Ultimamente tenho meditado muito sobre o amor de Deus. Tenho lido sobre sua graça e sobre seu perdão, que são frutos de seu amor. Um amor tão mal-compreendido, tão humanizado em nossos louvores e concepções.  Algo tão acima da capacidade humana – de compreender, aceitar, reproduzir. A maior e, provavelmente, única forma que o ser humano tem para se aproximar do amor de Deus é vivenciando, experimentando, sendo alvo desse amor. E quando conseguimos, quando sua suave presença nos alcança, sentimos o seu perdão sobre nossa multidão de pecados e a concepção que temos sobre Cristo e sobre seu relacionamento conosco muda totalmente: entramos numa nova dimensão na nossa caminhada de fé. E nos tornamos, creio eu, cristãos melhores.

As duas passagens principais que falam sobre o amor de Deus são as conhecidíssimas João 3.16 e 1 Coríntios 13. Tenho aplicado nos últimos tempos em minha vida o método de leitura da Bíblia de meditar por vezes uma semana um único trecho, estudar sobre ele em fontes diversas, deixar-me “engravidar” daquela passagem e das lições e virtudes ali contidas. Fiz isso em João 3.16, pois esse versículo é repetido tantas vezes nas igrejas que sua magnitude se banaliza e chega a passar despercebida por nós. Leia com atenção e vamos até além, ao normalmente ignorado versículo 17:  “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele“. Que extraordinário. Que sublime. Que humilhante.

Deus amou a mim e a você de tal forma que por isso abriu mão de sua glória celestial, de estar assentado no trono sendo louvado dia e noite pelos anjos, para vir à terra, sentir frio, calor, dor, desprezo, acusações, solidão, a coroa de espinhos, o açoite, a Cruz. E qual foi a única razão que o levou a isso? Dar a seres pecadores, desprezíveis, falhos, desobedientes, egoístas e rancorosos a vida eterna. Ou seja: Deus amou a mim e a você tanto que abriu mão de castigar-nos com o fogo que nunca se apaga, como seria justo, para exercer a misericórdia, sacrificar-se e, assim, conceder-nos vida eterna: o direito de passar os bilhões de anos que virão pela frente junto a Ele. Em outras palavras, o amor de Deus fez tudo isso para que nós pudéssemos estar juntos por toda a eternidade, glorificando seu santo nome.

O Filho, ao encarnar-se, sabia que viria por quem não o merecia. Eu não mereço o amor do Senhor. Pois pequei e destituído estou da glória de Deus. Não, não mereço. Mas mesmo assim Ele olhou para este saco de ossos, pele, defeitos, doenças, podridão que eu sou e… me amou. Quem entende? Só entende quem compreende a graça. Esqueça as frases feitas que você responde de bate-pronto: “O que é graça?”. “Favor imerecido”. Ok, sabemos disso. Mas vamos tentar parar e refletir mais profundamente sobre esse conceito.

Graça é Jesus, o Santíssimo, o Puríssimo, o Cordeiro sem mancha… fazendo-se como alguém nada santo, nada puro, cheio de manchas, justamente para trazê-lo para si e dizer: “Apesar de tudo isso, se te arrependeres, ainda assim terás o meu perdão, esquecerei teus erros, desafiarei como teu advogado junto ao Pai que atirem a primeira pedra e estaremos juntos no Paraíso”. Chegam a vir lágrimas nos olhos só de pensar nisso. O conceito de graça desafia nossa inteligência, nosso senso de justiça, tudo o que é humano. Pois somos ególatras, vingativos, rancorosos, imperdoáveis. Somos impiedosos. Literalmente: sem piedade. Somos o contrário exato de Cristo. O pecado que carregamos dentro de nós nos desfigurou a esse ponto. É por isso que dependemos tanto da soberania do Senhor: porque somos tão opostos que sem Ele nada podemos fazer.

O versículo 16 por si só já é magnífico, por revelar o caráter do Cordeiro. Um caráter traduzido em domínio próprio. Mansidão. Fé. Bondade. Amabilidade. Paciência. Paz. Alegria. E… amor. E no versículo seguinte vem a coroação: “Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele“. Isso me emociona. A humanidade é uma desgraça. Eu e você somos atoleiros de pecados. Somos o vômito do cão. Somos dignos do inferno. Quem discorda disso não entendeu o que o pecado fez com o gênero humano, como nos tornou totalmente depravados e como somos o avesso de Cristo. Merecíamos, todos nós, o veredicto: CULPADO. Não adianta, meu irmão, minha irmã, eu e você nascemos com esse veredicto escrito em nossas testas. Nossa sentença deveria ser a mesma do diabo: o lago de fogo e enxofre. Mas aí… entra em cena o amor de Deus.

E esse amor diz que Cristo não veio para dar esse veredicto. Que Ele não veio julgar. Não veio nos condenar. Jesus não veio à terra com prego e martelo nas mãos para nos executar – como merecemos – e nos crucificar. Ele veio com as mãos e os pés expostos em oferta para que eu e você fossemos salvos por ele. Meu Deus, que amor incompreensível! Nós não sabemos nem dar a outra face, nascemos com gosto de sangue e de rancor na boca, enquanto Ele estendeu seu amor, como se dissesse: “Não mate o culpado, mate a mim, o inocente, eu me dou no lugar dele. Eu o perdoo. Eu não o condeno. E, com isso, eu o salvo. E que creiam nisso, para que este meu gesto permita o que eu mais quero: estar a eternidade ao lado dele – desse grande pecador arrependido pela minha graça”.

Não tenho como descrever, definir ou explicar o amor de Deus. Sinto-o apenas em ação, no perdão que ele me estende. O que eu fiz para merecer isso? Absolutamente nada. Nem mesmo crer nele é mérito meu, visto que o arrependimento dos meus pecados é fruto da atividade daquele que convence do pecado, da justiça e do juízo. Deus me estende a graça. Deus me dá a fé. Deus me convence do pecado. Deus intercede por mim como advogado. Deus me regenera. Deus me justifica. Deus me põe de pé. Tudo vem de Deus. Tudo. A mim resta agradecer, louvar e adorar por esse amor. Do qual tenho absoluta certeza que não sou digno.

1 Coríntios 13 apenas corrobora tudo isso. Ao contrário do que muitos pensam, o amor ali descrito não é o humano, é o ágape, o amor de Deus. Usar 1 Coríntios 13 numa carta para sua namorada, por exemplo, é um erro de interpretação bíblica. Venha lendo desde o capítulo 12 e no contexto verá que está sendo falado sobre os dons de Deus. E esse capítulo descreve o amor de Deus. Nenhum, absolutamente nenhum humano ama ou é capaz de amar daquela maneira. Só Deus. Só Deus.

Que o Cordeiro seja glorificado por esse amor, traduzido na graça que nos permitirá passar a eternidade ao lado dele… amando. Como será a vida eterna após a morte para os salvos? Não sei com certeza. A Bíblia dá algumas pistas. Mas de uma coisa tenho certeza: os eleitos de Deus viverão pelos séculos dos séculos experimentando o amor mais inexplicável que existe e já existiu em todo o universo. Um amor que hoje tem forma de Cruz, mas na eternidade terá forma de um homem com mãos e pés furados e os braços abertos para os arrependidos.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

.

Licença Creative Commons Direitos Reservados
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. É mandatório quem for reproduzir um post creditar: 1) Nome do autor. 2) URL do blog (com link). 3) Nome do blog: “APENAS”.  // Blog APENAS by Maurício Zágari is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 2.5 Brasil License.

Se você deseja aconselhamento, recomendo que procure seu pastor.

As reflexões expressas neste blog são pessoais e não representam necessariamente a posição oficial de nenhuma igreja, denominação ou grupo religioso.

.

Anúncios
comentários
  1. A paz de Cristo irmão Maurício

    Excelente meditação…. eu, quando leio textos sobre o amor de Cristo e lendo tbem sua meditação, um verso sempre me vem à mente: “Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram.” (II Cor 5:14).
    Aleluia!!
    Sou constrangido pelo amor perfeito em contranste com minha incapacidade de amar.
    Mas louvamos a Deus… por Seu amor longânimo sobre filhos afoitos e ansiosos, pecadores e rebeldes.
    Obrigado por mais uma vez compartilhar algo tão rico e, como vc mesmo escreveu, “um amor tão mal-compreendido, tão humanizado”, mas que quando analisados da forma correta, mais uma vez, nos constrange!!!
    Abraço forte!!! No verdadeiro amor de Cristo!!!

  2. sonia maria vicente disse:

    Adorei este artigo ,mais uma vez parabéns, Deus tem sido muito bom.

  3. Roseli disse:

    A paz do Senhor novamente Mauricio, parabens por mais um post inspirado por Deus, que jamais esquecamos do que somos e que somente o amor de Deus pode nos regenerar, um amor tao grande que jamais entenderemos. A Ele a honra e a gloria eternamente!!!

  4. Gessé disse:

    Muito boa a meditação …
    Deus nos ama tanto que um texto desse ainda fica curta pra explicar..esse Amor
    sem palavras..
    Deus o Abençõe irmão.. PAZ

  5. Ruthi disse:

    “Merecíamos, todos nós, o veredicto: CULPADO.”

    Sou um nada. Desprezível. Cheia de máscaras que precisam ser, retiradas, dia após dia, pelas mãos perfuradas do Cristo. Trago em entranhado em minha carne o desejo de pecar, pecar e pecar. Nada além disso. A única coisa que me faz levantar e caminhar é a Graça. Só por Ela vivo, só por ela respiro, só por ela posso chamar Deus, o Todo Poderoso, de Aba Pai. Não são pelos meus esforços, não é pela minha “justiça própria”, não é pelo meu “braço de carne”. É por causa da Cruz. É por causa do Sangue do Cristo. É por do Amor Incompreensível, da Maravilhosa Graça. Nada além disso.

    Paz, Zágari.
    No Cristo,
    “o Cordeiro de Deus”.

  6. Ágape. É o nome desse amor que ama incondicionalmente. Admitir isto numa sociedade como a nossa é um desafio, impossível entendê-lo e vivê- lo experimentalmente em sua plenitude. Todavia acho que quando no texto de cor 13 Paulo se refere a ele, deveriamos pensar que ágape ou caridade ( traduçāo que confunde este amor com a simples caridade) em algumas traduções, deve ser uma constante busca vivê-lo mesmo que imperfeitamente. Este amor é maior que todos dons e é o maior dos dons. Jamais alcançaremos vivência-lo, sequer endendê-lo plenamente. Todavia acho que devemos, em obediência ao nosso Mestre dos mestres, ao menos buscá-lo pois foi ele mesmo que disse: sede perfeitos como perfeito e o vosso Pai…. você não acha?

    • Wladimy, graça e paz!
      Sem duvida! A vida com Cristo é a eterna busca do impossível.
      Santidade, amor ágape, perfeição…alvos inatingíveis mas que nunca podem sair da mira.
      Abraço forte, na paz de Cristo!

  7. Libia disse:

    Zágari,
    Maravilhosooo!!!
    Deus te ilumine sempre, para confortar nossos corações.
    um abraço ,sua irmã Líbia.

  8. Lelê (Alessandra) disse:

    Maravilhoso texto!!!!
    Esse amor me deixa completamente constrangida!
    E é por isso, que Ele é Deus, por conseguir nos amar dessa forma. O AMOR sem nenhum interesse e sem nenhum defeito.E nós? Somos abarrotados de defeitos, imperfeições e calos no nosso coração.
    Mas Glória a Deus pq Ele existe e está entre nós e continua derramando as sua benção sob as nossas vidas. E olha que nao estou falando de benção material e sim da unica benção da salvação. Que por mais que não mereçamos Ele sempre nos abençoa e nos dá mais!
    Glória a Deus por mais este post!
    Com carinho,
    Lelê

    • Lelê,
      seu comentário não vale, vc é suspeitíssima.
      Mas o que vc disse sobre Deus é a pura verdade. Ele é perfeito. Nós imperfeitos. Glória a Deus!
      Um beijo grande no Sérgio, a recíproca é idêntica! “Malária é maneiro” tornou-o uma pessoa inesquecível. (:
      Deus te abençoe!

  9. Sabe Zagári, depois de ler o texto duas vezes eu devo dizer “Obrigada, Senhor por ter esse amor incompreensível! O que seria de nós meros pecadores sem este INCOMPREENSÍVEL AMOR!” Digo, devemos dar GRAÇAS A DEUS por esse amor ser assim tão… tao… rs, tão incompreensível!!!!! Que grande sorte a nossa, termos um Pai assim. Dá uma imensa alegria de saber que embora pecadora que sou, Ele me ama!!!!!!!!!

    Soli Del Gloria! Paz, irmão!

  10. Leandro disse:

    Querido irmao, gostei mto.
    Que Nosso Senhor continue te capacitando a falar desse Amor incondicional cada vez mais.
    Creio que essa eh a nossa arma mais poderosa. Que nos conecta com O Pai, com nos mesmos e com os nossos agregados, sejam amigos, familiares ou pessoas que pensam diferente de nos. Somente o Amor eh capaz de fazer isso tudo… Oro para que venhamos falar muito desse Amor e das maravilhas que esse Amor fez e faz nas nossas vidas. Um gde abraco.

  11. danielpc disse:

    Que lindo poder ler sobre esta Graça tão maravilhosa, e ver Maurício que Deus usa homens tão depravados como nós para falar deste tão grande amor. Um abraço meu irmão, e que o Espírito de Deus nos ajude nessa caminhada, como já tem nos ajudado tanto.

  12. Refletir sobre o amor de Deus nos constrange. Isso é bom, porque nos coloca nos nossos devidos lugares, os de servo. Que sua graça continue nos quebrantando e nos movendo a viver em gratidão e paixão pela glória do nome de Cristo. Pazz

  13. Carlos Mello disse:

    Olá Zágari quanto tempo!Enfim,belo texto, objetivo e muito completo. Também houve um tempo em que meditei sobre Jo 3-16, e senti o mesmo sentimento em que expressaste. Às vezes queremos ser tanta coisa, sempre almejar grandes lugares, holofotes sobre nós, reconhecimento, enfim, e quando tomamos esse “tapa na cara” acordamos e nos prostamos cada vez mais aos pés de Cristo; valeu Maurício vc fez valer meu dia! Fica com Deus! A paz.

  14. Fabiana disse:

    Maravilhosa meditação. O amor de Deus é algo tão incompreensível e grandioso que é impossível esgotar a reflexão sobre ele.
    a Paz

  15. Lourayne Natiely disse:

    Olááá Maurício sem palavras para comentar, texto belíssimo!
    Que amor infinito, perfeito, maravilhoso, meu Deus realmente pelos os nosso olhos não tem como explicar esse amor, só temos que sentir e agradecer com todo o nosso ser, por esse AMOR!
    Deus te abençoe Maurício, A paz de Cristo!
    Abração!

  16. Lana Benvindo disse:

    Ai isso é tãããããão liiiiiiiiiiinddoooooooooo!!! O amor de Deus em nossas vidas que só em ler essas coisas o meu coração quase saiu pela boca, de alegria e de felicidade por ser lembrada desse amor imenso e intenso que Ele tem por nós!! E pra ser sincera eu não fazia idéia que a eternidade do lado Dele será simplismente bilhões de anos, e isso é muito bom! E me fortaleceu muito a ponto de lembrar que as lutas que nós passamos neste corpo/tempo presente verdadeiramente não se compararão com a Glória que está por vir. Às vezes eu me pergunto: Que glória é essa a ponto do Sol não existir mais?? A resposta para essa pergunta só teremos (infelizmente) quando isso tudo passar, e assim reinaremos ao lado Dele e da turma toda! (Nossos irmãos em cristo, os personagens da bíblia que um dia conheceremos pessoalmente!)

    Esta palavra avivou o meu coração, Zágari, glória a Deus pela tua vida! Pois através de você, o Espírito Santo trouxe a resposta para algumas das minhas perguntas…

    Um grande abraço a todos, Paz seja convosco!

  17. aurea antunes disse:

    MEUS DEUS… QUE PALAVRA ABENÇOADA, FUI EXTREMAMENTE EDIFICADA.

  18. Juan Carlos disse:

    Glória a Deus por ter lhe inspirado nesta mensagem. Que Deus continue te abençoando.

  19. Fernanda disse:

    Oh Maurício, que lindo sua maneira de vê e explicar sobre a maravilhosa graça de Deus. Assim tbm me vejo como uma pessoa falha em todos os sentidos mas alcançada por esse AMOR inexplicável e imenso. Obrigada por sempre me edificar e ensinar através dos seus textos! Abraços querido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s