Tempo1Sempre que assisto a um filme procuro mais do que mero entretenimento. Gosto de estar atento a que mensagens posso tirar dele, que aprendizados as entrelinhas da história podem somar à minha vida, de que modo aquela produção artística tem a contribuir além da superfície da tela. Revi recentemente um longa-metragem de 1989, chamado “Tempo de glória” (foto), baseado na história real de um batalhão de soldados negros comandado por um coronel branco durante a racista guerra civil dos Estados Unidos. Muitos aspectos da trama são comoventes,  mas um em especial captou minha atenção: o tema da liderança.

No começo do filme, os soldados negros são tratados como inferiores, o tempo inteiro, pelo próprio exército a que servem. Não recebem uniformes, têm os pés feridos porque o governo não lhes fornece botas e meias, são obrigados a saquear cidades em vez de ir para o combate. Tudo aquilo joga a moral do 54º Batalhão lá para baixo. Os soldados desprezam seu líder, o coronel Robert Shaw (na foto, o verdadeiro e o ator Matthew Broderick, que o interpreta no filme). Isso aconTempo5tece porque não enxergam nele autoridade real, pois sabem que está ali apenas porque seu pai é um político influente. Shaw vê o problema e percebe que, se não fizer algo, terá de lidar com o eterno desprezo dos liderados, que só o obedecem por força da autoridade do cargo (e não por enxergarem nele alguém capaz).

É dia de pagamento. Para surpresa geral, chega a informação oficial de que, por serem negros, aqueles soldados receberiam um soldo de dez dólares, em vez dos treze prometidos quando se alistaram. O coronel sobe em um palanque e informa a tropa desse fato. A – justa – revolta é geral: os soldados começam a bradar, gritar, reclamar e a rasgar seus contracheques em sinal de protesto.  A confusão impera. Motim à vista. Todos olham de forma desafiadora para o líder a quem desprezam, já esperando dele a inevitável reprimenda ou a previsível punição por aquela sublevação. Diante da balbúrdia total, o coronel toma a iniciativa inesperada. Em alta voz ele dirige-se aos soldados:

— Se vocês não vão receber o salário prometido… ninguém vai!

E, para espanto deles, rasga o próprio contracheque, na frente de todos. Após um instante de silêncio e estupefação, todo o batalhão vibra com a atitude de seu líder e começa a aclamá-lo. Ao apoiar seus liderados e tomar as dores deles em favor da justiça, aquele homem, até então alvo de chacota e desrespeito, passa a ser honrado pelos subordinados, que começam a segui-lo pelo valor que tem e não porque ocupa um cargo hierarquicamente superior.

Tempo2Ao final do filme, numa investida contra um forte dominado pelo inimigo, em vez de seguir o que o protocolo do exército ditava e permanecer montado em seu cavalo, na retaguarda (o lugar mais protegido da batalha), o coronel desce de sua montaria para o nível do chão e posiciona-se à frente de todos, trocando o lugar mais seguro justamente pelo mais vulnerável. Aquele magnífico exemplo de liderança choca, emociona e motiva os soldados. Desculpe estragar o final do filme, mas preciso dizer: o líder que desceu para o nível dos liderados, comprou suas dores e expôs-se ao perigo pessoal para motivá-los acaba tombando no campo de batalha. Morre. E, nos créditos finais, somos informados de que, na vida real, os atos de bravura daquele batalhão, inspirados por seu líder, mudaram toda a postura do exército com relação aos soldados negros, o que incentivou o alistamento de milhares de homens e a consequente vitória na Guerra Civil.

Tudo fruto de um líder que soube liderar. E que, por isso, mudou os rumos da história.

Tempo3Não é difícil ser um líder. Para isso basta as circunstâncias da vida te porem em uma posição de autoridade. A partir daí é só dar ordens. O que é muito, mas muito fácil. Minha filha de 2 anos sabe dar ordens a suas bonecas. O difícil, isso sim, é ser um bom líder. Aquele que não precisa fazer força para que seus liderados o sigam. Que é seguido por vontade e não por obrigação. Ao longo de minha vida já vi líderes que, bastava virar as costas, todos os liderados começavam a falar mal dele. Dignos de pena. Não eram respeitados ou reconhecidos, a única coisa que fazia deles um líder era o posto que ocupavam. E um líder que é obedecido em vez de ser seguido é uma pálida sombra do que deveria ser.

O líder ideal não é temido, é amado. Não se impõe, é servido com prazer. Entende que sua liderança existe em função dos liderados e não o contrário. Quem acredita que os liderados estão ali em função de si será sempre um homem com uma miragem. O bom líder é imitado por seus subordinados, é um exemplo, um modelo. Suas decisões não são questionadas porque “quem manda aqui sou eu”, mas porque ele tem a confiança dos que lidera.

O bom líder não é o que usa artifícios e estratégias para se impor, mas é reconhecido espontaneamente como alguém que sabe apontar caminhos. É o alfa do bando não porque voou na jugular dos outros machos que disputavam a liderança, mas porque os subordinados o reconhereram como tal e lhe entregaram o cetro sem que ele precisasse mexer um dedo. Quer saber se o líder é bom ou não? Esconda-se no banheiro e ouça o que os liderados falam sobre ele pelas costas. Você vai se surpreender com o que vai ouvir. E tudo isso vale para líderes de ambientes seculares e também da igreja.

Tempo4Jesus é o modelo supremo. Ele rasgou o contracheque de sua glória para descer ao nível de seus liderados. Dispensou o cavalo de seu conforto celestial e a retaguarda da proteção do céu e se pôs de peito aberto na frente de batalha. Morreu. E, assim como o coronel do filme, com sua morte ele mudou os rumos da história. Porque, em última instância, o grande líder é aquele que será lembrado por ter aberto mão de si mesmo por aqueles que liderava e deixado um exemplo a ser seguido por gerações e gerações. O líder ordinário, o que pensa mais em si do que nos liderados, é irrelevante. É dispensável. É supérfluo. E, pouco tempo depois de morrer, será esquecido. Esse, se for lembrado, será não como um referencial, mas como um tirano, um déspota ou um pobre coitado.

Robert Shaw era um homem que, antes da guerra, só cuidava de si e sua família – depois de morrer, ganharia no máximo uma lápide como qualquer outra. Mas o líder Robert Shaw tornou-se um referencial a ser imitado; inRobert Shawspirou vidas; foi tema de livros, poesias e de um filme que recebeu três Oscars; ganhou um monumento em sua homenagem na cidade de Boston; outro em Nova York; seu nome consta de uma placa no hall de honra da Universidade Harvard; na Galeria de Arte Nacional de Washington há uma escultura em platina que relembra seus feitos (foto); todo um bairro em Washington hoje chama-se Shaw, em sua memória; e aqui estamós nós, exatos 150 anos após sua morte, falando sobre ele.  Tudo isso é um reconhecimento ao magnífico líder e ao legado que deixou com suas atitudes – mais centradas nos liderados do que nele mesmo.

Que tipo de líder é você? E que tipo de líder você segue? As respostas a essas perguntas podem alterar os rumos da sua história. Ainda há tempo de tomar coragem e mudar. A decisão é sua.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio

About these ads
Comentários
  1. Jose Junior disse:

    A paz de Deus nobre irmão!

    Que maravilha de comparação.

    Um outro ambiente que também é muito importante para o líder é o familiar.
    Você citou com propriedade o exemplo de sua família, e comentou: “Não é difícil ser um líder. Para isso basta as circunstâncias da vida te porem em uma posição de autoridade. A partir daí é só dar ordens. O que é muito, mas muito fácil.”

    Mas há exceções.
    Lembremos do post anterior a este. Muitos hão de tornar-se lideres sem querer e não saberão o que fazer mesmo quando a situação exigir que tenha que fazer. E aí… nem tudo será glória.

    Acredito que não há como ser um bom líder sem ter as características do fruto do Espírito. E isso é dom de Deus. Não dos homens, para que não se gloriem.

    E ao refletir em sua pergunta final, obtive pelo menos uma resposta, o que já ajuda em sabermos como melhorar.

    Abraço fraternos, nobre amigo,
    José.

    • Olá, José,
      .
      sem duvida alguma, você tem toda razão. Sem o fruto do Espirito é impossível ser um bom cristão, que dirá um bom líder.
      .
      Abraço pra ti, na paz de Cristo,
      mz

  2. A. disse:

    Mauricio,
    Estou vivendo esse dilema.
    Meu líder não tem competência para exercer esta função e está levando o time todo para o buraco!
    Que Deus tenha misericórdia de mim!
    A.

    • Olá, A.,
      .
      dado o teor do seu comentário, tomei a liberdade de alterar seu nome, pois poderia aparecer em uma pesquisa no Google, ok?
      .
      Espero que tudo dê certo pra ti e que seu chefe perceba o que está acontecendo. It’s never late till it’s too late.
      .
      Deus a abençoe,
      mz

  3. Neia disse:

    Bom dia Mauricio
    Parabens pelo post muito bom pois nos faz repensar sobre lideranca pois para ser líder, ao contrário do que muitos pensam, é preciso de um alto índice de humildade e de generosidade. São essas características que nos tornam líderes e nao chefes.Temos various exemplos de lideres na historia a nos inspirar a ser melhores a cada dia . Jesus , com certeza o maior exemplo de lideranca a ser seguido.
    Obrigado Jesus te abencoe.
    Neia :)

  4. Zulmira Borges disse:

    Olá Maurício

    Ótimo texto irmão, vou até assistir o filme. Já tive bons líderes, mas também já vi “lideres” autoritários,e que não são respeitados, e penso comigo: Acho que ele ainda não entendeu …

    Até o próximo post.

    Paz.

    • Oi, Zulmira,
      .
      a vantagem de conhecer os dois lados é poder ter referenciais. Os bons e os maus.
      .
      Sobre o sonho, avisei as partes envolvidas rs.
      .
      Abraço pra ti e Deus te abençoe,
      mz

  5. Jacy disse:

    Nossa, Maurício! Você não imagina o quão impactante ler este texto foi para mim, tão somente porque é um assunto muito oportuno e algo que eu tenho refletido a respeito.
    Me ajude a orar, pois tenho decisões a tomar. rs

    Paz, meu querido mano. Abraços em você e na família. :)

  6. roberto disse:

    ola mauricio tudo bem?

    Uma coisa eu concordo com vc Jesus foi o lider dos lideres,ele nao se impos a ninguem,foi amado,foi servido com prazer e foi exemplo a ser seguido e ainda é hj em dia, mas infelizmente em muitas igrejas hj em dia eles nao apresentam um cristo que se doou pelos seus, que se sacrificou, que deu exemplos, ainda hj muitos pregam um jesus ou um Deus tirano,vingativo,usam do medo, para que as pessoas possam servir a Jesus, eu imagino qtas pessoas estao hj na igreja “servindo” a Jesus, mais com medo de ir pro inferno do que por amor, ou um exemplo a ser seguido, uma coisa posso confessar a vc, qdo cheguei a igreja eu achava que conhecia a cristo, e hj vejo que nao o conheco, nem sei como ele é,de tantas coisas que dizem a respeito dele.
    Achei engraçado vc ter dado exemplo de sua filha de dar ordens na boneca dela,rs.
    Uma frase que sempre carrego em meu coraçao, nao é por falar muito que vc sera ouvido…mas sim pelo exemplos que a gente demonstra.
    Um forte abraço.

    • Oi, Roberto,
      .
      é a esse Jesus que eu me apego. Exemplo em todos aspectos. Falta muito pra conseguir chegar lá, mas creio que pela graça podemos viver um lampejo dessa perfeição.
      .
      Um abraço, mano, no amor de Jesus,
      mz

  7. Amanda disse:

    Olá, Maurício. Seu texto me lembra o livro “O monge e o executivo”, onde é colocado que para ser um bom líder é preciso, primeiro, servir. E assim como no seu texto, ele cita Nosso Senhor Jesus como um exemplo de liderança.
    Sou professora (trabalho com EJA)e acredito que tenho um papel importante como líder dos meus educandos e que devo influenciá-los sempre para o melhor. Tento lecionar com amor, demonstrando paciência, incentivo, elogios, respeito, etc. Mas tem sido difícil. Às vezes me sinto frustrada por não ver muitos resultados, por notar o quão negligente com os estudos é a maioria dos alunos. Não me sinto feliz em apenas ministrar o conteúdo didático. Quero transmitir valores, princípios e a Palavra de Deus, mas poucos valorizam. A maioria está muito preocupada com a roupa que está usando, com o celular que comprou ou com o tamanho das nádegas. Fico pensando se a realidade é mesmo tão triste, ou se meu trabalho não tem sido suficiente.
    Obrigada pelo espaço.
    Abraço.

    • Olá, Amanda, tudo bem?
      .
      Sei qual é o livro, nunca o li mas sei do que se trata. Gosto do conceito do líder servidor, em minha visão é o que mais se aproxima de Cristo.
      .
      Sobre tua linda missão de educar, sei como você se sente. Lecionei por 9 anos e tinha o mesmo pensamento. Muitas vezes pensei em desistir, quando pegava toda uma turma colando no trabalho de Ética Cristã, quando flagrava obreiros fraudando provas em matérias como Telogia Prática, quando nada do que eu passava mudava nada e por aí.
      .
      Mas sabe o que me consola? Descobrir que entre tantas pedras existem diamantes. Pode ser 1% dos alunos, mas aqueles poucos que farão a diferença já valem todo o esforço. Tenho visto isso na prática. Olhe dessa forma, enxergue-se como uma garimpeira de vidas em que vale investir. Já entre em sala sabendo que a maioria nao vai se interessar. Identifique as pérolas e dedique-se a elas.
      .
      Espero que ajude você a refletir sobre isso e que te ajude a tirar esse peso das costas.
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

  8. Bruno Vilela disse:

    Linda história M.Z., obrigado por compartilhar

    Queria também dar uma sugestão: Que você falasse sobre sionismo cristão.

    Um abraço

    • Oi, Bruno,
      .
      fico feliz que te edificou. Agora… sionismo cristão… você se refere ao uso de símbolos da Antiga Aliança em igrejas? Se for isso, acho que nao entenderam que tudo no ÁT. Apontava para Jesus. Menorá, estrela de Davi e outros itens são elementos apócrifos em nossos santuários. É sobre isso?
      .
      Abraco, mano, Deus te abençoe,
      m

      • Bruno Vilela disse:

        Seria a definição que tem no Wikipédia, algo como o ajuntamento dos Judeus em Israel ser um pré-requisito para a 2 vinda de Jesus, tem quem diga que Isaias 66: 8 diz respeito a fundação do Estado de Israel (já no século XX) por exemplo, e tem outras também, estaria mais ligado ao Apocalipse, grande tribulação, e se Israel seria um medidor que indicaria se o fim está próximo ou não, acabei usando a palavra errada pois sionismo está mais ligado ao que você falou mesmo….

        É mais ou menos isso, a paz do Senhor seja contigo e obrigado pela atenção!

      • Entendi, Bruno.
        .
        Mano, eu não invisto muito tempo em pensar em escatologia. Existem no mínimo quatro teorias principais, todas com base bíblica, e na prática, crer nessa ou naquela não mudará nada em nosso procedimento e em nossas crenças. Não tenho postura quanto a isso porque nunca me detive muito a pensar sobre o tema. Há tanto mais para nos preocuparmos em nossa dura vida cristã que procuro lembrar sempre que basta a cada dia o seu mal. Mal amo a Deus sobr todas as coisas e ao próximo como a mim mesmo, enquanto isso for uma deficiência, meus esforços estarão direcionados a isso.
        .
        O que sei é que Jesus voltará. O resto… deixo com ele.
        .
        Desculpe não dar uma resposta específica, mas confesso que não teria o que responder. Tudo bem?
        .
        Abraço, mano, na paz de Cristo,
        mz

  9. Muito bom o texto meu irmao Mauricio! Fico contente em ler isso e desafiado em me tornar esse lider!!! Muito obrigado pelas sabias palavras!!!

    Gostaria de pedir sua opinião em um texto que escrevi no meu blog, ficaria muito feliz!

    Deus abençoe

    A ICNV em campina grande na paraiba sente sua falta!

    Paz

    http://reflexoesdeumperegrino.wordpress.com/2013/03/26/a-cegueira-da-dor-e-surdez-da-aflicao/

    • Salve, mano!
      .
      Fico feliz que o texto tenha te abençoado.
      .
      Quanto à tua reflexão, que dizer? Não há nada como a dor para aguçar em nós todos os sentidos. Em especial, os da alma. Gostei bastante, parabéns. Só uma dica: sempre que você vir uma foto com aquela espiral, isso significa que ela pertence a um banco de imagens e, portanto, só pode ser usada se você comprá-la. Sei que vc nao sabia disso, por isso resolvi te orientar, ok?
      .
      Também sinto saudades da ICNV CG. Recebi Pr. Vieira para jantar em minha casa quando ele veio ao Rio, foi uma alegria revê-lo e poder matar as saudades nem que seja de uma parte dos manos daí.
      .
      Que Deus o abençoe e dê uma Páscoa abençoada,
      mz

  10. Paulo Victor disse:

    Olá Brow,

    Liderança – esse assunto sempre foi o dilema da igreja, sobretudo em nosso tempo. Vivemos num momento de tantas transformações tão rápidas, mudanças de papas. Acho que nunca tivemos um momento como esse, em que líderes evangélicos estivessem sendo alvo da mídia de forma tão intensa.
    Oro a Deus por eles para que, assim como foi com Jesus, naquele tempo, manifestou sua sabedoria diante daqueles chamados raças de víboras, os líderes de hoje possam ser cheios de Deus e saber como se manifestar, agir, falar.

    E. M. Kelly traz uma terminologia, muito conhecida, para os que não são verdadeiros líderes. Ele os chamam de chefe. Apesar de ser estudado em Teoria Geral da Administração, aplica-se a diversas áreas da nossa vida e retrata muito bem seu texto: “A diferença entre um chefe e um líder: um chefe diz Vá! um líder diz Vamos!
    Tento aplicar um pouco disso no meu pequeno grupo que lidero, mas reconheço as situações que se nos apresentam são complexas e só com orientação do mestre dos mestres – Jesus – posso fazer algo.

    Aquele abço.

    • Oi, Paulo,
      .
      gostei muito da frase de Kelly, resume bem todo o post.
      .
      Deus o abençoe e ilumine em tão grande responsabilidade de liderar o grupo de ovelhas que o Senhor lhe confiou.
      .
      Abraço,
      mz

  11. Joel Garcvia disse:

    Olá meu irmão!
    É fácil ser líder com titulo. O mais difícil é ser líder com titulo e se colocar
    ao lado dos subordinados.
    O Salvador fez isso e como você disse: “é o melhor exemplo”.

    Na graça do nosso LÍDER por excelência e exemplo.

    Joel Garcia

  12. Ótima reflexão Zágari.. deu vontade de assistir o filme..hehe Abração

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s