bebe1Minha filha faz coisas esquisitas. Já comentei aqui no APENAS que ela, para minha surpresa, gosta de ópera. Quando descobri isso, acreditei que a coisa pararia por aí, mas tenho me surpreendido a cada dia com seu gosto, digamos, peculiar para uma criança de apenas 3 anos. O óbvio seria ela pedir para assistir a DVDs da Galinha Pintadinha, Aline Barros e similares. Não que ela não goste de coisinhas produzidas para crianças da sua idade, ela gosta, mas o que me espanta é que a pequena tem demonstrado apreciar o que eu jamais imaginaria. A verdade é que ela muitas vezes faz escolhas que me surpreendem. Recentemente ela viu o balé “O quebra-nozes”. Não só amou como, desde então, fica cantarolando temas musicais e comentando cenas desse balé de Tchaikovsky. Recentemente vimos, também, uma apresentação de nado sincronizado e ela passou a pedir sempre para ver mais. Ou patinação no gelo. Saltos ornamentais. Ginástica de solo. Apresentações de orquestras sinfônicas. Montagens do grupo Stomp. Blue Man Group. Exposições de moedas antigas (!) em museus. E por aí vai. Eu acreditava que, a esta altura da vida dela, eu só estaria lhe contando histórias da Carochinha, mas a Chapeuzinho Vermelho e os três porquinhos já não a atraem mais há um bom tempo. De onde minha filha tira esses gostos esquisitos, que contrariam a lógica de sua idade, eu não sei. Apenas vejo que faz parte de sua natureza apreciar manifestações culturais, artísticas e esportivas que costumam dar sono ou tédio a crianças de 3 anos.

Será que Deus também nos considera esquisitos? Essa realidade de minha filha me faz cogitar o que Deus pensa das preferências de seus filhos. Será que ele olha para mim e se pergunta “Que escolha bizarra, de onde o Maurício tirou isso?!”. Bem, claro que, sendo ele onisciente, não precisa se fazer esse tipo de questionamento, Deus sabe tudo. Mas, nas minhas reflexões esquisitas, me pego pensando o que o Pai acha da forma como procuro ocupar meu tempo.

Evidente que isso exige uma enorme dose de imaginação, mas tente pensar com a mente de Deus. O que você crê que ele considera formas normais de ocuparmos nosso tempo? Procure comparar aquilo que o Pai imaginaria que gostaríamos de fazer como filhos do Deus vivo e aquilo que de fato fazemos. Na sua opinião, você gasta as horas de seu dia fazendo o que o Senhor espera de você? Confesso que, quando penso nisso, me vejo decepcionando muito a Deus. Eu não usaria a palavra “surpreendendo”, pois nada surpreende o Onisciente, mas creio que entre aquilo que ele consideraria óbvio que eu fizesse e o que de fato faço deve haver uma enorme distância. Pensemos nisso.

bebe2A primeira coisa que um Pai espera de seus filhos é que se relacionem com ele, por amor. No entanto, diariamente priorizamos atividades que nos roubam dos momentos de comunhão com Deus. Quando eu deveria estar orando ou estudando a Palavra, mas opto por ver um filme qualquer na televisão, imagino que o Senhor olhe para mim e pense: “Esse meu filho é esquisito… que escolha mais sem sentido…”. Outra forma de ocuparmos nosso tempo de modo surpreendente para um cristão é ao darmos as costas para atividades que beneficiem o próximo. Leio Mateus 25 e vejo com clareza quanto o Pai valoriza que seus filhos priorizem ações em favor das outras pessoas. E aí paro para pensar quantas vezes, digamos, no último mês, eu dediquei minhas forças a fazer o que tem como objetivo abençoar meus irmãos e minhas irmãs… e morro de vergonha, por ter feito tão pouco. Sou ou não um filho de Deus muito esquisito?

É esperado que um filho do Rei ocupe a maior parte de seus tempo e de suas energias com as coisas do reino, com aquilo que tem mais valor para o reino. Não exclusivamente, mas prioritariamente. Lazer, descanso, compras no supermercado, consultas médicas… tudo isso é lícito e tem o seu espaço e o seu momento. O que nos torna cristãos muito esquisitos é quando atividades que nada têm a ver com nossa cidadania celestial tomam o tempo e as forças que deveriam estar sendo utilizadas nas coisas mais importantes aos olhos do nosso Pai. Isso fica claro para mim quando vejo que o adolescente Jesus ficou no templo de Jerusalém debatendo com os mestres sobre as coisas de Deus. José e Maria acharam sua atitude muito esquisita, mas o que o jovem Cristo estava fazendo era simplesmente priorizar aquilo que seria óbvio para alguém como ele: cuidar das coisas de seu Pai.

tempoPenso que devemos fazer o mesmo. É muito fácil a rotina e o corre-corre do dia a dia nos distraírem e desviarem nossas atenções para longe das coisas de Deus. Mas Jesus foi bem claro ao estabelecer as prioridades: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça… ” (Mt 6.33). Será que temos feito isso? Será que priorizar o reino e a sua justiça se resume a ir à igreja uma ou duas vezes por semana e a ouvir musicas evangélicas? É isso que faz de nós filhos exemplares ou apenas filhos esquisitos aos olhos de Deus?

Precisamos entender o que um filho de Deus é chamado para fazer. Em outras palavras, o que é esperado de nós. Mais precisamente: o que Deus espera de você.

Amo minha filha e desejo que tudo o que ela faça sejam ações que me encham de orgulho. É natural que seja assim, é o que qualquer pai espera de seus filhos. Inclusive o Pai celestial. Agora, analise como tem ocupado suas horas, seus dias. Se você fosse o Senhor, se orgulharia da forma como vem priorizando seu tempo ou acharia as suas prioridades muito esquisitas? Será que você tem feito aquilo que Deus gostaria que você estivesse fazendo?

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Mateus disse:

    Maurício, você fala da sua filha com tanto afinco que imagino que você é um pai “babão” (no bom sentido, rs). Querido, excelente reflexão. Lembrei-me de um versículo: “Remindo o tempo, porque os dias são maus”. Priorizemos nosso tempo para Deus!

  2. Nadia Malta disse:

    Como sempre seu escrito chega numa hora bem oportuna! Tenho me questionado acerca dessas coisas. As nossas esquisitices que nos tem, feito priorizar tudo em detrimento de Deus e Sua obra. Por que é sempre tão difícil realinhar as prioridades? Por que nos distraímos com tanta facilidade com as coisas que não trazem edificação? Por que é necessário tantos atrativos para que as pessoas vão à igreja, quando o Cristo deveria ser o Grande atrativo? Na verdade as perguntas são tantas que levaria horas listando! Tenho pensado muito sobre a nossa liberdade como igreja ocidental. Liberdade que desdenhamos com fastio das coisas de Deus! Que o Senhor nos desperte desse torpor! Que Deus te abençoe meu irmão e continue derramando graça sobre graça em sua vida para edificar a muitos!

    • Olá, Nadia,
      .
      muito me alegro por o texto chegar em boa hora. Creio que realizamos as prioridades porque nós esquecemos do que de fato é prioridade. Se tivermos sempre em mente que a refeição vem antes da sobremesa, conseguiremos manter cada coisa em seu lugar.
      .
      Não tem o que agradecer, mana, é uma honra, uma alegria e um privilegio. Abraço fraterno, na paz do alto,
      mz

  3. Neia Cunha disse:

    Bom dia Mano,
    Creio que Deus deve me achar com uns gostos para lá de esquesito (hahahh) a forma com a qual eu ocupo meu tempo não da orgulho nenhum a Deus ao contrario decepciona e muito ao Pai .
    O versiculo de Mt 6:33 precisa ser lido por mim todos os dias para que eu não me esqueça de me ocupar com as coisas do Reino não que eu não faça mas considerendo o tempo que tenho e quase nada .
    Mesmo que esquesitos é legal ver que sua filha tem esses gostos , que na logica não seriam para a idade dela mas que fazem parte da natureza da pequena.
    Obrigado por compartilhar conosco essa bela reflexão simples , clara e objetiva uma benção.
    Fica na paz que que o seu final de semana seja cheio do amor e cuidados do nosso Deus assim como a sua familia.
    Neia Cunha 🌺

    • Olá, Neia, tudo bem?
      .
      Creio que o primeiro passo para qualquer mudança é sempre o reconhecimento de que existe algo que precisa ser mudado. Por suas palavras vejo que você já deu esse passo, o que muito me alegra. Agora é hora de tornar reconhecimento em ação.
      .
      Abraço fraterno, Deus te abençoe muito,
      mz

  4. Keila Amorim disse:

    Olá Maurício,

    Aprecio demais seus posts e gostei bastante da abordagem deste, contudo, precisamos ter o cuidado em evitar essa dicotomia existente entre “as coisas celestiais” e ” as coisas que fazem parte da nossa rotina”. Entendo que tudo o que fazemos ou tudo o que fizermos deve ser feito para o Senhor, para a glória Dele (Cl 3.23, 24).
    Obviamente, devemos dedicar um tempo para estarmos a sós com Deus em nossos devocionais diários, mas normalmente nos apegamos somente a esses momentos como sendo dedicados a Ele, esquecendo que um comprar pão, fazer compras no supermercado, trabalhar ou fazer qualquer atividade “secular” é também uma forma de glorificar o Seu nome (1 Co 10.31).

    Grande abraço e que Deus continue usando tua capacidade intelectual e facilidade de escrever de forma compreensível acerca da verdade do Evangelho.

    • Oi, Keila, tudo bem?
      .
      Você tem toda razão, não somos seres bipartidos. O foco que quis dar ao texto foi o da importância das disciplinas espirituais, visto que muitos negligenciam as mesmas. Não quis dizer que são áreas diferentes, mas o que busquei enfatizar é que não podemos deixá-las de lado em prol de atividades menos prioritárias para a eternidade. Nenhum problema em ocupar o tempo com aspectos outros da nossa vida, o problema surge quando, por exemplo, gasta-se horas em atividades como lazer e não se tira momento algum do dia para comungar com Deus. Obrigado pela excelente ponderação!
      .
      Abraço carinhoso, no amor do Pai,
      mz

  5. Paulo Victor disse:

    Olá mano,

    Tenho percebido que as lideranças estão dando uma importância maior a um assunto conexo com este. A questão do tempo dedicado nas coisas de Deus. Foram feitas algumas palestras e estudos com o foco de buscar o reino de Deus em primeiro lugar.

    Notei que o enfoque estava praticamente na quantidade de tempo que você fica na igreja ou gasta com os trabalhos na igreja. Talvez a motivação se deve ao fato de que cada vez mais o voluntariado nas congregações tem diminuído. Como a quantidade de pessoas envolvida com os trabalhos, em nossas igrejas, têm diminuído, noto, com reservas, esse tipo de enfoque.

    Fico preocupado, porque Jesus condenou com muita clareza os sepulcros caiados e a religiosidade aparente. Os fariseus talvez passaram mais tempo dentro do templo do que fora e sabemos como Jesus foi duro e claro ao exortá-los.

    Muitos jovens ficam preocupados, pois devem dar conta de tantas atividades e o mundo exige tanto resultado. Ficar na igreja mais tempo ou assumir mais compromissos não quer dizer necessariamente que estaremos amando ao Senhor com mais intensidade. Em minha humilde opinião, posso ser muito útil na obra (como eu era) e não estar com meu coração queimando por conhece-Lo mais e mais, como em uma época triste da minha. Hoje vejo que eu parecia um zumbi dentro da igreja. Frio. Insensível. Amargo. Indiferente. Uma grande massa (que canta, toca, trabalha, tem cargos, dá dízimos) de membros, assim como eu era, ainda não é convertida. Lembro consternado que o pecado me abraçava e nem precisava dele vir ao meu encontro. Eu já corria atrás dele e me esbaldava. Como era cego.

    Parece que seu post não tratou diretamente desse assunto, mas me relembrar disso. Que possamos servir ao Senhor com alegria. Que seja nosso primeiro pensamento. A luz em nossa janela. Que ela seja nosso universo.

    Forte abço, meu mano, no amor de Cristo.

    • Oi, Paulo,
      .
      temos sempre de tomar cuidado para não enveredar pelo caminho do ativismo, sem dúvida. Esse foi o erro de Marta, irmã de Lázaro, que se preocupava mais em “trabalhar para o Senhor” do que em estar com o Senhor.
      .
      Por outro lado, não podemos desamparar nossa congregação, que depende de nosso voluntariado.
      .
      Penso que o ideal é termos uma vida rica com Cristo, frutificando nas disciplinas espirituais individuais e coletivas, sem deixar de prestar nosso serviço amoroso nas igrejas. Se conseguirmos unir as duas pontas creio que viveremos a intimidade com o Senhor e contribuiremos com o bom funcionamento da congregação. É o melhor dos mundos.
      .
      Um abraço fraterno, no amor de Jesus,
      mz

  6. paulords1994 disse:

    Bom artigo Maurício. É, certamente essas nossas decisões esquisitas vão nos deixar bem arrependidos quando estivermos diante Dele no Dia Do Senhor…bem, até lá Ele completará a boa obra, mas é fato que vamos lamentar não ter aprendido essa lição antes, he he! Deus abençoe

    • Olá, mano,
      .
      você tem toda razão. Penso que o distanciamento de Deus e das práticas que nos aproximam dele prejudicam, acima de tudo, a nós mesmos.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Deus,
      mz

  7. Olá, Maurício Zágari. Sua reflexão através deste texto tem sido minha reflexão há muito tempo: o que tem sido minha prioridade e se tem agradado a Deus ou apenas aos meus desejos. Na verdade, até já tenho a resposta a esses questionamentos: minhas prioridades têm sido totalmente minhas. O meu trabalho consome toda a minha semana, manhã, tarde e noite, por isso vivo dizendo a mim mesma que quando tenho um tempo livre, devo aproveitá-lo apenas comigo, descansar assistindo um filme, desfrutar a companhia do meu marido, conversar com alguns amigos no whatsapp, ver uns vídeos engraçados, ler o blog do Maurício Zágari etc. Sei que todas essas atividades são saudáveis e que posso gozá-las sem culpa, o problema está em quando negligencio outras importantes mas não tão agradáveis exatamente por acreditar, equivocadamente, que já tive trabalho suficiente durante a minha semana.
    Às vezes sei que poderia abandonar minha zoninha de conforto e trabalhar um pouco mais para, por exemplo, ajudar um amigo de trabalho que está mais sufocado do que eu, acompanhar um familiar em uma consulta médica (já me omiti de ambas as situações porque não quis sacrificar minhas preciosas horas de descanso).
    Lembro-me de um texto da Bíblia que diz que Jesus havia trabalhado o dia inteiro pregando a Palavra de Deus, quando resolveu ir descansar, o que não foi possível, pois o grupo de mais de mil pessoas que estava com ele reclamava por comida. É realmente maravilhoso que um Jesus cansado se preencheu de forças e voltou ao trabalho, e assim, ele não apenas saciou a fome daquelas pessoas, mas me despertou do meu egoísmo e da minha preguiça.
    Na verdade, na vida inteirinha de Jesus aqui na Terra, ele sacrificou suas preciosas horas de descanso para trabalhar por nós. Ele saiu da zona de conforto dele (o céu, o paraíso, onde vivia à direita de Deus e era servido por anjos) para servir a nós, pobres e miseráveis pecadores que não conseguimos nos desfazer por um diazinho sequer para fazer um trabalho voluntário.
    Jesus, de fato, nos ensinou sobre tudo nessa vida! Sempre peço a Ele que me ajude a aprender suas lições.
    Que Deus maravilhoso!

    • Oi, Amanda,
      .
      todas as atividades que você mencionou são lícitas e podemos praticar sem problema. Mas o que é problemático é se esquecer do relacionamento com o Pai. Nunca podemos desprezar o que para Deus é o mais importante. Se tivermos em mente que a intimidade com o Senhor é o cume das nossas prioridades, começaremos a pautar tudo o mais que fazemos a partir dessa percepção.
      .
      Um abraço pra ti, no amor maior que nos une,
      mz

  8. Fabio Cardoso disse:

    Oi Maurício !

    Mensagem de alerta muito oportuna.
    Há planos de TV a cabo com mais de 500 canais, os sites na web são incontáveis. Os ladrões de tempo estão nos cercando. Se não acordarmos iremos colocar Jesus no fundo da gaveta.

    Abraço e vamos com Jesus !!

  9. Amanda disse:

    Nossa, isso tem me incomodado muito. Quando faço uma reflexão de como eu gasto meu tempo, sinto-me envergonhada e penso que Deus está muito decepcionado. São tantas coisas a fazer, tantas tarefas, mas Ele merece o topo das minhas prioridades. Além do mais, uma frase de Jonh Piper vem como um tapa: “Uma das maiores utilidades das redes sociais será provar no Último Dia que a falta de oração não era por falta de tempo”. Precisamos de renúncia e atitude! Que comece por mim! Louvo a Deus por te usar para ‘falar’ não o que queremos ouvir, mas o que precisamos ouvir. Deus te abençoe, irmão.

    • Oi, Amanda, tudo bem?
      .
      Fico feliz que você tenha essa percepção. É o primeiro passo para mudar. Oro a Deus que te ajude a podar suas prioridades, para alcançar o máximo possível de intimidade com o Pai.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  10. Mery disse:

    Boa palavra,acredito que sou bastante esquisita diante de Deus,mas Deus sempre me faz lembrar
    das minhas esquisitices ,então eu corrijo ,quero dizer que sempre que me distancio de Deus,com coisas que não são para seu Reino,Ele me faz ver o quanto estou longe e assim eu me achego a Ele
    E Mauricio ,sua filha tem bom gosto..rs

    • Oi, Mery,
      .
      é maravilhoso quando nossas falhas são apontadas por Deus. Isso prova que ele está atento a nossa vida e nos ama, pois disciplina a todos que ama. Que ele sempre nos exorte!
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Deus,
      mz

  11. Ediná Oliveira disse:

    Olá Mauricio,
    Você tem razão. Devemos examinar nossas ações todos os dias e tomar atitudes voltadas para o reino de Deus e Sua justiça.
    “O Meu Pai trabalha até agora e Eu também trabalho.” (João 5:17)
    “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra.” (Colossenses 3:2)

    Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s