toxicas2É triste mas é verdade: existem pessoas tóxicas. São indivíduos que, por onde passam, deixam uma sensação muito ruim no ar, seja de mal-estar, tristeza, mágoa, derrotismo, antipatia, dissensões… suas palavras e/ou ações acabam provocando muitas sensações ruins e gerando situações incômodas. Essas pessoas me lembram um pouco o personagem Cascão, da Turma da Mônica, que por onde anda deixa o rastro de seu cheirinho desagradável. No caso de gente tóxica, o que fica não é mau odor, mas um clima muito estranho no ambiente, algo ruim, falta de paz. Você conhece gente assim? Provavelmente sim. E o que fazer com pessoas que causam mal-estar por onde passam? Melhor: como proceder, como cristão, quando pessoas tóxicas atravessam seu caminho?

Não fui eu quem inventou o conceito de “pessoa tóxica”, ele já existe e foi elaborado com mais cuidado pelo escritor e psicólogo argentino Bernardo Stamateas. “Tóxico” significa ser “venenoso”. Assim como uma substância tóxica que, despejada em um rio, mata peixes, plantas e outros seres vivos que tiverem contato com aquela água, um indivíduo “tóxico” é aquele que envenena os arredores – seja pelo que fala, seja pelo que faz, seja pelo que transmite. Ele causa abatimento de alma, conflitos, irritação, uma sensação incômoda e, invariavelmente, provoca falta de paz. Essa, aliás, é uma característica comum a todo tipo de pessoa tóxica: parece que ela contamina a paz que existe ao seu redor, como a fumaça tóxica de cigarros parece tornar o ar à sua volta irrespirável. Não é alguém que você tenha prazer de encontrar. A má notícia é que todo lugar tem sua cota de pessoas tóxicas – até mesmo as igrejas. Por isso, temos de aprender a lidar com esse problema, biblicamente.

toxicas3O melhor dos mundos é que esse indivíduo perceba que tem influenciado negativamente seu entorno, arrependa-se e abandone esse modo de ser. Você, meu irmão, minha irmã, pode ser o canal para essa transformação. Por isso, se houver ocasião e você tiver liberdade para isso, advirta com amor e carinho essa pessoa. Procure mostrar as consequências ruins de suas atitudes. Mas, se ela prosseguir em sua postura incômoda e desagradável, só há um caminho: afastar-se, para que você não acabe sendo contaminado e reproduza em seu comportamento aquilo que Deus aborrece ou abomina: “Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos” (Pv 6.16-19). Fuja de tudo isso. Não deixe que ninguém o influencie a trilhar esses caminhos.

Portanto, se não houver mudança de comportamento, a melhor maneira de se lidar com pessoas tóxicas é manter-se distante delas e, se necessário, cortar o contato. Paulo dá um exemplo de pessoa tóxica que deveria ser evitada, quando recomenda a Timóteo: “Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe dará a paga segundo as suas obras. Tu, guarda-te também dele, porque resistiu fortemente às nossas palavras” (2Tm 4.14). Com esse afastamento, tais indivíduos não conseguirão exercer sua influência nociva sobre você.

toxicas4Portanto, não se deixe contaminar. Pois é fácil, por exemplo, virar um fofoqueiro quando se convive muito com fofoqueiros. Ou tornar-se um reclamão, quando cercado por reclamões. Ou adotar uma postura pessimista, se andar na companhia de pessimistas. A língua é terrível, nesse sentido, como Tiago destacou bem em sua epístola. Nas igrejas, geralmente uma pessoa maledicente acaba conduzindo quem está ao redor à maledicência. Ela fala mal de um irmão e, em pouco tempo, atrai para si um grupo de “discípulos” que passa a multiplicar aquilo que ela diz. Então, se você detectar que uma determinada pessoa consegue infectar as demais com a nuvenzinha negra que transporta sobre sua cabeça, evite reproduzir o que ela faz. Se ela chega para fofocar sobre a vida alheia, criticar negativamente os outros, meter o malho sem nada edificar, arrastar você para um estado de espírito depressivo, transformar seu dia para pior… simplesmente se recuse a participar da conversa. Em outras palavras, fuja das rodas tóxicas, sejam elas dos escarnecedores ou de quaisquer outros influenciadores de comportamentos perniciosos – mesmo que essa influência ocorra “em nome de Jesus”.

Em nossos dias, infelizmente muitas pessoas tóxicas conseguiram ampliar o alcance de seu veneno graças ao advento da televisão e, principalmente, da internet. Quem antes só destilava mal-estar para quem o cercava agora consegue estender esse clima ruim para milhares de pessoas por meio de todo tipo de mídia: programas de TV, redes sociais, YouTube, blogs, sites… as possibilidades são muitas. Pode reparar: se você criar o hábito de consumir o azedume destilado por esses irmãos, vai acabar destilando o mesmo azedume. Se não tomar cuidado, em pouco tempo estará adotando o mesmo tipo de discurso, assumindo postura agressiva semelhante, deixando-se deformar pela influência do veneno que chega até você pelo computador e pela televisão – e isso será péssimo. “Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes. Tornai-vos à sobriedade, como é justo, e não pequeis; porque alguns ainda não têm conhecimento de Deus; isto digo para vergonha vossa” (1Co 15.33-33). Conhece quem esteja vivendo sob a influência de gente tóxica on-line ou via satélite? Pois cuidado para não se deixar envenenar também.

toxicas5As pessoas tóxicas que estão nas mais variadas mídias são diferentes das que convivem com você, no sentido que raramente você conseguirá chegar até elas para alertá-las em amor acerca do mal que estão disseminando. E, se conseguir, geralmente o seu posicionamento será repudiado como errado, menos espiritual ou menos embasado teologicamente. A distância virtual blinda. Pessoas com, por exemplo, fama ou muitos seguidores e “amigos” em redes sociais muitas vezes confundem isso com sinal verde para se tornarem altivos. Nesses casos, meu irmão, minha irmã, bater de frente não vai adiantar nada. A atitude deve ser fugir dessas pessoas. Falo por experiência. Há um bom tempo eu simplesmente fujo de toda e qualquer coisa que pessoas tóxicas postem na web ou falem na TV. Não leio mais o que escrevem em redes sociais; não assisto mais a suas pregações, a seus podcasts ou programas on-line; ignoro o que publicam em seus sites e blogs; fujo de seus programas de web TV. Se alguém me manda por e-mail o que as tais divulgam, eu simplesmente deleto sem olhar. E como valeu a pena! Por isso falo de algo que tenho posto em prática: fugir desse tipo de influência deixa você mais leve, saudável, em paz. É bom para a saúde – física, emocional e espiritual. E, livre dessas influências, o que você passa a falar torna-se muito mais agradável e edificante e a sua vida passa a dar muito mais frutos. Como alguém que para de fumar e, aos poucos, torna-se mais saudável e bem disposto, remover essas influências da sua vida só vai te fazer bem. Busque consumir somente aquilo que some e te faça ser alguém melhor.

Uma das grandes dificuldades para se conseguir manter-se distante da influência das pessoas tóxicas que estão na internet e na TV é a curiosidade. Você vai chegar na igreja e todos vão começar a comentar o que o famoso fulano de tal disse e que está disponível no YouTube. É natural sentir aquele comichão para buscar assistir ao que está na boca do povo. Mas, como alguém que enfia a mão em uma toca de cascavel, abrir-se a essa influência só te fará mal. Se você está nas redes sociais, fatalmente montes de seus amigos vão compartilhar o texto daquele irmão tóxico que destila mal-estar, tensão, polêmicas, dissensões e amargura por onde passa. É preciso ter domínio próprio para não abrir o link e ler aquilo que te fará mal. A boa notícia: é possível. Basta você querer.

Para muitos, fugir dessas influências significaria alienar-se das coisas que estão acontecendo no mundo e na igreja. Só que não. Com o tempo e a desintoxicação, você vai perceber que o que pessoas tóxicas produzem não faz nenhuma falta – assim como fumaça de cigarro não faz falta, apenas vicia e gera um certo prazer tóxico a quem é adepto. O veneno das tais provoca efeitos como tristeza, depressão, escândalo, polêmicas, chateações e facções. Não precisamos de nada disso em nossa vida. Precisamos de paz. Cristo passa longe de bate-bocas entre irmãos, das indiretas on-line, de agressões via satélite, picuinhas “gospel”, maledicências, confrontos nocivos, sarcasmo e coisas similares. “Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade; porém não useis da liberdade para dar ocasião à carne; sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor. Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos. Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne” (Gl 5.13-16).

Fuja de todo veneno, mesmo o que vem de irmãos em Cristo. É provável até que os tais lancem seu veneno na maior das boas intenções e crendo estar agradando a Deus (como os fariseus e mestres da lei criam na época de Jesus). Mas isso não faz o veneno deles ser menos venenoso. Assim como você naturalmente mantém distância se encontra uma aranha venenosa, afaste-se de pessoas tóxicas. Se puder contribuir para que mudem, ótimo. Se elas não quiserem te dar ouvidos, deixe – e não permita que o veneno que destilam por suas palavras e atitudes chegue até você. “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida. Desvia de ti a falsidade da boca e afasta de ti a perversidade dos lábios” (Pv 4.23-24).

toxicas6Se não conseguimos influenciar positivamente as pessoas tóxicas, devemos, então, nos preocupar com quem temos a capacidade de mudar: nós mesmos. Sobre isso, reflita comigo: até que ponto não sou eu quem tem envenenado o próximo? Será que levo a paz a todos? Será que minhas palavras são sempre edificantes e temperadas com sal? Será que ajo em tudo com mansidão, amabilidade e carinho? Será que sou dos que edificam ou dos que prejudicam? Será que tenho defendido o evangelho como um pacificador ou como um gladiador? Em suma, tenho incensado os ambientes reais e virtuais por onde passo com o suave perfume de Cristo ou os tenho intoxicado com um jeito de agir e de falar que envenena corações e mentes? Se você perceber que, de alguma forma, tem sido tóxico, peço a Deus que aceite minha exortação em amor – e faça de tudo para mudar. No dia em que percebi que eu estava sendo um cristão tóxico, comecei a buscar em Deus a transformação, então falo com conhecimento de causa. Sim, eu já envenenei muito, e a percepção disso me abateu enormemente e me conduziu a um doloroso processo de arrependimento. Tenho me esforçado diariamente para mudar e ser alguém que direciona suas energias para edificar e abençoar, então sei que é possível lutar nesse sentido. E, se é possível para mim, é possível para qualquer um.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio Zágari

Perdao Total_News cortado

(Para adquirir “Perdão Total – Um livro para quem não se perdoa e para quem não consegue perdoar” clique AQUI)

Anúncios
comentários
  1. Alessandra disse:

    Como sempre, irretocável!
    Jesus continue te abençoando!

  2. Cristina disse:

    Muito bom ler este texto pois estava fazendo isso com uma irmã em Cristo que está há 14 anos na igreja,mas não mudou seu comportamento até hoje. Decidi me afastar dela para não me aborrecer mais, não sou perfeita, mas procuro melhorar a cada dia (e tenho consciência que já mudei em vários aspectos, pois pedi a Deus e deixei que ELE agisse). Esta mensagem veio para confirmar que estou certa e tirar a sensação de que poderia estar errada, me sentindo um pouco culpada.
    Mais uma vez obrigada por ser instrumento de Deus na minha vida.
    Uma semana abençoada para você.
    Cristina

    • Olá, Cristina,
      .
      não tem o que agradecer. Precisamos manter o amor e o perdão constantemente em nossas atitudes, sempre nos preservando de influências que prejudiquem nossa espiritualidade. Que influenciemos para o bem e não nos deixemos influenciar para o mal.
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Deus,
      mz

  3. Nadia Malta disse:

    Uma percepção bem lúcida e coerente de uma realidade tão triste. Sim, há muitos tóxicos, ácidos à nossa volta. Embora, não dê um pingo de ibope ao adversário, tenho a impressão que ele fustiga certas pessoas como seus instrumentos para nos adoecerem com suas conversas eternamente cáusticas. Esses na relação da mutualidade querem sempre ser o “outro”. Como dizemos aqui no nosso interior do estado, conheço um “moio” (muitas). Graças a Deus há os que nos chegam ácidos e se tornam doces por se deixarem moldar pelo Senhor. Conheço também um “moio” dos que de seus limões fizeram agradáveis e refrescantes limonadas. Que Deus te abençoe sempre meu irmão!

    • Olá, Nadia,
      .
      grato pelas palavras gentis. Penso que nosso papel deve ser sempre o de tentar ser boa influência para todos, sem deixar que sejamos afetados pelo que vem de ruim de fora. Cuidar para que nós não sejamos tóxicos é o principal. Bênçãos em dobro sobre ti.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Cristo,
      mz

  4. Luiz Fernando disse:

    Verdade, Maurício. Este texto me fez refletir sobre o meu comportamento as vezes. De fato, se não houver uma vigilância, me torno tóxico sem perceber. Muito bom mesmo.

    Outra coisa. Queria um conselho, sei que no estatuto do seu blog está dizendo para não pedirmos conselhos a ti, mas sim aos nossos pastores. Mas neste caso, por razões que Deus sabe, prefiro o teu conselho.
    Uma amiga íntima, a qual amo de forma intensa e tenho muito carinho, congregava na mesma igreja que eu. Devido à muitas coisas que aconteceram no ministério, ela resolveu mudar-se de denominação. Só que, ela veio a desviar da igreja. Por mais que eu converse com carinho, lembrando-a das promessas de Deus, do amor do Senhor por ela, ela diz que não quer voltar, que não acredita mais em nada, que nada acontece nada, que não quer saber de nada. De fato ela sofre muito, Maurício, com muitas coisas. A pergunta, é: o que eu faço diante desta situação? Já que tudo o que falo a cerca de Deus ela não dá a mínima idéia. O que faço? Estou muito triste por ela ter saído, e também por não querer ouvir o que falo. Deixo de falar, só oro mesmo por ela? Sinceramente, só Jesus mesmo. Maurício, acho que não vou falar mais nada. Não sou eu que convenço, e sim o Espírito. Não é por muito falar que ela vai se arrepender. Claro, no que eu puder ajudar, ajudarei. Mas se falar de alguma forma a deixa irritada, prefiro me calar e orar para que Jesus em sua infinita misericórdia, a resgate para salvação. Mas, peço que você me dê um conselho, pois a tristeza ainda está em meu coração.

    Que Deus te abençoe, mano. Continue nessa humildade. Abraços

    • Oi, Luiz,
      .
      bravo, muito mais do que olhar para a toxicidade dos outros, a grande reflexão do texto é nos preocuparmos para nós mesmos não nos tornarmos tóxicos.
      .
      Mano, qualquer conselho que eu pudesse dar você já escreveu: quem convence é o Espírito. Nosso papel é amar, proclamar e interceder. Ela já conhece a verdade. Ame-a com amor cristão, para que ela sempre veja Jesus em você e por meio de você. O resto é com Deus.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  5. Duro é ver uma multidão se intoxicando, se envenenando, sendo seguidoras dessas pessoas tóxicas, sem expressar a Verdade para elas… porque o candeeiro não pode ser escondido debaixo da cama, não é mesmo? Parece vai contra a nossa natureza!

    Porém eu entendo que, “quanto ao monstro Leviatã”, não podemos “pescá-lo com um anzol
    ou amarrar a sua língua com uma corda”.

    Sim, o nosso dever é seguir orando para disseminar a paz de Jesus em nosso viver diário, através do nosso exemplo, através das oportunidades que o nosso Pai nos permite. E, a final, Aquele que também fez o Leviatã, o único que pode enfrentá-lo e que já o derrotou, tem a ira.

    “Estou muito irado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram a verdade a meu respeito”.

    Que a misericórdia do nosso Pai nos alcance, pelo amor de Jesus!

    Valeu, mano!
    Abraço.

    • Oi, Francilúsia,
      .
      se fizermos nossa parte e lutarmos contra nossa natureza para que não nos tornemos tóxicos creio que já será uma enorme contribuição.
      .
      Abraço carinhoso, na paz do manso Cordeiro,
      mz

  6. Ismael Paulo Costa disse:

    Maurício, agradeço a Deus por sua vida, você tem deixado se conduzir pelo Espírito Santo, e o resultado são mensagens como esta, que edificam, orientam, corrigem e trazem conforto aos corações aflitos. A questão abordada é comum demais mesmo no meio evangélico, e é uma área muito difícil e delicada para ser tratada. Você tocou o assunto com abrangência, sabedoria, sensatez, objetividade, e acima de tudo, pautado pela infalível Palavra de Deus. Oro ao Senhor para que te abençoe mais e mais, e que continue sendo um porta-voz do Espirito Santo para a edificação do corpo de Cristo. Abraço, fique na paz do Senhor!

    • Oi, Ismael,
      .
      muito obrigado pelo carinho, mano, meu objetivo é mesmo deixar Deus usar este vaso imperfeito que sou para o benefício dos irmãos. Sou grato pelo incentivo e as orações, preciso muito.
      .
      Abraço grande, na paz de Deus,
      mz

  7. Olá Maurício!
    Como sempre você nos brinda com seus textos à luz da palavra de Deus! Maurício tudo q você disse ew a mais pura verdade q tenho visto por aí! E em mim tbem! Deus me ajude!
    Um abraço p vc! Deus te abençoe cada vez mais com luz e sabedoria vindas Dele!

    • Olá, Noeme,
      .
      fico feliz de seguir as Escrituras para embasar minhas reflexões, ai e mim se não o fizesse, não é? Que Deus ajude a todos nós e sejamos, individualmente, exemplos, dentro de nossa falibilidade.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Cristo,
      mz

  8. Jacy disse:

    Olá, Maurício!

    Que satisfação ler mais um texto oportuno e abençoador. Glória a Deus por sua vida!!!

    Um grande abraço, meu querido mano! 🙂

  9. Ediná disse:

    Boa noite Mauricio.
    Creio que esse problema é bem mais sério do que a gente pensa. Quando isso ocorre com pessoas muito próximas não podemos e não queremos nos afastar mesmo sofrendo. Queremos é que essa pessoa mude de atitude para o bem dela e dos que a rodeiam.

    Abraço!

    • Oi, Ediná,
      .
      sem dúvida, esse é um problema. Para isso é preciso oração, paciência e perseverança. E, claro, não se deixar contaminar.
      .
      Deus a abençoe muito,
      mz

  10. Henrique.M.Santos disse:

    otima reflexao

  11. Teresa Mesquita disse:

    Olá, Maurício.

    Pessoas tóxicas são infelizes. Prefiro me afastar a me tornar igual ou pior. Todos temos em nós atitudes ruins, mas não devemos fazer ninhos, deixar criar asas e alimentar. Se desviando desses venenos, trazemos saúde para nosso coração. Obrigada por mais um texto abençoador e que me traz reflexão meu irmão.

    Deus te abençoe.

  12. Fabio Cardoso disse:

    Olá Maurício !

    Este verso que vc citou Gal 5:15 é central : “Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede que não sejais mutuamente destruídos.”

    Se dermos o retorno na mesma moeda, estaremos a caminho da destruição.

    Maurício, Abraço !!

  13. Camila Costa disse:

    Lindo, lindo!! Como sempre conciso e abençoado!!! Otima leitura!!!!

  14. Camila Costa disse:

    Zagari, ja tens um app? seria ideal!!!

  15. Vivian disse:

    Oi Mauricio!

    Amei o texto. Tem muito a ver com o que passei em um certo momento em minha vida. Parece que o Senhor foi tirando uma venda de meus olhos e pude perceber o quão toxica estava. Senti tristeza, vergonha e arrependimentos. Certamente colhi frutos e ainda colho por essas ações. Mas olhei pra Jesus e pedi misericórdia. Tenho sentido a mudança dentro de mim e louvo à Deus por isso. Mas ainda não tenho coragem de dizer ou alertar algumas pessoas que são tóxicas e que hoje eu consigo perceber. Estou orando pra que Deus me capacite e me dê sabedoria. Muito obrigada pelo texto, Jesus te abençoe. Paz

  16. Olá Maurício, já acompanho seu blog a bastante tempo e sei que não tem nada a ver com o blog a minha dúvida mas espero que responda. Então, tenho apenas 17 anos e a uns 2 anos me tornei cristão e desde então sempre ouço pessoas dizendo sobre ter um “encontro” com Deus, acontece que eu nunca nesse tempo tive esse tal de “encontro”, eu me sinto mal. Admiro muito sua fé, e a fé de muitas pessoas que conheço que tem um relacionamento com Deus, e nesses dois anos de cristianismo eu sempre “tentei” ter um relacionamento profundo com Deus, digo “tentei” pelo fato de que nesse tempo todo minha mente está sendo bombardeada de dúvidas a respeito da existência de Deus, da veracidade da Bíblia, etc. Eu até odeio ter esses questionamentos, porque eles praticamente não me deixam ter a “fé” verdadeira que eu quero, já orei bastante a Deus pra ele me direcionar e tudo mais, se “manifestar” mais em minha vida, mas ele nada responde ou manifesta, e justamente por isso minha “fé” se é que posso dizer que ainda a tenho, está sumindo cada vez mais. As vezes me pego chorando, orando a Deus pedindo pra que ele me “deixe” acreditar nele. Procurei seu blog pois sei que sua sabedoria é tamanha que poderá me aconselhar, obrigado. Deus abençoe!

    • Querido, olá,
      .
      entendo seus sentimentos, mas permita-me explicar uma coisa. Me parece que você está buscando algo que poderíamos chamar de “místico”, um encontro sobrenatural, um “sentir algo diferente”. Não é assim. A fé é algo racional. O encontro com Jesus se dá no nível da compreensão: você ouve a proclamação do evangelho, o Espírito Santo interfere fazendo com que ela faça sentido a você, e a partir daí você começa a viver em harmonia com a vontade de Deus. Não acontecem arrepios, rodopios ou labaredas de fogo rs. É algo calmo e natural.
      .
      Sobre os questionamentos, vou te contar um segredo: isso acontece com todos. Vivemos em um mundo que, sob a influência do Maligno, tenta o tempo inteiro nos convencer de que Deus não é Deus e, muitas vezes pela pressão, acabamos mesmo por duvidar. Mas, então, buscamos ao Senhor em oração, nos dedicamos ao estudo das Escrituras, ouvimos pregações e, assim, a verdade sagrada debela esses pensamentos satânicos de incredulidade.
      .
      Lembre-se que o fato de Tomé não ter visto a Cristo ressurreto não quer dizer que Cristo não tinha ressuscitado. Do mesmo modo, por Deus não ter “respondido” ou “se manifestado” do modo que você esperava, não quer dizer que ele não exista. Lembre-se que Deus se manifesta e responde essencialmente pela Bíblia e não numa visão ou coisa parecida. É na Palavra revelada que você ouvirá a voz de Deus.
      .
      Recomendo que você procure seu pastor e converse com ele. Derrame seu coração sem vergonha alguma e peça orientação e aconselhamento. Ele te ajudará e acompanhará.
      .
      Oro por você, mano, para que viva plenamente a vida com Cristo. Abraço fraterno,
      mz

  17. Oi Maurício, quanto tempo!
    Olha, esse texto foi pra mim. Eu reconheço que tenho sido um pouco assim. Aceito sua exortação. Eu, na verdade, há tempos tento mudar mas é tão difícil sabe… Às vezes penso em tomar uma atitude diferente, aí lembro de tantas coisas que me fizeram mal, acabo fazendo o que não quero. As pessoas reclamam de mim porque sou crítico demais. É algo que sei que elas têm razão. Bom, só me resta continuar tentando mudar, seguir em frente sendo quem sou, com meus defeitos e falhas, e espero que Deus tenha misericórdia da minha vida. Belo texto, parabéns!

    • Salve, mano! Tempo mesmo, espero que você esteja bem.
      .
      Fico feliz que o texto falou ao teu coração. Mas não se acomode, sempre é possível mudar. Cicatrizes não são feridas, lembre-se sempre disso.
      .
      Grande abraço, na paz do nosso Deus,
      mz

  18. anobre77 disse:

    E ai Maurício, tudo bem?
    Cara, texto sempre oportuno. Esses tempos um irmão da minha congregação acabou saindo da igreja e decidiu, por questões conjugais, não mais congregar onde eu congrego e infelizmente decidiu parar de congregar. Mas nos primeiros dias em que ele saiu, eu estava viajando e quando cheguei encontrei uma irmã da minha congregação e adivinha qual a primeira “bomba” que ela veio me contar?
    Cara, isso me angustia e me preocupa… sempre penso que esse tipo de atitude podem até ser relevados em novos convertidos… mas em irmãos maduros?! Mas enfim, ouvi calmamente o status atualizado do irmão “rebelde” e depois tentei argumentar de forma mais bíblica, para não ofender.
    Bom, mas seu texto aponta pra algo sério e comum … espero que possamos um dia ver a Igreja limpa disso…. se não aqui, que seja na eternidade.
    Abraço pra você e que o Senhor te inspire sempre a conformar ações em palavras tão sábias!

    • Salve, Alexandre!
      .
      Meu desejo é o mesmo que o seu: ver a Igreja limpa disso, a começar por nós mesmos. Que demos o exemplo, antes de exigirmos dos demais, não é?
      .
      Abraço, mano, na paz de Cristo,
      mz

  19. Marcelo Pellegrino disse:

    Olá Zagari, A PAZ !

    De fato o maior cuidado que devemos ter é de não nos tornarmos tóxicos. todavia a toxicidade não vem apenas de terceiros mas também quando nos intoxicamos por nossa permissividade com medos, sendo o principal dos medos o da exclusão/rejeição.
    Todos querem conviver e não há como ganhar anti corpos a toxidade sem a plena convivência. A exclusão nunca será o caminho a não toxidade e ao perdão de fato.
    Fica a pergunta que devemos nos fazer: Somos agentes transformadores,em transformação por CRISTO ou apenas correligionários ?

    • Olá, Marcelo,
      .
      compreendo o que você quer dizer. O foco da minha reflexão é, primeiro, que nós não tornemos tóxicos. Mas, sem citar nomes, tenho visto multidões reproduzirem comportamentos em especial de “líderes cristãos” que destilam um veneno que em nada tem relação com o evangelho. Essas massas observam esse comportamento e esse discurso e, como vêm de alguém que têm como modelo, passam a imitá-lo. E isso está gerando legiões de cristãos que não falam nem agem como cristãos achando estarem sumamente dentro daquilo que Cristo espera delas. Nesses casos, minha proposta é, sim, enfática: cortar o veneno de nossa vida. Ao se “desintoxicar” é possível até se reaproximar, mas, antes, o afastamento é necessário. Somos, sim, agentes transformadores, Marcelo, mas fato é que muitos não querem ser transformados, apenas cooptar correligionários (eles sim) para suas agendas pessoais. Como digo no texto, o ideal é partir ao encontro dos tais e buscar a transformação em exortação amorosa e graciosa. Mas, se isso não ocorre… são Alexandres latoeiros. É como vejo.
      .
      Obrigado por sua preciosa contribuição e gentil argumentação.
      .
      Abraço, na paz do Mestre,
      mz

  20. MF disse:

    Boa tarde. Quero muito, mas não consigo parar de ter inveja de meu irmão de sangue.

    Meu irmão passou direto da escola para uma universidade pública (ainda por cima foi na que eu mais queria), e ainda gabaritou a prova (discursiva) de outro idioma desse processo seletivo sem nunca ter feito curso. Eu só passei depois que fiz pré-vestibular.

    Na época em que frequentávamos a mesma igreja, nossa prima era casada com o filho do pastor e convidou meu irmão para trabalhar na igreja. Assinaram a carteira dele e ele chegou a ser convidado para participar de uma espécie de mini seminário com outro pastor (algo que só os líderes conseguiam).

    Uma mulher, cujo filho era nosso amigo comum na igreja, chamou meu irmão para ser funcionário na empresa dela, que é do ramo da graduação que estou fazendo (mas não é do ramo dele). Com essas experiências, ele foi chamado para trabalhar no própria faculdade e, pelos contatos que adquiriu, foi admitido numa empresa que vende conteúdo voltado para o público feminino para a Microsoft.

    Hoje meu irmão é prestador de serviço (terceirizado) da mesma empresa, mas isso, ao mesmo que fez com que ele perdesse benefícios trabalhistas, aumentou muito o salário dele; tanto que ele emprestou dinheiro para ajudar nossos pais a comprar um carro.

    Eu sequer tenho conseguido um bom desempenho na faculdade. Tento fazer todos os cursos que aparecem, mas, sem um bom CR e sem contatos, fica quase impossível conseguir um estágio.

    Além disso minha namorada tem me pressionado para ficarmos noivos, mas só com a renda dela não quero nem pensar nessa hipótese. Preciso muito da sua ajuda, mesmo que seja só orando, para conhecer a vontade de Deus. Não quero ser imprudente.

    Outra coisa que me preocupa: como ela foi criada no contexto de igrejas mais centralistas, dessas que fazem cultos visando milagres e intervenções sobrenaturais, enquanto a minha é mais tradicional e as decisões são decididas em conjunto, receio que tenhamos muitos empecilhos quando pensarmos na criação de filhos.

    Se você leu até aqui, muito obrigado pela chance de desabafar. Já te considero uma pessoa altruísta (algo raro nos dias de hoje). Por favor, ore por mim. Eu sequer tenho intimidade para conversar isso com algum pastor da minha igreja ou com algum pastor da igreja de minha namorada. Quero encontrar e seguir os bons conselhos de Deus, e me tornar uma pessoa equilibrada, conforme Rm. 12:2-3.

    • Olá, MF,
      .
      fico bastante triste por tudo o que você me falou. A inveja é um problema sério, pois envenena nossa alma. Você deveria estar se alegrando pelas conquistas de seu irmão, e não o invejando. Cuidado com esse sentimento, lembre-se de Caim e Abel, de Esaú e Jacó, dos irmãos de José. Isso não te fará nenhum bem, muito pelo contrário.
      .
      Meu conselho imediato seria você procurar seu pastor. Se você não enxerga em seu pastor alguém capacitado para te aconselhar não consigo compreender por que continua na mesma igreja, mano. Você precisa de um pastor de ovelhas e não de um mero pregador. Há muitos aspectos no seu caso que precisam trabalhar com diálogo entre você e sua noiva, entre vocês e o conselheiro espiritual que será o pastor de ambos após um possível casamento… vocês precisam de orientação, acompanhamento e muito diálogo. Casar com alguém cristão mas que tem tantas diferenças quem chegam a tornar a vida a dois insustentável é jugo desigual. Pense bem antes de firmar um compromisso.
      .
      Mano, certamente oro por você. Mas você precisa de um pastor que te discipule e acompanhe, que trate as questões da tua alma, tanto sua com seu irmão quanto com sua namorada. Esse é o primeiro passo.
      .
      Um abraço, na esperança de caminhos mais firmes e pacíficos em sua vida,
      mzx

  21. Howe disse:

    Sensacional esse texto.

    Eu ja vivi rodeado de pessoas tóxicas; hoje respiro um ar mais puro…

    abracos

  22. Elis disse:

    Este texto é um tapa na cara da “sociedade”. Deus tenha misericórdia de mim.
    Quero muito acertar, e claro, nem sempre consigo. Aprendi muito aqui e vou compartilhar com outras pessoas.

    • Querida Elis, olá,
      .
      o grande segredo é reconhecer que precisamos acertar. Enquanto nos consideramos inerrantes, a soberba nos cega e nos impede de ver quanto carecemos da graça de Deus. A partir do momento que reconhecemos a necessidade de mudança, demos um primeiro é fundamental passo mais para perto de Cristo.
      .
      Abraço fraterno, no amor do Pai,
      mz

  23. Alane disse:

    Olá Mauricio
    De repente me vi cercada por esse tipo de pessoas no meu trabalho.
    Fiquei gravemente decepcionada e confusa com medo de falar o que está acontecendo para a minha chefe.Só de pensar em ir trabalhar sinto um mal estar por que tenho medo do que elas podem fazer comigo e a situação se tornou insuportável creio que a única solução vai ser contar tudo pra minha chefe mesmo arriscando perder o meu emprego.
    Ore por mim.
    Abraços na paz de Deus.

  24. Simone disse:

    Ola Mauricio, como vai? Deus abençoe sua caminhada.
    … E quando a pessoa toxica é o próprio marido, como agir nesse caso?
    Agradeço. Um abraço.

    • Olá, Simone,
      .
      é importante procurar seu pastor para aconselhar-se com ele, pois depende muito do tipo de comportamento de seu marido. Isso pode significar muitas coisas e, dependendo da situação, as atitudes a serem tomadas variam demais. Minha sugestão é procurar seu pastor, para que ele a aconselhe especificamente sobre as circunstâncias que ocorrem em sua vida, ok? Ele é a melhor pessoa para isso.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Deus,
      mz
      facebook.com/mauriciozagariescritor

  25. Júlia de Almeida Rodirgues disse:

    Olá Maurício,
    Tenho uma amiga que é muito depressiva. Eu sempre ajudei a ela, tentando faze-la rir, já falei de Deus pra ela, já indiquei uma psicologa de confiança e como estudamos juntas eu pedi até a ajuda da assistência social da escola. Mas elas não pareceu querer reagir, os pais dela não compareceram a escola e ela começou a me tratar com grosseria. Eu comecei a sentir uma grande tristeza por estar perto dela, era uma alívio muito grande quando ela não ia a escola. Infelizmente eu me sentia muito mais feliz sem ela por perto.
    Hoje estamos muito mais distantes, já me disseram que ela diz que sente minha falta, que tinha medo de ficar sozinha e perder minha amizade. Mas eu não posso dar isso para ela, porque não sinto mais amizade. Eu chegava em casa e chorava quando nós conversávamos na escola. Eu não sei se fui má e o que eu deveria fazer. Hoje estou tão feliz de não estar perto dela e me sentir mal mesmo quando eu transparecia estar bem. Eu não sei o que Deus quer de mim na vida dela, ou se eu deveria ficar longe dela? Me ajude a saber lidar com isso. Deveria ajuda-la mais uma vez e deixar que minh`alma sofra novamente por sacrifício ou deixar como estar e esperar que ela supere?
    Não sinto ódio dela e nunca sentirei, mas não consigo ter uma amizade sincera novamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s