Vivemos uma época da História da Igreja em que é muito fácil nos deixar levar pela tentação de voltar nossas atenções para discussões acerca das instituições e estruturas eclesiásticas e nos esquecermos de questões que – pelo relato dos evangelhos – preocuparam e ocuparam muito mais o tempo de Jesus. Em nossos dias, “apologética” está muito na moda e sobram ambientes em que, em nome de uma suposta “defesa da fé”, se fala bastante contra igrejas, denominações e grupos eclesiásticos (e escrevo entre aspas porque 90% do que se apresenta na Internet hoje como “apologética” na verdade são só agressões e fofocas que não contribuem de fato para a saúde espiritual da Igreja). O que tenho refletido muito nos últimos tempos é sobre o risco real em que caímos de nos preocuparmos tanto em discutir aspectos relacionados às instituições eclesiásticas que pecamos por desviar nossas atenções do que mais importa para Deus: o indivíduo.

É evidente que discutir questões ligadas à instituição é importante. Afinal, se não combatemos a Teologia da Prosperidade, os desmandos de certas igrejas neopentecostais, as heresias e outros graves problemas que deformam a Igreja de Nosso Senhor estamos permitindo que milhares de pessoas sejam enganadas e mal discipuladas. Mas quando voltamos excessivamente os olhos para isso, acabamos tão preocupados com o macro que os detalhes que mais importam tornam-se periféricos, quando deveria ser o contrário.

Recentemente decidi reler todo o Novo Testamento. E tive uma percepção bem interessante. Se formos prestar atenção no foco das preocupações de Jesus e dos apóstolos, se formos ao cerne do Sermão do Monte, das epístolas paulinas, das gerais e dos livros de Atos e Apocalipse, veremos que a esmagadora maioria dos problemas apontados, os grandes desmandos, as orientações, as pregações e palestras eram quase que em sua totalidade voltadas para questões pessoais. Raramente vemos exortações contra grupos ou instituições. É a alma humana que está em debate na maior parte do Novo Testamento. Evidentemente, à luz da pessoa de Cristo e da glória do Pai.

Jesus diz uma única vez que um enfermo foi curado para a glória de Deus. Se formos ver os outros milagres de Cristo perceberemos que estavam ligados a um aspecto da personalidade do Senhor: compaixão.  Jesus perdoa pecadores. Jesus sara os que clamam a Ele em lágrimas. Jesus ensina sobre o Reino sempre em relação ao aspecto humano e individual. Jesus está o tempo todo preocupado com pessoas. Que têm nome, cheiro, dores, depressões, noites insones, desesperança, falta de paz. Mesmo quando fala dos publicanos e fariseus Ele não está criticando o grupo como um todo ou questionando sua existência, mas sim atacando aspectos falhos do coração daqueles homens, como a hipocrisia e a ganância. Tanto que chama Paulo, um fariseu, não para abandonar o farisaísmo, mas para se converter de seus caminhos pessoais equivocados.

Não vemos Jesus investir seu tempo criticando o governo romano, a organização do templo ou as sinagogas. Pelo contrário, manda pagar o tributo aos dominadores, vai às sinagogas e segue religiosamente a liturgia de culto praticada nas mesmas, não discute sobre a legitimidade do partido fariseu contra o saduceu (ou vice-versa) ou levanta bandeiras contra os essênios. Sempre vemos Jesus falar sobre questões concernentes ao indivíduo. Ele quer ensinar pessoas, se preocupa em alimentá-las, se condói do enfermo, tem misericórdia do possesso, deseja que João, Maria, Antônio, Beto e Sheila sejam alcançados pelas boas novas, perdoados e salvos. Ele não quer salvar um grupo impessoal. Quer dar vida a almas.

O mesmo vemos nas motivações de Paulo. Repare que em suas epístolas ele se preocupa não em saudar ou enviar saudações dos “adeptos da Missão Integral”, dos “ortodoxos”, os “membros da igreja emergente”, os “irmãozinhos pentecostais” ou “os que congregam nas igrejas históricas”. Ele saúda pelo nome. Menciona Estéfanas, Fortunato, Acaio, Tíquico, Onésimo, Aristarco, Marcos, Epafra, Lucas, Ninfa, Prisca, Áquila, Onesíforo, Erasto, Trófimo, Êubulo, Prudente, Lino, Cláudia e tantos outros. Do mesmo modo, não critica grupos organizados ou escolas de pensamento nefastas, mas dirige suas tristezas a pessoas como Demas e Alexandre, o latoeiro. Nomes. Gente. Almas.

Sou de Paulo. Sou de Apolo. E o que disse Paulo sobre isso? “Acaso Cristo está dividido?” (1 Co 1.13a).  João escreveu suas epístolas para combater os gnósticos, grupo herético dito cristão que pregava que Jesus não era Deus feito carne. Mesmo assim sua primeira carta, por exemplo, é extremamente pessoal. “Filhinhos” e “amados” são as duas formas mais usadas pelo apóstolo para se dirigir aos seus destinatários. E se você lê com atenção tudo o que ele escreve contra os ensinamentos dos gnósticos é sempre tendo em vista aspecto individuais dos ensinamentos espúrios e como eles afetavam pessoas. Essa carta, que podemos considerar como sendo a mais motivada por aspectos institucionais de todo o Novo Testamento, é extremamente preocupada com o indivíduo.  A releia com atenção e você verá. Os “filhinhos”. Os “amados”. E nenhuma escola de pensamento ou doutrinária é filha ou amada de ninguém. Pessoas são.

Nas sete cartas à igrejas de Apocalipse vemos referências institucionais, isso é fato (prova que essa discussão não pode ser menosprezada): aos nicolaítas e aos que seguem a doutrina de Balaão. Mas, de resto, fala a todo tempo sobre questões do coração, como o abandono do primeiro amor, a fidelidade, obras, amor, fé, serviço, perseverança. Menciona até mesmo uma tal Jezabel pelo nome, por estar pervertendo os irmãos.

A conclusão é que Deus está preocupado com pessoas. Comigo. Com você. Com quem você ama. Com quem você odeia. Com arrependimento e redenção de indivíduos. Jesus não vai salvar os membros desta ou daquela denominação, mandar todos os calvinistas para o Céu ou condenar todos os adeptos da equivocada Confissão Positiva para o inferno. O que está escrito no Livro da Vida são nomes de indivíduos. Nomes de gente. Nomes com rosto, CPF, é o filho do Zezinho da padaria e a mãe da sua amiga Carla, da escola. Gente que tem mau hálito ou que acorda de mau humor, indivíduos que falam “pobrema” e almas que moram em condomínios de luxo. O porteiro do seu prédio. O lixeiro da sua rua. O jardineiro que você nunca cumprimentou. O empregado que você jamais abraça.  O manobrista que todo dia guarda a chave do seu carro mas você nem sabe seu nome. Quando pensa em nós, o que a Bíblia transparece não é que Ele pensa em “nós”: pensa no “eu” e no “você”, cujos fios de cabelo Deus sabe de cor quantos temos.

Por muito tempo devotei muita atenção para grupos. Não que eles não sejam importantes, repito, mas hoje estou muitíssimo mais preocupado com o indivíduo. Quero chegar antes de o culto começar na igreja e cumprimentar aquela irmã cheia de olheiras sentada na última fila da igreja. Perguntar se está tudo bem – e ouvir sua resposta de fato e não por uma obrigação pseudopiedosa. Quero gastar tempo que seria meu para ir na casa da senhora doente e que não tem amigos, doar-me e não apenas aparentar estar preocupado. Quero ir ao hospital orar com o irmão de uma conhecida que está padecendo de Aids – contraída numa relação homossexual. Órfãos e viúvas em suas tribulações são pessoas. É o Carlinhos, que perdeu os pais num acidente de carro, e a Dona Rute, cujo marido teve um infarte fulminante.

Nossas igrejas estão abarrotadas de pessoas carentes, solitárias, pecadoras, infelizes. Meu papel como cristão é refletir o amor de Cristo dando-lhes calor humano. Estendendo perdão. Pacificando as animosidades. Me fazendo presente nos períodos de sofrimento. Pois aprendi o que é passar momentos terríveis, depressivos e assustadoramente solitários e nem um único cristão telefonar para saber como estou. E isso é igreja que diz glorificar Deus mas só o faz da boca para fora, pois se esqueceu do próximo – que não é uma entidade autômata, com número de série: é uma alma humana.

Enquanto não amarmos de fato, perdoarmos de fato, nos doarmos de fato e enxergarmos de fato a dor do ser humano que cruza conosco no corredor da igreja ou do supermercado… estamos frequentando a igreja para que mesmo? Glorificar Deus? Como se fosse possível uma coisa sem a outra.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Maurício

* Uma versão reduzida deste artigo foi publicada originalmente na revista Igreja.

About these ads
Comentários
  1. Marco Aurélio disse:

    Não estás longe do Reino de Deus, irmão Maurício!

  2. Mauricio, a paz do Senhor Jesus.

    Por estes dias este tema do seu post tem martelado minha mente. Exatamente o que escreveu.
    Uma outra questão é a extrema preocupação de crentes com o mundo e o que acontece de peculiar no mundo ao invés de se preocuparem com o reino de Deus, sua manutenção e propagação por meio do evangelho e do testemunho prático do dia a dia.
    Estou compartilhando no blog PCamaral.
    Que Deus continue te abençoando meu irmão!

    • Oi, PC, tudo bem? Há quanto tempo, espero que vc esteja bem
      .
      Infelizmente, querido, as paredes entre a Igreja e o mundo estão mais finas do que gostaríamos de admitir. Nos resta orar e fazer nossa pequenina parte.
      .
      Um abraço carinhoso, mano,
      mz

  3. Mery disse:

    Maurício ,como sempre um belo texto,justo hoje que estou muito sensível,pois meu pai foi para glória exatamente há um mês,e nesse tempo eu pude perceber quantos enxergaram minha dor,meu Pastor deu a mim e minha família todo apoio desde que ele adoeceu até seu falecimento,muitos irmãos foram nos visitar e trazer conforto,mas o que me deixou impressionada,meus colegas de trabalho são,espiritas , católicos, e crentes na maior parte,pois bem ,os não crentes foram todos me levar um abraço,os crentes nenhum,eu estava em férias voltei ontem ao trabalho,todos não crente vieram na minha sala me ver saber como estava,os crentes só um veio me ver os demais ainda perguntaram porque eu não fui fazer uma viagem,não aproveitei minhas férias para me divertir pode isso?
    Como você disse nosso papel de cristão é refletir no amor de Cristo,pena que nem todos pensam assim.
    Abs.

  4. Alex Costa disse:

    Simples e objetivo,excelente artigo, vejo alguns grandes amigos, que hoje dizem “evangelizar” cristãos de suas antigas igrejas, a viver uma vida fora do corpo, chama seus antigos pastores de guias cegos e estão acima do bem e do mal. Deus tenha misericórdia de mim, que voltemos aquilo que é essencial, Deus continue te abençoando Maurício.
    Abraço;

    Alex

    • É, Alex, infelizmente essa é uma realidade cada vez mais presente entre nós.
      .
      Não há nada menos cristão do que um cristão que se acha sempre certo.
      .
      Um abraço, mano, na paz de Deus,
      mz

  5. Luiz Fernando disse:

    Ola, Maurício. A paz.
    Meus olhos lacrimejaram por perceber o quanto estou longe de amar o meu próximo com verdade. Obrigado por você deixar ser um instrumento de Deus para nos lembrar qual é o verdadeiro papel da igreja, e o que é ser verdadeiramente cristão.
    Abraços no amor daquEle que chora por Sua igreja.

  6. solange disse:

    Oi Mauricio !

    Estupendo este post, parabéns,resumindo amemos uns aos outros, ensinamento básico de JESUS que muito necessitamos hoje em dia.
    Sem mais comentários.
    A Paz de Cristo meu irmão.

  7. Alessandra disse:

    Olá, Maurício.

    Prezado irmão, quero se possível que envie seu e-mail, sei que não aconselhamentos e afins, mas estou calejada de procurar ajuda, de querer ouvir mais que “Vamos Orar”, sei que oração é de suma importância e faço sem prescrição, se não puder me enviar entenderei.

    Abraços e fique na paz de Cristo!

  8. Neia disse:

    Boa tarde Mauricio tudo bem ?
    Oque vc escreveu e uma realidade como estamos nos esquecendo do que e realmente importante oque de fato tem valor que e o ser humano e nao instituicoes.As vezes entro e saio da igreja sem comprimentar e conversar com alguns irmaos os simplesmente digo Oi meio como obrigacao como sou falha nessa parte vivo dentro de uma panelinha um grupinho de individuos ate percebo a tristeza de alguns ,a solidao se outros mas nao tenho tido atitudes de me aproximar ,conversar e ate mesmo ajudar . Que Deus me ajude a ser uma pessoa mas dedicada as outras pessoas pq sem amor sem amar ao proximo e impossivel agradar a Deus.
    Que Jesus continue te usando tenho sido tremendamente edificada pelos seus posts.
    Thank you so much !!!
    Neia :)

  9. Marco Juric disse:

    Boa tarde Zágari!

    Cara, obrigado por me alertar sobre o buraco à minha frente. Como é mesmo fácil nos deixarmos levar por essa temática acerca das instituições.
    Mas graças a Deus que ainda temos nossos profetas!

    Vida longa!

    mj

  10. Franklin disse:

    Definitivamente o melhor texto que li esta semana!

    A questão é simples, ponha em segundo plano os valores mais inerentes ao verdadeiro cristianismo em prol de uma vida centrada em pseudoapologética e, inevitavelmente, cairá no falso evangelho qual você tanto luta contra.
    A respeito do falso evangelho A. W. Pink diz: “Cristo é substituído pelo cartão de apelo; o novo nascimento do indivíduo é substituído pela pureza social; e a doutrina e a piedade são substituídas pela filosofia e a política.”

    Estou certo de que o texto não sugere uma fé antropocêntrica, e sim uma que busque valorizar sinceramente CADA atributo e virtude divina como Cristo o fez. E isso é o que eu chamo de uma apologética superior, uma verdadeira defesa da fé cristã.

    Querido Zágari, há muitas árvores no jardim do nosso Senhor, e você com certeza é uma das mais frutíferas que já conheci. Tenho prazer de conhecer o poder de Deus através de homem piedosos como você.

    Em Cristo, Paz, graça e um forte abraço.

  11. Tamires Souza disse:

    “A conclusão é que Deus está preocupado com pessoas. Comigo. Com você. ” A igreja precisa de fato amar mais, se preocupar mais, cuidar dos ‘feridos’, dos ‘sujos’, dos ‘amaldiçoados’, foi isso que Jesus fez. Precisamos fazer o que já não se faz, e ir além, fazer o bem. Amar e servir ao meu próximo, sem limites, sem reservas.

    Texto abençoador Mauricio. Deus continue a te usar.

  12. Danila disse:

    Olá Maurício,
    Amém pra essa postagem meu irmão,que assim seja mesmo,que o mais importante para nós seja o indivíduo!
    Ontem mesmo refletia mais ou menos nisso.Tenho um tio por parte do meu pai que tem problemas com drogas, teve dor dente e me procurou(sou dentista),suado,não cheirando muito bem…confesso que em um primeiro momento me repugnou,mas enquanto reprimia minha carne me lembrei de Jesus,dos seus amigos e me veio a cabeça Pedro,como Pedro devia feder a peixe,andar suado por ter que trabalhar duro para sustentar sua família e Jesus se aproximou,conversou,chamou para seguí-Lo e quem sabe várias vezes o abraçou.Imediatamente comecei a ser o mais atenciosa e amorosa que eu pudesse ser com meu tio e isso foi maravilhoso.Então voltei pra casa pedindo a Deus que me fizesse amar mais as pessoas,principalmente as que mais necessitassem de amor,ou porque estão doentes,ou com problemas,ou na miséria,ou mal vestidas,ou sujas,enfim,perdão Senhor por ser tão egoísta,cega e mau,me transforma,quero te adorar em espírito e em verdade,não só de palavras.

    No amor de Cristo meu irmão,
    Danila.

  13. Interessante, o Espirito Santo tb me motivou a reler os evangelhos!
    E conhecer mais os corações e conflitos que não estão apenas em mim. Aprendi esses dias que pra entender o outro, eu preciso entender eu mesmo. A frase socrática “Conhece-te a ti mesmo”, agora tem pra mim, um sentido muito mais util, para conhecer o próximo!

  14. fabiana disse:

    É verdade,você parece que ouviu o meu clamor Maurício,tenho visto e passado por isso e o tratamento que os cristãos me oferecem é “mimada”tá bom vamos orar com vc. Mas não precisa,vc deve orar sozinha mesmo.Tenho me sentido muito só e não posso recorrer aos meus irmãos.Outra coisa é que não se respeita mais o nosso arrependimento(pecado)antes da conversão,o que vc era no passado vai ser analisado.Por exemplo: se vc foi uma mulher promiscua e divorciada,as mulheres que são casadas vão te rejeitar,tenho visto muito isso.EI! respeitem meu arrependimento.Dentro da igreja o comportamento tem sido muito parecido com mundo.

    • Fabiana, oi,
      .
      sei bem o que vc esta falando. E essa, infelizmente, é uma realidade que nunca vai mudar. Pessoas serão sempre pessoas. Pecadoras. Falhas. Injustas. Más. E eu e vc nao estamos tão longe disso, também magoamos pessoas.
      .
      Creio que o jeito é fazermos nosso papel de formiguinhas. Começarmos mudando a nós mesmos. Diminuindo nossos erros. Dando o exemplo. Amando quem nos segrega. Agindo com os maus e nao reagindo as maldades deles. É o caminho bíblico, Fabiana. Se eu e você conseguirmos melhorar o nosso próprio procedimento já será uma grande contribuição para o reino.
      .
      Quando ao seu arrependimento…quem tem de saber dele sabe, pode ter certeza. Os demais…bem, que Deus os ajude a enxergar o pecado que cometem ao te ferir e te magoar.
      .
      Oro que as coisas melhorem, mana. Até lá, sê forte e corajosa. Nao esmoreça.
      .
      Um abraço, no amor do perdoador,
      mz

  15. Ana Paula disse:

    Parabéns pelo excelente artigo, deu ate prazer de ler, é exatamente isso que devemos focar, sermos mais humanos, e menos presunçosos. Isso de atacar denominaçoes, teologias disso e daquilo e dizer que o fulano de tal era ou é um herege nunca sera algo que edifique tanto quanto voce olhar as coisas pelo lado humano, das pessoas que precisam aprender mais amar do que atacar. Isso foi uma das coisas q me afastou de uma igreja, a falta de ética e amor nas criticas.. temos que salgar nossas palavras assim diz a Bíblia.. vejo igrejas que jamais faria parte delas, tenho familias em algumas que usam de misticismo religioso mas jamais usarei da falta de amor com quem esta la, como Jesus mesmo fez e vc citou muito bem, devemos ir no coraçao, nas necessidades das pessoas e quando essa luz chega o Espirito Santo convence das demais coisas.. graças a Deus estou bem hoje, numa igreja q ensina a amar a todos.. e nunca nos acharmos melhor do que ninguem.

    • Oi, Ana, finalmente cheguei ao teu comentário. Desculpe a demora, espero que você compreenda.
      .
      Sobre o que você disse, a (verdadeira e séria) apologetica é importante e faz parte da historia da Igreja de forma indissociável. Se você ler sobre patrística verá isso. A meu ver, o grande problema é quando a apologética se torna mais importante do que o amor. O carinho. O “amar o próximo”. Creio que a defesa da fé e a devoção pelas pessoas são ingredientes da mesma sopa. Só que nao têm nem de longe o mesmo peso. E, por questões puramente mercadologicas e financeiras, a apologética de botequim vem tomando o lugar do relacionamento. Esse tem sido o erro.
      .
      Sobre a falta de ética e de amor, vc está coberta de razão. Nao temos Salgado nosso discurso. Temos sido grosseiros. E isso é o fim da picada. Há hereges e inimigos do evangelho em nosso meio? Muitos. Mas tenho de tratar isso sempre com amor cristão e nao como um salivante cavaleiro cruzado.
      .
      Fico feliz que encontramos uma família de fé saudável e amorosa. Se ali você ama Deus e ama o próximo, abençoa vidas e mantém seu relacionamento vertical e horizontal com saúde…louvo a Deus por ter te conduzido até lá.
      .
      Beijo fraterno e que o amor de Deus seja na tua vida,
      mz

  16. Nathaniéle Monteiro disse:

    Concordo plenamente com você.

  17. Esse tipo de mensagem é uma sacudida na Igreja. Sabe Maurício, essa sempre foi uma queixa constante minha, quando eu estava em uma igreja relativamente grande e me sentia apenas um número. Certa vez lendo um livro do Philip yancey, ele diz que quando Jesus subiu Ele deixou a Igreja para representá-lo. Se a Igreja falha, o mundo vai ver Deus falhando. Eu realmente não entendo as razões de Deus (me conformei com Deuteronômio 29:29), mas eu reconheço a minha falha, pois eu mesmo tenho me preocupado mais com a instituição que com pessoas. Que Deus tenha misericórdia da minha vida e da Sua Igreja. Paz.

  18. michele disse:

    Gostei muitíssimo. Louvado seja o Senhor por tocar o seu coração dessa forma. Lembrei muito da epístola de Tiago que nos estimula e exorta a termos uma vida de fé e obras.
    “E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano,
    E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?
    Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.”
    (Tiago 2:15-17)
    Devemos ter essa fé viva que torna nosso coração apto a compadecer-se pelas dores do nosso próximo.
    Fique em paz.

  19. LUCIA HELENA disse:

    precisamos nos despir do velho homem,viver e praticar o amor,tirarmos a máscara da hipocrisia,pedirmos ao SENHOR que nos liberte do nosso tão grande egoísmo e amarmos verdadeiramente o próximo como ELE nos amou.Não é uma tarefa fácil como tudo na vida do verdadeiro cristão…Mas esperamos chegar lá.

  20. maria do socorro disse:

    sempre edificantes os seus artigos meu irmão, eles são sempre as respostas para meus questionamentos, que Deus continue te inspirando… a paz.

    • Fico feliz por isso, Maria.
      .
      Obrigado pelo carinho.
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

      • Ana Paula disse:

        Mauricio gostaria de saber seu email.. queria saber q tipo de comentarios sao aceitos no seu blog, pois deixei minha opiniao aqui sobre tal assunto e nao vejo postado, creio q seria edificante… masssss queria saber como sao as opinioes q vc aceita… Abs, Paz.

      • Oi, Ana, tudo bem?
        .
        Todos os comentários são aceitos, desde que nao saiam da educação e das normas de educação. Se ainda nao apareceu seu comentário anterior é porque ainda nao tive tempo de moderar – e peço desculpas por isso. Como faço questão de responder pessoalmente cada um nao aprovo simplesmente, mas leio um por um. E fora da web a vida é bem corrida, por vezes só consigo aprovar de madrugada.
        .
        Por isso peço um pouquinho de paciência, ok? Obrigado por entender.
        .
        Beijo com afeto , no amor de Deus,
        mz

  21. Edilson Lima disse:

    Maurício, como sempre um artigo para reflexão. Temos vivido dias, onde o ser humano só pensa em si e em sua familia. Esquece que do lado dele na igreja tem um ser tão amado por Deus quanto ele e muitas vezes nem o nome sabe. As pessoas querem sim, cargo, status, mas esquecem o mais importante o amor. Parece até demagogia barata nos dias que vivemos. Mas infelizmente, é isso que vemos nos bancos das nossas igrejas. Que todos parem para refletir no que voce escreveu, pois é a mais pura verdade. Deus continue te enriquecendo e repassando para nós. Esse artigo veio em boa hora. Digo de coração, Eu te amo em Cristo Jesus.

    • Edilson, meu irmão,
      .
      muito obrigado pelo teu carinho, o afeto dos irmaos é combustível para a caminhada. Você é muito gentil.
      .
      Sobre a situação de muitas igrejas, penso que se começarmos a mudar a nós mesmos já será uma gigantesca contribuição. É nisso que tenho focado e me esforçado.
      .
      Um abraço, mano, Jesus te abençoe,
      mz

  22. silas disse:

    Parabéns por mais um belo post :)

    Mauríco, me perdoe perguntar, mas como faço pra convidar você pra pregar em minha igreja?

    Sou do rio de janeiro, Realengo.

    Graça e paz meu querido

    • Olá, Silas,
      .
      nao tem por que pedir perdao por isso, por favor.
      .
      Te mandei um email e conversamos por ali, ok? Nao cobro nada e prego por amor e missão. É só uma questão de combinarmos.
      .
      Abraço, mano, no amor do Pai,
      mz

  23. Bianca disse:

    Querido amigo queria que vc soubesse que o meu esposo vai se batizar para glória de Deus dia 05 de maio, depois de muita luta que eu passei, não sei se vc lembra certa vez contei por alto em dos seus textos.. Depois de muita oração minha e de todos que me amam, chegou a hora rsrsrs..estou muito feliz. Sei que isso foge do que foi explícito no texto mais eu precisava compartilhar a minha vitória em nome de Jesus. Então, depois de ler esse texto eu sinto uma enorme vontade de convidar vc e sua família para tomar um café da tarde ou qualquer outra coisa que seja possível, pois como não querer conhecer alguém pessoalmente que escreve textos tão animadores e que nos ajudam tanto, seus textos despertam dentro de nós sentimentos maravilhosos e que nos fazem refletir muito. Poxa Mauricio o convite está de pé eu e o meu esposo ficaremos muito lisonjeados em recebe-los.

    Pena que é preciso ter muita coragem para aceitar ir na casa de uma pessoa que vc não conhece pessoalmente, mais é isso que os seus textos fazem com meu coração!!!

    A Paz!!!!! :)

    • Olá, Bianca,
      .
      que alegria saber que a graça de Cristo alcançou seu marido. Deus é bom, minha irmã. Dê um abraço nele e lhe deseje toda a paz deste mundo.
      .
      Obrigado pelo convite, minha irmã. Como eu nao dirijo e tenho filha pequena, além de muitos compromissos nos fins de semana, fico muito limitado na possibilidade de me deslocar. Mas nada é impossível e é sempre um prazer comungar com os irmaos. Quem sabe um dia nao conseguimos encontrar as famílias, nao é?
      .
      Mais uma vez, estou muito alegre com a noticia de seu marido e grato ao Senhor por o ter tirado das trevas para a luz.
      .
      Um abraço fraterno, no amor de Jesus,
      mz

      • Bianca disse:

        Deus o abençoe Maurício, um dia na eternidade com certeza vamos nos encontrar rsrsrs.
        enquanto isso aprecio os seus textos que muito me edificam…

        A Paz!!!!

  24. Wilma Rejane disse:

    Irmão Zágari,

    Sabe aqueles textos que você lê e pensa: “Eu gostaria de ter escrito isso? “. Pois é, aconteceu comigo ao ler esse seu texto, uma obra prima que reflete tão bem a necessidade de amor em nossos dias de igrejas lotadas e corações vazios. Parabéns!

    Que nossos corações estejam contritos e arrependidos por amar tal qual Paulo, tal qual um cristão

    • Olá, Wilma,
      .
      considere o texto nosso rs. O importante é a mensagem ter alcançado teu coração e edificado tua vida. Que o amor sempre cresça em nossos corações.
      .
      Abraço fraterno, no amor do Pai,
      mz

  25. Eliana disse:

    Um dos seus melhores textos! Oro para que seja realidade na vida de cada um que ler.
    Sem mais!
    Beijo, na paz! =)

  26. Vicente Neto disse:

    “Por muito tempo devotei muita atenção para grupos. Não que eles não sejam importantes, repito, mas hoje estou muitíssimo mais preocupado com o indivíduo. Quero chegar antes de o culto começar na igreja e cumprimentar aquela irmã cheia de olheiras sentada na última fila da igreja. Perguntar se está tudo bem – e ouvir sua resposta de fato e não por uma obrigação pseudopiedosa. Quero gastar tempo que seria meu para ir na casa da senhora doente e que não tem amigos, doar-me e não apenas aparentar estar preocupado. Quero ir ao hospital orar com o irmão de uma conhecida que está padecendo de Aids – contraída numa relação homossexual. Órfãos e viúvas em suas tribulações são pessoas. É o Carlinhos, que perdeu os pais num acidente de carro, e a Dona Rute, cujo marido teve um infarte fulminante.

    Nossas igrejas estão abarrotadas de pessoas carentes, solitárias, pecadoras, infelizes. Meu papel como cristão é refletir o amor de Cristo dando-lhes calor humano. Estendendo perdão. Pacificando as animosidades. Me fazendo presente nos períodos de sofrimento. Pois aprendi o que é passar momentos terríveis, depressivos e assustadoramente solitários e nem um único cristão telefonar para saber como estou. E isso é igreja que diz glorificar Deus mas só o faz da boca para fora, pois se esqueceu do próximo – que não é uma entidade autômata, com número de série: é uma alma humana.”

    Deus chega com socorro e consolo às pessoas, justamente através de nós, não tem outra maneira mais adequada.
    Sim podemos ser discípulos de Jesus.

    Paz Zagari

  27. Elias Marcelino disse:

    Olá Maurício
    Graça a Paz!!

    Muito bom seu artigo, tenho recomendado seu blog para muitos amigos, pois vejo o quanto Deus tem lhe usado na cooperação de seu reino.
    Podemos ser muito mais do que uma instituição, seja qual for a denominação, isso eu aprendi, e sei que o indivíduo esta acima de qualquer placa, pois foi por nós que Cristo morreu.
    Lendo seu artigo, me lembrei quando fui procurado por uma irmã de outra igreja….ela estava muito triste, um dos motivos erá seu filho que se envolverá com as drogas, sendo ela membra da igreja a 10 anos, não conseguiu ajuda em sua própria igreja, pois o pastor estava muito ocupado, deveria aguardar alguns dias para falar com ele.
    O triste é que nenhum dos outros lideres se dispuseram a ajuda-lá.
    Sou pastor e também trabalho em uma empresa , meu tempo é limitado para atender a todos, mas estou sempre incentivando os irmãos a se ajudarem, a compartilharem suas necessidades, a terem comunhão, e mesmo com o tempo limitado, fazemos uma agenda de visitas, eu ou outro irmão que foi separado para me auxiliar, fará a visita.
    Podemos ser muito mais do que uma instituição, amando uns aos outros com amor fraternal, honrando uns aos outros. (Rm 12:10)
    Artigos como o seu fazem com que os crentes se despertem para o verdadeiro evangelho.

    Um grande abraço meu irmão.

    Elias

    • Salve, Pr. Elias,
      .
      louvo a Deus por ainda existirem ministros do evangelho como você, preocupados com indivíduos, dedicados ao pastoreio e devotados ao próximo. Que Deus te fortaleça e oriente nessa monstruosa responsabilidade de apascentar vidas.
      .
      Um abraço, mano, no amor do Cordeiro,
      mz

  28. Alexssandro disse:

    Mauricio hoje mesmo estava comentando a este respeito com uma grande amiga a importancia do individuo de darmos a devida atencao ao individuo e nao apresentar sistemas. Paul David em seu livro Instrumentos nas Maos do Redentor fala a este respeito se Deus soubesse que um sistema resolveria nossa questao nao teria envia seu filho para morrer por nos. Ontem fui abordado por um cara que de longe eu sempre admirei por sua incontestavel ousadia de sair falando da palavra de Deus em onibus, farois, trens, mercados porem nunca havia conversado ou sido abordado pelo mesmo. Ontem esta pessoa me encontrou em uma barbearia e como uma metralhadora saiu a disparar versiculos biblicos sob mim, profesias, e dentre outras coisas quase me obrigou a repetir algumas palavras que ele insistentemente falava e voltava a repetir foram exatos 20 minutos em que so ouvi, e ao final desta conversa uma triste conclusao ele nao queria saber da minha historia ele nao queria saber das minhas ansiedades e desejos apenas enfia o evangelho de regras goela abaixo, triste fato vivenciado ontem. Como visitador de uk hospital acredito exatamente em suas palavras temos que estar prontos para apresentar o Evangelho de Jesus Cristo que se preocupa individualmente com cada um….

    • Oi, Alexssandro,
      .
      pois é, mano, nossa fé trata de relacionamento. Com Deus e o próximo. Nao é uma fé de monólogos. Pena que muitos nao entendem.
      .
      Um abraço, querido, no amor de Cristo.
      mz

  29. roberto cunha disse:

    amigo,e caro irmão,gostei muito deste comentário,DEUS falou tremem dadamente no meu coração um grande abraço, continuei assim,não vamos nos calar,a sabedoria esta dentro de nós,fica na paz……

  30. Reinaldo Carvalho disse:

    A instituição em todas as instâncias do poder representativo deveria ser inseparável aos interesses da ordem pública,e da defesa do direito da dignidade humana,zelando pelo cumprimento da Lei constitucional.O absoluto descrédito do povo não é com a Instituição,que é uma ordenança de Deus na manutenção da ordem política e social,que infelizmente é conduzido por um força superior,contraria aos interesses da verdade,da justiça,e das aspirações populares. A casa do povo é um mero pretexto,que não engana nem o mais simples cidadão. E os sacerdotes que falam em nome de Deus,estão seguindo pelo mesmo caminho. São os antigos comedores de gente.¨Comem o meu povo,como se comesse pão.Concluindo,vejo que Deus deixou várias ferramentas para promover o bem,e nestes finais suas leais testemunhas que não se vendem,nem se contaminam para defender a causa da Justiça,afim de que ela seja aplicada se distinção para oprimidos e opressores.

  31. carlos alberto simões disse:

    Olá bendito.

    Saudações temperadas em Cristo.

    Ao refletirmos sobre este texto, sentimo-nos envergonhados por nós mesmos…

    Muitas milhas ainda precisaremos percorrer.
    A Palavra continua disponível.
    Mais do que ouvintes… precisamos praticá-la.

    Abraços temperados.

    Jornal Sal da Terra – Temperando Vidas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s