sal e luzSe você foi um aluno atento às aulas de física na escola vai se lembrar de um princípio chamado “impenetrabilidade”. Esse palavrão estabelece que dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo. Ou seja: ou eu estou no lugar X neste momento ou outra pessoa está. Eu e meu próximo de maneira alguma podemos estar no mesmo lugar, no mesmo instante. Essa lei da física encontra paralelo numa lei espiritual: é impossível eu ocupar o lugar de primazia nas minhas atitudes e o meu próximo também: ou eu me priorizo ou eu priorizo o meu próximo, não dá para fazer as duas coisas ao mesmo tempo. Portanto, se eu quiser ser sal da terra e luz do mundo, cumprindo o grande mandamento, que é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a mim mesmo, terei de negar-me e preferi-lo em honra.

Em linguagem bíblica: para que eu cumpra isto: “Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força. O segundo é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes” (Mc 12.30-31), é preciso que eu faça isto: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23) e também isto: “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rm 12.10).

Hoje ocorreu um episódio simples mas que me mostrou de forma prática essa realidade espiritual. Escrevo este texto no dia do jogo de Brasil contra México, pela Copa do Mundo de futebol. De manhã, fui levar minha filha à escola. Chegando lá, muitos de seus coleguinhas já se encontravam no pátio, brincando, a maioria vestida de verde e amarelo, com camisas e enfeites com as cores da seleção brasileira. Toda vez que vou deixar minha filha no colégio, os coleguinhas dela voam em cima de mim, comentando coisas e me chamando para brincar. Eu entrei no clima.

Começamos a falar animadamente sobre a roupa que cada um usava, os enfeites, a Copa et cetera. Foi quando Pablo se aproximou. Na turma da minha filha há dois estrangeiros: uma menina inglesa e esse menino, que chamo de Pablo (como não tenho autorização de seus pais, não faria a indelicadeza de postar na internet seu nome verdadeiro). Ocorre que Pablo é mexicano. E lá estava ele: o inimigo. O adversário. Bem no dia da batalha, infiltrado entre nós. Levado pela empolgação do momento, acabei dizendo para aquele garotinho de apenas 3 anos uma frase impensada e horrível:

– Ih, Pablo, hoje você vai perder.

Amor2Não se passaram três segundos e o Espírito Santo já dava um cartão vermelho para a minha consciência. Pablo vive em um país estranho e já enfrenta todas as dificuldades que isso gera. Fico imaginando nesse dia específico, todos os seus amigos torcendo por um país diferente do seu, gritando “Brasil! Brasil!”, enquanto em casa seus pais torcem pelo México. Que confusão isso deve gerar em sua cabecinha. E, de repente, chego eu, o adulto mais insensível e bruto da face da terra, e mando essa. “Você vai perder”. Meu Deus… nota zero para mim. A carinha de confusão e tristeza que o querido Pablo fez, assim que falei isso, rasgou meu coração. Eu me senti um animal estúpido, fazendo mal a uma criancinha.

Na mesma hora, o meu peito apertou e percebi o absurdo que cometi. Fiz um dos piores tipos de bullying. Naquele momento percebi que só havia um meio de consertar o meu erro: amar o próximo. Preferi-lo em honra. Negar a mim mesmo. Era o mínimo que podia fazer. Então, segundos após ter dito aquela frase ignorante, bárbara e altiva, tive uma ideia. Voltei-me para a criançada e conclamei:

– Pessoal, o Brasil é legal, mas o México também! Quem acha o México legal?!

E o coro:

– Eeeeeeeeuuuuu!!!

– Entao vamos lá: México! México! México! México! México! México! México! México!

E, quando me dei conta, havia um monte de crianças pulando, vibrando e se abraçando, vestidas de verde e amarelo, demonstrando afeto pelo “adversário” e amando o “inimigo” aos gritos de “México!”. O resultado me trouxe alívio: no meio deles, Pablo saltava, alegre e sorridente, não mais com aquele olhar confuso e abatido de quem sofreu desamor, mas com a felicidade de quem é amado pelo próximo. Fui antipatriota? Pode ser. Mas, naquele momento, me senti muito mais um cidadão da pátria celestial do que o cidadão do mundo que segundos antes oprimira uma pobre criancinha.

Lamento, meu irmão, minha irmã, mas muitas e muitas vezes você terá de abdicar de si caso queira amar o próximo. Terá de abrir mão de seu tempo, de seu dinheiro, das suas vontades, do seu orgulho, da sua vaidade, de seu conforto, da sua primazia e de tantas outras coisas. A boa notícia é que, se isso significa perder algo na terra, também significa ganhar muito no céu. Deus aprecia quando brasileiros gritam “México! México! México! México!” em favor de uma criancinha mexicana.

Amor3Assisti ao jogo com uma camisa amarela, mas o coração um pouco mais mexicano – e feliz por isso. Deixo aqui a sugestão: da próxima vez que você se vir diante de uma situação em que, para cumprir o mandamento de amar o próximo, veja que precisa abrir mão de vantagens pessoais, tenha em mente este grito: “México! México! México! México!”. Peço a Deus que isso lhe dê o impulso necessário para agir em favor do mexicano que cruzar o seu caminho. Seja esse mexicano seu amigo, inimigo, brasileiro, estrangeiro, cristão ou ateu. Pois, ao fazer bem a ele, você estará fazendo bem, antes de tudo, a um israelense que deu sua vida por bilhões de cidadãos de uma pátria que não era a sua.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. anobre77 disse:

    Bom dia Maurício!!
    A pergunta do texto foi respondida a contento; não dá! Ta aí uma das tarefas mais difíceis e admito que tenho me achado em falta sobre isso. Peço a Deus que me ajude … apenas isso, pois sei que isso não é opção e sim mandamento.
    Valeu por compartilhar mano … tenha uma semana abençoada!!
    Abraço!!!

    • Oi, Alexandre,
      .
      é exatamente a percepção de que sem Deus nada podemos fazer que nos humilha a ponto conseguirmos, em nossa fraqueza, alcançar a força que vem do alto para cumprirmos a tão difícil tarefa de abrir mão de nós mesmos. Prossigamos nessa fraqueza, dependentes da graça.
      .
      Abraço pra ti, na paz de Jesus,
      mz

  2. Nadia Malta disse:

    Uau! Glória seja dada ao Senhor! Desse jeito meu irmão! Como precisamos aprender essa verdade prática! É interessante que em algumas traduções bíblicas a palavra amor é traduzida como caridade, não a caridade de apenas doar coisas, mas um doar-se contínuo. Ouvi certa vez uma história sobre a Madre Teresa de Calcutá, não sei se é verdadeira, mas encerra uma verdade. Conta-se que certa vez chegou a base da missão um bêbado que queria falar com ela e importunamente aos berros no portão chamava por ela. Um de seus assistentes tomou a frente da situação e disse: “Deixe que vou mandá-lo embora!”, a Madre olhando firmemente disse: “Não meu filho, eu vou atender, pode ser Jesus disfarçado!”. Misericórdia de nós, quantas vezes nos deparamos com o Cristo disfarçado e damos de ombros para não ser incomodados! Que Deus continue te abençoando sempre meu irmão! Fica na paz!

    • Olá, Nadia,
      .
      uma boa lembrança, mana. É interessante que todas as pessoas em necessidade são Jesus disfarçado. Portanto, façamos o bem a todos e em qualquer ocasião.
      .
      Que o Senhor te abençoe em dobro! Um dia de paz pra ti,
      mz

  3. Eli GONÇALVES disse:

    muito bom , gostei.

  4. Sidnei disse:

    Camarões, Camarões, Camarões…!!!
    Mais uma vez excelente reflexão! Eu apenas faço uma ressalva mano Maurício. Penso que não fostes antipatriota.
    A seleção brasileira de futebol, em minha opinião, não representa a pátria de “chuteiras” como alguns gostam de dizer.
    Nosso patriotismo vai muito além de torcer em um torneio que dura apenas 30 dias e em que, diversas vezes, nem sempre o que apresenta o melhor futebol sai vencedor.
    Não sei porque, mas depois de ler o texto passei a ter uma simpatia e empatia ainda maior com o povo mexicano…parece que estou vendo agora o sorrisão do garoto!
    Abraços e fique na paz.

    • Rs, muito bom, Sidnei.
      .
      Que bom que o texto despertou (ou aumentou) em seu coração o amor pelo diferente. Estás mais perto do reino, com certeza.
      .
      Abraço, querido, que a paz de Deus inunde sua vida, sempre,
      mz

  5. Marcia disse:

    Começar a segunda-feira com uma palavra edificante como essa,traz ânimo para toda a semana, além de me fazer lembrar de amar o próximo com o amor de Deus em todo o tempo e circunstância.
    Obrigada por compartilhar palavras tão preciosas.Que Deus lhe abençoe.
    Abraços, na paz de Jesus.

  6. Andréa Bussolo disse:

    A Paz do Senhor, Maurício!!! Com certeza, o Espírito Santo substituiu seu cartão vermelho por um sorriso maravilhoso!!! Deus continue te usando e te abençoando!!! Abraços!! 🙂

  7. Muito bom dia, maninho!
    Que bom ler esse texto, porque tem algo que gostaria de compartilhar com alguém, mas ainda não sabia direito com quem. Agora abriu-se a brecha que eu precisava. 🙂

    Certa noite, eu estava com algumas pessoas da minha família e amigos conversando. Cinco evangélicos e uma católica (uma senhora de quase 80 anos), quando de repente um evangélico se pronunciou, mais ou menos assim: “que coisa horrível esse negócio de rezar o terço, repetindo não sei quantas vezes uma prece para Maria”. E enquanto ele dizia isso, gesticulava, em tom de zombaria. Nesse momento a senhora católica caiu o semblante, olhou para todos nós com ar de constrangimento, como se esperasse um grande ataque já que éramos a maioria ali. E quando mais uma pessoa começou a atacá-la, dizendo: “e ainda fica beijando a TV, quando aparece “as mãos ensanguentadas de Jesus”, eu me senti mal. Olhei para o meu esposo e disse baixinho: “diga alguma coisa para ajudá-la”. E enquanto meu esposo buscava palavras, eu comecei:

    “Olha, essa foi a forma que a nossa irmã aprendeu a adorar a Deus, desde criança. No coração dela ela adora ao nosso Deus, adora ao nosso Jesus. O seu coração de desmancha em amor por Jesus do mesmo jeito que a gente o ama, embora use alguns métodos diferentes do nosso. Quem pode saber da medida do amor de cada um senão o Amado? Somente Jesus sabe?

    Nós já sabemos que somente Jesus é o único mediador entre o homem e Deus, pois Ele mesmo disse isso, está escrito na Bíblia. E não há nenhuma passagem que fala que devamos pedir a Maria, mas em nome de Jesus. Mas a nossa irmã ainda não sabe dessas coisas direito. Não fique triste irmã, PAPAI (Deus) vai te ajudar a entender todas essas coisas, no tempo dEle e do jeito dEle. Vamos orar.

    A irmã saiu muito aliviada, e meu coração também.

    Que nosso PAI nos ajude a imitar os Seus gestos!
    Um abraço enorme de grande, Maurício!

    • Obrigado por compartilhar o relato desse gesto de amor, Francilúsia. Creio que a evangelização deve ser feita sempre pelo amor e não pelo confronto. Não consigo imaginar ninguém sendo conduzido para Cristo mediante a humilhação.
      .
      Um abraço grande pra ti também, Deus a abençoe e a toda a família,
      mz

  8. vivifb1505 disse:

    Enviada do meu iPhone

    >

  9. Neia disse:

    Mano Mauricio ,
    Obrigado por compartilhar esse text vou meditar no ultimo paragrafo que me fez chorar
    (pois , ao fazer bem a ele, você estará fazendo bem, antes de tudo, a um israelense que due sua vida por bilhões de cidadãos de uma pátria que não era a sua.) o amor ao proximo rompe barreiras e nacionalidades ate mesmo pq nao somos dessa terra e muitas vezes magoamos, ferimos pessoas por causa de um jogo , religiao ,politica etc ….. Nao devemos esquecer que em todo o tempo e em tudo que fazemos somos cristao sem exceção vamos torcer mas sem ofender com respeito pelo próximo que benção que estou lendo isso hoje serei mais atenciosa na hora dos jogos.
    Nem sempre comento mas tenho acompanhado todos os post e compartilhei com os amigos sobre Respeito e bom e Deus gosta e a vaidade e a simplicidade esses dois post quebrou tudo hahah foi assim tremendo passei o dia todo falando com minha companheira de trabalho somos cristãos e isso foi bacana pq meditamos trocamos idéia e fomos abençoadas alias sempre somos como pq como sempre vc usa ama linguagem simples e isso torna fácil o aprendizado.
    Jesus te abençoe mano e toda a sua família obrigado pelo carinho de sempre compartilhar com todos nós algo que trás edificação falo sempre de vc aqui em casa moro em outro pais e a família com quem moro e do Rio de Janeiro eu sou mineira sempre uso a expressão ” carioca abençoado ” “mano Maurício ” quando me refiro a vc eles acham engraçado pq nem te conheço mas pra mim vc e mais um irmão que conheci não pessoalmente quem sabe um dia mas , mesmo que não aconteça vc e sua família estarão sempre em minhas orações .
    Um abraço Deus te abençoe sempre , e mais uma vez obrigado. 😀

    • Oi, Neia,
      .
      isso mesmo, muitas vezes ferimos pessoas por causa de fatores irrelevantes. Às vezes, por fatores relevantes. Às vezes, por maldade. Às vezes, por egocentrismo. Tem de tudo. O grande problema é ferir as pessoas – e isso independe dos motivos.
      .
      Me alegro que os posts “quebraram tudo” rs. Espero que aquilo que será reconstruído após a quebra seja algo muito melhor.
      .
      Muito obrigado pelo carinho das suas palavras, pelos votos de bênção e pelas orações, todos muito importantes e valiosos. Deus abençoe muito você e meus compatriotas cariocas rs.
      .
      Abraços fraternos, no amor do Mestre,
      mz

  10. Edina Oliveira disse:

    Legal, Mauricio,

    Você errou com o garotinho e teve a sensatez de imediatamente consertar o erro, fazendo-o sentir-se melhor. Muito bom.
    O problema com a maioria é que erram, “se arrependem” e não fazem nada para amenizar o erro cometido.

    Abraço fraterno!

    • Oi, Edina,
      .
      creio que a maior vantagem de errar é aprender que o erro é um erro e, assim, se esforçar para não mais errar. Vivendo, errando e aprendendo.
      .
      Abraço pra ti e os teus, no amor de Deus,
      mz

  11. Isac disse:

    É necessário que venhamos agir assim, pois todas as vezes que assim procedemos o Nome do Senhor é glorificado. Quer queiramos ou não, todos os dias existem essas situações para abrirmos mão de si e amar o próximo! Que Deus nos ajude, assim como ele te ajudou Maurício. A paz em Cristo Jesus. Soli Deo Glori.

    • Oi, Isac,
      .
      isso, mano, que Deus nos ajude, pois por nós mesmos nunca conseguiríamos amar como o Senhor quer que amemos. Só no poder do Espírito isso é possível.
      .
      Abraço pra ti, na paz do alto,
      mz

  12. Dayana disse:

    Olá Mauricio, li uma frase que não lembro do autor, mas ela diz que o melhor que nós podemos dá ao próximo é a nós mesmo! Eu concordo com essa frase, Jesus fez isso por nós e nos deixou o exemplo, Filipenses 2 responde a pergunta do texto. Porém, entendo que esse dar-se é um exercício da obediência que devemos ter aos mandamentos de Deus, você já parou pra pensar que mandamentos como amar ao próximo e perdoa-los são incondicionais as circunstâncias e pessoas? Certa vez assistindo a um vídeo, o pregador relatou que na sua infância sua avó mandou que ele comesse uma certa fruta e ele indagou que não gostava, ela porém argumentou que não estava mandando ele gostar da fruta, mais sim, que a comesse, ou seja, o exercício de comer a fruta que ele não gostava iria coloca-lo na posição de obediência que o levaria a gostar da fruta, por isso comparo á um exercício que tem que ser feito diariamente. No demais, precisamos daquela voz que parece ser pequena, mais que tem um poder enorme sobre nossas vidas, a mesma voz que te alertou sobre o menininho do México, que possamos sempre ouvi-la, abraço em Cristo!!

    • Oi, Dayana, tudo bem?
      .
      Que boa reflexão, obrigado por compartilhar. É isso mesmo, não há condicionamento a pessoas e circunstâncias, a parábola do bom samaritano deixa isso bem explícito. Amei a comparação com a fruta, muito bem pensado. Que sempre ouçamos a voz do Espírito, para sermos conduzido ao amor quando ele nos falta.
      .
      Abraço pra ti, no amor que nos une,
      mz

  13. Graça e paz, meu amado.
    Olha, vaso, a cada dia me encanto com a simplicidade com que Deus lhe usa. É esse o espírito. Deus fala na simplicidade. Através desse acontecido, me fez refletir em muita coisa no meu viver. Grande lição em um pequeno testemunho.

    Que Deus ilumine cada vez mais a tua vida, meu irmão. Assim, poderemos desfrutar um pouco desses textos inspirados.
    Na graça do Altíssimo. Abraços

    • Oi, Fernando, tudo bem?
      .
      Louvo a Deus por ter decidido usar este vasinho de barro de modo que alcance corações. Enquanto ele me iluminar para isso, eis-me aqui. Muito obrigado pela oração, querido.
      .
      Abraço pra ti, no amor que vem de Deus,
      mz

  14. Pri disse:

    Poxa Mauricio, este texto me tocou. Tocou porque me reconheci falhando com o próximo e me constrangi. Outro dia, fui numa confeitaria para comer algo que estava com muita vontade e estava super feliz de estar ali, quando, de repente, uma mulher estrangeira falando um português dificil, veio pedir algo, digo algo porque eu nem sequer quis olhar para ela, pois ela estava estragando meu momento. Fiquei irritada com a interrupção e fingi que nada havia estragado aquela minha felicidade. Logico que pesou meu coração, mas me mantive irredutível e procurei deixar para lá, até hoje quando li seu texto e me envergonhei demais pela minha atitude. O comentário que uma pessoa fez acima falando que uma pessoa em necessidade é Jesus disfarçado me deixou em frangalhos. Que vergonha! Não tenho como me redimir com esta mulher, mas pedi perdão, sei que fui perdoada sem merecer, mas fica a lição para mim e, que daqui em diante, eu possa ter mais amor ao próximo.

    • Oi, Pri, tudo bem?
      .
      arrepender-se não é vergonhoso, é louvável. O fato de você se incomodar com uma atitude que tomou e da qual não se orgulha mostra que o Espírito Santo age em sua vida e se importa com você. Louvo a Deus por seu coração estar aberto à correção divina.
      .
      Um abraço carinhoso, Deus abençoe toda a sua família,
      mz

  15. Zuleica Zanini disse:

    Oi. Legal a explanação sobre o tema. Concordo mesmo e me arrisco a dizer que “amar ao próximo” começa em casa, na família. Necessitamos Amar. Fomos dotados disso. Grata *_*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s