adoteumpecador1Você já deve ter visto na televisão anúncios de organizações que estimulam você a apadrinhar crianças pelo mundo inteiro ou a ajudar instituições humanitárias de auxílio medico em regiões de pobreza extrema. São entidades como Action Aid, Médicos sem Fronteiras ou Visão Mundial, que fazem um trabalho maravilhoso de amor pelo próximo. Você contribui com trinta a cinquenta reais por mês e ajuda pessoas desnutridas, doentes ou carentes a melhorar de vida, estudar, ter auxilio médico, encontrar dignidade. Fiquei pensando sobre a ação dessas belíssimas organizações e me inspirei para propor uma campanha. Assim, lanço hoje a Adote um pecador.

A diferença entre essa minha campanha solitária e as dessas instituições é que ela funciona em moldes diferentes. Em vez de você doar um pouco de dinheiro mensalmente e deixar que os integrantes desses grupos ponham a mão na massa para auxiliar os carentes, doentes e necessitados, minha proposta não vai lhe custar nem um centavo. Também não vai exigir ações mensais. Na verdade, vai requerer de você muito mais: o seu coração.

O alvo de nossa campanha é alguma pessoa que você conheceu, que pertencia a alguma igreja e hoje não pertence mais. Mas não qualquer um, tem de ser um indivíduo com perfil específico: alguém que cometeu um ou mais pecados do tipo que os cristãos costumam considerar – sabe Deus por quê – mais graves do que os outros e que por isso foi discriminado dentro da igreja, oprimido pelos irmãos e que, diante de tanta falta de amor, acabou se afastando da família de fé.

Vou ajudar você a se lembrar de alguém: em geral, são pessoas que cometeram pecados sexuais (pode até mesmo ser um pastor que adulterou); que se divorciaram sem a bênção da igreja; que não conseguiram abandonar a dependência química por álcool ou outras drogas; gente que foi vista em algum ambiente “pecaminoso”, como uma boate, o samba ou o baile funk; indivíduos que cometeram algum tipo de delito que os levaram a ser humilhados publicamente, talvez até conduzidos à frente da igreja para serem expostos em suas transgressões diante dos demais. Perceba que não estou entrando pelo mérito do pecado em si (se é pecado, é pecado e ponto) nem passando a mão na cabeça da transgressão. Meu foco é o que nós, a Igreja de Jesus Cristo, fizemos com essa vida após o pecado. Pois bem, a pessoa que é o alvo dessa campanha deve ser alguém que, além do estrago causado pelo próprio pecado, tenha sido ainda mais prejudicada pela forma discriminatória ou humilhante da qual os irmãos em Cristo a trataram ao tomar conhecimento de suas falhas. Essas são as almas que desejo alcançar com a campanha Adote um pecador.

adoteumpecador2E como ela funciona? Em vez de doar seu dinheiro, você vai doar seu coração e seu tempo. Primeiro, proponho que você ou um grupo de irmãos da igreja partam ao encontro dessa pessoa – em sua casa, no trabalho, na escola, nas ruas. Não é só dar um folheto não. É sair do seu conforto e ir até ela, onde ela estiver, como o bom pastor da parábola foi até a ovelha perdida. Quando a encontrar, você vai lhe dar amor. Abrace-a. Chore com ela. Peça perdão em nome da igreja inteira por, em vez de ajudá-la a ficar de pé após o pecado, tê-la afundado ainda mais na lama mediante a segregação, os olhares tortos, a falta de tato, a desumanidade. Deixe claro que ela é importante. Por fim, fale do amor de Cristo. Diga-lhe que Deus perdoa todos os pecados mediante arrependimento, que ela é extremamente bem-vinda no seio da igreja do Senhor, que nenhuma condenação há para aqueles que estão em Cristo Jesus. Dê-lhe um beijo, um abraço apertado e… vá embora.

adoteumpecador3E atenção, pois este é um ponto fundamental da campanha: não convide essa preciosa alma para ir à igreja. Nem mesmo toque no assunto. O objetivo é dar amor, trazer perdão à tona, viver o evangelho junto com ela. Demonstrar bondade. Amabilidade. Carinho. Afeto. Cristo. Se ela achar que você a procurou apenas para voltar a frequentar cultos, tudo estará perdido. A finalidade é que ela se sinta acolhida, perdoada, querida, importante. É dar-lhe o senso de humanidade e de comunhão que a discriminação que sofreu roubou dela. Tenho certeza de que, se ela voltar a enxergar a família de fé como uma família de fato, mais do que um grupo de carrascos da inquisição, tornar a frequentar o ambiente eclesiástico será uma consequência natural. Mas será uma consequência, não a causa. Triste igreja é aquela que tenta trazer pessoas para tornar-se uma frequentadora de cultos, em vez de um membro amado e perdoado do Corpo de Cristo. Dê amor a ela, sem esperar nada em troca. O resto ficará por conta do Espírito Santo.

A campanha está lançada. O blog APENAS tem na data de hoje quase 2.400 assinantes, que somam-se a uma média de 11 mil acessos semanais. Isso significa que mais de 13 mil pessoas lerão este post apenas na primeira semana de sua publicação. Imagine se cada uma dessas 13 mil partirem em busca de um pecador. Seriam 13 mil seres humanos, abandonados e segregados devido a pecados que cometeram, que receberiam amor e graça da parte de irmãos em Cristo. E, se você repassar este texto para pelo menos um conhecido e ele decidir adotar um pecador, já seriam 26 mil indivíduos que visualizariam, na prática, o amor de Cristo em sua vida por meio de irmãos. Elas deixariam de ver a igreja como um antro de inquisidores e passariam a enxergar os cristãos como gente que ama, perdoa, acolhe e vive de fato o que a Bíblia diz. Eu ouso até sonhar mais alto: imagine que cada uma dessas 26 mil pessoas chamasse mais três irmãos para também adotar um pecador. Se isso acontecesse, alcançaríamos 100 mil indivíduos feridos, machucados e oprimidos dentro das igrejas que teriam um vislumbre da graça da cruz de fato em sua vida. Tremo só de imaginar.

Eu tenho esse sonho. E é um sonho bom de se sonhar – pois é bíblico e mira no epicentro da nossa fé: amor, bondade, perdão, reconciliação, restauração. Se meu sonho vai se tornar realidade ou não… depende única e exclusivamente de você.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Bom dia, maninho! Vamos orar por isso. Vou levar essa proposta para à igreja que me congrego. Um abraço enorme de grande! 🙂

  2. rmdias disse:

    Olá Irmão Maurício,

    Na igreja que congrego aqui em Nova Iguaçu, nós formamos um grupo de oração ano passado.
    Um grupo para orar pela igreja, suas necessidades entre muitas outras. Depois de um tempo dessas reuniões de oração (formada só por homens) Deus nos levou a visitar irmãos que estavam afastados, com problemas de dependência viciosas e etc.

    Nesse início de ano, tivemos uma certa parada nas visitas, mas continuamos sempre com as orações.

    Ontem se não me engano, estava pensando nisso, que precisávamos voltar às visitas e hoje leio esse post seu que confirma isso.

    Contei os detalhes acima irmão, para que se note, que Deus sempre quer preparar os irmãos na comunhão com Ele.

    É importante orar a Deus para que as obras sejam sempre pela fé, não obra para ter fé.

    Por bastante tempo só orávamos e depois que Deus transformou o que era só para oração (na nossa mente) em um “ide”.

    Então sugiro também. Junto a essas visitas, seria bom que a igrejas formassem grupos de oração.

    Só de homens e só de mulheres.

    Formamos na que congrego, toda segunda feira a noite, as mulheres formaram domingo de manhã antes da EBD.

    Igreja que ora, é igreja com Jesus!

    Abraços irmão.

    • Salve, mano, tudo bem?
      .
      excelente proposta, fica a recomendação e o apoio. Oremos sem cessar, em especial pelos que estão feridos e largados à beira do caminho.
      .
      Abraço, na paz de Deus,
      mz

  3. Edina Oliveira disse:

    Muito bom diaaaa meu amado irmão,

    No momento não conheço nenhum irmão nesses moldes. Mas assim que comecei a ler, me lembrei de um vizinho muito legal que se afastou de sua igreja. Posso abrir uma exceção e adotá-lo?

    Deus te abençoe!!!

  4. Mery disse:

    Maurício que maravilha,comecei essa campanha mesmo antes de ler esse post
    Tem um jovem em minha igreja nessa situação,ele é muito bonito,tipo atlético,uma voz maravilhosa
    foi tenor no coral,maaaas um dia resolveu dar umas voltinhas no mundo para ver como é que era
    e ficou por lá,agora arrependido e criticado ,está voltando para igreja e eu e algumas irmãs(mulher sempre se compadece desses pecadores,porque será?) fomos visita-lo em sua casa,trouxemos para igreja,todos os dia deixo uma mensagem no seu Face ,até emprego estamos tentando arranjar para ele,roupas novas,tudo para faze-lo se sentir melhor,espero dar boas noticias sobre ele em breve
    Mery

  5. carolina boratino disse:

    Concordo, mas devemos nos acautelar de uma coisa, as vezes a pessoa saiu da igreja e se desviou não porque foi ‘mal tratada’ mas porque tentaram trata-la de forma bíblia. A consequência do pecado é humilhante seja para quem for e o que Thiago diz?
    “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações.
    Senti as vossas misérias, e lamentai e chorai; converta-se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo em tristeza.
    Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
    Tiago 4:8-10”
    Se você vê uma pessoa em pecado, e vai até ela para exorta-la em amor, mas ela considera sua exortação como um afronta é complicado. Tem passagens em que Paulo diz que com algumas pessoas não é nem para nos associarmos, é pra excluir mesmo, pra que ela se envergonhe e quem sabe se arrependa. É terrivelmente duro isso, mas o pecado deve ser tratado de forma terrível, ainda mais quando não se vê arrependimento por parte do pecador. Há uns meses atrás tive que lidar com uma situação muito difícil, uma irmã muitíssimo querida, amiga, estava com sérios problemas com mentira, eu e outras duas irmãs fomos até ela, levamos ao pastor a situação, e no fim ela saiu da igreja, brigada, e ainda foi espalhado que ela saiu da igreja porque a tratamos mal e de forma muito rude, sendo que Deus sabe quantas lágrimas derramamos e nunca expusemos o pecado em si para ninguém que o Pr não autorizasse e quando perguntavam orientávamos a pessoa a conversar com o Pr porque não tínhamos autorização para falar sobre o assunto com ninguém e procedemos assim.
    Eu realmente concordo com o post e com a proposta, me sinto animada em poder agir assim, eu espero que Deus nos auxilie a cumprir com o nosso dever de cristão, mas temos que tomar muito cuidado para não deixar a verdade de lado por causa da ‘união’.
    É só um porém, eu tenho certeza que o irmão jamais quis dizer isso, mas infelizmente, vejo isso acontecer, a correção ser deixada de lado por causa da ‘paz’… Sendo que só a paz onde há Cristo e Cristo está onde há santidade.
    Mas é uma ótima ideia, estarei orando por isso, acho que vale a pena, porque da mesma forma, infelizmente, estamos propensos ao erro de acusar, apontar e não oferecer o amor necessário na hora da exortação.

    Grande abraço.

    • Olá, Carolina,
      .
      sua preocupação é legítima, jamais a verdade bíblica deve ser deixada de lado. Creio que a proposta ficou clara no texto. Mas permita-me fazer algumas observações.
      .
      Sim, as consequências do pecado são humilhantes para todos nós, pecadores. Eu, você, a pessoa que foi empurrada para fora da igreja e a que debandou. Afinal, em que nós somos melhores do que elas? Pecamos menos? Creio que o perdão que recebemos de Deus pelas nossas transgressões diárias e hediondas também deve ser estendido aos demais pecadores – uma vez que houve o arrependimento e o firme desejo de não mais viver na prática daquele pecado. O problema é que temos o péssimo hábito de nos posicionarmos como juízes do nosso próximo, quando cometemos erros tão horríveis ou piores que os deles.
      .
      Não vejo em Tiago 4 permissão para tratar mal pecadores ou discriminá-los. Até porque, como todos nós somos pecadores, se assim fosse viveríamos nos tratando mal e segregando uns aos outros diariamente. A humilhação de que Tiago fala é do pecador para com o Senhor, não há nenhuma base bíblica para que pecadores humilhem outros pecadores. Temos de tomar cuidado com isso.
      .
      Se Deus nos manda amar nossos inimigos, quanto mais irmãos em Cristo que “estão em pecado”. Romanos 12.14-21 deve permear todas as nossas atitudes.
      .
      Sabe, Carolina, eu gostaria de ver pessoas que insistem em seus pecados sem arrependimento serem conduzidas à percepção do erro não mediante a vergonha, mas mediante a graça, o amor, a misericórdia, a verdade transformadora de Cristo. O problema é que achamos que uma ou duas passagens da Bíblia que nos mandam confrontar certas pessoas nos dão o direito de esquecer do princípio bíblico que há de Gn a Ap de amor ao próximo. Nessas horas, nos esquecemos de como Jesus tratou a mulher adúltera. De como Jesus pediu, na cruz, a Deus que perdoasse seus algozes. Falta-nos mansidão, falta-nos ser como o Cordeiro manso e humilde. Nos posicionamos como “os santos” e tratamos os “pecadores” como uma subclasse. E o evangelho não nos autoriza a isso.
      .
      Claro que há os rebeldes, que se insurgem contra a verdade e abraçam o erro. O exemplo que você mencionou é típico. Mas, sabe… eu adoraria ver essa irmã de volta nos braços do Pai. E o único caminho que vejo para isso é mediante a graça. A misericórdia. O amor.
      .
      Oremos e sonhemos, pedindo a Deus que faça sua boa obra.
      .
      Um abraço carinhoso para ti, na paz do Mestre,
      mz

  6. Andréia disse:

    Quem sabe assim anulamos a frase que o” Cristão é o único exército que mata seus próprios soldados”.
    Linda campanha e mãos a obra que é grande.

  7. Lina disse:

    Seu post de hoje me lembrou a “oração de S Francisco de Assis” que na minha infância muito católica eu aprendi, e sou feliz por minha juventude evangélica não ter me apagado a memória: Ó Mestre fazei que eu procure mais, consolar que ser consolado, compreender que ser compreendido, amar que ser amado pois é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado”.

    Penso que isso de amar “e ponto”, passa pela nossa falta de entendimento de graça de Deus, e eu me incluo nisso. Estou lendo um livro de M.Lucado sobre esse tema, GRAÇA. A graça está no hinário, nos livros, na Bíblia, em todas as cartas de Paulo, na boca do próprio Senhor Jesus, porém nós não compreendemos isto de maneira suficiente para nós, imagine partilha-la com outros!

    Meu irmão é homossexual, crente no Senhor Jesus, vive uma luta constante, uma verdadeira guerra interior que é notada tão nitidamente no seu semblante! A igreja… Conheço gente na igreja que tem 15 dedos indicadores! Mas meu Senhor o ama do mesmo jeito que a mim, o perdoa e o tem como filho amado.
    Façamos nosso papel de amar como embaixadores da graça de Deus, e o Senhor fará o mais.

    • Oi, Lina,
      .
      bela lembrança, a oração de Francisco é belíssima e bíblica. Jesus disse que “melhor coisa é dar do que receber”.
      .
      A graça é a coluna vertebral do cristianismo. Sem ela não há fé cristã. Infelizmente, como ela anda escassa entre os homens.
      .
      Um abraço fraterno pra ti, no amor do nosso gracioso Deus,
      mz

  8. solange vieira disse:

    Mauricio.!
    Bom ,muito bom ! O Espirito vem testificar que estamos a igreja está em sintonia, ontem em nosso
    estudo biblica, desviamos do assunto do dia, para falar dos desigrejados e a forma como os tratamos,ou deixamos de tratar, uns entendem que precisamos dar amor aos feridos outros nem tanto . A Verdade é que sua campanha nos leva a melhor parte. ” O AMOR ” ,pois sem ele não conseguiremos resgatar essas almas. E Só podemos dar aquilo que temos.
    Se me permite levarei este texto para meus irmãos de estudo ,na igreja que congrego e colocarmos em prática.
    Abraços.
    Solange

    • Oi, Solange,
      .
      fico feliz por essa sintonia. Fique à vontade para levar o texto e incentivar os irmãos a estender graça e amor a quem precisa.
      .
      Abraço, Deus te abençoe,
      mz

  9. PV disse:

    Meu mano,

    Faz algum tempo que tenho pensado nesse tema fortemente, o que tem em parte me consumido, reconhecendo minha total negligência com a forma verdadeira de ser igreja.

    Tenho um amigo, ou melhor, ele é praticamente irmão de sangue que nunca tive. Somos amigos desde criança. Sabe quando te perguntam quais são melhores amigos e ele está na lista? É assim. Ele nasceu num lar cristão.

    Ano passado ele teve um relacionamento fora do casamento. Ele saiu de casa e foi morar com outra mulher. O caso se tornou público. Assim que soube tentei de diversas formas procurá-lo. Ligava, mandava msgs. Tentava criar situações para poder conversar, tipo: chamar para darmos uma corrida, fazer um lanche, jogar um vídeo game. E nada. Teve uma época que fiquei por volta de uma semana sem conseguir falar com ele. Ninguém conseguia. Perguntava a outros amigos chegados que temos em comum se tinham notícias dele e me diziam a mesma coisa. Ele sumiu. Ele realmente estava evitando qualquer contato com os amigos cristãos.

    Depois dessas minhas tentativas, tive a ideia de escrever uma carta para ele. Nessa carta procurei demonstrar que estaria a disposição para passar com ele qualquer situação. Confessei pecados que cometi tão horríveis quanto o dele. Testemunhei como Cristo me tirou da lama que me encontrava. Falei do amor, da graça, do perdão, da restauração, do juízo do nosso Senhor.

    Depois de um certo tempo, ele voltou para casa. No mês de fevereiro. Se reconciliou com ela, foi em um culto na igreja. Recebeu oração. Eles nos chamaram (eu e minha esposa) para irmos em sua casa jantar e comemorar. Fomos com maior prazer, regozijando de alegria. Conversamos sobre várias coisas. Agradeceu-me pelo que fiz e disse que nunca iria se esquecer do que eu fiz. E tivemos um momento de reflexão. Depois oramos.
    Duas semanas após, sua esposa me encontra na igreja no início do culto e diz que ele estava estranho e achava que ele iria sair de casa novamente. Nem fiquei no culto, e fui imediatamente para a casa dele falar com ele. Ele é orgulhoso. Como a maioria de nós, principalmente homens não gostam de admitir suas fraquezas e falhas e acham que podem encontrar a saída sozinho. Eu sou assim e sei o quanto já sofri mais do que precisava por causa disso. Tive que insistir um pouco para entrar no assunto. Então ele me contou muita coisa. Falamos de muita sujeira. Tanto as minhas quanto as dele. Eu chorei bastante. Ele ficou abatido. Agradeci a Deus pela oportunidade de falar tudo que achava importante para meu melhor amigo.

    Naquela semana ele saiu de casa.

    Enquanto isso, ao mesmo tempo chamei minha esposa para cuidarmos também da esposa dele. Você deve imaginar a destruição causada. Como é para pra uma mulher passar meses após meses solitária. Ela sempre esteve disposta a perdoar. Seus familiares são de outra cidade. Graças a Deus ela está sendo cuidada pelo Senhor. Muito ferida, mas também muito consolada pelo nosso pai. Procuramos estar com ela toda semana, como um meio de prevenção. Sempre nos recebe de braços abertos. E, com isso, estamos crescendo em comunhão.

    Meu amigo, desculpe pelo texto longo. Sei que você precisa ler bastante coisa. Tentei ser o mais sucinto possível, mas sem perder detalhes para você entender a situação. Não sei mais o que fazer. Todos os dias, lembro dele em minhas orações. Entendo que se não houver um milagre do convencimento do ES em sua vida não valerá de nada minhas ações e palavras. Meu coração chora por ver mais essa família tão querida aos escombros e, principalmente, meu grande amigo no caminho da perdição.

    Abção, meu brother.

    • Oi, PV,
      .
      mano, você pode fazer duas coisas: interceder e amar. E isso tanto para ele quanto para ela. O teu amor vai ajudar essa senhora a atravessar este terrível vale. E o teu amor vai manter o vínculo entre esse senhor e a graça de Deus. Mas o problema é que não conseguimos convencer ninguém, isso é obra do Espírito Santo. Aí entra a intercessão. Só Deus muda corações. Nós mantemos a porta aberta mediante o amor, Deus é quem toma o pecador pela mão e o faz atravessar a porta. Faça a sua parte. O resto é com o Senhor.
      .
      Oro por essa família, com tristeza de alma. Que o Onipotente reconstrua tudo o que foi destruído.
      .
      Um abraço, mano, na paz de Cristo,
      mz

  10. Álvaro disse:

    O estilo do Maurício tá mais pra o João amoroso do que pra o Pedro rude…legal a ideia da campanha,mas apenas ressalto que esse adote um pecador é o “IDE” que era pra ser feito por todos os cristãos,inclusive eu,mas que não fazemos porque somos negligentes…é isso aí mesmo…bela campanha

  11. Daisy disse:

    Que lindo isso…

    Desafio lançado,tambem vou repassar para alguns irmãos!!!

  12. Álvaro disse:

    Deveriam existir mais blogs como esses na internet porque a maioria dos blogs ditos “evangélicos” nos envergonham! São notícias falsas,calúnias,discussões inúteis e ofensivas(sou a favor do debate teológico e acadêmico o que é diferente) ,enfim,obrigado Maurício! Por pouco tempo que acompanho o seu blog -por recomendação de um blogueiro amigo- eu tenho sido muito edficado!

    Conselhos amorosos e práticos para a vidã cristã à luz da Bíblia! Continue exercendo esse ministério e edificando a muitos que estão sedentos!

  13. marcojuric disse:

    Boa noite Zágari!!

    Excelente campanha!!
    Agora preciso lembrar de alguma pessoa conhecida que esteja enquadrada em um desses critérios.

    Paz!! Saudade!!

    MJ

  14. Paulo Silva disse:

    Olá Maurício.
    E se este pecador se afastou por não aguentar o fardo de conviver com uma mulher, em que se reconhecia as terríveis características da mulher rixosa, tola! Dai acabou conhecendo outra, divorciou se, casou se novamente e é realizado como homem. Porém, como filho, sente imensa falta da casa do pai e consequentemente isto lhe trás profundo pesar? Você é sempre enfático em afirmar que biblicamente o homem quando casa, tem que permanecer com tal mulher até que a morte os separem. Não me interprete mal, mas falou sobre pecado ser pecado e ponto. Também, em outras palavras, sobre situações complexas. Como seria tratar este caso? Fique na paz do criador.

    • Olá, Paulo,
      .
      não me atrevo a dar um parecer sobre um caso específico sem saber profundamente a história. A experiência me mostra que sempre há (muitos) lados da moeda que em uma primeira conversa não são expostos. Se formos nos ater apenas ao que você mencionou, ao pé da letra, é preciso lembrar que o fato de uma mulher ser rixosa não é base bíblica para o divórcio. Apenas práticas sexuais ilícitas são (Mt 5.31-32; 19.1-11). Na verdade, mano, não sou enfático sobre permanecer com a mulher até que a morte os separe: a Bíblia é.
      .
      Mas eu recomendaria à pessoa em questão que procurasse seu pastor e pedisse aconselhamento, para que a situação seja vista em detalhes. E, se houver pecado, que haja arrependimento, confissão e o abandono do mesmo.
      .
      Quanto a sentir falta da casa do Pai… ele está sempre de braços abertos para receber o pecador arrependido. Se houver o retorno os anjos farão festa no céu.
      .
      Um abraço carinhoso, na paz do nosso Deus,
      mz

      • Paulo Silva disse:

        Ok Zágari.
        Eu quando citei “enfático” vinculei a “biblicamente”. Gostaria, se possível, que esclarecesse o que quis dizer com: Se houver pecado! Caso ele não tivesse separado por motivos de relações ilícitas, a confissão e abandono deste, seria deixar a atual esposa (com quem é feliz) e retornar para aquela com a qual já é divorciado? Desculpe me a insistência, mas estou te dando os detalhes que citou faltarem. Acho o tema pertinente, embora muitos tratem (friamente) assunto que, na minha opinião, é muito complexo.

      • Oi, Paulo,
        .
        querido, é justamente por não poder tratar um assunto tão sério e complexo como algo frio que não me atrevo a opinar sobre casos específicos, mas encaminho para o pastor da pessoa em questão, que poderá tratar de cada situação a partir de tudo o que envolve, à luz da Bíblia. Há muito mais informações a serem levadas em consideração. Por exemplo: há filhos do segundo casamento? Quando ele ocorreu? Há quanto tempo? O cônjuge original se casou de novo? Teve filhos? Há muito que precisa ser visto e não posso dar pareceres “a distância”, espero que você compreenda que faço isso por zelo, temor e responsabilidade. O ideal é que se procure o pastor da pessoa em busca de aconselhamento presencial.
        .
        Um abraço fraterno, Deus o abençoe,
        mz

  15. Fabio Cardoso disse:

    Oi, Maurício
    Há uns 10 anos li o livro da Editora Vida – A Reconquista (nesse assunto postado) do Pr Sinfronio Jardim Neto. Frequentava uma igreja de 2 mil membros e muitos se desviavam. Tentei implantar algo com essa finalidade, mas infelizmente o Pr árido me disse:”Minhas ovelhas ouvem minha voz e me seguem”…..”se desviaram não eram minhas ovelhas”.
    Hoje estou bem longe deste pastor.
    Abs

    • Oi, Fabio,
      .
      que coisa triste, mano. Oremos por esse homem de Deus, que agiu desse modo, e também por cada um daqueles que se afastaram do Senhor.
      .
      Um abraço carinhoso, na paz do nosso Deus,
      mz

  16. andreia disse:

    ola mano, é com muuuita alegria que digo que já tenho essa pratica, mas agora vou chamar de campanha…. 😉 benção, benção, benção!!!!!!!

    Que possamos ter olhos “sensiveis” para os que estão/ficaram a margem……

    Que o óleo da unção seja derramado sobre ti a cada dia,

    com carinho e orações,

    Andreia Araujo

    • Oi, Andreia,
      .
      na verdade, o “campanha” foi mais uma provocação. O que há de mais cristão do que partir em busca daqueles que estão longe do amor do Pai e tentar estender-lhes uma centelha desse amor e da graça que nos resgatou, não é? É um gesto que precisa ser incentivado.
      .
      Um abraço carinhoso, grato pela intercessão,
      mz

  17. Maurício, aqui é o Bruno da ICNV Jd. Nova Era ..
    Eu gostaria de pedir sua autorização para colocar alguns de seus textos em um blog que criei chamado TEOLOGIA 24 HORAS.
    Esse blog tem como objetivo incentivar os irmãos da minha igreja a consumirem teologia bíblica e reflexões acerca do reino de Deus.
    Além dos meus posts, alguns amigos estudantes de teologia estarão contribuindo com a mensagem da cruz. Pretendo também postar textos de pastores e teólogos reformados, além das lições dos pais da igreja. Se você me permitir, ficarei muito grato!
    Paz!

    • Oi, Bruno, tudo bem?
      .
      Claro, querido, fique à vontade para reproduzir os textos. Basta seguir as orientações no item “licença de uso”, na coluna esquerda do APENAS. E que abençoe muitas vidas.
      .
      Um abraço, na paz de Deus,
      mz

      • Jaqueline Carvalho disse:

        Maurício graça e paz ,

        Fiquei impactada ao ler o seu texto, sua proposta, projeto, enfim são tantos nomes mas o objetivo é o que mais me chama atenção. Quero compartilhar uma experiência de vida:
        Se puder ler:

        – Há mais de dez anos atras,com 17 anos cometi aquele pecado que perante a uma igreja é imperdoável, fui exposta a igreja, tanto quando o cometi e após o que é chamado de exclusão. Foi muito dramático, pois imagina com 17 anos você ter sua vida exposta não só na igreja mas também em toda comunidade. Fiquei aproximadamente uns três meses quase em depressão, foi quando experimentei o verdadeiro amor de Deus aquele que não julga, não condena. Pude encontrar pessoas que me julgaram e apontaram como também pessoas que me estenderam as mãos, não cheguei a me ” desviar”. Criei eu mesma uma filosofia ” fico fraca na igreja, mas não fico forte no mundo” o tempo passou, me casei, tive filho, trabalhei em varias áreas da igreja até que fui ser líder de jovens, neste cargo fiquei por +- 3 anos, e com as experiências até as lutas do passado, considero que nos dávamos muito bem, entendi para que ser as experiências, até que, devido ao meu esposo não me acompanhar como segundo a igreja achava que deveria, fui ” substituída” ao qual resultou em um transtorno tanto para mim que sinceramente não aceitei o motivo da substituição como para os jovens que eu liderava, enfim, não permaneci especificamente naquela igreja porem foram dois anos de procura até que entendi que deveria voltar, mas não era mais a mesma coisa, muitas pessoas haviam saído tanto jovens como próprios membros. E quando comecei a frequentar novamente sentia falta de um , de outro e perguntava, uns já estão congregando e outro não tinham sinal de vida, foi quando fiz uma total retrospectiva desde a minha adolescência e juventude e até os dois últimos anos que eu havia passado. A falta que me fazia uma ligação, um sms ou até uma postagem no ” face” para saber como eu estava e comecei a ver que não adiantava igreja cheia , pregar para crente ou ate mesmo para ímpios, pois se converteriam e amanhã seria como muitos que estão hoje com a alma morta. Foi quando senti no coração criar um trabalho: OPERAÇÃO RESGATANDO VIDAS! Resumi em tudo que você disse, não ir até a pessoa e convidá-la para a igreja e sim mostrar a importância que ela tem para sua família em cristo, fazer com que ela sintat falte de sentir a presença do espírito santo. Quando compartilhava na empresa ao qual eu trabalho( uma empresa no Rio de Janeiro, com segmento e produtos evangélicos), pude perceber o quanto havia de pessoas como eu fui no passado, a cada dois que conversava pelo menos um conhecia alguém que precisava ser RESGATADO ou até mesmo a própria pessoa se identificava com o projeto. Mas as vezes eu não sabia nem por onde começar ou se sei lá, estava sozinha nesse pensamento, foi quando através de uma amiga recebi o seu email e fiquei totalmente motivada, a dar continuidade,sendo que com mais agressividade( no bom sentido é claro!) Caso você queira conhecer melhor me mande seu email que lhe envio a logo do projeto e a ideia e você vai ver o quanto “jesuscidiu” esse seu email. Que Deus continue lhe abençoando!!!!!

        Att

        Jaqueline Carvalho

      • Oi, Jaqueline, tudo bem?
        .
        Sua história me enche de tristeza por ver quanto as pessoas ainda não aprenderam sobre a graça e me encheu de alegria por ver quanto Deus exerce graça sobre as pessoas.
        .
        Sua proposta é belíssima e a encorajo com ênfase a prosseguir. Talvez tenha sido para isso que o Senhor permitiu que você, filha amada, passasse por tudo o que passou. Oro a Deus que a abençoe nesse projeto.
        .
        Mais do que mandar somente para mim, eu a encorajo a compartilhar todas as informações por aqui, o espaço de comentários do APENAS, para que a maior quantidade possível de pessoas tenha acesso a elas e, quem sabe, sinta-se motivada a unir-se a você ou a criar algo parecido. Por favor, fique a vontade para divulgar o que desejar pelo blog.
        .
        Peço a Deus que a abençoe muito nessa iniciativa e que muitas pessoas enxerguem por teu intermédio a verdadeira graça de Cristo.
        .
        Um abraço carinhoso, no amor de Deus,
        mz

  18. Elizabete disse:

    Como é maravilhoso saber que ainda existem pessoas que verdadeiramente se preocupam com o próximo, sem pedir dinheiro em troca do amor, cuidado, carinho e tudo o mais que uma pessoa discriminada pelos irmãos necessita. Amei suas palavras e quero abraçar essa campanha

    • Olá, Elizabete,
      .
      Que bom que essa reflexão alcançou teu coração. Peço a Deus que você seja instrumento para levar amor e graça a muitas vidas.
      .
      Um abraço fraterno, na paz do Mestre,
      mz

  19. Alessandra Souza disse:

    Mauricio

    Fui criada na igreja, me afastei na adolescência e há dois anos atrás, em meio a uma vida arrasada pelo pecado e sem perspectiva de mudanças, Jesus me chamou de volta e a partir de então eu sou liberta pela maravilhosa graça e misericórdia do nosso Senhor!

    E agora, que eu realmente aceitei Jesus, o Espirito Santo vem fazendo mudanças em minha vida e principalmente no meu carácter que se eu escrevesse tudo aqui, não caberiam.
    É claro que há muito ainda para mudar, mas eu creio que aquele que começou a boa obra é fiel para cumprir, amém?

    Bom, mas o que eu quero mesmo comentar aqui, é que Deus falou comigo através desse post.

    Já faz algum tempo que eu venho pedindo a Deus para me ensinar a ter mais amor pelo meu próximo. Desde então Deus tem colocado em minha vida pessoas “difíceis” de amar. Pessoas que se fosse pela minha vontade, vontade do meu coração humano, eu não amaria nunca, mas pela misericórdia de Deus que mandou o seu Espirito fazer morada em mim, eu agora posso ama-las e estou conseguindo entender um pouco do que é ser luz do mundo e sal da terra, através de Jesus.
    Eu agora entendendo que muitas coisas pelas quais passei, Deus permitiu que acontecesse, para que agora minha vida pudesse servir de testemunho para meu irmão.

    E eu fiquei tão feliz, tão feliz em ler esse post que você escreveu, porque ao ler, era como se Deus falasse assim “É isso Ale… isso que eu quero que você continue fazendo com a fulana, com a ciclana… continua, se você realmente quer entender um pouquinho do que é o meu amor”

    Excelente iniciativa, se todos nós conseguimos pelo menos uma vez parar de apontar a trave que há no olho do nosso irmão e pudéssemos nos doar, agindo semelhante ao nosso Senhor Jesus Cristo, nos responsabilizando em dar amor sem querer nada em troca, que avivamento em nossos corações viveríamos.

    Com a paz que excede todo entendimento de Cristo Jesus

    Obrigado, pelas palavras desse blog.

    Com Carinho
    Alessandra Souza

    • Oi, Alessandra,
      .
      louvo a Deus pelas transformações que ele vem efetuando em sua vida. O Senhor é maravilhoso, gracioso e amoroso. Não há o que agradecer, tudo o que faço é lançar pensamentos ao vento, na esperança de que o Espírito os conduzirá aos corações que precisam recebê-los. Alegro-me que foi o seu caso.
      .
      Querida, você está trilhando o caminho mais excelente, o do amor por quem não é amável, o da devoção e oferta de si pelo próximo. Use sim toda a sua experiência de vida em benefício do outro, é exatamente para isso que Jesus nos permite passar por tribulações: para aprendizado, transformação pessoal, edificação da Igreja e amor pelos perdidos. É o caminho.
      .
      Um abraço fraterno, nessa paz que nos sustém,
      mz

  20. Jenny Leão disse:

    Oi,pensei em fazer um grupo no whatsapp de ADOTE UM DESVIADO, mas até hoje não fiz, depois desse post vou pensar melhor nisso.O propósito seria adotar um desviado em oração e após uns tres meses ir ao encontro dele e chamá-lo para voltar para os caminhos de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s