Santarrão. Antes de Jesus me converter eu nunca tinha ouvido falar dessa palavra. É um jargão da Igreja protestante usado para designar pessoas que basicamente ostentam uma aparência de santidade externa sendo pecadoras e que vivem pondo o dedo na cara dos outros por seus pecados. Em linguagem bíblica, seria gente com trave no olho mas que está sempre apontando o argueiro no olho dos outros. Pois bem, eu gostaria de confessar publicamente que sou um santarrão. Cheguei a essa conclusão depois de me analisar à luz da Bíblia. Mas vamos por partes. Tomando por exemplo a definição acima de “santarrão”, mostro aqui três constatações que me levaram a descobrir que sou um:

1. “Pessoas que basicamente ostentam uma aparência de santidade externa sendo pecadoras” – Começando pelo final da frase, confesso: eu sou um grande pecador. Sou pó, sou humano e carrego o pecado original. Nasci de novo em Cristo quando Ele me estendeu sua graça, mas isso não evita que todos os dias eu cometa uns 3 mil pecados. E isso antes de levantar da cama pela manhã. 1 João 1.8ss me denuncia: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós”. E, sendo eu um miserável pecador, confesso que apesar disso procuro sempre mostrar aparência de santidade. O que, aliás, é o que todo cristão faz, não? Ou você encontra seus irmãos em Cristo e eles saem gritando pelos corredores os pecados que cometeram? Usam camisas e bandanas onde se lê “Hoje eu menti” ou “Sou um tremendo glutão”? Os adesivos que põem em seus carros dizem “Invejoso e fofoqueiro a bordo”? Não. Porque nenhum cristão faz isso. Todos nós procuramos nos apresentar com aparência de santidade, mesmo nos conhecendo e sabendo do mal que em nós grita e viceja.  Todos.

2. “Que vivem pondo o dedo na cara dos outros por seus pecados” – Pensei bem e vi que também faço isso. Denuncio pastores hereges que arrastam multidões para o erro, alerto sobre os teólogos que ensinam doutrinas de demônios, chamo meus irmãos em Cristo para a responsabilidade com aquilo que creem. Curiosamente, mais uma vez ao fazer isso estou sendo bíblico: em 2 Timóteo 4.2 Paulo diz: “Prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina”. Ele também fala em  1 Timóteo 5.1: “Não repreendas ao homem idoso; antes, exorta-o como a pai; aos moços, como a irmãos”. Novamente repete a ordem em Tito 2.6: “Quanto aos moços, de igual modo, exorta-os para que, em todas as coisas, sejam criteriosos”.  No mesmo Tito 2.15 prossegue: “Dize estas coisas; exorta e repreende também com toda a autoridade. Ninguém te despreze”. E ainda poderíamos concluir com mais palavras de Paulo em Romanos 12.8a: “o que exorta faça-o com dedicação”. Então vejo bastante base bíblica para exortar, admoestar. Ou, como disse, “pôr o dedo na cara”.

Aí você poderia dizer: “Ah, Zágari, mas quem falou tudo isso foi o grande apóstolo Paulo, ele era um santo, tinha moral para isso. Que moral você tem?”. Eu rio ao ouvir isso, pois é curioso que as pessoas não percebem quão pecador Paulo era. Dou só três exemplos bíblicos. Em 2 Coríntios 12, o apóstolo conta que Deus o arrebatou ao Paraíso, onde “ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir”. Só que Deus sabia que Paulo era humano e que estava passível de sentir soberba por aquilo, pecador que era. Então o que o Todo-Poderoso faz? “E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte”. Para ajudar Paulo a combater o autoengrandecimento, o Senhor põe o tal espinho na carne dele. Para auxiliá-lo a não pecar pela soberba.

Segundo exemplo da pecaminosidade de Paulo: em Gálatas 2.11  ele confessa: “Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resisti-lhe face a face, porque se tornara repreensível”. Em outras palavras, Paulo teve um belo de um bate-boca com Pedro. Parece que o apóstolo tinha lá seus momentos de pega-pra-capar com os irmãos. E se essas duas provas não bastam e parecem especulativas, vamos ao terceiro exemplo: Atos 15 revela que o cabeça-quente Paulo mais uma vez entrou em uma briga com um irmão: “Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Voltemos, agora, para visitar os irmãos por todas as cidades nas quais anunciamos a palavra do Senhor, para ver como passam. E Barnabé queria levar também a João, chamado Marcos. Mas Paulo não achava justo levarem aquele que se afastara desde a Panfília, não os acompanhando no trabalho. Houve entre eles tal desavença, que vieram a separar-se”. Note que a expressão “tal desavença” mostra que não foi uma simples discordância, mas uma divergência tão feia que fez a dupla de irmãos missionários rachar. Sim, Paulo estava sujeito a soberba, a brigas e desavenças com irmãos na fé: tudo pecado.

3. “Gente com trave no olho mas que está sempre apontando o argueiro no olho dos outros” – Já disse: sou um tremendo pecador. Se eu cruzasse comigo na rua provavelmente atravessaria para a calçada do outro lado. Sei o mal que há em mim. No meu olho há uma trave maior do que a do Maracanã. E sim, como eu disse, estou sempre apontando o erro dos outros, dizendo qual é o cantor gospel cuja letra é mundana, falando que o sacerdote x ou y ensina teologias demoníacas e anticristãs – como a da Prosperidade, a Relacional, a da Confissão Positiva, a Liberal e outros pensamentos  que por fora se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia. Eu faço isso, basta ler meus posts aqui no blog APENAS. No meu livro “A Verdadeira Vitória do Cristão”, então, sai de baixo, denuncio o triunfalismo mentiroso dos pregadores hereges e manipuladores da primeira à última página – com provas bíblicas e históricas. Como amo Cristo e a Igreja, vivo apontando o argueiro nos olhos dos enganadores do povo de Deus, dos que usam dinheiro sagrado em benefício próprio, das celebridades gospel arrogantes, dos pastores vaidosos, dos lobos em pelo de cordeiro. Confesso: sim, eu faço isso.

Portanto, cumpro todos os requisitos para ser chamado de santarrão: peco, busco ter aparência de santidade, denuncio o pecado alheio. Taí, inegável, sou mesmo um santarrão. Porém…

…essa constatação nos leva a uma ponderação: como sou um santarrão devo me calar? Fechar o APENAS? Deixar de escrever livros? Deixar de proclamar o Evangelho? Isso faz de mim alguém  indigno de anunciar as verdades do Reino e a salvação por Cristo? Eis o ponto. Independentemente de eu ser um santarrão, Deus continua sendo Deus, Jesus continua sendo o caminho, o pecado continua sendo pecado. Um aspecto interessantíssimo que 1 Pedro 1.12 nos revela é que os anjos pediram a Deus o privilégio de anunciar o Evangelho. Faria sentido: seres sem pecado pregarem contra o pecado. Mas, veja você, quem é que o Altíssimo comissiona para proclamar as boas-novas de salvação, a santidade, o mau cheiro do pecado? Marcos 16 e Mateus 28 deixam claro que essa grande comissão foi delegada aos homens pecadores. Extraordinário. Pecadores necessitados de arrependimento denunciando o pecado de pecadores e os chamando ao arrependimento. Isso é hipocrisia? Se for, meu irmão, minha irmã, eu e você que anunciamos – sendo pecadores – que o pecador necessita se arrepender dos pecados e se voltar para Cristo somos gigantescos hipócritas.

E, sabendo que todo homem peca, todo cristão busca a aparência de santidade e que todo salvo para proclamar o plano de salvação teria de pôr o dedo na cara do pecador, sendo ele próprio pecador, e dizer “arrependa-se dos seus pecados”, é justamente a todo homem manchado pelo pecado que Deus ordena que proclame a salvação por meio do Cordeiro sem mácula. Não é fascinante?

Em 2 mil anos de História da Igreja houve milhões e milhões de cristãos que proclamaram o Evangelho. Que chamaram pecadores ao arrependimento em Cristo. E absolutamente todos eles eram tremendos pecadores. Paulo: pecador, soberbo, brigão, mas é esse o homem que escreve sobre o amor em 1 Coríntios 13. Pedro: impulsivo, cortou a orelha de Malco, negou Cristo três vezes, e é esse que escreve na Bíblia: “segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo”. Tremendos santarrões.

Mas vamos além: Agostinho, o grande teólogo dos primeiros mil anos de Igreja, era um conhecido rabo de saia.  Lutero, o grande Reformador, vivia bêbado. Calvino, o teólogo da Reforma, ajudou a condenar um homem à pena de morte. Consta que John Wesley viajava tanto para pregar porque vivia às turras com a esposa e viajar era um alívio. Charles Spurgeon (conhecido como “o príncipe dos pregadores”) era um fumante convicto e pufava montes de charutos por dia, a ponto de ter defendido esse hábito de púlpito e dito que “fumava para a glória de Deus”. Dietrich Bonhoeffer, mártir da Igreja no século 20, arquitetou planos para assassinar Hitler. Mauricio Zágari, escritor de alguns livros cristãos, tem tantos pecados que não caberiam num post. E você, será que se enxerga no meio de tão grande nuvem de testemunhas… pecadoras? Todos chamados por Deus para de alguma forma proclamar o Evangelho, a Cruz, a santidade, o arrependimento de pecados, Jesus Cristo. Todos poços de pecados. Logo, todos santarrões.

Sim, eu peco. Sim, procuro manter a aparência de santidade mesmo pecando. Sim, eu denuncio os erros dos outros tendo eu muitos erros. Sim, eu sou um santarrão. Mas Deus é Deus, independente de mim, e eu amo a mensagem da Cruz. E até morrer eu a vou proclamar.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

.

.

Direitos Reservados
O conteúdo deste site é de divulgação livre para fins não comerciais. É mandatório quem for reproduzir um post creditar: 1) Nome do autor. 2) URL do blog (com link). 3) Nome do blog: “APENAS”.

Licença Creative Commons Blog APENAS by Maurício Zágari is licensed under a Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial 2.5 Brasil License.

As reflexões expressas neste blog são pessoais e não representam necessariamente a posição oficial de nenhuma igreja, denominação ou grupo religioso.

Anúncios
comentários
  1. Caro Zágari
    Concordo contigo mano. Estamos todos no mesmo barco. O que me deixa mais indignado é ver líderes que se colocam num patamar de santidade sem admitir que também estão enquadrados no verídico da Bíblia: todos pecaram (e pecam) por palavras, por atos e omissões, etc. Esta semana no Programa do Ratinho, ao entrevistar o Lula, o apresentador enalteceu o auto denominado ápostolo Valdomiro, o que deixa claro, para quem tem discernimento qual o espirito que esta atuando no referido ministério. Porque será que como corpo de Cristo não demostramos mais indignação contra estes crapulas que se utilizam da boa fé do povo iludido por desconhecer a Palavra de Deus? Que acredita em qualquer coisa que estes caras falam? O que podemos fazer? Somos como uma voz clamando no deserto? Haverá um tempo agora, não no porvir, no porvir certamentehaverá, quero ver agora, em que veremos estes bandidos pagando pelos seus crimes? O que vemos é eles cada vez mais fortalecidos ,poderosos, bajulados, donos de grupos midiaticos formadores de opinião, como se diz por aqui, no nordeste, por cima da carne seca? Não da vontade de gritar?

    • Olá, Wladimy,
      sim, dá vontade de gritar e com razão.
      Mas eu penso assim: quando a luz se acende as trevas se dissipam. Se proclamarmos Cristo, que é a luz, todo esse mal e podridão serÕ desmascaradoS. Porque quem vê a Cruz não permanece cego. Então proclamemos as boas-novas de salvação, anunciemos o Mestre e falemos sim – mas com temperança – contra os anticristos.
      O resto, querido, deixo com o Justo Juiz.
      Deus o abençoe, com sua graça e seu amor.

  2. Ree disse:

    Gloria a Deus!!!!! Remidos e justificados pelo sangue de Cristo, Gloria ao Senhor!!!
    Vc se superou nesse texto, Deus falou e vc nos contou com unçao e coragem.
    Lindo.
    Bj no ombro

  3. Carol Rodrigues disse:

    Maurício,
    Quantas vezes renego meu chamado por achar que não tenho condições de faze-lo por ser pecadora ao extremo. Mas a verdade é que sou mesmo, e quando constato isso, aí que tento fugir mesmo….
    Mas, mais uma vez o Pai te usou pra falar ao meu coração com esse texto!
    Que coisa maravilhosa é a Palavra do Senhor… Como nos dá respostas o tempo todo, para todo questionamento que surge!
    Maravilhoso é ver a graça e o amor abundante que o Senhor derrama sobre nós a cada dia, esquecendo e perdoando os nossos milhares de pecados diários e nos dando a chance de fazer algo tão honroso quanto proclamar sua verdade.

    Que o Altíssimo esteja à tua frente em todos os seus dias, que ele te preencha com o Teu amor e que seus dias aqui na Terra sejam cheios da Verdadeira vitória do Cristão.

    a Paz e um beijo,

    Carol

  4. Leandro disse:

    Querido Mauricio, ha poucos dias atras tive o prazer de conhecer o seu blog, e lhe confesso que ja li uma boa parte de seus posts. Qto a sua obra espero ler seu ultimo livro em breve, pois como moro fora do Brasil, talvez terei de esperar ateh quando visitar nosso querido pais. Mas quero lhe dizer algumas coisas. Encontrei com Nosso Senhor ha quase 5 anos atras. E como medico posso lhe dizer que a transformacao foi brutal. Muito rapida, e poderosa. Vim para um pais arabe com apenas 1 ano de convertido. Tinha medo de nao encontrar um lugar para congregar aonde moro. Hoje temos esse lugar, mas nao eh como a nossa querida igreja brasileira. Realmente Deus nos abencoou com algo sublime. Pois a nossa igreja eh abencoada pela presenca do povo brasileiro, que eh conhecido como um dos povos mais cosmopolitas, pacificicos e receptivos que se conhece. Nesse universo todo de busca pelo Alimento (Palavra de Deus) particularmente tenho sofrido umpouco. Pois como se sabe, Deus eh Amor. A igreja brasileira eh uma igreja mestra em tudo, mas ainda nao ama. E o pior, esta se distanciando disto cada dia mais. A maioria dos Homens de Deus do Brasil fala de tudo, mas muito pouco do Amor. E eh aqui que quero lhe falar. Podemos ficar aqui fosforilando dias e dias, mas sem o Amor tudo se perde. Se eu nao amar o muculmano devo voltar para a casa. Se eu maltratar pessoas que pensam diferente de mim como irei falar deles a respeito de Nosso Senhor? Enquanto isso, vejo de fora o banquete que temos no Brasil e enquanto aqui fora lutamos para receber um pouco, talvez o que cai da mesa… Gosto de alguns pregadores como David Wilkerson, Paul Washer, Ed Rene Kivitz e Paulo Junior, mas o que eu mais sinto falta eh o pregar o Amor. Porque que ao inves de ficarmos falando desta terrivel verdade que assola a nossa igreja e adjacencias, nao olhamos para frente, e falamos do Amor Dele para conosco e do nosso para com o proximo? Porque a igreja sabe do que se passa, e o juizo de Deus vai comecar dentro dela mesmo, querendo ou nao. Entao vamos atras dos perdidos, pois eu te pergunto: Se Jesus voltasse hoje, ele iria a igreja? Ou iria atras dos perdidos? Gde abraco, parabens pelo seu trabalho, e oro para que Nosso Senhor continue te abencoando e capacitando poderosamente, em Nome de Jesus.

    • Olá, Leandro!
      que palavras fortes! Fiquei tocado pela tua experiência. Em especial, quando vc diz “A igreja brasileira eh uma igreja mestra em tudo, mas ainda nao ama. E o pior, esta se distanciando disto cada dia mais”, pois essa é a triste realidade.
      Entendo a sua critica, mas penso que o povo só conhecerá o verdadeiro amor se esse for pregado de forma bíblica. Enquanto o amor pregado for um amor mundano, distorcido, oriundo de heresias, ninguém conhecerá o verdadeiro amor. Pois o verdadeiro amor só provém de Cristo, que é amor. Então, por exemplo, os kardecistas amam. Mas amam do modo deles. Se eu pregasse esse amor como seria?
      Então vemos que na própria Bíblia Paulo adverte contra pessoas como Demas e Alexandre (o latoeiro), vemos João escrevendo suas epístolas para alertar o povo contra as heresias dos cristãos gnósticos e enxergo todos esses alertas como fruto do amor que esses homens tinham por Cristo, a Igreja e a sã doutrina. É esse amor que tenho tb, querido, pois quando critico os falsos mestres estou amando aqueles que por eles são enganados e estão sendo desviados do caminho da verdade, entende? Eis o porquê. Não é um “ataque raivoso” que deixa de fora o amor. Pelo contrário. É o amor que se expressa na forma de purificar a Noiva de Cristo daqueles que tentam estuprá-la, violentá-la, enganá-la. Espero que isso fique claro pra ti.
      .
      Deus o abençoe, querido.

  5. Lelê (Alessandra) disse:

    Mauricio,
    Faço minhas as suas palavras.
    “Sim, eu peco. Sim, procuro manter a aparência de santidade mesmo pecando. Sim, eu denuncio os erros dos outros tendo eu muitos erros. Sim, eu sou um santarrão. Mas Deus é Deus, independente de mim, e eu amo a mensagem da Cruz. E até morrer eu a vou proclamar.”
    É isso que eu penso!
    Eu sou uma pecadora mesmo, mas Deus usa de toda a Sua misericórdia comigo e com todos aqueles que creem!
    Eu creio um milagre muito maior Ele fará!
    Deus abençoe a vida da familia!
    No amor do Mestre!

  6. Marco Juric disse:

    Bom dia Zágari!!!!!

    Cara, sabe essas coisas que existem, tipo uma colmeia de abelha, e que por mais que a ciência tenha a explicação matematicamente exata para sua existência, bem como para a existência e habilidade de seus engenheiros e arquitetos; as abelhas, e para o saboroso e nutritivo mel que produzem, mas que no fundo um cristão sabe que existe algo a mais para que aquela maravilha aconteça; Deus. Pois então é isso que no fundo vejo em seus textos (já com os olhos molhados).
    Sei que Deus nos criou e nos deu inteligência e talentos, mas existem coisas que fogem ao “normal” e ao “natural” de todos os seres humanos, e nisso, assim como no caso das colmeias, vejo Deus agindo com sua infinita misericórdia e amor.
    Como alguém como eu, que está a mais de 20 anos “aos pés de Gamaliel” (quem tem ouvidos ouça) pode ser impactado com tamanho poder por suas palavras? Como? Como, senão por Deus?
    Verdadeiramente Deus usa quem Ele quer.
    Se Deus se fez homem e se manifestou como um de nós, um filho de carpinteiro, alguém que tinha “cheiro” de gente como nós, certamente continua usando gente como nós, para que pelo exemplo de um pecador, o que todos nós somos, possamos ser estimulados a continuar procalmando a Salvação e a viver sob a Palavra de Deus, certos de que assim como os apóstolos eram, assim somos também.

    Zágari, que Deus continue sendo generoso e misericordioso conosco, lhe dando muitos anos de vida inspirada, por Ele.

    God bless you!

  7. Luiz Fernando disse:

    A paz do Senhor irmao Mauricio.
    Bom eu li o seu post e achei engraçado. Ontem mesmo no culto a noite, cheguei com a cara enburrada e dizia eu comigo mesmo que nao falaria com ninguem, achando que eu era o santarrao e o resto erradao. Estava chateado com algumas coisinhas, coisas bobas, sabe. mas eu pensei comigo msm ao ler o seu post que, eu vim do mundo, cheio de pessoas engadoras, invejosas, mentirosas, caluniadoras, falsas etc. E vi que se eu estou na caminhada com o Perfeito, deveria seguir o Ser perfeito que nuca jugou, nunca apontou o dedo na cara de ninguem, sempre com palavras doces e amaveis. Se ele que tem todo o poder para julgar, para condenar, quem sou eu para apontar o erro de alguem, eu que sou um pecador profissional. Mas quero parecer sempre um santarrao, logo eu que sou um miserável pecador. Mais esse post como sempre veio em uma ótima hora. Deus te usou para me da um “acorda sem noção”. Eu vou continuar a fazer minha parte, amando meus irmão incondicionalmente de pecado ou não pecado, ou carácter duvidoso. afinal, não devo julgar, porque eu não vou dar conta do que meu irmão falou ou fez no grande Dia, mas sim do que eu falei e fiz.
    Abraços amado na paz do Deus perfeito.

  8. To no mesmo barco, manão!! Sou mais um santarrão. .rsr!

  9. Lincoln Negrão disse:

    Maurício, profundo e verdadeiro. Confesso que esse post veio para acalmar meu coração em meio às turbulências de nossa caminhada! Estava precisando lembrar disso. Bom também é saber que em meio a tão grande nuvem de testemunhas, continuaremos sendo falhos, pecadores e cheios de defeitos, mas também ávidos por um despertar dos que dormem, angustiados com as heresias que brotam nos dias de hoje e aptos a corrigir e exortar aos que se desviam do verdadeiro evangelho.
    Que Deus lhe abençoe a cada dia e que possamos sobrepujar as acusações que nos são feitas (que até caberiam aos santarrões, como nós), afinal: “Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica”.

  10. Eduardo de S. Codazzi disse:

    Irmão Mauricio, muito obrigado por tirar um peso de minha cabeça e por dar argumentos simples mas esclarecedores, digo isso pois muitos se iludem ao pensar que só pessoas santas podem exortar os pecados dos irmãos mas afinal de contas o unico homem santo que existiu foi Jesus e ele mesmo pediu que nós, que não somos santos por mérito mas pelo sangue derramado do Senhor somos perdoados, exortemos o irmão, graças a Deus você conseguiu desmascarar essa mentira.

    • É isso, Eduardo. É uma das ilusões pseudocristãs – que não justifica vivermos pecando, mas retira de nossos ombros um peso que não deveria existir.
      A paz que excede todo o entendimento seja contigo.

  11. Bruno Gomes Leal disse:

    Muito bom, compartilhando com meu ciclo de amigos, também sou um Santarrão! Boa essa expressão apesar de nunca ter ouvido falar dela.. rsrs

  12. lucileudo disse:

    “Há pecado até na nossa santidade, há incredulidade na nossa fé; há ódio no nosso próprio amor; há lama da serpente na mais bela flor do nosso jardim.” C.H.Spurgeon

  13. Jacy disse:

    “Sim, eu sou um santarrão. Mas Deus é Deus, independente de mim, e eu amo a mensagem da Cruz. E até morrer eu a vou proclamar.”
    Ler estas palavrinhas no seu blog me dá a sensação de tirar toneladas de fardo de minhas costas, afinal peco não nego e sei que o meu Redentor vive!
    🙂 abraços fraternos!

  14. André disse:

    Faço minhas as suas palavras neste post, amigo Maurício.
    Um forte abraço deste grande pecador,

    André Neves

  15. A Paz do Senhor Jesus…simplesmente o melhor post que li este ano…sensacional…parabens servo de Deus pela coragem e ousadia, intrepidez, (sei que essas palavras significam basicamente a mesma coisa), demais, demais demais, Deus teabençoe…estou seguindo este blog a aprtir de hoje
    Em Cristo
    Pr Ivair J. Lehm, (o grande pecador de Lucelia- SP)

  16. Luiz Fernando disse:

    Varao a paz.
    Sei que nao nada a ve com o post. Mas gostaria de lhe perguntar algo. O que voce acha sobre a pessoa de Juanrib Pagliarin. Gostaria de saber sua opiniao como jornalista, teologo, e opiniao pessoal tambem. Se puder por favor me responda.

    A paz do Santo dos santos.

  17. Lucas Ivo disse:

    Irmão Maurício me perdoe mas eu tenho que discordar um pouquinho de voce e dos otros bróders acima….o “santarrão” no real da palavra, seria um legalista hipócrita, como os fariseus….Impoem um jugo tão pesado que ninguem suporta,e o pior que esse fardo é baseado em preceitos humanos na sua maioria…o santarrão se acha no direito de apontar pras pessoas, sendo que ele tb não pratica essa “lei”….A respeito do pecado todos somos pecadores…mas há uma grande diferença entre um “perdido” e um “arrependido” e salvo por Cristo….Voce num é santarraõ Maurício….rs…voce é um Apologista cheio do Espírito Santo.Deus abençoe

    • Lucas, mano querido,
      entendo sua colocação, só creio que estamos falando sobre duas faces da mesma moeda.
      De qq modo, sua observação certamente vale uma reflexão.
      Deus o abençoe! Abraço forte!

  18. lucileudo disse:

    Que o Deus que nunca pecou te abençoe sempre ir. Zágari.

  19. Matheus Henrique disse:

    Olá Zágari,

    Acho que é o primeiro comentário que farei aqui no APENAS, embora seja seu leitor faz bastante tempo. Quero dizer, primeiro, que sou extremamente edificado pelos seus artigos. Continue assim. Sou um jovem a quem Deus libertou das trevas de um falso evangelho (o “evangelho triunfalista neopentecostal da prosperidade de positivas confissões” 😛 ). Tenho entendido o que verdadeiramente o Senhor quer de mim, a saber, humilhar-me diariamente, reconhecer quão pecador eu sou, dependente da Graça e, claro, proclamar as Verdades bíblicas que o Espírito tem me mostrado. Assumo que enfrento muitos desafios. Ainda estou numa igreja que prega todas as heresias que citei. Me dói cada dia mais ver o povo de Deus iludido. Me dói ainda mais não poder falar abertamente sobre isso na minha igreja. Eles não aceitariam. Mas, pois bem, este é só um pouquinho da minha história. Talvez Deus permita-me contar mais em breve.

    Escrevi, mais, para saber sua opinião sobre dois pontos relacionados ao artigo em questão:

    1) Percebo quão verdadeiro e bíblico foi o que você escreveu. Mas, quanto ao embate de Pedro e Paulo em Antioquia, gostaria de saber: você achou mesmo que Paulo pecou ao fazer o que fez? Não estaria ele preservando a verdade do Evangelho apenas? Penso que a união de irmãos está abaixo (em prioridade) do que a verdade ser mantida pura. Melhor a cisão e preservar a verdade do que a união no erro. O que acha?

    2) Quanto a vida dos homens de Deus que citou, gostaria que me ajudasse a elucidar uma questão: não existe diferença entre ter um pecado e viver num pecado? Qual o limite entre sabermos se uma pessoa é um falso profeta pois vive imoralmente ou se é um “santo pecador”, nos moldes que você descreveu em seu artigo? Digo, a exemplo de Lutero: se fosse provado que o mesmo foi um beberrão até sua morte, isso não invalidaria seu ministério?

    Espero ansiosamente sua opinião a respeitos das minhas humildes dúvidas. 😀

    De alguém que busca viver a Verdade,

    Matheus Henrique.

    • Olá, Matheus! É um prazer conhecer, mesmo que virtualmente, mais um dos manos que me aturam aqui no APENAS rs. Vc é sempre bem-vindo.
      .
      Peço a Deus que vc consiga ser luz em meio a um ambiente tão poluído por esses ensinamentos espúrios. Que vc leve a verdade em amor, exortação temperada com sal e o amor da sã doutrina a todos os que estão perdidos e enredados nessas mentiras.
      .
      Sobre o que vc me perguntou, vamos lá:
      .
      1) Penso que vc pode fazer uma mesma coisa de formas diferentes. A forma que Paulo descreve ter arguido Pedro foi o problema. Para vc entender: se vc estiver sentado em uma janela eu poderia falar com vc “Querido, por favor, não fique aí, vc pode cair e será um acidente muito grave” ou poderia dizer “Ô sua besta, sai dessa porcaria de janela senão vc vai se esborrachar lá embaixo, seu burro!”. Percebe a diferença? O que foi dito foi a mesma coisa, mas o modo como se diz muda tudo. E se mansidão é fruto do Espírito, o oposto de mansidão (que seria rancor ou ira) é fruto de quem? Logo, é pecado.
      .
      2) Essa é exatamente a questão que o post levanta. É ilusória a imagem de que para proclamar o Evangelho é preciso ser perfeito. O que eu quis foi mostrar que vc pode proclamar contra o pecado sendo pecador e que isso não configura hipocrisia. Pois TODOS os homens pecam. As pessoas que mencionei fizeram coisas grandiosas pelo Reino…mas eram pecadoras. Assim como eu e vc. Então, muita gente deixa de pregar pq diz “ah, mas eu sou um pecador” ou “ah, não vou à igreja hoje pq pequei” e é justamente o contrário! Temos que perseverar na comunhão e nas disciplinas espirituais apesar do pecado. Me fiz claro?
      .
      Abraço forte, mano, na paz do Mestre!

      • Matheus Henrique disse:

        Fez sim, Maurício, e na Verdade, ainda estou digerindo o que você escreveu. Fez um efeito profundo na minha vida. Esse post foi, como posso dizer… a última peça do quebra-cabeça em algumas áreas… rs, entende?

      • Me alegro, Matheus. Espero que edificante.
        Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  20. Vitor S. M. disse:

    Caro Maurício, essa é uma luta que tenho enfrentado. Às vezes é difícil deixar claro para as outras pessoas mas, a gente tenta. Sou um dos líderes dos jovens e muitos acham que sou perfeito ou o “mais crente” do grupo. O que digo sempre (principalmente para meus alunos adolescentes na EBD) é: sou tão pecador quanto vocês, isso que estamos aprendendo a não fazer, eu já fiz, peco milhões de vezes, mas o importante é entendermos a mensagem do evangelho, sabendo que Cristo morreu por nós justamente por saber que somos pecadores e indignos de glorificar o Santo nome de Deus.

    Contudo, o problema que vejo é toda uma cultura que fincou raízes e impedem as pessoas de terem dicernimento bíblico. Daí, surgem líderes “quase anjos” e crentes que louvam mais esses líderes do que o próprio Deus.

    • Vitor,
      vc está fazendo exatamente o certo. Desconstrua-se sempre enquanto perfeito. Mostre para os liderados que vc comete deslizes. Isso ajuda a “desdeificar” a sua imagem. Faço isso sempre. Esse é o caminho, o líder tem sempre que mostrar que ele sabe como conduzir o rebanho, mas que ele não é perfeito ao fazê-lo.
      .
      Sobre a questão da cultura, o importante é educar seus liderados. Mostrar a eles que essa cultura está errada, com argumentos bíblicos. Vc pode pegar os exemplos, por exemplo, que usei nesse post. Pessoas que, embora tenham sido muito usadas por Deus, erraram e muito. Pegue o exemplo de Davi e Bateseba. De Moises e a rocha. De Abraão fingindo que Sara não é sua esposa. E por aí vai.
      .
      Se vc for ler os livros que escrevi para a série Geração Ação, da editora Anno Domini, verá que o “herói” da série, Daniel, é um jovem evangélico que é o “heroi” mas não um “super-herói”: em todos os livros ele peca, comete deslizes…mas no final se arrepende e aprende lições com seus erros. Simplesmente pq é exatamente assim que acontece conosco na vida real. E fiz isso nos livros de propósito, para os jovens leitores poderem ver que é possível se consertar de pecados e aprender com eles.
      .
      Ajudei?
      .
      Deus o abençoe, querido!

  21. Katia Machay disse:

    Que texto verdadeiro e mui maravilhoso. Fico sem palavras pra descrever mais. Ha honestidade e beleza em suas palavras.

  22. Carol Rodrigues disse:

    Imagino sua felicidade em ler os comentários que sempre fazemos aqui, pois apesar de ter aqueles que te agridem, a maioria fala do impacto que Deus causa em nós através de seus textos!
    Sempre leio os comentários e como levo em consideração a frase:
    “Dai honra a quem tem honra” , Maurício eu só tenho a te agradecer por seu trabalho e fazer algo simples mas de um imenso valor pra mim: orar por tua vida!

    Que minha oração chegue ao Pai, e que ele te abençoe grandemente…

    Beijo e paz

    • Olá, Carol!
      Não tenho palavras para agradecer suas orações. Deus sabe o quanto preciso de intercessores. Não há dinheiro no mundo que pague uma oração feita por um irmão. Obrigado, querida, sou grato de coração.
      No amor de Cristo, que nos une.

  23. Eliana disse:

    Maurício, gosto de tudo que vc escreve, mas em alguns textos vc se supera. Esse é um deles. Para ficar refletindo o resto do dia.
    Mais uma vez louvo a Deus pela sua vida!
    Bjo na família, na paz do Mestre.

    • Ô, Eliana, vc que é esse poço de gentileza, sempre tão amável em suas palavras quanto ao que escrevo.
      Obrigadão pelo incentivo e as orações, vc mora no meu coração, junto com teu maridão.
      Um beijo grande e que o Senhor seja com vocês!

  24. Luiz Fernando disse:

    Entendo perfeitamente querido. Era só uma dúvida, mais entendo a paz!

  25. Júnio disse:

    Amei a mensagem de Deus através do texto, mas devo confessar que o final me “escandalizou”, mas não no sentido exato da palavra, mas fiquei surpreso em saber que Lutero vivia a berber, e Spurgeon Fumava, e ainda se justificava a púlpito que o fazia para glória de Deus, humildemente, eu como maus um “santarrão” e sem direito de julgar ninguém, mas fiquei de fato surpreso, pois, para que eles fizessem isso teriam que considerar certo, e eu não consigo ver isto nas Escrituras? Entende? Acho que depois dessa precisaremos de um post sobre o cigarro rsrsrsrs Não, sem legalismos rsrsrsrs

  26. Greize disse:

    Oi, que texto edificante e corajoso.Sim, pois você expôs erros de pessoas , teólogos, reformadores que admiramos, mas que eram falhos como nós.
    Um dia participei de um fórum com debate citei sobre Lutero e Calvino, quase fui linchada virtualmente.
    Vi que estavam idolatrando os homens, como somos caídos, adoramos idolatrar homens.Sou pecadora, sempre, e pela Graça de Deus peço misericórdia, e Graças a Deus eles também eram, assim vi como Deus poder agir na minha vida, já que agiu na vida deles mesmo com os erros.
    É mto verdadeiro o que diz em (Romanos 3:10) “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.”
    Devemos admirar a vida das pessoas e cristãos verdadeiros ,mas nosso alvo sempre tem que ser Cristo.
    Louvo a Deus pela sua vida, com admiração.Deus te oriente e abençoe sempre.
    Abraços
    Greize

    • Oi, Greize,
      obrigado pelas palavras gentis. Curioso, o post que acabei de pôr no blog é justamente sobre idolatria de pessoas.
      Muito obrigado pelo teu carinho. Recebo teu desejo como uma oração.
      Na paz de Cristo!

  27. Meu Deus! Eu fico pensando como é que pode alguém sempre conseguir comunicar algo novo e relevante ao nosso coração. Sem dúvidas, o Espírito está sobre ti, irmão Zágari. Que o Senhor permaneça derramando sobre ti ricas bênçãos!

  28. Adilson disse:

    Mauricio,

    bom texto.
    Agora quando vc diz: … dos que usam dinheiro sagrado em benefício próprio… Pergunto; existe dinheiro sagrado? Se existe, o que seria? Pois não conheço.

    • Adilson,
      o que chamei de dinheiro sagrado é o que é entregue pelo fiel à igreja para ser usado em favor das coisas de Deus. Nesse sentido ele assume um papel sacro, pois será usado com finalidades sacras.
      Deus o abençoe.

      • Adilson disse:

        Desculpe, não consigo entender este negocio de “dinheiro em favor das coisas de Deus” pois lendo a biblia encontro o texto:

        O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens;
        nem tampouco é servido por mãos humanas, como se necessitasse de alguma coisa; pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração e todas as coisas;
        Atos 17:24-25

        – Será que Ele precisa de algo de minha mão? Será que ele dá a todos todas as coisas, menos à igreja Dele?

      • Adilson,
        Pra vc entender então: de onde vem o dinheiro que paga a cont de luz da igreja? Ou o salário do faxineiro? Ou a gráfica que vai imprimir bíblias? Ou o pedreiro que ergue as paredes da escolinha dominical? Ou a taxa de condomínio do imóvel que a igreja ocupa? Ou o sustento do missionário que largou tudo e foi Pra Zâmbia pregar o Evangelho?
        E por aí vai.
        Deus o abençoe.

      • Adilson disse:

        Desculpe mais uma vez; você diz que as coisas que os homens fazem é as coisas de Deus e que outros homens tem que sustenta-las se não não são fieis para com Deus. E então o dinheiro que sustenta as obras dos homens passa a ser sagrado. É isso? Pelo que vi na biblia a obra de Deus é essa:

        Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus?
        Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais naquele que ele enviou.
        João 6:28-29

      • Adilson,
        respeito sua opinião.
        Deus te abençoe.

  29. Joao Paulo Cruz disse:

    Zagari,
    Excelente texto e estou totalmente neste texto.
    Denunciamos o pecado e o erro teológico sim, mas com convicção de que somos pecadores e com isso tentamos melhorar a cada dia!

  30. Caio disse:

    Olá Zágari! Que texto fenomenal! Ele abre nossos olhos pra ver que quando aceitamos a Cristo não passamos a ser perfeitos. E esse tema tem uma importância para novos convertidos que sentem culpa constante por suas falhas. Sabemos que temos falhas, mas devemos nos arrepender, pedir perdão e seguir em frente dia após dia buscando imitar ao Senhor.
    Deus te abençoe!

  31. Jean Felix disse:

    Olá, Zágari!

    Acompanho seu blog faz um tempo já. E também sou um tremendo santarrão (risos). Não deixo de me surpreender por alguém ter coragem de enfrentar a corrupção que vemos hoje em dia no evangelho moderno. Dou graças a Deus pela sua vida e pelo seu blog (conheci vindo pelo Púlpito Cristão). Só quero elogiar. E fazer uma ressalva.

    Você escreveu: “1 Pedro 1.12 nos revela é que os anjos pediram a Deus o privilégio de anunciar o Evangelho”. Mas se você observar bem, nenhuma tradução diz isso. Creio que isso coubesse naquele post que você escreveu sobre os clichês evangélicos. Eu também já ouvi isso, mas realmente não é assim que a Bíblia diz.

    Antes, o que lemos?

    Aos quais [aos profetas, descritos nos vv. 10-11] foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho [os pregadores, por meio dos quais o Evangelho chegou a nós]; para as quais coisas [a salvação, a graça, os sofrimentos de Cristo e a glória que havia de vir, como dizem os vv. 10-11] os anjos desejam bem atentar [ou observar (NVI)].

    Basta um lida atenta pra gente ver que o versículo não fala que os anjos queriam pregar o Evangelho, mas que desejavam observar, saber mais (como diz a Bíblia Viva), atentar bem para ele, por causa de tais maravilhas: a Salvação, a Graça, os Sofrimentos de Cristo e a Glória futura.

    Espero que não se incomode por eu ter escrito isso. Só que vi no seu post algo que eu pensava ser assim, e resolvi compartilhar.

    Deus abençoe (mais) a sua vida.

    • De forma alguma, Jean, é sempre bom ver outras visões. Há teólogos e obras que discordariam disso, como os comentários Strong, Gill, Scofield e Darby, por exemplo, mas entendo a sua interpretação.
      Muito obrigado pelo seu carinho e pelas suas palavras gentis, vc mostra ter um coração cristão e educado.
      Deus o abençoe muito! Abraço forte.

  32. […] Apenas Posts Relacionados:É possível viver longe da Teologia da ProsperidadeJesus Cristo é o maior […]

  33. vanessa disse:

    olha me identifiquei com vc olho muito para o defeito dos outros para o modo de agir dos outros mas sei critico muito mas sei que nao sou nada sempre tive essa visão ,de que ,olha ja não sou nada,e é a graça de DEUS que me basta pra mim viver condeno muita coisa no meio da igreja não aceito comercio não aceito vendas com o nome do Senhor não aceito muitos cantares ‘gospel’ e acho que essa e uma das minhas maiores lutas e assim as vezes eu olha para minha liderança e vejo eles pregando ne penso poxa verdade olha eles fazem assim olha como são de DEUS mas e rara as vezes ou se e que teve vezes que eles tiveram a coraem de contar suas fraquezas mas infelizmente aqui vos fala uma pecadora uma santarrão e louvado seja o nome do Senhor Deus e Deus te use sempre assim não por que somos algo por que não somos a gloria é para Deus mas que DEUS continue a lhe usar para falar a verdade e não sermões lindos Deus te abençoe e mais uma vez sou uma pecadora horrivel mas a graça de Deus me basta e me ensina me ensina a não aceitar coisas podres e me ensina a ter a mudança em que busco nos outros Deus te abençoe desculpe meu desabafo mas Deus esta a cada dia me ensinando atraves da sua vida

    • Olá, Vanessa,
      .
      não tem do que se desculpar, desabafar é bom. Fico feliz que você esta percebendo com visão critica aquilo que considera que pode ser melhorado em você. Melhorar sempre, essa é a proposta do Evangelho.
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s