Arte1Minha esposa ganhou convites para o espetáculo de patinação “Disney on Ice”, em que diversos personagens da Disney dançam e deslizam em belas coreografias sobre o gelo. Nunca tinha assistido a nada do gênero, não fazia ideia de como era. Por isso, levamos nossa filha ao Maracanãzinho. Lá estava eu, com minha filhinha de 2 anos no colo, quando, no meio do show, entraram em cena todos os bruxos e bruxas dos desenhos da Disney, numa grande e animada coreografia. Confesso que me assustei e me preocupei. Deveria eu deixar minha doce e inocente filha ficar vendo feiticeiras e feiticeiros num cativante espetáculo de som e luz? Será que aquilo despertaria seu fascínio pelo assunto? De algum modo aquilo a levaria a se tornar uma satanista, uma adepta da bruxaria, uma depravada, uma apóstata ou mesmo uma cristã mística que dedica mais tempo ao diabo do que a Deus? Deveria eu me levantar e ir embora? A dúvida me consumia, quando entraram em cena Mickey, Minnie, Pateta e Pato Donald e, em meio a muita algazarra, expulsaram todos os bruxos de cena, enquanto a música celebrava a vitória do bem sobre o mal e a criançada ia ao delírio com a derrota das forças malignas. Sussurrei no ouvido de minha filhinha: “Tá vendo, filha, Jesus deu um jeito de fazer os maus irem embora”. E ela começou a gritar, animada: “Sai, bruxa má!”.  Esse episódio me fez refletir muito sobre qual é a diferença entre mencionar algo que vai contra os valores do Evangelho e defender esse algo. Até que ponto discorrer sobre um pecado estimula a prática desse pecado?

Minha conclusão é que entre mencionar e defender a diferença é monstruosa. No entanto, muitos de nós, cristãos, não conseguimos enxergar essa fronteira. Uma das áreas em que isso fica mais claro são as artes, haja vista as antigas polêmicas que envolvem questões como “música gospel X música do mundo”, “crente pode ir ao cinema?” etc. Sei que essa é uma discussão sem fim, que desperta paixões e defesas arraigadas, impulsivas e até agressivas (por favor, seja gentil ao discordar de minhas posições nos comentários…), sei que tem gente que considera a Disney um império satânico (graças a uma série de fitas de videocassete que um pastor com intenções que só cabe a Deus julgar lançou anos atrás, com algumas verdades sobre mensagens subliminares mas também com muitos exageros). Todavia, gostaria de compartilhar alguns pensamentos sobre o assunto.

Arte4Sempre defendi que não devemos deixar nossos filhos expostos de peito aberto a literaturas e filmes como os das sagas “Harry Potter” e “Crepúsculo” (perceba: eu disse “de peito aberto” e não que devemos proibi-los totalmente de ler tais obras). E explico por que precisamos nos acautelar com esse tipo de literatura: durante séculos, toda e qualquer representação de bruxos era sempre aquilo que a bruxaria de fato é: má. A bruxa da Branca de Neve, a bruxa da Bela Adormecida, a bruxa dos desenhos do Pica-Pau, a bruxa de Monteiro Lobato… todas as bruxas, enfim, sempre foram retratadas como alguém que joga no time do mal. Suas histórias nos estimulavam a fugir da bruxaria e a repudiá-la. Harry Potter não. Na série do bruxinho bonzinho, o bruxinho é… bonzinho. Essa é exatamente a questão. Ele é o herói. Ele é o tal. Ele é bacana. Ele é quem nossos adolescentes querem ser quando crescer. Eis aí o problema: o bruxo é o cara.

Arte7Nas histórias da saga “Crepúsculo” acontece o mesmo. Embora vampiros, ao contrário de bruxos, sejam seres fictícios, nessa saga eles são lindos, sedutores, charmosos, os galãs por quem as meninas suspiram. Mas os personagens vampiros são e sempre foram criaturas das trevas. Se você lhes aponta a cruz de Cristo o que eles fazem? A abraçam? Ou fogem? Então seres das trevas que fogem da cruz passaram a ser glorificados pela ficção. Até bem pouco tempo atrás os vampiros dos livros e dos filmes eram sempre tenebrosos, horripilantes, assustadores. “Crepúsculo” mudou isso e tornou desejável ser ou admirar alguém que foge da cruz de Jesus. É tudo uma questão da mensagem que é transmitida.

Então vemos que um pano de fundo belo pode ser o cenário para a transmissão de valores bem ruins do ponto de vista bíblico. Por exemplo: já expus em posts como “Cristão deve ouvir música do mundo?” e “O que é boa música evangélica?” que não vejo base bíblica para proibir cristãos de ouvir músicas seculares cujas letras não sejam antibíblicas. Mas isso deve ser sempre com cautela, analisando cuidadosamente e à luz das Escrituras aquilo que se consome. Para fazer um teste sobre isso decidi, por curiosidade pessoal, analisar letras de músicas de um artista que não é do meu gosto musical (e que, por isso, praticamente desconhecia seu repertório), mas que foi indicado por um homem de Deus a quem respeito muito e que gosta dele. Por essa razão decidi analisar as letras de suas canções e encontrei, em meio a muitas músicas inofensivas e bonitas aos ouvidos, também muitas que visivelmente contrariam o Evangelho e seus valores.

Arte3Minha cobaia foi Ivan Lins (que fique claro que nada aqui versa sobre a pessoa desse artista, apenas sobre as letras das canções que interpreta). Fiquei surpreso e assustado com a quantidade de valores antibíblicos em muitas de suas letras. “Vitoriosa”, “Porta entreaberta”, “Dinorah, Dinorah” e “Lembra de mim”, por exemplo, defendem uma sexualidade contrária ao padrão que as Escrituras estabelecem. Ainda nessa área, “Ai, ai, ai, ai, ai” exalta a paixão sexual ultrarromântica, assim como “Arrependimento”, que diz “Te amo, te amo, te amo / Mais que tudo, mais que Deus”.  “A gente merece ser feliz” e “Daquilo que eu sei” defendem o hedonismo. “Caminhos cruzados” advoga o amor irracional. “Acaso” transgride a soberania de Deus ao atribuir ao acaso fatos da vida. “Lua soberana” louva Iemanjá. Em “Ainda te procuro” a alusão é a buscar o amor nas cartas de uma cigana e em “Então é Natal” se insere no meio da música o mantra dos Hare Krishnas, “Hare Rama”. Já “Festas” passa uma noção totalmente equivocada do que é o Natal. A canção “Cartomante” faz um salada ecumênica: “Tenha paciência, Deus está contigo / Deus está conosco até o pescoço / Já está escrito, já está previsto / Por todas as videntes, pelas cartomantes / Tá tudo nas cartas, em todas as estrelas / No jogo dos búzios e nas profecias”.

E por aí vai.

Ou seja: nem tudo o que parece inocente apresenta valores bíblicos. Em tudo precisamos aplicar o tão falado discernimento.

Agora é preciso observarmos o outro lado da moeda: uma obra de arte apenas relatar histórias de pecados, idolatria, práticas equivocadas e tudo o que há de pior não a condena. Que o diga a própria Bíblia, que relata tudo isso e muito mais, da queda de Adão e Eva aos pecados das igrejas de Apocalipse, passando pelos de Abraão, Moisés, Noé, Jacó, Davi, Pedro, Paulo e muitos outros. O problema, a meu ver, é quando a obra defende a prática.

Arte4Já vi cristãos bons e sinceros desmerecerem livros magníficos, como o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura “Cem anos de solidão”, que relata, dentro do realismo fantástico de Gabriel Garcia Marquez, histórias extraordinárias e explicitamente fantasiosas com pecados gravíssimos, mas sem estimular ninguém a agir daquela forma. Ou “Crônica de uma morte anunciada”, do mesmo escritor, um excelente livro que fala do comportamento humano ante a morte certa. Ou, ainda, “O amor nos tempos do cólera”, uma linda história que tem como mensagem principal o fato de que o amor verdadeiro não depende de tempo, mas sim da pessoa (Jacó, que teve de trabalhar 14 anos por Raquel, que o diga). Imagine se fossemos condenar todos os livros de Sir Arthur Conan Doyle e Agatha Christie, por exemplo, por sempre versarem sobre crimes. Sherlock Holmes, a propósito, é viciado em cocaína e há roubos e assassinatos em praticamente todas as suas histórias – mas nunca se faz nelas defesa dessas práticas.

Enfim, o que consigo ver na produção artística de variados segmentos, como a música, a literatura, a pintura, a escultura e outras artes é tanto a defesa (provavelmente inconsciente, na maioria dos casos) de valores antibíblicos (como nas músicas citadas acima) quanto a exposição não panfletária de nudez (como a Vênus de Milo, que pratica topless e deixa seu “cofrinho” à mostra – ver fotos) e a representação de um amor arrebatador, desesperado e ultrassexualizado (como em Cantares de Salomão – na Bíblia). Aliás, para quem lê Cantares entendendo o que lê, o comportamento sexual da família Buendia de “Cem anos de solidão” parece história de ninar. Vênus de MiloDeveríamos remover o livro mais erótico da Bíblia do cânon sagrado por causa disso? Ou, talvez, deixar de publicar a Bíblia? Quem sabe ainda proibir nossos filhos de ler as Escrituras, porque citam sexo, bruxaria, assassinatos, genocídios, adultérios, demônios e outras coisas terríveis?

Uma coisa é defender. Outra é relatar. Creio que, por esse pudor bem-intencionado (é importante frisar isso) porém desconectado da realidade, especialmente da realidade em que vivem os nossos jovens, uma grande parcela da Igreja tem falhado profundamente em orientar as novas gerações. Não é à toa que nossas igrejas estão cheias de adolescentes solteiras grávidas e de adultos que nãos sabem como proceder com relação às artes. Pois enquanto o mundo cai batendo sem piedade, nós ainda falamos da abelhinha do papai pousando na flor da mamãe.

Há uma guerra grave e severa no mundo espiritual e, consequentemente, nas instâncias humanas, por nossos corações e mentes. Falo de camarote: eu mesmo já fui vítima dessa guerra e cometi pecados para os quais hoje, após o arrependimento, olho com muita tristeza, profundo lamento e sem acreditar que fui capaz de cometer tamanhas atrocidades. Só que cometi e hoje, embora perdoado por Deus, carrego as cicatrizes – e para sempre as carregarei. Guerras são assim: deixam mortos e feridos por todos os lados e, se você não está bem protegido num abrigo antiaéreo, será atingido. No caso, nosso abrigo chama-se Jesus de Nazaré. O mundo está usando AR-15 e tanques, enquanto nós entramos com estalinhos e pistolas de água. Fica fácil ver de que lado a corda vai romper, se continuarmos nesse caminho. Temos de proteger nossos filhos para que eles não cometam os mesmos erros abomináveis que nós cometemos no passado – e essa proteção deve ser efetuada não com alienação, mas com oração e as indispensáveis informação e instrução (sempre de forma adequada para cada faixa etária, claro). Por ter cometido pecados que hoje abomino tenho de lutar de forma arraigada para que minha filha não os cometa.

Arte7O problema é que estamos empreendendo essa luta da forma errada. Pois, em grande parte, nós, cristãos, acreditamos que a alienação é a saída: não deixe ter acesso e está tudo certo; proíba a leitura e seu filho nunca vai pecar. Só que alienação não cria jovens santos: cria jovens alienados. Isolamos nossas crianças e nossos adolescentes, em vez de instruir e ensinar. Proibimos em vez de dialogar (como se eles não fossem ler escondido ou na casa do coleguinha). A saída não é propor uma abstinência dos livros que ganharam o Prêmio Nobel só porque eles relatam histórias de pessoas que pecam, mas estimular que leiam e então discutir com eles o que ali está relatado. Quando leio para minha filha de 2 anos a história do Patinho Feio, explico que discriminar os outros porque são fisicamente diferentes é errado, é racismo, mas não a proíbo de conhecer a história. E, quando leio Chapeuzinho Vermelho, falo sobre a maldade do lobo em oposição à bondade de Chapeuzinho, não a proíbo de ter acesso por se tratar de um livro violento (lembremos que o lobo é sumariamente executado no final). Que dizer então do Gato de Botas, um mentiroso frio e calculista que, para se dar bem na vida, inventa mil ardis para enganar o rei, incentiva outras pessoas a mentir, assassina sem piedade o gigante para poder usar o castelo dele em seu plano maligno de ascensão social e no fim… vive feliz para sempre. Leio com minha filha a história, mas explico cada erro cometido, cada equívoco. E, sabe… hoje minha filha não vai muito com a cara do Gato de Botas.

Sou a favor da boa música, secular ou cristã. Sou a favor da boa literatura – secular ou cristã. Sou a favor das boas artes plásticas – seculares ou cristãs. Não deixarei de estimular minha filha a ler a magnífica obra de Gabriel Garcia Marquez, mas vamos conversar muito sobre as mensagens de seus livroArte6s – as boas e as más. Não deixarei de levar minha filha para ver os quadros da fase negra de Goya (ao lado) devido à violência e ao mal retratados neles – mas lhe contarei por que aquelas imagens são assim. Não vou fugir das galerias do Louvre onde estão estátuas greco-romanas de homens nus, mas instruirei minha filha sobre os conceitos estéticos vigentes naquelas culturas e o que podemos tirar daquilo. Bem orientada, não creio que nada disso a tornará uma depravada. Pelo contrário, a deixará instruída e prevenida. Até porque, em paralelo, estarei ensinando a ela o Evangelho, explicando por que Deus mandava seu povo dizimar nações à espada, permitia a poligamia, mandava apedrejar pessoas até a morte, ordenava que cunhados se casassem só para gerar descendentes e outras práticas bizarras que ali são relatadas mas não estimuladas na nova aliança.

Porque, sejamos coerentes, se formos simplesmente proibir nossos jovens de ler livros que contêm violência, relatos de atos sexuais ilícitos e depravados, histórias de pecados horripilantes, descrições extraordinárias de anjos duelando com demônios e relatos de experiências de seguidores de doutrinas de demônios… nenhum deles jamais leria a Bíblia.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio

About these ads
comentários
  1. Manoela Malta disse:

    Querido Zágari,
    Vou lhe dizer pela primeira vez o que sempre penso ao ler seus posts: Glória a Deus pela sua vida!
    Cresci e fui criada no meio evangélico e presenciei e vivi na pele grandes equívocos que, embora tenham sido cometidos por excesso de zelo, deixaram seus prejuízos. Mas Deus nos dá sempre novos recomeços!
    Que o Senhor continue multiplicando em você o dom do discernimento.
    No amor de Cristo,
    Manoela Malta

  2. Vitor Claus disse:

    Zgari.Concordo plenamente com o que foi dito nessa publicao.Lucidez e discernimento.O Homem nunca aprendeu a lidar bem com o meio termo;O equilbrio sempre foi o melhor dos mundos!

  3. Marco Juric disse:

    Bom dia Zágari!

    Bela e coerente exposição. Tenho entendimento bem semelhante ao seu.
    Realmente, não é ocultando/proibindo que vamos ensinar ou esclarecer. Se não conhecermos, como poderemos discernir? Como você mesmo lembrou, as Escrituras estão cheias de maus exemplos ou de exemplos “incompreensíveis” dadas as formas e dimensões das antigas ordenanças de Deus ao seu povo. Expor com conhecimento e discernimento acredito ser o desejável.
    Como bem escreveu Paulo, “Examinai tudo. Retende o bem.” (1 Tessalonicenses 5:21).

    Abração irmão!

    MJ

  4. Viviane Costa disse:

    E eu mais uma vez aprendendo com o blog… Hoje aprendi como abordar a literatura infantil com meu filho que só tem 9 meses e poder evangelizá-lo através desse meio. Obrigada. Zágari! Deus continue te usando!

    • Oi, Viviane,
      .
      ah, que bom, você vai se divertir com seu filho, espere e veja. Quando digo a minha filha que o João ficou de castigo depois que roubou a galinha dos ovos de ouro do gigante e derrubou o pé de feijão ela reage de modo muito legal. É lúdico e um bom aprendizado. Subverter os contos de fada é bem divertido – e útil.
      .
      Deus te abençoe e a toda tua familia,
      mz

  5. Encefalocio disse:

    Excelente texto, em todos os sentidos. O que tenho a compartilhar sobre esse tipo de experiência é que na minha infância eu tive um SNES (Super Nintendo) um dos meus jogos favoritos era o Donkey Kong (aquele dos macaquinhos), já ouvi vários depoimentos de pessoas que foram atormentadas por demônios que usavam a forma dos macaquinhos estúpidos (minha noiva e meu cunhado são dois deles por exemplo). A questão é: por que os macaquinhos estavam endemoniados para essas pessoas e para mim eles nunca saíram da tela da TV? Talvez haja uma série de fatores para explicar isso, mas o fato é que, hoje me dia, qualquer coisa pode se tornar um instrumento, cabe a nós, que temos conhecimento da verdade, discernir o bem e o mal que existe nas cosias. Mais importante que ouvir uma música, assistir um filme ou avaliar algum produto (seja ele qualquer) é saber os motivos para isso e reconhecer o máximo de mensagens possíveis que aquele objeto pode transmitir. No século XXI não há como fugir de algumas coisas, mensagens subliminares estão em todos os lugares, existe pornografia e incitações sexuais em programas totalmente infantis. Não bastasse isso, vivemos num em que impera o livre arbítrio e, pro bem ou pro mal, cada um faz o que quer. Soluções, fazer como Salomão e pedir a sabedoria que vem Deus para toda e qualquer situação do tipo, e outras cocitas más.

    Paz irmão Zágari, continue sempre trazendo uma luz através de seus textos.

  6. Raphael Oliveira disse:

    Bom dia Zágari!

    Deixe-me discordar um pouco de seu texto. Concordo na parte que devemos ter lucidez e discernimento, tanto que devemos saber que a maioria dessas obras é pura ficção. Lembro na época em que eu jogava RPG, muitos diziam que era coisa do diabo sem ao menos saber do que se tratava. Mal sabiam que esse foi um dos períodos que mais aprendi sobre Deus e a bíblia. Nós representávamos o bem contra o mal, sempre. O mesmo ocorre em livros como Harry Potter (que aliás, comemora-se o Natal). Ah, Nárnia é um livro absolutamente cristão e é muito parecido com Harry Potter e Senhor dos Anéis.

    Não conheço pessoa alguma que tenha lido e assistido tais filmes que tenham praticado qualquer ato de bruxaria ou vampirismo, muito pelo contrário, conheço pessoas muito íntegras, servos do Senhor também que leram e gostaram. Li tais livros quando criança \ adolescente e via como uma luta do bem contra o mal, mas logicamente, sempre soube que era pura FICÇÃO, afinal, iria pegar uma vareta e sair por ai dizendo palavras mágicas? Seria internado no hospício. Nessas obras vejo apenas a definição de que o mal deve ser destruído.

    Como você mesmo lembrou, as Escrituras estão cheias de maus exemplos. Então, o que vamos seguir, as boas práticas ou as ruins? Nunca conheci ninguém que tenha escolhido o lado ruim depois de ter lido tais obras. E você? Nunca vi ninguém virar bruxo, vampiro ou qualquer outra coisa.

    “Examinai tudo. Retende o bem.” (1 Tessalonicenses 5:21).

    Paz do senhor

    • Olá, Raphael,
      .
      na verdade, se você me permite, deixe-me compartilhar algumas informações a que talvez você não tenha tido acesso. O Instituto Barna realizou uma pesquisa alguns anos atrás sobre crianças e adolescentes nos EUA que de fato buscaram práticas ocultistas após o contato com a série Harry Potter e detectou que alguns milhares fizeram isso. Fico triste porque não me recordo dos números exatos, mas é possível que uma busca do Google te leve até essa pesquisa. Então, na verdade, há muitos que leram essa literatura e concretamente enveredaram pela bruxaria, espiritismo, wicca ou coisas do gênero. Muitos mesmo. Se desejar, leia com atenção os links deste site: http://www.spiritual-research-network.com/harrypotter.html. É preciso tomar cuidado com o fato de você não conhecer alguém que tenha ido para o mal por essas influências – pois não quer dizer que não existam. Eu não conheço pessoalmente nenhum muçulmano. Ou hidu. Ou animista. Mas há alguns milhões por aí.
      .
      Nárnia foi escrito por C.S. Lewis para explicar alegoricamente o que foi e como foi o sacrifício de Cristo. Tolkien era admirador e amigo pessoal de Lewis, o que o levou a inserir muitos conceitos cristãos na serie Senhor dos Aneis. Já Harry Potter foi escrito por J.K.Rowling sem nenhuma proposta do gênero. É dificil encontrar valores cristãos nessa série. Creio que é uma analogia um pouco deficitária nesse sentido.
      .
      O fato de ser ficção, Raphael, não quer dizer que seja inofensivo. Se você estudar a influência do cinema de Hollywood na colonização do mundo ocidental pelos Estados Unidos verá que as artes sempre foram extremamente influenciadora da vida real. Filmes ajudaram a mudar comportamentos, estimular vícios, disseminar modas e muito mais. Procure estudar sobre Leni Riefenstahl e a propaganda nazista, por exemplo. Ou Rambo, Rocky e a guerra fria. A propaganda anticomunista da ficção americana. Muitos livros de ficção foram queimados ao longo da história por governos totalitários pelas filosofias que carregavam. Desculpe, querido, ficção influencia – e muito. Leia a próxima edição da revista Cristianismo Hoje, se desejar, lá encontrará uma matéria que escrevi, exatamente sobre isso (entrevistados: Alister McGrath e Rachel Hauck).
      .
      Preocupa-me você dizer que “apenas” vê nessas obras que o mal deve ser destruído. Bem… destruído por meio de bruxaria? Não penso que Jesus concordaria com isso, se você analisar bem.
      .
      Concordo plenamente com 1 Ts 5.21 e creio que é isso o que meu texto propõe. Daí a gostar daquilo que examinamos achando que o que a Bíblia diz ser abominação para Deus é algo bom a ser retido… é uma grande distância.
      .
      Obrigado pelo carinho, mano, e por discordar como um cavalheiro. Precisamos de mais cristãos como você.
      .
      Abraço fraterno, no amor do nosso Deus,
      mz

      • Marco Juric disse:

        …e com toda certeza, tenho mesmo que continuar assistindo essas aulas…obrigado Zágari!

      • Não tem o que agradecer, queridão. Em breve nos veremos.
        .
        Abraço, no amor de Deus,
        mz

      • The Dr34m3r disse:

        Desculpe me meter onde não sou chamada mas discordo um pouquinho do que dizes. Antes de tudo não sou cristã, católica ou evangélica, só estava pesquisando um pouco sobre o assunto. Não pude deixar de notar que você respondendo o comentário, você esqueceu um pouco do livre arbítrio e que cada pessoa tem uma mentalidade e entendimento diferente, porém todas elas tendo uma versão diferente da mesma história , nenhuma deixa de estar certa, Acredito sim que os filmes e livros de ficção (até os de não-ficção) influenciam muito, porém cada pessoa reagirá de um modo, Por exemplo, minha mãe é cristã, vai a igreja todos os dias , e mesmo assim ela gosta muito os livros do Harry Potter, claro que influencia muitas pessoas mas veja bem, a história conta de um bruxo bom, que derrota o mal, então teria mais possibilidade da criança que ler, se tornar uma boa pessoa no futuro, mesmo podendo seguir os caminhos da bruxaria, wicca etc… Mesmo sendo ateísta, acredito que se houver algum Deus, ou deuses acima de nós, ele(s) jugará(m) nossos atos e não nossa crença.

      • Caríssima,
        .
        é seu direito ter uma opinião e democraticamente a respeito. Naturalmente, como ela traz em si conceitos do relativismo, do existencialismo sartriano e do ateísmo, é completamente antibíblica. Portanto, concordamos em discordar.
        .
        Um abraço e Deus a abençoe,
        mz

  7. Juliana disse:

    Maurício,
    Muito obrigada por dividir conosco essa reflexão!
    Muitas vezes fico insegura ao ler, assistir e até conversar sobre algumas coisas.
    Que o Senhor me permita discernir o certo do errado, o que devo e o que não devo fazer.
    Foi bastante esclarecedor.
    Sou grata a Deus por sua vida.
    Que Ele te abençoe todos os dias!

    • Olá, Juliana,
      .
      não tem o que agradecer. Creio que você está no caminho certo: busque informação e instrução e, a partir daí, em oração, o discernimento.
      .
      Que Deus te abençoe em dobro e sempre mais,
      mz

  8. solmar garcia disse:

    Bom dia Zágari, com muita graça de Deus você comunicou nesse texto,
    ..pois que sociedade pode haver entre a justiça e a iniqüidade, ou que comunhão tem a luz com as trevas? II Cor.6: 14 b

    Abraços,
    Solmar Garcia

  9. Nelce disse:

    Maurício, sigo seu blog por e-mail, justamente por causa de posts como este, seu discernimento e visão espiritual é inspiração para seus leitores. Muito obrigada.

    • Olá, Nelce,
      .
      obrigado pelo carinho, mas não tem o que agradecer. Agradeça a quem pôs as ideias na minha cabeça. Eu só as digitei.
      .
      Jesus te abençoe muito, com paz e graça,
      mz

  10. Luiz Fernando disse:

    Ola, Maurício. A paz do Senhor Jesus.
    Estou de absoluta concordância. Não devemos criar alienações, mas expor o erro explicando o significado do erro e suas consequências.
    Tem pessoas que dizem que ser radical não adianta nada, mas eu vejo a vida do Senhor Jesus e afirmo que Ele era uma pessoa radical: não negociava com pecado. Até porque ele foi bem detalhista ao revelar na bíblia cada pecado de todos os personagens, muito deles cabeludos.
    Esconder o erro tentando proteger, acaba despertando a curiosidade, o ser humano que já é curioso de natureza, vai querer saber como é errar na ignorância, aí que está o problema. Quem não tem sabedoria peça a Deus, que não lançará em nossos rostos, e busque na Palavra que é a fonte do conhecimento.

    E abrindo um parágrafo fora do texto. Agradeço por vc ter orado por aquele jovem, o Júnior, lembra? Então, ele saiu dá vida do tráfico, da prostituição, de vez. Ontem pregou no culto jovem, Deus usou aquele jovem de uma forma tremenda, que edificou a igreja inteira. Agradeço por você ter orado por ele, mano. Só queria que você soubesse que Deus mudou a vida de mais uma pessoa para Sua glória.
    Deus te abençoe. A paz.

    • Oi, Luiz,
      .
      que alegria saber disso! Sabemos o que Deus pode fazer mas ainda assim nos surpreendemos quando faz aquilo que lhe é característico, nao e? Abrace Junior por mim.
      .
      Quanto ao texto, ser radical é o padrão bíblico. A questão é que nossa sociedade demoniza certas palavras e faz coisas boas parecerem más. Mantenhamo-nos nas Escrituras.
      .
      Abraço, querido, na paz do alto,
      mz

  11. Jose Junior disse:

    A paz de Deus nobre amigo.

    Achei sua abordagem maravilhosa.

    Tenho filhos jovens, pré-adolescentes e um bebê de quase três anos.
    Desde de sempre eu achei que sim, as obras fictícias tem sua influência sobre a mente humana.

    Lembro-me de quando eu era um jovenzinho, e sempre que saia das matinês dos filmes de Bruce Lee eu me “achava o cara”. O ninja-mor.

    Independente do gênero do filme (faroeste, guerra, comédia, sexo, policial), normalmente os personagens centrais “exalavam exemplos” que “provocavam meus sentidos”.

    Ao ser pai e ter abraçado a Cruz de Cristo, essa cultura “pesou” em meus ombros, e tive que começar a filtrar esse material para os meus filhos. Muitas vezes fui questionado por eles, mas hoje (os mais velhos) entendem o que eu fazia e me agradecem.

    Realmente, muita coisa que esta ai na mídia pode parecer inocente, mas há muito material com “cara de ovelha mas coração de lobo”.

    Louvo a Deus por seu discernimento e alerta às nossas vidas.
    Com certeza vidas estão sendo abençoadas mais e mais com essa leitura.

    O Senhor seja contigo e sua família.
    Abraço fraterno, no amor de nosso Deus,
    José Junior.

    • Olá, José,
      .
      fico feliz que te edificou, querido. Também tenho histórias de traumas e situações causadas por ficções que muito me afetaram. Um dia, quem sabe, eu conto.
      .
      Abraço, queridão, no amor do Senhor,
      mz

  12. Concordo plenamente com você Zagari, tem que haver um certo equilíbrio, pois não tem como vigiar os nossos filhos 24 horas por dia, cabe aos pais, se prevenir mostrando o lado bom de cada coisa.

    Que Deus continue te abençoando !
    Não me esqueci de vc :) kkkk abraços

  13. Jacy disse:

    A paz, Maurício!

    Este texto, além de coerente, é muito oportuno. Imagina que estou acompanhando o Marcus em sua pré adolescência (dia 07/06 faz 12 anos) e percebo o quanto a curiosidade dele está aguçada, principalmente no que diz respeito a livros e filmes. Receio que não estou tendo sabedoria para lidar com isso. Após a leitura deste texto vou tomar cuidado e orar e ponderar mais. A propósito, gostaria de adquirir para dar a ele os seus livros ( O ENIGMA DA BÍBLIA DE GUTEMBERG, 7 ENIGMAS E UM TESOURO e O MISTÉRIO DE CRUZ DAS ALMAS) e queria sua dedicatória. rs Como faço, mano? rsrs

    Paz, querido ! :)

    • Oi, Jacy,
      .
      parabéns pro filhão! Que Deus o cubra de bênçãos e o fortaleça na caminhada!
      .
      Jacy, fico feliz que queira adquirir os livro, mas infelizmente não sei como fazer a dedicatória, uma vez que os exemplares lhe serão enviados do depósito da editora, a que não tenho acesso. Serve uma dedicatória virtual? rsrs. Falando sério: realmente me perdoe, pensei aqui mas não sei como fazer. Quem sabe em tempo breve vocês não vêm ao Rio e faço a dedicatória pessoalmente? Deus proverá.
      .
      Um beijo fraterno, na paz de Jesus,
      mz

  14. Neia disse:

    Olá ,
    Achei muito interessante o post obrigado por compartilhar o assunto conosco .
    Realmente precisamos antes de proibir ou liberar qualquer coisa fazermos uma analise sobre o assunto procurar conhecer mas sobre o tema e buscar discernir entre o oque e correto e errado a luz da palavra de Deus buscar ter um equilíbrio e
    Obrigado abraço !!!
    Jesus te abençoe e toda a sua família!!!
    Neia :)

  15. Fala meu amigo.
    Mais um texto muito esclarecedor. Exatamente como penso, o discernimento que temos do que lemos e vemos que faz toda a diferença. Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém.
    Fiquei curioso pra ler o livro “O amor nos tempos do Cólera”.
    Obrigado.

    Forte abraço.

  16. Greize disse:

    Que texto ótimo, mostra o equilíbrio. Demonizar tudo é perigoso.Além disso a criança precisa saber que há o bem e o mal.E que o bem vence.

    Já trabalhei com crianças e sempre contávamos histórias, e todas vibraram quando a bruxa se dava mal.O que me assustou foi quando lançaram o harry potter, este sim virou uma sensação na escola na época todos queriam ser bruxos e ter poderes.Tem vários educadores que falam sobre o perigo disso.
    Senhor dos Anéis é exaltado por nerds ateus, mal sabem eles que Tolkien, era católico fervoroso e vi uma palestra ótima de quanto tem mensagens bíblicas.Nos livros.
    Devemos estudar antes, pesquisar tudo, e discernir!!!!Belo post, parabéns!

    • Olá, Greize,
      .
      obrigado pelo carinho, mana. Você tem toda razão quanto a Harry Potter e Tolkien, é a verdade que muitos não conhecem.
      .
      Abraço, Deus a abençoe,
      mz

  17. Bom dia irmão querido … tudo bem??
    Cara, como sempre muito bom esse texto … e vc dosou bem as palavras: “coerência” … taí uma palavrinha em falta no nosso meio ‘cristão’ … concordo com gênero, número, grau, letras e imagens em tudo oq vc disse!
    Agradeço sempre por compartilhar… em cada post um aprendizado…
    Um abraço em você, na família e que Deus nos dê discernimento em tudo!!!

  18. Manoela Kieling disse:

    Uma relação saudável entre pais e filhos precisa ter espaço para o diálogo; se abrirmos essa porta ainda na infância, ela NUNCA será fechada e não deixaremos de ser referência para nossos filhos. Excelente post! Amei!! Deus te abençoe! :)

  19. Jacy disse:

    Amém, Maurício! rsrs

    Deus proverá! Com certeza quando for ao Rio iremos nos encontrar e então vou cobrar esta dedicatória, hein? haha

    Obrigada pelas felicitações e orações.

    Precisamos muito. Precisamos sempre.

    Deus te abençoe amigo! Abração. :)

  20. Roberta Silveira disse:

    Exato, Maurício, tudo o que você disse é o que eu e meu marido passamos para nossa filha, apesar de ter apenas 3 aninhos. Se pensarmos de forma tão radical como alguns Cristãos, nem a Bíblia leremos mais. O pecado jaz à nossa porta e devemos lutar contra ele, como você disse, de forma arraigada, com a força do Espírito Santo. Acreditamos que é a partir da mais tenra idade que devemos passar os valores Cristãos aos pequeninos, pois como diz a Bíblia: instrui o menino no caminho em que deve andar, até quando crescer não se desviará dele. PV 22:6

  21. Valderi disse:

    Mauricio, eu gosto muito de Marvin Gaye, lógico, desconsiderando as músicas como Sexual Healing e Let’s Get It On, o resto é obra prima, principalmente Whats Going On.
    O que você acha?

  22. Ruan Nunes disse:

    Grande apologéta! Qual é a possibilidade de você abrilhantar nosso seminário (Porto Velho-RO) com sua honrosa presença. Tenho um apreço muito grande por seus posts, e muitos deles levo para debates em sala. Desde de já agradecido!
    Paz!

    • Olá, Ruan,
      .
      obrigado pelo seu carinho, mano. RO é um dos poucos estados da federação que ainda nao tive o prazer de conhecer, seria uma grande alegria poder conhecer a Igreja de Cristo em Porto Velho.
      .
      Eu que agradeço, mano. No amor de Deus,
      mz

  23. Danila disse:

    Olá Maurício,
    Post oportuníssimo meu irmão,mto necessário mesmo para nossa reflexão!
    Realmente precisamos deixar de ser pais repressores e passarmos a ser pais orientadores,que ensinem os filhos a serem analistas e críticos,tendo como parâmetro a Palavra de Deus,que é a verdade.Infelizmente é mais fácil reprimir,ensinar dá mais trabalho e requer mta dedicação.Não quero filhos santarrões,quero filhos libertos pela verdade que é Jesus,que assim Deus nos conceda!
    Que Deus continue te usando corajosamente e conceda ao Apenas mais anos de existência.
    No amor de Cristo,
    Danila.

  24. Eloina Batista disse:

    Agradeço ao irmão pois os textos muito me edifica.

  25. Jean disse:

    Graça e paz,Zágari!!

    Mais um post de grande valia para nossos dias,creio que é de suma importância equilibrar os pontos liberais e conservadores deste aspecto.

    Não é de hoje que esta discussão Deus-artes-diabo,suscita o delírio de ambas as partes defensoras de seus pontos de vista.Pessoalmente percebo que o subliminar é tão presente nas artes que se formos analisar bem dá uma enciclopédia.Vejamos o caso da família..nos desenhos animados,quadrinhos,etc…a figura do pai é ausente ou quando há,é patética..o Ben10 sai pelo mundo com os coleguinhas sem dar satisfação pra ninguém,afinal ele já é aos 12 anos,’dono do próprio nariz’..Há a inserção cada vez mais presente nos filmes para ‘crianças’ de comportamentos anti-bíblicos..tomo por exemplo o filme que vi ontem com meu filho de 10 anos,Homem de Ferro 3,onde numa cena o pseudo vilão é encontrado com 2 mulheres em trajes íntimos embaixo dos lençóis ..além de na trilogia haver estar em evidência o alcoolismo e a vida luxuriosa do ‘herói’ em questão..Há toda uma sutil preparação pra criança de hoje ser consumista da cerveja de amanhã,a não ter valores familiares,a achar normal a devassidão que se encontra a sociedade neste mundo pós-moderno..e isso não é só no filme do ‘Homem de Ferro’..

    Já nos casos de letras de artistas da MPB que vão de contra o Evangelho,é exemplo da total ignorância dos autores sobre o tema,ou fruto de sua visão deturpada..bem diferente daqueles que se dizem cristãos e escrevem aberrações teológicas onde muitos de nós cantarolamos o que Deus jamais aprovaria como louvor.

    Na verdade,Zágari vc tocou num ponto certo..o autor da atual novela das 21hs,assumidamente bissexual,disse que seus textos não poderiam passar por classificação indicativa prévia,pois os filmes de Jesus(um desocupado,acompanhado de outros 12 parasitas,na visão dele ) eram exibidos na sessão da tarde sem restrição de horário tendo em seus roteiro,um festival de atrocidades mais impróprias para as crianças que seu texto…Eu até tive um problema assim com meu filho.A história de Jesus em seus últimos dias,sempre o apavorou.Ele não conseguia associar o Filho de Deus sofrendo tamanha bárbarie e eu não sabia como explicar pra ele da melhor maneira que aquilo era pra nossa redenção..E acho interessante isso ser debatido,pois estamos numa época de grande escalada da violência entre jovens e crianças..o desafio é como suavizar,se é que é possível,estas passagens,onde vemos não só a violência,mas inveja,ódio,corrupção,etc..nos textos bíblicos.

    Que o Senhor nos dê sabedoria.

  26. Olá Maurício, gosto muito dos seus posts.
    Geralmente concordo com suas posições e neste caso é assim. Creio que proibir gera mais interesse e muitos “crentes” que conheci pela vida me parecem pessoas alienadas, sem personalidade e com medo.
    Que Deus continue te abençoando e te dando sabedoria e discernimento.
    Um abraço.

  27. Bruno Fernandes disse:

    Olá, Maurício!
    Sinto tua falta no facebook e no twitter. (Apesar que não tenho estado no twitter ultimamente)
    Fiquei um tempo sem vir aqui no blog porque eu sempre vinha a partir de postagens do blog no twitter. Mas agora me cadastrei para receber as atualizações no meu email. E coloquei o blog em meus favoritos no smartphone.
    Sempre sou abençoado quando leio tuas postagens. Me sinto edificado, exortado e consolado. Sobre esse assunto mencionado aqui, eu concordo inteiramente com você. E nem tenho muito a dizer.
    O motivo real do meu comentário é:
    – Desde o dia em que você pregou no congresso de jovens na minha igreja, em Jardim Nova Era – Nova Iguaçu – eu fiquei pensando em tudo o que foi dito. Lembro das perguntas que fizemos a ti antes do início do culto. E lembro das tuas respostas. Lembro que algumas respostas me deixaram extremamente pensativo e no momento, eu nem concordei com tudo. Apesar da coerência das respostas. Mas com o passar dos dias, depois de por em prática a pregação, de estudar, buscar a Deus, eu senti o quanto a juventude de hoje prefere “pular na presença”, “correr”, “dançar” e não vão viver uma vida real com Deus.
    Sola fide, sola scriptura, solus Christus, sola gratia, soli Deo gloria.
    É isso!
    Quero te agradecer pelos teus pensamentos. Pelas tuas reflexões. E agradeço a Deus por ter falado muito através de você naquele congresso.
    Continuo te pedindo oração porque nunca é demais rs. E saiba que sempre vou interceder por você.
    Um abraço, mano!
    Paz!

    • Oi, Bruno, tudo bem?
      .
      De fato lá se vai um ano longe das redes sociais. E preciso confessar que nao sinto nenhuma falta. Tenho mais tempo, mais santidade e menos tristeza no coração.
      .
      Muito me alegra saber que nosso dia juntos naquele congresso marcou teu coração. O Senhor é bom e nunca cessa de nos fazer crescer, mesmo no confronto de ideias.
      .
      Que a paz seja contigo, querido. Um abraço,
      mz

  28. Ayres Balbino dos santos filho disse:

    Prezado irmão em Cristo Maurício,

    Cada vez que eu o leio, eu o percebo, numa tentativa constante de permanecer um cristão sim, mas um cristão contemporâneo, sem perder suas convições biblícas, mas efetivamente concectado com as grandes questões do nosso tempo, sem ser afetado por uma palavrinha que ao meu ver não é de Deus, chamada “ignorância”. Palavra essa, que infelizmente, permeia uma grande maioria de evangélicos ou new evangélicos, como a mídia intitula, e que são insuflados ou estimulados a pensar de forma retógrada pelos seus “pastores”. Com isso, esse irmão cristão, deixa de adquir no mínimo cultura geral, uma vez que a arte, talvez seja um dos maiores instrumentos para se adquirir uma boa cultura geral. Claro, que nem tudo virá em consonância com nossos crédulos, mas ainda sim, porque não ler, porque não ver… fazendo sempre o exercício crítico, separando ali o que nós entendemos por “joio e trigo.” A arte sempe será bem vinda, mesmo que “profana”, até por questões históricas, para entendermos o advento do cristianismo.
    Sou suspeito em falar, porque sou artista e cristão. Deus é fundamental na minha vida, a arte vem a seguir. E no espaço secular, existem manifestações artísticas de todos os gêneros fantásticas! Não posso exercitar um dogmatismo cego. Isso aliena.Todo dogmatismo é perigoso, não é confortável, seja lá do que for. Mesmo na arte. Não posso dizer que os impressionistas é que são o tal e os expressionistas uns reducionistas.Não posso dizer que dança é Ballé Clássico e que a Dança Moderna e Contemporânea é uma droga. Não posso dizer que a música erudita é que é musica boa e a música popular não. E po aí vai (…) Não sermos dogmáticos, nos permite recepcionar uma obra de ate sem nos amarrar, abrindo várias outras leituras e perspectivas. Penso que é preciso discernimento pra tudo na vida. No exercício de nossa fé, no exercício de conceber arte.

    Ayres Filho

  29. Vivian disse:

    Caro Maurício,

    É um enorme prazer ler os seus posts, que Deus continue te abençoando para que você escreva sempre mais sobre tudo aquilo que os outros preferem enfiar debaixo do tapete com a desculpa de que “isso não é edificante”. Antes de condenarmos algo é preciso conhecer o assunto e entender o porque não e, o porque sim também.
    Continue nos enchendo dos seus pensamentos coerentes, fundamentados na Palavra e altamente esclarecedores.
    Muito obrigada!!!!

  30. Fabiana disse:

    Absolutamente inspirador esse seu post Maurício. A razão pela qual devemos sempre pedir a Deus discernimento do seu Santo Espírito em tudo.Não sou mãe ainda, mas realmente vejo que investir tempo em nossos filhos é também fazer a obra de Deus pregando o evangelho a eles e os instruindo no caminho e como apóstolo nos ensinou, reter o que é bom.

    Deus te abençoe.

    Fabiana

  31. Paulo Carvalho disse:

    Meu irmão, MUITO OBRIGADO!
    Alguém precisava, de fato, ter se dado ao trabalho de escrever sobre este assunto. Fico feliz que o Senhor tenha lançado mão de ti para fazê-lo.
    Louvado seja o Pai pela tua existência.
    Em Cristo,
    teu irmão, Paulo.

    • Olá, Paulo,
      .
      obrigado pelo carinho. Mas nao tem o que agradecer a mim, agradeça àquele que põe pensamentos em minha mente, mano.
      .
      Abraço fraterno, no amor do Pai,
      mz

  32. Joselir Veiga Martins disse:

    Olá Maurício! Estou conhecendo agora o seu blog. Sempre te acompanhei pelo programa do bispo Walter no mosaico cristão. Sobre a questão cultural eu falo para minha esposa e minhas filhas que e para o impuro tudo é impuro, já para o puro, tudo é puro. Nem toda a música secular é ruim, assim como nem toda música evangélica é boa. Esta é minha opinião. Me formei agora bacharel em teologia e leio muito! Muitas obras, inclusive. E depois fico analisando. Muito bom. Oro pela sua vida. Jesus te abençoe!

  33. Renilde disse:

    a leitura de pequena parte me levou a querer segui-lo. Quanto às colocações de Raphael, um canal pago propagou por um período que um garoto de onze anos mordeu mais de um de seus colegas na escola, se dizendo vampiro, tendo sido inclusive denunciado às autoridades pelo pai de um deles, mas tenho para mim que isso vai ocorrer somente com quem não possui nenhuma base bíblica.
    a paz

  34. robsongabriel disse:

    Seu texto meu amigo, foi de uma felicidade impar! Note quando menciono felicidade é porque seu amadurecimento em Deus te fez ver o que passa despercebido dos olhos de muitos cristãos. Muitos por falta de orientação. (E isso tem sido muito raro nesses dias a orientação. Cada dia o ensinamento bíblico fica mais escasso. O faça você mesmo está imperando.) Enfim, sem me alongar mais. Que o Senhor continue te abençoando com mais textos como esse. A benção do Senhor venha sempre sobre ti. Abraços! Bye!

    Robson Gabriel

    • Salve, queridão,
      .
      fico feliz que o texto falou ao teu coração, mano. Vamos fazendo nosso papel de formiguinha, quem sabe não conseguimos servir na mesa algumas pessoas que estão viciadas em self-service, não é?
      .
      Obrigado pelo carinho de sempre. Abração!
      mz

  35. João P. disse:

    Discordo em partes do seu texto, mas a igreja assim como a sociedade num todo falha na instrução de crianças e jovens, o fato é que isso vai além de apenas proibir a leitura de um livro de ficção ou que uma música não seja permitida. Quer que seus filhos tenham discernimento? Faça com que eles criem raízes, os eduquem no verdadeiro evangelho e saberão o que é lícito e o que não é. A arte não precisa se enquadrar no evangelho ou sutilmente citar valores cristãos, a arte não tem esse compromisso. Visto que músicas, livros, esculturas e qualquer expressão artística trazem algo do seu criador e da sua visão a respeito de alguma coisa, e se ele não é cristão, não assume o compromisso de ter que fazer algo que os cristãos possam consumir. A arte transcende qualquer religião. Mesmo discordando acho seu texto relevante e útil.

    Que a paz de Deus seja contigo!! Abraços

  36. Walace Alves disse:

    Incrível texto sempre com argumentações plausíveis. Canso de ouvir posições que são mais pautadas simplesmente em tradições e as vezes em uma interpretação única(sem erros kk).
    As vezes sou questionado sobre musicas seculares, pois considero algumas letras como boas, inspiradoras, por exemplo: tocando em frente, Almir Sater.
    E vem um julgamento sem conversa, sem justificativas e sem fundamentos. Como existe pessoas que dizem que não podemos ouvir musicas seculares(que edificam claro kkk) e ao mesmo tempo gostam de UFC e filmes de ação(eu tb gosto disso)?, só pra dar um exemplo.

    Gosto muito das suas reflexões, pois vai além do exterior, faz pensar, refletir sobre nossas ações e pensamentos principalmente para com o nosso Deus e sobre o mundo na qual estamos! E concordo com a questão referente à proibição, vejo isso de certa forma parecida com os dos fariseus, porque Jesus sempre priorizou o interior quando perdoou o pecado daquele que veio sobre o telhado, quando orou para não tirar os seus do mundo e quando disse que o que contamina é o que sai não o que entra, nos mostrando que primeiro é quem vc é pra ele e consequentemente as ações de uma pessoas arrependida e transformada!!!

    Parabéns!!!

  37. marciaamaral disse:

    Abençoado, você não postou meu comentário…falei algo demais??? Deus te abençoe!

  38. promotor da verdade sobre tudo disse:

    MEU DEUS EU NÃO ACREDITO…. EU SÓ POSSO RIR DESTE TEXTO QUE PROMOVE A PRISÃO TOTAL DAS MENTES DE EVANGELICOS KKKKKK… SÓ COISA EVANGÉLICA PRA EVANGÉLICOS….

    A MUSICA SEXUAL HEALING DE MARVIN GAYE EH DO DIABO….
    HARRY POTTER EH DO DIABO…KKKKKK

    CARA PASSEI UM TEMPO SEM VIM AQUI…. MAS TO VENDO QUE VC SÓ PIOROU…

    E PENSAR QUE O LADO MAIS CERTINHO DOS EVANGELICOS, QUE EH MEIO CALVINISTA ESTÁ TÃO RUINSINHO ASSIM…..

    POR ISSO QUE EU TENHO TENDENCIAS AGNOSTICAS E CÉTICAS…. VIVA A CIÊNCIA!!!!

    • Querido, tenho uma excelente recomendação a você: continue sem vir aqui.
      .
      Este é um espaço de dialogo de ideias. Concordantes ou discordantes. Mas sempre as pessoas que aqui participam devem ser cavalheiros e tratar quem deles discorda com educação.
      .
      Não é o seu caso.
      .
      Você, além de sarcástico e agressivo nas suas ponderações, é um covarde, pois nem assinar com seu nome você assina. Esconde-se atrás do anonimato.
      .
      Então, por favor, até o dia em que seus pais lhe derem um pouco mais de educação e que você seja capaz de argumentar com… argumentos, por gentileza, faça seus comentários em qualquer lugar onde as pessoas apreciem a ironia, a deselegância e a ofensa. E este não é o lugar.
      .
      Se você gosta tanto da ciência, aliás, deveria buscar em Aristóteles as bases do pensamento científico para entender que as suas crenças são postulados e teorias. Como, por exemplo, a te-o-ri-a da evolução, que até hoje é reconhecida como teoria, especulação, hipótese. E, portanto, tão válida como qualquer outra teoria. Do mesmo modo que eu creio, sim, que Harry Potter tem valores antibíblicos e negativos para a infância (com base em pesquisas estatísticas realizadas pelo instituto Barna, dos EUA, que apontaram um aumento do interesse dos jovens americanos por ocultismo após consumir a serie Harry Potter). O que é um fato estatístico e, logo, cientifico, cartesiano. Estudo um pouco sobre estatística e os postulados científicos de Aristóteles e você entenderá um pouquinho sobre isso. Pois seus argumentos, até agora, foram só “KKKK”. Brilhante seu pensamento.
      .
      Até lá, caro amigo sem coragem de assumir seu nome, por gentileza vá frequentar ambientes que apreciem seu modo de ser.
      .
      Obrigado,
      mz

  39. Alessandro disse:

    Amado, mais uma vez, Deus abençoe sua vida, excepcional esse seu post.. Bravo!

  40. Fernanda disse:

    Olá Maurício, sempre leio seu blog, e por motivos de estudo estava bem atrasada dos artigos, mas deixo tudo guardado no meu e-mail e hoje estou aqui lendo alguns, me impressionei com ele e fiquei muito feliz.
    Cresci numa seita e sei bem o que é carregar as cicatrizes dos pecados que cometi por falta de uma verdadeira instrução e por falta minha de estudar a palavra. Por isso gosto muito do seu blog, por ser realista e amar a verdade.
    Amei esse artigo, considero que todos os pais deveriam lê, pois há muita hipocrisia nas igrejas e isso só afasta as pessoas de Deus.
    É a primeira vez que escrevo aqui, mas sou uma admiradora do seu blog.
    Paz!!!

    • Oi, Fernanda, tudo bem?
      .
      Fico feliz que os textos do APENAS te abençoam, mana. Ore por nós, para que assim continue sendo, ok?
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Deus,
      mz

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s