remedios0É extremamente comum eu deparar com irmãos e irmãs em Cristo que vivem esmagados pelo peso desta dúvida: diante de uma doença, deve-se recorrer à medicina humana ou esperar por um milagre de Deus? Não é raro ouvirmos, especialmente entre nós, pentecostais, pessoas que defendem que buscar socorro junto à medicina seria falta de fé. Por isso, muitas e muitas pessoas se veem em crise, sem saber se devem se submeter a tratamentos médicos ou esperar pela cura milagrosa. Pois bem, a todos que chegam a mim com essa dúvida eu sempre digo: recorra ao milagre – da medicina. Vou explicar.

Eu acredito em milagres. A Bíblia afirma e reafirma que o Senhor é capaz de fazer qualquer coisa, em sua onipotência, mesmo o que nos parece impossível. “Porque para Deus não haverá impossíveis em todas as suas promessas” (Lc 1.37); “Os impossíveis dos homens são possíveis para Deus” (Lc 18.27); “Jesus, fitando neles o olhar, disse-lhes: Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível” (Mt 19.26); “Para os homens é impossível; contudo, não para Deus, porque para Deus tudo é possível” (Mc 10.27). Então, sim, é bíblico que Deus possa realizar curas sobrenaturalmente. Creio em milagres porque creio que Deus tem capacidade para fazê-los.

Já vi Deus operar milagres de cura de deixar o queixo caído. Tenho pessoas próximas diagnosticadas com cânceres que desapareceram sem explicação, por exemplo. Então sou profundamente crente na possibilidade de o Todo-poderoso curar pessoas em nossos dias de forma sobrenatural. Porém, a realidade da vida nos mostra que nem todos serão sarados milagrosamente. Tendo dito isso, permita-me explicar que, a meu ver, não existe separação entre medicina humana e a atuação de Deus. E digo isso porque enxergo a medicina como um enorme milagre. Quando pensam na medicina humana, muitas pessoas parecem que a veem como algo distinto da ação divina, como se remédios e tratamentos alopáticos fossem algo mundano. Talvez, até… satânico? Mas você já parou para pensar sobre como surgiram os medicamentos?

remedios1Remédios foram criados a partir da capacidade de seres humanos de perceber, estudar, analisar e compreender que determinadas substâncias químicas existentes na natureza e sintetizadas em laboratório são capazes de curar doenças. Para nós isso parece natural hoje em dia, mas pense em séculos atrás, na época em que não se sabia, por exemplo, que o ácido acetilsalicílico curava dor de cabeça. A sabedoria concedida aos homens que perceberam isso e desenvolveram formas de administrar essa substância a pessoas que agonizavam com enxaquecas não é um milagre de Deus? Não sei quanto a você, mas, quando tenho dor de cabeça, tomo uma aspirina e ela some em minutos, não são os laboratórios farmacêuticos que louvo em gratidão: é a Deus.

A Bíblia afirma: “Toda boa dádiva e todo dom perfeito são lá do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não pode existir variação ou sombra de mudança” (Tg 1.17). Diante disso, vemos que o conhecimento humano que levou pessoas a descobrir como fabricar medicamentos é uma boa dádiva que veio direto do Pai. Pense em Salomão; a sabedoria dele não foi uma dádiva que Deus lhe concedeu? Quando Salomão ou Débora julgavam de forma sábia, você pensa que essa sabedoria era mundana ou um milagre de Deus, fruto de uma ação direta do Senhor na mente deles? Meu irmão, minha irmã, entenda que tudo de bom, criativo, abençoador ou maravilhoso que eu, você ou qualquer outro ser humano – seja cristão ou não – façamos é resultado da ação divina em nós e, portanto, é um milagre.

remedios2Leio muitos comentários aqui no blog APENAS de leitores que afirmam que Deus respondeu a suas dúvidas, amainou suas angústias, deu-lhes paz ou muitas outras coisas por meio dos textos que escrevo aqui. Sinceramente, você acredita que isso é mérito meu? Claro que não, é um milagre de Deus, que usou a mim para levar consolo, edificação e exortação aos irmãos e irmãs, de cujas questões eu nem mesmo estava ciente quando escrevi os textos. Portanto, toda benção que vem da leitura dos meus posts é dádiva do alto, não resultado de esforço humano. Só que, curiosamente, ninguém fala “ah, não vou ler os textos do Zágari em busca de respostas não, pois isso seria falta de fé, vou esperar Deus aparecer para mim pessoalmente para me ajudar”. Ninguém faz isso porque sabe que Deus usa pessoas para cumprir seus propósitos. Mas, quando o assunto é saúde, muitos parecem se esquecer disso.

Mais um paralelo: em Atos 8.38, o texto relata que, após Felipe batizar o eunuco etíope, aquele discípulo de Cristo é arrebatado e transportado milagrosamente para uma localidade distante. Ora, diante disso, quem crê que tomar remédios é falta de fé não deveria considerar também falta de fé pegar um avião ou um carro feito pelos homens para ir de uma cidade a outra? Fé, segundo esse pensamento, não seria orar e crer que Deus faria o milagre de nos teletransportar de um lugar a outro, como fez com Felipe? Só que ninguém pensa isso. Parece que a única atitude em que recorrer a produtos humanos exprime falta de fé é tomar remédios. Essa ideia não faz nenhum sentido, oprime milhões de bons irmãos e irmãs em Cristo e gera culpa, descrédito, dores e, até mesmo, apostasia. Precisamos agir com graça com nossos irmãos que enfrentam enfermidades. Na doença deles, apoiá-los e não condená-los. Estender compaixão e não acusações. Se eu ficar doente, orarei a Deus pedindo a cura, mas, também, tomarei remédios. Que ele me cure conforme a vontade dele e não a minha e do modo dele e não do meu. E me atrevo a dizer mais: se o Senhor não me curar, ainda assim o louvarei, pois ele continuará sendo Deus.

Querido, querida, todo remédio que já foi criado é fruto da graça comum do Criador, que iluminou milagrosamente cientistas para descobrirem que aquelas substâncias seriam capazes de curar as minhas e as suas enfermidades. Por isso, tome, sim, medicamentos, e fique bem. E, toda vez que ingerir um remédio e ficar livre da doença ou da dor que te afligia, ore ao Senhor em agradecimento e diga a ele: “Obrigado, Pai, pelo milagre da medicina humana, fruto da tua ação sobrenatural sobre a mente dos homens”. E fique em paz.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio Zágari

Perdao Total_News cortado

Anúncios
comentários
  1. Nadia Malta disse:

    O que dizer diante de um texto como este? Um grande e sonoro AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAMÉEEEEEM! Vou explicar meu entusiasmo. Uma das maiores dificuldades que encontro no exercício do aconselhamento é convencer as pessoas que elas precisam de médico. E que o Senhor faz como quer. Ele pode curar por meios sobrenaturais ou naturais. Eu mesma tenho uma saúde frágil, sinto dores articulares 24 h e não posso tomar remédios específicos por causa dos rins e quando as dores se tornam insuportáveis tenho que tomá-los, tanto uma ação quanto a outra é debaixo da mão do Senhor. Não posso tomar uns e tomo outros tantos. Aliás, a sacola de remédios tem crescido. Pela graça de Deus estou de pé e pela mesma graça Ele tem me concedido fé e alegria pra continuar a jornada. Temos prazo de validade nesta terra. Hoje tenho 60 anos. Qual o melhor dos meus dias? O Hoje, o agora de Papai. E glória a Deus por sua Cura ou não. Através dos remédios ou não. De todos os modos glorifiquemos a Ele! Que Deus te abençoe meu irmão e continue te usando.

    • Oi, Nadia,
      .
      louvo a Deus por sua clareza de pensamento e por sua maturidade nas coisas de Deus, querida. Que o Senhor continue te usando com equilíbrio e convicção bíblica.
      .
      Abraço fraterno, na paz do Mestre,
      mz

  2. Rosana Navarro disse:

    Paz Mauricio Verdade. Todas as vezes que me coloco à mesa para tomar minhas refeições sobe ao meu coração uma GRATIDÃO que muitas vezes me leva as lagrimas. Porque Deus deu uma semente a alguém que a plantou,colheu,transportou,chegou até minha casa porque pude compra-la tive fogão para cozinha- la e muitos processos mais. Tudo vem de Deus que é fiel e cuida de nossas necessidades diárias. Louvado seja o Senhor por tudo. Abraço pra você que tem permanecido em Cristo como nós.

  3. anobre77 disse:

    Bom dia meu irmão! Como vai?
    “(…) todo remédio que já foi criado é fruto da graça comum do Criador” define exatamente o que eu penso e como creio hoje. Me lembro de uma vez em que um irmão, bem intencionado sim, orou por mim e disse que eu poderia ali mesmo parar de tomar todos os remédios que eu tomava. Parei… cri… e foi uma catástrofe… o pânico e a depressão voltaram com mais força e corri pro médico, e após voltar a tomar remédios tinha vergonha desse amigo amigo me ver tomando (na empresa onde trabalhávamos juntos). Por isso, nesse processo de enfermidade, fui entendendo que os medicamentos, fruto da graça comum desse Deus tão maravilhoso, eram pedaços desse milagre da capacidade humana, doses de amor de Deus, que aos poucos iam me fazendo descansar e acreditar que na eternidade minha dose será uma só: alegria eterna.
    Deus te abençoe pelo post…. Deus te abençoe por desmistificar assuntos tão obscuros ainda. Um abraço e muita saúde pra todos nós!! Boa semana meu irmão!!

    • Oi, Alexandre,
      .
      é isso, você é um exemplo de quão destrutiva é essa doutrina de homens que tanto maltrata o povo de Deus. Que nunca caiamos em arapucas como essas.
      .
      Abraço, na paz,
      mz

  4. Mateus disse:

    “Há duas formas para viver sua vida:
    Uma é acreditar que não existem milagres.
    A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre.”
    (Albert Einstein)

    “…toda a terra está cheia da sua glória.” – Isaías 6:3b

    A medicina é um milagre, assim como a própria vida. Glória pois a Deus. Abraço fraterno!

  5. Luiz Fernando disse:

    Graça e paz, amado.
    Muito verdade. Sou testemunha. Já ouvi irmãos dizerem que remédio para depressão não é coisa de Deus. Porém, conheço irmãos em Cristo que já tomaram e tomam remédios para doenças emocionais e vivem uma vida com frutos na presença do Pai. Se não fosse de Deus, por que estão bem, e, na casa de Deus, fazendo a obra?

    É complicado. Na verdade isto vem de cultura. Muitas pessoas tem essas opiniões formuladas por causa das tradições orais que lhes são passadas. Claro, o poder de Deus vai muito mais além da medicina. Mas Deus é bom, e sabe como faz, e mesmo com a medicina avançando não se sente ofendido, ou, o seu poder de forma alguma é ameaçado por ela(até porque, como já foi dito, foi Ele mesmo quem criou a medicina, e tudo que há). Lembremos que o impossível Deus faz. Portanto, quando a medicina for incapaz em algum determinado momento, eis que entra o Deus do impossível, ou melhor, o Deus do possível, pois tudo é possível a Ele. A Ele a glória.

    Que Deus te abençoe, mano. Na graça e na paz que nos sustenta.

  6. Alexandre disse:

    Concordo, creio na cura Divina.
    Mas creio que Deus deu sabedoria para os homens para criar remédios, imagina hoje se não tivéssemos a vacina da paralisia infantil.
    Grande abraço

    Alexandre

  7. Ediná disse:

    Bom dia Mauricio.
    É verdade. Deus cuida de nós, seja pela medicina que é providencia Dele, seja por milagres.
    Como disse o apóstolo Paulo: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.” 1 Coríntios 15:19
    Ao buscarmos a Deus somente pelas coisas desta vida seremos pessoas miseráveis, porque um dia vamos morrer e nada do que buscamos aqui terá proveito. Creio que Deus em sua sabedoria, provém para nós o que de fato necessitamos para nossa edificação como filhos Dele.

    Deus te abençoe!!!

  8. Olá, Zágari. Acredito que isso também se aplica à consultas aos psicólogos. Já conheci pessoas que precisavam de orientações psicológicas mas tiveram receio de ir por causa da sua religião, achavam que estaria dando descrédito a Deus se tentassem ver uma solução para seus problemas numa clínica. Talvez, nesse caso, isso ocorra porque tem muita gente nessa área que não credita em Deus, para alguns, tudo é tangível e racional. Mas penso que o conteúdo do seu texto também se aplica a essa situação, que é válido, sim, procurar um psicólogo ou psiquiatra para tentar esclarecer problemas emocionais, que esses profissionais também tem seu ofício abençoado e podem abençoar vidas através dele.

    Abraço.

    • Oi, Amanda,
      .
      não tenho nenhuma dúvida de que a psicologia e a psiquiatria são válidos. São ciências, criadas por homens alcançados pela graça comum de Deus para desenvolver terapias e medicamentos que nos auxiliam. Desde que o tratamento não crie na mente do paciente um aspecto nocivo de sua fé, é extremamente válido e recomendável.
      .
      Deus a abençoe muito, na paz do Mestre,
      mz

  9. Greize disse:

    Amém.Se não fosse os remédios que tomei quando tive uma enfermidade, nem sei se estaria aqui.
    Só quem andou por uma ala hospitalar sabe e aprende o valor dos medicamentos e do médico.
    Como Cristão, aprende que é Deus quem cria Tudo e dá Sabedoria.

    Os antidepressivos, se usados com indicação médica aliados com boa alimentação e atividade física, são bem vindos.

    Não exagerando, não viciando.Tudo que Deus cria e dá sabedoria é sim um Milagre.E Cristo Nunca deixa de ser o Médico dos Médicos.

    Abraços.E saúde a todos!!Que bem mais valioso que podemos ter!!!

  10. paulo silva disse:

    Olá, Zagari.
    Não é simples como tenta fazer parecer. Sim, eu também tomo remédios, mas claro que preferiria a cura divina, pois esta não me traria nenhum efeito colateral ou reação adversa. E muitos medicamentos não curam, mas atuam enquanto são ministrados, ou seja, condenam pessoas a os utilizarem para o resto da vida, muitas das vezes. Neste caso, onera ainda o orçamento de muitos. Detalhe que pode fazer toda a diferença na vida de alguns! O ideal seria evitar o quanto possível recorrer a um médico. Sabemos de inúmeros casos de pessoas diagnosticadas erroneamente, resultando em agravamento da situação e não raro em óbito até. Contudo, querer “não” é poder, e então mesmo consciente de tudo isto, não temos escolha se o “milagre divino” não acontecer. Deixe me contar algo que aconteceu poucos dias atrás: Minha mãe acompanhou meu pai numa consulta emergencial e glorificou a Deus ao saber que ele (apesar do formigamento no braço direito e falta de firmeza nas pernas) não estava ainda, sofrendo um AVC. O médico reagiu e disse que graças deveriam ser dadas a ele que estava administrando a questão, não a Deus. Claro que como cristã ela insistiu que primeiramente deveria sim agradecer a Deus que foi quem, inclusive, deu a sabedoria aos médicos. Em segundo lugar caberia agradecer ao médico. Não aceitando tal o argumento, o doutor pôs se a rir com o apoio de meu pai que não é evangélico.
    Fique na paz de Deus.

    • Olá, Paulo,
      .
      na verdade, confesso que vejo simplicidade sim. Se ficamos doentes, oramos a Deus, pedindo a cura, e recorremos ao que a medicina divinamente inspirada oferece. Se Deus cura milagrosamente, amém, é motivo de júbilo e glória ao Senhor. Se ele não cura milagrosamente, mas por meio dos medicamentos, amém, é motivo de júbilo e glória ao Senhor. Se não somos curados nem milagrosamente, nem por meio da medicina, continuamos exaltando ao Senhor, porque ele é bom, soberano e glorioso, apesar de não atender ao nosso desejo. Deus não é glorificado somente quando os não evangélicos reconhecem um milagre, ele é glorificado mesmo no vale da sombra da morte, e sua glória não depende do reconhecimento humano. A meu ver, é uma equação simples, mas respeito seu ponto de vista.
      .
      Grande abraço, no amor do nosso Pai,
      mz

      • paulo silva disse:

        Mas fácil fica ainda se considerar apenas uma parte do que tratei. Tudo bem, além de não ser a primeira vez que assim procede, não há necessidade de tornar tal num debate.

        Fique na paz de Deus Pai.

  11. Honra o médico por causa da necessidade, pois foi o Altíssimo quem o criou.

    2. (Toda a medicina provém de Deus), e ele recebe presentes do rei:
    3. a ciência do médico o eleva em honra; ele é admirado na presença dos grandes.
    4. O Senhor fez a terra produzir os medicamentos: o homem sensato não os despreza.
    5. Uma espécie de madeira não adoçou o amargor da água? Essa virtude chegou ao conhecimento dos homens.
    6. O Altíssimo deu-lhes a ciência da medicina para ser honrado em suas maravilhas;
    7. e dela se serve para acalmar as dores e curá-las; o farmacêutico faz misturas agradáveis, compõe ungüentos úteis à saúde, e seu trabalho não terminará,
    8. até que a paz divina se estenda sobre a face da terra.
    9. Meu filho, se estiveres doente não te descuides de ti, mas ora ao Senhor, que te curará.
    10. Afasta-te do pecado, reergue as mãos e purifica teu coração de todo o pecado.
    11. Oferece um incenso suave e uma lembrança de flor de farinha; faze a oblação de uma vítima gorda.
    12. Em seguida dá lugar ao médico, pois ele foi criado por Deus; que ele não te deixe, pois sua arte te é necessária.
    13. Virá um tempo em que cairás nas mãos deles.
    14. E eles mesmos rogarão ao Senhor que mande por meio deles o alívio e a saúde (ao doente) segundo a finalidade de sua vida.
    15. Aquele que peca na presença daquele que o fez, cairá nas mãos do médico.

  12. Concordo plenamente. Deus é tão maravilhoso que deu sabedoria ao homem! Aqui em casa passo por uma situação semelhante, minha mãe é evangélica muito conhecida mas se queixa de tomar remédios, por ser ruim tomar sempre, até aí tudo bem. O que me deixa de cabelos em pé é ela dizer que Deus vai ajudar, e canso de falar que não ele não é nosso empregado. Se tem remédios deve tomar. A questão a humanidade fica atentando seu Deus, achando que ele vai mandar cura divina.

  13. Antonella disse:

    Olá Mauricio! Graça e paz!
    Encontrei seu blog por acaso e devo confessar que aliviou muito a minha alma ler algumas coisas…
    Na verdade estou tão confusa que gostaria se fosse possível que me aconselhasse….
    Vou escrever bem resumidamente mais de maneira que vc tenha base para me responder ok!
    Tive uma primeira crise de pânico com 12 ano de idade, meu pai e minha mãe na época por já terem passado pela mesma coisa no passado, de cara identificaram o que era e me encaminharam para um psiquiatra…comecei então a fazer tratamento com diversos remédios, onde foi uma grade jornada de sofrimento até achar um psiquiatra bom e o tratamento mais adequado. Bom, resumindo bem a história, hj tenho 27 anos, me casei e fazia uso da venlafaxina de 150mg durante uns 6 anos, acontece que engravidei e tive que parar, (quase morri) pois a venlafaxina é terrível…pois bem, hj minha bb esta com 1 aninho e eu a 1 ano e 9 meses sem tomar remédio.
    A questão é que não foi fácil até aqui, estou bem melhor do que antes, porém sofro de “desrealização” uma sensação horrível onde parece que não estou no lugar…as pessoas por vezes me parecem estranhas e por aí vai…essa sensação é a primeira sensação para se desencadear a síndrome do pânico….mais como eu já sinto essas sensações desde pequena então eu não me assusto mais embora seja tão terrível e desagradável que parece que vou enlouquecer, mais sei que não vou então fico calma….mais o incômodo é grande e desagradável….como conseqüência dessa sensação não desfruto da minha família, nem de momentos de lazer…isso tende a piorar se vou para algum lugar que não conheço, por exemplo viajar ou dormir fora de casa, quando saio da minha zona de confiança…
    Ok, cheguei onde eu queria e no ponto do meu conflito….
    Fui separada a Pastora, prego, ministro as ovelhas, tenho minha vida com Deus e etc….por conta disso não consigo assimilar essa minha “doença” na verdade não sei mais o que pensar….será que não estou tendo a intimidade devida com Deus? Ou será que não confio nEle o suficiente para que meus medos e síndromes sejam curados??
    Voltei ao psiquiatra pois já não aguentava mais viver dessa maneira, afinal tenho uma bb linda que está crescendo e eu não aproveito da maneira que deveria…tenho uma família maravilhosa, marido, pais, tudo perfeito mais aqui dentro de alguma maneira não está…pois não consigo desfrutar plenamente de tudo isso…
    E ai então me cobro me perguntando o que estou fazendo ou deixando de fazer como serva de Deus para que isso aconteça…
    O Psiquiatra me prescreveu venlafaxina novamente, mais eu disse que não tomaria ela pois só eu sei junqueira sofri para parar…então me prescreveu sertralina…comecei a tomar ontem mais confesso que muito chateada…pois achei que nunca mais precisaria tomar medicação….
    E ai já não sei o que pensar…pois sei que tomando medição estou apenas camuflando o problema quando na verdade ele ainda está lá e precisa ser resolvido….mais resolvido como?? Já fiz umas 5 ou 6 ministracoes de cura e libertação, claro foram boas me ajudaram em alguns aspectos, mais ainda me sinto da mesma forma…
    Uns dizem que é um desequilíbrio nas substâncias do cérebro e por tanto uma doença física que precisa da medicação para normalizar…mais será que essa descompensação química acontece por conta do comportamento ansioso, ou por falha do organismo mesmo?
    Será que devo votar a tomar a medicação e ao longo da minha caminhada com Deus pedir para que Ele me cure? Ou devo ficar sem tomar e esperar até eu conseguir enfrentar todos os meus conflitos?
    Bom, me perdoa tomar seu tempo, mais creio que ninjas dúvidas e anseios ajudarão outras pessoas tb que de repente não tem coragem de escrever!!
    Desde já muito obrigada e que Deus continue lhe capacitando para ajudar o próximo!
    Graça e Paz!
    Antonella

    • Olá, minha irmã, graça e paz,
      .
      antes de tudo, peço que me perdoe pela enorme demora em responder. Na virada do ano saí em viagem de férias e emendei com a escrita de meu último livro, o que me ocupou as madrugadas e atrapalhou nas respostas aos comentários do blog. Venho aos poucos respondendo, pois havia muitas acumuladas. Desculpe-me tamanha demora. Se ainda está em tempo:
      .
      Lamento que você esteja passando por isso, já sofri de problemas análogos e sei que não é fácil. Peço a Deus que você consiga encontrar um tratamento adequado e alcance a paz de que tanto precisa.
      .
      De forma nenhuma você deve se culpar pelo que está enfrentando. A sua condição é um problema bioquímico, um desequilíbrio na produção de neurotransmissores, não tem absolutamente nada a ver com falta de fé. Isso deve, sim, ser tratado com medicamentos adequados. Existe um pensamento equivocado entre algumas igrejas de que tomar remédios representa falta de confiança em Deus, o que é um absurdo. Quem criou as substâncias usadas em medicamentos foi Deus. Quem deu sabedoria aos cientistas para aprender a sintetizá-las foi Deus. Quem capacita médicos para diagnosticar o que temos e receitar tratamentos é Deus. Logo, dizer que recorrer à medicina é uma falha espiritual é tirar de Deus o mérito pela ciência humana, o que não faz nenhum sentido.
      .
      Sim, minha visão é que você deve tomar os medicamentos enquanto pede a Deus que a cure, mas sempre ciente de que ele pode ou não curar. Vem da soberania do Senhor.
      .
      Jesus veio para vencer a morte, a carne e o inferno, não para curar toda e qualquer doença. Se não fosse assim, que dizer de Timóteo? Será que ele não tinha fé? Essa doutrina de que Jesus curou tudo e nós só temos de tomar posse é uma interpretação muito errada de Isaías 53. Se não fosse assim, ninguém morreria, afinal, ninguém morre de “morte”, morremos de condições médicas e doenças: pneumonia, infarto, parada respiratória, derrame etc.
      .
      Minha recomendação, V., é que procure um bom médico psiquiatra, que lhe receite medicamentos adequados. Se possível, faça terapia, pois é muito útil em casos como o seu. Creia sempre na cura, pois Jesus faz milagres, mas sempre lembre-se de orar: “seja feita a tua vontade e não a minha”. Seus conflitos podem ser tratados concomitantemente ao cuidado com seu corpo e a terapia pode ajudar muito nesse sentido.
      .
      Ter fé não é deixar de procurar ajuda de especialistas, ter fé é crer que Jesus pode usá-los para te curar ou dar paz e equilíbrio em meio à tribulação.
      .
      Homens e mulheres de Deus sofreram e sofrem com problemas de saúde. Na Bíblia você encontrará inúmeros casos. Na história da igreja, idem. Spurgeon, por exemplo, sofria de depressão e vivia de cama. Entenda, V., que não tem nada a ver com sua intimidade com Deus. Sua intimidade te faz passar com firmeza pelas provas e não evitará que elas venham.
      .
      Ministrações de cura e libertação vão ajudar a resolver problemas espirituais e emocionais, mas não desequilíbrios neuronais. Para isso, você precisa de medicamentos certos e na dose certa. Não há nada de errado com a sua fé. Pelas suas palavras fica claro que você é uma mulher de Deus, temente, com vida devocional, fiel a seus princípios, boa esposa e mãe… sua fé está correta. Não se martirize pelo que não é fato.
      .
      Peço a Deus que você consiga encontrar um bom médico, que lhe receite um bom tratamento. Se possível, junto com terapia. Não seria nada mal você procurar ter, também, um mentor espiritual, um pastor experiente e, de preferência, que seja de uma denominação tradicional, para contrabalançar as doutrinas que confundiram a sua mente. Eu sou pentecostal, mas, em certos momentos, é importante buscarmos ajuda junto a homens de Deus que focam sua fé em questões bíblicas que não enfatizam certas práticas neopentecostais (em especial, o pensamento equivocado da confissão positiva). Seria muito bom para você. E, por favor, V., não se culpe. Você não é culpada. Você já carrega um fardo pesado, não some a isso um fardo de culpa que você não precisa carregar.
      .
      Espero de algum modo ter ajudado. Peço a Deus pela sua vida, na certeza de que Deus é com você e te ama. E de forma nenhuma isso é tomar meu tempo, estou aqui para servir. É sempre um prazer ajudar.
      .
      Abraço fraterno, no amor que nos une em Cristo,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s