A senhora que faz limpeza em minha casa é uma irmã em Cristo. Há alguns dias ela chegou para o trabalho, tocou a campainha e abri a porta. Ela não deu dois passos dentro de casa e disparou a falar sobre o pastor fulano de tal, que fora preso porque tinha estuprado não sei quantas mulheres, isso, aquilo e aquilo outro. “No trem vindo pra cá todo mundo só falava sobre esse assunto”, disse, tentando puxar papo e dar continuidade à polêmica comigo. Eu estava por fora da história e, por isso, fiquei escutando enquanto ela, empolgadíssima, praticamente mandava o tal pastor para o inferno, já julgado e condenado. Depois de relatar a arrepiante história com a empolgação de uma criança que ganhou um presente novo, ela ficou enfim em silêncio, enquanto aguardava que eu disparasse palavras de condenação ao tal pastor. Eu pensei um segundo e disse a ela: “Bem, vamos aguardar que se prove que de fato ele é culpado, não é? E, se for, vamos orar pela restauração da vida dele”. Pela cara dessa senhora percebi que era tudo o que ela não esperava ouvir. Porque é muito mais gostoso e empolgante acreditar que algum cristão cometeu um pecado cabeludo do que crer na sua inocência – afinal, saber que os outros pecaram faz com que nos sintamos melhor com nossa própria natureza pecaminosa, como se o pecado alheio tivesse a capacidade de diminuir o nosso. Pude perceber que ela ficou sem ação diante do que falei, pois esperava que eu – como todas as pessoas do trem – começasse a alimentar a polêmica, assumir a culpa do homem e relegá-lo para o sétimo círculo do inferno. Só que não é isso que a Bíblia ensina.

Na faculdade de Jornalismo, aprendemos uma regra básica da profissão: nunca ouça um lado só da história. Pois todo relato sempre terá mais de uma versão, mais de um ponto de vista, e os implicados sempre vão defender os seus interesses. Isso é algo tão evidente que, se assim não fosse, não haveria juízes para intermediar disputas, nem árbitros, para dizer se foi pênalti ou não: o atacante sempre vai afirmar que o zagueiro pôs a mão na bola dentro da área e o zagueiro sempre vai negar. Por isso, ninguém conhece uma moeda por inteiro sem ver suas duas faces. No entanto, muito frequentemente nós assumimos verdades sobre outros só porque “alguém disse”. O que, em linguagem bíblica, é exatamente o que significa “julgar o próximo”.

Existe a regra de ouro do trânsito que, se for aplicada a sua vida, vai ajudá-lo muito a não cometer o pecado do julgamento: “Na dúvida, não ultrapasse”. Em outras palavras, se alguém te diz algo negativo sobre um terceiro indivíduo que não está ali para se defender, não assuma imediatamente como uma verdade, mesmo que a pessoa que te passou a informação em questão seja alguém próximo de você, o seu melhor amigo ou alguém da sua família. Sempre desconfie.

Lembre-se que uma mera afirmação contada como uma grande verdade não quer dizer absolutamente nada: se eu digo que o céu é vermelho ele não será menos azul por causa disso. Mas nós, seres humanos,  somos como grandes papagaios, que propagamos maldosas inverdades, meias-verdades ou realidades distorcidas só porque alguém nos falou – e como o ser humano tem um prazer sádico e inerente de falar mal dos outros, repetimos a quem quiser ouvir sem ter sequer escutado o que os réus têm a dizer. E acreditamos em tudo! Tenho visto isso com uma frequência avassaladora entre nós, cristãos. Lembre-se das mulheres que foram a Salomão para ele decidir de qual das duas era o filho. Ambas juravam de pés juntos que eram a mãe. Salomão não acreditou, simplesmente tirou a prova dos nove e averiguou sabiamente os fatos em sua totalidade.

Uma passagem bíblica específica sobre o assunto é o julgamento de Jesus, relatado em Mateus 26. Não só porque mostra como é a coisa mais fácil do mundo levantar falsas testemunhas cheias de provas e afirmações contra alguém, mas, principalmente, porque mostra o exemplo do Mestre acerca de como reagir. Repare: “Ora, os principais sacerdotes e todo o Sinédrio procuravam algum testemunho falso contra Jesus, a fim de o condenarem à morte. E não acharam, apesar de se terem apresentado muitas testemunhas falsas“. Veja que estamos falando de pessoas que na sociedade eram altamente conceituadas, eram sacerdotes e autoridades e que apresentaram muitas provas. Mas foi tudo articulado com um único objetivo: sujar o bom nome daquele homem.

Vamos adiante: “Mas, afinal, compareceram duas, afirmando: Este disse: Posso destruir o santuário de Deus e reedificá-lo em três dias. E, levantando-se o sumo sacerdote, perguntou a Jesus: Nada respondes ao que estes depõem contra ti? Jesus, porém, guardou silêncio“. De tudo, as antipalavras do Mestre são o que mais me maravilha. O homem que teve sua honra achincalhada e seu nome lançado na lama não berrou nem esperneou para se defender. Não apresentou provas ou testemunhas que o inocentassem. Mas “guardou silêncio”. Confirmando Isaías 53.7: “Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca; como cordeiro foi levado ao matadouro; e, como ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca“. Eis o padrão cristão.

Sei que é difícil, pois nossa natureza clama por justiça. Mas foi o que o manso Cordeiro fez. Em seu exemplo, ele demonstrou que o juízo de Deus é muito, muito, mas muito mais severo que o dos homens – e do que qualquer coisa que você possa fazer para revidar ataques ou maledicências contra você. Lembre-se de Hebreus 10.31: “Horrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo“. E tem mais uma coisa: um cristão autêntico – aquele que errou no passado, se arrependeu de seus pecados, alcançou a misericórdia de Deus e se esforça por não errar mais – não condena pessoas, ainda que sejam culpadas. Pois sabe que elas são tão pó como ele. Porque o cristão que se arrependeu de fato de seus erros e sabe que o ser humano é passível de errar e ser reerguido por Cristo não devolve mal com mal. Ora e torce pela restauração do pecador. O cristão de verdade não quer prejudicar ninguém – pois sempre tem a esperança de que o outro chegue ao arrependimento e produza frutos para o Reino de Deus. O cristão de verdade não destrói: constrói. Pois quem veio para destruir você sabe quem é.

Em Romanos 12, Paulo nos ensina algo que quase nenhum cristão faz: “Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens; se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens; não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira; porque está escrito: A mim me pertence a vingança; eu é que retribuirei, diz o Senhor“. Depois de mostrar o que espera aquele que receberá a vingança de Deus pelo mal que praticou contra o próximo, o apóstolo nos diz o que fazer: “Pelo contrário, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas vivas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem“. Mas isso só faz quem é cristão de verdade.

Essa é a atitude bíblica. Esse é o procedimento. É isso o que pelo menos devemos tentar fazer. Vejo pessoas famosas do “meio evangélico” indo para a TV e a Internet para, em vez de pregar o Evangelho, agredir, atacar, ofender. Os modelos que a Igreja tem hoje agem contrariamente aos ensinamentos de Jesus. Não siga esses exemplos, meu irmão, minha irmã. Há muitos frequentadores de igreja que desejam o mal ao próximo. Que estimulam o disse-me-disse sobre o último escândalo da moda. Sem meias palavras: isso é demoníaco. É assim, entre outras coisas, que se mede um verdadeiro servo de Deus: como ele zela pelo próximo, em especial os que erraram contra si. Então, se você de fato é trigo e não joio, preserve as pessoas e lute em aconselhamento e oração para que cheguem ao arrependimento e à salvação.

Minha sugestão sincera: não se junte à massa dos que tomam de Deus o papel de juiz. Se pastor fulano estuprou alguém, se o irmão da tua igreja cometeu esse e aquele pecado, se estoura a última polêmica gospel… a atitude mais bíblica que você tem a fazer é se calar. Não se assente na roda dos escarnecedores cristãos. Não alimente o disse-me-disse. Não ponha lenha na fogueira. Sei que o Diabo fica tentando pôr a lenha na sua mão, mas resista a ele. Deixe que a língua coce, garanto que depois passa. Tente guardar silêncio e agir com amor perdoador e sofredor, pois aí a justiça do alto funcionará em favor de todos: dos acusados e dos acusadores. Inclusive você.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

About these ads
comentários
  1. Prezado Maurício, o grande problema é que a natureza humana (carne) adora as fofocas e as injúrias. É muito fácil nos depararmos com pessoas que dizem não gostar de fofocas, mas elas mesmas são agentes ativos desse câncer que infecta cada vez mais as nossas igrejas. O homem mais sábio do mundo disse de forma clara sobre esse assunto:

    “As palavras do mexeriqueiro são como doces bocados; elas descem ao íntimo do ventre” Proverbios 18:08

    As pessoas não gostam de serem alvos de fofocas, mas quando se trata da vida alheia, elas se lambuzam nas fofocas. A Palavra de Deus nos deixa claro sobre o perigo disso, veja o versículo antes do acima citado:

    “A boca do tolo é a sua própria destruição, e os seus lábios um laço para a sua alma.” Provérbios 18:07.

    Que as pessoas possam entender o quanto as suas palavras e o juízo precipitado pode levá-las a destruição.

    Um forte abraço…..

    • Oi, Renan,
      .
      cabe a nós orar por elas e amá-las, para que possamos ser o canal por meio do qual Deus trará arrependimento a suas vidas.
      .
      Abraço forte, na paz que vem de Deus,
      mz

  2. Marcelo Magalhães disse:

    Olá Mauricio, bom dia!
    Glória a DEUS por tua vida meu irmão, pois essa mensagem falou tanto ao meu coração (Estou chorando…), pois quantas vezes julguei as pessoas. Graças e misericórdia de DEUS, estou arrependido e sei que DEUS já me perdoou por todos meus erros do passado.
    Que DEUS continue a te usar para honra e glória do nome de Jesus!
    Um grande abraço meu irmão em Cristo!

  3. Mery disse:

    Maurício ,obrigada por esse texto maravilhoso,veio para me corrigir.

    Mery

  4. valdir disse:

    Recentemente amigo, senti esse mal muito de perto a me afligir, meu coração
    estava condenando uma pessoa, simplesmente por não concordar com a sua
    opinião, mas guardei meu coração no momento e, mais tarde confessei o pecado
    a meu irmão na fé, pedia a Deus perdão e misericórdia, tenhamos consciência de que
    aquilo que o homem semear, ele colhera..

    A paz amigo…

  5. Alex Costa disse:

    Concordo plenamente Zágari, essa foi minha postura também, no meu trabalho esse assunto por exemplo, foi amplamente questionado e minha posição foi: “Vamos aguardar o julgamento”. isso não nos cabe. Mais um excelente post;

    Abraço;

    Alex Costa

  6. Eliana disse:

    Nossa, Maurício, que benção de texto… Sem palavras… Julgamos sem admitir que fazemos isso….
    Que o Senhor tenha misericórdia de nós!
    Deus te abençoe, querido! Bjo, na paz!

    • Queridíssima Eliana,
      .
      fico feliz pela tua percepção, querida.
      .
      A propósito, nao me esqueci do teu email. Eu realmente nao consegui parar para responder, mil desculpas. Vou ver se no feriado consigo um tempinho, ta?
      .
      Te amo em Cristo, mana do coração.
      .
      Beijo pra ti e pro Brainer, esse maridão amado,
      mz

  7. Luiz Fernando disse:

    Perfeita a reflexão.
    Amor: ainda é e sempre será o alicerce da vida cristã.
    Deus o abençoe. A paz do manso Cordeiro.

  8. Luciano Firmino disse:

    Graça e paz da parte do Nosso Senhor Jesus Cristo.

    Que o Espirito do Todo Poderoso continue lhe espirando a escrever continuamente.

    Paz em Cristo

    Luciano

  9. manukieling disse:

    … pois é, devemos evitar a roda “gospel” de escarnecedores, porque uma vez ouvinte, você acaba se tornado um propagador… vigiar, sempre!!

    Deus te abençoe, Mauricio!!!!!!!!!! :)

  10. Luciano Firmino disse:

    Graça e paz meu irmão
    Que o Espirito do Todo Poderoso continue lhe inspirando continuamente.

    Na paz de Cristo Jesus

    Luciano

  11. Luciano Firmino disse:

    Mano não sei se seu e-mail mudou mas segue o meu se possível me envie o seu. Grato.

    • Feito! Algumas pessoas não têm recebido e-mails meus, descobri depois que o Yahoo considerou minha conta “altamente suspeita” porque um virus enviou mensagens para algumas pessoas da minha lista de contatos. Talvez por isso mensagens tenham se extraviado.
      .
      Abraço, querido,
      mz

  12. Gisele Bastos disse:

    Maurício,excelente texto.
    No filme de Mel Gibson sobre as últimas horas de Jesus, vemos exatamente os versículos citados, o Mestre está em silêncio. Mas além do silêncio pude ver olhos de amor, amor por todos aqueles que imputavam a culpa que não existia. Pouco antes de morrer Suas palavras foram: Pai, perdoa-os porque não sabem o que fazem… Me incomoda ver pessoas tão apressadas em acusar este ou aquele… Onde está a misericórdia dos cristãos? O texto bíblico de Mateus 7:2 diz: Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós, ou seja, com a mesma medida que medirmos seremos medidos…. isso por si só já bastaria para nos fazer calar.. mas não, a incessante busca pela justiça com as próprias mãos continua imperativa. Ora, há outro versículo que diz: Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades como um vento nos arrebatam (Isaías 64:6). Como podemos julgar nosso próximo se somos tão falíveis e tão suscetíveis a erros… Fico muito triste de ver e ouvir acusações e julgamentos. Mesmo que se julque que o tal pastor é culpado, não precisará ele das nossas orações e da misericórdia de Deus? O que fala a Bíblia sobre o filho pródigo. Que assim como as misericórdias de Deus se renovam a cada manhã também nós efetivamente façamos uso delas!!! Que a paz de Cristo esteja com todos.

    • Oi, Gisele, tudo bem? Espero que esteja tudo joia contigo e a família.
      .
      Compartilho da tua visão, mana. Resta pedir misericórdia para que Deus comece a mudar a nós mesmos, para que possamos dar exemplo vivo. Já seria um ótimo começo!
      .
      Beijo pra ti, no amor maior,
      mz

  13. Ruan Nunes disse:

    Grande apologéta! Que o Senhor te ilumine cada vez mais! Vamos marcar um dia na sua agenda pra nos visitar aqui no norte! Paz!

    • Olá, Ruan,
      .
      você é muito gentil, irmãozão. Obrigado pela oração. Quem sabe um dia vamos para mais perto da linha do Equador, não é?
      .
      Abraço grande, na paz do Mestre,
      mz

  14. Marco Juric disse:

    Bom dia Zágari!

    É verdade. Muitas vezes somos impulsionados a julgar alguém apenas pelo que a maioria diz…
    Algumas vezes já fui criticado por ponderar em algumas situações e/ou questões em que, não existindo comprovação dos fatos, havia maioria decretando a sentença.
    Tenho certeza que aprendi muito com meu pai que sempre dizia: “teoricamente…”
    Sempre que havia uma questão ou decisão a ser tomada ele dizia isso como forma de analisar bem a situação antes de dar o próximo passo.
    Realmente temos que conhecer e praticar o que a Palavra de Deus nos ensina.

    Abração Mano!!

    MJ

  15. solange vieira disse:

    Boa Tarde !
    Como vai ? espero que bem, uma coisa ficou latente em todo o seu texto e creio jamais esquecerei,sabe aquelas palavras que ficam guardadas lá dentro ,ficará ecoando :
    “”””Não me asssentar na roda dos escarnecedores cristãos””” ,pois as vezes sem perceber ,no meio de tantas conversas, acabamos dizendo :é mesmo, e concordando com os pré-julgamentos. Melhor guardar silêncio e sair fora,como o pecado, fugir do meio .

    A paz e abraços fraternosos em CRISTO JESUS.

  16. walace alves disse:

    Incrível como há mais de Deus para nós, não somente ir na igreja e se apresentar como um cristão, mas deixar Ele nos transformar totalmente…

    Excelente reflexão!!!

  17. LUCIA HELENA disse:

    Mas o que se gloriar,glorie-se nisto:em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR,que misericórdia,juízo e justiça na terra,porque destas coisas me agrado,diz o SENHOR.

  18. Re Gina disse:

    A lucidez do seu texto alegra o espírito, mano!
    Como é bom “ouvir” o Evangelho como ele é, dá tanta esperança!!!

    Outrossim, se formos aos facebuks da vida vamos deprimir com o escorraçamento gospel que muitos, que se apresentam como cristãos, fazem com irmãos ou não – isso entristece e deprime, afasta o Espírito. É demoníaco mesmo.

    Espero que esteja bem, e a filhotinha também ;)

    Abraços fraternos, mano

    • Oi, Regina, há quanto tempo! Que bom ouvir (ler rs) de você,
      .
      fico feliz que o texto te falou ao coração, mana. Dura vertitas, sed veritas…
      .
      Abraço carinhoso pra ti, no amor maior,
      mz

  19. Bruno Vilela disse:

    O maior problema reside na intenção e não no ato de julgar em si, pois o próprio Jesus disse “Não julgueis segundo a aparência, mas segundo a reta justiça”, ou seja ele não nos eximiu de julgar mas condicionou o julgamento, que deve ser motivado pelo amor sempre (como descrito em outras passagens), e não no sentido de condenação (que é o significado da palavra julgar em Mt 7).

    Fora o fato de que o clichê “não julgueis” também virou pretexto para omissão infelizmente, sendo que não era isso que Jesus queria dizer, se possível escreve sobre isso qualquer dia Zágari, que é outro perigo enorme junto as más intenções que você descreveu.

    Um abraço

  20. Danila disse:

    Olá Maurício,
    Pôxa,esse post foi um tapa de luvas em mim.Como havia relaxado em algumas passagens bíblicas que vce citou meu irmão!
    Sobre tal pastor eu esperei, pois tbém penso q os 2 lados da estória tem q ser avaliados,mas não orei por ele…Obrigada por lembrar-me do q é ser um verdadeiro discípulo de Cristo.
    No amor dEle,
    Danila.

  21. Valderi disse:

    Mauricio, isso me deixou com uma dúvida.

    Lembro-me que conversei com minha esposa sobre o caso desse pastor e disse a ela os crimes que estavam-no acusando. Ela disse que não sabia muito bem da história. E na mesma hora pensei nos programas de televisão que ele tinha ido.

    É certo que não devemos julgar. É certo.

    Mas não podemos ficar irados, indignados, frustrados e com raiva desses grandões que parecem na mídia, com ar de santidade e autoridade, e de uma hora para outra descobre-se que são mais sujos que pau de galinheiro?

    Quando surgiu a notícia sobre a prisão desse líder religioso, fui um dos primeiros a defendê-lo. Mas ao desenrolar da história, ficou muito difícil acreditar que ali algum dia morou o arrependimento.

    • Valderi, olá,
      .
      mano, não quero comentar o caso específico, até porque não tenho acompanhado o desenrolar das coisas. Mas, falando de forma sistêmica, enquanto não se constata o crime há espaço para dúvidas. A pessoa pode ser tratada como suspeita, mas não como culpada. Se for comprovada a culpa, indignação e frustração são reações normais, mas o sol não pode se pôr sobre elas. Pois, passado o impacto inicial, há que se buscar fazer o que o evangelho propõe: a restauração da vida que pecou. Se de fato não houver arrependimento com mudança de atitude, aí sim consideremos o tal como gentio, mas, até isso ocorrer, não podemos tirar de Deus a capacidade de estender sua graça. É como penso, mano.
      .
      Abraço, na paz do Mestre,
      mz

  22. Tania Passos disse:

    Amado irmão Mauricio,
    A sua linha de pensamento é extraordinária, ricamente esclarecedora, à luz da Palavra. Suas reflexões são lógicas, racionais, tão simples quanto o Evangelho. Como eu tenho aprendido com vç meu irmão! Dou glória a Deus pela tua vida, pq como vç bem sabe tudo vem Dele.
    Que Ele continue te abençoando, vç e sua familia.
    Abraço e paz
    Tânia Passos

    • Olá, Tânia,
      .
      muito obrigado por suas palavras gentis. Louvo a Deus por alcançar teu coração com as simples reflexões que aqui compartilho.
      .
      Beijo fraterno, em Cristo,
      mz

  23. Gisele disse:

    Zagari, irei ser sincera, não julguei esse pastor por esse suposto crime, mas o julguei pelas suas pregações. É aquele tipo famoso de pastor neopentecostal. Vi alguns vídeos dele e fiquei revoltada. ( um em questão era que supostamente alguém se levantava com a cadeira na mão para jogar nele quando esse mesmo desvia a cadeira e caiu no chão supostamente demoniado). Só que dá pra perceber claramente que o vídeo é uma enganação. Não consigo admitir alguém zombar de Deus desse jeito. E ainda mais enganando pessoas. Só uma pessoa muito calma, não costumo julgar, falar mal de alguém, mas quando zombam de Deus, viro uma fera! Não consigo ter essa sua calma, preciso orar mais! hehe

    Obrigada Zagari, seus post sempre caem como uma luva!

    Deus te abençoe cada dia mais!

  24. Camila disse:

    A paz querido irmão,

    Estou com fobia de blogs. Blogueiros e blogs cristãos que até ontem eram referencia para mim hoje ,infelizmente, não são mais. Esse juízo furioso contamina a gente. Sem perceber estamos lotados de violência e imisericórdia. “Se o irmão fulano, de “tal” blog, ou o pastor “tal”, está esculachando “tal” ministério, então vou esculachar também, afinal, eles são homens santos e sabem bem do que falam.
    Estamos precisando de mensagens apaziguadoras, uma vez que mais importante que defendermos o evangelho puro e simples, é vivê-lo.
    O teu blog tem sido benção em minha vida. É bom ver o teu caráter e mansidão. Deus continue te guardando e sendo a sua direção.
    Eu escrevo (não tão bem quanto você). Na verdade criei esse blog mais como um diário. Lá coloco minhas observações, às vezes angustias, e o consolo que Deus sempre dá – aos que o buscam afim de serem consolados. Escrevi um texto essa semana, tem um pouco haver com este assunto. Vou postar aqui caso se interesse. Oro pra que o “despreze o mundo” também seja um apaziguador: http://desprezeomundo.blogspot.com.br/2013/05/como-tornar-se-um-cristao-inutil.html

    Na paz daquele que era, é, e há de vir.

    • Oi, Camila, tudo bem?
      .
      Mana, fico feliz que o APENAS tenha sido edificante na tua vida. Fico feliz também por você estar compartilhando suas reflexões por meio do seu blog, te incentivo a continuar.
      .
      No que tange à blogosfera, infelizmente você tem razão: a irrelevância e a arrogância têm dominado muitos. Ainda há muitos bons blogueiros, graças a Deus. Que o Senhor noa ajude a manter o senso critico sem perder a ternura.
      .
      Um beijo fraterno, na paz do alto,
      mz

  25. Lazaro disse:

    Simplesmente benção!

  26. Claudio Nossa disse:

    Zágari, quanto tempo querido, como vai?
    Preocupo-me não com os julgamentos ou pré-julgamento, e sim, com a forma que a igreja visível reflete com esta situação. Qual o motivo para que estes eventos ocorram em nosso meio, principalmente, em arraiais pentecostais? Será que tais acusações são incomuns? Alguém já ouviu falar de outro pastor, menos famoso que este, ter cometido este desvio? Amigo, não quero acusar ninguém, mas na minha opinião sedenta de justiça, já que Deus ama o direito, que se investigue, se ele for inocente saberemos, se for culpado, pague. O misticismo tomou conta da igreja, basta alguém falar em mistério, trazer uma interpretação ou ser usado em um milagre que a glória deixa de ser de Deus e passa ao homem e ai daquele que se ousar falar o contrário ou discordar daquele “ungido”, tais pessoas recebem presentes, em dinheiro e em patrimônio, porém, isso não se discute. Só vejo as pessoas querendo nos calar: Não julguem! Ora, quando Jesus disse pelos frutos conhecereis as árvores, é um julgamento, ou não? Meninos, isso somos, veja o que diz o Apóstolo Paulo:
    Já por carta vos tenho escrito, que não vos associeis com os que se prostituem;
    Isto não quer dizer absolutamente com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo.
    Mas agora vos escrevi que não vos associeis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com o tal nem ainda comais.
    Porque, que tenho eu em julgar também os que estão de fora? Não julgais vós os que estão dentro?
    Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai, pois, dentre vós a esse iníquo.
    1 Coríntios 5:9-13
    Como compreender este texto bíblico a luz do seu artigo? Amigo, se a gente não disciplinar a igreja por causa da misericórdia perderemos todo o povo, já que pensarão: Posso comer o fruto da árvore, pois, não morrerei.

    • Olá, mano,
      .
      penso que se nós não disciplinarmos a igreja Deus disciplinará. E a disciplina do Senhor é justa, inerrante e perfeita. A do homem está longe disso, é impiedosa, carnal e nada compassiva. Em 2Sm 24.14 bem disse Davi: “Estou em grande angústia; porém caiamos nas mãos do SENHOR, porque muitas são as suas misericórdias; mas, nas mãos dos homens, não caia eu”. Só quem já foi acusado de ter feito o que não fez e enfrentaro o cruel julgamento da igreja entende isso.
      .
      Abraço, querido, Deus o abençoe,
      mz

  27. Soraia disse:

    A paz Mauricio,
    Me senti abençoada com o post e não pude deixar de comentar, mas uma alerta que precisa ler.
    Abraços!

  28. Gilmar disse:

    Muito bom o texto!

    O mais difícil nisso tudo é saber se devo ou não me calar diante de algumas coisas. Se estou vendo um pastor pregando heresias, devo ou não alertar as pessoas a se afastarem disso? Devo ou não falar que ele está errado? E quando vejo que ele é um pilantra. Que só prega prosperidade e só está interessado em extorquir o próximo (tipo Marco Feliciano), devo ou não me calar. Me sentiria um covarde se me calasse diante dessas coisas! Até onde estou defendendo o evangelho e a partir de onde estou querendo ser juiz e tomar o lugar de Deus? Difícil saber!
    Abraço.

    • Olá, Gilmar, tudo bem?
      .
      Mano, o combate a uma heresia não é um julgamento (que trata-se de uma especulação) Também não é uma agressão a uma pessoa, mas sim a uma ideologia, a um pensamento. Uma coisa é eu atacar a honra do herege, outra coisa é eu atacar um pensamento maligno que é atribuído a Deus. Heresias devem ser combatidas. João combateu os gnósticos em suas epistolas e no evangelho que escreveu. Outros hereges foram combatidos pelos primeiros cristãos, como Marcião, Pelágio, Celso e tantos outros. O mesmo houve na época da Reforma. E devemos continuar em nossos dias. Assim como eu e você erramos, devemos orar para que os hereges se convertam de seus maus caminhos e encontrem a salvação.
      .
      Em resposta direta à sua pergunta, se vc vir um pastor pregando heresias, alerte seus irmaos contra a heresia. Nao ataque o pastor. Basta iluminar os irmaos acerca daquilo que ele prega.
      .
      Se vc vê que alguem é um pilantra (com provas que justifiquem o que afirma e nao porque “acha”) deve alertar sim os irmaos. Paulo nominou Demas e Alexandre. João nominou Diótrefes. Portanto, é bíblico.
      .
      Julgar o próximo, segundo a Bíblia, é:
      – Acusar alguém de fazer algo quando nós também fazemos a mesma coisa ou pior;
      – Condenar alguém como culpado de algo sem ter provas, só porque eu “acho”.
      .
      Espero que isso tenha clareado suas ideias.
      .
      Abraço, mano, na paz de Cristo,
      mz

  29. LIGIA MARIA DA SILVA BARROS disse:

    SER VERDADEIRAMENTE CRISTÃO E VIVER O CRISTIANISMO É MESMO UM EXERCÍCIO PERMANENTE DA PRÁTICA DO AMOR.
    A PRÁTICA DO AMOR AO PRÓXIMO PASSA EXATAMENTE PELA HUMILDADE DE NÃO QUERER SER DONO DA RAZÃO.
    O EVANGELHO ÀS VEZES É PREGADO EVIDENCIANDO MUITO MAIS O PECADO DO QUE O AMOR.
    PENSO QUE OS LÍDERES RELIGIOSOS NÃO DEVERIAM LEVANTAR BANDEIRAS CONTRA PRÁTICAS DISSO OU DAQUILO E SIM DEMONSTRAR E PRATICAR O AMOR QUE JESUS TÃO BEM NOS ENSINOU.
    “CONHECEREIS A VERDADE E ESSA VOS LIBERTARÁ”.
    ENSINEMOS A PALAVRA, VIVAMOS A PALAVRA E O MAIS DEUS FARÁ.
    DEUS O ABENÇOE SEMPRE.

  30. Jose Junior disse:

    A paz de Deus nobre amigo!

    Sua observação foi muito boa para atentarmos para o perigo de julgamos nosso próximo.
    Mentalizei “a cena” da irmã em seu apartamento e de como realmente temos a tentação de agir como ela (e claro, e de como devemos nos portar como você). É a pura verdade.

    Infelizmente o exemplo que você mencionou é uma realidade trágica, e com a popularização da Internet, isso ficou fora de controle. Em poucos instantes, “um pecado ocorrido lá no Oiapoque” chega ao Chuí, e explodem os julgamentos e pré-julgamentos em redes sociais, e-mails, SMS, sistemas de rádio e tevê, etc.

    Eu estava observando uma situação há uns dias atrás.
    Uma irmão discutindo com outra sobre o “dar a outra face”. Continuei e em certo ponto da conversa fiquei curioso e perguntei se era fácil cumprir “isso tudo o você falou, digo, Mateus 5?”.

    O cerne da conversa era sobre se era certo ou não o manifesto evangélico da próxima semana na Esplanada dos Ministérios. A que “citou Mateus” achava que não, que não devemos rebater as criticas sobre os manifestos homofóbicos, mas sim orar em secreto para que Deus faça a obra; a outra dizia que se “eles podem a gente também pode”, e que portanto devemos ir de encontro a qualquer tipo de acusação contra os bons costumes.

    Lembrei-me de um texto em que você exemplifica que enquanto o mundo solta enormes torpedos contra a Igreja, esta apenas revida com “traques e balas de festim”. Desculpe por misturar os assuntos, mas coadunei-os em minha mente e não tive como fugir.

    Acredito que deixar de ceder às fofocas e julgamentos seja alcançado por permanente “treinamento” no Espírito Santo, haja vista que é muito tentador agir na carne quando se esta em frieza ou monidão espiritual. Mas em Jesus podemos vencer essas tentações.

    É isso.
    Que oremos ao Senhor nosso Deus para que tenhamos um guarda à nossa boca e pensamentos e não nos deixemos ceder às tentações de cair em diálogos que apenas corrompem a nossa santidade e nos põe como julgadores. Maus, por sinal.

    Que Deus abençoe você ricamente.
    Meu abraço fraterno, de estima e consideração.
    No Senhor Jesus, sempre.
    José.

    • É isso, José. A tentação de agir – e reagir – como o mundo é enorme. Só que não somos o mundo. Peço a Deus que sempre nos lembremos disso.
      .
      Abraço, mano, Deus te abençoe muito,
      mz

  31. Vamos orar também pela irmã que trouxe a notícia que inspirou o tema.
    Louvo a Deus pela tua vida e que o Senhor continue fazendo dela uma fonte de edificação.

  32. Esdras Santana Mendes disse:

    Olá, Mauricio!

    Sempre digo que o Senhor nôs fez “reino e sacerdotes”, NÃO juízes dEle ou de quem quer que seja. É como você escreveu “[...] um cristão autêntico – aquele que errou no passado, se arrependeu de seus pecados, alcançou a misericórdia de Deus e se esforça por não errar mais – não condena pessoas, ainda que sejam culpadas.”

    Já fui juiz e também réu, e sei que a primeira função parece confortante, mas, ao final, é trágica, pois vai tornando a pessoa cada vez mais intolerante, legalista e hipócrita, etc. Falando em hipocrisia, o mundinho gospel tem sua hierarquia de pecados e, não sei se você concorda Maurício, os pecados sexuais ocupam, em regra, o topo da pirâmide, enquanto a intolerância, a indiferença, falta de amor para com o próximo, a mentira, etc., estão caindo no senso comum de pequenos delitos.

    O conselho é sempre ter o exemplo de Cristo na mente e na “praxis”. Que em todas as situações possamos aplicar a Palavra a partir da leitura da vida de Cristo.

    NEle que é amor e perdão,

    Esdras

  33. isac disse:

    ótimo post Irmão Zágari. essa questão de você olhar os dois lados é muito forte e correta, pois se você assim fizer estará sendo sábio, como diz o verso Bíblico: Não julgueis segundo a aparência, mas a reta justica. e assim você não venha condenar, mas orar por ele. que o Senhor nos ajude a assim agir. irmão Mauricio, Te Amo em Cristo Jesus. isac.

  34. madalena disse:

    Parabéns por todos os post, que você posta Irmão Zágari, vejo que você tem muito conhecimento, me tornei uma leitora fiel do seu blog, e fico todos os dias olhando e aguardando novas postagens. ler os seus post tem me trazido muito conhecimento, e a sua forma de escrever nos prende a atenção nos trazendo o desejo de ler até o final. Muito obrigado por essas palavras edificantes que você escreve, continuei sendo este autor e tanto, sempre falando da palavra do Senhor, que com certeza muitas almas serão abençoadas por meio das suas palavras em nome do Senhor Jesus!
    um abraço fique na paz de Deus.

  35. Alciane disse:

    é amigo, é muito mais facil julgar do que ser julgado, geralmente tirar a trava dos nossos olhos para ver os nossos erros é dificil, e então acabamos julgando as pessoas sendo que muitas vezes agimos igual ou pior do que a pessoa que estamos julgando, vc é uma pessoa sábia e tenho certeza que tem ajudado a muitos com essas reflexões, que Deus continue te abençoando e te foratalecendo. Obrigado por essas belas reflexões.
    Alciane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s