Hipocrisia1Ninguém gosta de viver crises. Eu não gosto. Você não gosta. Crises são ruins, doem, machucam, entristecem, abatem. Elas podem vir com as mais variadas aparências: desemprego, doenças, divórcio, alcoolismo, opressão, escassez, pecados, agressões e por aí vai. Deus nos livre das crises. Mas… eis que vem a má notícia: elas são inevitáveis. Certeiras. Elas virão. Ninguém está isento de crises. Jesus as enfrentou, todos os apóstolos foram afligidos por elas, a Igreja primitiva as teve como companheiras constantes, os reformadores praticamente as convidaram ao peitar os religiosismos de então, você e eu tropeçamos nelas a cada esquina. Crises virão e são inevitáveis. Mas, sabe… crises têm um aspecto positivo, do qual devemos desfrutar: elas revelam quem cada pessoa realmente é.

Foi na hora da crise que Pedro mostrou que ainda pensava mais em si do que nos outros. Foi na crise que Judas revelou que, embora tivesse passado anos com Cristo, não compreendia o perdão divino. Quando a crise veio, Paulo e Pedro mostraram que não eram grandes especialistas em conciliação. À sombra da crise, Caim revelou onde estava seu coração com relação a Deus e a seu irmão. A crise expôs mais de uma vez que Abraão tinha uma indisfarçável covardia, ao fingir que sua esposa era sua irmã – diante de faraó e de Abimeleque. Os exemplos bíblicos são muitos e todos levam à mesma conclusão: crises revelam seu verdadeiro eu.

Hipocrisia3Na fome você descobre os caridosos. Na angústia aparecem os empáticos. Na dor se revelam aqueles que choram com quem chora. No escândalo caem as máscaras dos egocêntricos. Na pobreza somem os interesseiros. Na derrota permanecem os parceiros. Quando você não tem mais nada a oferecer se destacam seus verdadeiros amigos e desaparecem os falsos. “As riquezas multiplicam os amigos; mas, ao pobre, o seu próprio amigo o deixa” (Pv 19.4) – repare que “riquezas”, aqui, não se refere apenas a dinheiro, mas a tudo o que você pode oferecer aos demais. A crise peneira os que de fato têm amor no coração dos que têm apenas aparência de piedade.

No meio cristão merece nossa atenção especial a crise do pecado, uma vez que ela é a que mais mexe com cada um de nós. Na igreja, ela é uma das mais reveladoras que há. Quando alguém comete um daqueles pecados bem cabeludos, arrepende-se e seus irmãos em Cristo tomam conhecimento, é bom que ele se prepare, pois vai conhecer de fato quão santos, piedosos e verdadeiros são aqueles que o cercam. Os salvos o apoiarão e ajudarão na sua restauração. Os que não têm a natureza de Cristo lançarão pedras. Os medrosos sairão de perto. Os mansos e humildes de coração o abraçarão e o puxarão para cima. Em suma, é no pecado que se descobre quem realmente ama ao próximo como a si mesmo e quem ama a si mesmo como a si mesmo.

Por exemplo, você sistematicamente desonra pai e mãe, mas ninguHipocrisia2ém sabe disso. No dia em que esse pecado abominável vem à tona, muitos se afastam. Outros que te chamam de “amigo” deletam você de sua convivência – afinal, não pega bem associar seu nome a alguém que desonra pai e mãe. E por aí vai. É quando você chega diante da igreja e confessa publicamente que tem amado o dinheiro acima de seres humanos que muitos passam a atravessar para o outro lado da rua ao te avistar de longe, começam a te boicotar e demonstram que sua vida não lhes importava tanto assim.

Parece ruim? Então ouça a boa noticia: não é. Pois bendita é a crise que mostra quão cristãos os cristãos que te cercam são. Porque (preste bem atenção a isto)  o que demonstra se você é  cristão de verdade não é apenas se você peca ou não, mas como reage diante do pecado dos outros. Porque pecar 100% dos cristãos pecam, mas reagir como Cristo diante do pecado alheio… não é virtude de uma maioria.

A piedade de impiedosos não sobrevive na hora da crise. Nesse sentido, a crise é uma maravilha, pois ajuda você a enxergar com mais clareza ao seu redor. “Um homem desesperado deve receber a compaixão de seus amigos, muito embora ele tenha abandonado o temor do Todo-poderoso” (Jó 6.14) é um versículo que poucos conhecem e menos ainda o vivem no dia a dia.

Hipocrisia4Mas a crise não só revela a hipocrisia: ela põe os holofotes sobre os magnânimos. Pois é quando explode na igreja o escândalo de que você é um terrível preguiçoso que muitos chegarão até você com abraços amigos, palavras de consolo e restauração. É ao revelar publicamente que você não merece o céu porque é um glutão de primeira linha que os amorosos, pacificadores, bondosos e amáveis brotarão com braços abertos, mãos estendidas, ombros ofertados, colos à disposição, palavras de apoio e encorajamento e, acima de tudo, com aquilo que mais pesa nessas horas: sua presença. Pois os salvos permanecem na hora crise. Os que são amantes do próprio ventre vão cuidar de si.

Doença, pobreza, pecado, dificuldades, carência, depressão… são muitas as crises que podem pular à nossa frente. Possivelmente, ao longo da leitura desta reflexão, você imaginou pessoas que conhece e que se encaixam naquilo que foi descrito aqui. Eu perguntaria, então, se me permite: e você? Como você se comporta quando é o seu próximo que está em crise? Você permanece, apoia, ama, dá a cara a tapa, abre mão de seu tempo pelo outro, fortalece, diz palavras de amor… perdoa? Você dá as costas ou age em prol da restauração? O que a crise do seu próximo revela sobre você? Sobre sua fé? Sobre quanto ama as outras pessoas? Sobre seu cristianismo? Sobre sua vida com Cristo?

A crise virá, não tem jeito. Mas, quando ela for embora, tenha a certeza de que você terá recebido um magnífico presente do Pai que o ama: a revelação de como é de fato o coração daqueles que te chamam de “amigo”. Passada a crise, muitos “amigos” terão desaparecido – dê graças a Deus por isso. E os poucos que ficarem não serão mais seus amigos: “Em todo tempo ama o amigo, e na angústia se faz o irmão” (Pv 17.17). Sim, louve a Deus pelas crises, pois elas farão brotar ao seu lado verdadeiros irmãos. E, dependendo de como você se comportar na crise do seu amigo, o Senhor lhe mostrará muito a respeito de como anda o seu próprio coração.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Querido Maurício que Deus continue renovando suas forças para cada vez mais seja usado por Ele para nos abençoar. Obrigada!
    Abraços e fique na paz de Cristo.

  2. Ana Paula disse:

    A cada publicação uma grande revelação, para mim é claro ! Que Deus continue te usando sempre querido irmão, você é uma grande benção. Quanto me vi neste post, pois passo por uma grande crise neste momento, mas ao mesmo tempo para enxergar que não sou eu apenas que está passando por grandes crises, e o que eu estou fazendo por meu irmão, na crise parece que só existe nós mesmos no mundo todo….
    Deus te abençoe !!!

    • Oi, Ana,
      .
      muito me alegro por o texto ter tocado em áreas sensíveis deste momento de sua vida. Peço a Deus que conduza teus passos naquilo que for preciso.
      .
      Abraço fraterno, no amor do Pai,
      mz

  3. marcojuric disse:

    Bom dia Zágari!

    Excelente!
    Mais uma vez Deus nos exorta por intermédio dos seus textos.
    Sinceramente não me recordo do versículo em Jó (6:14 – já está marcado…rsss), mas logo me veio a mente 1 João 3:18. Espero ser aprovado nas horas em que meu próximo estiver em crise.
    Deus seja louvado!

    Abração!!

    MJ

    • Marcão, salve,
      .
      é isso aí, querido. Infelizmente há muitas passagens da Bíblia que não são “famosas” e por isso não damos atenção a elas. Mergulhar no garimpo de pérolas bíblicas nos mostra muito sobre nossa fé que antes não sabíamos.
      .
      Aquele abraço, meu amigo, Deus te dê uma semana de muita paz,
      mz

  4. Nadia Malta disse:

    Querido irmão, mais uma vez a lucidez do seu texto, vem como um bálsamo no deserto das percepções atuais em relação as crises. Elas, embora, dolorosas, fazem parte da estranha e eficaz pedagogia de Deus. Às vezes, oramos por uma situação e nunca podemos imaginar os caminhos que Deus usará para responder aquela oração. Muitas vezes o caminho da resposta é uma tormenta. Uma coisa que me veio ao coração à medida que lia seu texto, foi o fato de que devemos orar mais pelo “enquanto!” passamos pela crise do que mesmo pelo seu final em si mesmo. Que Deus continue derramando graça sobre graça em cada área da sua vida.

    • Oi, Nadia,
      .
      você tem toda razão, Deus nos ensina nas alegrias e também nas tristezas. Creio que nas dificuldades as lições ficam marcadas com mais força. Sem dúvida uma de nossas principais orações no decorrer das dores é para que possamos aprender o mais rápido possível o que o Senhor tem a nos ensinar.
      .
      Obrigado pela oração e pelo carinho.
      .
      Deus te abençoe muito. Te abraço,
      mz

  5. Solange Maria de Souza Bastos disse:

    Mauricio…essa mensagem chegou na hora certa prá mim….tenho passado por essas experiências…precisava de algo que me levantasse….somente nas dificuldades conhecemos os
    verdadeiros amigos…seja na família…seja na igreja.
    Receba um grande abraço !

  6. anobre77 disse:

    E ai mano … boas palavras amigo!
    Dizer que me reconheci em muitos desses tropeços é chover no molhado e pode parecer falsa modéstia, mas creia-me, não é!
    Eu, como uma vez já comentei aqui, tenho algumas vezes crises de depressão e fobia e é isso que você escreveu mesmo: é nas crises que percebo minha miserabilidade. Foi numa das crises que pequei contra meu corpo, desonrando-o e foi na crise que pensei que minha vida não teria sentido, melhor seria dar cabo dela.
    Mas louvado seja Deus que quando me vê como um pródigo nas farras do pecado e da miséria, trouxe-me arrependido desejando as bolotas dos porcos, pois humilhou-me para me ensinar.
    A crise é isso mesmo mano … tira a casca e tudo se revela.
    Louvo a Deus por todas, pois suas palavras são verdade, pois nas crises percebi a misericórdia de alguns e isso me trouxe paz!
    Valew mano … essa troca de experiências entre suas mensagens e nossos comentários nos aproxima mais e é bom saber que isso é real!! Forte abraço!!

    • Salve, Alexandre!
      .
      você é prova viva do poder terapêutico das crises, que nos conduzem a uma total dependência do Senhor. Fica firme, mano.
      .
      Abração pra ti, no amor de Deus,
      mz

  7. carla monteiro disse:

    Mais uma vez um texto excelente.
    Deus o guarde.

  8. Daniela Carvalho disse:

    Ja tive a oportunidade a partir de uma crise, conhcer os verdadeiros cristaos…. Depois q li esse blog, tive uns momentos de tedio rs e passei a refletir sobre esse assunto… Temos q ser como Cristo, nao ha outro jeito, se queremos morar cm Ele na Gloria temos q amar nosso proximo, como Ele nos amou… Independente da crise q nosso irmao esteja passando. Obrigado por abrir nossa mente p essa verdade mano…. Deus abencoe poderosamente sua vida. Graca e Paz!

    • Oi, Daniela,
      .
      que alegria saber que textos compartilhados aqui tiveram de fato consequência em sua vida, mana. Não tem o que agradecer, sou só o cano enferrujado por onde corre a água da vida. É ela que mata a sede.
      .
      Abraço fraterno, bênçãos em dobro sobre ti,
      mz

  9. Linna disse:

    As crises são reveladoras em muitos sentidos: revelam o outro, a nós e também o nosso Deus. Ele se revela. Nós O descortinamos na crise, Ele se descortina.
    Na crise se ‘corre PARA Deus’ , ou ‘DE Deus’.
    Hj em minha leitura devocional pulou no meu rosto as palavras de Ezequias em Isaías 38:17 ARC

    “Eis que, para minha paz, eu estive em grande amargura; tu, porém, tão amorosamente abraçaste a minha alma, que não caiu na cova da corrupção, porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados.”

    As crises são boas, sejam nossas , mas também a do outro! É duro dizer isso pq dói… mas é como um parto, é porta. Conhecemos mais a Deus, aos irmãos e a nós mesmos. Somos confrontados com nossas sombras e impelidos a mudar.
    Que Ele encontre morada em nós, mesmo que pra isso tenha que fazer faxina.

    • Oi, Linna, você tá bem?
      .
      É isso, você foi no cerne da questão: as crises dissipam a névoa dos relacionamentos. Passamos a enxergar melhor todos os personagens das nossas relações, inclusive nós mesmos. E, nesse sentido, são preciosas. Que saibamos sempre tirar o melhor de cada crise.
      .
      Abraço carinhoso, no amor que nos une,
      mz

  10. Vanessa disse:

    Que belo texto… sempre nos confrontando!

    Não sabia se ria, ou se chorava: “Pois é quando explode na igreja o escândalo de que você é um terrível preguiçoso que muitos chegarão até você com abraços amigos, palavras de consolo e restauração. É ao revelar publicamente que você não merece o céu porque é um glutão de primeira linha que os amorosos, pacificadores, bondosos e amáveis […]”

    Isso é algo forte! Julgamos os outros e justificamos nossos pecados porque os consideramos pequenos só por se tratar de nós, enquanto apontamos o dedo e porque não dizer, nos alegramos das falhas alheias. Hipócrita! Hipócrita! Hipócrita! Essa palavra tem me rodeado há algum tempo, e eu me policiado para não ser assim.

    Que aprendamos a amar mais!

    Excelente texto Maurício.

    • Oi, Vanessa,
      .
      louvo a Deus por o texto ter confrontado você, positivamente. Creio que você expôs bem a realidade que muitas vezes nos cerca. Os erros dos outros pesam sempre mais na balança. Fico feliz que você esteja se policiando, isso te aproxima do reino e te conforma mais e mais à imagem de Cristo.
      .
      Abraço carinhoso, no amor de Deus,
      mz

  11. Sheila Cristina disse:

    Amado irmão Zagari, já faz algum tempo que desejo lhe dizer que tenho orado por você.Deus tem lhe usado para me ensinar,fortalecer,abrir meus olhos e até a amar muito mais meu esposo.Sou uma cristã aos farrapos.Estamos, eu e minha família,sem irmos a nenhuma igreja e talvez eu tenha culpa, pois em tempos de crises constantes da igreja do Senhor eu deveria acolher, amar e perdoar, mas ao contrário, tenho julgado e apontado muito mais que orado.Sei que o Senhor não quer isso de mim,de nós…Que o Nosso Amado lhe use e lhe traga paz.

    • Oi, Sheila,
      .
      Obrigado pelas palavras gentis. Fico feliz que você consiga olhar para si mesma com autocrítica e perceba os pontos onde está falhando. Que ótimo! É o primeiro passo para o conserto. Não desanime. Busque forças no Senhor e sempre reconheça seus erros, confesse-os e se esforce para não mais prática-los. Se. O e não os visse o problema seria maior, bem maior.
      .
      Tenha graça no olhar para com os outros. Exerça o amor com quem critica, ajude os que precisam e faça o bem. Isso se realiza passo a passo, uma boa ação após a outra. Tenho certeza que você vai conseguir.
      .
      Oro por ti, mana. Um abraço carinhoso, no amor do nosso Deus,
      mz

  12. Isac disse:

    Existe uma linda canção que tem por título: With marcy make me free ( Liberta-me com misericordia) do John Piper e cantada por Keven Potherician. Gostaria de deixar um trecho que muito tem haver com o post.

    Ó Jesus, tira a minha tendência
    de pensar muito em mim
    e mata meu orgulho e a partir deste dia
    liberta-me com misericórdia.

    Que o Senhor Deus nos ajude a ajudar nossos amigos e inimigos em todos os tempos para a Glória do Nome do Senhor

    Deus Abençoe Maurício!

  13. Edina Oliveira disse:

    Boa noite irmão, como vai?

    É verdade, nas crises conhecemos realmente quem nos cerca.
    Pode-se ser abandonado até pela própria mãe.Porém a boa notícia: “Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Isaías 49:15
    Que o Espírito Santo nos confronte e nos faça rever a maneira como enxergamos os outros e a partir daí que haja mudança de comportamento no sentido de amar nosso próximo como a nós mesmos.

    Deus abençoe você e sua linda família!

    PS: Que essa música possa te servir de reflexão:

  14. Igor Luis disse:

    Mauricio, Sara era irmã de Abraão também além de esposa. Não sei se foi esta afirmação, dela não ser. Lembro porque uma vez falei que não era e que Abraão era mentiroso num culto, tive que me corrigir depois. Como não tem haver com o assunto não libera o comentário, pode deletar.

  15. Igor Luis disse:

    Opa Mauricio segue a passagem:

    Disse mais Abimeleque a Abraão: Que tens visto, para fazer tal coisa?
    E disse Abraão: Porque eu dizia comigo: Certamente não há temor de Deus neste lugar, e eles me matarão por causa da minha mulher.
    E, na verdade, é ela também minha irmã, filha de meu pai, mas não filha da minha mãe; e veio a ser minha mulher;
    E aconteceu que, fazendo-me Deus sair errante da casa de meu pai, eu lhe disse: Seja esta a graça que me farás em todo o lugar aonde chegarmos, dize de mim: É meu irmão.

    Gênesis 20:10-13

    Esta na tradução ACF.

    Abração mano.

  16. Mateus disse:

    Maurício, você falando de crise em relação ao pecado me fez lembrar alguns versículos de nossa atitude frente a essas situações:

    “Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado.” – Gálatas 6:1

    “Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles herdarão misericórdia.” – Mateus 5:7

    Falamos mal dos fariseus e acabamos imitando-os muitas vezes. Que Deus nos livre.

    E quanto às outras crises que você citou, lembrei-me de uma frase do Spurgeon:

    “Nos momentos de provações, nas crises, nas dificuldades, muitas vezes descobrimos alguma virtude em nós que não descobriríamos, se não tivéssemos passado por tudo isso.”

    Paz de Deus. Abraço fraterno.

  17. Luiiza sil disse:

    Desculpe por essa pergunta. Se poder responder ficarei grata.

    Posso entregar meu dizimo a um irmão, parente ou amigo quando estiver muito necessitado ou tenho que entrega-lo obrigatoriamente a uma igreja?

    • Olá, Luiza,
      .
      biblicamente, o dízimo tem como função a manutenção da obra de Deus. Nesse sentido, deve ser entregue à igreja. Usar o dízimo com outros fins (mesmo para causas nobres) seria como pegar o dinheiro destinado à conta de luz para pagar a conta de água. Nesse sentido, minha recomendação é que entregue o dízimo à igreja e converse com seu pastor para ver se a mesma teria condições de auxiliar o seu parente ou amigo necessitado naquilo que ele precisa. Afinal, uma das funções das congregações é prestar auxilio social.
      .
      Um abraço para ti, Deus a abençoe muito,
      mz

  18. Ezequiel disse:

    Ótimo texto Maurício. Nas dificuldades (ou crises) existem milhares de oportunidades… Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s