A woman unplugs an electrical cordTempos atrás eu ficava muito chateado quando alguém criticava o termo “religião”. Pois eu sempre entendi “religião” como algo bom, uma comunicação com Deus, um relacionamento pessoal com o Senhor – a partir da raiz latina “religare”. Por isso eu lia ou ouvia pessoas amaldiçoando a “religião” e aquilo me incomodava profundamente. Tenho lido alguns bons livros. Tenho tido algumas experiências. E hoje posso dizer que entendo os que criticam a “religião” e não me chateio mais. Na verdade, até concordo com eles e por uma simples razão: finalmente compreendi que, em nossos dias, o termo “religião”  (e seus cognatos) ganhou dois significados diferentes. O fenômeno é igual ao que ocorre com palavras como “manga”, que pode se referir a uma fruta ou a um pedaço da minha camisa; como “casa”, que pode ser a construção onde moro ou o local onde prendemos o botão da calça; como “pena”, que pode ser “dó” ou uma parte da asa de um pássaro. Sim, atualmente, a mesma palavra, “religião”, também ganhou significados bem diferentes – um positivo e outro negativo. Vamos falar sobre eles.

Primeiro o positivo. Algum tempo atrás estava conversando com um amigo e ele usou uma metáfora muito interessante. Ao falar sobre pecado e restauração, usou a imagem do fio de algum aparelho eletrodoméstico que é arrancado da tomada. Isso é pecado. Deus é a fonte de energia, a fonte de vida, a tomada. Nós somos o eletrodoméstico. Enquanto estivermos ligados a Deus, “conectados à tomada”, fluirá dele para nós a “eletricidade”, a vida, aquilo que nos permite funcionar. Assim, do mesmo modo que uma televisão precisa estar ligada à tomada para ter razão de ser, para cumprir o propósito para o qual foi criada, para termos vida nós precisamos estar ligados ao Senhor. Só assim teremos razão de ser, cumpriremos o propósito para o qual fomos criados.

Religião2Portanto, quando pecamos, é como se nosso fio fosse arrancado da tomada. Perdemos a conexão. Não estamos mais ligados ao Pai. Por isso, precisamos nos re…ligar a Deus. Isto é, nos ligar novamente à fonte de vida. Religar. Essa é a origem do termo “religião”: vem do latim religare, que se refere a essa religação. Portanto, sempre que você ouvir falar de “religião” no sentido da  “religação entre o pecador e Deus”, sorria! Esse é um bom significado. Essa é a boa religião. E não deve ser criticada ou amaldiçoada. Nesse sentido, “religiosa” é somente uma pessoa que foi reconectada a Cristo. E glória ao Senhor por isso: bendita a religião, que permitiu que a graça transformasse o pecador em um religioso.

Mas existe também o sentido negativo. Aos olhos de muitos, o termo perdeu o sentido original de “religação”. E hoje entendo isso. O exemplo maior do conceito negativo de “religião” está na parábola do bom samaritano. Sei que você já leu essa passagem milhares de vezes, mas o convido uma vez mais para dar atenção a esse relato, registrado em Lucas 10:

Religião3“[Certo intérprete da Lei]  perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.”

Repare: aquele sacerdote e aquele levita (que passaram ao largo, não deram a mínima para quem estava ali, caído, e foram cuidar da própria vida) são “religiosos” – no pior sentido. Eles cumprem tudo o que a religiosidade estipula, obedecem as normas do eclesiasticismo (não procure essa palavra no dicionário, é um neologismo meu)… enfim, aos olhos dos homens aquele sacerdote e aquele levita são servos corretíssimos de Deus. Seguem a cartilha da fé ao pé da letra. Só que tem um porém: em seu coração eles não amam o próximo. Isso é o sentido negativo que o conceito de “religião” ganhou em nossos dias: é o estilo de vida de quem exteriormente é o supra sumo da espiritualidade, mas por dentro é cheio de desamor. É exatamente o que Jesus chamou de um “sepulcro caiado”. Pois Jesus define o “sepulcro caiado” como alguém que parece justo por fora mas por dentro está  cheio de hipocrisia e maldade – o que, pelo meu entendimento, é resultado direto da falta de amor.

Religião4Tiago 1.27 diz: “A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo”. A palavra, no original grego, traduzida aqui por “religião”, é thrēskeia, que tem exatamente o sentido do cumprimento de práticas litúrgicas, de normas e regras ditadas pela fé, de observâncias cerimoniais. O irmão de Jesus estava fazendo uma alusão direta aos fariseus e outros mestres da Lei, explicando que tudo aquilo que eles cumpriam como parte de sua religiosidade (rituais, obediência à Lei, liturgias, cumprimento de festas e sábados e tudo o mais) era inútil se eles não tivessem amor pelo próximo. E não só amor como sentimento, mas amor demonstrado de forma prática. Pois era tão importante buscar a santidade e fugir da contaminação do pecado como esforçar-se e sacrificar-se pelo bem-estar do próximo – como fruto do amor.

Religião no sentido da “religação” com Deus é algo bom, imprescindível e, mais do que tudo, é um privilegio concedido por Cristo a nós. Quando ele morreu na cruz e o véu do templo se rasgou, o que aquilo quis dizer foi: “Não há mais impedimentos, você pode se ligar diretamente ao Pai”. Por outro lado, religião no sentido de viver uma vida de práticas, cumprimento a regras e obediência aos mandamentos bíblicos mas sem demonstração de amor ao próximo é o que há de mais nefasto. Os samaritanos não faziam nada do que os sacerdotes judeus faziam em termos litúrgicos, mas foi precisamente o gesto de amor do samaritano pelo próximo que lhe rendeu elogios de Cristo. Não foi ter ido ao culto, evangelizado, louvado da forma “certa”, pregado um bom sermão, seguido as liturgias e datas santas…nada disso. Fazer essas coisas é ótimo – e devemos fazer – mas não foi isso o que fez Jesus destacar a atitude do samaritano. O sacerdote cumpria a cartilha da fé ao pé da letra, mas deixou o próximo pra lá e foi cuidar da própria vida e tratar dos próprios interesses. E esse, aos olhos de Jesus, é “raça de víboras”.

Os elogios de Jesus foram pelo amor demonstrado ao próximo.

Que Deus nos livre de nos tornarmos “religiosos” no mau sentido. Se cumprirmos tudo o que a cartilha do crente determina mas nosso coração não tiver amor pelo próximo… estamos mal na fita. Peço ao Senhor que nos amemos uns aos outros de fato. Que haja mais pregações sobre isso. Que se cante mais sobre isso. É simples, não exige grandes teologias: amar o próximo é fazer por ele o que gostaríamos que fizessem a nós. Uma criança entende o conceito.

Deus queira que nunca aconteça com você. Mas, se um dia ocorrer de você estar caído, ferido, à beira da estrada, peça ao Senhor que passe por ali o religioso que foi religado a Deus e não o religioso que só cumpre os eclesiasticismos. Senão, meu irmão, minha irmã, você ficará jogado às traças, à chuva e ao desamor de gente que diz amar a Deus mas deixa você caído à beira do caminho, implorando por socorro.

Mais do que isso: que o religioso que deixa os outros largados para lá nunca sejamos você e eu. Pois, se formos assim… que Deus tenha misericórdia de nós.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio

comentários
  1. Bruno disse:

    Bom dia, ótima reflexão!

  2. Excelente texto, compartilhava desse conceito, e este artigo me ajudou a expandi-lo.
    Deus lhe abençoe.

  3. Muito bom o texto.

    Espero que edifique muitas vidas.

  4. Dayana disse:

    Olá Mauricio, confesso que as vezes a palavra religioso ou religião ainda me soam negativamente devido aos tempos em que vivemos, mais como o bom samaritano podemos mudar isso, através dos nossos atos, vivendo o verdadeiro religare com Deus. E cai bem o proverbio de Salomão em 14:21 ” O que despreza ao seu próximo peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado.”. Sendo assim não tem como praticar a verdadeira religião sem se importa com o próximo, abraço, na paz do Senhor.

    • Oi, Dayana,
      .
      não tenha urticárias com meras palavras. Quando conseguimos separar bem as coisas você percebe que “religião” em seu significado mais puro e original é algo belo e espiritual. No mais, que sejamos como o samaritano, por mais que nos custe. Cristo nos ajude nesse sentido.
      .
      Com carinho, um abraço fraterno,
      mz

  5. Rejane Miranda disse:

    Que reflexão abençoada!!!
    Um vez meu pastor pregou sobre esse tema “Religare” mas não tirando os créditos de sua pregação, nunca foi tão abordado, de uma forma tão ímpar, a forma que você colocou.
    Me abençoou tremendamente.

    Parabéns!

    p.s.: Estou compartilhando com amigos e espero abençoar da mesma forma como fez comigo.

    Paz

  6. Cleiton Vitoria disse:

    Olá Mauricio,

    Obrigado pelo artigo! Que Deus continue te usando na exposição de sua palavra, que nos traz luz e entendimento.

  7. Mauricio,

    Obrigado pela reflexão e exortação sobre as religiões.

    Em CRISTO.

  8. MAURÍCIO JORDÃO DE SOUZA disse:

    Amado irmão e também xará boa tarde,
    excelente reflexão, pois muitos dos “religiosos” hodiernos, tem escandalizado o verdadeiro sentido da religião. Se nosso “religador” é o Senhor e Salvador Jesus Cristo; se estamos de fato impregnados d’Ele; “nenhuma condenação há para nós”, e tão pouco haverá.
    Graça e paz.

  9. Neia disse:

    Olá MZ,
    Como sou abençoada quando leio as matérias aqui no apenas e a comparação de Cristo sendo a tomada e nos os eletrodomésticos meditei sobre isso hoje quando ia pru trabalho e achei muito interessante .
    E sobre amar ao próximo meu Deus como falhamos com o nosso próximo nesse ponto que venhamos mesmo mudar ser diferentes nao ficar so na teoria mas sim praticarmos .
    Muito obrigado Jesus te abencoe e te capacite a cada dia mas vc é uma benção vou compartilhar o seu post pq e muito edificante !!!
    Neia 😄

  10. Fred Gaze disse:

    Ótima reflexão.

    Interessante como as pessoas sempre tendem a fazer essa pergunta: “qual é a sua religião?”, no sentido de descobrirem a nossa fé. E para esta pergunta, procuro sempre esclarecer sem voltas que sou cristão, até porque fica mais fácil e rápido partir para o próximo passo que é (obviamente) tentar me aproximar e falar sobre Cristo.

    Mas também tem a famosa “acusação” (no bom sentido) que vez ou outra me fazem, do tipo: “você é religioso!”. E para essa, já me permito aprofundar mais um pouco e dizer que não me considero uma pessoa religiosa, mas que acredita em Deus e que não está seguindo apenas um manual, mas que procura amar aquilo que Ele ama.

    Enfim, para as questões das “duas religiões”, há sempre duas (ou mais) saídas estratégicas que nos permitem tanto saciar a dúvida, quanto levar Cristo às almas sedentas.

    Quase sempre caímos nas famosas questões legalistas, do tipo “pode ou não pode (isso ou aquilo)?”, que também são excelentes oportunidades de mostrar que religião não é um conjunto de normas incoerentes que foram criadas para nos proibir de fazer coisas. Pelo contrário, a exemplo do bom samaritano, o religare nos permite entender o que Deus quer de nós, e que isto é bom, agradável e perfeito.

    Graça e paz!

    • Oi, Fred,
      .
      creio que a resposta que eu daria é: “sou um religioso mas não sou um religioso”. A partir daí, explicar com base nos argumentos que usei no texto.
      .
      Graça e paz, querido, em Cristo,
      mz

  11. rmdias disse:

    Sensacional, Maurício!
    Sempre aprendo aqui em seus textos.
    Que o Senhor continue te usando assim, para que sejamos onde for, cada vez mais seguidores da verdadeira religião e menos da “religião” do mundo.
    Abraço!

  12. Cristina Monteiro disse:

    Excelente reflexão , simples de ser entendida e por muitas vezes , difícil de ser praticada pela maioria das pessoas , graça e paz para todos , sem exceção !

  13. Marco Juric disse:

    Bom dia Zágari!

    Cara, Deus te deu um talento ímpar para escrever fácil. Fácil de exposição, de leitura, de entendimento… fácil de amar ler.
    Você tocou em um assunto de extrema importância e de contextualização verídica em nossos dias, principalmente com o aumento dos índices de violência e suas derivações, o que tem feito muitos temerem fazer o bem pelo risco que se apresenta.
    Alguém jogado na calçada, sujo, malcheiroso e mal-encarado, muitas vezes, pra não dizer a maioria esmagadora, repele ou inibe a ação de fazer o bem… vejo como estou longe do ide, do amor ao próximo; do samaritano. É verdade, tenho me preocupado mais com Logos do que com Rhema.
    Durante um bom tempo tivemos na igreja em que congrego um trabalho chamado “Operação Resgate”. Saíamos uma vez por semana para levar alimento, roupas e o Evangelho para os moradores de rua. Confesso que no início era muito difícil encarar a realidade daquelas pessoas. Muitas delas não queriam nem ouvir, queriam tão somente “matar a fome”. Não os julgava por isso, pois era o que seus corpos mais necessitavam. Em outras poucas ocasiões eu, meu filho e mais dois irmãos (adolescentes como meu filho) nos cotizávamos para distribuir cobertores e pão com alguma coisa dentro… não me orgulho de tão pouco que tenha feito, mas sim, me vejo tão aquém de tudo que poderia estar fazendo… por vezes, não poucas, me entristeço comigo mesmo…
    E o que serve muito mais ainda para mim é 1 Jõão 3:18 – “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade.
    1 João 3:18”.

    Paz!

    MJ

    • Oi, Marcão,
      .
      obrigado pelo carinho de sempre, querido.
      .
      O teu incômodo é extremamente saudável, Marco. Só não se esqueça de uma coisa: a comida que você deu aos mendigos muitas vezes pregou Jesus muito mais do que se vc ficasse duas horas expondo o plano de salvação. Exemplo, atitude, reflexo do brilho de Cristo. Esse é o caminho. É Jesus em atos. As palavras se seguirão naturalmente.
      .
      Aquele abraço, meu mano, no amor que nos une,
      mz

  14. solange vieira disse:

    Bom dia !

    Ai,ai, estou em um propósito firme em ser uma pessoa melhor e ai novamente me deparo
    com um texto que mexe com minha alma.
    Que DEUS tenha misericórdia de mim por todas as vezes que fui religiosa no mal sentido e não permita que eu venha incorrer neste ato.
    Obrigado mais uma vez por se deixar ser usado,que DEUS lhe abençoe em sua infinita graça.
    Abraços fraternosos em CRISTO.

    • Oi, Solange,
      .
      ser confrontado por verdades bíblicas é uma bênção. Dói, mas liberta e transforma. Louvo a Deus por este texto ter te confrontado (para o bem, graças a Deus).
      .
      Beijo fraterno no amor de Deus,
      mz

  15. andreia disse:

    Olá mano, um clmaor faço ao Senhor…. que Ele poça sempre me dar os seus olhos para contemplar aos necessitados….. Facíl??? imagina….. mas extremamente gratificante…….
    Palavras SEMPRE abençoadoras…..

    Que o óleo da Unção não te falte.

    Paz,

    Andreia Araujo

  16. Vicente Neto disse:

    Paz Zagari

    Muito bom seu post, hoje em dia, muitos blogueiros até influentes principalmente à jovens que postam coisas no facebook, estão travando uma verdadeira batalha de acusações, fofocas e debates agressivos na vertente da guerra ideológica entre os que são de esquerda versus os que são de direita. Meu irmão, tenho acompanhado alguns por ai, e vejo que eles são implacáveis uns contra os outros, estão compartilhando do vinho em que há a contenda, por causa de diferenças teológicas…..

    Não há o diálogo muitas vezes até entre irmãos da nossa própria igreja onde congregamos… existe a distância entre o que se fala com a mensagem de Jesus….

    Vemos na bíblia que “O homem perverso espalha contendas…” Provérbios 16:28-33…..

    É melhor agimos como mais sinceridade de coração olhando pra dentro da gente… antes de arremessarmos pedras nos outros…..

  17. Alessandro disse:

    Boa noite Mauricio que a Paz do Senhor seja contigo e sua família.

    Como as coisas do Reino são engraçadas, ontem antes de dormir meditei no livro de Tiago e fiquei com uma pergunta na cabeça, qual éra o significado da palavra Religião no sentido do texto, ja que uma vez eu tinha lido aqui mesmo no Apenas pelo texto Religão, Dogmas e outros palavrões, por sinal excelente texto e tinha visto essa definição do Religare. Fiquei hoje com essa pergunta o dia inteiro na mente e agora antes de dormir resolvi dar uma passadinha no Apenas, vi esse tema e falei , vamos dar uma olhada haha, antes de vc expor o texto do livro de Tiago eu ja tava pensando em te perguntar qual seria o significado da palavra no texto em grego, mas como vc foi mais rapido que eu nem precisei kkkkkkkkk. Que Deus te abençoe em medidas maiores que seus textos tem abençoado minha vida e de muitos leitores. Mais um excelente texto, parabéns.
    Abraços
    Alessandro Melo

  18. Adriano Martins de Oliveira disse:

    Boa tarde irmão, li vários artigos seus, muito bom e de grande edificação.
    Deus continue te abençoando.
    abraços

  19. SUELI disse:

    Olá Mauricio,tudo bem com você? desejo sinceramente que sim meu amigo e irmão em Cristo.
    Meu querido ontem eu vi esse vídeo que se refere a convocação do Papa Francisco aos Protestantes á se reconcialiarem com a igreja católica,e me parece que muitos lideres estão aplaudindo de pé essa situação.O fato é que muitos infelizmente não tem uma base sólida pra viver esses tempos de confusão,já que nas igrejas o que se prega hoje é que nascemos pra vencer,e muito pouco ou quase nada se fala sobre as dificuldades e as tribulações que viriam a acontecer nos últimos dias.
    Portanto gostaria de pedir a você que assistisse ao vídeo se é que ja não o fez,e que publicasse algo a respeito a luz da palavra de Deus,temos muito pouco conhecimento das profecias apocalíptica,pois muitos pastores parecem ter medo de pregar sobre isso,talvez porque nem saibam mesmo,eu pelo menos nunca ouvi nehuma pregação falando nesse contexto, ficaria muito grata se você nos ajudasse a esclarecer dentro do possível sobre esses acontecimentos.
    Abaixo está o link: Obrigada Mauricio.

    http://terceiroanjo.com/video-do-papa/#.UxeYysef_9A.facebook

  20. […] Hoje começa a Copa do Mundo. Assisti a um excelente programa de televisão estrangeiro, em que o apresentador John Oliver analisa esse evento de forma coerente e divertida. Se você fala inglês, recomendo assistir ao vídeo inteiro, é muito bom (veja AQUI). O que mais me chamou a atenção foi a explicação que Oliver dá ao fato de que, apesar dos inúmeros absurdos envolvidos na realização desta Copa e dos descalabros praticados pela FIFA, ainda assim as pessoas estão empolgadas com a competição e ansiosas pelos jogos. Para ele, a razão é que “futebol é como uma religião”. Fiquei pensando sobre isso e gostaria de compartilhar algumas reflexões sobre o assunto. O que leva alguém a comparar um simples esporte a algo tão sublime, transcendente e celestial como uma religião? (E entenda que me refiro a religião como o religare do homem com Deus e não a um sistema engessado de práticas e liturgias. Se desejar entender melhor essa diferença você pode ler este post). […]

  21. […] A Copa do Mundo começou. Assisti a um excelente programa de televisão estrangeiro, em que o apresentador John Oliver analisa esse evento de forma coerente e divertida. Se você fala inglês, recomendo assistir ao vídeo inteiro, é muito bom (veja AQUI). O que mais me chamou a atenção foi a explicação que Oliver dá ao fato de que, apesar dos inúmeros absurdos envolvidos na realização desta Copa e dos descalabros praticados pela FIFA, ainda assim as pessoas estão empolgadas com a competição e ansiosas pelos jogos. Para ele, a razão é que “futebol é como uma religião”. Fiquei pensando sobre isso e gostaria de compartilhar algumas reflexões sobre o assunto. O que leva alguém a comparar um simples esporte a algo tão sublime, transcendente e celestial como uma religião? (E entenda que me refiro a religião como o religare do homem com Deus e não a um sistema engessado de práticas e liturgias. Se desejar entender melhor essa diferença você pode ler este post). […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s