Legado1José Wilker morreu no último dia 5 de abril. Este texto sai com um certo atraso, mas tive de ruminar um pouco em cima do pensamento que compartilho aqui antes de pôr no papel. Trabalhei com Wilker durante nove anos, quando eu era editor de um programa da Globosat do qual ele era comentarista de cinema. Nunca fomos íntimos, nosso relacionamento era estritamente profissional, mas admito que a notícia da sua morte me impactou, é estranho imaginar que alguém com quem convivemos regularmente por tanto tempo não caminha mais sobre a terra. Eu não esperava. Alguém esperava? Não. Mas morte, em geral, tem mesmo esta característica: arromba a porta sem pedir licença. Claro que, ao meditar sobre a partida do Wilker, muito veio à minha mente sobre quão frágil é nossa vida, mas, além dessa questão óbvia, sua morte me fez pensar muito sobre outro conceito: legados.

Se você não está familiarizado com o termo, “legado” é “aquilo que é transmitido às gerações que se seguem”.

O Wilker se foi e deixou um legado que será lembrado ainda por muitas décadas, na forma de filmes, peças de teatro, novelas e outros tantos trabalhos artísticos. Foi um homem dedicado ao que sabia fazer e que conquistou um espaço na memória cultural do nosso país. Nesse sentido, sua passagem pela vida deixou uma marca. Por meio de suas atuações, ele provocou risos, lágrimas e outras emoções, como só a arte é capaz de fazer – e isso em, literalmente, milhões de pessoas.

Legado2Pensar no legado do Wilker me fez refletir sobre o que eu vou deixar após a minha partida. De que adianta eu ter nascido? Quando eu me for, qual terá sido o sentido de minha vida? Que herança deixarei para outras pessoas? Valeu a pena ter vivido ou minha passagem pela terra foi vazia de significado? Pensei muito sobre isso. Gostaria de aproveitar e estender a reflexão também a você: que legado você vai deixar? Ao final de sua jornada, quantas pessoas terá tocado, influenciado, aperfeiçoado, edificado, abençoado? Como será lembrado? Claro que, como cristão, o seu legado não será algo estritamente material. Todo aquele que tem Cristo como o centro de sua vida sabe que não há legado mais importante do que o espiritual. Jesus disse: “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6.19-21). Podemos extrapolar essa afirmação para além de riquezas materiais. A meu ver, essa ordem do Senhor refere-se a priorizar em tudo as coisas eternas em detrimento das passageiras.

Isso se confirma em outras passagens. Logo depois de pronunciar essas palavras, Jesus diz: “Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33). Assim, o legado que precisamos deixar na terra após nossa partida deve ter relação com o reino de Deus.

Legado3Nosso dia a dia terreno não é desprezível. Temos coisas importantes a fazer para a manutenção de nossa jornada. Construir uma casa, ter uma vida profissional honesta, crescer nos estudos, deixar uma segurança financeira para a família… tudo isso é relevante e devemos nos dedicar para sermos bem-sucedidos nas necessidades da matéria. Mas nada disso configura legado à luz do evangelho. Pois tudo o que construímos aqui em termos materiais ficará aqui. Passará. Tudo virará pó. Só o que permanecerá é aquilo que é feito para glorificar Deus e abençoar o próximo – pois é o que ecoará pela eternidade.

A Bíblia é clara quando diz que o legado que terá relevância após nossa vida está diretamente ligado ao que fizemos ao nosso próximo. Sei que você conhece bem essa passagem, mas, se puder, leia mais uma vez e diga se não tenho razão: “Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, assentar-se-á em seu trono na glória celestial. Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará umas das outras como o pastor separa as ovelhas dos bodes. E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda. Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Venham, benditos de meu Pai! Recebam como herança o Reino que lhes foi preparado desde a criação do mundo. Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram; necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’. Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber? Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos? Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar?’ O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: O que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’. Então ele dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Malditos, apartem-se de mim para o fogo eterno, preparado para o Diabo e os seus anjos. Pois eu tive fome, e vocês não me deram de comer; tive sede, e nada me deram para beber; fui estrangeiro, e vocês não me acolheram; necessitei de roupas, e vocês não me vestiram; estive enfermo e preso, e vocês não me visitaram’. Eles também responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos?’ Ele responderá: ‘Digo-lhes a verdade: O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo’. E estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna” (Mt 25.31-46).

Com isso em mente, volto à pergunta: o que você deixará como legado? O que tem feito na sua vida que glorifica a Deus por meio de atos de dedicação ao próximo, ao desenvolvimento de maior intimidade entre as pessoas e Cristo, ao bem-estar dos seres humanos que te cercam, ao crescimento espiritual das almas à sua volta? Você tem levado consolo aos tristes, edificação aos destruídos, alimento aos famintos, paz aos atribulados, carinho aos doentes, Jesus aos perdidos? Tem chorado com os que choram? Tem doado tempo para quem está mal? Afinal, que marcas de amor está imprimindo na vida do próximo?

Legado4Todo mundo tem talentos e dons que podem ser usados para edificar e levar amor a outros seres humanos. No meu caso, o Senhor concedeu a habilidade de escrever o que se passa em meu coração. Por isso mantenho este blog, publiquei livros, sigo escrevendo outros que ainda serão lançados. Talvez seja o meio principal pelo qual procuro deixar legado: edificação por meio do que escrevo, para abençoar a sua vida. Você não tem, necessariamente, o mesmo dom que eu, a Igreja de Cristo é muito plural em suas capacidades. Por isso, precisa buscar descobrir junto ao Senhor qual é a sua capacitação. E, quando descobrir, importa pôr em prática. Se é bom de pregar, pregue. Se tem facilidade de evangelizar, evangelize. Se é talentoso na música, abençoe pela arte. Se é aconselhando que exercerá a bênção sobre as pessoas, empreste os ouvidos e lábios para o próximo. Se é amparando, chore com os que choram. Algum talento você tem, que precisa usar com a finalidade de deixar um legado para a eternidade. Deus não faria você vazio. Cada um tem seu dom, que serve para amar o próximo e amar a Deus.

O Wilker se foi. Eu partirei um dia. Você também. Que legado deixará? Que marcas ficarão, pelas suas mãos, nas gerações que virão e que, naturalmente, terão reflexos na eternidade?

A hora é esta. Há almas precisando de você. Há lágrimas a ser enxugadas. Há feridas a ser tratadas. E Deus conta com a sua disponibilidade para deixar um legado de bênçãos e amor. É só entrar em ação. O que está esperando?

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Jose disse:

    A paz do Senhor Jesus, nobre amigo Mauricio.

    Que Deus abençoe nossos legados.

    Abraço fraterno,
    Jose.

  2. Bianca disse:

    Uma semana abençoada Maurício!!!! Um texto muito edificante e nos faz refletir muito…

  3. Olá Maurício!
    Mais uma vez abençoando nossa semana, que certamente torna-se melhor, ao dar início lendo algo extremamente edificante para nossas vidas.
    Antes de ler seu texto, estava procurando dar início a um novo plano de leitura bíblica através de um aplicativo no celular.
    E optei por algo referente a páscoa,haja visto estarmos ‘vivendo’ esse tempo.
    E ao da ínicio ao plano, a pergunta que me apareceu foi:
    Como vc passaria a última semana de sua vida sabendo que era sua última?
    Jesus viveu seus últimos dias ,como humano, cheios de momentos memoráveis, profecias cumpridas, orações íntimas, atos simbólicos , etc…
    E nós o que estamos fazendo ? pensei…
    E aí abro minha cx de e-mail e me deparo com esse excelente texto!
    Resposta pra mim, direção pra mim.
    Não sabemos quando será nossa última semana aqui na terra. E talvez uma semana, sendo a última, seja tão pouco tempo…
    Portanto, o momento é agora.
    Creio que legado tem muito a ver com a lei da semeadura tbm…e dentro desse contexto tem uma frase do pastor da minha igreja (Davi de Sousa) que gosto muito :
    Colhemos onde outros semearam;
    Colhemos onde nós mesmos semeamos;
    Semeamos onde outros irão colher.

    Que possamos viver, com foco na eternidade, todos os dias, e assim pertencer ao grupo das ovelhas, que estarão á direita do nosso Senhor!!

    Louvo a Deus pela sua vida e pelo seu dom.

    Paz,
    Elisangela

    • Ola, Elisangela,
      .
      muito obrigado por compartilhar tão belo pensamento. Acredito que a beleza do evangelho está, entre outras coisas, em poder semear sem esperar colher. Que as sementes que lançamos abençoem vidas que nem mesmo conhecemos, que nossos atos e palavras alcancem quem não possa nos retribuir. Quem deixa legado, creio eu, é quem, muito mais do que ver os frutos ao seu redor, tomará conhecimento deles na eternidade. Essa é a beleza da semeadura em amor.
      .
      Obrigado pelo afeto contido em suas palavras; semeie sempre.
      .
      Um abraço carinhoso, no amor de Deus,
      mz

  4. Edina Oliveira disse:

    Bom diaaa Mauricio,

    “É melhor ir a uma casa onde há luto do que ir a uma casa onde há festa, pois onde há luto lembramos que um dia também vamos morrer. E os vivos nunca devem esquecer isso.” Eclesiastes 7:2

    Realmente, nós cristãos temos o dever de deixar um legado que honre ao nosso Deus, demonstrando nossa estima por Ele. Que através da pregação de Sua palavra e de nosso atos, o Senhor tenha misericórdia e conceda fé aos corações das pessoas com quem temos tido contato.

    Deus te abençoe!!!

    • Olá, Edina,
      .
      amém, minha irmã, compartilho da tua visão e faço minha a tua oração.
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Cristo,
      mz

      • Edina Oliveira disse:

        Veja este vídeo, desta cristã que se chama Bianca Toledo. Se gostar deste vídeo, depois assista no you tube, o testemunho dela.

      • Edina Oliveira disse:

        Que bom que vc a conhece.Grande filha e serva de Deus!
        Que bom que ela te conhece também! Grande filho e servo do Deus altíssimo!

        Deus os abençoe!!!

      • Não, Edina, tiremos o “grande”, por favor. Filho e servo sim, pela graça do que é grande.
        .
        Obrigado pelo carinho, mana, o Senhor a abençoe em dobro,
        mz

  5. Quando terminei de ler esse post, pulou em minha mente como pipoca a passagem que tem a ver com esse contexto:
    “Pois, que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?” Marcos 8:36

    As vezes me pego a pensar e a refletir antes de tomar uma atitude para executar uma ação e me vem a pergunta:”O que isso irá edificar? Isso terá um impacto para a eternidade ou será apenas coisa pra alimentarmos o nosso ego?”.

    Estamos vivendo numa época em que o egoísmo está infectando as pessoas, é o carro novo é a roupa nova é o novo par de sapatos (as vezes as pessoas tem mais de 6 pares de tênis ou sapatos) e mesmo assim somos engolidos pelo consumismo desenfreado e frenético. Passamos batido na rua para aqueles que clamam por um prato de comida.

    Temos que destilar as circunstâncias que Deus tem colocado dia a dia a nossa frente com discernimento e com ouvidos espirituais afinados.

    Uma vez escutei uma história de que um homem estava reclamando que o seu tênis estava quase furando no dedão, e quando ele estava andando no centro da cidade de São Paulo, se deparou com um mendigo abandonado e jogado na Praça da Republica que tinha um pé amputado…

    As vezes reclamamos de barriga cheia, temos que ao invés de reclamar da vida, ajudar aqueles que necessitam de nosso apoio, a luz do mundo tem que iluminar aqueles que vivem na escuridão e que não conhecem a a palavra da verdade que tem o poder de transformar vidas, temos que ser o sal da terra para temperarmos as vidas amargas… O ângulo de nossa visão tem que ser mudado, temos que arrancar de nós esse estereótipo de que estamos “gastando” tempo com tal pessoa, mas sim, estamos investindo na vida de quem está arrebentado seja a área que for, e fazendo isso estamos agradando e fazendo a vontade do Pai.

    Que Deus nos dê a visão da águia e o Amor de Jesus Cristo enquanto estivermos vivos peregrinando nessa terra.

    Paz a você irmão Zágari

    • Oi, Ricardo,
      .
      você tem toda razão. Creio que essa mudança de paradigma passa pela renovação da mente de que Paulo fala em Rm 12.2. Enquanto não apurarmos nossa forma de enxergar as coisas, permaneceremos desprezando o pé amputado. Oremos, para que o Senhor sempre mantenha nossa visão no foco.
      .
      Um abraço, mano, a paz do alto seja contigo,
      mz

  6. gerson celestino disse:

    Valeu, muito bom !!! 

  7. Iara Souza disse:

    Olá, meu querido irmão em Cristo!

    Essa noite sonhei que presenciava a discussão de duas pessoas. Eu intervia, advertindo:

    “Devemos nos respeitar mais! Devemos agir como Jesus! Não adianta orar, não adianta levantar de madrugada para orar, não adianta jejuar, ir à igreja, se não agirmos como Jesus! Se não agirmos como Jesus, tudo estará sendo em vão!”

    Enquanto contava o sonho para minha mãe, lembrei-me deste post. Se agirmos como Jesus, com certeza nosso legado será de grande valor, não é mesmo?!

    Que o Senhor veja se há em nós algum caminho mau e nos guie pelo caminho eterno!

    Um grande abraço!
    Fica na paz!
    =)

    • Olá, Iara,
      .
      Seu sonho, infelizmente, é bastante realista. Devemos manifestar em nós a natureza de Cristo, e isso, essencialmente, pela dedicação ao próximo. Quem fizer isso cumpriu a lei do amor.
      .
      Abraço carinhoso pra ti, no amor de Deus,
      mz

  8. danielevs10 disse:

    Boa Tarde!
    Eu assinei o blog há alguns meses, os textos são muito bons. Ao ler um texto sobre a procrastinação voltei a ir a igreja depois de estar afastada há 6 anos. Perdi a minha mãe há 6 anos e cheguei ao ponto de culpar a Deus pela morte dela. Devido a isso sempre carreguei muita culpa dentro de mim e sentia vergonha sequer de conversar com Deus. Aconteceram muitas coisas desde então…

    E aproveito para agradecer por cada texto, alguns me arrancaram lágrimas, mas me fizeram entender que independente do meu erro, Deus me ama e Ele é o Deus do perdão.

    • Olá, Daniele,
      .
      meu coração se enche de alegria ao saber que um texto deste blog a levou de volta à igreja. Minha gratidão ao Senhor não tem palavras. Oro a Deus que seja uma decisão permanente.
      .
      Não tem o que me agradecer, mana. Agradeça ao Senhor, que fala com os seus filhos por vozes muitas vezes inesperadas. E tenha a certeza de que Deus perdoa todo e qualquer coração contrito e rendido aos seus pés.
      .
      Um abraço fraterno, Deus a abençoe,
      mz

  9. Heitor disse:

    Olá Mauricio, gostaria de compartilhar algumas coisas contigo. Tenho 21 anos, em 2009 me tornei evangélico, fui atraído de fato pelo amor de Cristo, a mensagem da Graça, algo de verdade, mas antes de me converter eu sempre tive relações com outros homens, apesar de não ser assumidamente homossexual, e quando passei a frequentar a igreja pensei que isso não teria mais espaço na minha vida. Mas isso durou pouco tempo, eu era assíduo na igreja, curioso pelas coisas de Deus, tinha um coração ardente pela palavra, e apesar de nunca ter tido uma vivência congregacional, eu lia muito a respeito de doutrinas, logo a visão da igreja, questões doutrinárias, a perda da simplicidade, gastos com milhões em reforma, em shows produzidos pela igreja que eu frequentava foram me fazendo perder o interesse em estar naquele lugar, e sempre lutei secretamente comigo msm contra o desejo de estar com outros homens, contra a pornografia e nunca pensei em falar com alguém sobre isso, fosse pastor ou algum irmão, tinha medo da rejeição, até pq eu nunca fui afeminado, então era algo que sempre passou despercebido por amigos, família, e depois de 1 ano e meio que estava na igreja, comecei a me afastar da palavra, da comunhão, voltei a ter encontros casuais com outros homens, no começo me incomodava, me sentia um lixo, hipócrita, por não conseguir me controlar, eu orava e nada acontecia, depois aceitei o fato de ser assim e gostar disso, e foi questão de tempo para excluir completamente tudo relacionado a Deus da minha vida, as vezes por insistência comparecia aos cultos, ou a célula, mas sempre bastante distante e alheio a tudo que acontecia ali, decidi então me afastar de vez, as pessoas que insistiam comigo, dava desculpas para não ir, não atendia as ligações, e fui viver a minha vida do jeito que queria, podia ficar com um homem diferente por dia se quisesse, orgias, bebidas, e em algumas vezes não usei preservativo, vivi assim durante muito tempo, e no final do ano passado descobri por acaso quando fui doar sangue ser soropositivo, o pior momento da minha vida, saí chorando pela cidade, as pessoas me olhavam e não entendiam, fugi a manhã toda e com mil coisas passando pela minha cabeça, pensei que morreria, ou que eu iria me matar, tamanho desespero e dor , e digo dor não banalizando esse sentimento. Fiquei depressivo, trabalhava a noite e dormia o dia todo, evitava todo mundo e chorava quase sempre, virei um vivo morto, e tinha decidido não fazer o tratamento, queria morrer logo. Me perguntava pq aquilo acontecia cmg? Sempre fui um cara legal, bom filho, responsável, nunca fiz mal a ninguém, me odiei por aquilo, depois passei a odiar a Deus, culpa-lo, sentia muita raiva, não entendia pq Ele estava me punindo, só pq era gay? Só pq não permaneci na igreja? Na minha cabeça era algo que Ele poderia ter evitado , sei lá, estava com muita mágoa, sozinho, sem amigos em que confiar, não fiz algo contra minha vida pela minha família, pensava neles quando algo assim tomava minha cabeça. Mas sempre fui muito racional e prático, decidi viver, fazer o tratamento depois de ler como vivem atualmente soropositivos, e continuar com meus planos de vida, aliás eu tinha 21 anos. Não sentia dó ou pena de mim, mas ainda culpava Deus, e decidi também que Ele não seria mais nada pra mim, que eu seria ateu e não acreditaria mais nessa loucura, mas não percebi que já havia deixado de ser algo pra mim há tempos. Sempre li seu blog quando era evangélico, e gostava do que lia, achava o máximo seus textos, e assinei para receber sempre novas publicações por e-mail, e mesmo depois de me afastar da igreja eu entrava e lia textos que chamavam minha atenção, e um desses foi “Deus te ama com amor inabalável” e minha ficha caiu, percebi o que perdi pela minha arrogância e pelos meus pecados, me senti nesse momento a escória dos seres, e de novo chorei sem parar, pq não se tratava somente da comunhão com Deus ou seu amor, mas sobre minha vida que estava uma merda em todos os sentidos, eu errei, eu fiz sexo sem camisinha mesmo sabendo dos riscos, não poderia culpar Deus. Eu fui autossuficiente e me sentia imortal por achar que viver a minha vida do jeito que eu quero é o que importa, mas ter hiv me fez perceber que sou finito, mortal, e estar diante dessa realidade que não percebemos no dia a dia me fazia sofrer, e por acaso eu ouvi essa música https://www.youtube.com/watch?v=WnKAnmq0S5s e fiz dela minha oração, e depois de muito tempo senti que poderia estar perto de Deus novamente, entenda o quanto é difícil pra mim escrever sobre isso, mostrar pra alguém que sequer conheço pessoalmente minhas fraquezas, nesse momento tenho tentado me encontrar, me ressignificar, não tenho vontade de estar com ninguém, de ficar com ninguém, tenho uma doença que talvez vá me acompanhar por toda minha vida, tendo que tomar medicamentos fortes, mas seus textos e a música que citei me fazem ver uma luz no fim do túnel , e talvez essa luz seja Cristo. Obrigado pelo espaço, sei que vc não é psicologo mas só precisava de um bom “ouvinte”, Talvez um dia minha comunhão com Deus seja restaurada, estar numa igreja simples e ser metade do cristão que você é. Abraços!!

    • Oi, Heitor,
      .
      mano, fico muito triste pela tua tristeza e sensibilizado pelas tuas angústias. Peço a Deus que dê paz ao teu coração e renove seu ânimo.
      .
      Querido, não diga que quer ser metade do crente que eu sou, simplesmente porque sou um mero pecador, cheio de erros e carente da graça de Deus. Todos somos assim e devemos buscar a santidade e a força em Cristo, que é a fonte da vida.
      .
      Você provavelmente já sabe disso, mas em nossos dias portadores de HIV podem viver normalmente, com o auxilio de medicamentos, por muitos e muitos anos. A Aids não é mais o que era trinta anos atrás, é sim possível conviver com o vírus por décadas sem que ele se manifeste. Em vez de desistir da vida, pense em quanta coisa boa Deus pode fazer por seu intermédio pelos muitos anos que você tem pela frente. Quantas vidas a abençoar, quanta caridade a fazer, quantas almas a tocar com o amor de Deus. O positivo de seu exame não é o fim da linha, pode ser o início de uma vida dedicada diariamente a abençoar o próximo.
      .
      Quanto à homossexualidade, creio que tudo o que poderia te dizer você já sabe. A prática da homossexualidade é pecado, mas creio que cristãos homossexuais podem viver em santidade e se abster de relacionamentos que desagradem a Deus. Isso só depende de você.
      .
      Creio na sua salvação. Creio que Deus o chamou para si, mas você precisa firmar seus passos no Caminho e prosseguir combatendo o bom combate, sem esmorecer. É nítido que você ouve o chamado do Espírito Santo, o que precisa fazer é manter-se dentro do aprisco. Creio na tua vocação em Cristo, mas você precisa crer também.
      .
      Oro a Deus que traga paz e equilíbrio neste momento de sua vida, que segue apesar do vírus. Você está vivo! E cada dia deve ser uma celebração dessa vida. Viva cada dia como se fosse o último, vivendo em e para Jesus. Com isso você encontrará o verdadeiro contentamento e a razão da tua caminhada.
      .
      Seja forte, seja fiel e, com isso, será feliz. Um abraço fraterno, no amor daquele que nos amou primeiro,
      mz

  10. danielevs10 disse:

    Bom.. Vamos a minha dúvida. Eu moro junto com uma pessoa há 4 anos. Temos uma filha de 2 anos e 8 meses. Não somos casados no “papel” e nem na igreja. Por uma opção minha, pois, apesar de vivermos juntos há anos, não sei se é isso que eu quero. Mas enquanto fica essa dúvida permaneço no pecado, pois mantemos relações sexuais. Por isso ainda carrego uma culpa por estar na igreja e ainda vivendo no pecado.

    No fundo, o meu desejo é separar. Casei muito cedo. Aos 18 anos, quando meu pai decidiu casar-se novamente e mudar para outro estado. Eu meio que me vi sem saída. Fui morar com ele, que era meu atual namorado, por conveniência…

    Não sou feliz com meu casamento e não tenho vontade nenhuma de tentar salvá-lo. Mas creio que seja pecado separar-me dele, já que temos uma filha…

    • Olá, Daniele,
      .
      fico muito triste por essa situação e peço a Deus que conduza suas decisões pelo caminho mais excelente.
      .
      Meu primeiro conselho seria você procurar seu pastor. Ele é a pessoa comissionada por Deus para apascentar sua vida, ele está mais próximo de você e tem condições de dar um acompanhamento com a dedicação que a sua família merece e precisa.
      .
      Se posso dar um conselho como irmão é que você tome uma postura firme com relação a sua situação. Você mesma reconhece que está vivendo em pecado sem arrependimento, o que é muito grave. Sua situação exige arrependimento e o acerto daquilo que está errado. Estar na igreja não é o problema, mas viver pecando conscientemente sim.
      .
      Separar-se de quem não é seu marido não é pecado, mas o fato de vocês terem uma filha tem um peso enorme. A separação certamente a afetará. Por outro lado, casar-se sem ser por amor é entrar em um abismo que trará outros abismos. É uma situação delicada e só você pode decidir do que terá de abrir mão para o bem de todos e a paz com Deus. Não posso dar uma opinião sobre algo tão sério estando tão distante, por isso volto a recomendar que trate disso em gabinete pastoral e com muito dialogo e oração com o pai de sua filha.
      .
      É uma situação difícil, que não pode ser resolvida rapidamente. É preciso buscar na oração e na Palavra as respostas para essa situação. Peço a Deus que tudo se resolva da melhor maneira possível.
      .
      Procure seu pastor. Busque a Deus. Peço a ele que ilumine teu coração.
      .
      Abraço fraterno, confiante na paz que excede todo o entendimento,
      mz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s