reclama1Você já observou como nós somos reclamões? Às vezes me impressiono com o tamanho da ingratidão que temos pelas coisas que Deus nós dá. Criticamos o povo israelita por ter murmurado no deserto após a libertação do Egito mas fazemos a exata mesma coisa. Pare para prestar atenção às coisas que os seus conhecidos falam ou que seus “amigos” publicam nas redes sociais e você perceberá a enorme quantidade de pessoas insatisfeitas com aquilo que têm e são. Chama especial atenção quando a ingratidão e as reclamações ocorrem em relação a algo que recebemos depois de muito pedir em oração.

Uma das áreas em que esse fenômeno mais acontece é a profissional. Todo universitário sonha com o dia em que entrará no mercado de trabalho; todo estagiário anseia por ser efetivado; todo desempregado fica ansioso por conseguir um emprego. Se for cristão, então, ele ora, jejua, chora aos pés do Senhor e faz todo tipo de barganha e promessa a Deus. Tem gente que chega a fazer campanha, subir monte, se engajar em correntes de oração e tudo o que se possa imaginar. Aí vem Deus e abre a tão sonhada “porta de emprego”. Seria de se esperar que a pessoa agradecesse diariamente por esse trabalho e exaltasse constantemente o Criador por sua generosidade. Só que basta o irmão começar a trabalhar que têm início as murmurações, pelos mais variados motivos: precisa acordar muito cedo para chegar ao trabalho, gasta muito tempo no trânsito, chega ao final do dia cansado, reclama diariamente do chefe, faz careta quando recebe o contracheque porque ganha menos do que gostaria, louva a sexta-feira porque terminou mais uma “terrível semana de trabalho”. Pediu a Deus o emprego e, quando recebe, tudo é só reclamação. Quem entende tamanha ingratidão?

reclama2Outra área em que isso acontece muito é o casamento. A moça sonha com seu “príncipe”. O rapaz clama pela sua “bênção”. Haja oração para que Deus envie logo a sua “metade”. Aí vem Deus e possibilita que você suba ao altar. Nos primeiros dois ou três anos é sempre uma maravilha, o conto de fadas que se realizou. Só que daqui a pouco começam as murmurações. É o marido que vê futebol demais. É a esposa que não gosta de cozinhar para o marido. Ele fica andando pela casa de meias e cueca. Ela deixa a calcinha pendurada no chuveiro. As reclamações crescem cada vez mais. As orações deixam de ser por agradecimento a Deus por, finalmente, lhe ter dado um cônjuge, e passam a ser para que ele transforme o marido ou para que ele faça a esposa tomar jeito. Reclamações se tornam a tônica. Pediu-se tanto um cônjuge e depois parece que ele é um presente de grego. Quem entende tamanha ingratidão?

Tem gente que sonha em ter filhos. Ora e jejua pedindo ao Senhor que lhe dê uma criança saudável e cria toda uma expectativa para a chegada do pimpolho. Aí vem Deus e concede ao casal a maravilhosa bênção da paternidade. Na primeira noite insone por causa do bebê surge o mau humor. Nos choros, a reclamação. A criança cresce e já vi pais que, inacreditavelmente, murmuram porque têm, por exemplo, de abrir mão de ver programas de televisão para brincar com o filho. Em vez de ser sempre celebrados como bênçãos do Senhor, muitos filhos levam os pais a reclamações constantes simplesmente porque os pequenos ainda estão aprendendo a ser gente e fazem traquinagens. Na hora da teimosia deles, muitos pais não encontram o prazer de ensinar o procedimento certo, mas sim vivem a tristeza de “aturar o pestinha”. Aqueles que foram tão ansiados acabam sendo vistos como fardos por quem deveria agradecer todos os dias a Deus, em lágrimas, por ter sido agraciado com o presente de valor incalculável que é uma criança. Quem entende tamanha ingratidão?

murmuraçãoO pecador estava perdido, sem Deus, sem salvação. Vive no atoleiro do pecado, caindo de transgressão em transgressão, caminhando a passos largos para o inferno. Aí vem Deus, estende a ele a sua graça, o adota como filho, o perdoa de seus erros, justifica, regenera e lhe abre as portas da vida eterna. Do inferno para o céu, motivo mais que suficiente para exaltar e glorificar o Senhor por todos os segundos de sua vida. Só que daqui a pouco o salvo começa a reclamar da vida de fé. A igreja de repente tem montes de defeitos. O pastor poderia pregar melhor. Os irmãos não são tão perfeitos como se pensava no início. O culto não é tão animado como a daquela outra igreja. Deus não atende a oração. A bênção não chega. Quero a minha cura e pra ontem! É um resmungo só. De repente a vida com Deus e na comunidade de fé se torna motivo não de alegria, mas de reclamação. Quem entende tamanha ingratidão?

Você não existia. O mundo estava muito bem, obrigado, sem você. Na verdade, você não fazia nenhuma falta. Aí vem Deus e resolve te dar de presente a vida. Te gera no ventre materno, te nutre, sustenta, forma, prepara, ama. Só que você cresce e descobre que a vida é dura, que há dores e sofrimentos, que as pessoas são más e há muita infelicidade no planeta, que viver inclui canseira e enfado. Por isso, se torna alguém que reclama da vida o tempo todo, para quem parece que nada nunca está bom. Suas palavras, em vez de celebrar a vida que Deus te concedeu como um presente de sua graça, se tornam um lamaçal de constantes murmurações. Você age como a hiena Hardy Har Har, do desenho animado, resmungando o tempo todo “ó, céus, ó, vida, ó azar…”. Parece que tudo sempre está ruim. Quem ouve suas palavras tem a sensação de que nada presta e que viver é um fardo desesperador. O Senhor te presenteou com a vida e você vive reclamando desse extraordinário presente. Quem entende tamanha ingratidão?

Reclama6Deus é bom, meu irmão, minha irmã. Logo, as coisas que ele nos dá são boas – muito embora não sejam perfeitas. É claro que há casos extremos, que devem ser tratados individualmente e que nos abatem, mas devemos ser gratos ao Senhor diariamente por cada uma de suas bênçãos – o emprego, o casamento, os filhos, o cônjuge, a igreja, a vida, tudo! Entenda: absolutamente tudo o que vem de Deus é bom, até mesmo o que nos parece mau. Pois, se dói mas vem de Deus, é bom, mesmo que não entendamos. É impossível o Pai te dar algo que seja ruim em suas finalidades últimas. Isso é absolutamente incompatível com a fé cristã. Se Deus deu, agradeça! Não reclame, não seja ingrato, não fique insatisfeito. Ele te dá o melhor e na medida certa. Agradeça. Em tudo dê graças. E se você desconfia de que, de repente, “não foi Deus quem deu”, procure desenvolver um relacionamento próximo e íntimo com o Senhor, pois dessa intimidade virão as respostas. “As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna, e elas jamais perecerão; ninguém as poderá arrancar da minha mão” (Jo 10.27-28).

Quando vier a vontade de reclamar, procure fazer esta dinâmica: lembre-se das suas orações. Lembre-se daquilo que você pediu e o Pai lhe deu. Traga à memória tudo o que orou ao Senhor e recebeu. Se perceber que hoje você vive resmungando e reclamando de presentes da graça divina, está mais do que na hora de substituir a murmuração por louvor e ação de graças.

Antes de murmurar porque há uma goteira em sua casa, lembre-se de que Deus te deu uma casa. Antes de reclamar porque seu cônjuge está doente, lembre-se de que ele está vivo. Antes de reclamar que seu voo atrasou horas, lembre-se de que você poderia ter de viajar centenas de quilômetros de carro. Antes de reclamar que seu carro quebrou, lembre-se de que você poderia ter de andar sempre a pé. E antes de reclamar que você tem de andar sempre a pé, lembre-se de que você tem pés que andam. Celebre a vida. Celebre cada pequena coisa que Deus te deu, pois, se foi Deus quem deu, não é pequena. Seja grato, sempre.

cruz“Aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado como também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.11-13). Em outras palavras, aprenda a viver contente em todo tipo de circunstância. Pare de olhar sempre o buraco que há no centro da rosquinha, antes olhe a rosquinha que há em volta do buraco. Você tem Deus e ele te fortalece; e, tendo ele, você pode encarar o que é bom e o que é ruim – e superar ou suportar as contrariedades da vida.

As fases más vêm e há, sim, momento para chorar e se lamentar. Isso é humano e normal – e bíblico. O problema é quando o lamento se torna um estilo de vida. Viva, simplesmente, e seja grato por tudo o que tem. Santa insatisfação, santa murmuração, santa ingratidão? Não, nada disso. Porque murmuração, insatisfação e ingratidão… de santas não têm nada.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Nadia Malta disse:

    Oh, meu irmão, Deus te abençoe! Que palavra oportuna! Às vezes, tenho umas viagens, fico imaginando como se sente o Espírito da Graça ouvindo as lamúrias dos crentes “reclamões”. Se o nosso coração humano limitado e imperfeito entristece, imagino o coração do doador de toda boa dádiva e todo dom perfeito! Temos tentado implantar em nossa comunidade uma cultura de ações de graças, mas descubro que a nossa memória é curta para as coisas boas e bem extensa para aquilo que consideramos ruim. Vejo tudo como um propósito de Deus, procuro garimpar esse propósito nas mais diversas situações. Tenho uma saúde física frágil, sinto dores 24h, mas isto não me impede de fazer a obra de Deus e Ele tem me dado graça suficiente pra seguir em frente e uma alegria indizível par seguir em frente. Quando lembro dos caminhos espirituais dos quais fui tirada, só há uma palavra em meu coração: GRATIDÃO! Que Deus continue te concedendo cada vez mais sabedoria.

    • Oi, Nádia,
      .
      é um fato, nossa memória para as coisas boas parece ser curta demais. Que Deus nós ajude a sempre sermos gratos por aquilo que ele nos permite ter – as coisas boas e as más.
      .
      Um abraço fraterno, que Deus te dê sempre perseverança e paz,
      mz

  2. Marcus César Petindá Fonseca disse:

    Agradeço a Deus e a você Maurício por este post. Que Deus continue te iluminando para escrever reflexões tão edificantes. Abraço,
    Marcus Petindá

  3. Cláudia disse:

    Caro irmão, acompanho seu blog há algum tempo e nunca parei para dizer : – OBRIGADA! Este texto me levou a este lembrete, de agradecer por sua palavras que chegam deste lado gratuitamente, depois de alguém, com boa vontade, estudar, refletir, usar seu precioso tempo para repartir com tantos algo que era só seu.
    Obrigada por tão boas palavras. Deus te abençoe.

    • Olá, Cláudia, tudo bem? Que honra saber que uma de nossas autoras na Mundo Cristão tem lido as singelas reflexões que aqui compartilho. Espero poder edificar sua vida.
      .
      Não tem o que agradecer, para mim é um privilégio e uma missão. Tenha a certeza de que ninguém é mais abençoado do que eu pela existência deste blog. Melhor coisa é dar do que receber!
      .
      Deus siga te abençoando e a toda a sua família. Um abraço fraterno, no amor de Deus,
      mz

  4. Paulo Victor disse:

    Meu irmão,

    Eu já fui muito ingrato, embora não externalizava tanto com palavras. Quem me conhecia de verdade provavelmente percebia em meus olhos, em meu humor, ou no estado emocional, esse traço. Tive meu ápice de desagradecimento em meu último trabalho (policial militar). Eram relações difíceis, pois lidava com aquilo a sociedade detesta (toda sorte de malfeitores, prostitutas, bêbados, viciados). Ninguém chama a polícia quando está tudo bem ou quando há uma festa. Com superiores, mormente, por causa do regulamento injusto e arbitrário, era muita desolação.

    Deus, por meio da sua misericórdia, agraciou-me e tomei posse em outro trabalho.

    Hoje vejo o quanto deixei de caminhar com Cristo mais de perto. Ele tentou me mostrar da sua graça e não via. Isso é angustiante.

    O importante que agora é outra história.

    Mano, embora não diga sempre, seus textos trazem segredos escondidos.

    Forte abraço, mz.

    • Oi, Paulo,
      .
      obrigado pelo carinho, fico feliz por poder compartilhar reflexões que te abençoam.
      .
      Não se entristeça por posturas passadas. Elas servem para nos ensinar o caminho mais excelente. O importante é que, se percebe que errou, utilize esse aprendizado para não errar mais. O evangelho é sobre isso: restauração após a transgressão. Siga firme!
      .
      Abraço forte, no amor de Jesus,
      mz

  5. Ana disse:

    Bom dia, Maurício!

    Seu texto me fez lembrar da minha Mãe. Às vezes ela saía para resolver algum problema e quando voltava eu ia ansiosa perguntar o que aconteceu. Então ela dizia primeiro: “Deus é Bom”, depois orava agradecendo a Deus que chegou em casa, depois me contava o que havia acontecido. Mesmo quando tudo “dava errado” ela agia assim. Aprendi muito com isso. Já tive meus momentos “reclamões” mas sempre que me lembro da atitude da minha Mãe fico envergonhada e agradeço a Deus pela sua graça seja qual for a situação. Creio que reclamamos muito porque esquecemos que não somos merecedores de nada e que “as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos”. Sempre digo que Deus dá a bênção, mas cabe a nós administrá-la e quando administramos mal colhemos os maus frutos. Então reclamamos com Deus pelo que é responsabilidade nossa: Por que Deus fez isso comigo??? Por que está me castigando??? E não paramos para repensar as nossas ações e corrigir os nossos erros. O povo de Israel entou na terra prometida, mas não soube valorizar e cuidar da terra que manava leite e mel obedecendo aos madamentos de Deus… Então passou fome, foi ferrido por várias guerras, foi levado ao cativeiro… E reclamou. Graças a Deus pela sua misericórdia que nos enviou o Seu Filho mesmo sabendo o quanto somos ingratos. Ele se lembra de que somos pó. Bendito seja o nome do Senhor!

    Paz!

    • Oi, Ana,
      .
      que lindo o exemplo de sua mãe, certamente uma pessoa que compreende a ação divina. Mais grato a Deus ainda porque ela passou esses ensinamentos a você, que os utiliza para crescer no seu relacionamento com o Senhor e na maturidade espiritual.
      .
      Abraço fraterno pra ti, Deus abençoe toda a família,
      mz

      • Ana disse:

        Obrigada, Maurício!
        Minha Mãe era mesmo uma pessoa muito especial. Quando a perdi foi como perder meu chão, algo morreu dentro de mim. Aos poucos aprendi que além de chorar e lamentar a perda era preciso agradecer a Deus pela Mãe, amiga e professora que Deus havia me dado. Não tenho mais a companhia dela, mas tenho seu exemplo, seus ensinamentos que me são preciosos. Aproveito para dizer que li “A grande batalha espiritual” e foi muito edificante para mim. Também recomendei para uma amiga que está lendo. Deus abençoe você, sua família e a todos da Anno Domini. Paz!

  6. Mittleny disse:

    Ô reflexão abençoada!!! Amei! muito bom! Em tudo dai graças porque essa é a vontade do Pai! e não esquecendo que, “Tudo” contribui para o bem daqueles que amam a Deus. Pode até parecer que não, no momento, mas… “O que Eu (Deus) faço hoje, não sabes tu (crente) agora, mas… tenhamos calma! Saberemos depois! Glória ao Rei Jesus! Ele merece!
    Oh! céus… ” lindo fez Deus! ” Oh! vida… ” abençoada Ele nos deu! ” Aleluia!!!

    Paz Maurício! Deus continue te iluminando servo de Deus!

    Abração…

    Com carinho… Mittleny

  7. Maria Regina Henriques disse:

    Já tanto foi dito, só me resta agradecer também por todas a sua maravilhosas mensagens! Muito obrigada!!! Que o nosso Deus possa continuar a dar-lhe esta preciosa inspiração e que por ela muitos por ela sejam abençoados! Regina Henriques

  8. Alisson Malta disse:

    Palavra abençoada. Falou muito ao meu coração, me fez refletir sobre a grandeza da bondade de Deus sobre mim. Que Deus continue o abençoando, meu irmão, para que tu possas ser usado a cada dia com palavras vindas do coração de Deus para nossas vidas. Graça e Paz!

  9. Wallysson Bruno disse:

    Como já expressa a música…

    “Ó meu Senhor, dá-me mais gratidão,
    Por tudo que Tu fizeste por mim
    Por Tua graça no meu coração,
    Que me encheu de ventura sem fim!” (Harpa Cristã N 370)

    Precisamos percebermos o que o Senhor fez por nós, e assim vivermos uma vida de gratidão.

  10. Eta, glória!!
    Chega a ser até engraçado nossa maneira de agir. Aiai, somos demais mesmo. (^_^)7

    Jesus, muito obrigado. O Senhor opera tudo em nós, inclusive nos ensina a não ser murmuradores.

    Perfeito. Simples, e perfeito.

    Deus continue a te abençoar poderosamente, meu mano.
    Abraço no amor da Graça.

  11. andreia disse:

    ola meu irmão….que
    benção de exortação!!!!!!!!sabemos de todas essas verdades,porem quando o calo aperta…….mas é isso mesmo….dando graças …EM TUDO!!!!!

    louvo a Deus por seu dom, e clamamos ao Senhor que derrame do oleo da unção Dele mais emais sobre ti.

    Grande abraço para familia com orações,

    Andreia Araujo

  12. Rodrigo disse:

    Não canso de dizer: Deus te abençoe, sempre! Obrigado por ser este canal de benção para mim.

  13. Laura disse:

    Irmão!
    Qual email entro em contato com você?

  14. Ana Paula disse:

    Paz do Senhor Mauricio,

    Sou leitora do seu blog desde o primeiro post, e sou grata a Deus por existir pessoas que expressam a verdade do evangelho sem máscara e com tamanha simplicidade. Sou muito edificada por seus textos.
    …tenho uma dúvida a respeito de um texto que li recentemente sobre contribuir com dízimos quando estamos em dificuldades financeiras que li (http://www.esbocandoideias.com/2014/05/devo-continuar-contribuindo-na-igreja-mesmo-com-minha-familia-passando-necessidades.html)
    Gostaria de saber sua opinião a respeito.
    Que Deus continue te abençoando e te dando sabedoria.
    Abraço

    • Ana, olá,
      .
      a Bíblia não dá nenhuma orientação explícita sobre essa questão, então o que podemos fazer é buscar interpretar o princípio envolvido na questão.
      .
      Não há passagens bíblicas que afirmem que, se há dificuldades financeiras, a contribuição deve cessar. Até porque qual seria a definição de “dificuldades financeiras”? Se uma pessoa que ganha um milhão por mês, fica com dívidas e fecha o mês no vermelho, isso representa dificuldade financeira? Para ele sim, para nós creio que não. Então qual é o critério que especifica que alguém está em dificuldades? É algo subjetivo.
      .
      Vejo Jesus elogiar a viúva que depositou no gasofilácio do templo por ter dado aquilo que lhe faria falta e não encontro afirmação do Senhor de que ela fez mal. Aquela mulher certamente poderia ser classificada entre as que estavam em dificuldades financeiras e, mesmo assim, recebeu comentários elogiosos de Cristo pelo que fez. Para mim essa é uma boa medida.
      .
      Não posso dizer a ninguém o que fazer. Mas eu mesmo já estive desempregado por duas vezes (num total de onze meses sem emprego) e nunca deixei de contribuir para a igreja com uma parcela do pouco que entrou nesses períodos. Penso que, se fizéssemos assim, as igrejas em países ou regiões extremamente pobres sofreriam sérios abalos.
      .
      Certamente é uma questão polêmica, pois não é explicitado nas Escrituras o que fazer nesses casos e mexe com algo que é extremamente valioso para a maioria: o amor pelo dinheiro. Eu não deixaria de contribuir, mas é uma decisão de cada um.
      .
      Um abraço para ti, no amor de Deus,
      mz

  15. Fabio Cardoso disse:

    Oi Maurício !
    Mas que texto longo e chato !
    Brincadeira hein …. muito boa sua reflexão!
    Abraço !

  16. Walace Alevs disse:

    Linda reflexão!!! É incrível como sempre olhamos os pontos negativos, ruins e esquecemos dos mais necessários e importantes. E como foi dito “É impossível o Pai te dar algo que seja ruim em suas finalidades últimas.”, não é fácil passarmos por momentos difíceis, tristes, angustiosos. Mas sabermos que Deus, está de alguma forma conosco e nos ajudará a passar é maravilhoso.

    Deus abençoe Mauricio Zágari.

  17. Daisy disse:

    “Pare de olhar sempre o buraco que há no centro da rosquinha, antes olhe a rosquinha que há em volta do buraco. Você tem Deus e ele te fortalece; e, tendo ele, você pode encarar o que é bom e o que é ruim – e superar ou suportar as contrariedades da vida.”

    Obrigada,esta foi “direta” pra mim…

    Que Deus abençoe sua vida e continue te usando para falar com a gente!!!

    Um forte abraço…

    • Oi, Daisy,
      .
      louvo a Deus por suas diretas, mana. Se vem dele sempre será um soco amoroso no estômago. Muito obrigado pela oração, tão valiosa.
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Deus,
      mz

  18. Edina Oliveira disse:

    Olá maninho, como vai?

    Como sempre, agradecidíssima por nos alertar, pois precisamos diariamente de vários “puxões de orelha”.

    Abraço, Deus te abençoe sempre!!!

  19. Isac disse:

    De todos os lados somos campeões em murmurar, em nada agradecemos! Precisamos aprender com as Escrituras o que é agradecer. Precisamos orar a DEUS e assim com a ajuda do Espírito Santo Agradecer a DEUS por tudo.

  20. Republicou isso em Mais Crente e comentado:
    Pense nisto

  21. Amanda Campos disse:

    Wow! Essa doeu! rs A Bíblia fala “Em tudo dai graças”, né? E eu lembro também quando fui a um orfanato e no final, perguntamos se alguém queria orar, e uma garotinho se ofereceu e orou assim “Deus, obrigado pela vida, pelo meu braço, mãos, pés. E obrigado porque essas pessoas vieram aqui nos abraçar e brincar com a gente.” E todo mundo que estava presente foi tocado porque temos o necessário e às vezes não paramos para agradecer as coisas simples da vida.
    AH, Precisava ler isso hoje. Amanhã começo um estágio que tanto busquei e peço a Deus que todas as vezes em que eu murmurar, lembre desse texto. Deus te capacite cada vez mais, mano!

    • Oi, Amanda,
      .
      em geral, quem perdeu muito é quem mais sabe valorizar aquilo que tem. Muitos que têm em abundância acreditam que Deus tem a obrigação de lhes dar sempre mais. Que saibamos sempre caminhar em gratidão. Peço ao Senhor que te conduza em seu estágio e que você nunca se esqueça de que toda boa dádiva vem do nosso Pai
      .
      Abraço carinhoso, no amor de Cristo,
      mz

  22. Fabiana disse:

    Tenho provado dádiva da Graça e do Amor de Deus mais do que nunca e tenho agradecido a Ele todo dia pela vida e por todos os seus benefícios dos quais não seria merecedora se Ele antes mesmo de me trazer a existência não tivesse providenciado dando por mim o que para Ele é o melhor, Seu Filho.

    No deserto que estou passando(descobri um câncer), eu sei que devo louvar e honrá-lo por quem Ele é e não pelo que me dá, até porque pelo que Ele me deu(o seu próprio Filho) eu não tenho como pagar e tal Graça não me é cobrada. Eu sei e tenho provas que estou cercada pelo seu cuidado e Amor todo o tempo, então penso como Davi: “O que darei ao Senhor por todos os seus benefícios?”

    Sabe isso não impede o medo e as lágrimas ou a culpa de que de repente eu seja acusada por aquela voz insistente de que o medo e as lágrimas são um sinal de que minha fraca, pequena, insignificante fé não é suficiente e de que se eu sinto tudo isso logo duvido, mas sou confortada pelo Espírito que inspirava o salmista:”Ele sabe que somos pó.”O meu Deus não é acusador, o seu Espírito consola.

    E assim entre lágrimas e as minhas fraquezas, sigo agradecendo e louvando para que a vontade Dele seja feita em mim e através de mim.Não caminho sozinha neste deserto e não ficarei nele para sempre.
    a PAZ que excede todo entendimento

    Fabiana Leite

    • Oi, Fabiana,
      .
      oro a Deus que te conceda paz e que sustente seus passos a cada instante da jornada até a cura total dessa doença, mana. Não se incomode por sentir medo ou derramar lágrimas. Isso não significa em absoluto que sua fé é pequena, Jesus mesmo sofreu no jardim das oliveiras, a ponto de dizer: “A minha alma está profundamente triste, numa tristeza mortal” (Mt 26.38). Deus entende seus temores e os abraça, pois sabe que “Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados” (Mt 5.4). A questão não é sofrer, o problema surge quando se faz do sofrimento e da autocomisseração um estilo de vida. Momentos de tristeza devem ser vividos e chorados. Você tem o direito de se angustiar, faz parte de sua humanidade, e de maneira alguma quer dizer que você não tenha fé.
      .
      É preciso ser forte para compreender o que Deus quer que você aprenda e em que ele deseja que você amadureça em meio a esse momento de dor. A partir daí, é caminhar sabendo que Jesus não te abandonou nem vai te desamparar (Mt 28.20) e que ele é digno de graça e louvor em meio a qualquer situação. Deus é bom e Deus é Deus, mesmo em meio ao sofrimento. Recomendo que você veja este video, que, a meu ver, traduz bem a postura que devemos ter diante das dificuldades da vida:
      https://apenas1.wordpress.com/2012/03/25/o-perfeito-louvor-nas-piores-horas-da-vida/
      .
      Oro por você, Fabiana. Oro pela sua cura, pelo seu crescimento em meio à dor, para que Deus lhe dê paz em meio ao turbilhão. Tenha certeza de que ele jamais desamparou você e jamais vai desampará-la. Deus te ama e muito. No amor dele,
      mz

  23. Mateus disse:

    Maurício, mano, sou o jovem Mateus lá do e-mail. Acabo, de verdade, de tirar proveito para a minha vida com esse texto. Consigo fazer aplicações e digo: é verdade! Como somos murmuradores e reclamões! Preciso ser mais grato e menos murmurador, por exemplo, em relação ao meu emprego. Deus te abençoe pelo maravilhoso texto.

  24. ZULEIDE REIS disse:

    QUERIDO IRMÃO ZÁNGARI QUE BENÇÃO ! GLÓRIA A DEUS PELA SABEDORIA QUE ELE TEM DADO AOS SEU SERVOS E NESTE MOMENTO FALANDO Á RESPEITO DESTE TEXTO, PELA SABEDORIA QUE ELE TEM LHE DADO, CONCORDO PLENAMENTE COM CADA PALAVRA.DEUS SEJA SEMPRE LOUVADO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s