MarconeOito dias no fundo de um poço, com água acima da cintura, sem comer nada, sem dormir e sofrendo de crise de abstinência devido à ausência de álcool no organismo. Essa foi a luta pela qual passou o senhor Marcone, esse homem que estou abraçando na foto ao lado. Eu o conheci recentemente, quando estive em Campina Grande, na Paraíba, aonde fui pregar sobre os temas de meus dois livros mais recentes, O Fim do Sofrimento e Perdão total. Tive a oportunidade de ouvir sua história de vida numa viagem de carro de Campina Grande a João Pessoa, quando pegamos a estrada na companhia do querido pastor Marconni Cavalcanti, seu quase-xará. Aquele homem de 45 anos me contou, então, seu relato, do qual não me esquecerei.

Natural de uma pequena cidade do interior da Paraíba, Marcone passou mais de três décadas viciado em bebida alcoólica. Era cachaça de manhã à noite. Em consequência da dependência química, sua vida foi destruída, ele foi expulso de casa pela esposa e seus filhos não queriam mais saber dele. O alcoolismo o levou a tal ponto que chegou a ser ameaçado de morte pelo próprio sogro. Acabou se tornando um andarilho, que vagava por estradas e  matagais, dormia debaixo de pontes e se aquecia com folhas de papelão. O álcool chegou a afetar sua sanidade e ele passou a ouvir vozes e sofrer alucinações. Sua vida estava em ruínas e parecia que ele não tinha mais nada a perder. Até que, certo dia, durante uma de suas caminhadas sem destino pelo meio de um matagal deserto, Marcone, embriagado, despencou dentro de um poço profundo e sombrio. Longe de tudo e de todos, com água até acima da cintura, ele se viu preso e sem perspectiva de sair daquele buraco.

poço 1Foram oito longuíssimos dias. Não havia nada que pudesse comer. Tampouco era possível dormir, pois, sempre que começava a cochilar, ele afundava na água e despertava imediatamente. Seu corpo entrou num estado de dormência constante. A falta do álcool o levou a uma crise de abstinência que tornou o quadro ainda mais grave. Precisava fazer as necessidades fisiológicas dentro da mesma água em que estava imerso e só tinha dela para beber. Consegue imaginar a situação? O desespero, a impotência? Pois foi essa tortura agonizante que Marcone viveu por oito (oito!) dias, durante os quais tudo o que podia fazer era refletir sobre a própria vida.

No oitavo dia, dois homens que moravam em uma localidade próxima saíram para procurar uma ovelha perdida, que havia se desgarrado do rebanho. Eles se embrenharam no mato para tentar encontrar o animalzinho perdido. Quando Marcone ouviu a voz dos dois, começou a gritar com as poucas forças que lhe restavam, num desesperado pedido de socorro.

– Quando vi a cabeça daquele homem aparecer lá no alto, na abertura do poço, foi como se eu tivesse nascido de novo – contou-me ele, com sua voz grave.

poço 2Os dois homens conseguiram um fio comprido e, com o auxílio daquele tipo de corda, o puxaram para fora do poço. Dali, fraco e combalido, ele conseguiu se arrastar de volta à civilização. Tinha terminado seu longo suplício. Quinze dias depois, ele decidiu se internar num centro de recuperação, para tentar se livrar do alcoolismo. Foi ali que ele conheceu Jesus e encontrou forças suficientes para superar o vício. Hoje, Marcone já está dois anos sem pôr uma gota de álcool na boca. Com a ajuda dos pastores do centro de recuperação e da Igreja Cristã Nova Vida de Campina Grande, tem conseguido se reestruturar, retomou o contato com a mulher e os filhos (que não queriam nem pensar em voltar a falar com ele) e, aos poucos, tenta reconquistar a confiança dos parentes. Marcone tem trabalhado e conseguido ganhar o próprio dinheiro, que usa para se manter e para enviar alimentos à família. Também se reconciliou com o sogro. Pagou todas as dívidas pendentes em sua cidade de origem. Tem frequentado a igreja, onde ajuda na cantina. A verdade é que, depois daquele poço, sua vida começou a mudar drasticamente – e para muito melhor.

poço 3Todos nós temos um pouco de Marcone. Ninguém gosta de cair em poços, mas muitos de nós acabam em algum momento da vida no fundo de algum poço sombrio. Não um poço literal, como o que engoliu aquele paraibano de mãos calejadas, mas um poço construído por situações adversas da vida. Podem ser poços de sofrimento, dor, luto, abandono, doença, tristeza, depressão, perdas, ofensas, desemprego, escassez, falta de perdão, traições, incompreensão e tantos outros problemas que angustiam nossa alma, minam nossa esperança e fazem parecer que não temos como escapar.

É quando despencamos dentro de uma situação dessas que ficamos famintos de paz, parece que não conseguimos repousar e, quando o descanso parece ser possível, afundamos nas águas amargas e sujas de novas dificuldades. Como um alcoólatra em abstinência, temos alucinações e enxergamos saídas onde elas não existem, buscamos caminhos onde não há e vemos como possibilidades aquilo que na verdade não nos tirará do poço.

SupportÉ nessas horas que ouvimos uma voz. A voz de um pastor que sai em busca de suas ovelhas. Ele escuta nosso grito de socorro e, quando tudo parece perdido, parte em nosso auxílio. Se olhamos para os lados, tudo o que vemos são paredes escuras, que nos limitam e não apontam para nenhuma saída. Mas, se voltamos os olhos para cima, conseguimos vislumbrar o rosto do nosso Salvador. Ele nos lança um fio de esperança e nos puxa daquele local de trevas para a luz. Sem perceber, a transformação começou dentro daquele local de sofrimento.

Saímos combalidos e fracos desses poços de agonia, mas com forças suficientes para procurar auxílio junto a quem pode nos reaprumar e fortalecer. E, quando nos damos conta, percebemos que os momentos difíceis que enfrentamos no fundo daquele poço nos fortaleceu a ponto de conseguirmos mudar aspectos negativos de nós mesmos. Assim, nos aperfeiçoamos e ganhamos forças para empreender melhorias que, havia muitos anos, precisavam ser feitas.

Ao término de seu relato, perguntei a Marcone como ele se compara, hoje, ao homem que despencou naquele poço. Ele não titubeou:

– Não tem como comparar. Eu era um cabra ruim. Hoje sou bem melhor e sinto até nojo quando penso no que vivi antes.

Você está no poço da angústia, do sofrimento, da falta de esperança? Não consegue entender como Deus permite que passe pelo que está passando? Então sugiro que você pense nessas últimas palavras de Marcone e pode ser que consiga entender. Que Deus te dê forças para atravessar os momentos sombrios da vida, sabendo que, ao sair deles, você será uma pessoa muito mais madura, calejada, reflexiva e amoldada ao caráter de Jesus.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
.
O fim do sofrimento_Banner APENAS
Clicando nas imagens acima e abaixo você vai à loja virtual da livraria Saraiva

Perdaototal_Banner Blog Apenas

Anúncios
comentários
  1. carol disse:

    Demais !
    Situacao real, completamente filosófica e figurada ao mesmo tempo.

  2. Amanda Melo disse:

    Estou aqui me segurando para não chorar, estou no trabalho e não posso despencar no choro, mas agradeço à Deus pelas maravilhas que Ele ainda faz por nós!!!!

  3. solange vieira disse:

    Olá Mauricio .
    Exatamente assim nos acontece, e a cada novo dia descobrimos o quanto ainda somos ruins e precisamos ser melhor. Continuo dizendo que ser moldada dói, mas vai valer a pena…no final tudo será melhor do que foi e é.
    Fica na Paz, que Deus te abençoe.

    Abraços em Cristo Jesus.

  4. A minha oração hoje é para que o Espírito Santo de Deus ajude a todas as vidas que se encontram dentro de poços sombrios, desesperadores… (a gente chora porque não consegue nem imaginar o que é passar por tanto sofrimento…). E quantos milhares e milhares de pessoas vivem em um estado semelhante… Há duas semanas, em minha cidade, um jovem de 23 anos tirou sua própria vida por não suportar mais viver no poço em que se encontrava. Desistiu de olhar para cima, desistiu de esperar pelo Pastor… É triste demais.

    Oremos, clamemos, supliquemos por vidas tão preciosas, que muitas vezes passam despercebidas aos nossos olhos, mas que Jesus morreu para que fossem salvas, e também nos ordenou ajudá-los nesse resgate.

    Deixo aqui o meu abraço ao irmão Marcone e outro a você, Maurício!
    Só uma observação, a imagem da pessoa no poço é uma mera ilustração ou é do irmão Marcone?

    • Oi, Francilúsia,
      .
      é o que devemos fazer sim, mana, orar e estender a mão. Ser Igreja no pleno sentido do termo, para levar a paz e o ânimo de Cristo aos que estão triste, fracos e abatidos. A foto é ilustrativa.
      .
      Abraço carinhoso a toda a família, no amor de Deus,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  5. isaquelf disse:

    Maurício, graça e paz!
    Faz muito tempo que não comento por aqui, mas nunca deixei de acompanhar o blog. Quero apenas dizer que o post de hoje fala diretamente comigo. Certas situações na vida mudam completamente nossa comunhão com Deus, buscando-o com mais fervor e confiando plenamente naquele que nunca nos deixa só. Obrigado, meu irmão. Uma boa semana para você e sua família!

    • Oi, Isaque,
      .
      não tem o que agradecer, mano, o Deus que sabe de todas as coisas é que traz paz e ânimo ao nosso coração.
      .
      Abraço fraterno, uma semana de paz e renovo pra ti,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  6. anobre77 disse:

    Sem muitas palavras sobre esse texto … me ajudou muito, pois tenho passado dias terríveis. Obrigado mano por compartilhar histórias reais, de gente real, que sofre, cai, erra, peca, mas que caminha dependente da graça de Deus!
    Abraço!!

  7. Daniel disse:

    Me lembrou uma frase que li no seu livro : ” Na vida , todo final é apenas um novo começo.”

  8. Walber disse:

    Sempre leio os posts e poucas vezes comento aqui, mas diante desse caso, gostaria de compartilhar sobre um similar…

    Chiquitinha como conhecido pelo bairro, apareceu na rua empurrando um carrinho de supermercado cheio de latinhas de alumínio, panela velha e o que mais encontrava pelo lixo alheio para vender como reciclagem, além de seus poucos pertences, um lençol sujo, roupas velhas que ganha aqui acolá, pés descalços e costumeiramente embriagado. Sempre truculento, arrumava confusão com Deus e o mundo, presenciei algumas, às vezes feias, onde ele apanhava. Vivia como o Marcone, andando de um lugar pra outro sem destino, dormindo ao relento geralmente com o lençol sujo e quando estava muito embriagado sem nada pra se proteger do frio.
    Após um culto no domingo ao qual Chiquitinha já era figura presente, falando alto, acompanhando os louvores do jeito que bêbados fazem de melhor… depois dos irmãos irem embora, vimos ele em frente a igreja (moro em frente a igreja rs) embaixo de um papelão encolhido se aninhando pra dormir, fazia frio mas não chovia, maio a agosto chove com frequência por aqui em Recife. Começou a chover torrencialmente, foi o retrato que me veio a mente quando Marcone caiu no posso… meu pastor (que é meu sogro rsrs moro na casa de cima) não aguentou ver a situação abriu a lateral do templo levou colchão, lençol limpo e uma refeição pra Chiquitinha onde nessa noite começou dormir mais confortável.
    Já se vão 3 meses de tratamento contra o alcoolismo e Francisco segue conosco, já não incomoda nos cultos já cheira melhor, já prestou serviços pra igreja, já chorou várias vezes por sentir um pouco mais amor… Creio que os anos de álcool lhe afetaram tb a sanidade mas ele tem dado sinais de melhora.
    Fico imaginando se meu sogro/pastor não fosse lá fazer o papel de cristão… talvez nunca conheceríamos Francisco e como a comunidade passaria a ver a igreja?
    E me perguntei, meu Deus por que não fui eu que tomei a iniciativa? Agradeço a Deus pelo meu pastor.

    Deus abençoe vcs.

    Walber

    • Que maravilha, Walber. Louvo a Deus pela vida de teu sogro e pelo que vocês fizeram a Francisco. Tenho certeza que todos saíram ganhando nesse episódio, nem que seja com amadurecimento e crescimento em piedade.
      .
      Abraço, mano, Deus te abençoe muito,
      mz
      Facebook.com/mauriciozagariescritor

  9. andreia disse:

    …o que dizer??? SÓ CRISTO somente CRISTO!!! para onde iremos se só ELE tem as palavras da vida….. Continue mano a nos trazer esses MARAVILHOSOS relatos em “tempo real” das maravilhas do Pai….

    Com orações e o coração cheio de gratidão ao Pai e alegria,

    Andreia Araujo

  10. Milena disse:

    Oi Maurício.
    Meu comentário não tem a ver com o post, apesar de ele estar muito bom!
    Em uma livraria cristã, procurando umas bíblia, encontrei uma que continha a informação de que havia comentários seus (ou eram devocionais, não lembro). E eu esqueci completamente como era e qual era a bíblia e quero comprar.
    Já procurei na net e não achei.
    Você pode me dizer qual é?
    Valeu!

  11. Márcio disse:

    Às vezes (sempre) quando preciso de uma palavra inspiradora para usar no grupo de oração que presido, eu passo pelo blog pra ver se Deus me fala alguma coisa através da tua vida. E este texto me fez refletir exatamente numa palavra que eu iria utilizar em 1 Jo 5:4: Esta é a vitória que vence o mundo a nossa fé. Este testemunho de vida ilustra bem que a fé em Cristo é o que nos faz vencer as dificuldades da vida. Muito obrigado por ser uma bênção. Deus te abençõe.

    • Oi, Márcio,
      .
      não tem o que agradecer, querido, do Senhor vem toda dádiva e todo dom perfeito. Obrigado por se deixar usar no grupo de oração, continue levando o amor e a graça de Deus a todos.
      .
      Paz seja contigo, sempre,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  12. Sidnei disse:

    Eis o verdadeiro testemunho do que representa o novo nascimento.
    “…Hoje, Marcone já está dois anos sem pôr uma gota de álcool na boca. Com a ajuda dos pastores do centro de recuperação e da Igreja Cristã Nova Vida de Campina Grande, tem conseguido se reestruturar, retomou o contato com a mulher e os filhos (que não queriam nem pensar em voltar a falar com ele) e, aos poucos, tenta reconquistar a confiança dos parentes. Marcone tem trabalhado e conseguido ganhar o próprio dinheiro, que usa para se manter e para enviar alimentos à família. Também se reconciliou com o sogro. Pagou todas as dívidas pendentes em sua cidade de origem…”
    Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.
    Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
    Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
    Filipenses 3:12-14
    Que Deus continue lhe abençoando e inspirando!
    Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s