumo comentar, simplesmente porque não sou mesmo de interagir muito. Geralmente leio e reflito, passando às vezes o texto para outra pessoa ler.
    Apesar desse meu jeito, resolvi escrever para agradecer por mais um texto sábio, de que eu estava realmente precisando!
    Agradeço a Deus pelas reflexões que Ele te dá. Elas com certeza abençoam muitas vidas.
    E aproveito para te dizer que mesmo que não haja muitos comentários nos textos, certamente existem muitas pessoas como eu, que não têm o costume de comentar, mas lêem, são edificadas e agradecem a Deus pela sua vida.

    • Oi, Ana,
      .
      fico muito feliz por o texto ter falado ao teu coração. Peço a Deus que a semente produza frutos.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Deus,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  3. Rejane Miranda disse:

    Aprendi que quando você aponta o dedo para seu irmão (ã), três estão virados para você… Um simbologismo bem usado para refletirmos. Quem somos nós? Todos carecem da graça de Deus!
    Lembro-me de um amiga que estava desconfiada que seu marido a estava traindo. Lhe perguntei: E se estiver o que você fará? Perdoará? Ela na hora respondeu: Claro que não! Aquela mesma mulher havia traído seu esposo e se sentia mal por isso. Lembrei de seu pecado e no mesmo momento ela refletiu… Quem sou eu para julgá-lo?
    Ele não sabia da traição e nunca saberá. Mas ela carregará essa culpa como uma cicatriz fazendo lembrá-la que da mesma forma que ela não é perfeita, seu esposo também não será e todos a sua volta.
    E difícil ?Sim! Mas temos um amigo sempre por perto para nos abrir os olhos e refletir, a partir do momento que fiquemos na intimidade com ele. O Espírito Santo.

    Paz

    • Oi, Rejane,
      .
      que bom que você compreende isso, mana. Essa é uma percepção que nos leva à graça.
      .
      Abraço fraterno, na paz do alto,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  4. Marcos Falcon disse:

    Boa tarde ! Zagari .
    Ótima reflexão!! Acho que existem muitos Cristãos ou que se dizem” Cristãos “, que se esquecem que são pecadores e caem de “pau”,nos outros, julgando , e as vezes os condenando ao inferno ! Que prestemos atenção nessas sábias palavras e as coloquemos em prática. Amém. Fk na paz Zaggão . Falcon

    • Oi, Marcos,
      .
      o grande problema é o entendimento bizarro de que o pecado alheio sempre é pior do que o nosso, o que nos põe numa posição de suposta “superioridade moral”. Isso não existe. Estamos todos no mesmo barco e devemos nos ajudar a todos e não nos condenarmos.
      .
      Abraço fraterno, em Cristo,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  5. Luiz Fernando disse:

    A paz de Cristo, Mauricio. Amei o texto. Esta parte: ” “É ao nos
    percebermos culpados de tantas falhas que
    somos capazes de estender uma mão
    restauradora ao pecador, em vez de um dedo
    acusador.” perfeito. O fato das pessoas julgarem umas as outras, geralmente, é por se acharem melhores e mais santas que as outras. E, quando percebemos a nossa pobreza de espírito, a nossa miséria e pecaminosidsde, tendemos a ser mais compassivos, perdoadores, misericordiosos e cheios do amor de Cristo. Não é à toa que Cristo nos diz que aquele que muito foi perdoado é o que mais ama. E geralmente quem julga tem maior erro, não se pode comparar um argueiro com um cisto, não é mesmo?

    Esse texto me leva a um assunto que é preciso ser pregado com muita diligência nos dias de hoje, que é o amor ao próximo. Tenho ministrado em igrejas, e Deus tem me chamado a atenção para isso. O Senhor me concedeu uma msg que fala a respeito do que é o verdadeiro avivamento. Falo do meio pentecostal, em geral. Pois vemos festividades, chamadas de “avivamentos”, “aviva jovem”, aviva isso aviva aquilo, sai e entra festas e nada muda. Continuamos arrogantes, hipócritas, egoístas, amantes de si mesmo, não conhecemos a quem servimos, vivemos uma vida de superficialidade, sem profundidade com o nosso Deus. Eu pergunto: para que muitas festividades? Se a contenda e o desamor continuam? Se estamos divididos? Avivamento promove não só manifestação do poder de Deus, de dons, mas principalmente mudança de caracter. Para que serve dons espirituais se não há o principal e essencial dom que é o amor? Nada me aproveita muitos dons sem o amor(1co 13). Nos aviamentos da história havia crentes cheios de amor, apaixonados por Cristo, havia união e unidade. Não é tempo, assim penso, de fazermos muitas festas, mas sim de nos lamentarmos e clamarmos a Deus por mísericordia, e por um avivamento de verdade. Pois só seremos reconhecidos como discípulos de Cristo, quando passarmos a amar uns outros como Ele nos amou. Até lá, muitos de nós somos apenas seguidores dEle.

    Perdoe o desabafo e extenso texto
    Grande abraço na paz de Cristo.

  6. Fernanda disse:

    Perfeito seu texto Mauricio. Quantas vezes me pego julgando as falhas dos outros e me achando menos pior que eles. Ainda bem que o Espírito Santo nos mostra o quão horrível nós somos. Até quando fazemos algo de bom é Deus que nos impulsiona. Que aja mais mãos estendidas e menos dedo acusadores.
    Deus te abençoe, um abraço irmão!

  7. Cristiane disse:

    Oiiiiii bom dia Mauricio,

    Espero que voce Nao se importe mas tomei a liberdade de copiar e colar No meu face parte da sua mensagem pois traduziu em palavras Tudo aquilo que eu queria dizer aquele que me tem perseguido, caluniado e que sem reservas age com toda sua sede de vingança…. Tudo isso só me entristece, senti raiva, quis mandar textos biblicos que falam do Nao se vingar mas em nada disso senti a paz… Senti que ainda Nao era aquilo. Seu texto mais a vez me abencoa naquilo que é a raiz do momento. Deus na sua infinite sabedoria quer mudar a mim, Nao o outro. Que o Senhor te abencoe com abundancia.

    • Olá, Cristiane, tudo bem? Como está o filhote?
      .
      Imagine, fique à vontade para disseminar a mensagem. Ela é de Deus, não minha.
      Deus te dê paz e alívio, consolo e tranquilidade, é minha oração por você.
      .
      Abraço fraterno, na paz que excede o que podemos compreender,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  8. Cátia disse:

    Oi, Mauricio. Como sempre vc sendo usado por Deus para nos abençoar. Esse texto retrata o que tenho vivido. Há 1 ano e meio vivo em meio ao sofrimento devido a uma traição que cometi ao meu esposo onde me ARREPENDO AMARGAMENTE (como o pecado destrói….) e desde esse 1 ano e meio imploro por perdão. Meu esposo não consegue me perdoar. Tenho procurado mostrar a ele o quanto me arrependi, o quanto Deus me transformou e quero a cada dia ser uma mulher de Deus. Mas, nada adianta. Em meio a muitas humilhações, acusações, já até me bateu algumas vezes, e o pior diz pra nossa filha de 9 anos o que eu cometi (dói muito). Antes da traição ele já cometeu o pecado virtual vendo de madrugada filmes pornográficos pelo computador, quando descobri ele me pediu perdão e eu o perdoei, encontrei foto de uma mulher seminua em seu celular, ele me pediu perdão e eu o perdoei. Sei que o que fiz foi horrível, mas como preciso do perdão dele. Quando o mostro que ele poderia me perdoar como o perdoei ele diz que o que ele fez é minúsculo perto do que cometi. Posso estar errada (me corrija se eu tiver) mas quando ele vai para o altar (ele é do ministério de louvor da igreja) eu acredito que seu louvor não está chegando aos céus. Como é importante cada pessoa olhar para dentro de si e pedir a Deus que sonde e transforme o coração. Deus se agrada de um coração contrito e quebrantado. Estou orando muito, tenho jejuado e com isso estou bem mais perto do meu Senhor. Sei que Ele irá curar e transformar o coração do meu esposo. Deus é maravilhoso. E irá restaurar meu casamento. E com isso tenho aprendido a me arrepender todos os dias diante de Deus, e quando alguém cometi um erro eu consigo olhar com misericórdia. Obrigada, Maurício por esta reflexão acrescentar minha vida. Que Deus abençoe vc e sua família. Abraço. Cátia.

    • Cátia, olá,
      .
      lamento muito que você esteja passando por isso, lamento mesmo. Permita-me recomendar que você presenteie seu marido com um exemplar do “Perdão total: um livro para quem não se perdoa e para quem não consegue perdoar” (Mundo Cristão). Ali trato em profundidade dessa questão, numa linguagem bastante fácil e simples de ler, e falo, inclusive, do que a Bíblia diz sobre o horror que é não perdoar. Creio que a leitura será extremamente útil para você e, em especial, para ele. Oro por vocês, mana.
      .
      Abraço fraterno, na paz,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  9. Marcelo Antonio disse:

    Mauricio,

    Essa “valorização” ressoa em nossos ouvidos ao lermos Salmo 94;11 e Galatas 6;3. E, claro tantos outros textos que corroboram nesse sentido, que falam de vaidade e falta de moderação ( esta em especial tão desvalorizada nos 3 alicerces de 2 Tm 1;7; calhando bem aos gulosos que o poder tão almejado, é tão fraco que necessita ser amparado de um lado pelo amor e de outro pelo domínio próprio, caso não queira sair por ai se arrastando, como uma serpente, tão conhecida por desprezar esta mãozinha).
    Dias atrás meditava em como muitas vezes nos apegamos a dizer “Pecado”, apenas aquele grande pecado tão intrínseco em nós ( aquele que tão nos machuca, que nos assombra desde o passado). Não seria tamanha prepotência achar que outros tantos não cometemos? Firmada esta na velha premissa do: Não mato, não roubo, não fumo…etc e tal. Vejamos, por exemplo, o velho Samuel ( I Sm 12;23) e o velho Paulo ( Ef 6;18) falando dum pecado que tantos caem todo dia e não se dão conta: Orar pelos outros!
    Outra coisa que percebi ao meditar foi uma resposta do Alto ,para minhas angustias, exatamente nestas palavras: #Pior do que pecar, é desacreditar no Meu perdão!
    Mano, muitas vezes lutamos para acreditar que somos perdoados ( Seu livro dos balõezinhos sabe do que estou falando!). As vezes precisam-se passar dias, para depois sentirmo-nos perdoados. Triste realidade! Uma tamanha falta de fé. que costumo dizer: Chamar Deus de mentiroso. Ops,… não seria também este um outro grandioso pecado, agir sem fé? Ao assim agir, chamando o nosso Pai, a VERDADE em pessoa, em algo tão luciferiano?
    Termino com uma experiencia: Ao preparar-me para servir uns irmãos na comunidade a qual sirvo com uma breve palavra logo me vi ancorado em uma exortação pesada. Palavra esta lá na historia do Careca e os jovens mau criados ( 2 Rs 2;23). Mas eis que a maré subiu pro meu lado e fui direcionado a falar de Fraqueza ( Hb11;34), ou melhor, da minha fraqueza. Detalhe desta virada: Uma semana de ” me achando santo ate demais” afundou em dois minutos de ” Pecado com P maiúsculo.

    Mauricio. fica aqui minha contribuição à um tema tão importante. Espero ter contribuído, e não me alongado muito.

    Forte abraço! Que o Senhor em Sua infinita misericórdia te encha de graça, no poder de ajudar os outros, no amor de construir com o que se sabe, e no domínio próprio de reconhecer que quem domina o seu “eu” é o Próprio Deus

    • Maravilhosa contribuição, Marcelo, muito obrigado por compartilhar!
      .
      Abraço fraterno, na paz do nosso Deus,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

      • Marcelo Antonio disse:

        Eu quem agradeço Mauricio. Tantas e tantas vezes fui edificado com seus escritos.Me envergonho em não poder lhe ajudar mais a disseminar conteúdos tão edificantes. Comprei apenas dois livros seus: A verdadeira Vitoria do cristão e Perdão Total. Outra coisa que me chama a atenção é o fato de você responder os comentários. É de tirar o chapéu sua disposição pra tal atividade. Inspira! Que o Senhor lhe encha de sabedoria para lidar com o tempo e suas prioridades. Abraço enorme.

      • É uma alegria, Marcelo. Responder os comentários é uma questão de educação, apenas, e não uma qualidade minha. Obrigado pelo carinho e o afeto.
        .
        Abraço fraterno, na paz de Deus,
        mz

  10. TONY VICTOR disse:

    Que show essa reflexão Zágari. Parabéns mais uma vez! O cristão deve mesmo se afastar sempre da soberta, por muitas vezes estamos tentados a ser iguais ou piores aos fariseus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s