odio0Gostaria de fazer uma pergunta objetiva e pediria que você respondesse a si mesmo com toda sinceridade: você sente uma aversão inveterada e absoluta por alguém, ou mesmo raiva, rancor, ou antipatia? Pense com calma. Lembre-se dos indivíduos que você conhece e por quem nutre um desses sentimentos. Imagine na sua mente o rosto dessas pessoas. Já fez isso? Se não fez, por favor, não prossiga a leitura antes de fazer. Traga à lembrança aqueles por quem sente – repito – aversão inveterada e absoluta, raiva, rancor, ou antipatia. Pois bem, agora que você fez esse exercício, permita-me dar uma informação: “Aversão inveterada e absoluta; raiva; rancor; antipatia” são, no dicionário, exatamente o que significa… ódio. Portanto, se você conseguiu pensar em pessoas por quem tem um ou mais desses sentimentos, você odeia.

Sim, nós odiamos até mesmo alguns irmãos em Cristo. Na esmagadora maioria das vezes, temos sempre uma boa justificativa para essa postura. Para começar, dizemos que não é ódio, mas zelo, precaução, necessidade de manter a distância… seja lá o modo que inventemos para explicar nosso ódio, ele continua sendo ódio. E isso precisa ser trabalhado. Por quê? Veja o que diz o apóstolo João: “Aquele que diz estar na luz e odeia a seu irmão, até agora, está nas trevas. Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e anda nas trevas, e não sabe para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos” (1Jo 2.9-11).

odio2Que coisa séria e triste… Percebeu o que a Bíblia está dizendo? Que cristãos (sim, cristãos, repare que João se refere ao ódio a um “irmão”) que odeiam estão cegos e caminham em trevas. Essa é uma condição lamentável para um filho de Deus. Justamente porque as Escrituras contrapõem esse ódio ao amor – que é o maior mandamento. A conclusão é que, se nutrimos o sentimento de ódio por uma ou mais pessoas, estamos caminhando fora da vontade divina e nos identificando mais com as trevas do que com a luz.

Bem, e o que fazer? Muitas vezes esse ódio foi fruto de feridas muito profundas que outras pessoas nos causaram e é muito difícil administrar o ressentimento que esses machucados na alma provocaram. Ninguém odeia alguém de graça, o ódio é sempre consequência de algo ruim que fizeram contra nós ou contra terceiros e que nos provocou revolta. Nessas horas, temos de combater o ódio com a arma mais magnífica que Deus nós deu: o perdão. Perdoar a ofensa que nos levou a odiar. Pois o exercício do perdão é uma das maiores demonstrações de um coração que ama.

Deus amou o mundo de tal maneira que se fez como um de nós para morrer e ressuscitar e, assim, nos conceder perdão. Isso foi possível porque não há espaço no coração de Deus para o ódio. Por ter e ser tanto amor, o Senhor pede ao Pai o perdão dos pecados de seus executores. Só um coração transbordante de amor perdoa a mulher adúltera, Zaqueu, Mateus e outros indivíduos que se fizeram odiosos. Como eu e você.

odio4Assisti a um documentário que mostra a história de uma jovem estuprada e assassinada pelo próprio cunhado. Ao final, a mãe dela, compreensivelmente devastada e arrasada emocionalmente, diz em entrevista que jamais perdoará o criminoso. “Eu odeio esse homem, não posso nem olhar para ele”, disse ela. Fiquei triste. Pois aquela senhora, vítima de tão terrível tragédia, não percebeu que a falta de perdão a fazia vítima de mais uma tragédia: a do ódio. O assassino andou em trevas e cometeu tão brutal pecado. E aquela pobre mãe acabou sendo arrastada para as trevas ao cultivar o ódio no seu coração. Oro a Deus que um dia ela seja capaz de perdoar o agressor, para que veja a luz e viva nela.

Sei que pode soar até mesmo cruel o que vou dizer, mas analise, por favor, se não está de acordo com a Bíblia: ao dizer que odeia o assassino, aquela pobre mãe equivale-se a ele. Ouça a Palavra de Deus: “Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino; ora, vós sabeis que todo assassino não tem a vida eterna permanente em si” (1Jo 3.15). Perdoar ou odiar? Independentemente de o perdão ou o ódio se dirigirem a um cristão ou não, temos diante de nós os dois caminhos. Aquela mãe fez sua escolha. Eu e você também temos de fazer a nossa.

É duro demais pensar em perdoar quem nos causou males tão grandes. Mas que outra alternativa temos? Se não o fazemos nos distanciamos do Crucificado e nos tornamos como os crucificadores. Como filhos da Luz, devemos andar nela, orar por quem nos fez mal, abençoar quem nos amaldiçoa, nadar na contramão de nossos próprios sentimentos. Só a negação de nós mesmos e a incorporação de Cristo é capaz de nos forjar à imagem do Ser perfeito.

Em um coração cristão só há espaço para poucos tipos de ódio, em imitação ao que Deus odeia. O ódio ao pecado. O ódio ao divórcio. O ódio à iniquidade. O ódio à vida neste mundo. O ódio à soberba.

E o ódio ao ódio.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

Anúncios
comentários
  1. Mery disse:

    Diante desse texto ,chego a conclusão que a maioria dos cristãos ,odeiam,eu não odeio ninguém no meu modo de pensar ,as vezes não me simpatizo com alguém ,nem por isso desejo-lhe mal,uma coisa que sempre me deixou curiosa foi o desacordo entre Paulo e Barnabé em Atos 15:36,41,qual seria os sentimentos deles naquele momento? Ódio ou desacordo?
    Mery

    • Olá, Mery,
      .
      Eu iria além, creio que toda a humanidad odeia, enfeais variados, claro. A questão, a meu ver, não é se odiamos ou não, é o que fazemos com esse ódio. O alimentamos e o incentivámos ou lutamos contra ele?
      .
      Sobre Paulo e Barnabé, bem, eles eram humanos e pecadores, não é? Mas o que se passou no coração de cada um só o Espírito Santo sabe.
      .
      Abraço, Deus a abençoe,
      mz

  2. Jose disse:

    A paz do Senhor Jesus nobre amigo Mauricio.

    Diante do que você escreveu entrei num dilema.
    Nunca consegui sentir odio ou raiva continua por alguém que me prejudicou ou feriu.

    Entretanto volta e meia relembro “da atitude” daquela pessoa, e meu coração dói, mas mesmo assim, não sinto raiva ou ódio. O que sinto é um ressentimento de que se a tal atitude não tivesse sido praticada muita coisa teria sido diferente e um final feliz pra todos nos aguardaria.

    De uns 5 anos pra ca levei prejuízos financeiros enormes por causa de algumas pessoas, ao ponto de ter que me desfazer de carros, casas, e comprometer os estudos de meus filhos e o caixa da minha aposentadoria. E entre algumas dessas pessoas, alguns irmãos.

    Quando relembro, doi. Quando passo por um aperto financeiro, por uma situação de necessidade, relembro… Lamento tanto… Choro… Agonizo…

    Mas ai começo a pedir a Deus que me ajude a esquecer aquilo, pois a dor é enorme, e em oração silenciosa, vou esquecendo o fato…

    Pergunto: o fato de ficar com o coração quebrantado, agonizado, e sensível ao que essas pessoas fizeram, torna-me uma pessoa odiosa?

    (…)

    Minha ex-esposa, apesar de ja terem passados quase 10 anos da separação, ainda me odeia.

    Minha atual, devido a um casamento de conveniências, sente ódio por mim.

    Como lidar com uma situação assim?

    Orar por elas, parece que não adianta.
    Orar por mim, apenas me faz esquecer o momento, pois sinto o mesmo sentimento todas as vezes que vejo as pessoas ou passo proximo de suas casas ou de onde ocorreram os atos…

    Complicado.

    Sera que estou sendo hipócrita então?
    Perdi/perderei minha salvação?

    Depende de mim que essas pessoas que me odeiam parar de sentir isso?

    Depende de mim somente esquecer de vez tudo o que sofri?

    É, esse post me trouxe a tona muita coisa que eu não imaginava.

    Obrigado nobre irmão.

    Abraço fraterno,
    José.

    • Olá, José,
      .
      mano, salvação vem pela graça e não por obras. Não deixe esse pensamento de “perder a salvação” entrar em sua mente.
      .
      Nossa postura quanto ao ódio deve ser a mesma de Cristo: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo”. O ódio inevitavelmente virá, a pergunta é o que faremos com ele: alimentaremos ou lutaremos contra? A resposta a isso define nossa situação espiritual.
      .
      Ore pelos teus ofensores, não porque você “sente vontade” ou porque você “sente” que é o certo, mas porque você sabe que é o certo. Interceda por eles. Peça ao Senhor que os abençoe. E isso mesmo em meio a muitas lágrimas.
      .
      Veja: se eu te odeio e você cai num poço, o que significa amar você? Retirá-lo do poço. Eu posso sentir toda vontade do mundo de deixar você lá dentro, mas se eu agir de modo amoroso e perdoador em seu benefício, é o que importa. O resto vem naturalmente.
      .
      Um abraço, mano, na paz daquele que nos perdoou,
      mz

  3. Carla Tannus disse:

    Muito bom este texto.Vou utiliz-lo na prxima reunio de clula. No te importas?Obrigada!Att,

    Carla Martins Tanns Engenheira Agrnoma “O SENHOR meu pastor, nada me faltar” Sl 23:1

    Date: Thu, 20 Mar 2014 09:01:22 +0000 To: carlamtannus@hotmail.com

  4. Maurício meu mano…

    Este post falou muito ao meu coração, realmente Deus usa de quem ele quer e do meio que ele quer para falar conosco e nos ensinar.

    Sim, a cada dia devemos nos negar e diminuirmos para que Cristo cresça em nós.

    Ontem a noite recebi uma visita de alguns irmãos em casa, pois estavam sentindo minha falta na igreja. Durante a visita alguém de minha família se levantou com acusações e ofensas a meu respeito, mas o Espírito de Deus que atuava no grupo nos tocou fortemente para que eu e minha esposa não ficássemos tristes, mas que eu pedisse perdão para o ofensor e também perdoasse as suas ofensas.

    A pessoa que acusava foi abraçada, a paz reinou e a semente de Cristo foi lançada em nossos corações.

    Hoje recebi seu post falando exatamente sobre o perdão.

    Deus te abençoe mano Maurício, te dê forças e alegria para continuar vivendo o evangelho e escrevendo das coisas do alto.

    A Paz de Deus e um forte abraço de seu irmão em Cristo!

    Daniel L. Souto

    • Oi, Daniel,
      .
      mano, fico muito feliz pela reconciliação que o Espírito Santo promoveu na tua vida. Este é o nosso Deus: um Deus de amor, graça, perdão e paz. Alegro-me que o texto de algum modo ratificou o que o Senhor tem feito em você e por você.
      .
      Paz seja contigo, querido,
      mz

  5. Valquiria Arruda disse:

    Boa tarde Mauricio, sou estudante de jornalismo da Facha e estou fazendo meu TCC sobre ‘Evangélicos e mídia no Brasil’. O trabalho tem como objetivo discutir a presença da mídia evangélica no Brasil, citando a origem, surgimento, instalação e ascensão do processo. Também destacar quais os meios mais usados para o desenvolvimento da comunicação religiosa no país. Como você é jornalista e teólogo, sei que seu conhecimento seria de muita importância para o trabalho. Gostaria de saber seu interesse e disponibilidade para uma entrevista.

  6. Edina Oliveira disse:

    Boa noite Mauricio,

    Somente um coração regenerado pelo Senhor consegue perdoar com sinceridade, porque compreende que, se não fosse nascido de Deus, também estaria fazendo a mesma coisa com os outros.

    Então Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: “Senhor, quantas vezes deverei perdoar a meu irmão quando ele pecar contra mim? Até sete vezes?”
    Jesus respondeu: “Eu digo a você: Não até sete, mas até setenta vezes sete.”
    Mateus 18:21,22

    Abração, o Senhor seja contigo sempre!

    • Oi, Edina,
      .
      isso! É preciso ter um coração como o de Cristo para estender o perdão como Cristo estendeu. Isso é novo nascimento: deixar para trás a própria natureza e deixar a natureza de Jesus brotar em nós.
      .
      Abraço, Deus siga a abençoando,
      mz

  7. Carol disse:

    Oportuno ! Tão oportunas palavras!
    Tantas vezes alimentamos esse “pet” dentro de nós, e por não conviver, ou estar no gelo com tal pessoa não percebemos o seu tamanho. O monstro cresce e mal nos damos conta. O mundo diz que devemos “ligar o fo#*¥%-se” e assim tá tudo bem! Mas Deus no diz o contrario, Ele quer que nos importemos com nossos corações pois isso é tudo que Lhe importa.
    Quando nos dispomos nEle, que grande alegria em reconstruir as pontes e sarar feridas Ele tem!
    As vezes carregamos com tanto preciosismo o nosso ódio ( ou raivinha, ou animosidade, ou “não vou com a cara”) pq são frutos de situações legítmas de ofensa e dor, mas Deus nos chama a abrir mão do “eu tenho direito de” , nos convidando suavemente a não ter razão.
    Amo lembrar uma frase sua Maurício, virou bordão: Deus não faz milagre dia-sim, dia-não, Ele faz milagres todos os dias!
    E reconciliar e curar são seus milagres favoritos, porque é exatamente o que o Senhor Jesus fez por nós. Reconciliação e cura são opostos ao ódio!
    Sejamos embaixadores da paz de Cristo.

    Como ribeiros de águas assim é o coração do rei na mão do SENHOR, que o inclina a todo o seu querer. Pv 21:1

    • Olá, Carol, tudo bem?
      .
      Você tocou num ponto fundamental: o evangelho pressupõe contrariar nossos instintos. Eis a importância tão grande do domínio próprio. Alguém que quer servir a Cristo mas não está disposto a abrir mão de sua natureza não compreendeu a proposta do cristianismo.
      .
      Bela reflexão!
      .
      Um abraço, Deus a abençoe muito,
      mz

  8. Fábio Luiz disse:

    Bom dia irmão , você escreve o que o Espirito Santo diria aos nossos corações. É muito prazeroso ler seus escritos. Nos faz refletir e agir como um verdadeiro cristão.
    Deus te abençoe
    Fábio

  9. Erica Serpa disse:

    Às vezes, ainda sinto aquela dor no peito, por uma ou duas situações passadas recentemente. Foi preciso que Deus enviasse alguém de fora do meio cristão/evangélico para me fazer sair do poço sem fim que me enfiei… Foi uma experiência avassaladora – preconceito e falta de amor causam este tipo de coisa.

    Creio que o perdão é uma escolha que demanda um processo psicológico. Não adianta dizer que não odeia se por dentro ainda fica aquela dor e a vontade que a outra pessoa se dê mal, ou que vá mal na vida. É desejar o bem, inconscientemente.

    Eu espero que meu vaso logo esteja plenamente limpo, porque nem o mais doce favo de mel consegue manter o gosto num vasilhame sujo. ^^

    Fique na paz do Senhor Jesus.

    • Oi, Erica,
      .
      tenho certeza que ficaram muitas lições dessa situação. Entendo bem o que você diz sobre preconceito e desamor, infelizmente evangélicos também são seres humanos e, como tal, erram. Sem dúvida o perdão tem etapas. E a primeira delas não é sentimental, é intencional. Nem creio que seja desejar o bem inconsciente, mas sim uma postura de agir em prol do bem da pessoa, conscientemente. Interceder, por exemplo. É o que Romanos 12 e Mateus 5-7 nos ensinam.
      .
      Seja que situação você tenha enfrentado, se está em paz com Deus o vaso já está limpo.
      .
      A paz que excede todo entendimento seja contigo. Um abraço carinhoso,
      mz

  10. marcojuric disse:

    Boa noite Zágari!

    VERO!!!!

    No amor!

    MJ

  11. andreia disse:

    olá mano, mais uma excelente palavra de exortação…..Esse sentimento é uma verdadeira arma letal para nós, não é?? e somente tendo AQUELA busca, nos alimentando da Palavra que nos cura, e nos ENCHENDO do Espirito, conseguimos vencer esse sentimento, que vez por outra tenta invadir nossa alma….. que o Senhor continue tendo misericórdia de nós e nos capacitando com sua Graça….

    Clamo ao Senhor que derrame sobre ti o óleo da unção a cada dia,

    com carinho e orações,

    Andreia Araujo

    • Oi, Andreia, tudo bem?
      .
      Você tem toda razão. O ódio é um animal escorregadio, que volta e meia escapole, invade nossas defesas e morde nossa alma. Que Deus nos livre de sucumbirmos ao seu veneno.
      .
      Deus te abençoe e a toda a familia amada,
      mz

  12. Isac disse:

    Antes de deixar um comentário gostaria de indicar um dos melhores livros que li em minha vida. Este tem por título: “QUANDO AS PESSOAS SÃO GRANDES E DEUS É PEQUENO”. Com certeza tem tudo haver com o post acima. Em relação ao texto só, .tenho que agradecer a Deus por grandes ensinamentos. Espero que todos os irmãos que venham ler esse texto aprendam e reflitam o quão é importante meditar nas escrituras. Para que assim possamos aprender de Deus e sermos como Ele. Obrigado Maurício!

  13. breno disse:

    Legal,mais falando assim parece que é totalmente fácil de perdoar,agr ali que li no texto se refere à uma vítima que sofreu estupro ai tem o depoimento da mãe vão nos disser assim que ela diz que sente ódio pelo cara que fez aquilo com a filha dela,oq mais que vc espera?que ela chega la e diz”eu perdo-o esse indivíduo que cometeu tal ato da com a minha filha” muito muito engraçado isso falar pra perdoar parece que juna sentiu ódio,engraçado Agr me diz se sentiu ódio?e se foi fácil de perdoar?

    • Breno, entre no YouTube e digite “mãe perdoa assassino”. Você verá a grande quantidade de casos de pessoas que perdoaram o assassino de seu filho. Facil não é, mas totalmente possível.
      .
      Abraço fraterno,
      mz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s