Estou farto de escândalos gospel

Publicado: 22/06/2011 em Espiritualidade, Igreja dos nossos dias, Pecado

É isso aí: estou farto de escândalos gospel. Basta! Nao aguento mais chegar na igreja ou na internet e, antes mesmo de escutar um “bom dia” ouvir de cara: “Soube da última?”.  Meu Deus, que está acontecendo conosco? Por que nós, o povo chamado para ser sal da terra e luz do mundo, vivemos caçando a última fofoca do meio evangélico, o mais recente disse-me-disse, o babado do momento?! Em que ponto a desgraça alheia se tornou tão importante para nós? Algo está errado conosco. Muito errado. E temos que mudar isso.

Na época de minha conversão eu me reunia com o grupo de jovens da minha igreja e conversávamos sobre assuntos essenciais da fé. Falávamos dos fundamentos do cristianismo, de operações do Espírito, de milagres, de testemunhos, dos nossos sonhos com Deus, das experiências que tivéramos aquela semana com o Senhor, daquilo que Jesus havia feito por nosso intermédio. Tirávamos dúvidas bíblicas, planejávamos estratégias evangelísticas e… orávamos! Orávamos muito. Por nossa igreja, nossos pastores, pelos departamentos da igreja, pela liderança, pelas atividades, pelos enfermos, pela salvação de almas. Por milhões de coisas que nos transportassem para a dimensão do Espírito. Tínhamos sede desesperada de Deus, Ele era nosso assunto predileto. Mesmo quando começávamos a falar de trivialidades, como futebol e outras perfumarias, a conversa acabava tomando um viés espiritual.

Mas hoje… hoje os irmãos se reúnem para comentar o último escândalo. Escândalos no ministério, então, fazem o maior sucesso: o pastor famoso da TV que enganou o povo com campanhas para comprar um jatinho. O pastor famoso do twitter que pregou heresias. O pastor emergente que lançou no youtube um vídeo irresponsável para promover seu último livro. O pastor que chamou outros pastores de “bundões”. O pastor que tinha caso com muitas meninas da igreja. O pastor que acusou outro pastor de ter casos com as recepcionistas de uma emissora de rádio. O pastor acusado que chama o acusador de “cachorro morto”. Escândalos, escândalos, escândalos.

Basta!

E no campo da política então! Os escândalos dão a tônica: é o pastor-deputado que sai no tapa com grupos gays. É o deputado daquela igreja xis que foi pego roubando. É o deputado da “bancada evangélica” flagrado recebendo propina. É o senador evangélico pego em maracutaias. É o vereador evangélico que bateu boca em público. Escândalos, escândalos, escândalos!

Meu Deus! Basta!

Que escândalos ocorram é previsível. Sempre houve e sempre continuará havendo. Pois onde há homens há pecado e quando o pecado se torna público há escândalos. O problema não é esse, em essência. O problema é o que está havendo com os nossos corações. Por que razões  nós adoramos esses escândalos?! Amamos falar dos que caíram. Apontamos o dedo para os que pecaram. Sorrimos com superioridade ao saber da queda daquele grande homem de Deus. Ficamos contentes de banir dos momentos de louvor o corinho daquele cantor gospel que foi pego fazendo o que não devia. Se sair em uma revista então! É a glória! Parece que o povo cristão tem sido acometido de um prazer sádico e sórdido de descobrir e comentar para o máximo possível de pessoas o último pecado que houve envolvendo alguma celebridade do meio evangélico. Quando deveria ser o contrário!

A Bíblia Sagrada nos ensina a chorar com os que choram. Por que em vez de sairmos comentando com todos os nossos irmãos sobre o pecado daquele pregador como velhinhas futriqueiras não nos lançamos sobre nossos joelhos e clamamos a Deus em meio a lágrimas pela restauração dele? A Palavra do Senhor nos ensina a tomar a adúltera pela mão, erguê-la da lama, dar-lhe amor e dizer “vai-te e não peques mais”. Mas o que temos feito? Se a adúltera já está com a cara na lama nós pisamos em sua cabeça e a afundamos ainda mais no lodo. Que vergonha que sinto de nós quando vejo isso acontecer!

Temos vivido o “evangelho” da videocassetada, em que morremos de rir com o irmão que se estabaca no chão. Mas Jesus nos diz para levantar o abatido! Temos de levantar quem caiu. Dar-lhe amor. Conduzi-lo ao arrependimento. Fazer dele novamente uma ovelha sem feridas, embora com cicatrizes. Mas o que temos feito? Temos enfiado nossos dedos nas chagas dos feridos e retorcido nossas mãos até que a ferida sangre novamente. Infeccione. E depois levamos nossas mãos ensanguentadas à igreja e as exibimos, orgulhosos, aos irmãos: “Já soube da última”?

Bem-aventurados os pacificadores, aqueles que trazem a paz em meio à tribulação, à desgraça, ao escândalo. Bem-aventurados os misericordiosos, aqueles que nutrem pesar profundo pela desventura do próximo. Mas temos sido perversos. Nunca oramos pelos que são pivôs dos escândalos. Quer ver? Quantas vezes você orou por aquele pastor que está pregando que Deus não está no controle de tudo? Quantas orações vocé já dirigiu ao Altíssimo suplicando que o pastor da TV que engana o povo com campanhas antibíblicas para arrecadar dinheiro se converta de seus maus caminhos, pare de pregar  prosperidade e volte à vereda da justiça? Quantas lágrimas você derramou intercedendo por aquele político que se diz evangélico para que ele de fato venha a ser salvo pelo Senhor Jesus? Quantos minutos você dedica em oração por aquele ministério de louvor que se transformou numa empresa da música para que volte a ter como foco o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo? E agora compare: quanto tempo você passou comentando, criticando e alimentando o interesse por esses casos escandalosos?

Nós somos os culpados. Eu e você. Pois temos nos entretido sadicamente com os escândalos. Temos alimentado os escândalos em nossas conversas, tuitadas e blogadas.

Mas tenho buscado fugir deles. Sei que preciso avançar mais nesse sentido, pois ainda há em mim a semente do sadismo de pisar na cabeça do caído e espalhar aos quatro ventos o pecado dos outros, confesso. Talvez, refletindo freudianamente sobre isso, seja porque, ao fazer isso, eu me sinta um pouco mais normal por ser tão miserável como aqueles que são pivôs de escândalos. Mas fato é que de nossa boca não devem sair palavras torpes. E isso não se refere apenas a palavrões. Refere-se a palavras que não edificam. “Nenhuma palavra torpe saia da boca de vocês, mas apenas a que for útil para edificar os outros, conforme a necessidade, para que conceda graça aos que a ouvem” (Ef 4.29).

Temos de aprender a refrear a nossa língua. “A língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Vejam como um grande bosque é incendiado por uma simples fagulha. Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Colocada entre os membros do nosso corpo, contamina a pessoa por inteiro, incendeia todo o curso de sua vida, sendo ela mesma incendiada pelo inferno” (Tg 3.5,6). E mais: a Bíblia deixa claro que vocé pode ser o cristão mais sem pecado do universo, mas se não consegue refrear a língua tudo o mais da sua fé é inútil, não serve para nada: “Se alguém se considera religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo. Sua religião não tem valor algum!” (Tg 1.26). Você consegue perceber a seriedade disso? O peso que isso tem no mundo espiritual?

Não estou com isso dizendo que devemos varrer a sujeira para baixo do tapete. Esconder o que está errado não é a solução. Crimes e heresias devem ser denunciados. O grande problema dos escândalos é a nossa sede de sangue, nosso detestável prazer oculto e disfarçado de querer ver o circo pegar fogo. O prazer que nós, cristãos, eu e você, temos demonstrado ao diagnosticar a sujeira. E a satisfação que demonstramos ao propagar esses escândalos para as demais pessoas. Ao ouvir sobre a queda de um irmão, a primeira coisa que deveríamos pensar é “o que posso fazer para reerguê-lo?” e não “para quem posso contar que ele caiu?”.

Basta. Por favor, não venha me falar de escândalos entre evangélicos. Se quiserem que eu ajude a orar pelos que caíram ou se desviaram, contem comigo. Caso contrário, poupem meus ouvidos de toda sorte de sordidez perversa e sádica. Há males em nosso meio? Há. Há hereges e falsos pastores em nosso meio? Sim. Há artistas gospel mais preocupados com seus cachês do que com a exaltação do Altissimo? Muitos. Há bandidos, assassinos, pecadores, mentirosos e adúlteros em nossas igrejas? Aos montes. A pergunta que se faz necessária aqui é: como devemos reagir a isso? Jogando lenha na fogueira ou pacificando? Ajudando a apagar os incêndios e socorrer os feridos ou arremessando barris de gasolina nas chamas?

Temos reagido irresponsavelmente e de modo nada cristão ao alimentar essa multidão de escândalos. E, ao propagar os escândalos, quem se torna escândalo somos nós.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.

 

Anúncios
comentários
  1. MARISE disse:

    Adorei o texto amigo. Falta-nos fazer a seguinte pergunta: Será que Jesus faria (falaria) o mesmo? Ter essa pergunta em mente é um sinal vermelho para os nossos corações. Abraço e DTA

  2. Luciana disse:

    Ameeeei o texto! É claro que 90% dos hipócritas dirão: Misericórdia…ninguém faz fofoca no meio do povo de Deus! MEN-TI-RA! Ela existe, é real e muitas vezes dá medo!
    Para combater: Jejum, Oração, Leitura da Bíblia e principalmente com a BOCA FECHADA!
    Chega de telefone sem fio!
    Parabéns! Que Deus continue te usando, poderosamente!

  3. ótimo texto para reflexão, caro Maurício. Mas isso parece-me encroado nas igrejas. Acho que falta mais intimidade com Deus. Mais leitura, mais dinâmica, mais tudo e menos “showzinhos”. Seria bom que todos pudessem voltar ao primeiro amor, mas as coisas do mundo agora já não se expandem somente para dentro dos lares mas avançam para dentro das igrejas, maculando as mentes daqueles que estão alí por estar, para simplesmente assistir ao culto ou missa (a depender do segmento cristão). Como escutei uma vez, não se vê ninguem fazendo capamha para ser mais santo, mas muitas são voltadas a prosperidade, a busca pelo melhor de Deus nas vidas das pessoas, a cura das doenças incuráveis e etc. Nada contra a prosperidade, até porque a biblia diz que já somos prósperos. Mas a procura de um Deus imediatista é o que mais se vê por aí. Um grade abraço e um ótimo texto. Vou até pedir permissão para reproduzí-lo em meu blog. Deus o abençoe.

  4. Luciano Barbosa disse:

    Simplesmente Excepcional! É essa a palavra que consigo encontrar para descrever o siginifcado desse sublime texto que acabei de ler. Maurício, você conseguiu esplendidamente, descrever a realidade de forma objetiva, clara, sábia e sensata dessa triste realidade que envolve o meio evangélico. Gostei muito da sua imparcialidade e simplicidade ao retratar uma dura e deplorável realidade – me identifiquei com suas palavras! – é como se você escrevesse o que está dentro de nós, é como se expusesse os nossos próprio pensamentos com palavras apropriadas e pertinentes. Muito obrigado, por compatilhar conosco desses maravilhosos pensamentos retratados em palavras maravilhosas. Deus continue te abençoando, meu amigo! Ah! Eu lembro daquela época de jovem, pois tive a honra e o privilégio de compartilhá-la, ainda que por pouco tempo, com você.

    • Luciano, meu amado, que saudades! Obrigado pelas suas palavras, que façamos nosso trabalho de formiguinha para tentar melhorar um pouquinho que seja as coisas que estão confusas. Deus o abençoe muito, ao filhão e à esposa. No amor do Senhor, te abraço.

  5. Stephanie de Araujo disse:

    Concordo e faço minhas as palavras do José Augusto. E acrescento que falta mais amor à causa do Evangelho e menos amor ao ego e benefício próprio. Concordo com você quando diz que nao devemos varrer a sujeira para baixo do tapete e que esconder o que está errado não é a solução. Nooo meu entender, falta para nós evangélicos, duas coisas: 1) tomar ciencia do que constam em I Cor. 6:1 colocando isto em prática. 2) Dar maior divulgação a manifestos como este teu. A propósito, também peço-lhe autorização para enviar este teu artigo para diversas pessoas que conheço e também para o tribunal cristao, equipe que pelo que sei, pensa igual ao irmão e a nós. Deus te abençoe e continue usando para manifestos como este.

    • Stephanie, obrigado pelas palavras e por compartilhar das minhas dores. Fique à vontade para enviar o texto para quem desejar. Eu só pediria a gentileza de indicar a fonte, para que cada vez mais pessoas possam ter acesso às reflexões que aqui postamos. Deus abençoe muito você, te abraço no amor do Senhor.

  6. MARISE disse:

    Concordo, Jesus nada tem haver com esses escândalos. Mas a nossa reação diante deles deveria ser como vc sugere no texto. E creio, que é a mesma que Jesus espera de nós. Por isso, diante dessas situações, antes de expressarmos nossas “opiniões”, deveríamos pensar sobre o que Jesus faria se estivesse em nosso lugar. Foi isso que quis dizer no 1º comentário. Paz querido.

  7. Tem sido muito bom ler as verdades de seus textos!
    abraços,
    Soraya Barros

  8. Elias Medina disse:

    Bom dia!
    A paz do Senhor querido,
    Realmente essa tem sido nossa posição em muitos, ou talvez todas as situações que gerem escândalos.
    Que vergonha!
    Que esse seja o tempo para nós(igreja), mudarmos nossas veredas, rever nossos conceitos e valores contidos na palavra de Deus!
    E que possamos reconhecer que precisamos mudar nossa idéia a respeito do assunto e de fato mudar, refletindo assim como de fato é a igreja de Cristo reunida na terra!
    Que o Senhor nos ajude!
    Paz!

    • Isso mesmo, Elias, vc disse bem: que o Senhor nos ajude. Pois, como disse Jesus: “sem mim nada podeis fazer”. Abraço e paz!

      • Gesiane Florentino Palagar - Igreja Critã Nova Vida Realengo II disse:

        Que texto maravilhos! Isso nos faz refletir na nossa vida cristã e se realmente estamos mesmo vivendo verdadeiramente uma vida com Cristo, porque quando eu vejo, leio, ouço ou até quando falo tenho vergonha de mim mesmo pois me incluo. É uma”vergonha” para nós que ao invés de orármos uns pelos outros estamos falando da vida alheia! Deus nos dá ordem para sermos pescadores de homens(Mt.4:19) e não de fofocas, intrigas, contendas….. Que vergonha!!!!!

      • É isso mesmo, Gesiane. Oremos e façamos a nossa parte. Beijo grande, no amor do Mestre. Lembranças ao meu querido Pr. Fernando do Amor Divino.

  9. Regina disse:

    Um amigo pastor sempre diz o seguinte: temos que clamar pela misericórdia de Deus, temos que ter em nós essa atitude. ‘fofoca gospel’ (sic) é abominável como qualquer outra e, concordando com você, eu também não aguento. Aliás, há inúmeros motivos para não aguentarmos mais muuuita coisa, mas as piores e mais doloridas são as que ‘frequentam’ o meio cristão.

    Usando o mote do seu texto anterior, vamos nos mover favoravelmente a esse aborto também? Vamos abortar as tentativas do vil tentador em nos colocar como mundanos fofoqueiros? Campanha boa pro twitter, hein? :-)))

    Sempre dizendo com clareza o que queremos dizer, ô benção!!!

    Muita Paz em JC, querido escritor

  10. Débora disse:

    Parabéns amigo.
    Sou suspeita para falar sobre esse assunto porque como você sabe já sofri muito nas mãos de pastores e de falsas igrejas.
    Saudades das nossas conversas. Sem elas sinto-me mais afastada de Deus pois não tenho mais com quem conversar.
    Abraços

    • Ô, minha amada, que saudade de vc! Não te vi nunca mais no MSN… Entra em contato, quero saber de vc e continuar orando junto contigo – e, se possível, emprestando o ombro. Não some não, é importante pra mim saber noticias suas. Um beijo do tamanho do mundo, na certeza de que Jesus te ama muito!

  11. Alex Nascimento disse:

    Realmente o povo gosta de ser gospel, e fazem tudo pra isso, o que Deus realmente quer de nós fica de lado, orar, jejuar, pregar o evangelho simples fica em outros planos. As pessoas sao crentes mas querem ser reconhecidos pelos mesmos meios que as pessoas do mundo. Parabéns pelos seus texto, sempre leio e sempre tiro algo pra minha vida. Deus te abençoe sempre, abraço cara.

    • Obrigado, Alex. Creio que nosso papel é orar e fazer nossa parte. Se cada um fizer o que puder acredito que há esperanças de um remanescente fiel. Obrigado pelo carinho e a companhia. Abraço forte, no amor do Senhor.

  12. rafael disse:

    Graça e Paz Mauricio!!!

    Um texto muuuito confrontante (Do jeito que eu gosto kkkkk) e muito edificante!!!!
    Sou grato a Deus pelos seus profetas que denunciam o pecado e falam contra a hipocresia!
    Continue assim, Que Deus lhe use mais e mais para honra e gloria do seu nome!!!

    Deus abençoe

  13. Gabriele de Vasconcelos disse:

    Sempre bom ler seus textos Maurício, tenho a certeza que Deus te usa através deste blog pra nos abençoar, e agradeço a ele por isso.
    Realmente há muito o que mudar ainda, começando de mim mesmo, e ter um irmão abençoado que é usado para nos alertar é benção de Deus.

    A paz irmão!

  14. Marcelo Freitas disse:

    O triste é ver a nós mesmos nos escandalizando com notícias velhas, mano “/ Que novidade tem em ver o homem tropeçar? Escandalizar algo que já está sendo ruim pra quem cometeu é o melhor a se fazer?

    Ainda por cima fazemos distinção entre pecadinho e pecadão:

    • Se o mano chamou a mana de idiota, sem problemas! É algo tão frívolo que nem precisa de perdão;

    • Mas se o pastor adulterou, misericórdia! Deus se apartou dele. Corta pela raiz e joga no fogo.

    .

    • Se alguém, devendo R$ 0,50, não paga, chega a ser um insulto imperdoável dizer que ele(a) é um(a) devedor(a);

    • Mas se deve R$ 10.000 reais e não paga, é constituído mais que um devedor, um ladrão de primeira.

    .

    Falta a consciência que erro é erro, sem importação as dimensões. Falta a consciência que, sendo uma ovelhinha de Deus, caído ou de pé, somos dEle (porque da Sua Mão ninguém arrebata, nem nós mesmos). Tem denominações por aí que, diante do escândalo, desassociam a pessoa por quem este veio. Como pode isso, mano? No momento em que mais se precisa de consolo e força, é botado pra fora. Tem gente que chega a pensar que foi separado de Deus por causa dessas coisas “/

    Sentir-se arrependido (em verdade), é já estar perdoado. E se o Único que poderia nos condenar, resolveu nos justificar, que diremos, pois? “Você está fora da igreja!” ? “Para trás de mim, Satanás!” ? “Não acredito que voce fez isso!” ? Deus tenha misericórdia de nós, mano =\

    nEle, que aperta o abraço à medida que me debato para me desvencilhar.

  15. Patrício disse:

    To nessa contigo.
    Em vez, de sermos profetas. Estamos mais, é querento ser amalequitas ( povo que leva, má notícia ).

  16. Andrômeda disse:

    Me incluo nessa irmão Mauricio! Infelizmente agimos, na maioria das vezes, de forma vergonhosa com relação a queda dos nosso irmãos, e precisamos lutar diariamente freando nossa língua e repreendendo os maus sentimentos.
    Creio que isso está totalmente ligado a falta de amor ao próximo, mas amor sincero mesmo por suas vidas, como Deus nos deixou como mandamento: ama-los como a nós mesmos.
    Sem dúvidas, se tivermos amor ao próximo em nosso coração, jamais nos alegraremos ou teremos prazer em ouvir/ver a desgraça destes, quanto mais sair espalhando pros outros.
    Deus tenha misericórdia de nós, que precisamos dia após dia de Sua graça para vencermos o mal que existe em nossa natureza humana.

    Grande abraço, em Cristo Jesus.

  17. Alessandro disse:

    Gloria a Deus Mauricio, um belo tapa na nossa cara, isso é bom como vc disse basta. Peço sua autorização para poder reproduzi-lo em uma reunião que faço com os jovens de minha congregação e claro que ressaltarei que o texto é seu e o blog tbm.
    Aguardo resposta. Mas uma vez , Deus abençoe sua vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s