Quero te convidar para um exercício de imaginação. Imagine que você é um não-cristão vivendo no Brasil de nossos dias e que, em determinado momento da vida, sente uma enorme sede por algo que venha a preencher o vazio de sua alma. Decide buscar na fé o sentido da vida e a razão da sua existência. Resolve, assim, antes de optar de cara por uma religião, fazer uma pesquisa. Você parte, talvez por insistência de amigos ou parentes evangélicos, a tentar descobrir o que significa afinal, ser um cristão e o que é a igreja evangélica brasileira dos nossos dias. Pois, quem sabe, não está ali a resposta? É uma tradição religiosa que, afinal, tem crescido, algo de bom deve ter ali. Então você decide ver como é essa tal de igreja evangélica. E, acima de tudo, você quer encontrar esse tal de Jesus, que dizem que preenche a nossa vida e a nossa alma. Mas…por onde começar?

Na dúvida, em vez de ir a um templo pessoalmente, prefere ligar a TV. Mais fácil, rápido e sem envolvimento com todas as questões (e pessoas)  de uma igreja local. Você sabe que na TV tem pastores (quem não sabe, hoje em dia? Tem tantos!). Não conhece muitos, logo, conclui, naturalmente, que aqueles ali devem ser a representação fiel de todo e qualquer pastor.  Mas engraçado… quem você vê não se parece com um sacerdote, afinal pelo que você  se lembra da época de catecismo, Jesus falava com amor e mansidão, chamando os que estão cansados e sobrecarregados para os braços do Pai. Mas, pelo contrário, vê um homem que só berra. Em vez de falar sobre dar a outra face, amar os inimigos e caminhar a segunda milha, ele fica meia hora falando sobre gays e blogueiros que querem denegrir sua imagem. Critica até outros pastores, veja você! Aí você ouve esse senhor chamando outro pastor de  “cachorro morto” e esbravejar aos cuspes, berros e olhares que lembram os de Bela Lugosi. E você, o não-cristão, que ligou naquele programa ávido por aprender mais sobre Jesus e sobre o que é a vida com Cristo, começa a achar que aquilo ali é ser cristão. Afinal, aquele senhor é um pastor, embora ele não diga nada parecido com o que você esperava, como, por exemplo, “bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa, os insultarem, os perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês“.

Decide esperar um pouco mais e, de repente, parece que valeu a pena… vê o mesmo pastor mudar de discurso, adotar uma postura mais suave, um tom de voz mais brando.  Você sente-se aliviado, achando que agora ele vai falar de Jesus ou algo como “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam” ou mesmo “Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por quem perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar Cristo“. Mas, para sua surpresa, o pastor começa a falar de dinheiro, dinheiro, dinheiro e a vender produtos e mais produtos, livros, bíblias, CDs, DVDs… montes de coisas, no cartão ou cheque pré. Parece a grande queima de estoque gospel de um camelódromo qualquer. Você acha aquilo muito estranho.

Ainda tentando entender se o cristiansimo é a fé que vai preencher seu coração, decide procurar informações em outras fontes. Acessa então o website de outro conhecido pastor, que faz transmissões diárias pela Internet. Ah, agora sim, longe das pressões financeiras de manter uma mega estrutura de TV, você tem certeza que ouvirá o Evangelho genuíno. Naquele dia, curiosamente, em vez de falar sobre o amor de Jesus ou a eternidade, aquele pastor está comentando uma reportagem que saiu numa revista sobre os evangélicos. Uau, que legal! Agora você vai aprender muito sobre o cristianismo. Vc espera que o tal pastor ensine algo como “Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’ e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’.  Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco!’, corre o risco de ir para o fogo do inferno“. Mas, em vez disso, o pastor começa a dizer que todos os outros pastores que foram mencionados na matéria são “bundões”. Você não entende nada. Não era afinal o cristianismo aquela religião em que seu fundador disse “Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam, abençoem os que os amaldiçoam, orem por aqueles que os maltratam“? E no entanto aquele pastor que fala tanto sobre amor chama outros pastores de “bundões”. Você fica confuso. Muito confuso.

Decide então ir para uma mídia social. Entra no twitter. Mas sai rapidinho, pois a quantidade de coisas que os cristãos falam ali são tão diferentes, sem uma linha em comum, são tantas visões diversas, tanta opinião sem embasamento bíblico, tanta frase tuitada fora de contexto, tanta gente defendendo tanta coisa díspare. Aquilo te deixa meio zonzo. Ficar 5 minutos no twitter faz você achar que Cristo era um cara muito confuso e que a fé cristã é uma grande Babel. Resolve então que vai buscar mais sobre Jesus e a igreja em outro lugar. Que tal… a rádio! Sim! A rádio! Ali certamente só haverá coisa boa! Então você sintoniza numa rádio gospel e ouve um grupo famoso que começa uma canção com o cantor dizendo “Senhor, eu quero ter um romance contigo!”. Você se assusta. Como assim? Seria esse o mesmo Senhor a quem o salmista diz “Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra! És exaltado muito acima de todos os deuses!“? Você acha estranhíssima essa coisa de ter um romance com Deus e muda de estação. Outra rádio gospel. Se assusta de cara, pois parece que a cantora está chorando. É o que ela chama de “ministrar”. Mas, meu Deus, que choradeira! Que tom de voz artificial! Quanta falação que não leva a nada! Aquilo te incomoda tanto que você resolve então mudar para uma rádio onde haja pregações.

Sim! Se a Bíblia diz que é  por ouvir a Palavra que vem a fé, nada melhor do que ouvir uma pregação. O pregador começa. E, rapaz, ele grita tanto! Berra! O povo em volta se sacode e se remexe muito, uma coisa estranhíssima. O homem no púlpito agarra o microfone e, em gritos alucinados, grita para Deus, repreende coisas que você não entende direito, grita, grita, grita…parece afinal que o Deus dos cristãos é surdo. Por um desses acasos, você se lembra da oração silenciosa de Jesus em que Ele diz “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje;  E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores;  E não nos conduzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém“. E não entende por que aquele rapaz da rádio pecisa gemer e gritar tanto.

Você decide perguntar para alguém da sua família que frequenta uma igreja e essa pessoa explica que aquilo é “manifestação do poder de Deus”. Você pensa então nas milhares de igrejas pelo mundo onde se ora num tom de voz normal, sem impostação, sem grito, apenas numa conversa franca, suave e aberta com o Pai… e pega-se pensando “será que, afinal, nessas igrejas não está o poder de Deus? Será que em igrejas em que não se grita nem se rodopia Jesus não salva almas, não cura enfermos, não restaura os caídos, não abraça os feridos?”. Você ouve até esse seu parente fazer uma piada com outros irmãos em Cristo, falando sobre “igreja sorveteriana, de tão fria”, e tem a nítida sensação (que não pode estar certa, deve ser impressão sua) que os cristãos são muito desunidos. Esse pensamento, de tão absurdo, foge rápido da sua mente, e você volta a refletir sobre a questão de se igrejas que não são barulhentas não têm o poder de Deus. E aí você se lembra que é impossível o poder de Deus estar ausente de onde Deus está e que a Bíblia assegura, nas palavras do próprio Cristo que “onde se reunirem dois ou três em meu nome, ali eu estou no meio deles” e repara que o poder de Deus se manifesta em qualquer ambiente em que haja pessoas reunidas em seu nome. E decididamente fica sem entender aquela coisa de que para haver poder de Deus é preciso berrar, bater no púlpito e se comportar de modo até meio descontrolado. “Mas tudo bem, faz parte da cultura dessa ou daquela denominação” e, conformado, decide continuar em sua busca.

Afinal, você tem um vazio na alma. Então, embora tudo aquilo lhe pareça muito estanho, você insiste. Muda de estação de rádio. O que ouve ali é um pastor… conversando com um demônio! Aquilo então lhe soa bizarro, pois pelo que já ouvira, a forma bíblica de Jesus de lidar com os demônios era não lhes dar nenhum papo, como diz Mateus 8.16 “Ao anoitecer foram trazidos a ele muitos endemoninhados, e ele expulsou os espíritos com uma palavra”. Repare, uma única palavra! (mais sobre isso no post Batalha espiritual ou bandalha espiritual?). E, de repente, tem pastores usando espaço em que poderiam estar pregando que “Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores“, como ensina 1 Tm 1.15, mas…ficam dando oportunidade a demônios para tagarelarem sobre um altar que deveria estar sendo usado para exaltar o Todo-Poderoso.

Cansado de tentar entender a fé cristã pela mídia – sem conseguir entender, pois a cada nova tentativa a coisa parece mais complicada –  você opta por vencer a preguiça e visitar diferentes tipos de igrejas e comunidades cristãs. Vai primeiro a uma igreja de um pastor famoso, que tem milhares de seguidores no twitter. Mas o homem começa a ensinar que Deus não está no controle de tudo o que acontece, que as desgraças que ocorrem no mundo não têm anuência do Onipotente… só que aquilo contraria toda a lógica de dois mil anos de cristianismo, como você conhecia. Você se lembra de Jó, se lembra do Dilúvio, dos exércitos de faraó sendo afogados…não, aquilo não pode ser cristianismo, Deus ainda deve estar no controle. Mesmo que um ou outro pastor-celebridade diga que não.

Sai do culto e vai a outra igreja. Linda, pessoas muito bem arrumadas, opa, quem sabe nao é ali que você vai compreender Cristo? A pregadora começa a falar sobre Jesus te dar carro do ano se você crer, em ganhar uma bolsa Louis Vuitton se declarar a vitória e tomar posse da bênção, sobre como Deus pode fazer sua empresa prosperar se você der uma gorda oferta…. mas estranhamente nada daquilo preenche o vazio da sua alma. Você abre a Bíblia que comprou (uma cheia de estudos, de capa colorida e que estava numa promoção única) e lê “Aquele que é cobiçoso corre atrás das riquezas; e não sabe que há de vir sobre ele a penúria” e percebe que aquele discurso daquela senhora soa muito contraditório. Aí vira mais algumas páginas da sua Bíblia e lê lá no Novo Testamento que o próprio Jesus de Nazaré afirma: “Não acumulem para vocês tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem, e onde os ladrões arrombam e furtam. Mas acumulem para vocês tesouros nos céus, onde a traça e a ferrugem não destroem, e onde os ladrões não arrombam nem furtam“. Tem algo muito estranho acontecendo nessa tal igreja, mas você ainda não conseguiu definir o que é. Resolve continuar procurando.

E você, incansável, segue num périplo para entender o que é a igreja. E, mais que isso, para tentar conhecer esse tal de Jesus que dizem que preenche a nossa vida. Mas percebe que a linguagem de muitas igrejas é apenas dirigida pelo marketing, que sabe que cliente satisfeito volta, e por isso, muitas estão regendo suas práticas pelo mercado e buscam satisfazer o cliente. Nota ainda uma característica presente em quase todas: não se fala de morte, pois pelo discurso geral o negócio é aqui e agora, é o imediatismo (igrejas essas cheias de pessoas desesperadas, que estão atrás de uma ajuda rápida para situações urgentes). E sua cabeça dá um nó, pois afinal Jesus afirmou sem sombra de dúvida que o que importa no grande esquema das coisas é a eternidade, é a vida eterna, é o porvir: “Não trabalhem pela comida que se estraga, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem lhes dará. Deus, o Pai, nele colocou o seu selo de aprovação“.

Já cansado da busca, você ouve falar de comunidades alternativas, que fogem do modelo institucional de igreja.  Os chamados desigrejados, que saíram de igrejas tradicionais decepcionados não só com práticas e doutrinas, mas com pessoas. Resolve ir ao encontros de alguns desses grupos, vai que ali sim existe um cristianismo mais cristalino, longe da poluição das instituições maquiavélicas que “manipulam a Palavra de Deus”. Descobre, no entanto, que as pessoas que frequentam essas comunidades criticam hierarquias mas têm modelos hierárquicos, que criticam liturgias mas seguem liturgias, que abominam pastores mas têm seus “irmãos mais experientes na fé”, que não se reúnem em templos mas se reúnem em algum lugar. Mudam o nome das coisas (em vez de “igreja” se chamam “comunidades”, por exemplo), mas na essência nada muda, pois são formadas por pessoas e pessoas pecam (mais sobre esse assunto você pode ler nos artigos Jesus X Igreja: tornei-me cristão quando saí da igreja e Jesus nunca construiu templos). E aí você percebe que a igreja dos sem igreja é apenas mais do mesmo, só que com cores diferentes, e não se empolga com esse modelo.

Disposto a dar mais uma chance, pois aquele vazio continua, você vai junto com aquele seu primo crente que é adepto de um negócio chamado “batalha espiritual’ a um seminário onde ensinam montanhas de coisas sobre demônios, hierarquias demoníacas, nomes e cargos de demônios, mapeamento espiritual….rapaz, é demônio pra tudo que é lado. Curioso, você indaga, cochichando, ao seu primo de que lugar da Bíblia eles tiraram tanto conhecimento assim e ele gageja, hesita e diz que na verdade são revelações obtidas ou da boca dos próprios demônios (que, curiosamente mentem o tempo todo) ou de “ex-satanistas” que juram que faziam parte dos mais altos escalões do movimento satanista e começam a escrever livros e mais livros sobre o tema. Claro que viajam dando seminários (cobrando taxas bem gorduchas) , dando palestras e “ministrando” sobre o assunto. Mas nada daquilo veio da Bíblia! (você pode ler mais sobre isso no artigo Batalha espiritual ou bandalha espiritual?). E, adivinha só, você que esperava conhecer mais sobre Cristo e o cristianismo, só fica mais e mais e mais confuso – e, agora, cheio de doutrinas de demônios na cabeça.

Exausto por tentar entender o que são afinal de contas a igreja e o cristianismo (e esse Cristo, que até agora você não encontrou), começa a detectar problemas gerais. Falta de acolhimento, frustração com o estilo de liderança, frustração com as ênfases doutrinárias, ênfase excessiva na contribuição e escândalos pululam em cada esquina. Abre o jornal e vê deputados, senadores, governadores e outros políticos da chamada “bancada evangélica” metidos em um monte de escândalos. É tanta coisa, tanto troço, tanta tramoia que você se vira para os seus parentes e diz:

– Querem saber de uma coisa?! Desisti desse negócio de tentar conhecer Jesus! Não entendi se ser cristão é ser manso ou agressivo, se tenho de orar berrando ou não, se devo seguir a Bíblia ou coisas ensinadas por demônios, se devo cantar a Deus com respeito ou se devo ter um romance com Ele, se devo ir a uma igreja ou a uma comunidade que se reúne numa sala de estar…o que, afinal, é ser cristão?! Cadê a união?! Cadê a unidade?! Cadê “para que sejam um, assim como somos um”? Chega! Cansei! Preciso de um lugar onde eu encontre amor verdadeiro, unidade, paz e esperança! E não estou encontrando isso nessa tal igreja evangélica! Fui!

Aí, convidado por um colega de trabalho, você vai visitar um centro de outra religião. Ali você encontra pessoas mansas e humildes de coração, que falam com carinho e ajudam o próximo. Fala-se ali muito de amor. Faz-se muita caridade. E você descobre que ali é o lugar onde tudo faz sentido. Igreja evangélica? Não, obrigado.

E aqui acaba nosso exercício de imaginação, com a derrota total do cristianismo. Com uma chamada “igreja evangélica” tão falida que mais espanta que atrai. Que não tem apresentado nem representado Jesus de Nazaré. The End.

Mas…

Um segundo só. Por favor, ainda não vá embora.

Pois essa história pode não acabar aqui.

Façamos outro rápido exercício de imaginação. Imagine uma igreja onde o Evangelho é pregado como Jesus ensinou. Sem shows, sem balbúrdia, sem marketing. Sem palcos iluminados, com sistemas de som espetaculares e sem nenhum equipamento de  filmagem. Que siga hierarquias e liturgias bíblicas, não opressoras, mas defensoras da ordem e da boa administração e condução do Corpo de Cristo. Que tenha um modelo discipular, voltado a formar não consumidores da fé, mas discípulos do Senhor Jesus. Onde a leitura da Biblia, o jejum, a meditação, a oração e outras disciplinas fundamentais da fé cristã sejam estimuladas. Onde haja poucos membros, mas que esses poucos se conheçam pelo nome, se tolerem, se ajudem, intercedam uns pelos outros. Onde seja pregado o verdadeiro Evangelho, o Evangelho da renúncia, do “tome a sua cruz e siga-me“. Onde a mensagem não seja “o que eu posso ganhar”, mas “o que eu posso dar”. Onde ame-se a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si  mesmo (pelo menos tente-se fazê-lo). Onde dinheiro não seja causa, mas consequência, e algo que fique lá no fim da fila em termos de importância. Onde os pecadores não sejam apedrejados e expulsos, mas amparados, acolhidos, orientados, discipulados e postos novamente de pé. Onde Cristo seja glorificado na simplicidade. Onde uns lavem os pés dos outros. Onde haja contrição e confissão de pecados. Onde se pregue sobre morte, sofrimento, derrotas e dor – porque sim, isso também faz parte da fé. Essa igreja é possível. Acredite, é possível. Não há uma igreja perfeita. Mas essas igrejas onde busca-se o Evangelho puro e simples, longe dos holofotes e das colunas sociais gospel existem. Geralmente são anônimas, desconhecidas da mídia ou do grande público. Geralmente, seus pastores têm nomes que você nunca ouviu falar. Geralmente é onde se reune aquele remanescente que não dobrou seus joelhos a Baal.

Não desista dessa busca. Ainda há igrejas onde você encontra Jesus de Nazaré. E onde você consegue viver o cristianismo como o cristianismo foi feito para ser. Desligue a TV com seus astros da fé, pare de ouvir grupos e cantores da moda, esqueça os ventos e os modismos, fuja de seminários estranhos, tire o diabo do centro e concentre-se em Deus… e procure essas igrejas. São igrejas anônimas, pequenas e desconhecidas, mas onde Jesus se orgulha de entrar e de dizer: “Aqui sim me sinto em casa”.

Paz a todos vocês que estão em Cristo

Anúncios
comentários
  1. Deivison disse:

    Em certos momentos fica a impressão de que não há pra onde correr mesmo, diante de tantas igrejas com visões e revelações totalmente distintas do evangelho. Em algumas igrejas você até percebe sinceridade de alguns membros em seguir realmente ao verdadeiro evangelho, mas ao mesmo tempo eles caminham firmes na mesma direção dos ensinos do “evangelho moderno”.
    Mas eu sei que ainda há esperança.

    Há alguns dias atrás eu ouvi uma resposta muito interessante de um pastor, quando indagado sobre a situação atual da igreja: ” a Igreja de Cristo vai muito bem obrigada, cada vez mais pura, mais centrada no evangelho… embora seja difícil encontrá-la por aí, ela continua firme e forte rumo à eternidade”.

    Eu creio que é exatamente o que tu falaste, Maurício. O verdadeiro evangelho continua a ser pregado dia após dia, em igrejas sérias (geralmente anônimas) onde o amor do Senhor ainda reina.

    Teu texto me fortaleceu ainda mais para continuar minha busca por um lugar realmente comprometido com o evangelho genuíno.

    Que Deus continue te guiando, irmão. Grande abraço.

  2. Giovani disse:

    TREMENDO , FALU TUDO AQUILO QUE EU ESTAVA PRECISANDO OUVIR ! EU CREIO, AINDA EXISTEM IGREJAS QUE PREGAM O VERDADEIRO EVANGELHO !

  3. Wesley Cabral. disse:

    Maurício, dou glória á Deus por mais esta ” mostra de bom senso, clareza e lúcidez” sobre a igreja evangélica no Brasil, que vc nos dá!
    Fico muito feliz por dois principais motivos:

    1°- Poder ter acesso à uma leitura tão edificante e motivadora à continuarmos com a busca e prática pelo evangelho puro e simples de Nosso Senhor Jesus, em meio à bandalheira tão bem descrita por vc no texto.

    2º-Por frequentar e trabalhar em uma congregação presbiteriana aqui em Goiânia que é exatamente descrita no final de seu texto. Deus, de fato, me ama e tem nos preservado e nos presenteado aqui com algo raro nos dias de hoje.

    Inclusive encaminharei, se vc permitir, este texto para nosso pastor Afonso Barbosa, para que ele ,por sua vez, encaminhe à outros pastores daqui do presbitério do qual ele é o atual presidente.Tenho por certo que será de grande ajuda.

    Deus continue te abençoando á cada dia. E que Ele mesmo retribua o benefício de seus textos com toda sorte de bençãos espirituais sobre sua vida, nas regiões celestiais, em Cristo Jesus!!!

    Um abraço!

    Em Cristo.

    @cabralblade

    • Ô, mano, só me alegro por cada uma das tuas palavras.
      É uma honra ter meu textinho abençoando os irmãos presbiterianos aí de Goiânia. Mande um abraço ao Pr. Afonso.
      Deus o abençoe e obrigado pela parceria perene.
      Abraço apertado!

  4. Alessandra Figueredo disse:

    Seu texto está irretocável! Parabéns!
    Que bom q temos uma igreja q vale a pena congregar, com líderes sensatos e com irmão q realmente edificam.
    Gloria a Deus!

  5. Regina disse:

    Maravilha, Maurício! Maravilha.
    Peterson diz que a vida cristã é uma vida de fé, obediência e oração, onde Deus cuida de nós, que estamos aos pés da cruz, dia após dia, insessantemente. É uma vida, não momentos da vida.

    Agradeço muito ter encontrado um lugar assim, igreja cheia de gente – torta como eu 🙂 – mas onde podemos alimentar uns aos outros com a palavra. Agradeço ter encontrado na rede pessoas que amam o evangelho, com quem podemos compartilhar tantas coisas do reino, sem sustos :D.

    Graça, abundante graça
    Revelada em Jesus, o presente de Deus a nós (louvor que ouço sempre)
    Bjs

  6. Jota disse:

    É isso, Maurício; na mosca! Excelente texto, mano!

    Abração,

    Joel Jr.

  7. ana lúcia disse:

    E durma-se com um barulho desses!
    O pior é quando você encontra uma igreja assim, como essa do último parágrafo de sua meditação, mas, lamentavelmente, encontra-se por lá, também, pedras de tropeço, sim, verdadeiras pedreiras de tropeço! São aqueles “irmãozinhos abençoados” que ainda não conseguiram compreender, ainda, qual é a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade do amor incomensurável de Deus em nós. Esqueceram-se, completamente, da oração sacerdotal, […] Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste […] João 17. Na verdade, saem atropelando a tudo e a todos, a fim de evitar, a qualquer preço, perderem sua hegemonia. Egoístas, fofoqueiros, caluniadores, desonestos, mal-humorados, enfim, um perfil nada digno de um cristão, e ainda tendo que suportar tudo isso sem reclamar, escutando aquele mesmo discurso da maioria dos pastores: “- Perdoa, irmãzinha.” Não são, se quer, advertidos, ainda que estejam deixando para trás um exército de feridos, sem qualquer viés de arrependimento. Jesus foi muito claro quando disse no livro de Lucas 17 “Se teu irmão pecar contra ti, repreende-o; se ele se arrepender, perdoa-lhe (condição sine qua non). Se, por sete vezes no dia, pecar contra ti e, sete vezes, vier ter contigo, dizendo: Estou arrependido, perdoa-lhe.” E o que dizer daqueles que estão engatinhando na fé, e os visitantes?
    Às vezes, fico me imaginado, na hora da santa ceia, onde somos, muitas vezes, constrangidos a sorrir para estes irmãos e trocar o cálice com eles, cantando: “- Você não vale nada, mas eu gosto de você.” Desculpe-me pela música, é podre, mas é assim que eu me sinto, podre quando não posso agir com honestidade.

    • Eu tenho uma teoria, sabe, Ana. Acho que é pra isso que Deus nos põe ao lado dessas pessoas na igreja: se podemos ajudar a torna-las algo melhor, que o façamos. Se existem pessoas em niveis diferentes de espiritualidade não é para as mais fracas expelirem as mais fortes pra fora, mas pra que as mais fortes ajudem a traze as mais fortes pra um patamar superior.

      E nesse pocesso, só uma coisa nos ajuda: o fruto do Espírito, em especial paciência, amor, dominio próprio.

      Por isso os desigrejados me entristecem tanto. Não compreenderam que a proposta de Cristo sempre foi uma igreja imperfeita. Mas isso é papo pra um futuro post.

      Beijo grande, Deus te abençoe!

  8. Juamara disse:

    Concordo contigo quando dizes que não existe igreja perfeita e, se me permites completar… acredito que existam igrejas sendo aperfeiçoadas até porque elas são formadas por pessoas que vivem em constante aperfeiçoamento. É meu amigo… o mundo tem entrado dentro das igrejas e as pessoas têm deixado suas origens cristãs para seguir as ‘maravilhas’ do mundo moderno. Deus tenha misericórdia de nós…

  9. Cheguei da igreja e vim logo ler seu texto. Que peregrinação!
    Uma busca que para muitos não acabou.
    Estão a procura de um verdadeiro lar espiritual, da casa do Pai.
    Oremos para os que estão nessa busca, encontrarem uma igreja séria
    e acolhedora como a nossa.
    Agradeço muito a Deus por ter conhecido a ICNV desde meus 17 anos.
    Que o Senhor continue abençoando meu amado irmão e
    levando-o em Seus braços carinhosamente.
    Soraya Barros

  10. Lourayne Natiely disse:

    Maurício muuito ótimo seu texto como sempre, muito bem exposto, e é triste mais é verdade hoje tem muitas igrejas “Brincando” de pregar o evangelho, e infelizmente por essas igrejas, muitas outras também ficam “mal vistas”… temos que orar mesmo por essas igrejas que ainda insistem em distorcer a palavra de Deus.
    Mas eu louvo a Deus por Ele ter me colocado na ICNV, onde tenho aprendido e crescido muito na verdadeira palavra!
    E também louvo a Deus pela sua vida com esses posts muito abençoados!
    Deus continue a te usar mano!!
    Beijo Grande no amor de Cristo! És benção!!

  11. Marise disse:

    Olá Maurício, graça e paz!
    Você propôs execícios de imaginação ou um “encare a realidade”? Rsrsrsr Seria cômico se não fosse trágico amigo. Belo texto, mais uma oportunidade para nossa reflexão. Qualquer semelhança não é mera coincidência. Deus continue te abençoando abundantemente. Abraço.

  12. Nossa Maurício, dá até dor de cabeça tudo isso. Mas que bom que Jesus não lança fora os que vem até Ele. Graças a Deus que quem está em busca do Senhor O encontra mesmo com tantos obstáculos e tantas loucuras pelo meio do caminho. Glórias a Deus, glórias a Deus…

  13. Natalli Araújo disse:

    Por que você não revelou a nova religião que encontrou? isso ajudou as pessas, mas seria bom divulgar… caso tenha motivos para não fazer isso me mande a reposta por email adoraria bater um papo não sou blogeira mas escrevi um texto semellhante ao seu com outro tema claro… bjs estou aguardando a resposta

    • Querida, não há uma “nova” religião. É a mesma religião que Jesus ensinou há 2 mil anos: o cristianismo.

      A questão aqui é compreender que o cristianismo tem de ser vivido em sua essência pura e cristalina e não da forma distorcida que vem sido vivida em tantos e tantos e tantos lugares.

      O segredo está em buscar e encontrar uma casa de fé onde valorize-se o que é para ser valorizado pela Bíblia e ignore-se o que é ignorado por Cristo. E isso o artigo descreve bem.

      Assim, essa “nova” religião é a mesma que foi ensinada por Jesus de Nazaré, despida de toda a poluição que o homem, sua ganância, seu orgulho ou tantos outros aspectos de sua vaidade lhe inpingiu.

      Deus te abençoe!

  14. Luiza Maria A. Santos. disse:

    Maurício, é muito bom ler os seus textos, nos ilumina para um cristianismo genuíno. Amei.

  15. Rebeca Persi disse:

    Mauricio, ótimo texto como sempre.
    Concordo com você no que diz respeito à confusão que se instalou nas igrejas, e as falsificações da pregação do evangelho, mas tudo isto é prenúncio do fim [2ª Tessalonicenses 2: 3 e 4].
    Quanto à alma sedenta que sinceramente buscar a Deus, o Espírito Santo irá guiá-lo ao lugar que Deus lhe preparou.
    Já a respeito de uma igreja que viva o verdadeiro evangelho, não há um local especificado geograficamente, nem placa denominacional [João 4: 20,21 e 23]
    A bíblia foi, é, e continuará sendo a única regra de fé e de prática do cristão. Quem se guia por ela não fica confuso.
    Deus te abençoe muuuitão
    Abraço no amor dEle – como você mesmo diz- rsrs

  16. Selma Macêdo disse:

    Tudo que li é a realidade da grande maioria das igrejas cristãs evangélicas. Me imaginando uma não cristã fiquei agoniada com todas essas situações narradas. Imagina uma verdadeira não cristã como se sentiria ao procurar conhecer a Cristo e se deparar com esse festival de ofertas e acontecimentos espirituais . Vou orar da forma como nos indica a Bíblia em Lm 3.29…
    Shalom!

  17. Selma Macêdo disse:

    Tudo que li é a realidade da grande maioria das igrejas cristãs evangélicas. Me imaginando uma não cristã fiquei agoniada com todas essas situações narradas. Imagina uma verdadeira não cristã como se sentiria ao procurar conhecer Jesus Cristo e se deparar com esse festival de ofertas e “acontecimentos” espirituais . Vou orar da forma como nos indica a Bíblia em Lm 3.29…
    Shalom!

  18. BONALD HENRIQUES GUIMARÃES disse:

    OTIMO, GOSTEI MUITO.

  19. Gostei muito mano do seu texto.
    Mais uma vez edificado sobremaneira com seu texto.
    É possivel achar uma igreja onde a verdade é pregada, eu achei à 9 anos.
    Mesmo com alguns probleminhas de vez enquando, Deus nos ensina a resolvermos juntos e continuarmos a caminhada.
    Paz mano, voce é uma benção!

  20. Olá Maurício, paz do Senhor. Posso dizer que seu texto ficou simplesmente – Completo – em todas as formas, e com uma finalização de sucesso. Poxa, você descreveu corretamente, sem omitir um til de toda realidade que estamos presenciando. Nossa, não sabe como doeu meu coração por esse não-cristão na sua busca de conseguir encontrar Jesus, na mídia, nas redes socias, nas baladas e shows, nas propagandas, nas “expos”, nos idolos gospeis, nesses tals seminários do demônio, nas igrejas enormes que usufluem de toda tecnologia de ponta e profissionais, e músicos, especializados, nos telepregadores e muitas, infindáveis etcs… Ele não encontrou, porque Jesus está muito longe desses lugares. Sim. Eu afirmo isso. Porque Jesus está no meio de um povo humilde que cresce em qualidade (não somente em quantidade), que busca a santidade (isso ainda existe) e que o adora em ESPÍRITO e em VERDADE! Fora do espírito, na base da gritaria e pregando mentiras, heresias, bem estar, prosperidade pessoal e autoajuda, com certeza vai estar adorando qualquer coisa, menos Deus, e seu filho Jesus que está na Bíblia. Lembra-se das histórias do Antigo Testamento, quando o povo de Israel caia, se desviava, e sempre ficava um pequenino remanescente que continuava servindo a Deus? Que continuava andando nos seus retos caminhos? Assim acontece hoje amigo, e sua esperança está correta, ainda há um remanescente que pela graça, misericórdia e amor de Deus, não tem se curvado para as coisas desse mundo, antes tem procurado se separar e santificar cada dia mais. Pois nosso lar não é aqui, estamos somente peregrinando, e o futuro pelo qual temos trabalhado é o CÉU. Te convido amigo, quem sabe um dia você possa vir conhecer a família a qual pertenço, o nome dessa Igreja é Laís, Mauricio Zágar, Isaías, José, Marli… Ela não tem placa, bom, mas isso não faz diferença nenhuma ne? Jesus não pregou placa, e embora estamos no século XXI, onde para tudo se tem um nome, uma placa, a Igreja de Jesus continua não tendo e não sendo representada por isso! Mas por procurar viver e andar de acordo com a Palavra de Deus e ser semelhante a Jesus. Que Deus continue te abençoando, para que você nunca venha trocar o Evangelho de Cristo, por todo esse modismo, essa frieza e apostasia que temos visto hoje. Fique com Deus, e que o Deus de paz continue com você querido.

    Graça e Paz.

  21. Jarleson Oliveira disse:

    Muito triste tudo isso. Mas a igreja de Cristo permanece forte e viva!E não importa que no texto o fictício não cristão não encontre um lugar, na vida real ele sempre encontra!Não sei se é impressão minha mas esse não cristão parece mais um velho cristão frustrado!Cheio de argumentos que perdeu a fé em Deus e nas pessoas!Eu creio que a igreja de Cristo permanece alcançando vidas e mudando destinos!!Shalon.

  22. patricia santos disse:

    Querido irmao em Cristo, cada dia que navego em seus escritos me ponho a refletir no modelo de fe que venho adotado e o desejo de servir a Deus verdadeiramente. Tenho sido ricamente abencoada! Sim, que bom que podemos contar com aqueles que nao se curvaram para nos orientar e nos dar cada dia mais vontade de conhecer a Jesus.

  23. Marcelo Freitas disse:

    O legal, mano, é que até nisso Deus tem misericórdia da gente. Sei que dentro desses muitos lugares disseminadores de heresias e evangelhos anti-Evangelho existem muitas pessoas que só estão à procura do Verdadeiro Pastor (ainda que em meios não-evangélicos). E ainda que crescendo sob doutrina pagã, se for ovelhinha do Senhor, sai de onde estiver e segue a Voz do Que o(a) chama.

    A falta de pureza pra transparecer o Cristo faz falta, mesmo .. muita falta =\ Aquela Palavra complexa na sua simplicidade, como Jesus sempre pregou.

    Mas partilhemos das Suas aflições:

    “Ao ver as multidões, Jesus sentiu grande compaixão pelas pessoas, pois que estavam aflitas e desamparadas como ovelhas que não têm pastor.” [Mat 9:36]

    Oremos ?

    nEle, o Bom Pastor, que dá a Vida pelas suas ovelhas.

  24. socristosalva disse:

    Prezado Zágari,
    Quero compartilhar um pouco do que aconteceu comigo.
    Procurei uma Igreja Evangelica ha quase exatos um ano. Estava numa crise financeira terrivel (leia-se DÍVIDAS) que abalou meu casamento e o trabalho. E no meio de tudo isso de repente grávida!
    Confesso que procurei a Igreja em busca de uma solução. Uma barganha com Deus. Estava desesperada. Pensava em fazer uma troca com Deus: frequentaria a Igreja em troca da ajuda. Entenda-se bem, ajuda financeira.
    Não segui exatamente o roteiro que voce colocou porque meu marido já tinha o costume de assistir esses programas de “pastores” na TV. Sinceramente penso que só se deixa enganar quem quer. Tudo que eu conseguia ouvir nestes programas, além dos gritos, era os pedidos por dinheiro. Não me passou pela cabeça procurar um destes “templos”. Não posso dizer o mesmo do meu marido. Mas dinheiro era o que não tinhamos, não iria funcionar.
    Ha muito meu marido queria ir a uma Igreja Evangelica e eu me recusava. Eramos catolicos.
    Então, em meio a muitas lágrimas eu pedi. Eu não sabia orar, só rezar.
    Nem sabia que podia falar com Deus (falando nisso, os não-cristão não conhecem nada de Biblia, em momento algum pensariam coisas com “Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra! És exaltado muito acima de todos os deuses!“).
    Simplesmente pedi que Ele me mostrasse o lugar onde deveria ir.
    Tinha medo de ir para num desses mega-templos-eventos-evangelisticos-dê-muito-para-receber-muito.
    No mesmo dia veio o convite de um amigo de meu marido.
    Deste convite até irmos realmente à Igreja tivemos alguns contratempos e depois de certa insistencia fomos parar na Igreja-denominação que congregamos até hoje.
    Para encurtar a história: eu e meu marido nos convertemos, os dois filhos dele mais velhos (que não são meus) também se converteram, minha filha de 6 anos ama ir à Igreja, e o bebê também.
    Lá encontramos o verdadeiro Evangelho. Nunca ouvimos promessas de tudo ficaria bem. Pelo contrário, descobrimos que problemas e tribulações sempre vão existir. Mas que Deus é poderoso e sempre estará conosco. E que a nossa vitória talvez não seja neste mundo, mas com certeza será no outro.
    Nossas dívidas não diminuíram nenhum centavo, pode até ser que aumentaram, mas descobrimos que Deus está no controle e confiamos totalmente nEle. Continuamos com os mesmos problemas financeiros de antes, mas agora temos a alegria da nossa salvação.
    Quero dizer com isso que Deus conhece os seus. As ovelhas ouvem a Sua voz e O seguem. Podem até tentar enganá-las, mas as verdadeiras ovelhas seguirão o Pastor e receberão a vida eterna. De modo algum serão lançadas fora. Mesmo que mudem de denominação. Se ainda não tem amor pelo próximo pode ser porque seus líderes não estão lhe ensinando o verdadeiro Evangelho, mas chegarão lá.
    Pra quem ainda não encontrou o que preenche o seu vazio sugiro que peça a Deus. Ele irá guiá-lo. Está escrito: “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições , pela oração e pela súplica”. O nosso Deus é poderoso para fazer infinitamente mais. Foi assim comigo. Ele não me deu o que eu pedi. Me deu infinitamente mais. E infinitamente mais do que eu merecia.
    Peço desculpas pelo texto longo.
    Paz de Cristo, irmão.

    • Querida irmã,
      só tenho a agradecer a Deus por tudo o que vc relatou.
      As dívidas? Clame. Jesus está conosco todos os dias até a consumação dos séculos, Ele ouve.
      O maior tesouro vc já recebeu, e se chama vida eterna. O resto? Lança sobre Cristo todas as suas ansiedades, pois Ele tem cuidado de vc.
      Que o Senhor te abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  25. wilson josé de oliveira disse:

    Amado irmão , Jesus é o nosso senhor! Me chamou a atençao seu texto. vemos hoje igrejas mundanas cheias , por outro lado onde se prega a cruz, negar a si mesmo e seguir o senhor , amar os irmãos , pregar o evangelho, esta vazio com poucos irmãos. que o senhor tenha misericórdia de nós.

  26. Bruno Gomes Leal disse:

    Tava ficando preocupado já irmão em não existir igreja, mas ai no final com o seu “mas”, trouxe um alívio para minha alma, o que você disse é uma verdade que só os que não temem abre a boca e fala, pois tem gente que tem esse medo, Mauricio eu sou uma bb na fé, estou começando praticamente agora e seu blog tem me ajudado muito a enxergar certas coisa que realmente me deixava confuso, sabe eu queria muito sair pregando por ai quando comecei até tentei Maucio, mas foi um fracasso, pois não tinha um conhecimento da palavra para pregar e tinha que seguir um contexto ou melhor um roteiro… Mas de um certo tempo para comecei a ver isso que é totalmente diferente o evangelho é algo mais calmo e mais sábio, então cara muito obrigado por estar suas observações tem me ajudado bastante… Admiro suas colocações porque são todas com referencias “conhecidas” , mas que muitas das vezes as pessoas esquecem o real sentido. Irmão seu que vou encontrar ou melhor vamos encontrar a igreja de verdadeira onde o amor a comunhão e a graça do nosso Senhor esteja presente. A paz de Cristo.

    • Bruno,
      sem palavras, só alegria de ouvir um testemunho tão bonito.
      Ore para que Deus continue sempre levando conhecimento e a sã doutrina a irmãos como vc, sim? Se quiser e puder.
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  27. Sergio Pereira disse:

    Parabéns irmão Zágari, o Senhor eteja sempre com você e te abençoe ricamente. Texto inspirado.

  28. Kerlyane Ribeiro disse:

    Deus é maravilhoso, me fez ir buscar posts publicados há tanto tempo para falar ao meu coração.
    Obrigada Deus! Obrigada Maurício.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s