Cristão deve ouvir música do mundo?

Publicado: 26/09/2011 em Celebridades gospel, Espiritualidade, Igreja dos nossos dias, Música cristã, Pecado

Claro que não! Simples e objetivamente: um cristão não deve ouvir música do mundo. “Nossa, Zágari, agora você foi radical, pegou pesado!”, você poderia dizer. Calma. Antes de discordar do que escrevi e me crucificar, é importante que entenda exatamente o que estou querendo dizer. É que há um ponto nevrálgico nessa discussão: temos de compreender precisamente o que é “música do mundo” – que não necessariamente é o que se costuma chamar por aí de “música do mundo”. Pois música “secular” é uma coisa, música “do mundo” pode ser outra completamente diferente. E aí nós temos uma questão interessante a debater. Que, para solucionar, temos que pensar sempre dentro da Bíblia.

(Só um alerta, em amor: essa questão não se define em 3 ou 4 parágrafos. Por isso, este será um post longo e, se você estiver sem tempo de ler ou não tiver paciência de ler textos compridos, sugiro que nem vá adiante. Mas, se quiser prosseguir, vamos juntos, passo a passo.)

1. O que a Bíblia chama de “mundo”?

Primeiro temos que compreender o que a Biblia chama de “mundo”. No contexto das Escrituras, “mundo” (do grego kosmos) é todo um sistema de valores e práticas que se opõem ao Evangelho, ou seja, àquilo que Jesus ensinou. Ao Reino de Deus. Às boas-novas de salvação. Logo, tudo o que contraria os genuínos ensinamentos cristãos, a ética cristã, a moral cristã, os conceitos bíblicos é… do mundo. E, nesse sentido, não é “mundo” com significado de “universo” ou “planeta terra”, mas no sentido de tudo aquilo que, em resumo, levaria Jesus a fazer careta.

2. Os cristãos não devem se misturar com o que é do mundo

Tendo entendido o que é “mundo” segundo a Biblia, vamos ao segundo passo: provar biblicamente que Jesus e o que é do mundo não se misturam. E, logo, que o cristão e o que é do mundo não se misturam. Para isso, vamos à Palavra de Deus:

1  João 2:15 – “Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele”.

João 1:10 – “O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu”.

1  Jo 4.4,5 – “Filhinhos, vós sois de Deus e tendes vencido os falsos profetas, porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo. Eles procedem do mundo; por essa razão, falam da parte do mundo, e o mundo os ouve”.

João 3:17 – “Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele”.

João 15:19 – “Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia”.

Há muitas outras passagens, como a famosa Jo 3.16, mas, para não tornar este texto demasiadamente enfadonho, acredito que essas já são suficientes para demonstrar essa realidade: se você é cristão, se você é sal da terra e luz do… mundo… não deve se misturar ao que vai contra Cristo e aos ensinamentos de Cristo.

E tudo o que vai contra Cristo… É mundo.

Até aqui tudo bem? Ficou claro que, segundo a Biblia, o cristão não deve se misturar com valores anticristãos, ou seja, mundanos? Ok então, vamos adiante.

3. O que é música “do mundo”?

Seguimos para o terceiro e fundamental passo: dedinir o que exatamente é “música do mundo” – aquela que, pelo que já vimos pelos dois passos anteriores, tem de ser evitada pelo cristão. “Música do mundo” seria, então,  aquela que contraria o Evangelho, que se opõe aos ensinos de Jesus, que leva aos ouvidos (e, em seguida, ao cérebro e, como consequência, ao coração e à alma) mensagens que batem de frente com a ética de Cristo, com as boas-novas do Reino de Deus. Então, o conceito de “música do mundo” está ligado diretamente a aquilo que determinada canção diz: seus valores, sua filosofia, seus ensinamentos.

Portanto, biblicamente, uma música ser ou não do mundo não tem nada a ver com estilo musical, instrumentos utilizados, melodia, harmonia ou ritmo. Tem a ver com MENSAGEM. Com o que ela diz. Com o que ela defende. Com o que ela ensina.

Tendo compreendido isso, vamos falar a respeito de alguns mitos e algumas verdades sobre música “do mundo” e música “cristã”:

Fato 1) A Bíblia não determina cantarmos ou ouvirmos apenas músicas religiosas
Embora todos amemos e devamos louvar, elogiar o Senhor em canções e reconhecer quem Ele é e faz, a Bíblia não afirma diretamente em nenhuma passagem que o cristão só pode ouvir músicas que falem de Deus ou que sejam louvores. Pelo contrário, uma leitura atenta dos livros de Salmos, Cântico dos Canticos e até mesmo Jó, por exemplo, demonstram que a exaltação da criação de Deus, do amor, de sentimentos belos são algo lícito ao povo de Deus. O Salmo 150 infere que louvar deve ser uma explosão de amor pelo Criador. Mas não há proibição bíblica de cantar o amor de um homem pela mulher que ama, por exemplo. Assim, não é antibíblico (logo, não é pecado) eu escrever uma poesia de amor para minha amada ou mesmo uma que exalte as belezas da cidade onde vivo e em seguida musicar esses versos. Poderia, por exemplo, cantar…

.

Eu sei que vou te amar
Por toda a minha vida eu vou te amar
Em cada despedida eu vou te amar
Desesperadamente, eu sei que vou te amar

ou

Cidade maravilhosa,
Cheia de encantos mil!
Cidade maravilhosa,
Coração do meu Brasil!
Jardim florido de amor e saudade,
Terra que a todos seduz,
Que Deus te cubra de felicidade,
Ninho de sonho e de luz.

…e não estaria cometendo absolutamente nenhum pecado. Simplesmente porque nada do que a letra dessas músicas diz contraria o Evangelho, se opõe aos ensinos de Jesus, leva ao coração mensagens que batem de frente com a ética de Cristo, com as boas-novas do Reino de Deus. Então a conclusao lógica e bíblica é que músicas de amor, canções que exaltam belezas naturais ou até mesmo que, sei lá, contem uma história sobre dois capiaus em visita a uma fazenda – e muitos outros tipos de músicas seculares que não necessariamente são cantadas em igrejas, gravadas por cantores supostamente cristãos ou que sejam tocadas em rádios ditas “evangélicas” – são “música do mundo”. Simplesmente porque não se encaixam na definição bíblica de “mundo”. Não contrariam a Bíblia. Não se opõem a Cristo. Não ensinam nada diferente do que está nas Sagradas Escrituras.

São músicas seculares? Sim. São músicas que não necessariamente falam de Deus ou de seus feitos? São. Mas são músicas que contrariam Cristo ou o Evangelho? Não. Então, evidentemente não são louvores ou músicas sacras, mas também não são músicas “do mundo”, ou seja, músicas pecaminosas.

Fato 2) Muitas músicas seculares são sim “do mundo” e devemos evitá-las
Aí você pode estar pensando “Uhu! Então liberou geral! Posso ouvir o que quiser!”. Nananinanão. Não é bem assim. Biblicamente você pode ouvir uma música que não necessariamente fale de Deus, mas você SEMPRE tem que prestar atenção na letra das músicas, na MENSAGEM que elas transmitem. Se essas músicas apregoam valores antibíblicos, porque aí sim elas são músicas do mundo. E aqui vou dar exemplos práticos. Em pleno Rock in Rio, li no twitter uma cristã dizendo que estava triste porque não poderia assistir ao show dos Titãs. Por isso, decidi tomar esse grupo como exemplo. Bem, os Titãs têm músicas cujas mensagens são claramente antibíblicas. E, por definição, são “música do mundo”. Por exemplo, comecemos com a música mais óbvia, chamada Igreja. Leia com atenção a letra, com especial atenção ao que está em negrito:

Eu não gosto de padre
Eu não gosto de madre
Eu não gosto de frei.
Eu não gosto de bispo
Eu não gosto de Cristo
Eu não digo amém.
Eu não monto presépio
Eu não gosto do vigário
Nem da missa das seis.
Não! Não!
Eu não gosto do terço
Eu não gosto do berço
De Jesus de Belém.
Eu não gosto do papa
Eu não creio na graça
Do milagre de Deus.
Eu não gosto da igreja
Eu não entro na igreja
Não tenho religião.
Não!
Não! Não gosto! Eu não gosto!
Não! Não gosto! Eu não gosto!

Agora… você, que é cristão, me responda sinceramente: você cantaria essa música achando que “não tem nada a ver”? Se alegrando, sorrindo e pulando? Isso é algo que uma pessoa lavada e redimida pelo sangue daquele que foi à Cruz pelos pecadores sai cantando feliz da vida? Haveria anjos ao redor se alegrando? Você responda.

Vamos a outra: Homem Primata. Selecionei um trecho:

Eu aprendi
A vida é um jogo
Cada um por si
E Deus contra todos
Você vai morrer
E não vai pro céu
É bom aprender
A vida é cruel…

E aí, crente? Cantamos e nos alegramos cantando isso? “Deus contra todos”? Por favor, apenas pare um minuto para pensar no que você está cantando: “Deus contra todos“! Como assim?!

Para completar o pacote, só mais uma, da qual extraio um trecho: Epitáfio

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar…

O acaso? Mas se a Bíblia diz que há um Deus que controla todas as coisas, como seria possível que “o acaso” protegesse alguém? Biblicamente, “acaso” é um conceito que não existe. Logo, Epitáfio traz uma mensagem antibíblica. E, logo, lamento informar, é música do mundo.

Usei os exemplos do Titãs porque é um grupo bem conhecido e você possivelmente já cantou essas canções (e outras que são tão chulas que nem me atrevo a escrever a letra aqui), como eu mesmo já cantei milhares de vezes antes de Jesus me converter, fui a shows, comprei os CDs. Só que aí somos salvos, o Espírito Santo passa a habitar em nós e começa a nos convencer do pecado, da justiça e do juízo. E você, que é salvo, sabe como essas coisas nos incomodam, não é? Aí você começa a ouvir as MENSAGENS que grupos como os Titãs passam em músicas como essas (e olha que só citei três, hein) e algo faz um clique no teu espírito sobre esse papo “careta”, “radical”, “ortodoxo” e “fundamentalista” de “não ouvir música do mundo”.

Mas, para não ficarmos falando somente de uma banda, deixe-me pegar apenas um outro exemplo de um universo de grupos e cantores que poderiam pegar: o conhecido Barão Vermelho. Seleciono uma música que tem um título bem sugestivo e que era a minha preferida deles antes de Jesus me justificar, chamada Nunca existiu pecado. Reproduzo as 3 primeiras estrofes:

A rapidez velha do tempo
Revive inquisições fatais
Um novo ciclo de revoltas
E preconceitos sexuais

Por mais liberdade que eu anseie
Esbarro em repressões fascistas
Mas tô a margem disso tudo
Desse mundo escuro e sujo

Não tenho medo de amar
Pra mim nunca existiu pecado
Essa vida é uma só
Nesse buraco negro eu não caio.

Ou seja, Barão Vermelho está defendendo por meio da mensagem dessa letra que:
1. Não existe pecado;
2. O Cristianismo é sexualmente preconceituoso;
3. A ética de Cristo é uma “repressão fascista” porque contraria aquilo que o pecador deseja fazer;
4. Quem afirma que existe pecado (obviamente nós, cristãos) representa um “mundo escuro e sujo”;
5. A defesa da ideia de que existe pecado é um “buraco negro”.
.
Agora me diga você: em sua opinião, a letra dessa música contraria o Evangelho, se opõe aos ensinos de Jesus, leva ao coração mensagens que batem de frente com a ética de Cristo, com as boas-novas do Reino de Deusou não? Se a sua resposta foi “sim”, então essa é uma música “do mundo”. Portanto, chegamos aqui à grande conclusão: segundo os padrões bíblicos, “música do mundo” NÃO é sinônimo de “música secular”. Logo, as músicas do mundo sim, devemos evitar. As seculares, não necessariamente.
.

Fato 3) Não existe um estilo musical chamado “música evangélica”
O que existe é música feita a partir de realidades bíblicas. E que podem ser feitas em diferentes estilos. “Vem com Josué lutar em Jericó…”, por exemplo, é rock. “Aquele que tem sede busca beber da agua que Cristo dá…” por sua vez, é axé. Cassiane em geral tem muito forró. E por aí vai. Logo, não existe nenhum estilo “maldito” ou, como diz um amigo meu, “não existe dó maior ungido e sol sustenido endemoninhado”. Se você for analisar com cuidado, verá que “música evangélica” no imaginário popular é:

● Música cantada em igreja;
● Música cantada por cantor que frequenta igreja (dito “cantor evangélico”);
● Música gravada por grupo de louvor de igreja;
● Música que toca em rádio “evangélica”;
● Música lançada por gravadora “evangélica”;
● Música que consta em algum hinário tradicional.

Só que, desses itens, alguns são muito duvidosos. Das músicas cantadas em igrejas, muitas carregam em si heresias e são músicas “do mundo” (calma, falaremos em detalhes sobre isso daqui a pouco). Eu conheço pessoalmente “cantores evangélicos” que vivem como pagãos, são pecadores, só estão atrás dos bens materiais que sua notoriedade pode lhes proporcionar. Conheço “grupos de louvor” que tocam pela fama e o dinheiro e não por um desejo real de louvar o Senhor. Sei que muitas “rádios evangélicas” só existem para gerar lucro e poder para seus donos, que por sua vez vivem vidas pecaminosas e totalmente fora do Evangelho. Conheço os bastidores de certas “gravadoras evangélicas” onde o ambiente é tão mundano que nenhum funcionário confia em sair pra almoçar e deixar a bolsa em cima da mesa, pois ocorrem furtos ali dentro. E entenda: eu conheço. Não ouvi falar. Sei o que estou dizendo.

Portanto, dizer que só podemos ouvir “música evangélica” (se por “música evangélica” entendermos o que mencionamos acima) é uma afirmação cheia de buracos.

.

Fato 4) Fazer versões de músicas seculares com letras cristãs não é pecado
Pelo contrário, é uma prática muito, mas muito mais usual em nossos hinários do que você imagina. Uma enorme quantidade das músicas contidas em hinários como a Harpa Cristã e o Cantor Cristão, por exemplo, originalmente eram canções entoadas em prostíbulos (não vou dizer quais para que da próxima vez que você for cantá-las não as considere indignas). Os músicos que tocavam nessas casas de pecado se convertiam, pegavam as melodias que conheciam (muitas das tinham letras originais que falavam sobre encher a cara de uísque e vinho, além de coisas similares), punham letras cristãs e passavam a cantá-las durante os cultos, nas igrejas. Isso é histórico, basta você estudar um pouco sobre isso que vai comprovar, não estou inventando nada disso.

E não só músicas de bordel. Músicas seculares de outras linhas também. O hino 185 da Harpa Cristã, por exemplo, é o Hino Nacional da Inglaterra com uma letra cristã: “Vem tu, ó Rei dos reis, buscar os teus fiéis…“. Já o conhecido hino “Os guerreiros se preparam para a batalha…” é o Hino Nacional das Ilhas Fiji, você sabia? O tradicionalíssimo hino “Vencendo vem Jesus” (Glória, glória. Aleluuuuuia!) é uma versão de uma música militar da época da guerra civil americana chamada “John Brown”s Body”, que exaltava os esforços de um homem na guerra. Um mulher cristã ouviu a melodia, gostou e pôs um letra cristã. E, a partir daí, começamos a cantar em nossas igrejas, Deus sempre foi louvado maravilhosamente por intermédio dessa canção, a entoamos ainda hoje e o religare do homem com o Criador ocorre perfeitamente – apesar da origem pagã da música. Ou você achava que essa música desceu do céu trazida por um anjo numa bandeja de prata? Não, muitas músicas que consideramos “hinos sagrados” (e são!!!) têm origem secular e são adaptações feitas para o canto religioso.

Mais recentemente há exemplos como o do cantor Marco Aurélio, que gravou “Caminhada” (“Eu vi Jesus, Jesus me viu, no mesmo instante me redimiu…“). Ela nada mais é do que a canção “My Way”, cantada por músicos como Frank Sinatra e Elvis Presley. E por aí vai. A pergunta é: essas versões deixam de ser válidas ou dignas de serem cantadas em cultos e igrejas como hinos congregacionais porque originalmente eram seculares? De jeito nenhum. Pois tornaram-se músicas com MENSAGENS cristãs.

Fato 5) Muita música dita “evangélica” é “do mundo”
E aqui chegamos ao ponto mais polêmico de todos. Só porque uma música foi composta ou é cantada por alguém que se apresenta como cristão isso não quer dizer que ela transmita valores biblicamente corretos. Há muitas e muitas músicas “evangélicas” que são “do mundo”. Exemplo: tem um conhecido grupo gospel (que inclusive saiu brigado de sua igreja) cujo vocalista (que agora já saiu da banda para seguir carreira solo) na “ministração” antes de começar uma de suas mais cantadas músicas em igrejas fala como se estivesse orando a seguinte frase (está registrada inclusive no CD):

- Nós queremos um romance contigo, Senhor.

Peraí. “Romance” com Deus? O Todo-Poderoso Criador dos Céus e da Terra agora virou o quê? Nosso namoradinho? Desculpem-me, mas isso é antibíblico e, logo, mundano.

Outro exemplo: um conhecido corinho cantado em muitos louvores, às lágrimas, por muitos de nós, diz a seguinte coisa:

Diante dEle se dobram os reis
E se prostram para O adorar
Nem os anjos que O cercam louvando
Se permitem sua face olhar

Só tem um detalhe: essa letra é antibíblica. Mateus 18.10 diz: “Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste”. Então temos que decidir se os anjos contemplam a face de Deus ou não. Eu fico com a Bíblia, que diz que sim, os anjos contemplam a face de Deus, ao contrário do corinho. E se o corinho diz algo que vai contra o que está na Bíblia, desculpem, é “música do mundo”. “Ah, Zágari, você está sendo radical, o resto da música é perfeito , afinal, é um louvor tão bonito…”, alguém poderia dizer. Bem, aí entram 1 Co 5.6 e Gl 5.9, que dizem que, biblicamente, um pouco de fermento leveda toda a massa. Nesse sentido sou radical sim: basta uma única e pequena heresia na letra de um “corinho”, de um “hino” ou de um “louvor” (como você preferir chamar) para o descartarmos dos nossos cultos.

Isso sem falar dos chamados “corinhos do fogo”, muito habituais nas igrejas pentecostais não-reformadas. Tem um que diz “O fogo santo está queimando, o Espírito Santo está batizando“, referindo-se ao que os pentecostais chamam de “batismo no Espírito Santo” e os tradicionais de “plenitude do Espírito”, seguindo a linha defendida por teólogos como John Stott. Fato é que, biblicamente, o responsável por esse fenômeno é Jesus, o Deus Filho, e não o Espírito Santo. Outro ensino antibíblico e, portanto, “do mundo”.

Fato é que toda letra de cânticos (congregacionais ou não) “evangélicos” deve ser submetida ao crivo bíblico. O certo não é o que a pessoa sente, se ela fica emocionada, arrepiada ou se chora: o certo é o que está de acordo com a Bíblia.  Como afirmou o Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho em palestra durante um Encontro de Músicos, na PIB de Manaus, “Raramente se fala de Jesus, e, quando se fala, dá para notar que Jesus é muito mais um conceito para dentro do qual as pessoas projetam seus sonhos de consumo ou de classe média do que o Redentor e Salvador. A linguagem é horrorosa: mergulhar nos teus rios, beber nos teus rios, voar nas asas do Espírito, estar apaixonado por Jesus, subir acima dos querubins… uma série de expressões que não fazem sentido algum”, afirmou Pr. Isaltino. E, convenhamos, com toda razão.

Cantamos na igreja sem saber o que estamos cantando, por ignorância teológica e porque determinada música toca na rádio, é de um grupo famoso, está na moda e o povo gosta.  Por exemplo, no “corinho” abaixo…

Quero subir ao Monte santo de Sião
E entoar o novo cântico ao meu Deus
Mais que palavras minha vida eu quero entregar
Purifica o meu coração para entrar em Tua presença
contemplar a Tua grandeza

…o que as pessoas não sabem por desconhecimento bíblico é que o “monte santo de Sião”, segundo Hebreus 12.22-24, é um símbolo do Evangelho, da Igreja de Deus. Consequentemente, todo cristão já está no “monte santo de Sião”. E, por isso, não há teologicamente, segundo o Novo Testamento, por que “subir” nele. Mais um equívoco bíblico. Também cantamos em nossas igrejas:

Eu só quero Te amar,
Eu só quero ver Tua face
Quero Tocar Seu coração
Eu só quero Te amar,
Eu só quero ver Tua face

O mesmo cantor tem outro corinho que diz:

Quero te ver, quero te ver
Eu quero te tocar,
eu quero te abraçar
Quero te ver

Detalhe: é importante repararmos que o cantor está dizendo que quer ver Deus e sua face EM VIDA e não no porvir. Só que se nós formos ler Êxodo 33.20, é claríssimo e inequívoco o que Deus diz a Moisés: “Não me poderás ver a face, porquanto homem nenhum verá a minha face, e viverá”. Então o que estamos pedindo nesses corinhos é para ver a face de Deus e morrer? Algo está biblicamente errado e, se formos analisar, estamos fazendo pedidos mundanos a Deus. Como eu “quero te ver” se Ele diz na Biblia que “homem nenhum verá a minha face , e viverá”? Instinto suicida?

Em João 12.45 e João 14.9 Jesus afirma claramente a forma de ver o Pai: ver a Ele próprio, Jesus. “Quem me vê a mim vê o Pai”. Logo, é buscando Cristo e sua pessoa em espírito que temos acesso a Deus, não tem nada a ver com “eu só quero ver a tua face”. No discurso de Pedro no dia de Pentecostes em At 2.28, ele deixa claro que contemplar Deus face a face só ocorrerá na eternidade: “Com a tua face me encherás de júbilo”. A face de Deus é biblicamente inalcançável nesta vida. Logo, por que ficamos cantando pedindo para”ver sua face”, já que isso biblicamente não é possível – logo, é antibíblico? Pronto, não me odeie por dizer isso, mas a falta de canonicidade nessas afirmações de corinho tornam músicas como essas…músicas “do mundo”.

Conclusão

Falar sobe música “evangélica”, “do mundo”, “sacra”, “cristã” ou “secular” é um assunto muito sensível. Pois mexe com muitas ideias pré-concebidas, com muitas práticas que mutidões adotaram por décadas em sua vida de devoção, é contrariar crenças e práticas. Para um pastor, chegar à concusão de que um corinho que ele cantou por anos em sua igreja é música “do mundo” e, assim, removê-lo do rol de canções que são executadas no culto não é uma tarefa fácil. Exige oração, humildade e temor sincero a Deus. Para uma ovelha que anatemizou durante anos músicas seculares achando que “rock é coisa do diabo” e de repente descobrir que bandas de “rock gospel” como Oficina G3 têm letras e mensagens muito mais bíblicas do que certos hinos de 200 anos de idade exige quebrantamento.

Não estou falando aqui de estilo musical. Pois a Bíblia não fala de estilo. Logo, estilo é um assunto restrito aos gostos pessoais e não tem a ver com doutrinas e teologia. Se uma música deve ter bateria ou não, se ela pode ser acelerada ou não, se é rock, forró, bolero, valsa ou o que for, não importa. Simplesmente porque biblicamente não importa. O tal gênero “música evangélica” não existe. Cada “música evangélica” carrega um estilo próprio, seja esses que já mecionei, seja algum diferente, como black music, hip hop, blues, bossa nova, sertanejo, jazz, new wave, pop, reggae, samba, ska ou qual for. Dizer que “música tal não é do mundo porque é estilo evangélico e não rock” é uma inverdade. Pois há músicas evangélicas que são rock. E – repetindo – estilo musical só depende de uma única coisa: gosto pessoal. Não tem nada a ver com Bíblia. Se estou errado, por favor que alguém me prove nas Sagradas Escrituras.

Sendo assim, nós temos de nos voltar para o que interessa: a MENSAGEM. A pergunta que devo sempre me fazer é “o que essa música está dizendo contraria algo da Bíblia?“. Se a resposta for “não”, defendo que é uma música que pode ser ouvida por um cristão. Pois vai trazer alegria, paz, prazer. Sendo ela secular ou religiosa. Ouvir Mozart, Bach, Haendel, Mendelssohn ou uma boa ária de ópera, por exemplo, pode acalmar a alma de alguém em estresse e assim criar uma condição em seu coração que lhe permitirá orar a Deus com muito mais entrega. Eu já entrei muitas vezes na presença de Deus ouvindo o violinista judeu Itzhak Perlman executar ao violino o tema do filme “A Lista de Schindler”, por exemplo. Chorei. Me derramei. E fui muito mais sincero e entregue a Deus do que se tivesse posto para ouvir um desses CDs de pop brega evangélico.

A ao fazermos a pergunta “o que essa música está dizendo contraria algo da Bíblia?” temos de estar preparados para sofrer. Pois vamos perceber que muito do que cantamos em nossas igrejas é música “do mundo” pela simples razão de que afirma coisas que a Bíblia não diz.

Sei que o que aqui escrevi contraria a crença de muitos. Certa vez, ao ministrar numa Escola Dominical uma aluna ficou tão ofendida pela verdade que falei de que hinos da Harpa Cristã vinham de bordéis que se levantou e se retirou da sala. Sei que isso mexe com convicções e emoções. Mas não posso jamais fugir do que as Sagradas Escrituras dizem. Não podemos fugir da verdade. São as Escrituras que devem sempre nos nortear – e não aquilo que ficou estabelecido pela cultura popular (em especial a cultura popular evangélica) ao longo das décadas. E falo como evangélico, não sou desses pastores e teólogos revoltados que inventaram agora que ser “evangélico” é palavrão. Nada disso. Falo como filho da Reforma Protestante, herdeiro de Jesus e também de reformadores como Lutero e Calvino. Não renego minhas origens. Sou cristão, de tradição evangélica e me orgulho disso.

Para terminar, volto ao início de nosso texto, para a pergunta-título deste artigo. Se você me perguntar “um cristão deve ouvir música do mundo?”, eu vou voltar a afirmar: “Claro que não!”. Pois o cristão deve sempre caminhar de acordo com as Sagradas Escrituras. E se uma música, secular ou religiosa, traz em si ensinamentos antibíblicos… meu irmão, minha irmã, jogue o CD fora.

Paz a todos vocês que estão em Cristo,
Mauricio Zágari

Perdao Total_News cortado

(Para adquirir “Perdão Total – Um livro para quem não se perdoa e para quem não consegue perdoar” clique AQUI)

.

About these ads
comentários
  1. Anny disse:

    Maurício, acho COMPLEXO e COMPLICADO demais este assunto por um único motivo: a quem estas bandas consagram estas músicas? Este para mim é o ponto. Uma faixa qualquer, pode não ter uma letra que pregue contra a Palavra de Deus, mas toda a obra da banda ou músico sim. Por outro lado, eu também tenho dois pés atrás com determinadas bandas Gospel que fazem shows para glorificar a si mesmo e não ao Senhor. Particularmente, eu trabalhei muito tempo com a música e com este mundo/mercado, então não tenho boas referências, apesar de muitas vezes sentir vontade de ouví-las. Enfim, tenho dentro do meu coração e até através de experiências que músicas celulares ou mundanas, mesmo que às vezes eu as ouça, não “fazem bem”e eu sinto isso. =/ A questão é que não podemos apelar para o radicalismo, tampouco abrir brechas, mas eu, Anny, acho que o mais correto perante os olhos de Deus é não ouví-las. Quanto ao estilo, isso para mim é indiferente. Nãoi há em lugar qualquer que justifique o fato de não poder louvar a Deus através de estilos de músicas diversas. Nisso eu concordo contido em GNG. =)

    • Respeito tua opinião, Anny. Quem viveu o que vc viveu às vezes precisa mesmo pender o pêndulo só para um lado.
      Sobre a consagração, é o que ocorreu com Pedro na casa de Cornélio. Se é santificado, pertence a Jesus. Toda consagração a Satanás é quebrada na hora. Vc pode comer farofa de despacho que, se for consagrada ao Senhor, santificada pela oração…acrescente um salzinho e vá em frente!
      Só não posso concordar que toda musica secular é mundana. Bem, vc leu o post, ali meu entendimento bíblico tá bem explicadinho.
      Beijo e a paz de Cristo.

      • Rafael Belati disse:

        Prezado Zágari,

        Li todo o post e concordo com sua visão, considerando que é de grande valia que pensemos sempre no que estamos ouvindo e cantando. Somente discordo de uma idéia. A de que podemos lançar mão das músicas originalmente anti-cristãs e “santificá-las”.

        Coloquei aqui esta observação aqui pois quando lemos I Cor. 8:10 temos certeza de que podemos comer de tudo, desde consagremos este alimento ao Senhor, devendo pensar se isto vale mais a pena do que fazer perecer o fraco na fé por quem Cristo morreu. Já em outra passagem, Atos 15:27-29 lemos que devemos nos abster de coisas sacrificadas a ídolos. Sempre entendi assim: Se o sujeito vem me oferecer algo e não diz que aquilo é consagrado à ídolos (demônios), eu devo dar graças ao Senhor e comê-lo. Ainda que seja consagrado nenhum mal poderá me atingir pois o Senhor santificou a coisa. Mas sabendo da origem, porque consumir a tal coisa consagrada aos demônios? Esta é pra mim a questão. No que diz respeito á comida, sou como um avestruz, como de tudo. Mas comer comida de macumba me parece demais. Não considero que deveria fazê-lo simplesmente por não ser conveniente, apesar de lícito.

        Agora a música. Quanto o profeta Samuel entrou no palácio de Saul e ouviu o balido de ovelhas e o mugir de bois, perguntou ao Rei o que seria aquilo e este disse que separara o melhor para oferecer como holocausto ao Senhor. Perdeu o reino. Oferecer à Deus algo que o próprio Senhor mandou destruir não me parece conveniente. Quando fiquei sabendo da origem destas hinos da Harpa Cristã, minha curiosidade me faz pesquisar suas versões originais e verificar suas letras. As que são do mundo eu não mais cantarei ou ouvirei.

        É simples. O dom da música vem de Deus e ele não tira o que deu. Dessa forma, os caras dos Titãs continuarão a fazer músicas com grande qualidade. O problema sempre será a inspiração. Todo mundo canta o que vive. Claramente estes músicos dos Titãs odeiam o cristianismo e suas representações. Claramente quem copia música que já é famosa e converte a mesma busca assemelhar-se ao mundo. Não concordo e nunca, jamais concordarei que precisamos letrar ou fazer versões de qualquer música mundana. Seria conveniente converter a música do Titãs?

        “Eu não gosto do terço mas eu gosto do berço, de Jesus de Belém. Eu não gosto do papa mas eu creio na graça no milagre de Deus.”

        Sobre a versão de My Way, ouvir o original é muito melhor. Convenhamos. Em matéria de música, Frank Sinatra é ícone. Não ouvir o original e dar valor para versão escrivinhada é demonstrar ter gosto duvidoso. Mas gosto é gosto né. A gente não discute, lamenta.

        Tenho muito prazer em ler seus textos. São reflexões sempre maduras. Gostaria que comentasse sobre minha opinião. Posso estar sendo radical, mas levar pro altar o que foi feito com outro objetivo, acho demais.

        Em Cristo.

        Rafael Belati

      • Querido Rafael,
        obrigado pelo diálogo.
        Sobre comer macumba, naturalmente foi uma hipérbole para reforçar um argumento, não falei literalmente – até pq temos de levar em conta questões de higiene rs.
        Sobre comer algo sacrificado aos idolos…a meu ver o problema não é saber se tinha sido sacrificado ou não, pois após a santificação eu sabendo ou não a origem daquela comida o resultado é inócuo, não me fará mal algum. Então que diferença faz? Saber ou não saber de onde vem não tem relevância.
        E, lógico, se há alguém débil ou novato na fé por perto que se escandalize, não comemos. É bíblico e concordo. Mas na prática é como alguém se escandalizar por eu beber um copo de água. Não bebo para não escandalizar, mas não me faria mal algum.
        Sobre as versões…mano, eu não inventei isso. Simplesmente é um fato: se não acreditarmos que Deus pode ser verdadeiramente louvado por uma música só porque ela foi composta originalmente sem uma letra religiosa, jogamos no lixo TODOS os hinários conhecidos: Harpa, Cantor Cristão e montes e montes de corinhos. E basta vermos o quanto Deus é louvado por meio dessas músicas para comprovar que o fato de serem músicas originalmente com letras pagãs nunca fez nenhuma diferença.
        E quantos músicos e compositores supostamente “cristãos” são na verdade pagãos, alcoólatras, mundanos, gananciosos…e vc apenas não sabe, mas eles tocam em rádios evangélicas, são muito bem pagos para cantar nas igrejas e os consideramos santos e ungidos quando são piores que muitos musicos seculares. E aí?
        Eu comentei isso em outros comments, Rafael, mas repito aqui. Se formos consumir apenas o que foi feito por cristãos, não vestiremos mais roupas (vai que a costureira era hindu), não andaremos mais em carros (fabricados no Japão budista), não moraremos na nossa casa (erguida por construtores umbandistas) e nem mesmo tomaremos a Ceia na igreja – afinal, aquele suco de uva e o pão podem ter sido feitos por um padeiro e um vinicultor espíritas. Por isso, creio que não é por aí, mano.

        Embora respeite sua opinião, a Bíblia, a História e a prática do dia a dia mostram, a meu ver, que merece ser repensada.

        Um abraço forte, no amor de Cristo que nos une.

      • ISABELLE disse:

        Mauricio, adoro seus artigos, graças a Deus que te capacitou para instruir o povo, pois como diz a Sagrada Escritura ” O povo padece por falta de conhecimento”
        Eu gostaria de saber, se há algum erro em ouvir músicas tipo Kate Perry, Rihana…. em que a letra
        nem sempre são profanas, mas que muitos desses cantores se consagram ao diabo, na realidade
        o que eu gosto às vezes, nessas músicas é o ritmo, a melodia, por vezes nem me atento a letra ( claro, agora tenho buscado a tradução para não profanar contra nosso Senhor )
        eu li todo o post, mais alguns comentários mais não consegui saciar essa dúvida.

        Que nosso Deus maravilhoso possa te capacitar cada dia mais
        Abraços

      • Isabelle,
        obrigado por compartilhar. Eu não saberia responder, pois não conheço as artistas que vc mencionou. No entanto se vc diz “mas que muitos desses cantores se consagram ao diabo” eu de cara já os descartaria.
        Eu não vejo aqui nem um principio teológico, vejo uma sabia norma do código nacional de trânsito: na duvida não ultrapasse.
        Se vc não tem certeza sobre a influencia maligna de um artista, Isabelle, não ouça. Eu por exemplo nunca ouvi nem sei quem é, por exemplo, Rihana. E vivo muito bem, obrigado.
        Então, na duvida, delete.
        Ok?

        Deus te abençoe!

    • muito bom, vejo pessoas criticarem muito outras pessoas por causa de música.
      tenho muitos amigos que fazem conservatório e trabalham inclusive até cantou em casamentos católicos e seculares, por isso são muito bombardeados,por críticas,
      as crísticas são por que estão cantando musicas católicas, se prestassem atenção nem toda música tem os pensamentos deles , existem muitas músicas que são histórias e louvores, tambem.

      posso te fazer um pedido? se não for muito incômodo,
      poderia postar alguma coisa sobre esse dia 21 de 12 de 2012?
      muitas pessoas estão pensando besteiras.
      um abração, Deus te abençoe.

      • Olá, Gleiscon
        .
        de fato, há uma incompreensão muito grande acerca do tema. Oremos emensinemos a verdade, fazendo, assim, a nossa parte.
        .
        Sobre o dia 21, mano, a resposta é tão curta que nem vale a pena escrever um post. É, simplesmente: o mundo não vai acabar.
        .
        Mesmo dentro do calendário maia, a data não representa o fim de tudo, mas o inicio de um novo ciclo. Mas aí chega a mídia e começa a distorcer essa historia para vender jornais. É uma pena que haja gente ingênua o suficiente para crer nisso.
        .
        Sigamos com nossas vidas, pois dia 22 é aniversario de minha filha e tenho um almoço para preparar. Já encomendei o bolo, inclusive rs.
        .
        Abraço, querido, que Deus te abençoe!
        mz

      • lidia disse:

        então eu posso orar e comer doce de são Cosme e Daminhão consagrados a satanás que eles não me farão mal?

      • Olá, Lidia,
        .
        não farão nenhum mal. Leia Atos 10.1-48; 1Coríntios 8.1-13; Mateus 15.10-11.
        .
        Deus a abençoe,
        mz

      • Clementina Maria Soares disse:

        È a primeira vez que visito este site, e confesso que me edificou muito. Compartilho a mesma opinião: nem toda música que não é gospel é mundana, porém há músicas gospel que vai contra todos os ensinamentos cristãos.
        Lembro-me de um trecho de uma música que me fazia muito feliz no início de minha conversão:”Sou feliz porque estou amando , como o sol que traz a aurora seu amor me trouxe luz”. Por causa dessa estrofe praticamente eu fui convidada a procurar outra igreja, pois me disseram que não poderia permanecer ali. Fiquei triste mas permaneci até que o Senhor me direcionasse para outra. Te agradeço por ter outras pessoas que tem a mesma opinião a esse respeito.
        Que a graça e a paz de Deus esteja sempre contigo sempre te abençoando e te direcionando.
        Abraços!!!

      • Oi, Clementina,
        .
        fico feliz por poder edificar a sua vida. Que aprendamos sempre com os erros, nossos e dos outros, para que não os cometamos. Em nome de Deus muitos agem sem graça, amor ou compaixão. Uma pena.
        .
        Abraço pra ti, no amor de Cristo,
        mz

    • Natália disse:

      Desconsagre o que ouvir e tudo fica bem… nos é lícito faze-lo!

    • lay disse:

      Eu ia comentar isso Anny, mas tu falou por mim.. A paz do Senhor irmã

    • sthefani disse:

      concordo e sei que a industria da musica está recheada de cantores que fiseram
      pacto

    • Daniel Costa disse:

      Concordo com seu comentário, e gostaria de acrescentar que de fato, aparentemente não traz mal algum ouvir algumas músicas seculares, entre tanto, no meu ver, tenho que tudo aquilo que não me edifica e não me acrescenta nada na minha vida com Deus, não serve para mim.

      Como citado no comentário a cima: “Pode não ter uma letra que pregue contra a Palavra de Deus, mas toda a obra da banda ou músico sim.”;

      Então se no exemplo Jesus falou sedes Santos e Paulo, Sedes meus Imitadores como sou de Cristo, mesmo que não falem nada a respeito disso eu fico naquela.. PREFIRO ERRAR POR ZELO DO QUE PECAR POR IMPRUDÊNCIA.

      Tmj contra a maré… Fomos chamados para ser Luz e de que serve a luz se não brilhar?
      Abraços.

  2. Felipe Nascimento disse:

    MauricioZagari me envie algumas orientações de músicas para que podemos ouvir e apreciar , nós cristaos, confesso que ouço músicas mundanas,
    MauricioZagari Além do seu belo post no blog, vai dificulta mais ainda a vida do cristão, mais eu ainda continuo sem entender porque sentimos atração pela música mundana, eu confesso que escuto, pois gosto do sons que eles fazem, mais tirando a letra da música mal sei oque aquela mensagem transmite. Mais muito obrigado por postar este blog, ajudará muita gente concerteza. Acho que a única sugestão, conselho que devemos fazer é não adorar essas músicas, mais é bem dificil do que se pensa, é necessário está bem intimo com Deus, pois estou afastado. Por favor, Mauricio me oriente em alguns conselhos seus, grato.
    Felipe Nascimento. Twitter: @f_nascimento1

    • Felipe,
      a musica do mundo nos atrai simplesmente pq musica é algo belo. Não tem nada de espiritual nisso.
      Se vc quiser ouvir bons musicos cristãos, ouça Gerson Borges, Joao Alexandre, Stenio Marcius, Silvestre Kuhlmann, Paulo Cesar Baruk, Leonardo Gonçalves, Wanda Sá, Velho Irlan^des…há muitos bons musicos cristãos que fazem boa musica. Uma dica: ouça a http://www.garagemmp3.com.br/radio-mc3. Tem muita musica cristã boa lá.
      Espero ter ajudado.
      Abraço forte e Deus te abençoe!

  3. Nossa Maurício, estávamos com a mente sintonizada. Eu ia escrever sobre isso e quando vejo você já escreveu, e muito mais completo do que os meus argumentos.

    O problema não é a música, o problema é o quanto nós temos convicção da nossa fé. Se você estiver perto de Deus você vai querer coisas que te edificam. Eu ouço música secular, mas não sou viciado, eu ouço só quando dá. É claro que se eu sei que a música fala porcaria nem vou ouvir.

    As músicas que mais me afastaram de Deus nos ultimos anos, foi a própria música gospel. Me faziam acreditar em coisas que nem eram bíblicas. Por isso devemos ler a Bíblia, orar e vigiar. Porque muitas vezes os cristãos demonizam a música secular e santificam qualquer coisa que tem “gospel” no nome.

    Por exemplo, antes de começar a estudar a Bíblia de verdade eu idolatrava o Diante do trono. Pensava neles o dia inteiro e sabia o nome de todos os integrantes, seus cônjuges, o nome de todos os cds e seus tracklists. Hoje eu ja sou mais equilibrado. Eu sou fã do Eric Clapton, mas eu não tenho foto, não sei nem quantos cds ele ja lançou não sei a idade dele, se ele é casado. De vez em quando coloco a música e ouço, mas não fico ansioso. Meu vicio pelo diante do trono era errado. E hoje só ouço música quando dá.

    Maurício eu ja vi pessoas vindo brigar comigo que música secular era do diabo e logo em seguida marcando para ver o filme exorcista ou filmes de terror. Não é de dar raiva? kkkkk

    Muitas pessoas batem tanto nessa tecla que fico até enjoado de ouvir os mesmo argumentos.
    Se ausentar do mundo é uma falsa santidade. Se você diz que a música afasta de Deus, quanto mais filmes e tv que alem do audio tem o visual também.

    Se for por esse caminho não lemos mais livros, não vemos tv, não fazemos mais amizades com não cristãos, temos que parar de ir na escola e ficaremos igual aqueles cristãos que fundavam vilarejos para se purificarem do mundo. Meu irmão, até livro de escola influencia as pessoas. Livros de criança da escola ja ensina evolucionismo, que o homem veio do macaco. Temos que Firmar nossa fé em Cristo e não em falsa santidade. Se isentar de coisas “seculares” para se santificar é uma falsa santidade. Se nossa fé estiver firme em Cristo, nós é que vamos influenciar, nós que vamos pregar.

    Desculpe o comentário gigante Maurício, é que fico meio revoltado com essas coisas! kkkkkkk
    Você ja percebeu que as vezes me empolgo né? kkkk

    Deus te abençoe meu amigo! =D

    • Grande Kendi,
      o que vc falou é uma realidade. Na verdade, penso que a responsabilidade é mais das lideranças, pois são elas que selecionam e instruem seus membros. Nós apenas cantamos o que ouvimos nas igrejas (e, para quem tem estômago, nas “rádios evangélicas”).

      Falta ensino. E falta ensino pq as próprias lideranças não estão lendo livros nem estudando como deveriam. Apenas repetem argumentos pré-fabricados que mimetizam sem refletir. Uma pena.

      O membro que se instrui mais acaba chegando às conclusões que chegamos. Como vc chegou com o referido grupo musical que citou(que já virou mais empresa que grupo de louvor). Eu pessoalmente não ouço
      nada deles pois, alem de muitos furos teologicos nas letras não gosto de quem ministra entre as musicas como quem estivesse chorando, sofrendo. Mas há quem goste, vire fã (fã de cristãos rsrs) e defenda até a morte. Eu respeito. Mas que prefiro um bom Gerson Borges, Stenio Marcius e João Alexandre… Ah, sem duvida. E, claro, os seculares. Gosto em
      especial dos clássicos, Mozart, óperas, mas tb aquilo que há de bom entre os dos nossos
      dias (não vou mencionar nomes pq não quero escandalizad irmãos e isso
      iria contra as Escrituras).

      Um abraço, mano. Valeu pela comunhão preciosa. Jesus te abençoe hj e sempre.

      • Ariane Borges disse:

        “Eu pessoalmente não ouço nada deles pois, além de muitos furos teológicos nas letras não gosto de quem ministra entre as musicas como quem estivesse chorando, sofrendo”. #Fato!

        Tocou exatamente no ponto mais crítico desses grupos musicais.

      • Lamentavelmente.

        Um beijo e paz, Ariane.

      • Inerves disse:

        Caro Maurício, a meu ver, existe de fato um patrimônio cultural de música cristã brasileira com letras muitíssimo mais inteligentes que foi deixado de lado por manifestações “literárias” mais simplistas. Porém precisamos entender que poesia requer interpretação (obviamente, o D. Quinlan sabe que Jesus não está aqui presente em corpo para beijá-lo e abraçá-lo), tampouco o Davi Sacer estava “falling in love” com Jesus. Uma mente tão brilhante como a sua, sem nenhum esforço, pode perceber isso. Minha filha, aos 6 anos escreveu “quero ouvir tua voz e te conhecer mais e mais”, e ela já entendia que Deus concebe formas múltiplas para falar às suas ovelhas, não necessariamente dizendo “Olá menina, eu sou Deus!”. Ainda com relação ao irmão “ter saído brigado da igreja” envolve questões que nada tem a ver com a igreja, o assunto focal foi $$. Houve conflito entre as ovelhas e o pastor, também “empresário” das ovelhas, logo, a briga foi contratual. Enfim, não podemos negar o enorme peso cultural que temos da herança de fé americana dos séculos XIX e XX, para a qual quase tudo é condenável, ou seja, jogam-se no lixo o bom e o ruim para que não se corra o risco de comer que faz mal. Particularmente, como músico e pastor, sinto-me atraído por belas músicas, mas sinto-me também atraído pela responsabilidade de dar bons conselhos às pessoas. O consumo de música, assim como o de bebida alcoólica pode ter um caráter puramente de apreciação, mas também pode representar um caminho de fuga (quando os conflitos da alma empurram-nos para elas, diferentemente de momentos de pura apreciação, com total liberdade de consciência, com liberdade no Espírito). Eu vigio. Por último, plágio é muito feio. Gostos à parte, achei mais legal a atitude do cantor Lázaro, que se converteu e pegou a melodia que antes tinha colocado uma letra e colocou na sua própria melodia nova letra. Fora isso, acredito que cada dia que Deus nos dá inspira uma experiência musical nova, basta a gente acreditar. Como você amplia bastante a exposição, não dá pra ser conciso. (Ah, confesso que, muitas vezes, eu sou mesmo prolixo). Foi um prazer conhecer esse blog. Achei por acaso procurando uma resposta adequada sobre os sem-templo. Que o Santo Espírito de Deus nos mova sempre à glorificação do Nome de Jesus Cristo.

      • Inerves, olá,
        .
        Obrigado pela contribuição e por suas palavras.
        .
        Concordo com o que você diz sobre licença poética em letras de musicas. Porém não podemos nos esquecer que musicas de louvor (ou com temática religiosa) são muito mais do que isso e servem em enorme monta como ferramenta pedagógica. Pesquisas mostram que mais da metade dos evangélicos lê a Bíblia de zero a quatro vezes por mês. Ou seja: a Igreja está biblicamente analfabeta. Assim, as letras dessas musicas acabam sendo a grande fonte de ensinamentos em nossas igrejas. E ensinamentos espúrios formam cristãos espúrios.
        .
        Além disso, licença poética tem contexto. Se eu usar poesia para dizer que meu pastor é, por exemplo, “a delicada rosa colorida de perfume primaveril e sedutor” creio que fica muito aquém do que convém e do que é confortável. Com Deus entendo a mesma coisa. Quero ter um romance com o Todo-Poderoso? Não, não quero. Não é uma poesia adequada. É uma estratégia para comover irmãs e as levarem a gostar da musica e, assim, comprar o CD.
        .
        O fato de esse grupo ter saído brigado da igreja por $$ a meu ver tem tudo a ver com o problema, mostra motivaçoes e a profundidade da devocionalidade dos tais – mais uma coisa que peca contra. “Acaso podem sair água doce e amarga da mesma fonte?”.
        .
        Sobre a herança americana, creio que esta claro que o que proponho é exatamente o oposto de jogar tudo no lixo: é analisar criticamente e com critério para não usar Musica antibiblica no serviço a Deus.
        .
        Sobre o plagio, confesso que não entendi a que o irmão se refere. Ao versionamento de melodias com letras cristãs? Se forem pagos direitos autorais ou se a musica já estiver em domínio publico não configura plagio, se é a isso que o reverendo se referiu.
        .
        Foi um prazer trocar ideias com o irmão. Que Deus conduza tudo para sua gloria. No amor do Senhor,
        mz

  4. Excelente e oportuna reflexão,
    — Maurício, você é uma voz–
    fale e não te cales, pois a verdade deve ser proclamada doa a quem doer.
    A música que nos leva a Deus deve ser espiritual e não carnal [Ef.5:19] “Falando entre vós em salmos, hinos, e CÂNTICOS ESPIRITUAIS, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração”

  5. Alessandra Figueredo disse:

    Mauricio,
    Eu apoio todas as suas colocações e estou estupefata como eu cantei a musica dos Titãs sem perceber.
    Muitas delas, ou a maioria eu aprendi ainda na infância, mas até hoje qd escuto, quando me dou por conta estou acompanhando.
    O cerebro é algo incrível, que faz com que vc não esqueça a letra mesmo depois de anos. Quando escutamos a melodia e letra vem na cabeça de forma automática.
    Hoje, não ouço mais nenhuma rádio que seja mundana. Mas não consigo não escutar as músicas de shoppings, do carro do meu pai e do meu irmão.
    A pior situação é quando as músicas do mundo estão dentro da sua casa e são cantadas pelas pessoas que vc mais ama! Dói muito o coração e infelizmente eu não consigo fazer nada!
    Bjss e a saudade dos 3 só está aumentando!

    • Minha sugestão é prestar sempre atencao no que canta e preencher a mente com coisas do Espirito. Aí a faxina começa e torna-se natural começar a repudiar o que não glorifica Deus. Como diz a Palavra, pode uma mesma fonte emanar águas amargas
      e doces?

      Beijo e paz.

  6. Ceiça Persi disse:

    Oi Maurício, excelente artigo, em dias de Rock in Rio tudo muito bem explicado se Deus te deu esta oportunidade de divulgar verdades sobre vida cristã deixa Deus te usar. Se vc ainda não viu, recomendo este video que mostra alguns absurdos da nova geração evangélica http://www.youtube.com/watch?v=Hs6hkX1OOc0 .
    Deus continue abençoando
    Um abraço.

  7. Eliana Neves disse:

    Parabéns pelo texto! Você é uma benção! Sempre pensei assim, mas grande parte da igreja não concorda… que bom descobrir que alguém tão sensato tbm pensa assim… Sabe, acredito que existe uma “religiosidade” quanto a este assunto… vou indicar o texto para muita gente! Benção!!!

    • Eliana,
      obrigado pelo carinho. Não creio que tenha a ver com “religiosidade”, no entanto, mas sim com
      desconhecimento, caricatura e preconceito.
      Um beijo grande, na paz do Mestre.

  8. lucilene disse:

    Meu irmão,
    Em alguns pontos um pouco exagerado, mais bem argumentado . Sem duvida alguma um assunto muito polemico.
    Quando tomamos a decisão de viver uma vida piedosa, tendo o exemplo de Cristo como SERVO sofredor, dificilmente toleramos a MAIORIA das musicas gospel. Tu sentes o orgulho, presunção e a sede de vingança e axaltação nas letras.
    Acho que a maioria dos cantores começam com humildade, mas depois que entram no mercado gospel… tem que vender, vender, disco de ouro, platina…lugares altos( Deus quer o melhor para seus filhos!) O compromisso deixa de ser com Deus, para ser com a gravadora (MAMOM). Ainda mais em tempo de GRAMMY e aparições em rede de TV. Quem não ser da MK? E agora a Sony (não tenha pudores em ser chamado de artista, ter muitos fãs e ganhar muito dinheiro!). Quem resiste a tanta sedução?
    As vezes escuto musicas seculares( que falem de coisas simples da vida e transmite tranquilidade) e tenho que respirar fundo para ouvir e aguentar certas musicas gospel.

    • Rsrs ouvindo seus argumentos corretos…onde está o exagero?

      Beijo e paz!

      • lucilene disse:

        Pelo andar da carruagem, não vou ficar com nenhum cd em casa (talvez uns tres gatos pingados!). Nem secular, nem gospel. Uma frase numa musica é motivo pra jogar um cd fora?(as vezes numa pregação boa o pregador fala umas besteiras tambem…)
        Seleciono as musicas e ouço o que gosto.

        Gostei muitos das informações sobre historia de algumas musicas, foi algum livro específico ou vc ja tinha um estudo elaborado?Poderia indicar biografia?

        bjin

      • Lucilene,

        não há livros, fora a palestra citada do Pastor e a Bíblia, a fonte foi conhecimento geral mesmo. Desculpe não poder ajudar.

        Sobre os CDs…vamos de paráfrase da Biblia: ouça de tudo, retenha o que é bom.

        Beijo e paz.

  9. Willian Couto disse:

    Graça e paz… irmão.

    Estou texto é muito oportuno, pois tem muitos irmãos que idolatram tanto suas banda gospel que não consegue ouvir uma critica. Uns tempo atrás ousei criticar um louvor para uma irmã e fui quase lichado, como vc aousa falar mau de tal louvor??? Tem irmãos que colocam o louvor acima da bíblia.

    Deus abençoe…

  10. MIRAMELES disse:

    Amei seu blog e esta excelente e inspirada explicação. Vou repassar com o link para o seu blog! Graça e Paz!

  11. Maicon disse:

    Na questão de músicas consagradas, acredito que elas não possuem mensagem bíblica, mas só possuem aparência de mensagem bíblica. Estão nas entrelinhas a “adoração à Deus”.

  12. marcojuric disse:

    Maurício, gostei do artigo!
    Bem lembrado pela Anny o assunto da consagração que as bandas/compositores/músicos fazem. Eu creio que quando somos de Deus, convertidos e salvos, ainda que haja consagração malígna nas músicas seculares, e disso não ficamos sabendo, isso não nos afeta, pois Deus é o nosso socorro bem presente, e ainda, como em Números 23:22 e em Marcos 16:18, entre outros.
    E nesse sentido também lembros das composições instrumentais. Como poderemos fazer uma avaliação se a música é do “mundo”, secular ou cristã? Acredito que uma busca, ainda que não tão profunda, sobre a vida do autor/compositor/intérprete é de bom senso. Como músico, procuro me abstrair da vida do músico, caso sejam seculares, cujas músicas aprecio, focando na questão puramente instrumental: técnica, execução, composição, linha melódica, equipamentos etc. É claro que não me baseio na vida dos músicos para referência, mas são inegáveis talentos seculares como Hendrix e Pastorious, entre outros, que até hoje são referências instrumental e de composição para, diria eu, a maioria dos músicos pop/rock. Não tenho conhecimento de terem sido eles e outros músicos que admiro, adoradores de demônios ou estivessem envolvidos, digo, declaradamente fazendo parte, com alguma seita e/ou grupo de satanistas. Como nesse caso não há parâmetros de letra para avaliação, e como você disse muito bem, são músicos seculares, não me sinto pecando. Mas quando sei, e não apenas de ouvir, procuro mesmo saber, que estão envolvidos com alguma “coisa estranha”, aí eu começo a coçar a cabeça e nem ouço mais.
    Mas se estamos realmente em Cristo, a paz dEle será o árbitro em nossos corações em tudo.

    God bless you!

    • Queridão,
      a questão da consagração para mim é inócua. A Bíblia é clara sobre o “alimento sacrificado aos idolos”. Maior é o que está em nós, e mediante a oração e imposição de mãos o que era deixa de ser. Tá lá, preto no branco. Nós que ficamos complicando.
      Sobre a vida dos musicos, existem cantores gospel que são gays, por exemplo, e ninguem sabe. Outros são promiscuos. Sei de uma cantora dessas pops de grandes gravadoras que fica se atracando com os musicos nos estudios de madrugada. E aí sobe nos “Canta isso” e “Canta aquilo” e começa a “louvar” como Madre Teresa. Outro eu já vi esbravejando palavrões pq não assinaram o contrato na gravadora como ele queria. E por aí vai.
      E é isso que vc falou: claro que não consigo ouvir um Rolling Stones sabendo de tudo o que eles cantam e fazem (já fui a dois shows deles nos velhos tempos e vi com meus proprios olhos os demônios infláveis e as bruxas que puseram sobre o palco). Sem falar das letras. Ou Ozzy que… pelo amor de Deus! Outro li no twitter um desses pastores emergentes dizer que ficou triste porque não foi no show do Ozzy – ex-vocalista de uma banda chamada… Black Sabbath, for God´s sake. Será que as pessoas não pensam? Ou Gangrena Gasosa. Ou essas bandas horripilantes que cantam males, dores e demonismos Mas tomá-los como parâmetro…é ser muito pouco bíblico. É coisa de quem nunca ouviu Paganini, por exemplo. Incomparável.
      E não preciso falar dos classicos apenas Já senti muito a presença de Deus, que me levou às lágrimas, ouvindo, por exemplo, “Perfeito Amor”, do Oficina G3. E quem diz que aquilo é “do mundo” é ser muito tacanho e limitado, perdoe-me a sinceridade.
      De resto, o que vc falou é certísimo. É a regra de ouro de Paulo: se algo escandaliza quem está ao redor…nao ouça, mesmo que nao seja pecado. É o que procuro fazer.

      Abração e Deus te abençoe.

  13. Sidnei disse:

    Como sempre um excelente texto!
    Não é somente na música que há essa grande confusão em denominar o que é “mundo”.
    O que infelizmente temos como realidade em nossas igrejas são crentes que não leem as escrituras e preferem “pensar” com a mente de outros. Precisamos seguir o conselho de Paulo visto claramente em II Timóteo 3:16-17 para não cairmos em confusão: “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.”
    Temos músicas ruim com ritmo bom e ritmo bom com letras horríveis. Que o SENHOR nos dê sempre a sabedoria e o discernimento para ouvirmos somente o que nos edifica.
    Tenho o privilégio de acordar todas as manhãs com os cantos de diversos pássaros: Não tem letra nenhuma, mas que grande louvor ao criador!
    Que Deus te abençoe!

  14. pauloricassio disse:

    É um enorme prazer poder ler mais este artigo Maurício Um tratado, sério e sincero, de cunho teológico e bíblico. Apesar de ser pentecostal tenho minha base teológica reformada e tudo que você falou aqui de fato é real, e eu confesso, aprendi muito e como amo aprender. Mais uma vez parabéns!

  15. Levi de Paula Tavares disse:

    Olá Mauricio

    A reflexão é interessante e o zelo nas coisas de Deus, fundamental. Mas seria interessante considerar, em nossas análises musicais para uso na igreja, a mensagem da música, independente da letra.

    A música cria um “clima” que deve ser coerente com a letra. É possível falar do amor de Deus, usando um estilo musical que incite a revolta, revolução e/ou a luta de classes?

    Não esqueça que os efeitos psicológicos da música são amplamente conhecidos, ou não haveria trilha sonora em filmes. Note também que quando um filme é traduzido, apenas a letra é traduzida; a trilha sonora continua criando os mesmos efeitos, em qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo.

    Além disso, se a música em si não contivesse uma mensagem, não haveria razão para ouvirmos músicas puramente instrumentais, como os concertos de Mozart, Bach, Haendel e Mendelssohn, citados por você.

    Pense nisto!

    um abraço!
    Levi

    • Levi,
      claro que o ambiente criado pela música se leva em conta. Mas você pode ter bandas de rock gospel altamente edificantes, por exemplo (como há). Se você ouve, por exemplo, o CD “Humanos”, do Oficina G3, verá um estilo bastante pesado, em certos momentos heavy metal – mas sempre edificantes. Ou Bloodgood. Ou Sacred Warrior. Ou Whitecross. Ou Deliverance. Ou Recon. Ou Tourniquet. E por aí vai.

      Então embora concorde com seu inquestionável argumento de que a harmonia da música e seu ritmo criem um ambiente que afeta emocionalmente quem ouve, continuo afirmando que não é porque você liga o pedal de distorção e usa uma bateria mais acelerada que aquilo se torna “do mundo”. Simplesmente porque o conceito de “mundo” na Bíblia não se refere a isso. Temos que dar os nomes certos aos bois.

      Só um detalhe: se você conhece as missas dos compositores que citou (Mozart, Haendel etc) sabe que eles não faziam musicas meramente instrumentais.

      Agora… confesso que não consigo imaginar um estilo musical que incite a luta de classes (acredito que o que faria isso seria um discurso comunista, talvez – mensagem, de novo, palavras). Como uma música faria isso para mim é um mistério rsrs.

      Forte abraço, querido, Deus te abençoe!

  16. Maurício, eu gosto de seus textos. Se não gostasse não os leria. E se vc me permitir eu gostaria de fazer uma observação e depois por mais combustível nesse assunto relevante e difícil.
    Nós sabemos que em determinados momento algumas palavras acabam por sofrer algum desgaste, dado seu mau uso. Lutero, por exemplo, preferia falar em comunidade de fé ao invés de igreja, que ele associava à institucionalização e à Igreja Medieval Majoritária. Não sei se concordo com Lutero, pois mesmo com um uso massacrado, “igreja” é um termo bíblico, diferente de “evangélico”. No seu texto mesmo há menção daquilo que todos sabemos, que hj em dia até livraria, gravadora, shopping center e sabe lá Deus o quê mais é evangélico. Então, talvez, aqueles que preferem serem chamados pelo nome de “cristãos” (esse bíblico), ao invés de evangélicos, não sejam sempre “revoltados”, mas pessoas interessadas em uma semântica mais apropriada ao contexto presente.
    Agora o combustível na fogueira: concordo absolutamente que filtrar as letras de músicas (bem como filmes, livros, etc) é indispensável aos cristãos. Entretanto uma questão me persegue quando penso neste assunto. Se soubéssemos que uma música com uma letra linda e inocente tivesse sido composta por Hitler ou Charles Mason nós a escutaríamos alegremente? A mente por detrás da composição não importa? Mesmo que essa mente seja notoriamente “mundana”? E aí?

    • Francisco, por partes, começando pelo final:

      se uma música te escandaliza, não cante. É o que eu faço. Não canto nenhum daqueles corinhos que mencionei no post, pois quero ser bíblico. Mas não esqueça que tudo o que é sacrificado aos ídolos é feito santo pela oração e imposição de mãos. Se vc pensar assim, nunca mais vai ouvir Wagner, que era o compositor do nazismo. “A Cavalgada das Valquiriras”, por exemplo. Nunca mais verá os filmes de Leni Riefenstahl (não estou dizendo que precisa concordar com o que está ali). Mas a pergunta vai além: a questão é “saber”? Se vc não soubesse você cantaria com o mesmo desgosto? Hitler pintou muitos quadros e se você não soubesse que eram dele poderia até achar belas pinturas. Então qual é o critério? Vc sabe como é a vida dos compositores de todas as músicas infantis que canta para seus filhos? Vc sabe que o lema da bandeira nacional, “Ordem e Progresso” é um lema positivista, uma filosofia que é contra o cristianismo, que tem como Ser Supremo a humanidade e propõe uma nova e diferente religião? E aí, não batemos mais continência e jogamos a bendeira fora? Será que você sabe, por exemplo, se quem fabrica suas roupas é adepto de religiões afro-brasileiras? E se for? E se a costureira que faz suas camisas frequentar centros de umbanda? Então eu vejo isso como uma questão de menor importância, pois se algo vem de raiz maligna, pela oração e santificação torna-se santo.

      Vamos ao outro assunto: sobe o uso do termo “evangélico”, ao contrário de um ou dois pastores que querem se destacar mudando as coisas como elas são, é um termo de beleza absoluta, que significa “o que anda segundo o Evangelho”. Não é um palavrão. E tem um significado bem específico, referindo-se aos cristãos oriundos da Reforma Protestante. Nos países anglo-saxões, onde a Reforma Protestante eclodiu no século XVI, o termo “evangélico” é usado para definir quase todas as doutrinas cristãs protestantes. Na Alemanha, berço do luteranismo, seu uso chega a ser mais específico: é comum se referir aos membros da Igreja Luterana como evangélicos, excluindo-se o resto dos protestantes. O problema é que queremos nos separar dos grupos que estão cometendo barbaridades, como certos neopentecostais e adeptos da Teologia da Prosperidade. Mas temos que mostrar que ELES não são evangélicos e não ficarmos tentando inventar nomenclaturas para nós ou nos envergonhar do que somos.

      “Cristão” pode se referir a um católico romano, a um ortodoxo grego, a um ortodoxo russo, a um copta…evangélico não, é bem específico e se refere aos herdeiros da Reforma. Não temos de nos envergonhar desse termo, que é histórico. Então creio que a semântica mais apropriada seja a que melhor define. E, nesse ponto, “cristão” é uma definição muito mais abrangente e muito menos explicativa que “evangélico” ou “protestante”. Tenho orgulho de ser cristão, pois mostra que sou cidadão dos céus. Tenho orgulho de ser cristão evangélico, pois mostra que sou cidadão dos céus por meio de Wittenburg e Genebra – e não Roma, Istambul ou coisa parecida.

      Espero me ter feito entender, amado.

      Deus o abençoe rica e poderosamente! Abraço bem apertado.

      • Francisco Genciano Jr disse:

        Ok. Seria contraproducente um debate acerca da distinção valorativa entre bíblico e histórico. Minha intenção foi tão somente preservar a honra daqueles genuínos irmãos em Cristo que preferem um termo ao invés de outro (afinal já é deveras lamentável, à luz da oração de Jesus Cristo registrada em João 17, que existam tantas denominações e que precisemos de tantas distinções entre aqueles que deveriam ser sempre e simplesmente cristãos). Por outro lado vc tem razão quanto ao resgate de termos legítimos que passaram por um processo de degradação. Deveriamos lutar pelo resgate de evangélico, liturgia, catequese, catecúmenos, e outros mais.
        Quanto ao demais sua resposta é bem abrangente, e não há como discordar, “seria necessário sair do mundo”. Afinal como posso saber se o teclado que estou usando agora não foi montado por um pedófilo psicopata? Levar a coisa para esse nível seria no mínino insano. Referi-me sim, e vejo que você compreendeu, à questão do conhecimento. Veja lá: “mentes notoriamente mundanas”. Meus pensamentos sobre o assunto em questão, e acredito que os seus tb, acabam por remeter, sempre, ao Texto de Romanos 14 e 15. Em “sabendo” que alguma coisa é sacrificada aos ídolos (o mundo em oposição ao Reino), devemos nos abster de tal coisa, não é assim que o apóstolo coloca? Por causa da consciência dos outros? Era isso. Abraço fraterno, em Cristo, no Evangelho, pela Paz e pela Unidade.

      • Respeito tuas opiniões, mano.
        Deus te abençoe.

      • Curti muito essa tua resposta… Vale lembrar que muitas, senão todas, essas missas clássicas eram compostas sob encomenda da igreja. Obras comerciais de cunho religioso. Não deixaram de ser religiosas pq foram motivadas comercialmente.
        É como o saudoso Jorge Rehder falou uma vez na Igreja Presbiteriana também em Manaus/AM (sou de lá) num seminário chamado Selá, há mais de 10 anos atrás:
        – Se o diabo em pessoa aparecer e disser que Jesus Salva, isso não será mentira e Jesus não vai deixar de salvar só porque quem falou foi o diabo, o pai da mentira.

        Já ouvi testemunhos de crentes que foi confrontados com essa realidade. O que dizer de um crente que, passando necessidade financeira, recebeu alimento das mãos de um vizinho pai-de-santo? A comida deixou de servir o propósito de provisão para o irmão, só pq veio das mãos de um feiticeiro? Não.

        Muito menos músicas e canções. Há muito pontos a considerar, mas no final, o que vale é a mensagem, o efeito, o resultado da obra e o que fazemos com ela.

        E essa questão da consagração pessoal do autor, se fosse válida mesmo, nos traria problemas. Um exemplo: William e Gloria Gaither, ele autor de “Tocou-me” e os dois autores de “Porque Ele Vive”. Gosta desses hinos? Mas vc sabe o que eles dois fazem quando estão sós?! Como saber? “Pelos seus frutos os conhecereis.” Mas como ver todos os frutos se a maioria de nós brasileiros vive a milhares de quilômetros de distância deles? Vamos ter que colocar informantes para monitorar as vidas dos poucos que ainda escrevem músicas boas? Claro que não. Na verdade, acho “viagem”, preocupar-se com a vida alheia. Vá até onde lhe é revelado, e que Deus lide com quaisquer dissimulações possíveis.

        É melhor usar o conselho de Jesus sobre ir ao mercado. Parafraseando 1 Co 10:25-33:
        25 Ouvi de tudo que se toca nas rádios, nas igrejas, e nas casas, sem perguntar nada sobre quem compôs ou quem executa, por causa da consciência.
        26 Porque do Senhor vem toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
        27 E, se algum dos infiéis vos quiser mostrar, e quiserdes ouvir, ouvi de tudo que se puser aos vossos ouvidos, sem nada perguntar, por causa da consciência.
        28 Mas se assim souberdes ou se alguém vos disser que tal música não é apropriada e foi dedicada a ídolos, não ouvi nem cantai, por causa daquele que vos advertiu e por causa da consciência; porque do Senhor vem toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação.
        29 Digo, porém, a consciência, não a tua, mas a do outro. Pois por que há de a minha liberdade ser julgada pela consciência de outrem?
        30 E, se eu com graça participo, ouço e executo músicas e canções, por que sou blasfemado naquilo por que dou graças?
        31 Portanto, quer ouçais quer canteis, ou utilizeis outra qualquer obra musical, utilizeis tudo para glória de Deus.
        32 Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos tradicionais, nem aos modernos, nem aos ímpios, nem à igreja de Deus.
        33 Como também eu em tudo agrado a todos, não buscando o meu próprio proveito, mas o de muitos, para que assim se possam salvar.

      • Perfeito! Amei!

        Deus te abençoe!

  17. Oi Maurício! Obrigado pelo belo artigo! Continue sempre escrevendo e agradando o nosso “Senhor”, expressando sempre a verdade, e não aos homens!

  18. Soraia Alves disse:

    Grande análise. Embora pra mim tudo isso seja óbvio, ainda me deparo com adolescentes que se perguntam “posso ouvir isso ou aquilo?”. A grande questão é a mensagem, e você tocou num ponto muito importante, Maurício: o incomodo que certas músicas nos causam. Isso é inato a quem diz ter o Espírito Santo vivo dentro de si.
    Eu, particularmente vivo muito ligada à música, shows, etc. Principalmente o rock. Certo dia ouvindo War Pigs do Black Sabatth eu realmente fui incomodada. Tinha 15/16 anos e foi aí que eu entendi o grande valor das mensagens. Ainda considero o Sabatth uma grande banda, até me divirto com a figura do Ozzy, mas ouvir, prestigiar… não, obrigada.
    Hoje, ouço pouquíssimos artistas da indústria musical gospel, quase nada na realidade. Ao mesmo tempo, já tive grandes momentos na presença de Deus ouvindo bandas como Mumford & Sons, por exemplo.

    Ps: Achei que você poderia ter citado o nome do grupo evangélico no tópico 5 ao invés de ” tem um conhecido grupo gospel…”, já que citou bandas conhecidas como Titãs e Barão Vermelho. As críticas ficariam mais “iguais”.

    Abraços

    • Rico comentario, Soraia, obrigado.
      Eu evito citar nomes, é uma opção pessoal. Só citei o dessas bandas pq ficaria óbvio de quem estou falando.
      No entanto, eu acho que temos que ter cautela. Antes de Jesus me salvar eu mesmo vivia no mundo do rock. E nesse pto vc me perdoe…Black Sabbath não dá. É demoníaco demais. O proprio Ozzy ( eu asisti ao show dele em 1985). Se vc quiser, leia o que falo sobre ele no post “Ozzy Osbourne, a igreja emergente e o futuro”.
      Acho que aí temos que ser firmes no criterio.

      Um beijo grande pra ti, no amor de Cristo.

  19. giovani disse:

    é por isso que não deixo de ler nenhum post! sempre edificando minha vida, através da inspiração divina! Mauricio, Deus te abençoe! continue, não te cales, creio eu, que Deus ira te colocar em lugares “grandes” pra anunciar o evangelho, puro, simples, verdadeiro! abraços!

    • Ô, mano, deixa Ele me pôr nos lugares pequenos mesmo.
      Os grandes acabam transformando bons cristãos em celebridades e estragando-os.

      Mas entendo o tom do teu comentário e agradeço o carinho e o afeto. Ore para que eu sempre leve o Evangelho puro e simples por onde for.
      Tudo o que eu quero ouvir é “bem-vindo, servo bom e fiel…” o resto…não me interessa.

      Abração querido, no amor de Jesus.

  20. Patricia Almeida disse:

    graça e paz amado… Sou cristã nascida em um lar cristao, mamae é meio radicalista e por muito tempo gostei de certas musicas que me ensinaram ser “mundanas”. O que li hoje me esclareceu varias duvidas, me mostrou varias verdades e claro me fez concordar(afinal tudo escrito aqui é biblico e sendo assim nao ha o que discutir). Em geral tem coisas q preciso evitar por questao de nao escandalizar, mas louvo a Deus por seu esclarecimento e por existir pessoas no nosso tempo que se baseia na biblia e nao em teorias proprias. Que Deus te abençoe meu irmao.

  21. Mara Clio disse:

    Achei mto bom seus escritos sobre a Música , sou Educadora Religiosa à adolescentes de 15 a 17 anos e entro nesta área da músical , pois é uma algo que se amarram e , uma das dinâmicas em classe é inventar uma música que traga mudança , condutas corretas e reflexão aos jovens desta geração , podendo ser paródia , gospel ou não .
    A única argumento que descordo de vc é qdo falou sobre a música do Michael W. Smith “Quero te ver “citando o texto Êxodo 33.20 , creio que essa música é uma forma de exaltar , santificar o nome de Deus ( Pai Nosso fala disso ) , isso refere-se tbém a experiências com Ele , Abrão disse ter visto Deus nos Carvalhaes de Manre e disse ao Senhor : Não passe de mim de Senhor .
    Na próxima vez , gostaria que escresse sobre consagração das músicas aos demônios , sei que vc é um homem sábio e dará boas explicações qto a isso .
    Já estarei dividindo com meus alunos os pontos positivos que aprendi contigo . Gde abraço . Mara Clio
    http://www.mulheresqueadoram.blogspot.com

    • Querida Mara,

      obrigado pelo seu carinho e suas palavras.

      Sobre sua opinião a respeito da música, lembremo-nos de algumas coisas: a canção fala de um homem que quer ver a face de Deus nos nossos dias, como Ele é hoje. Dentro deste contexto. Em Manre, o que os melhores teólogos consideram é que se tratava de uma teofania (Deus tomando forma humana) e muitos creem ter sido o próprio Jesus. Claro que muitos viram o rosto de Jesus como homem e como tal Ele é visível a olhos humanos. Senão que sentido teria a afirmação de Deus a Moisés? Estaria o Altíssimo mentindo? IMpossível. Se Deus disse, é fato. E a música fala do Deus transcendente, presente em toda a sua glória celestial e em sua manifestação plena. Evidentemente a intenção do autor foi positiva, de exaltar Deus, mas em minha visão o fez de forma antibíblica, pedindo a Deus para ver algo que Deus disse que não poderia ser visto.

      Sua sugestão sobre a consagração eu mencionei na resposta a outros comentários, mas em resumo eu comentaria com 1 Tm 4.4,5: “Pois tudo o que Deus criou é bom, e nada deve ser rejeitado, se for recebido com ação de graças, pois é santificado pela palavra de Deus e pela oração”. É ainda o caso de Cornélio. Se uma música foi consagrada aos demônios é algo imundo, como um despacho numa esquina. Mas se eu impuser minhas mãos sobre uma farofa daquelas e orar sobre ela, torna-se santo. E, quem sabe, um bom almoço.

      Deus a abençoe muito! Um forte abraço e a paz de Cristo.

      • Gostaria de apresentar algo sobre essa questão mencionada pela Mara.
        Essa música citada fala dos “olhos do coração”: “Open the eyes of my heart, Lord”, e não dos olhos físicos. Se pegarmos ao pé da letra realmente não é possível ver a Deus com os olhos terrenais, pois Deus é Espírito (Jo 4:24), seria o mesmo que querer usar a mente pra transportar um objeto de um lugar para o outro. Eu entendo que nesta música de modo específico, a expressão “quero Te ver” é mais uma questão percepção interior, pois fala dos “olhos do coração”. Eu consideraria, portanto, uma “licença poética” para expressar o desejo de desfrutar da doce presença de Deus. É importante ressaltar que a música diz: “Lord” e não, “God”; e deste modo não está se referindo ao Deus invisível, mas ao Filho, Jesus (Deus na forma humana), o Senhor e Cristo (At 2:36).
        Acrescento aqui para a nossa reflexão que além das passagens como as de Êxodo 33:20 e Gênesis 32:20, casos de teofania, como mencionado por ti, Zágari. Também temos as seguintes passagens (aproveito pra pedir q vc teça um comentário deles de acordo com o que estamos mencionando aqui pra ampliar a nossa compreensão): “Mas Estêvão, cheio do Espírito Santo, fitou os olhos no céu e viu a glória de Deus e Jesus, que estava à sua direita, e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, em pé à destra de Deus” (At 7:55-56).
        Em Hebreus 11:27, lemos a respeito de Moisés: “Pela fé, ele abandonou o Egito, não ficando amedrontado com a cólera do rei; antes, permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível”.

        Que Deus continue concedendo sabedoria a ti para expor a Sua Palavra, e ajudar outros a ter uma compreensão mais aguçada!
        Meu carinhoso abraço!

      • Oi, Ariane.
        Algumas consideração.

        Na musica em questão, temos que ver o contexto todo dela para entender o que o letrista quis dizer. Está lá:

        Quero Te ver, quero Te ver
        Eu quero Te tocar, eu quero Te abraçar
        Quero te ver

        Como se toca e abraça com a percepção inteiror? Logo, a letra expressa um desejo fisico. Logo, não é tão licença poetica assim. Isso só mostra como é confusa essa letra, que mistura alhos com bugalhos.

        Sobre Lord ou God….querida, pegue qualquer Bíblia em inglês e vc verá Deus Pai , o ser invisível ,sendo chamado de Lord montes de vezes. Esse é um equívoco da sua parte. Como no proprio Salmo 23: “The LORD is my shepherd, I shall not want”.

        Sobre Estevão, o que diz o texto bíblico? Que ele viu a face de Deus ou a glória de Deus?
        Em Hebreus, diz que Moisés viu Deus ou diz “como quem vê”?

        Querida, temos que prestar atenção às palavras do texto bíblico. Ver o que ele DE FATO diz. E o que é claro é claro, não adianta especularmos.

        Um beijo e um carinhoso abraço pra ti tb, no amor do Cristo que nos une.

      • Olá Zágari! Tudo em paz? Só agora que pude acessar o comentário que você postou. E agradeço pela atenção que vc sempre dedica. Só gostaria de esclarecer uma questão. Acabo de perceber que a Mara e eu estamos falando de uma música diferente da que você citou, a que nós estamos nos referindo é a do Michael W. Smith (confira: http://letras.terra.com.br/michael-w-smith-musicas/263546/). Não questionei o que a Bíblia diz: “Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou.” (Jo 1:18), na verdade estava tentando mostrar que esta música que a Mara citou não se refere a ver Deus Pai com os olhos físicos. Quanto aos últimos versículos que citei também não o fiz com intenção de dizer que é possível ver a Deus com os olhos físicos, pelo contrário, eu me referi para dizer que é possível ter essa experiência de “como quem vê a Deus”, e para que você pudesse acrescentar a sua compreensão a respeito deles e desse modo pudéssemos juntos entender melhor a palavra.
        “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é.” (1 Jo 3:2)
        Um grande abraço!

      • Outro grande, querida. Que Aquele que habita na luz inacessível te abençoe mais e mais.

  22. Rodrigo disse:

    Paz meu irmão.

    Ótimo texto, tbm concordo q oq deixa uma música profana é a letra e não o ritmo e tbm concordo, sem dúvidas, q existem muitas canções “evangélicas” piores que as seculares.

    A minha dúvida é a seguinte:
    E se o compositor da canção não for cristão, nós não estariamos sendo coniventes ao apreciar uma canção dele(a) ??? E não estariamos servindo de “escândalo” ou pedra de tropeço para alguns q precisam se achegar a Cristo???

    Abraço.

    • Oi, querido,
      muitos compositores de muitas das músicas que vc canta na sua igreja são “cristãos” apenas de nome mas vivem vidas devassas. Conheço um bom punhado deles (obviamente nao vou citar nomes). Muitos interpretes tb. Conheço cantoras evangelicas promiscuas, cantores alcoólatras, compositores que só compõem pelo dinheiro… tem de tudo, querido. Mas vc canta as musicas deles todo domingo e Deus é glorificado igualzinho. Pois o que vale é a intenção do teu coração. Deus recebe o louvor. Isso é o de menos.
      Se quem costurou sua roupa nao for cristão vc nao pode usa-la? Se o cozinheiro do restaurante for espirita vc nao pode jantar? Quem fabricou teu carro podia ser hindu.
      O que importa, amado, é a intenção do teu coração.

      Deus te abençoe e um abraço apertadão.

  23. Brilhante Maurício, didático, fundamentado, meus parabéns.
    O “Fato 5″ é para mim o grande X da questão atual e você soube bem relatá-lo. Só fiquei curioso com relação ao cantor do “romance”, o Google não me ajudou nessa…rs
    Excelente, estou mais uma vez repassando aos que posso.
    Forte Abraço, que Deus continue te inspirando e encorajando.

    • Grato, querido, é uma honra ser comentado por vc.
      Sobre o cantor do “romance”, não importa. Nomes são o de menos, toca no altar e segue em frente ;-)
      Abraço e paz!

  24. Juamara disse:

    Parabéns pelo post Maurício! Cada vez mais sendo usado para nos abençoar!!!
    Só tem um porém, falar neste assunto é um pouco complexo principalmente quando vamos falar das músicas evengélicas pois podemos acabar partindo para alguns extremos que podem nos levar a “encontrar cabelo em ovos” (expressão utilizada no nordeste que quer dizer ver o que não existe).
    Vou me expressar melhor através de um exemplo: uma determinada irmã de minha igreja criticou um louvor de uma cantora evangélica que diz “Minha casa será uma casa de benção…”. Na situação, a irmã disse que não deveríamos cantar este louvor pois ele diz que “nossa casa será” quando ela já é.
    Não acho legal partir para estes extremos pois acabaremos chegando a conclusão de que nenhuma música cantada pelos grupos de louvor conhecidos são bíblicas e o bom é só cantarmos músicas compostas por nós mesmos (não que eu ache que compormos louvores seja ruim, pelo contrário).
    Uma vez participei de um congresso e uma das palestras era sobre louvor. O problema é que o pastor falou mal de todos os grupos e músicas evangélicas. Todas tinham algo antibíblico. Resultado: no fim da palestra ele concluiu que ninguém estava certo e apenas o SEU cd continha músicas realmente cristãs.
    Sobre ouvir músicas seculares (gostei de aprender a diferença entre músicas mundanas e seculares!!!) só não concordo muito quando fazemos algumas concessões e isso passa a ser rotina. Acredito que devemos sempre alimentar nosso espírito e os louvores nos ajudam com isso. Tenho uma facilidade enorme de aprender músicas e acaba que se ouço uma única vez uma música já me pego cantando e acredito que isso não seja nem muito legal para o nosso testemunho.
    Espero ter conseguido me fazer ser entendida!!!
    Um abraço!
    Paz de Deus

    • Juamara, graça e paz.
      Sem duvida, extremismos são erro do mesmo jeito.
      Essa de só cantar o que nós mesmos compomos é nova pra mim, nunca tinha ouvido isso.
      Sobre o pastor da palestra…posso te garantir que não canto, sou desafinado e nao vendo CD meu rs.
      Sobre vc só ouvir musicas religiosas, eu respeito totalmente, é questão de gosto pessoal. Se é no que vc crê, faça isso. É o que Paulo ensina: não escandalizar os outros, mesmo se que aquilo que vc faz não for antibíblico. Se vc prefere, vá em frente. Eu confesso que não abro mão de meu Tom Jobim, que tem musicas lindissimas, que em nada ferem a nossa fé e alimentam meu espirito.

      Obrigado por compartilhar, querida, Que o Senhor Jesus te abençoe muito muito muito!
      Na paz.

  25. Rodrigo Setra disse:

    Olá Maurício, a paz…

    Primeiramente parabéns pelo post, se me permitir, gostaria de usá-lo para o ensino da música, inclusive se puder me indicar as referências bibliográficas dos textos utilizados eu farei a minha pesquisa.
    Sou músico e aprecio a arte escrita como a literatura e poesia. É fato que no meio evangélico não há muita preocupação com este tipo de arte, mesmo sabendo que Deus é um grande admirador das artes (Shaeffer), afinal Ele nos deixou uma vasta literatura contida a grande mensagem da sua misericórdia e salvação, Jesus.
    A Bíblia nos remete a uma fonte inesgotável de mensagens intelectuais e poemas inspiradores como uso para criação artística que é nosso legado evangelístico. Então eu penso o que é produzido fora destes termos, é uma total falta de foco e propósito com o Reino. Como escreveu Caio Fábio, insuportável desperdício…

    Deus abençoe.

    • Querido Rodrigo,
      obrigado pelo carinho, Por favor, sinta-se à vontade para usar o artigo no seu ensino, será uma honra.
      Não tenho infelizmente referencias bibliograficas alem da Bíblia, pois tudo o que escrevi saiu da minha memória e dos meus conhecimentos de vida, exceto a palestra do Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho, cujo texto você encontra na íntegra na internet (pelo google acha facil).
      Obrigado mais uma vez pela comunhão.
      Abraço forte, Deus te abençoe.

  26. Leandra disse:

    Amei poder ter o privilégio de conhecer teu blog e mais ainda em ler este artigo muito esclarecedor para mim, aqui obtive respostas de perguntas que nunca me foram respondidas.
    Com certeza sou a mais nova adepta a este blog e leitora assídua.
    Sou da ICNV de Campina Grande PB e desde já quero te parabenizar pelos livros geração ação, li os 2 livros antecedentes ao Misterio de Cruz das Almas em 2 dias, 1 dia “O enigma da Bíblia de Gutemberg “; e 1 dia ” 7 Enigmas e um Tesouro”, me envolvi completamente nas histórias e pude ter novos conhecimentos tais como o significado do peixe ICHTUS; Enfim que Deus continue abençoando sua vida rica e abundantemente para que através dela também possamos ser abençoados,

    Obrigada mais uma vez pela contribuição.

    • Ô, Leandra, que alegria conhecer mais uma mana da ICNV CG. Amo essa igreja e os pastores, embora nunca tenha ido pessoalmente. Mas são tantos amigos daí que tenho pelo twitter que me sinto bem proximo.
      Fico feliz que meu artigo tenha sido útil.
      Volte sempre ao APENAS, será uma honra. Se quiser ler os posts antigos (antigos é otimo, ne, o blog tem 4 meses rrsrs), espero que possa ser abençoada.
      Muito obrigado pelos elogios aos meus livrinhos. Espero que tenham servido para sua edificaçao e entretenimento. Estou aqui para servir.

      Um beijo enorme, na paz do nosso Mestre!

  27. Silvia Marques disse:

    Oi Mauricio, muito bem explicado essa questão sobre musica. Vivenciei Igreja que proibia musicas, independente da letra ou estilo, que não fossem aquelas cantadas nas igrejas. Considerando tudo como mundano e pecaminoso. Vi amigas jogando fora todos os seus discos que eram de cantores populares. Com esse texto pude entender claramente que temos que ser críticos e tirar o joio do trigo, tanto dentro das igrejas como fora delas, e ficar com só o que é bom e o que está em concordancia com a palavra de Deus.
    Gostei muito, obrigada.

    • Oi, querida Silvia.
      Joio e trigo: taí, uma boa analogia às musicas – seculares e religiosas.
      Obrigado por prestigiar o blog, é uma honra receber sua visita.

      Um beijo grande e que Deus te abençoe.

  28. no_caminho disse:

    Como sempre brilhante, MZ.
    Só quero levantar uma bola sobre a qual nem eu estou convicto. Muitas expressões que encontramos em louvores congregacionais não constam da Bíblia, mas não são necessariamente anti-bíblicas. Fazem parte, digamos, do universo da poesia. São figuras de linguagem. Você citou, por exemplo, “beber dos teus rios”. Jesus é a fonte de águas vivas, em Apocalipse ouvimos sobre o rio da água da vida. Assim, “beber dos teus rios” expressaria o desejo de uma comunhão íntima com o Senhor, a expectativa de que Cristo viva em nosso interior, ou que o Espírito inunde nosso ser.
    Em um conhecido blog cristão, o autor se levantou contra a expressão “os sonhos de Deus” (parte de um corinho), dizendo que Deus não sonha, determina. A crítica feita ao post baseou-se nesse argumento que expus, a legitimidade de uma certa liberdade poética. O que vc acha? Como disse, ainda estou pensando sobre o assunto.

    • Marcelo querido, obrigado pela honra da sua visita!

      Eu entendo a questão da licença poetica. Gosto de poesia. Mas creio que muitas vezes se abusa e o abuso leva a exageros. E aí surgem as modas e os modismos. A fase das musicas sobre rios. Depois a fase sobre louvores sobre jardins. E por aí vai. E geralmente poesias pobres. Creio que a crítica do Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho partiu daí. Não sou contra a poesia, mas a boa poesia. E a Biblia tem uma poesia tão rica, não é mesmo? E, claro, defendo o argumento que está no artigo do blog: uma poesia que não contrarie a Bíblia em nada.

      Sobre os “sonhos de Deus”…sabe que eu concordo com o critico? Deus ter um sonho é um papo meio Teologia Relacional, pois propõe um Deus que não sabe o que vai acontecer, apenas sonha que algo aconteça, que anseia que algo aconteça. Deus “sonhar” com algo em minha visão é antibíblico, pois afeta a onisciência dEle. Deus não sonha: Ele sabe.

      Obrigado pelo carinho, querido. Um abraço apertadão.

  29. Marquinhos disse:

    Cara, colocarei um bordão bastante conhecido:

    “- Tirou 10!” – Professor Raimundo (Chico Anysio)

    Show de bola este texto!

    Um forte abraço!

  30. Deivison disse:

    Foi um texto extenso. Li por curiosidade. Acredito na essência da música. Sua vida é um culto a Deus, não adianta nada estar num lugar cheio de cristões cantando uma música cristã se sua vida está tudo podre por dentro. Um versículo citado sem o seu contexto, entendo da seguinte forma(um texto sem contexto, não passa de um pretexto). Aprendi que devemos separar o problema da pessoa, se ela canta no meio cristão para ficar famosa(problema é dela, ela vai acarcar com as consequências), mas devemos orar por ela. Para algumas pessoas um ótimo texto, para outras vai contra o que elas aprenderam e viveram. É uma escolha nossa querer ouvir ou não ouvir, quanto mais perto e maior o temor saberemos dicernir o que é do Homem e o que é do Espirito!

  31. Bruno disse:

    Maurício.

    Conheci seu blog através do Púlpito Cristão e já é um dos meus preferidos.
    Parabéns e Deus abençoe, continue escrevendo pois seus textos estão ótimos.

    Fica na Paz!!

  32. Taí um texto bem escrito sobre um assunto de muita polêmica. Adorei, foi conciso e muito bem explicado. Sou de uma igreja pentecostal e sei o quão difícil é retirar do louvor certos hinos com texto antibíblico. Estou orando pedindo direção a Deus pra conversar com meu Pastor sobre o assunto e com a líder do louvor. Vou apresentar o texto a eles. Vejamos o que observam. Fique na paz.

  33. Pati Geiger disse:

    Texto excelente!
    É exatamente o que eu penso.
    Sinceramente, me dá nojo ouvir crentes dizendo que é pecado ouvir música secular, porque dai envolveria mais questões, dizendo que seria pecado assistir filmes e ler livros. Mas temos um Deus tão criativo, que Ele sempre dá um jeito de falar com Seu povo; assim como Ele já falou muito comigo através de filmes que não são “gospel” e assim como, Ele já falou comigo através de muitas músicas seculares.
    Gostei muito como você explicou a diferença de música do mundo e música secular. E gostei muito disso: Muita música dita “evangélica” é “do mundo”. Um amigo meu, uma vez me falou: não existem música gospel e música secular, existem música que edifica e música que não edifica. E te falar, tem músicas seculares que me edificaram mais do que muita música gospel por ai. #Desabafo

    Tenho vontade de aplaudir um texto como esse! Triste é ver que muitos cristãos não tem essa visão. Eu sempre olho a letra de uma música e não a vida de uma pessoa. Se tomarmos como base a vida de alguém, quantas músicas “gospel” foram escritas por “crentes” que falaram heresias, que caíram em pecado e se envolveram em escândalos?
    Enfim, não vou escrever outro post aqui nos comentários; só queria te parabenizar pelo texto!
    Excelente!

    Abraços

  34. Gabriele de Vasconcelos disse:

    Concordo completamente, sempre pensei nisso, que se as músicas não tem nada contra a palavra de Deus não tem por que elas não serem catadas ou ouvidas por cristãos.
    Mas Maurício sempre tive uma dúvida sobre a questão de assistir novelas,séries, filmes e tal, pq a maioria dos ´´programas“ de tv contém assuntos que não agradam a Deus é dificil encotrarmos coisas que agradem Deus na tv, então nós devemos parar de assistir? queria saber sua opinião sobre esse assunto, acho que a dúvida não é so minha como de muitos jovens ou até adultos cristãos!

    Agradeço desde já.

    • Olá, Gabriele,
      obrigado por visitar o blog e comentar.
      Eu quase não assisto TV. Simplesmente pq 99% do que passa é lixo. Para um cristão regenerado pelo sangue de Cristo assistir a essas novelas com histórias que exaltam valores mundanos é uma perda de tempo monstruosa e uma contaminação voluntária inexplicável.
      Acredite: é possível viver sem TV. Eu assisto no máximo uma ou duas horas por semana e ainda assim programas selecionados (não-evangélicos, diga-se de passagem, pois não vou perder meu tempo vendo pastores berrando, se ofendendo e vendendo, vendendo,vendendo,vendendo,vendendo,vendendo);
      Livros!
      O tempo que se perde vendo TV, ah, se fosse usado para ler bons livros! Ou para comungar. Ou orar. Ou conviver mais com a familia!
      Lembre-se: a TV foi criada na decada de 1950. Antes disso, por seculos, viveu-se sem ela. Pra que precisamos dela agora? Ainda mais com uma programação que só denigre o evangelho e os valores cristãos?

      Detalhe: como jornalista trabalhei por 9 anos em TV. Sei como a coisa funciona.Creia em mim: qdo forem falar sobre esse assunto, prefiram discutir um bom livro.

      Deus a abençoe!

      • Gabriele de Vasconcelos disse:

        Obrigada Mauricio!
        Concordo com vc sobre os dois aspectos.E seguirei seu conselho afinal tbm amo ler, e acredito que traz muito mas crescimento do que assistir tv.

        Deus te abençoe e continue a usá-lo em sua obra.

      • Amem, querida, a nos todos!

        Beijo e paz!

      • Que bom ouvir isso, Gabriele.
        Pode acreditar: vc só vai ganhar com isso.
        Deus te abençoe, mana!

  35. @SuhhMedeiros disse:

    Concordo com você, Maurício!
    Muitas músicas cantadas em igrejas são hereges e vão de encontro ao que prega a Bíblia.
    E há músicas seculares com letras lindas, profundas, que relatam experiências de vida, cotidianos, ou sentimentos nobres cultivados por alguém, por exemplo.
    Mas há irmãos, que pensam diferente; usam Mateus 6:24 para refutar este nosso ponto de vista: ” “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro”.
    Neste texto, especificamente, fala a respeito de servir a Deus e às riquezas. Mas poderia se encaixar neste argumento contra as músicas seculares ditas ‘do mundo’?
    O que você diz?

    A paz!
    Deus te use sempre!

    • Olá, amada.
      Não.
      Esse texto não pode ser aplicado a essa discussão. É um uso totalmente fora de contexto, o que fere as normas basicas da hermeneutica e da exegese.
      Não procede.

      Beijo grande, no amor do Senhor.

  36. André Neves disse:

    Grande Maurício, assunto polêmico, amigo! Apesar de eu ter discordado de ti em algumas coisas pontuais (as quais eu prefiro por ora não expressar aqui), eu creio que o seu texto está per-fei-to, para o início de uma discussão num mundo de ideias preconcebidas onde muitos se fecham ao debate, e não querem nem ao menos ouvir (como o caso da jovem que se levantou em sua aula de EBD e foi embora), infelizmente atitude cada vez mais comum no meio evangélico. Como diria o “polêmico” João Alexandre, para alguns “é proibido pensar” mesmo, o que acaba de certa forma nos remetendo ao seu post anterior, né? Risos… Mas é isso aí, vamos juntos a cada dia lutar pela verdade do Reino. A Paz.

  37. Ariane Borges disse:

    Suas palavras confirmam o meu sentimento em relação a música de modo geral: Que é extremamente importante observarmos a mensagem que ela transmitem (letra).

    Vale salientar também a influência que a música tem em nossa alma (ritmo e melodia), neste caso ela pode produzir as mais diversas reações: relaxamento, tristeza, aletria, agilidade (costumo ouvir alguns estilos específicos enquanto desenvolvo projetos de arquitetura pra dar ritmo), há alguns estilos que podem até fazer com quem fiquemos irritados e violentos. Alguns estudiosos da musicoterapia poderiam explicar isso melhor, mas aproveito para citar, com objetivo de ilustrar os efeitos da música sobre nossa atividade cerebral, as “e-drugs” as drogas virtuais, que utilizando-se de ritmos musicais e frequências sonoras, podem produzir efeitos semelhantes aos produzidos pelos entorpecentes como álcool, extasy, e outros. Alguns recursos melódicos são extremamente explorados pela indústria do marketing e da propaganda e até em momentos apelativos de determinados cultos evangélicos para induzir determinada reação nas pessoas por meio da comoção da emoção.

    A música é um excelente recurso para diversos fins, especialmente os educativos, por exemplo, ajudar na assimilação do conhecimento, o que seria considerado uma finalidade secular, mas que nem por isso a tornaria pecaminosa. Você também pode contar uma história que vivenciou e acrescentar uma melodia, a não ser que sua história seja pecaminosa, a música tampouco poderá ser. São músicas seculares, entretanto, não são mundanas.

    Com respeito às músicas “oficialmente cristãs”, ou que se dizem ser, elas precisam necessariamente ter conteúdo fundamentado na Bíblia, rejeitando todas as heresias.

    Por quinze anos me congreguei em com um grupo extremamente exclusivista (e que por estes e outros fatores pode ser mais considerado uma seita do que uma igreja genuína). Fui levada a aceitar o pensamento que somente as músicas produzidas pela Ed. Árvore da Vida eram aceitáveis aos olhos de Deus, e condenava todas as demais considerando-as como “fogo estranho” e “fermento”. Hoje, fora desse sistema, tenho aprendido a apreciar a música com esse mesmo ponto de vista apresentado no seu texto, que por sinal é bastante esclarecedor e de grande ajuda.

    No mais, se alguém tiver dúvidas se determinada música deve ou não ser ouvida ou cantada por um cristão, consulte o próprio Senhor por meio da unção interior que nos ensina todas as coisas. Olha só o que a palavra nos fala um pouco antes de mencionar os salmos, hinos e cânticos espirituais: “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos. Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Colossenses 3;15-16). “Seja a paz de Cristo o árbitro em vossos corações” ou como diz em outras versões “a paz de Cristo governe (regulamente, dite as regras) em vossos corações”.

    Um grande abraço!

    • Ariane,
      primeiro, como te falei pelo twitter, me perdoe a demora em responder. Mas eu respondo todos comentarios e só este ultimo post já teve algumas dezenas (perdi a conta rsrs).
      Obrigado pela visita ao blog e por comentar.
      Vc tem toda razão sobre os efeitos dos estilos/ritmos/melodias etc sobre as pessoas, minha cunhada é musicoterapeuta e ja conversamos bastante sobre isso. A questão é que um estado de relaxamento ou não, por exemplo, não influenciam na canonicidade de uma musica (que é o tema do artigo). Um exemplo classico são as bandas de rock gospel. Já entrei muito na presença de Deus ouvindo rock pesado, acredite ou não. Posso até citar: “The Messiah”, do Bloodgood, que é heavy metal mas tem uma letra tão linda sobre a descida de Cristo da Cruz e depois a fala dos anjos em sua ressurreição que me conduziu muito a Deus. Pelo Brasil, Oficina G3, que é o que mais conheçço, com “Perfeito Amor”, que já me levou às lágrimas diversas vezes, por exemplo.

      E por aí vai.

      Então, concordando com vc na questão do que um estilo pode provocar no ouvinte, não creio que isso afete uma música ser do mundo ou não ou sua validade no culto. Tanto que mjuitas igrejas começam os momentos de louvor com musicas agitadas e depois vão para as mais lentas e calmas. Mas é tudo louvor a Deus! Então, creio que seja por aí.

      Um beijo grande, obrigado pela paciência em esperar e Deus te abençoe.

  38. Adriana disse:

    Sempre Ameeeei Música e sempre selecionei dessa forma as músicas que ouço. Quanto às músicas seculares, tenho as minhas preferidas e admiro a poesia, a melodia, as vozes. Deus deu a inteligencia, a alma, a paixão para as pessoas usarem isso em todas as formas de expressão, uma delas a música…… Qto as “Evangélicas”, me entristeço por esse meio estar cada vez mais comercial, com letras cada vez mais pobres e Transmitidindo cada vez menos a palavra de Deus. Mas concordo com vc. A pergunta crucial e epicentral é: o que ela está dizendo contraria a Bíblia??? Se contrariar…to fora! Se não…é bem vinda!

    Um Belo post, sensato e consciente
    Abraços

  39. Nossa, isso tudo realmente é VERDADE, não tem como negar, não vou mentir, me surpreendi, me envergonhei, mas aprendi o que realmente´”musica do mundo” , Zágari você é demaaaaais rsrs.

  40. Felipe Nascimento disse:

    Mauricio aguardo a sua resposta…

    • Querido,
      venho a ti humilldemente pedir perdão. Me perdi um pouco no meio dos comentários a este post, pois foram algumas dezenas e minha plataforma embaralha muito a ordem. Se fiquei te devendo uma resposta, por gentileza me reenvie sua questão (ou então tenha um pouco de paciência comigo até eu achar aqui o seu comentário rs). Me desculpe, mano.
      Paz em Cristo.

  41. Suas palavras confirmam o meu sentimento em relação a música de modo geral: Que é extremamente importante observarmos a mensagem que ela transmitem (letra).

    Vale salientar também a influência que a música tem em nossa alma (ritmo e melodia), neste caso ela pode produzir as mais diversas reações: relaxamento, tristeza, aletria, agilidade (costumo ouvir alguns estilos específicos enquanto desenvolvo projetos de arquitetura pra dar ritmo), há alguns estilos que podem até fazer com quem fiquemos irritados e violentos. Alguns estudiosos da musicoterapia poderiam explicar isso melhor, mas aproveito para citar, com objetivo de ilustrar os efeitos da música sobre nossa atividade cerebral, as “e-drugs” as drogas virtuais, que utilizando-se de ritmos musicais e frequências sonoras, podem produzir efeitos semelhantes aos produzidos pelos entorpecentes como álcool, extasy, e outros. Alguns recursos melódicos são extremamente explorados pela indústria do marketing e da propaganda e até em momentos apelativos de determinados cultos evangélicos para induzir determinada reação nas pessoas por meio da comoção da emoção.

    A música é um excelente recurso para diversos fins, especialmente os educativos, por exemplo, ajudar na assimilação do conhecimento, o que seria considerado uma finalidade secular, mas que nem por isso a tornaria pecaminosa. Você também pode contar uma história que vivenciou e acrescentar uma melodia, a não ser que sua história seja pecaminosa, a música tampouco poderá ser. São músicas seculares, entretanto, não são mundanas.

    Com respeito às músicas “oficialmente cristãs”, ou que se dizem ser, elas precisam necessariamente ter conteúdo fundamentado na Bíblia, rejeitando todas as heresias.

    Por quinze anos me congreguei em com um grupo extremamente exclusivista (e que por estes e outros fatores pode ser mais considerado uma seita do que uma igreja genuína). Fui levada a aceitar o pensamento que somente as músicas produzidas pela Ed. Árvore da Vida eram aceitáveis aos olhos de Deus, e condenava todas as demais considerando-as como “fogo estranho” e “fermento”. Hoje, fora desse sistema, tenho aprendido a apreciar a música com esse mesmo ponto de vista apresentado no seu texto, que por sinal é bastante esclarecedor e de grande ajuda.

    No mais, se alguém tiver dúvidas se determinada música deve ou não ser ouvida ou cantada por um cristão, consulte o próprio Senhor por meio da unção interior que nos ensina todas as coisas. Olha só o que a palavra nos fala um pouco antes de mencionar os salmos, hinos e cânticos espirituais: “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos. Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Colossenses 3;15-16). “Seja a paz de Cristo o árbitro em vossos corações” ou como diz em outras versões “a paz de Cristo governe (regulamente, dite as regras) em vossos corações”.

    Um grande abraço!

    Obs.: Eu já havia enviado esse comentário, mas agora estou enviando novamente com a conta do Twitter.

  42. Outro dia, de tanto um pastor tuitar uma música da Aline Barros – Ressuscita-me, escrevi que não adiantava cantar pedindo pra Jesus remover pedra, pois isso Ele não fez por Lázaro… Moço, por que eu fui fazer isso?

    Acho que o fato nº 5 é onde mais estamos pecando, afinal quando usamos músicas cheias de mentiras e enganos para, supostamente louvar ao Senhor, demostramos total falta de compromisso com a Palavra.
    Já tentou ouvir “Sabor de Mel”, “Nasci pra vencer”, Não morrerei, Última chance?

    Tem coisas que eu detesto, mas emociona o respeitável público…
    “Eu me humilharei
    Teu nome gritarei
    Como criança eu serei
    Mas olha pra mim…
    … Eu Farei o que for preciso,
    Para te ver
    Pois não posso deixar que sigas,
    Sem me perceber…”

    Como assim?

    O Verbo se fez carne e habitou entre nós pra isso? Será que Ele precisa que eu chame a Sua atenção para me perceber?
    Será que isso não irá gerar nas mentes das crianças a falsa ideia de que o homem precisa fazer algo para merecer o favor de Deus?
    As pessoas estão achando que Zaqueu subiu em uma árvore para que Jesus pudesse vê-lo, já fiz o teste perguntando: Qual homem teve que subir em uma árvore para que Jesus pudesse lhe ver? Resposta automática: Zaqueu. E creia, quando falo que a resposta está errada, as pessoas tentam achar algum outro personágem bíblico rm cima de uma árvore…

    Ah! Mas o que importa é o coração… Não sei…
    Enganoso é o coração, é isso que a Palavra afirma, e é nisso que creio. Fazer o que? Sou apenas uma “crente fundamentalista”.

    • Oi, Meire,
      kkk, cuidado ao comprar brigas com questões que mexem com paixões e brios. Vai arrumar confusão.

      Sobre o Fato 5, tens toda razão, é exatamente o que penso.

      Essa musica do Zaqueu nao conheço, diz o quê?

      O que importa é o coração? Hmmmmmm…. depende muito. Os corações de Ananias e Safira estavam onde? Davi tinha um coração em Deus mas fez o que fez com Urias. Não creio que o que importe seja o coração (até pq a Biblia nao diz isso), pois se o coração nos leva a cantar algo a Deus que não tem base na própria Palavra de Deus….como Deus ouve? Sinceramente? Creio que como heresia.

      Um beijo fundamentalista, na paz fundamentalista do Fundamento de todas as coisas.

  43. joezer disse:

    Maurício, esse texto vem em boa hora. Como desconfio que o link que coloquei no comentário anterior pode estar bloqueando sua publicação, então refaço o comentário.
    Muita gente imagina que está livre de ouvir música “do mundo”, mundo na definição que você bem colocou, se ouvir música clássica, erudita. A ópera mozartiana As Bodas de Fígaro é um elogio à aventura erótica e ao adultério. Parsifal, de Wagner, é pseudorreligiosa no último. Já em Carmen e La Traviata, apesar da belíssima música, o “pecado” maior é o romantismo derramado do enredo, rsrs.
    Na bonita, pela intenção do gesto humanitário, “We Are the World”, canta-se que Deus transformou as pedras em pão (“as God taught us by turning stone to bread”). Só que Jesus recusou-se a transformar pedra em comida e não seguiu a sugestão de Satanás. Musical e politicamente correta, We Are the World tem incorreções teológicas.
    Vale lembrar que a música não é apenas o conteúdo literário, mas é algo mais total, que inclui aspectos musicais e extramusicais. Além disso, não é a letra que tem maior impacto no ouvinte, mas a música (poucos recitam só a letra do Hino Nacional, mas todos são capazes de assobiá-la até o final). Para alguns, determinados estilos musicais estão demasiadamente associados à festividades e comportamentos nada cristãos (raves, micaretas). Esvaziar determinados estilos de suas referências seculares originais é algo que se pode chamar de “refuncionalização” da música. Mas isso nem sempre é bem- sucedido.
    abraço e paz

    • Joezer,

      obrigado pelo comentário

      No caso das musicas classicas, temos de tudo. Temos as missas, temos Cavalgada das Valquiriras, temos os Requiens….eu cantei no coral do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e já vi de tudo, posso afirmar.

      Com relação às óperas, temos que ver que são histórias, algumas com boas mensagens, outras com más mensagens. Só para citar Carmen, de Bizet, esperemos que ninguém saia esfaqueando cada mulher que o rejeitou por tê-la assistido. E o amor na vemos na Habanera de Bizet é apresentado como “filho da boemia, que nunca conheceu lei”. Por outro lado, “Vesti la Giubba” é uma ária belissima de “I Pagliacci”que mostra a dor de um homem traido pela esposa. Claro que tudo isso tb tem que ser visto sob perspectiva.

      Sobre a música não ser apenas conteúdo literário, mas algo que inclui aspectos musicais e extramusicais, é correto, minha cunhada é musicoterapeuta e ja conversamos bastante sobre isso. A questão é que um estado de relaxamento ou não, por exemplo, não influenciam na canonicidade de uma musica (que é o tema do artigo). Um exemplo classico são as bandas de rock gospel. Já entrei muito na presença de Deus ouvindo rock pesado, acredite ou não. Posso até citar: “The Messiah”, do Bloodgood, que é heavy metal mas tem uma letra tão linda sobre a descida de Cristo da Cruz e depois a fala dos anjos em sua ressurreição que me conduziu muito a Deus. Pelo Brasil, Oficina G3, que é o que mais conheçço, com “Perfeito Amor”, que já me levou às lágrimas diversas vezes, por exemplo. Você pode ter bandas de rock gospel altamente edificantes, por exemplo (como há). Lembro-me agora de Sacred Warrior. Ou Whitecross. Ou Deliverance. Ou Recon. Ou Tourniquet.

      E por aí vai.

      Então, concordando com vc na questão do que um estilo pode provocar no ouvinte, não creio que isso afete uma música ser do mundo ou não ou sua validade no culto. Tanto que muitas igrejas começam os momentos de louvor com musicas agitadas e depois vão para as mais lentas e calmas. Mas é tudo louvor a Deus! Então, creio que seja por aí.

      Então embora concorde com seu inquestionável argumento de que a harmonia da música e seu ritmo criem um ambiente que afeta emocionalmente quem ouve, continuo afirmando que não é porque você liga o pedal de distorção e usa uma bateria mais acelerada que aquilo se torna “do mundo”. Simplesmente porque o conceito de “mundo” na Bíblia não se refere a isso. Temos que dar os nomes certos aos bois.

      Um abraço, na paz dAquele que nos une.

  44. Jhe disse:

    concordo plenamente com vc, me fale da sua opnião sobre a música “sabor de mel”, não acho que ela é biblicamente correta, não acho q Deus nos exalte para envergonhar o nosso irmão, quando Deus faz isso é para exaltar o Seu nome e envergonhar a Satanás…

    • Jhe, obrigado pela visita e o comentário.

      Não conheço a musica a que vc se refere, nunca ouvi. Mas busquei no Google e achei esta: Vê se confere. É sobre essa que vc está falando? Se for, posso ir fazendo umas observações ao longo do texto, mas apenas sobre a letra pois, como disse, nunca a ouvi. Comento entre parênteses.

      Sabor de Mel

      O agir de Deus é lindo
      Na vida de quem é fiel
      No começo tem provas amargas
      Mas no fim tem o sabor do mel (se ela se refere a “fim” como a eternidade, diria que poeticamente é aceitável)
      Eu nunca vi um escolhido sem resposta (opa, eu já e muitos)
      Porque em tudo Deus lhe mostra uma solução (não é verdade. Muitas vezes Deus se cala)
      Até nas cinzas ele clama e Deus atende (Muitas vezes o escolhido clama e Deus não atende)
      Lhe protege
      Lhe defende
      com as suas fortes mãos
      Você é um escolhido
      E a tua história não acaba aqui
      Você pode estar chorando agora
      Mas amanhã você irá sorrir. (“O choro pode durar uma noite mas a alegria vem ao amanhecer”, pode ser uma referência aceitável aqui)

      Deus vai te levantar das cinzas e do pó
      Deus vai cumprir tudo que tem te prometido
      Você vai ver a mão de Deus te exaltar (Nem sempre. Muitos e muitos cristãos morreram sem ter sido exaltados)
      Quem te vê há de falar
      Ele é mesmo o escolhido.

      Vão dizer que você nasceu pra vencer
      Que já sabiam porque você
      Tinha mesmo cara de vencedor (Hein?!)
      E que se Deus quer agir ninguém pode impedir
      Então você verá cumprir cada palavra
      Que o Senhor falou,

      Quem te viu passar na prova
      E não te ajudou
      Quando ver você na benção (o português correto seria “vir” e não “ver”)
      Vão se arrepender (quem pressupõe singular. O correto gramaticalmente aqui seria “vai” – só implicando)
      Vai estar entre a plateia
      E você no palco (Sinto um sentimento bem pouco cristão aqui. Que coisa vingativa…)
      Vai olhar e ver
      Jesus brilhando em você
      Quem sabe no teu pensamento
      Você vai dizer
      Meu Deus como vale a pena
      A gente ser fiel
      Na verdade a minha prova
      Tinha um gosto amargo
      Mas minha vitória hoje
      Tem sabor de mel.

      Tem sabor de mel
      Tem sabor de mel
      A minha vitória hoje
      Tem sabor de mel.

      A poesia (embora pobre) não me incomoda. As questões que pus entre parênteses sim, pois há muitas inverdades bíblicas. Digamos assim: se eu fosse pastor, não cantaria na minha igreja.. Respondido. Jhe?
      Beijo grande e a paz do Mestre.

      • Jhe disse:

        exatamente isso… obrigado
        paz

      • Paz, Jhe. Deus te abençoe.

      • Regina disse:

        Quanto às implicâncias com o português, eu também implico muito porque certas letras chegam a doer nos ouvidos!!!

        “Lhe protege / Lhe defende” – está errado e o certo seria “o protege, o defende” rsrsrs

        “Você é um escolhido / E a tua história não acaba aqui” -> mistura você + tu. Se você é um escolhido, a “sua” história não acaba aqui… rsrsrs

        Texto bom da hora!!! Já repassei suas explicações perfeitas e não é que teve gente que entendeu direitinho? A primeira fui eu :)

        Não perca o pique, Zágari
        Bj na Paz e no pique do Senhor ;)

      • Valeu por mais essa, Regina!

        Beijos!

      • André Neves disse:

        Não acredito que você não conhecia esta canção (Risos)… Infelizmente, ela está sendo uma “febre” em igrejas pentecostais, em especial nas Assembleias de Deus, incluindo a igreja em que congrego, infelizmente. Mas muita gente lá sabe que eu tenho “bronca” com esta música, justamente pela questão da “vingança” e apelo ao “ser exaltado” em detrimento das demais pessoas. Infelizmente, muitos vibram com essa mensagem, na minha opinião, nem um pouco evangélica (isto é, coerente com o Evangelho). Um dos pastores assembleianos que mais respeito, o Pr. Ciro Zibordi, também critica bastante esta canção, em seu livro “Erros que os adoradores devem evitar” (CPAD), e também em seu Blog. Mas em nosso meio, infelizmente “ainda” é meio que “proibido pensar” (o que mais uma vez, me remete aquele outro post seu); enfim, continuo orando a Deus por uma hinologia mais sólida, bíblica e piedosa em nossas Igrejas. Um forte abraço!

      • Não conhecia, Andre, pois a minha igreja seleciona MUITO bem o que é cantado.

        Abração!

      • André Neves disse:

        Que bom, Maurício! Queria muito poder levar essa “cultura” de selecionar melhor as canções que cantamos para a minha igreja local. Oro e luto por isto. Paz.

      • Dialogue com amor, carinho e argumentos bíblicos e históricos com sua liderança. E, claro, ore.
        Deus agirá.

        Abraçao!

  45. Leandro Martins disse:

    Acreditor ser esse assunto por certo modo polêmico…

    Tem um amigo meu que mora no Recreio e que é cristão e esteve no Rock in Rio no último final de semana. Ele afirmou pra mim que foi porque gosta de algumas bandas que tocaram no dia que esteve presente. Disse pra mim tbm que do lado de fora do evento haviam pessoas fazendo evangelização, e como ele bem me informou, não entraram no evento, como ele fez.

    Assim, como estive conversando com esse meu amigo, a liberdade pra se ouvir músicas mundanas ou não é de cada um. Não cabe a ninguém julgar ou dizer se está certo ou errado, ou mesmo se é pecado. Pra mim, pecado é tudo aquilo que nos afasta de Deus, da Sua presença sagrada.

    Temos sempre que lembrar que a liberdade que o cristão/evangélico tem é uma liberdade santa, que não dá ocasião à carne. É uma liberdade presa em Cristo, no sacrifício da Sua cruz, e não como muitos andam fazendo e pregrando por aí…

    Como debatemos, quando uma pessoa nasce outra vez através das águas do batismo e vem a se converter, eis que o velho homem já morreu, e uma nova vida com Cristo começa a partir dali. A pessoa que amava músicas mundanas entre outrás práticas que vão de encontro à Palavra de Deus, vai deixando de cometer tais práticas. Claro que é um processo demorado, lento em que o próprio Espírito Santo que vai convertendo a pessoa do pecado, do juízo…

    Acho que ouvir músicas que não adoram a Deus, e sim à carne, não deveriam ser ouvidas pelos cristãos… Creio que aquele se se diz convertido, restaurado, mudado, não vive outra realidade a não ser adorar a Deus e viver conforme a Palavra de Deus.

    Em João 4:24, Jesus diz bem claro que Deus é Espírito, e importa que os verdadeiros adoradores O adorem em espírito e em verdade. Aqui está o caminho da perfeita adoração à Deus dos que O amam adorar. A Bíblia tbm diz que da boca das crianças é que sai o perfeito louvor. Ou seja, por mais que queiramos louvar ou adorar a Deus, nunca o faremos como uma criança…

    Quanto aos instrumentos musicais para se louvar a Deus, a Bíblia traz em Salmos os intrumentos recomendados ou exemplificativos para tal. Claro que não é taxativo, mas se precisa observar que o estilo musical, instrumentos ou ritmo influencia muito na forma de se louvar ou adorar a Deus.

    Uma coisa que tenho observado entre os cristãos/evangélicos é que nem todos vivem uma vida de adoração a Deus. Só cantam durante o culto os louvores/hinos que são executados lá. Nem todos procuram no mercado gospel aqueles grupos, cantores que louvam a Deus com sinceridade. Muitos preferem ouvir músicas seculares a ouvir músicas gospel que exaltam e proclamam o Evangelho da salvação.

    Na minha denominação mesmo, os irmãos são contra ouvir músicas em rádios evangélicas ou de cd’s gospel. Acham que o que está por trás é o interesse comercial, financeiro, e não simplesmente o de adorar a Deus. Assim, muitos só cantam os hinos do hinário da mesma, que a princípio será atualizado e acrescentado novos hinos, que como vc falou, tem muitas melodias que são consideradas pagãs…

    Enfim, acredito que o que a gente ouve influi muito no nosso pensar, viver. Como está na Bìblia, a fé vem pelo ouvir… Quanto mais ouvimos sobre as coisas de Deus, mais a nossa fé é renovada, reavivada, fortalecida. Quando decidimos viver uma vida de adoração a Deus, Ele passa a ser o centro da nossa vida. Aquilo que não O agrada passa a ser algo que não edifica a alma, e não interessa mais.

    Como está em Gálatas 5:25, que diz “Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.”

    Acho que esse versículo fala muito em relação a tudo que o cristão faz, seja ouvir música e etc.

    Os cristãos que andam em Espírito muito certamento terão o fruto do Espírito. Já os que andam segundo a carne, estarão à vontade de fazer tudo aquilo que a carne se alegra e a faz se sentir bem.

    Cabe a cada um, cristão ou não, a escolha…

    Um grande abraço querido

    Na paz do Amado Salvador

    • Querido Leandro,
      respeito sua opinião, embora veja muitos furos no que vc diz. Em específico na ideia de que se alguma música não faz parte da chamada “música evangélica” ela não edifica ou não faz parte de um louvor e uma adoração perfeita a Deus.

      Se vc tiver interesse, leia respostas que dei a irmãos aqui nos comentários que apontam o mundanismo que impera nos bastidores de grande parte da “música evangélica”. Não precisaria repetir tudo aqui.

      Minha posição é baseada não no que “eu acho” mas sim no que a Biblia diz e no que a Historia registra.

      Quem tem ouvidos para ouvir, ouça. Quem não quiser, eu respeito, restrinja-se ao que o mercado fonografico gospel impõe ( com montes de musicas ate mesmo heréticas) e os hinários ditam.

      Só por favor não confunda o cerne do post: sinonimizar música secular e música mundana.

      Deus o abençoe, te abraço forte, no amor do Cristo que nos une.

      • Leandro Martins disse:

        Sei que minha opinião pode ter transparecido minha posição em relação à música evangélica e tal. Mas acredito que sempre quando tomamos posição, tomamos também partido de alguma maneira. Não tem como não impor opinião naquilo que acreditamos como verdade.

        Deu pra perceber que você curte músicas não evangélicas ao escrever este post…
        Existe uma famoso ditado que diz que gosto não se discute. Cada um tem o seu, seja por música evangélica, música secular, música mundana, entre outras.

        O importante é que esse amor que nos une alcance milhões de pessoas através de canções que falem genuinamente desse amor. Isso pra mim é o que realmente importa, que vidas sejam alcançadas ao ouvirem que Jesus as amam e que quer salvá-las. Seja através de nossas bocas ou ouvindo num cd, rádio, etc…

        No mais, quer ouvimos músicas gospel ou não, que tudo o que fizermos amigo seja para a glória do nosso Deus. Só Ele é digno de toda glória e louvor!

        Que Deus te ilumine sempre

        No amor do nosso Salvador Jesus

      • Agora vc falou e disse, Leandro
        Só uma explicação, querido, que acho válida: qdo me converti, na igreja que frequentava me disseram que eu só poderia ouvir musica evangelica, pois o resto é do mundo, do diabo ou o que for. Peguei todos meus CDs “do mundo” e fiz uma enorme fogueira no quintal.
        Mas com o passar do tempo a gente vai aprendendo coisas. Eu aprendi como os hinários foram feitos. Estudei o conceito de “mundo” na Biblia (e, logo, “mudano”), aprendi sobre a Graça Comum e a Revelação Geral de Deus, frequentei os bastidores de gravadoras e rádios “evangélicas” e vi como parte dessa turminha compõe e faz suas musicas, muitos com comportamentos muito piores que a pior das pessoas mundanas…e aí, Leandro, a gente junta os pontos e vê que a música mundana está entre as seculares e também entre as evangélicas (muiitas das quais são versões de musicas que tinham letras sobre assuntos como prostitutas alcoolizadas, sobre sensualidade etc e que hoje estão nos hinários, vc canta no culto e nem sabe que é versão de musicas compostas com intenção de entreter pessoas em bordeis. Mas que Deus recebe pela sinceridade do teu coração de qualquer modo. Ou se eu cantar “Vencendo vem Jesus” ou o Hino 185 da Harpa o Senhor não receberá o louvor só pq são versões).
        Sobre meu gosto musical, eu gosto de boa música, não separo em evanglica/nao-evangelica. Separo sim em mundana/não-mundana, como o post deixou claro. Gosto de Jobim, Chico, Bizet, Mozart, Chopin, Leoncavallo e outros musicos seculares, que me abençoam quando ouço. Já chorei e me iliguei muito ao Senhor ouvindo belas árias de ópera.. E também gosto de evangélicos, como Oficina G3, Stenio Marcius, Gerson Borges, Joao Alexandre, Velho Irlandês etc. Se a música é boa, não ofende nem contradiz o Evangelho…não vejo mal algum. A Bíblia não proibe, essa é a questão principal. E isso não trata de gosto (que eu penso que se discute sim, pois é possivel aprimorar o gosto musical através do ensino e da instrução, já vi isso acontecer diversas vezes), mas de obediência à vontade divina revelada nas Escrituras Sagradas.
        Pra terminar, fecho contigo: ouvindo músicas gospel ou não, tudo o que fizermos, amigo, seja para a glória do nosso Deus. Só Ele é digno de toda glória e louvor!
        Abraço fraterno, no amor do Senhor.

  46. Leandrokdeira (@leandrokdeira) disse:

    Ler teu blog é tão gostoso,faz tanto bem à alma,que eu me estendo a ler até os comentários e suas respostas.
    Fique na paz.

  47. Caio disse:

    Mauricio eu concordo com você! Belo esclarecimento.
    Só acho que não convém utilizar música secular com letras cristãs (a famosa música convertida), apesar disso ter sido usado em outros tempos. Pois acredito que isso confunde a igreja e trás um conflito de principios para membros e novos convertidos.

    É só o que penso.

    Deus o abençoe!

    • Oi, Caio.
      Obrigado pelo carinho.
      Respeito tua opinião. No meu caso nem exprimo opinião sobre isso, o que apresentei são fatos históricos.
      Se vc se opuser a utilizar música secular com letras cristãs você não canta mais os hinos da Harpa Cristã, do Cantor Cristão e outros, além de muitos dos chamados corinhos. Essa é a questão. E tantos são os compositores e cantores ditos “cristãos” que vivem vidas de pecado e as pessoas nem sabem! Então…qual seria a diferença?
      Não se chateie comigo, mas não acredito nessa confusão em nesse conflito que vc mencionou. Pois tudo o que é explicado sobre a Bíblia e sobre a verdade conduz a Deus e não afasta dEle. Esconder as verdades é que seria contraditório biblicamente.
      Tratei um pouco sobre esse assunto no post “Mordaça na Igreja” (http://apenas1.wordpress.com/2011/08/30/mordaca-na-igreja/), convido vc a ler.

      Deus te abençoe, te abraço forte, no amor do Senhor.

      • Caio disse:

        É Mauricio eu vejo e entendo também seu ponto de vista. E não quero gerar discussão alguma, apenas expor o que penso. E admiro o seu modo de guiar uma conversa.
        O conflito que mencionei, que já vivi em minha igreja, é ouvir uma música de Luan Santana ou de Roupa Nova com letras “gospel” pra “animar” a galera. Não há necessidade alguma, visto que temos ótimas canções compostas por pessoas cristãs, vivendo elas uma vida de pecado ou não. Quanto ao fato de ser um hino com origem militar ou de bordel isso no meu ponto de vista não faz diferença pois quem ouve ou canta a música recebe como sendo cristã e não faz ideia de onde veio.
        Portanto, o que penso não é de onde veio a música mas o impacto que ela causa em quem canta/ouve.
        Obrigado por ler meu comnetário. Deus te abençoe nessa trabalho.

      • Deus o abençoe, querido.

  48. abraaoisvi disse:

    Passei muitos anos ouvindo música secular, e oq isso me trouxe? Nada! só tirou meu tempo de comunhão com DEUS e me prejudicou espiritualmente, por que não aproveitar todos os seus momentos livres para ter comunhão com o Pai e se edificar? Que adianta perder tanto tempo alimentando sua própria alma nas coisas terrenas? Prefiro colocar minha alma no espírito e buscar comunhão com o Pai. Certa feita, me envolvi tanto com música secular, que me irritava de ouvir música de louvores a DEUS, para mim era muito chato, então o Pai me deu um tratamento de choque, me mostrou o quanto eu estava perdendo, louvando o mundo e a mim mesmo, ao ouvir música secular, demorou um tempo para eu parar de ouvir, mas finalmente DEUS tirou isso de mim, hoje tenho repulsa só de pensar em ouvir música secular, quando me lembro de quanto tempo perdi de glorificar a DEUS e sua grandeza, alimentando minha própria pequenez. É tempo irmãos de largarmos a vida da alma e nos dedicarmos a DEUS, nos santificando.

    • Querido,
      respeito tua posição.
      Mas se vc parar para pensar nas 24h do dia de cada um de nós, ninguém, absolutamente ninguém, passa seu tempo só em devoção a Deus. Ninguém cochila? Almoça? Lê jornal? Joga futebol? Brinca com os filhos? Então proporuma devoção 24 h é uma irrealidade.

      Se ouvir música secular não lhe agrada…. Não ouça. Mas o problema e dizer que é condenavel o que Deus não condena.

      Te abraço, em Cristo Jesus, o meu e teu Senhor e Salvador.

    • Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes.
      O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu.
      Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar.
      Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.
      Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.
      Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.
      Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.
      Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.
      Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo.
      Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus.
      De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.
      Romanos 14:2-12

      CREIO Q A BÍBLIA TEM RESPOSTA PARA TUDO, AFINAL ELA É O NOSSO MANUAL DE INSTRUÇÕES =)

  49. Viviane Alves disse:

    oi,

  50. Viviane Alves disse:

    Olá,Mauricio;

    Concordo com vc,mas quando vc se refere a possibilidade de vermos a face de Deus,
    ser algo mundano de se pedir,será que derrepente esse cantor não estaria em seu
    coração esperando alguma manifestação do espirito santo. Será que podemos julgar
    o que aquele servo em sua adoração pessoal com Deus, esta realmente pedindo em seu coração.
    Antes de me tornar cristã,meu irmão que por acaso também se chama mauricio,orou e jejuou
    por tanto tempo,e quando ele já não tinha mais forças para orar, ele pediu ao senhor que manifestasse sua presença de alguma forma para que eu pudesse ver e crêr, ele trouxe do acampamento oonde estava reunido com pastores havia uma semana,orando e jejuando. E em uma certa noite ele chegou em casa com uma caixa cheia de gravetos e folhas secas que ele pegou no proprio chão do lugar onde eles oraram e me mostrou. E me disse que eu veria o amor de Deus e o que o seu poder poderia fazer,eu debochei muito como sempre. mas depois de ele orar e voltar a meu quarto e me acordar na madrugada cantando exatamente algo parecido com o trecho da música que vc discordou (quero te ve). Os gravetos e as folhas secas,ficaram verdes e com uma luz tão forteeeee e tão intensa que meus olhos não conseguiam
    olhar fixamente. Eu senti uma paz e chorei muito,e equanto ele orava e cantava a luz permanecia. E assim que aceitei jesus naquele momento,meu irmão parou a canção e as orações para nos abraçarmos…lentamente os galhos e a luz foram sumindo e tomaando a forma normal de como tinham sido pegos no chão. Secos e mortos…sou cristã a mais de 14 anos e na epóca dançava aché em uma banda. Mas seu texto me deixou com uma dúvida sobre essa questão.

    Um grande abraço

    Viviane

    • Querida Viviane,
      obrigado pela visita e pelo comentário.
      O problema aí é o “será”. Isso é uma especulação. Temos que tratar com fatos, concorda?
      Lembre-se que os crentes de Bereia eram mais nobres que os de Tessalônica pq em tudo examinavam as Escrituras. É o que temos de fazer, querida.
      Se um certo compositor tinha um sentimento nobre no coração mas isso se traduziu numa letra antibíblica…lamento, vira heresia. Ário quando discutiu com Atanásio acerca da divindade de Jesus no Concilio de Niceia, por exemplo, tinha as mais nobre intenções. Como Marcião. Como os gnósticos. Mas eram todos hereges. Então o citerio é o cânon, é a Bíblia.Sola Scriptura sempre.

      Não gostaria de discutir sobre sua experiência pessoal. Isso não me compete e eu seria leviano se o fizesse. Se Jesus te chamou, justificou e fez nova criatura, eu o glorifico e me alegro. Mas uma experiência pessoal é uma experiência pessoal, um principio basico da hermeneutica é que experiencias pessoais não se aplicam a todos. Eu conheço uma pessoa que se converteu pq comeu beterraba demai, urinou vermelho, achou que era sangue e que estava morrendo e caiu de joelhos no chão pedindo a Deus que o salvasse. Isso é uma história real. Não posso a partir daí sugerir que todos comam beterrabas para se xonverter, entende, foi uma experiência pessoal. Por isso, por favor, não fique chateada comigo, mas prefiro não comentar a tua experiência individual.

      Cristo a abençoe com o seu amor. Na paz dele te abraço.

  51. Duda Borges disse:

    Rapaz que eu faço depois de um texto desse? Um nova reforma protestante? Prendo nas portas das Igrejas a lá Lutero? kkkkk brincadeiras a parte.
    Belo texto, me tirou dúvidas e reafirmou aquilo que eu sempre acreditei o que vale é a mensagem. Já vi, ouvi e presenciei muitas repreensões quanto a ouvir músicas secular, o povo lança o fardo em cima da gente e não explica o pq. Já me fardei e essa semana me questionava sobre isso, se era pecado ou não de verdade?
    Já vi muito crente olhar torto quando digo que ouço musica secular, que o que me atrai são as letras e a mensagem que elas passam, o ritmo que as vezes são tão bons e criativos que não posso acreditar ser obra do “Satã” só pq não toca na igreja. Já me restringir em ouvir só musicas evangélicas e achei de uma chatice tamanha, muita coisa igual, repetida e monótona e com conteudo poetico as vezes nulo (não todas!). Me surpreendi ao cantarolar “Você me faz tão bem” e parecer uma declaração de amor a Deus, ou “Dia Comum” e sentir Deus me chamando atenção na hora, numa epoca que eu tava me fazendo de surda pra ele.
    Valeu por me ajudar a pensar e vê multiforma de Deus mais uma vez.
    “Examinai tudo. Retende o bem.” 1tessalonicenses 5:21
    Deus te abençõe muiiito,
    Em Cristo.
    @olheparaomapa

    • Duda, fico feliz por ter ajudado.
      Uma passagem pra Wittenberg deve ser muito cara, então vamos apenas orar pela Igreja e divulgar a Verdade mesmo rsrs.
      Me alegro por você, que eu tenha sido bênção pra ti.

      Beijo grande e a paz do Mestre.

  52. abraaoisvi disse:

    PS: Não estou dizendo que não podemos ouvir musica secular, não estou querendo ser radical, não estou dizendo ser pecado ouvir música secular, concordo com o post em parte, mas também temos que ter cuidado para que não venhamos a ser levados pelas coisas do mundo (para mim não existe diferença entre secular e do mundo), e perder a comunhão com o Pai.

    • Abraão, respeito novamente sua opinião.
      Mas que bom que vc disse “para mim”, porque para a Bíblia há. No post isso está explicado.
      Deus o abençoe, rica e poderosamente.

  53. Amanda disse:

    Zágari, que compreensão tive agora através de suas explicações e exemplos. Bravo!

    Agora me diga… quando estou na igreja e uma dessas músicas é tocada o que fazer??!!

    • Fico feliz, Amanda.
      Sinceramente? O que eu faço é não cantar e no momento em que os outros cantam eu oro a Deus. Prossigo em adoração, mas pessoal.
      E depois, procure seu pastor e tente conversar com ele sobre a questão. Quem sabe ele não concorda e retira do rol de musicas da igreja as heréticas?

      Beio e paz!

  54. Eu creio que consigo dividir as coisas, eu ouço de tudo e creio ser o cristão que menos ouve música religiosa rs, ouço de tudo mas dificilmente me entrego a qualquer coisa (cantar junto? Dançar? Meh!), talvez só me entregue mesmo à música religiosa, por isso ouço pouco.

    E quando falo música religiosa não falo de white metal nem gospel, mas de Handel, Bach, Vivaldi, hinos tradicionais etc… eu lembro de que nunca havia me comovido com “Jesus, joy of men” só pela música, mas amigo, quando fui traduzir a letra do alemão me derreti no verso final. E certa vez fui ouvir uma banda de death metal que começou a blasfemar tanto que achei insuportavel continuar… acho que é natural da pessoa convertida repudiar ou simplesmente ignorar aquilo que não é bom. No mundo a gente tem de ignorar tanta coisa ruim a nossa volta que com a música acaba não se tornando diferente. Mas acho interessante que nesses dias estava me sentindo incomodadíssimo ouvindo uma música lounge que colocava Jesus e Budda no mesmo lugar ahahah

    Evangélico também, creio, tem um problema quando vai usar um estilo diferente, para eles só mudar a letra e pronto, assim se canta louvores a Deus em black metal, e fica muito superficial e estraga. Esquece da profundidade em usar esses estilos, o metal por exemplo, seria perfeito para a tristeza de Jó ou para contar as batalhas do Velho Testamento e apocalipse, mas nada disso foi produzido ainda. A música cristã desse século está engatinhando ainda, mas muita coisa boa já foi feita, pelo menos com o jazz, não acho impossível esse desafio.

    Eu não imito meus artistas prediletos, prefiro imitar meus escritores prediletos (rs) mas creio que há benefícios sociais em conhecê-los. Da mesma forma que é bom ler livros críticos da religião para que possamos reforçar nossas razões, conhecer a música do mundo nos contextualiza com os problemas atuais ao invés de ficarmos dentro de um gueto onde só ouvimos as nossas próprias vozes. É um problema muito antigo o isolacionismo evangélico, e a label religião não ajuda, como bem disse NT Wright: “De fato, os cristãos antigos ficariam chocados ao ver sua cosmovisão etiquetada como uma “religião”. Era uma filosofia, uma política, uma cultura, uma vocação… a categoria de “religião” é parte do problema, não parte da solução.” Nós não fomos feitos para nos separar do mundo, ao menos da cultura, mas para salgá-lo, colocando cativo todo pensamento para servir a Deus.

    • Charles,
      excelente reflexão, muito equilibrada.
      Só faria uma ressalva. Qdo vc diz “Nós não fomos feitos para nos separar do mundo, ao menos da cultura” eu
      poria isso em perspectiva. Pois a cultura do mundo tem muita, mas muita coisa
      com que, sinceramente, não dá pra conviver.
      Fora isso, muito bem posto.

      Abraço forte, no amor do Mestre.

  55. Abraão disse:

    Uma coisa muito estranha para mim nesse texto é a sensação de defesa da música secular a despeito da evangélica. Todos sabemos que a música evangélica tem seus problemas, mas ainda assim é melhor que ouvir música secular. Encaremos o seguinte, quanto mais nos deleitamos nas coisas de DEUS, menos das coisas do mundo iremos querer, quanto mais buscamos da presença do Senhor da Glória, mais e mais iremos querer estar na Sua presença. Como poderemos permanecer no Espírito ouvindo música secular? Hoje mais do que nunca o mundo tem caminhado em direção a sensualidade e a depravação, como compartilhar com isso?
    Nossas vidas são tão ocupadas, por que não usar o pouco do tempo que temos para louvar ao Senhor? Não digo que não podemos ou que é pecado ouvir música secular, mas como gastar tempo com isso? Ai iremos encher nossa alma do que não é de DEUS, portanto do mundo, e nosso coração ficará cheio disso, e em momentos em que nem percebemos estaremos a cantar não louvores, mas músicas que não trazem edificação. Irmãos, nossa alma é fraca, e extremamente suscetível a sensualidade, ela precisa ser transformada continuamente, sendo elevada para onde já está nosso espírito.

    PS: Não falo de estilo musical, eu mesmo gosto muito de metal.

    • Olá, Abraão.
      Obrigado pelo comentário, querido.
      Desculpe, sua percepção foi equivocada. Não há “defesa da música secular a despeito da evangélica”. O que há é um confronto à musica “mundana”, seja ela secular ou evangélica. Percebe a diferença?
      Quando você diz “Todos sabemos que a música evangélica tem seus problemas, mas ainda assim é melhor que ouvir música secular”, bem, essa é uma opinião particular sua. Por tudo o que está escrito no post ficam claros os argumentos que contrariam essa sua afirmação.
      Você menciona não perder tempo ouvindo musica secular. Ok, mas…esse tempo está sendo usado todo nas coisas de Deus? Ou será que a pessoa que diz isso não gasta horas assistindo a jogos de futebol, por exemplo? Ou asssistindo ao telejornal? Ou vendo um filme? Ou passeando no parque? Ou lendo jornal ou uma revista? Qual seria a diferença?
      Mano…existem muitas musicas “evangélicas” que são extremamente sensuais. Já ouvu “Sacia-me”, por exemplo? Parece musica de um casal em um motel, perdoe-me. Ao mesmo tempo, temos musicas seculares belissimas e que nao têm nada de sensualidade. Será que o problema é só sensualidade?
      Você diz “Como poderemos permanecer no Espírito ouvindo música secular? “. Querido, você já estudou sobre graça comum ou revelação geral? Uma musica secular que exalta a natureza está falando da grandiosidade da criação de Deus.

      Perdoe-me, não quero nem de longe ofendê-lo e respeito suas opiniões. Mas acho que você deveria reler o post.

      Deus o abençoe. No amor de Cristo, que nos une.

  56. Andrson Meireles disse:

    Muito interessante o texto sobre cristãos e música do mundo. Bastante lúcido. Um ato de coragem diante de tema tão polêmico.

  57. Viviane Alves disse:

    Obrigado por responder Mauricio…

    Como vc mesmo disse,experiência pessoal é algo indiscultivel. Eu creio plenamente
    que naquela noite Deus se fez presente,como esta até hoje. Creio pela prosperidade,o amor,
    e os frutos do espirito que se faz presente em minha familia. E mesmo assim friso,que o amor de Deus é inquestinovál,portanto não podemos julgar nunca a forma como ele irá se manifestar. E se a fé, e o amor com que meu irmão buscou a minha cura foram heresia. Sinto muito,pois jamais em lugar algum eu senti algo tão grandioso como naquela noite. Resumindo vamos sim fazer o que senhor pediu,atavés dos ensinamentos bíblicos. Mas não esquecer de pedir muitaaaaaaa sabedoria para discernirmos o que é santo e o que heresia. Eu creio que o amor de Deus trancede a nossa sabedoria telógica, e todo o resto que os seres humanos acreditam saber. E poor isso o ” Será” vai existir até para aqueles que são Doutores no quesito Bíblia.

    Deus o abencoe no amor de Cristo.

    • Sem duvida há muitos “serás?”. Outros não. João 3.16 não é um será. A ressurreição de Cristo não é um será. E por aí vai.
      Algumas coisas, querida, a Biblia não pergunta: afirma. A nós cabe aceitar ou contradizê-lá. É uma decisão pessoal.

      Mas creio na tua fé e no teu amor. Cristo nos une e isso não é um será rsrs.

      Obrigado pelo carinho e o amor. Te abraço, no afeto de Cristo.

  58. Viviane Alves disse:

    Ahhhhhhhh tinha me esquecido…ganhar uma vida,e livrar essa alma do inferno,
    nãoo seria um fato a se considerar.

    Abraço em cristo pra vc

    • Desculpe, Viviane, tratei você com respeito e dentro dos ditames bíblicos e você me tratou com sarcasmo – o que não é fruto do Espirito.
      Acho que aqui se encerra nossa conversa. Não vou entrar em bate-bocas.
      Acredito que um dos resultados de uma vida resgatada do inferno é o carinho e o respeito pelos irmãos em Cristo. Fico feliz que você foi resgatada do inferno. Agora só falta começar a exercer as virtudes do fruto.

      Abraço em Cristo.

      • Viviane Alves disse:

        Olá Mauricio,

        Não posso encerrar nossa converssa,sem antes pedir desculpa,se passei uma impressão errada. Mas vc interpretou muitoooooooo mal a minha pergunta. apenas havia me esquecido de perguntar mesmo.tenho certeza que não sou a única a discordar de certos pontos,afinal de contas somos humanos e ninguém tem o poder de saber tudo.
        E nem antes de ser resgatada,como vc mencionou,me lembro de ter batido boca com alguém.
        E vc pelo contrário,me ensinando sobre os frutos do espirito,mas me acusando de ser sarcástica,e de não respeitar vc como pessoa ou como irmão. Vc colocou um tema até que eu já sabia. Acho que o minimo que o cristão deve fazer é vigiar sobre o que ele ouve,oque ele diz e etc..A minha pergunta é muito simples,mas nem precisa responder,pois já obtive a resposta e com muita clareza.

        Obrigado,

      • Viviane,
        se eu entendi errado o que vc disse, só posso pedir que me perdoe.
        Me soou sim uma resposta sarcástica e eu por norma pessoal não uso este espaço para discussões. Por isso cortei o assunto.
        Mas pelo que vc me diz o que vc disse não foi o que entendi e eu acredito. Então, minha irmã, me perdoe pelo meu erro e se te ofendi.

        No amor de Cristo, que nos une como Igreja e em amor,
        Mauricio

  59. Idamar disse:

    Broder excelente post, bem claro e com base biblica, porem só um detalhe… Kosmos é sim a palavra grega usada pra definir, entre outras coisas, o universo e todo o seu conjunto, ou seja, o mundo e toda a criação de Deus, a exemplo do emprego usado no texto original de Jo 03:16 que vc cita e omite ao mesmo tempo. Nao é simplesmente, ou apenas coisas que contrariam o evangelho… Apesar de que no decorrer do texto vc acaba consertando esse equivoco, como vc mesmo disse, a pessoa pode se desinteressar pela leitura e parar por aí… No mais, parabens – Deus lhe conceda sempre grande inspirações!

    • Brother, não foi equivoco. Sei que kosmos tb é usado nesses casos.
      Não entendi como um coisa anularia a outra. Hermeneuticamente, é o contexto que
      estabelece.

      Desculpe se me fiz entender mal.

      Abracao, no amor de Jesus.

  60. Rebecca disse:

    Sem palavras. Apenas, palmas pra você.
    Concordo completamente com cada coisa que você disse.

    Muito sábio, muito inteligente. Parabéns mesmo!

  61. [...] contar é claro, que muitas destas são de péssimo gosto musical. Veja este excelente artigo do Apenas sobre música e [...]

  62. [...] contar é claro, que muitas destas são de péssimo gosto musical. Veja este excelente artigo do Apenas sobre música e [...]

  63. Oi irmão Maurício!
    Concordo plenamente com suas palavras, biblicamente amparadas. Só lastimo que no nosso país, encontremos cristãos que cantam , compram, ouvem, e assistem shows de músicas em línguas estrangeiras, sem ao menos entender o que dizem.
    Lastimo também que a falta de conhecimento da nossa língua, tanto da semântica quanto na interpretação dos textos, seja um dado alarmante nas nossas estatísticas até com analfabetos funcionais.
    E lastimo mais ainda, que “alguns” cristãos não tenham conhecimento da Palavra de Deus para discernir verdadeiros louvores, com conteúdo bíblico, com verdades e afirmações pertinentes. Basta ser cantor cristão, o ritmo agradou, não se preocupam com o que diz a letra. Há verdadeiras heresias, idéias equivocadas e laboratórios nas tais.
    Muito me preocupa tudo isso.
    Mas voltando ao seu texto, é uma aula. Um novo paradigma para os que estavam fechados à poesia e as letras de músicas que não profanam o templo que somos do Espírito Santo de Deus.
    Que o Senhor nosso Pai continue te guardando juntamente com os seus, na palma de Sua mão.
    Carinhosamente,
    Soraya barros

  64. Hebert disse:

    Má rapá, genial esse post. De fato, tenho uma opinião muito semelhante á sua. Realment, no que tange a gênero é algo pessoal(jamais poria nos meus ouvidos de gosto requintado[brincadeira, rs] o funk carioca por exemplo, mas toleraria o samba), apesar de que cá entre nós, realmente á gêneros que são horríveis, he. Bem, hoje eu afirmo que escuto mais música secular do que cristã, por não conheçer muito músico sério cristão. Assim, escuto muito MPB, Bossa, Blues, Jazz, rock e pop. Principalmente o último, gosto de músicas meio românticas e pá. Mans enfim, não sou de idolatrar nenhum músico, admiro o trabalho sim, mas não que chegue a idolatria. Ex, o Snow Patrol só sabia o nome de algumas poucas músicas e o nome da banda, fora isso era totalmente ignorante. Na verdade, ainda sou.

    Hoje escuto – e re-escuto – mais Oficina, Fruto, Estratagema, PG, umas músicas cristães aleatórias por causa da letra e pá.

    Mans enfim, ótimo post. Deus continue te abençoando e que a cada dia de nossas vidas, tenhamos um comportamento bereiano e genuinamente cristão mano!

    + em Cristo.

    • Obrigado, queridão. Não sei se vc curte mpb, mas se vc quiser conhecer uma boa radio
      com musicas cristãs uma alternativa é a radio om-line MC3 ( se puser no Google radio mc3 acha fácil). Mas se vc não curte mpb eu não saberá indicar uma única fonte.

      Abraão, mano, Deus te abençoe!

  65. penso da mesma forma… só não acho que determinadas músicas acima citadas realmente deveriam ser tratadas com tamanha “ferrenhosidade” #palavrainventada

    imagino que certas coisas passam pelo crivo da relatividade… o “subir” da música do DT pode ser encarado como “ir a igreja”, assim como o “abrir os olhos do meu coração” (música com mais traduções que já vi) não necessariamente quer dizer que queremos ver “a face de Deus em vida”… mas isso vai da cabeça de cada um! quem resolve isso é o bom português…

    de resto concordo com o texto!

    • Hmmmm…não é bem assim, Sidney. Se vc estudar literatura verá que o autor tem sempre uma intenção. O receptor pode até interpretar diferente, mas não muda a intenção original.

      No contexto que falamos aqui, a Biblia tem de
      ser sempre o parâmetro, não posso trabalhar no campo do “pode ser” ou “eu acho”. Senão não é cristianismo.

      E relativismo e Biblia realmente não se misturam.

      Abraço forte, em Cristo.

  66. Karine Rocha disse:

    Como é gostoso ler seus post! Vc esclarece tantas dúvidas… Vc é tremendamente usado por Deus! Digo isso pq me converti, mas tem muitas coisas q não consigo entender da vida cristã. Qnd comecei a ler os artigos do seu blog, fiquei achando q vc leu minha mente, sei lá! rsrs
    O q é muito legal tbm são os comentários. Claro q nem todas as pessoas tem o mesmo ponto de vista, e eu gosto muito de ver opiniões diferentes.
    Enfim, só quis postar esse comentário para q saiba o quanto esse blog é edificante!
    Fique com Deus!!!! =)

    • Ô, amada, fico feliz pq vc é abençoada. Estou aqui pra servir.
      Se precisar de algo é só falar.
      Volte sempre, a casa é sua :-)

      beijo e paz!

      • Karine Rocha disse:

        Sei q não é o assunto do post, tbm não achei esse tema no blog, mas gostaria de fazer uma pergunta: a dança, ela tbm segue os mesmos critérios q da música? Louvar com o corpo é bíblico? Como não frequento uma igreja fixa digamos assim, cada “denominação” q visito diz coisas diferentes… Já li na Bíblia sobre a dança de Miriã, mas pq tem igrejas q dançam e outras q até proibem? Lembrando q quando digo “igreja” quero dizer evangélicas pentecostais, q teoricamente deveriam ter a mesma doutrina. Obrigada!

      • Não há na Biblia nenhuma proibição à dança.
        O problema são dois:
        – 99% daquilo que é chamado de Ministerio de Danca nas igrejas são apenas umas meninas dançando coreografias que em nada expressam louvor a Deus.
        – geralmente as coreografia são paupérrimas. Falta talento artístico.

        Então a dança em si não é problema algum, a ideia de que dançar é pecado é invenção humana sem base nas Escrituas. Claro, e isso seria desnecessário eu dizer, que há danças e danças. Uma valsa é uma coisa. Lambada é outra. Danças que estimulem a sexualidade devem ser evitadas tanto quanto um namoro “caliente”. Mas se não há um componente lascivo, dancemos! Há ballets belíssimos, dança contemporânea, jazz… Expressões belíssimas do movimento do corpo humano que só nos fazem bem à alma.

        A questão da proibição da dança em certas denominações mais ascéticas é muito mais histórica que bíblica. Na época dos peregrinos puritanos, havia expressões que só ocorriam em bordeis e bares, como danças, consumo de álcool, jogos de azar etc. Lugares freqüentados, por exemplo, por marinheiros tatuados. Então todas essas coisas foram sendo associadas ao pecado. As gerações se passaram, os novos herdaram as tradições dos antigos e perdeu-s no tempo as razoes HISTORICAS que levaram ao surgimento desses conceitos, percebe? Mas biblicamente não há nada contra.

        Respondido?

        Agora, se me permite, uma coisa chamou a minha atenção no que vc escreveu: o fato de vc peregrinar de igreja em igreja. Não faça isso. Encontre uma família de fé onde haja a vivência autentica da vida crista e lance ancora. É importante a comunhão. Ter um grupo de amigos que intwrcederao por vc e a quem vc poderá ajudar nas suas debilidades, uma liderança sadia… Essa coisa de viver o cristianismo de forma peregrina acaba dando nós na nossa cabeça. Ache uma igreja. Se fixe nela. E seja abençoada lá.

        Deus te abençoe!

      • Karine Rocha disse:

        Muito obrigada pelos esclarecimentos! E mais agradecida fico pelo conselho! Mas na verdade eu sei que é muito importante, para não dizer fundamental, se fixar em uma igreja, tanto para comunhão como para me “alimentar” da Palavra de forma correta, pois, como vc mesmo disse, acaba dando um nó na cabeça. E aí que entra um dos motivos de minhas orações: para o Senhor me mostrar onde ficar. Simplesmente não consigo parar em lugar nenhum! E não é rebeldia! É que acabo não acreditando em tudo que me falam, não sei explicar. Acredito em Deus, não tenho dúvidas, mas os “detalhes” da vida cristã me confundem muito… Mas enfim, muito agradecida por tudo! =) Fike na paz do Senhor!

      • Amada,
        busque uma igreja histórica, bem preparada, com tradição. Com pastores bem preparados, que possam te discipular de acordo com a Biblia. Esses critérios já tiram de esquadro series de igrejas onde não se ensina e vive a fé genuína.

        Oro por ti. Que vc encontre essa igreja e ali exerça plenamente a comunhão e a adoração.

        Beijo e paz.

  67. Oi mano Maurício,
    sei q demorei um pouco para comentar esse post ( pois comento todos ‘O’), mas foi pq além do tempo ser corrido, quis lê-lo com calma em casa antes de expressar qualquer opinião.

    Sempre concordei q não devemos ser tão radicais em relação a músicas seculares, até pq existe mta música secular com qualidade infinitamente superior a mtas músicas ditas gospel (disso não temos a menor dúvida não é mesmo?) Até pq creio q músicas como a q vc mesmo mencionou no inicio da pastagem, do Tom Jobim, são inspiradas sim por Deus (Toda a boa dádiva e todo o dom perfeito vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação. – Tiago 1:17) e ouvir uma linda canção como essa enche nosso coração de amor. Olha ele ai gente! O amor. Então vem de Deus, pq Deus é amor (1 João 4:8b).
    Nós temos q parar com essa mania infantil q num pode isso ou aquilo, um condenando o q o outro faz! Temos q ter maturidade para filtrar tudo q o mundo nos oferece, até pq não somos dele mas vivemos nele. Não somos E.T.s e sim peregrinos.

    Amei o post Mano, que Deus continue te abençoando e te inspirando.

    Bjs e paz no amor do Papai ;)

    • Obrigado, querida.

      Concordo com vc até o ponto em que vc diz “Nós temos q parar com essa mania infantil q num pode isso ou aquilo”. Pois existem coisas que a Bíblia proibem e, logo…não pode.Lembre-se: não pode matar, roubar etc. E é isso mesmo: não pode.

      Não poder algo não é problema. Sendo nós humildes e subsmissos ao Senhor saberemos nos submeter aos limites que Ele nos impõe sem que isso seja um fardo.

      Beijo e obrigado por comentar!

      • Ok mano,

        Sei q existem vários “não podes” na Bíblia q realmente são mandamentos Divinos e q devem ser respeitados. Disso não tenho a menor dúvida!
        Mas quando falo q “Nós temos q parar com essa mania infantil q num pode isso ou aquilo” falo em relação outras a coisas, foras as q a Palavra nos dá as instruções diretas a seguir.Coisas essa q mtas vezes damos mais importância do q seguir os mandamentos do Mestre, infelizmente =/

        É sempre bom passar por aki e ser edificada mano…

        Bjinhos e paz no amor do Papai ;)

      • Beijos, nesse amor dEle que nos faz um.

  68. Drik's disse:

    Dificil comentar aqui, ja que, falaram de tuuuudo! Masss…
    Deus deu criatividade, amor, paixão e uma alma aos homens, e sabedoria e inteligencia para que ele criasse…quando se cria algo que CONTRARIA a palavra de Deus eu não quero pra mim…mas se não contrariar não julgo ser maléfico…a questão é: tomemos cuidado para não COARMOS UM MOSQUITO enuanto estamos ENGOLINDO CAMELOS. Se o parâmetro “ser inspirado por Deus” fosse o princípio adotado para se escolher o que se ouvir, também deveria atingir todos os sentidos, logo estaríamos diante da seguinte situação: não veríamos nenhum programa de televisão, nem os jornais de publicação, não veríamos filmes, peças teatrais, dentre outros…ou seja, seríamos um bando de aculturados em nome da “religião’… na minha opinião, aquilo que é inspirado pela alma humana e que não contraria os pincípios da Palavra de Deus são coisas que podmeos desfrutar como filhos de Deus… a liberdade não pode dar lugar à libertinagem e às impurezas, portanto, nada melhor que a maturidade para saber comparar tudo o que se vê e ouve e toca e sente Á LUZ DA PALAVRA.

  69. james disse:

    .

    A graça, a paz, e o amor vos sejam multiplicados.

    Exímio texto. Compartilho deste mesmo entendimento que expressa.

    É muito bom quando encontramos texto como este e com vários comentários. Sei que irei falar algo que já foi dito, mas, entendo que música é música e pronto, é entretenimento!! Louvor não se relaciona as músicas!!

    Mesmo porque, todas as músicas, seculares, do mundo, gospel, malignas, possuem as mesmas notas musicais: DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SI

    E outro ponto que me causa riso (ou náusea), é quando encontramos aqueles “cantores” que se intitulam “levitas”, numa paráfrase de que, em ser “cantor de templos religiosos” seja um “levita”;

    E, bem entendo que “levitas” foram os que nasceram na tribo de “Levi”, e não cantor de instituição religiosa com nome de “igreja”.

    O Senhor Deus vos abençoe e aos seus ricamente.

    Vivendo Por, Em e Para Cristo; nos interesses da Igreja que Cristo edificou.

    James, crente desigrejado de instituições religiosas com nome de igreja.

    • James, mano querido,
      obrigado pelo carinho e pelo comentário. É por aí mesmo.
      Abraço forte em ti,
      Mauricio, crente igrejado em instituição religiosa com nome de igreja. E sem se arrepender.

  70. Ótimo e muito esclarecedor

    Jesus abençoe

  71. Sheyla disse:

    Que explicação fantástica! Concordo em gênero, número e grau! Assino embaixo e registro em cartório rsrsrss! Continuo afirmando: Vc é um Salomão da nossa geração! Dá gosto de ler! Deus te abençoe querido! Beijos de amor e fé!

    • Sheyla, vc é over gentil rsrs
      Mas Salomão tá muuuuuuuito na minha frente, ainda tenho muito feijão com arroz pra comer rsrs.

      Um beijo grande em ti e em toda a família.

  72. Regina disse:

    Ainda sobre esse post, a palavra do Pr.Vargens – achei corajosa e também tem muito a ver com seu texto.
    Artistas e o movimento gospel -> http://youtu.be/PbYx8ZxDg6c

    Bj

  73. Plinio disse:

    Concordo com o Mauricio , se acalmem meus irmãos querem um outro exemplo de música que se diz cristã mais não é uma música cristã é uma que diz assim:

    É melhor parar de me perguntar os
    meus sonhos não revelo a ninguém
    todos os meus SEGREDOS estão guardados no CORAÇÂO
    Me enganei cofiando tanto.

    gente como assim ? você não vai colocar os teus sonhos e os objetivos nas mãos do Senhor ?
    Segredos ? Pode haver segredos para o senhor ? Se enganou ? como assim ?

  74. Rodrigo disse:

    Ola Mauricio,
    Antes de entregar minha vida pra Cristo eu ouviu heavy metal. Iron Maiden, Ozzy, Black Sabbath, Megadeth, Gammaray, Metallica entre outros.
    Quando eu me converti eu fiquei desesperado. Tudo que eu adorava ouvir era coisa do capeta. Sempre aprendi que o diabo é o pai do rock e blablabla.
    Realmente todas essas bandas não são para cristãos. Mas colocar tudo que é rock no mesmo saco e tacar no inferno é demais.

    Com o tempo conheci bandas excelentes de “Jesus Metal”. Bride, Guardian, Oficina G3, White cross, Petra. As musicas são do jeito que eu curtia antes, e as letras fantásticas.
    Mas as pessoas tem preconceito. Se pegar a letra da musica “Eu sou” do cd novo do oficina e mostrar sem a musica junto, vão achar a letra muito biblica, mas se colocar o cd pra rolar antes, no primeiro riff já demonizam e pedem pra você tirar o pé do inferno.

    E até bandas como iron maiden tem letras com principios bliblicos. Não estou viajando. Olhem essa letra do CD “A matter of life an death”, musica “For The Greater Good Of God”

    Por favor me diga agora o que é a vida
    Por favor me diga agora o que é o amor
    Ora, me diga agora o que é a guerra
    Novamente me diga o que é a vida

    Pelo bem maior de Deus

    Ele deu sua vida por nós, ele caiu perante a cruz
    Para morrer por todos aqueles que nunca lamentaram sua perda
    Não fomos destinados a sentirmos tal dor novamente
    Me diga o por que, me diga o porque

    Esse ultimo paragrafo é um lampejo do evangelho.

    Abraços

    • Querido,
      concordo com vc e sua trajetória é parecida com a minha.
      Mas aí eu vou pra Biblia e vejo que da mesma fonte não podem sair aguas doces e amargas.

      Deus te abençoe!

  75. Meu querido professor e irmão em Cristo,fiquei bastante satisfeito em ler este artigo, pois, há uma necessidade de ensino muito grande em nossos dias de que alguém com coragem instrua as pessoas quanto à verdade! Dizer que o Espírito Santo venha batizar,talvez seja uma falta de conhecimento teológico,e,é aí que está o problema,pois, uma vez transmitido o erro,mesmo na inocência já trouxe ensinamento errado para quem está ouvindo. Estou de acordo plenamente desse artigo!Parabéns,que Deus seja louvado nessa tua atitude! Abraços,que o nosso Deus te abençõe.

  76. Lilian disse:

    Mauricio,

    Concordo com tudo que você escreveu e acho que cada pessoa que se diz cristão deveria se policiar no sentido de não participar de shows como o ” Rock in Rio”, porque o ambiente de músicas do mundo é propicio a outras tendências piores. Vi muitos jovens conhecidos que são membros de igrejas, que participam do louvor da igreja envolvidos no último show de rock. Aí você pode até dizer, mas cada um vai dar conta de si a Deus no dia do juízo. Tudo bem, mas não podemos misturar as coisas. Pois se as músicas não prestam o ambiente é muito pior…

    Que Deus continue te capacitando e abençoando !

  77. Lourayne Natiely disse:

    Maurício, Mano!
    Muuuuito ótimo esse post, muito edificante, esclarecedor, e concordo com você, temos que ver a mensagem da música, o que ela quer passar pra nós!
    Não tenho muito o que comentar você disse tudo já!

    Deus continue a te abençoar e te usar grandemente!
    Ès benção!
    Beijo no amor de Cristo!

  78. Anderson Fontes disse:

    Caro Zágari, tudo o que você falou eu só imaginava mas nunca tive uma confirmação! Sempre achei que as pessoas exageravam muito, só não tinha um estudo aprofundado com referências como o seu. Mas mesmo assim eu sei que muitos ainda não compreendem ou não querem compreender!

  79. Paloma Cruz disse:

    Antes de casar e ir para a igreja do meu marido, fiz parte de uma igreja batista cujo pastor mudava frases que achava não serem bíblicas nos hinos, e então a ministra adequava e cantávamos felizes da vida! Há mais de 10 anos fui a um show gospel com amigos que conheciam as pessoas que o organizavam e por isso fiquei lá atrás nos bastidores, num dado momento fui perto da divisória para ver de frente a apresentação, de repente veio uma cidadã e me pediu autógrafo!!! Qual não foi minha surpresa quando ela disse: ainda não te conheço, mas se você está aí atrás é por que é importante!! Mesmo paralisada com algo tão estapafúrdio, não perdi a oportunidade de dizer que crente não tem fã (acho que devemos nos dedicar a adorar a Deus e não a uma pessoa) e que minha assinatura nada poderia fazer por ela, e sim Cristo deveria ser glorificado e que ela deveria adorar a Deus e não a homens. Ela não gostou muito, mas eu falei. Mas o pior foi um amigo ter me dito que eu havia perdido a oportunidade de “tirar uma onda” … Pessoalmente já não gosto de músicas que dizem que tenho quase que me matar para sentir Deus em um único culto, e por mim mesmo mudo partes de letras, principalmente se preciso cantá-las no ministério e ainda não tive tempo de debatê-las com o líder, mas espero que aqueles que ainda não pensavam essas coisas por si só, o façam agora… Paz.

  80. Lucas Banzoli disse:

    Olá, Maurício.

    Meu nome é Lucas Banzoli, sou dono do site lucasbanzoli.no.comunidades.net e lucasbanzoli.com.br. Descobri hoje o seu site e estou realmente maravilhado com as suas matérias, que Deus continue te abençoando sempre, pois vejo muita unção e sabedoria nas suas palavras.

    Sobre o tema em questão, hoje eu vi uma música secular na internet, e que embora não veja algo que seja claramente contra as Escrituras em sua letra, não penso em cantá-la direto da tradução do inglês para o português, pois sei que a letra em nada glorifica o nome do Senhor, e seria perda de tempo cantá-la.

    Porém, eu realmente fiquei impactado com a música (não com a letra, mas com o rítmo que eu achei bem legal), e pensei em refazer a letra com uma letra cristã. Eu nunca compus uma música, embora já tenha traduzido algumas músicas de bandas cristãs para o português, com algumas adaptações minhas para se adequar ao rítmo.

    A música que estou falando é essa daqui:

    Gostaria de saber a sua opinião sobre se vale a pena ou não “retraduzir” a música para uma letra cristã, se eu poderia ouvir a música original em inglês sempre quando for louvar a Deus com a minha tradução, ou se você acha que o próprio fato de ouví-la é pecado. Também, se não for demais pedir isso, peço algumas ideias na letra, pois nunca escrevi uma música e vejo que você escreve impressionantemente bem e à luz da Palavra.

    Vou continuar acompanhando o seu site e o seu ministério com grande prazer, e fico feliz por encontrar cristãos como você nos dias de hoje, servindo-me de exemplo.

    Um grande abraço e que Deus lhe abençoe!

    • Lucas, olá!

      Obrigado por todas as suas palavras, vc é mto gentil.
      Não, não vejo pecado algum em vc adaptar essa melodia para se tornar uma canção que glorifique o Senhor. Não é pecado e como mostrei no post isso foi feito milhares de vezes ao longo da História da Igreja.
      As únicas recomendações que te dou é que você ore muito antes de fazer a letra, para entender exatamente sobre o quê Deus quer que você fale.
      A não faça letras antropocêntricas, escreva algo que seja de fato um elogio (o significado original de “louvor”) a Deus, a Sua pessoa e Seus feitos. Seja cristocêntrico.
      Procure também usar poesia, seja criativo. Não se contente com pouco. Seja exigente na letra, faça algo que seja esteticamente belo.
      Deus merece o nosso melhor.

      Parabéns pela iniciativa, quem sabe vc não se torna um profícuo letrista de louvores, tal qual Charles Wesley foi?

      Um abraço forte, é um prazer trocar ideias com vc aqui no APENAS.

      • Lucas Banzoli disse:

        Olá, Maurício, tudo bem?

        Obrigado pelas dicas, eu terminei há alguns dias a composição da música. Eu tentei juntar tudo aquilo que havia em mim para colocar na letra da música. Tentei falar do amor de Deus, da grandeza de Deus, sobre levar a sua cruz, sobre proclamar a salvação e sobre o quanto que nós somos totalmente dependentes de Deus em nossas vidas. Claro, eu tive que adaptar isso ao rítmo da música, então acho melhor ler a letra acompanhando o rítmo dela ao mesmo tempo.

        Como é a minha primeira vez em que eu faço isso, eu não sei se ficou bom; na verdade eu demorei um bom tempo até criar força para escrever a primeira linha…rsrs. Aí vai a letra que eu coloquei:

        ———————————————

        SENHOR, QUÃO GRANDE ÉS
        E QUÃO GRANDE É O SEU AMOR
        QUE ME FORTALECE NESSA HORA
        AS TEMPESTADES VEM SOBRE MIM
        TENTANDO ME FAZER DESISTIR
        MAS VER TUA FACE É O QUE ME ALEGRA A CONTINUAR

        O QUE PASSOU, JÁ PASSOU
        DEUS FAZ COISAS NOVAS
        E QUE DAQUI PRA FRENTE
        EU VIVA SÓ PRA TI

        PRA TE ENCONTRAR, EU VIVO
        CORRENDO PRA TI, MEU SENHOR
        A TUA GRAÇA É SUFICIENTE
        O SEU AMOR NUNCA MUDA

        PRECISO DIZER: TE AMO
        QUE CADA VEZ AME MAIS
        O TEU AMOR ME PERDOA HOJE
        E ME FAZ VENCER

        TÃO SOZINHO EU SOU SEM TI
        SEM TEU ESPÍRITO VIVENDO EM MIM
        EU SOU TOTALMENTE DEPENDENTE DE TI

        PRA SEMPRE SEJAS O NÚMERO UM
        E NÃO HAJA NADA ENTRE NÓS
        FAZ-ME SER INTEIRAMENTE TEU

        O QUE PASSOU, JÁ PASSOU
        DEUS FAZ COISAS NOVAS
        E QUE DAQUI PRA FRENTE
        EU VIVA SÓ PRA TI

        PRA TE ENCONTRAR, EU VIVO
        CORRENDO PRA TI, MEU SENHOR
        A TUA GRAÇA É SUFICIENTE
        O SEU AMOR NUNCA MUDA

        PRECISO DIZER: TE AMO
        QUE CADA VEZ AME MAIS
        O TEU AMOR ME PERDOA HOJE
        E ME FAZ VENCER

        ABRO MÃO DE TUDO O QUE TÚ QUEIRAS
        NÃO MAIS SEJA EU QUEM VIVA, MAS SIM TÚ
        QUE EU QUEIRA QUEM TÚ ÉS E NÃO QUEIRA O QUE TENS
        QUE O MUNDO SEJA NADA COMPARADO A TI

        QUE EU VIVA COM MINHA CRUZ
        QUE EU MORRA POR JESUS
        QUE EU DECLARE A SALVAÇÃO
        VIVA SÓ PRA TI

        PRA TE ENCONTRAR, EU VIVO
        CORRENDO PRA TI, MEU SENHOR
        A TUA GRAÇA É SUFICIENTE
        O SEU AMOR NUNCA MUDA

        PRECISO DIZER: TE AMO
        QUE CADA VEZ AME MAIS
        O TEU AMOR ME PERDOA HOJE
        E ME FAZ VENCER

        ———————————————-

        Um grande abraço, Maurício, e que Deus te abençoe!

      • Mano, parabéns pela iniciativa.
        Que alegria se todos vivêssemos salmodiando e cantando as maravilhas de Deus.
        Sua letra me parece biblicamente correta.
        Eu só faria uma única modificação: “PRA TE ENCONTRAR, EU VIVO”. Mano, Ele já te encontrou, então eu apenas mudaria isso. De resto, não vejo nenhum porém.
        Parabéns, e que sua música sirva para glorificar sempre o nome Santo do Senhor.
        Na paz.

  81. Lucas Banzoli disse:

    Olá, Maurício.

    Agradeço as suas sugestões, realmente o que eu escrevi deixa a questão meio em aberto. O que eu quis dizer com aquela frase sobre encontrar Cristo era no sentido de vê-lo face a face, para concordar com o início da música em que está escrito: “…mas ver a tua face é o que me alegra a continuar”.

    É aquilo que o apóstolo Paulo escreveu aos Coríntios: “…agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido” (1 Coríntios 13:12).

    Mas concordo que nós que estamos em Cristo já encontramos Cristo, então eu acho que se passar para o público seria melhor mesmo mudar essa parte para algo que deixe mais claro isso que eu respaldei acima.

    Um grande abraço!

  82. Amanda disse:

    Concordo em PARTES com vc meu querido. Mas as partes que descordo prevalecem…
    Na questão do “Quero subir ao Monte santo de Sião” vc está muito enganado, pois nem todos estão lá, então realmente muitos querem subir!
    Sobre o “tal” cantor que LOUVA “quero te ver” é dos cantores mais corretos e direcionados por Deus que já vi.
    Dentre muitos outros equívocos que puder ver aqui.
    Fico boba com pessoas como vc, que estudam demais e acham que são os donos da verdade. Conheço pessoas analfabetas que são muito mais sábias, que não julgam, não apontam e nem sentem inveja. É… inveja, é isso que me parece quando as pessoas só sabem criticar. É tão mais fácil falar do que fazer melhor né?! Bom, não quero confusão, mas me entristece vere esse tipo de coisa. Fica na paz

  83. Aguiarnetto disse:

    Lí o artigo por indicação de um amigo.
    E kibom ele lembrou-se de mim.
    Muito bom o artigo. Só me deixou “carente” quando você se referiu as musicas de cantores evangélicos, queria que tivesse explorado mais…penso exatamente como você, existe muita musica do mundo em nossas casas e igrejas.
    Mas já valeu demais!
    Um conselho: Não seja tímido, começo?! Agora vá em frente!
    Em Cristo…um amigo Goiano.

  84. Jorge Brumatti disse:

    Olá Mauricio, muito bom este seu comentário, sou cristão, mas aprecio a musica secular (em partes) pq nem todas elas nos convém ouvir, mas quem tem a direção de Deus, sabe exatamente o que agrada e o que não agrada a Deus. Qual o problema em ouvir uma musica romantica ou uma musica que fale de paz, que não contrarie os ensinos de Jesus?. E quanto as músicas gospel, também concordo, há tantas bobagens sendo cantada por aí.
    Fique na Paz!!

  85. Joelma Nunes disse:

    Amei o artigo, muito bem explicado esse é assunto tão polemico, que muitas vezes religiosos, abrem a boca para dizer, “não cante isso”, “não escute aquilo”, mas não se dão conta que muitas vezes cantamos dentro da igreja, músicas que não condizem com a palavra de Deus em sua essência.
    Eu particularmente, não costumo, ouvir música secular ou do mundo, mas eu ficava pensando como poderia explicar isso para minha filha, como eu iria selecionar as músicas que ela ouve, e com certeza esse texto veio em boa hora.

    Mas eu queria saber uma coisa, onde eu posso ler mais sobre os cânticos da harpa, que eram de melodias de prostíbulos? Achei bastante interessante, gostaria de ler mais apenas para o conhecimento mesmo.Vc pode me orientar por favor?

    Um grande abraço, que Deus te use em sabedoria cada vez mais.

    • Joelma, olá,
      vc pode buscar em livros que falem sobre a origem dos hinos, bem como em websites sobre o assunto. Uma dica: Gerson Borges é um pastor e musico que sabe muito sobre o assunto, ele está no twitter (@nordestinamente) e vc pode indagar a ele. Certamente ele te dará muitas referências.
      Deus a abençoe.

  86. 19-11-2011 disse:

    Zágari, A paz do Senhor meu irmão. Sou músico na cidade de Belo Horizonte MG. Me chamo Marcelo e encontrei seu blog e olha vc esta de parabéns suas colocações são muito boas, bem respaldadas biblicamente, diante da luz de Cristo e isto é o que eu procuro e não pessoas como pastores ou qualquer tipo de lider simplesmente dizendo isto é certo e aquilo é errado e simplesmente temos de acatar sem questionar. Me revolto atualmente com isso, até minha fé na ” Igreja” Evangélica tem diminuido, pois tenho voltado para o protestantismo novamente depois de passar uns bons anos fora frequentei muitas outras religiões gostei sim pois não sou hipócrita mias toda via procuro aquilo que seja genuinamente de Cristo por isso me voltei para a palavra mais quanto as “igrejas protestantes” ai ta sendo um problema para mim vejo muita coisa sendo pregada erradamente coisas anti-biblicas e estou ficando com muito medo de tudo isso pois sei que o Cristo dos 4 evagelios não esta sendo pregado como se deve tipo enaltecemos muito o protestantismo, pastores, bispos, lideres evangelicos e etc… e quem disse que isso tudo é de Deus. É de Deus pra mim o que vem das sagradas escrituras sendo evangelico ou não porém sendo verdadeiramente vindo da palavra pra mim só pode vir de Deus. Gostaria até que fizesse um estudo ou post sobre isso para poder elucidar um pouco minha cabeça e a de outras pessoas que precisem ler sobre. Obrigado

    Quanto a este post sobre música eu digo que como Cristão e músico eu concordo em GNG com tudo que vc postou pois vem de Deus.

    • Querido, obrigado pelo comentário.
      Em poucas palavras eu te diria o seguinte: existe essa banda podre sim. Mas não podemos é achar que todas as igrejas, todos os pastores, todos os bispos etc são como esses pessimos exemplos que vemos
      na TV.
      Há muitos e muitos lideres sérios e tementes a Deus. Milhares de igrejas evangélicas anônimas onde se prega a sã doutrina. Há os 7 mil que não dobraram seus joelhos a Baal.
      Eu por exemplo congrego numa igreja evangélica com três pastores que conheço pessoalmente e são homens de Deus, uma família de fé onde a sã doutrina bíblica é pregada e que pertence a uma denominação de regência episcopal que tem bispos que lutam pela ortodoxia e a seriedade do discipulado dos fieis e para a gloria de Deus.
      Então, mano, não desanime. Busque os anônimos. Os que estão na grande mídia são os piores.

      Na paz.

  87. João disse:

    Amado irmão Zágari, este é o primeiro post do seu blog que leio, e gostei da maneira que abordou o assunto, sendo tratado na luz da Palavra de Deus, Gostaria que me esclarecesse algo, no ponto onde você fala sobre a vontade do músico de “Ver a Face de Deus”, foi citado a passagem de Ex. 33:20, e como disse é claríssimo e inequívoco o que Deus diz a Moisés. Entretanto gostaria de me ater a outra passagem, Gênesis 32:30 – E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva. Gostaria, se você puder, que me esclareça isso. Desde de já agradeço, Graça e Paz do Senhor Jesus Cristo.

    • Querido João,
      se vc observar, na passagem que vc citou crê-se que o que ocorreu foi uma teofania, ou seja, Deus assumindo uma forma humana, encarnada. Muitos teólogos creem que foi o proprio Jesus quem esteve com Jacó. A verdade é que nao temos como saber com toda certeza se foi isso ou se foi um anjo e Jacó fez uma inferência ao aspecto dos anjos como enviados de Deus. Fato é que Ex 33.20 deixa claro que nao se pode ver Deus em sua glória e sobreviver. Enquanto teofania ou enquanto Deus encarnado naturalmente isso é possível, afinal, por 33 anos muitos viram o rosto de Jesus.
      Esclarecido?

      Deus o abençoe. Abraço forte.

      • João disse:

        Sim, com toda certeza, ficou tudo muito claro agora, muito obrigado por me responder. E parabéns pelo blog, textos com uma exposição bem clara da Bíblia, como deve ser. Com certeza ganhou mais um leitor assíduo.

        Graça e Paz de Jesus, Abraço.

  88. Karine disse:

    Maurício,
    Muitas dúvidas foram esclarecidas, portanto, desde já, agradeço,
    entretanto, ao ler os comentário, percebi uma certa contradição que me deixou em dúvida…

    Afinal, a consagração importa ou não? Se a canção é secular, embora seja feita por uma cantor que se consagrou a Satanás, posso ou não ouvir? E quando não sei se foi consagrada?

    “Sobre a consagração, é o que ocorreu com Pedro na casa de Cornélio. Se é santificado, pertence a Jesus. Toda consagração a Satanás é quebrada na hora. Vc pode comer farofa de despacho que, se for consagrada ao Senhor, santificada pela oração…acrescente um salzinho e vá em frente!
    Só não posso concordar que toda musica secular é mundana.”

    “Eu não saberia responder, pois não conheço as artistas que vc mencionou. No entanto se vc diz “mas que muitos desses cantores se consagram ao diabo” eu de cara já os descartaria.
    Eu não vejo aqui nem um principio teológico, vejo uma sabia norma do código nacional de trânsito: na duvida não ultrapasse.
    Se vc não tem certeza sobre a influencia maligna de um artista, Isabelle, não ouça. Eu por exemplo nunca ouvi nem sei quem é, por exemplo, Rihana. E vivo muito bem, obrigado.
    Então, na duvida, delete.
    Ok?”

    • Querida irmã,
      tudo o que é santificado pela oração e imposição de mãos é santo. No entanto há vente néscia
      na fé que se escandalizaria se ouvisse vc escutar Tom Jobim. Nesse caso, não ouça na frente da pessoa.
      Explicado?

      Deus te abencoe, amada. Na paz.

  89. Graça e Paz amigo.

    Confesso que quando vi o Título do post tive medo de mais alguma postagem bitolada como tantas outras que eu vi por ae. concordo com seu post, em tese, completamente. Li boa parte dos comentários, mas são muitos e não deu pra ler todos.

    Antes de ser alcançado pela graça eu era “head banger” gostava de sons que beiravam o extremo, indo de Iron maiden (só a misericordia mesmo) até “As I Lay Dying” (que li em algum lugar que são cristão mas sinceramente ainda não parei pra analizar as letras com calma.) e quando me converti descobri que eu não precisava necessáriamente perder o som que eu curtia, mas apenas mudar para bandas que tem letras de cunho cristão, atravez de “Bride”, “White Cross” Oficina G3, Fruto Sagrado (Alias eles tem letras com exortações beeeem fortes como em “Primo do macaco”) enfim…

    na verdade eu queria compartilhar o exemplo de uma banda chamada “Antestor”, não sei se os nomes citados lhe são familiares, pois bem, Antestor é uma banda de “unBlack Metal” dita Cristã com letras, apesar de singelas, bíblicas, mas o som extremo causa um preconceito imenso.
    na Alemanha o “black metal ” é cultura local, porem utilizado usualmente por bandas satanistas declaradas ou pagans (celta na maioria) e por isso a banda Antestor, segundo artigos que eu li, foi perceguidos, por usarem um som tipicamente satanista/pagão para louvar a Deus.

    confesso que mesmo pra mim o som soa extremo e de certa forma até desagradavel, então depois gostaria da sua opinião ou mesmo opinião de outros sobre esse exemplo em especial.

    http://www.vagalume.com.br/antestor/jesus-saves.html (letra).

    por fim pretendo, se assim Deus me permitir fazer um evento na minha cidade (Angra dos Reis) com bandas de Rock Cristãs em praça publica para desmistificar a ideia absurda que o infame Raul Seixas impregnou no Brasil que o Diabo é o pai do Rock.

    Paz.

  90. Querida Allyne,
    .
    acredite, entendo bem o seu drama, pois eu o vivi. Como falei, eu mesmo vim do mundo do rock. Mas leia essas palavras de Jesus:
    .
    “Aquele que quiser vir após mim tome sua cruz e siga-me” (Mt 16.24)
    “Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim; e quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. (Mt 10.37,38)
    “Outro discípulo lhe disse: “Senhor, deixa-me ir primeiro sepultar meu pai”. Mas Jesus lhe disse: “Siga-me, e deixe que os mortos sepultem os seus próprios mortos”. (Mt 8.21,22)
    .
    O que vc acha, Allyne? Todas são palavras de Jesus. São drásticas, muito a ferro e fogo, radicais, ou são palavras leves? Muitas vezes, querida, o Evangelho pede de nós decisões drásticas.
    .
    Entendo que você, como nova convertida, tenha ainda muita coisa a trabalhar no seu coração. Mas seguir Jesus e ao mesmo tempo cantar “eu não gosto de Cristo, eu não gosto de bispo, eu não digo amém” e “cada um por si e Deus contra todos” lhe parece algo que agrada a Deus? Eu não vou te responder isso, você mesmo responda.
    .
    Aos poucos, querida, como você falou, o ES trabalha em nosso coração. Não o acaso, esse realmente não vai fazer nada por ti, muito menos te proteger enquanto você andar distraída rsrsrs. Mas Jesus vai.
    .
    Um beijo enorme, de um ex-headbanger que descobriu que seguir Jesus significa nascer de novo (“Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo” – Jo 3.3)

    PS. Leia Mt 19.16-26. Veja se é possível conciliar antigos valores do mundo com o Evangelho. Detalhe: essa passagem nao tem a ver com dinheiro, tem a ver com abrir mão de coisas que nos são preciosas por amor a Cristo. Medite nela.

  91. Régis de Oliveira disse:

    Prezado irmão Maurício: Paz!

    Como meu primeiro comentário em seu blog, gostaria de dizer, primeiramente, que louvo ao Senhor pela tua vida. Teus textos são ótimos e muito bem escritos. Tenha certeza que as dores que sentes ao escrever ou digitar (li o teu testemunho) não são vãs, pois muitos, assim como eu, tem sido mui edificados por tuas palavras. Creio que isto pode te servir de algum consolo, mas sei que consolo maior vem do Senhor Jesus, através da sua graça.

    Em segundo lugar, com relação ao post, percebi que surgiu entre os comentários a questão da motivação do autor (seja de qualquer tipo de arte, indumentária, objetos, alimentos, enfim) na criação de sua obra, isto é, se foi consagrada a alguém e a quem. Assumindo que tenhamos conhecimento que aquilo que nos chega é consagrado a ídolos, digo o que segue.

    Concordo contigo em gênero, número e grau, quando dizes que pela oração tudo é santificado. Porém, tomando por base o episódio ocorrido com Pedro, entendo que não se encaixe aqui. Naquela ocasião, a questão era “animais impuros x animais puros” não por sua consagração a ídolos (demônios), mas em função das suas características. Creio que melhor posto seria 1ª Tm 4:4,5, onde Paulo fala de forma bem abrangente.

    Em contra-partida, cito o exemplo de Daniel, que não quis se contaminar com as iguarias do rei (Dn 1), muito embora o texto não deixe claro o porquê, mas provavelmente por ter conhecimento que as mesmas eram oferecidas aos ídolos.
    Agora, o texto de 1ª Co 10:20 parece ser bem contundente a respeito deste assunto e também parece abrir um parêntese em meio aquilo que é abrangente no texto a Timóteo. Paulo embora reconhecesse que o ídolo não é nada, diz que não quer que sejamos participantes com os demônios. Aliás, todo este capítulo é bem instrutivo a respeito do assunto.

    Claro que não havendo concordância, lembremos da lei do amor em 1ª Co 8.

    Quero por fim pedir que o irmão não entenda que o meu comentário é algum tipo de crítica, afronta ou algo do gênero. Digo assim porque o intuito do mesmo é o debate sadio, para que ambos possamos crescer na graça e no conhecimento do nosso Senhor Jesus. Infelizmente, tenho visto muitas discussões (no mau sentido) em blogs cristãos por conta de “irmãos” mais exaltados que não primam pelo bom testemunho cristão.

    Fraternalmente em Cristo,

    Régis de Oliveira/RS

    • Obrigado pelo comentário, Regis.
      As discordâncias a qualquer pensamento não me incomodam. Me incomoda sim a agressividade.
      Recentemente fiz uma critica, que disse “é, você é famoso, né” e depois disse que detestava celebridades (como se eu fosse alguem famoso rsrs), só porque eu discordava de suas posturas.
      É o famoso argumento do ad hominem: qdo vc nao tem o que dizer contra o que foi dito, ataque quem disse.
      Portanto, agradeço seu espírito cristão e sua mansidão ao discordar de mim. Para mim, os atos e a forma como a pessoa age importam muito mais do que aquilo que é dito.
      Que Aquele que é manso e humilde de coração te abençoe.

  92. Dayana disse:

    Confesso que fiquei surpresa sobre alguns hinos da harpa terem suas melodias tiradas de bordéis, meu pai não é cristão e gosta muito de ouvir música brega, e só para me provocar ele colocava o som alto qd uma certa música com ritmo de um hino da harpa, porém com letras que exaltam o vício da bebida tocava no radio, a letra da música diz: Aleluia meu irmão, aleluia meu irmão, tome um copo e deixe outro para mim… tb fala da Assembleia dos pés inchados. Nesse caso não sei quem copiou de quem rs…! Mas no critério música, sou radical, não ouço músicas seculares, tive a oportunidade de conversar com uma certa cantora de forró q se convertera e ela disse que algumas de suas músicas eram consagradas em terreiros para fazer sucesso, então por via da dúvida sobre inspiração e motivação não ouço músicas seculares mesmo q a letra não ofenda o evangelho e isso também serve para alguns cantores gospel que só visam o $$$.

    • Dayana,
      o principio é o bíblico: não escandalizar quem não se sente à vontade com determinada situação, mesmo que ela não represente pecado.
      Se vc prefere não ouvir musicas seculares, mesmo as que não representam mundanismo…não ouça.
      Do mesmo modo que sei de musicas “gospel” que são mais consagradas a Mamon do que a Cristo…e não as ouço.
      Deus a abençoe muito.

  93. João disse:

    Maurício, se a música de um desses artistas citados acima não fizer oposição a mensagem do Evangelho, nem aos valores pregados por Cristo, mais ainda assim é uma música secular, o que vc me recomendaria, deixar de ouvir totalmente todas as músicas desses cantores ou só aquelas que tem letras antibíblicas? E quanto aos cantores gospel, segue o mesmo raciocínio?

    Abraços!!!

    • Querido,
      creio que isso está respondido no post. Se tem valores antibíblicos, sejam musicas cantadas por musicos seculares ou supostamente cristãs, não ouça. Se não ouver nada anticristão…vai deixar de ouvir pq? É arte, fruto da graça comum de Deus.E edifica a alma.
      Deus o abençoe.

  94. Paulo Silva disse:

    Olá Maurício!
    Talvez você não conheça a música “Promessa” do Engenheiros do Havaí. Ela poderia constar como mais um exemplo de música mundana\antibíblica. Segue o trecho do refrão:
    …O céu é só uma promessa
    Eu tenho pressa, vamos nessa direção
    Atrás de um sol que nos aqueça
    Minha cabeça não aguenta mais…

    Também “Teoria” do Biquíni Cavadão. Segue trecho:
    …Se Deus me explicasse, ao menos me conformaria
    Mas como acreditar se Deus também é teoria.

    Já utilizei muito “Promessa” e também “Homem primata” entre outras para falar sobre este assunto.
    Deus continue te abençoando. Abraço e paz.

  95. [...] segue um excelente artigo elaborado pelo Maurício Zágari no blog Apenas. O texto é longo porém bastante [...]

  96. Renan disse:

    Olá novamente, Maurício.

    Outro excelente texto que me esclareceu muitas dúvidas. Li a maioria dos comentários e me foram de grande valia, mas tem algo que gostaria de perguntar. No caso, o mais sensato a fazer é filtrar os artistas por música e não como um todo? Por exemplo, o ministério que você citou (do Romance), apesar de ter algumas músicas com heresias, tem outras que falam profundamente ao meu coração (como ‘O que dizer’, se não conhece, sugiro ouví-la). Nesse caso, seria lícito ouvir apenas determinadas músicas e outras não, de acordo com o que a letra propõe?
    A mesma métrica vale para os artistas seculares? Por exemplo, antes de me converter, gostava muito das músicas de Zeca Baleiro, um cantor que declara abertamente seu ateísmo e afirmações de que ‘Deus está morto’, em entrevistas, que possui algumas músicas antibíblicas como ‘Heavy metal do senhor’, mas que possui certas pérolas belíssimas como ‘Nalgum lugar’ (sugiro ouví-la também). Nesse caso, poderia filtrar também o que me é bom, ignorando o testemunho do cantor em si?
    E se minha consciência me diz que não devo escutar, posso falar para outros cristãos que eles não devem escutar também, ou tudo fica restrito à consciência de cada um? Se sim ou se não, o que devo usar como argumento para apoiar ou exortar, visto que, pelo que percebi, muitas vezes se trata de uma posição pessoal?
    Gostaria de um auxílio tanto no referente ao ponto de vista pessoal, quanto ao ponto de vista de um formador de opinião, pois nem sempre o que eu tomo para a minha vida pode ser necessariamente verdade para a vida do outro, por isso tudo deve ser levado à luz bíblica.
    Obrigado pela paciência e pelo auxílio, seus textos tem sido muito edificantes para mim.

    Grande abraço, na paz dEle.

    • Olá, Renan, vamos por partes.
      .
      Sobre aqueles que fazem umas coisas boas e outras satânicas, a Bíblia te dá a resposta: “Ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom. Afastem-se de toda forma de mal. Que o próprio Deus da paz os santifique inteiramente. Que todo o espírito, a alma e o corpo de vocês sejam preservados irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Ts 5.21-23). Medite nisso e vc vai achar a resposta.
      .
      Se a sua consciência diz que vc não deve escutar algo, primeiro pergunte a Deus se é a sua consciência ou a voz dAquele que nos convence do pecado, da justiça e do juízo. Se for Deus falando ao teu coração, exorta a tempo e fora de tempo. Fale. Compartilhe. Instrua. Se eu não tivesse feito isso neste post vc estaria aqui refletindo sobre isso? Percebe? Sim, leve a palavra da verdade aos que não a receberam.
      .
      Que argumentos usar? Os que eu usei no post, mano: a Bíblia. Não é uma posição pessoal. A Bíblia é clara sobre o que é o mundo. Sobre o que é pecado. Por exemplo, eu me opor a “cada um por si e Deus contra todos” é uma posição pessoal ou uma defesa do que a Bíblia diz pelo fato de essa frase agredir os conceitos bíblicos? Quem conhece a Biblia consegue discernir.
      .
      Vc foi na mosca ao dizer “nem sempre o que eu tomo para a minha vida pode ser necessariamente verdade para a vida do outro, por isso tudo deve ser levado à luz bíblica”. O padrão são as Escrituras. O que a Biblia diz aplica-se a toda humanidade. É por isso que é a ela que temos de recorrer, pois aí não será sua visão ou visão do outro mas visão de Deus.
      .
      Espero ter ajudado.
      .
      Na paz que excede todo o entendimento.

      • Renan disse:

        Obrigado pelo versículo e pela resposta, me ajudaram. Ao meu ver, o mais difícil, ao analisar música, assim como filmes e outras coisas, é utilizar uma única medida coerente em relação a todos. Queria saber seu posicionamento: no caso, você citou algumas músicas do Titãs que eram contrárias ao evangelho, isso é um motivo razoável para abolirmos todas as músicas dos titãs de nosso repertório? Devemos apenas ‘reter o que é bom’ ou ouvir alguma música dos titãs que possa falar apenas de amor já é um motivo para estarmos sendo ‘repreensíveis’?
        De modo semelhante, deve-se abolir por inteiro o cd de um artista gospel por ele ter heresias em algumas de suas músicas?
        Talvez algumas dessas questões tenham sido respondidas pela postagem, mas não consegui absorver bem esses pontos.
        Novamente grato.

        Grande abraço, no amor de Jesus.

      • Renan,
        são as palavras de Jesus: pode uma árvore má dar bons frutos?
        Eu não gosto de dizer às pessoas o que fazer, prefiro que elas cheguem às suas próprias conclusões a partir do que a Biblia diz.
        Mas posso te dizer no meu caso pessoal: fiz uma linda fogueira com um monte de CDs que eu tinha.
        A figueira seca Jesus amaldiçoou. O que não é sal e luz só serve p/ ser lançado fora e pisado pelos homens. Vc conhece na Bíblia o conceito de “meio-sal” ou “um pouco luz”? Ou é ou não é. Um pouco de fermento leveda toda a massa.
        Sigamos os passos do Mestre.
        .
        Abraço, querido!

      • Renan disse:

        Obrigado, Maurício. Concordo com os versículos que você expos. Creio que terei que meditar mais sobre o assunto, para também não correr o risco de rotular as coisas e acabar virando um asceta. Rs…

        Abraços.

  97. Pablo disse:

    Olá, Maurício Zágari!
    Acabei de conhecer o seu blog. Li muitos artigos que vc escreveu e achei bastante interessantes. A respeito desse assunto: “Cristão deve ouvir música do mundo?” achei bastante pertinente suas colocações. Depois de ler todo o texto, fiquei questionando uma coisa. Vc falou no final do texto que: “E se uma música, secular ou religiosa, traz em si ensinamentos antibíblicos… meu irmão, minha irmã, jogue o CD fora”. Se por exemplo, os Titãs que escreve músicas que são antibíblicas, escrevesse uma música que não fere os padrões bíblicos, como uma música para a sua amada, devo, então, escutar e cantar somente esta música ou devo jogar todo o CD fora?

    Um gde abraço.

    • Oi, Pablo, obrigado por suas palavras lisonjeiras. Certamente mais do que mereço.
      Penso que essa é uma decisão muito pessoal. Eu, por exemplo, sabendo o tipo de teologia e religião que a banda citada segue tenho desgosto de ouvir suas demais músicas.
      Não consigo, por exemplo, ouvir uma bela canção de um músico que tem outra música em que diz que “eu gosto de meninos e meninas”. Se alguém consegue, que jogue fora as anticristãs e ponha no mp3 apenas o que não tem nada demais. Eu, particularmente, não consigo.
      Então eu vou deixar a resposta a sua pergunta ao Espirito de Deus. Ouça o que ele disser ao teu coração e siga.
      Deus o abençoe!

  98. É… gostei da sua explicação, não li muito os comentários, pq to até meio sem tempo, mais li todo o contexto da sua explicação sobre “músicas do mundo” , eu procuro muito saber sobre essas coisas… pq eu não sou daqueles cristãos(maioria) que tem opniões superficiais as coisas, principalmente as coisas de Deus, eu acho até, Deus que me perdoe, mais acho q se os argumentos em que eu procuro, para defender o que eu acredito, não me convencessem eu seria um ateu. Eu gosto muito de saber ao pé da letra, coisas que vêem da bíblia, e coisas que pregam na igreja… por isso li tudo isso ai, e queria pedir sua ajuda pra uma coisa, é que eu desde sempre, tive um grande desejo em meu coração, ( e mesmo sem eu falar, ja foi-me revelado, que “O” sonho q DEUS colocou em meu coração, iria ser realizado) … de ser um grande astro, sabe… mais quando eu digo grande é GRANDE, e eu sou novo ainda, sabe, sou guitarrista, tenho 16 anos, sou um dos melhores da minha cidade de 100mil habitantes( e uns 100 guitarristas kk) e isso não sou eu que falo, até me surpreendi, quando vi realmente, quem eu JA era rsrs’… eu tenho em meu coração também o desejo de adorar a Deus com canções e tals… mais na IGREJA, …. e tenho um esse outro desejo que ja te disse anteriormente, de ser um grande astro como guitarrista… e tenho isso como uma profissão… ja ganhei mt dinheiro, ja viajei muito, não me vejo fazendo outra coisa pelo resto de minha vida, de jeito nenhum ;S … gosto muito do que faço, e esse é o meu sonho de vida… que eu sofro humilhações, e ao mesmo tempo elogios rs… insisto, e sempre tive em minha cabeça que se eu por um exemplo tocasse numa banda como ESSA… : http://www.youtube.com/watch?v=pitUcIQZex0 (lembrando que essa letra é muito inteligente, é preciso alguns conceitos, o que eu acho q não sera dificil pra vc, para traduzir, o contexto digamos q ao pé da letra) …E TENDO minha vida espiritual, boa com Deus, em comunhão i tals… não era errado, por que, na época em que a bíblia foi escrita, nem banda existia, antes mesmo de existir a música Deus ja existia, como irá de ser errado eu ter uma profissão, (sendo dizimista) na qual, eu toco canções, pra um publico ?? podendo até mesmo usar de critério, para falar do amor de Deus, “q foi por isso q eu estou ali naquele lugar, e tals… [um ex]” essa musica que eu te passei foi um exemplo, mais não estou necessariamente, dizendo que posso fazer uma letra do mesmo jeitinho, … mais o grau de musicalidade, e de reconhecimento, é o meesmo rsrs’ … tudo que eu sonhei e lutei até hoje em minha vida, eu conquistei, e o caminho para a conquista disso dai que te disse, está também em um ótimo andamento, mais me ajude com alguns conceitos sobre isso, alguns exemplos e tals… pq eu tbm não quero deixar de ter uma boa vida espiritual… de oração, jejum, … e tals… que eu tenho sabe, quero que isso seja a minha profissão, ai é onde muitos dizem : ” – áh, mais voce pode muito bem adorar a Deus e ganhar dinheiro ” eu digo que não, EU(essa é uma opnião MINHA) creio que a obra de Deus deve ser feita por amor, não por dinheiro(um exemplo é: sou chamado para um show em uma cidade, o cache é barato, não vou, dai qntas almas poderiam ter sido salvas, se eu fosse?? mais não, o $ era barato) mais isso pode não ter nada a ver, mais é uma opinião pessoal minha, eu posso muito bem tocar, na minha congregação, ou adorar a Deus em meu quarto, ou em qualquer lugar sei lá… e ter minha profissão, e meu sucesso, como qualquer outro cristão… ou vc não acha que tem muitos crstão famosos por ai, com suas profissões? é isso que eu quero, pra mim, esse é um sonho em que eu luto todo dia mais um pouco dele rsrs… e eu não penso em desistir nunca, sabe eu ja me vejo como se fosse uma coisa certeira, eu fico contando com os acontecimentos, como se eu ja prevesse o futuro( mais isso quem faz é só Deus ) … gosto demais disso… pra mim um show desse ai que eu te mandei, séria minha grande conquista se eu fizesse algum dia, desse jeitinho ai, … então me ajude por favor, no que eu devo fazer, dentro de conclusões biblicas, e não principios de religião, pq na biblia nem fala de religião evangélica não é mesmo? Paulo da uns principios, mais pelo que sei se não estou errado ele nem usa essa palavra, portanto veja ai o que pode me ajudar meu irmão… eu tenho que obter conhecimentos, para ter o que argumentar, sobre opnioes superficiais, sobre o que eu quero pra minha vida!

    Mais uma vez, lembrando que gostei muito da sua explicação, espero que me ajude nessa também rs’

    Que a Paz seja convosco ! Até mais

    • Querido irmão,
      .
      não vejo biblicamente problema algum em ser músico e ser cristão. Meu irmão de sangue mesmo é violonista clássico, toca Villa-Lobos, Joaquin Rodrigo e outros autores seculares e, como vc leu no post, não há pecado algum nisso.
      .
      Me preocupam expressões que vc usou, como “grande astro”, “sucesso”, essas coisas, pois esse não pe o alvo do cristão nem deve ser sua meta de vida. “Fazei tudo para a glória de Deus”. Ser musico secular não é problema, desde que você não cante e toque nada que fira a santidade de Deus e, logo, a sua. Mas vc deve guardar teu coração com relação às MOTIVAÇÕES que te levam a ter esses sonhos. Se o que você busca é fama, dinheiro e a vanglória dos homens eu diria que vc fizesse um concurso pro Banco do Brasil ou algo assim rsrs. Mas se você é capaz de conciliar uma carreira como músico bem-sucedida com sua devocionalidade, mantendo-se um homem simples, honrado, ético, generoso, que manifesta o fruto do espírito de Gl 5.22,23… por que não? Se seu alvo é ser um astro, brilhar, ser exaltado…mude de alvo. Agora, se seu alvo for ter uma profissão digna como músico e que possa usá-la para sustentar com dignidade sua familia, dar bom testemunho e eventualmente falar de Cristo (veja os exemplos dos jogadores de futebol Jorginho e Bebeto, do corredor de fórmula 1 Alex Dias Ribeiro e outros famosos cristãos), ótimo. Vá em frente.
      .
      Não sei se vc conhece o músico evangélico João Alexandre. Eu estive com ele no Congresso da Editora Vida Nova e ele contou uma história sobre um músico cristão que tocava na igreja e foi convidado para tocar com Sting. Eu gravei e pus no youtube. Creio que será muito interessante você ouvir essa história, pode te levar a uma reflexão produtiva:

      .
      Espero ter de dado uma luz. Qq coisa, estamos aqui.
      .
      Deus te abençoe!

  99. Ruth Rossini disse:

    MAURICIO OLHA SÓ ESTE É UM ASSUNTO QUE CAUSA MUITAS DUVIDAS
    NÃO É MESMO? E VC EXPLANOU PERFEITAMENTE!
    PARABÉNS..

    E O LINK DA RADIO MC3 ENTREI LÁ E..GOSTEI MUUITO…

    INCORPOREI NO MEU BLOG..FICOU “10”…!!!

    http://averdadecusteoquecustar.blogspot.com/

    ABRAÇO FRATERNAL!!

    SOLI DEO GLORIA

  100. Rhafael Cainã disse:

    Recentemente li um artigo do pastor Paulo César (líder do ministério Logos) que desmistificava essa história de “o dom da música”, não é um dom, é um talento. Dizia o texto: “não é santo em si” por isso não faz sentido delegar aos cantores, compositores e músicos em geral que se prendam só a temática cristã. A música é uma expreção humana, que se dirige a Deus como MAIS UMA expreção da nossa adoração por ele. Se algué quer cantar o seu amor a uma mulher, a sua terra… deixai fazer, não ha impedimento, gostei muito do artigo todo, só não percebo na música em que o autor diz que quer ver a face de Deus a intenção e faze-lo em vida, eu quero ver a face de Deus, mas sei que só na glória. Creio que é esta a mensagem da música.

  101. Harrison disse:

    Parabéns, adorei o texto, muito esclarecedor e concordo 200%com oque li e não aprovo pessoas que generalizam todas as músicas como sendo “do mundo”.

  102. Bianca Dias disse:

    Seu blog é uma benção…como têm feito bem pra mim…, mas queria te pedir mais uma vez não esquece de responder aquela pergunta que eu te fiz sobre a minha cunhada namorar um ímpio….obrigada!!!

    • Oi, Bianca,
      primeiro, obrigado pelas palavras
      Desculpe, não me lembro a respeito do que vc está falando. Sobre sua cunhada namorar um ímpio? Ela é cristã? É jugo desigual e é errado. É antibiblico e abticristão. Que comunhão há entre a luz e as trevas? E a Bíblia nos orienta a não nos pormos em jugo desigual com os infiéis. É simples. Biblicamente? É um namoro a se terminar.
      .
      Desculpe se sua pergunta não chegou até mim (pelo menos até agora), pois respondo todos os comentários.
      .
      Que Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão!

  103. Lucas disse:

    Muito bom seu post
    tenho uma duvida uma banda de rock evanescence ela canta musicas tipo de escuridao e de estar sozinha olha a letra dela

    Não quero ficar pra baixo dessa vez
    Afogar minha vontade de voar
    Aqui na escuridão, eu conheço eu mesma
    Não me prenda antes que eu me liberte
    Deixe-me ir

    queria saber se e errado escultar musicas assim mesmo num falando nada da biblia
    ?

    • Olá, queridão,
      Eu conheço pouco o Evanescensd para opinar.
      Mas não importa a banda, o principio permanece: se não fala de Bíblia mas sua letra não é antibiblica, não vejo por que seria errado ouvir. Aí vai do seu discernimento.
      Muitas musicas seculares não falam da Biblia mas falam do legitimo amor de um homem por uma mulher. Pq haveria mal em ouvir? Então compete a vc julgar.
      Deus te abençoe.

  104. Achei bastante esclarecedor esse seu post, mas sinceramente me preocupo muito nos dias de hoje com essa questão da musica… A moçada hoje, nem se importa mais com letras, se ofendem ou não princípios bíblicos, só se ´preocupam com o som, a qualidade e tal… Eu particularmente, acho muito perigoso, se perguntar a muitos deles o que aquela musica diz, ou o que esta querendo dizer, eles não sabem responder…
    Por isso, sou mais a favor de evitar, eu vou saber selecionar, discernir, e nossos adolescente, vão?????

    • Nesse caso cabe aos pastores de cada jovem orientá-los.
      Sem instrução o povo perece.
      Se vc sabe peneirar, um adolescente bem instruído saberá. Conheço alguns que fazem isso.
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão.

  105. De qualquer forma Parabéns!!!!!

  106. Thiago Pitaluga disse:

    Saudações irmão Maurício, a Paz de Cristo.
    Aparentemente ficou contraditório o seu modo de avaliar as músicas seculares e as evangélicas. Perceba: você diz que não tem nada de errado cantar para uma mulher:
    “Eu sei que vou te amar
    Por toda a minha vida eu vou te amar
    Em cada despedida eu vou te amar
    Desesperadamente, eu sei que vou te amar”

    Mas ao mesmo tempo diz que é anti-bíblico querer louvar ao Senhor cantando letras como:

    “Eu só quero Te amar,
    Eu só quero ver Tua face
    Quero Tocar Seu coração
    Eu só quero Te amar,
    Eu só quero ver Tua face”

    Ou:

    “Quero te ver, quero te ver
    Eu quero te tocar,
    eu quero te abraçar
    Quero te ver”

    Calma aê, pra uma mulher pode, mas pra Deus não? Irmão Maurício, você teria coragem de chegar para a sua esposa e dizer: “quero viver um romance contigo” ?

    Concordo que tratar Deus como “namoradinho” é anti-biblico. Mas não vejo erro bíblico quando alguém canta os louvores ou diz a frases acima para o SENHOR. Procure no dicionário e verá que romance é sinônimo de relacionamento, amor, intimidade. Sei que majoritariamente, é coisa de namoradinhos sem compromisso dizer aquela frase, mas não generalize, pessoas que realmente se amam com fidelidade de coração também fazem essa declaração de querer viver um romance, relacionamento, intimidade.

    Ademais veja a proposta do livro de Cantares onde a noiva, representante da Igreja, declara seu ardente paixão por Salomão (representante do Senhor), querendo abraça-lo, ficar perto dele, contemplá-lo.

    E eu te pergunto: Maurício, o senhor não quer ver Jesus? Tocá-lo? Abraçá-Lo? Não é esta nossa esperança futura? E você não desejaria contemplá-lo agora mesmo, como em uma experiência semelhante a de João na ilha de Patmos?

    Não é anti-biblico querer ver Jesus, nem tampouco declarar esse desejo. Moisés quis ver o Senhor. Simeão, o homem de Lucas 2 que segurou o menino Jesus no colo, aguardou e esperou a vida toda por este momento e por fim bradou: “Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo, Segundo a tua palavra; Pois já os meus olhos viram a tua salvação”.

    Irmão Maurício, biblicamente falando, o Espírito Santo dentro de nós que clama “Aba Pai”, produz um desejo tão forte de desejar contemplá-Lo em sua plenitude que Paulo chega a afirmar:

    “Porque para mim o viver é Cristo, e o morrer é ganho. Mas, se o viver na carne me der fruto da minha obra, não sei então o que deva escolher. Mas de ambos os lados estou em aperto, tendo desejo de partir, e estar com Cristo, porque isto é ainda muito melhor.” Filipenses 1:21-23

    “Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor.” 2 Coríntios 5:8

    Irmão Maurício, vendo esses versículos e eu re- pergunto: Instinto suicida? Não. Trata-se de um ardente desejo de vê-lo. Portanto não vejo características antibíblicas.

    Creio que igualmente é uma contradição o senhor não ver problema em cantar aquela música “cidade maravilhosa”, entretanto ao mesmo tempo declarar antibíblica o seguinte louvor que diz: “Quero subir ao Monte santo de Sião”.
    Vamos lá, é tão verdade que Sião representa a Igreja, quanto é verdade que representa a Presença de Deus, o lugar onde o Altíssimo habita.
    Veja só, o que significa dizer “quero subir a Sião” analisando a seguinte passagem: Salmos 132:13-14 afirma: Porque o SENHOR escolheu a Sião; desejou-a para a sua habitação, dizendo: Este é o meu repouso para sempre; aqui habitarei, pois o desejei.”

    Analise os cânticos de romagem (ou dos degraus) da bíblia, e verá que os peregrinos louvam a Deus enquanto subiam a Jerusalém para adorar ao Criador em Sião. Ou aqueles peregrinos estavam sendo anti-bíblicos ou o senhor, data vênia, julgou errado esta letra de louvor.

    Mas não intento nem defender a música em si, mas expor que parece-me contraditório o seguinte:
    Dizer que pode cantar “eu sei que vou te amar” para sua esposa. Mas que não pode: “Eu só quero te amar” para Deus.
    Pode ter um romance com uma esposa, mas não com Deus. Quanto ao ver e tocar, já expus, embasadamente que não está contradizendo a bíblia.

    A respeito daquele outro louvor cujo trecho da letra grifado por ti foi: “Nem os anjos que O cercam louvando/Se permitem sua face olhar”, encontra base bíblica em Isaías 6, quando os serafins, além dos pés e corpos, cobriam também seus corpos louvando ao Senhor: Santo, Santo, Santo!”

    Você disse que o importante é analisar a letra contraria algo na Bíblia. E Ao meu ver, conforme os argumentos fundamentados expostos, não.

    Mas o que quero expor, com todo o respeito (mesmo!), é que para mim soa contraditório o senhor professar ser contra essa músicas que, argumentando que nelas “Raramente se fala de Jesus” (conforme sua citação de Pr. Isaltino G. P. Filho) e desta forma incentivar não escutá-las, mas não usar esse mesmo peso para medir as músicas seculares que nem se fala de Jesus, mas tão sobre esse mundo (no sentido de “planeta” e de no de “ contexto de vida”) de ilusões.

    Pessoalmente, percebo um perigo em escutar música tanto mundana como secular, que para mim continua sendo a mesma coisa, ou seja, tudo mundana. E esclareço que li e entendi bem os seu posicionamento sobre a diferença destes conceitos, mas não concordei, pois a bíblia afirma em 1 cor 4:4 que o deus (com ‘d’ minúsculo) deste século (século, e não mundo), cegou o entendimento das pessoas para não verem a luz do Evangelho da glória de deus.

    Então se o diabo é o deus deste século, e a música é secular, eu tô fora! Para mim não escutar uma música, basta saber que o cantor não é cristão. Música não é só música. Todos sabem que tem algo diferente nela. Ela mexe com a alma. Tem poder espiritual!

    Este é o meu posicionamento. Que a Graça de Deus te guarde.
    Respeitosamente,

    Thiago Pitaluga

    • Ola, Thiago, graça e paz,
      .
      querido, não vejo nenhuma contradição no que eu falei. Vc pergunta se “você teria coragem de chegar para a sua esposa e dizer: “quero viver um romance contigo” ?”, mas foi exatamente o que fiz, claro que teria coragem. Tanto que a pedi em namoro, depois noivado e, por fim, casamento. Romance é o que um homem e uma mulher vivem e não o que Pai e filho vivem. É absolutamente normal e nada contraditório. Letras de cunho amoroso nesses termos são exatamente para a mulher que se ama e não para o Pai, o Criador do Universo.
      .
      Li seus argumentos, mas me perdoe, jamais vi na Bíblia ou nas orações sérias alguém dizer que quer viver romance com Deus. Talvez em Cantares de Salomão, que em primeiro plano fale do amor entre homem-mulher veja declarações até carregadas de erotismo, mas o padrão de Davi em seus Salmos e qualquer outro servo de Deus é bem mais respeitoso. Leia em Apocalipse como os anjos tratam o Senhor. O relacionamento com Deus bíblico não é no nível que esses “louvores” apresentam, é “Santo, Santo, Santo, bendito Rei do Universo, céus e terra estão cheios de sua glória, hosana nas alturas”, “Santificado seja o teu nome…seja feita a tua vontade…porque teu é o Reino, o poder e a glória para todo sempre”. Enxergo uma diferença monstruosa em relação a “Senhor, queremos ter um romance contigo”. Isso é um opróbio e um desrespeito ao Altíssimo.
      .
      Quanto ao resto de seu comentário, respeito sua opinião, embora discorde dela.
      .
      Deus o abençoe.

      • Thiago Pitaluga disse:

        Paz novamente,

        Irmão Maurício, o respeito é mútuo, mas em alguns pontos a discordância também. Mas nada que abalará nossa comunhão fraternal, não é mesmo? Os cristãos devem se amar!

        Só explanando um pouquinho. Por sermos a noiva de Cristo, não vejo problema uma noiva dizer ao seu Noivo, que deseja ter um romance com Ele. Tanto quanto Deus é nosso amado Pai… Jesus é nosso Amado noivo.
        E quanto aos anjos, nem filhos de Deus eles são. Meras criaturas, portanto não adorariam mesmo ao Criador da forma em questão.

        Mas sei que [talvez] discorda de mim nesta linha de pensamento, então acredito que [talvez] não seja mais relevante continuarmos nisto. Mas saiba, em muito o seu post me edificou. Em muito aprendi e em muito serviu para corrigir-me. Obrigado por isto, por tão somente deixar ser usado por Cristo!

        Prossigamos então em seguir a Jesus.

        Só uma coisa a mais, e nem é mais pra defender ponto de vista:

        Sobre o livro de Cantares de Salomão, você já lei o livro do Hudson Taylor, cujo título é: “Cântico dos Cânticos – O Misterioso Romance” ?

        É um livro muito bom, gostaria de indicá-lo a ti, para leitura.

        Permaneça na Graça!

      • Olá, Thiago,
        respeito sua opinião.
        Não, não li o livro.
        Deus o abençoe muito, graça e paz.

    • cris disse:

      Querido Irmão, a paz.
      De todos os comentários o seu foi o que mais se aproximou da minha opinião.Me converti no auge da minha juventude aos 19 anos, amava musicas mundanas, cantava, dançava, ia nos show, idolatrava mesmo esses conjuntos que o Irmão Maurício mencionou, mas, quando tive um encontro com Jesus e Ele revelou o seu amor por mim, pedi a Deus para tirar de mim TUDO que pudesse desagrada-lo . Foi muito difícil me libertar de toda aquela influencia mundana, mas Deus me deu graça. Vigio ao máximo essa área do louvor , pois , Deus é digno de TODO louvor. Porque perderei o meu tempo e comunhão com Deus, cantando aquilo que em nada me irá edificar e agradar ao Espirito Santo? Para mim música mundana e secular é a mesma coisa, tudo vem da mesma essencial.
      Graça e paz!

  107. Paulo Ricardo Dos Santos disse:

    Olá…muito boa sua matéria.Que moral voce tem pra falar isso?foi Deus quem soprou essas palavras em seu ouvido?Não me entenda mal,só estou curioso pra saber se voce fundamentou o artigo apenas em teorias e se voce tem certeza de suas palavras perante a Deus,é que eu decidi mudar minha vida mas não queria deixar de ouvir musicas que me fazem bem ou que não falam sobre Deus nem contra nem a favor….se o Senhor me disser que não as devo mais uovir,tudo bem.Mas se não,apenas quero ter a certeza de que não estará desagradando a ele que ouça esse tipo de musica….heavy metal,hard rock.Eu decidi devolver minha vida pra Deus,estou cansado de seguir nesse mundo de ambições vazias,quero fazer a obra de Deus com a minha inteligencia e sabedoria que ele mesmo me deu ( sou escritor,já fiz um livro).Eu já tive meu encontro com Ele,mas ainda erro de formas muito estupidas.Estou cansado de ser humilhado pelas minhas decisões e objetivos,vou servir a Deus e me dedicar a pregar a palavra.
    Deus permitiu que eu vivesse até hoje apenas para tomar essa decisão,ontem eu deixei meu orgulho ser maior e caí numa armadilha do Diabo que destruiu um sonho que Deus realizou pra mim.De hoje em diante quero que meu objetivo seja angariar almas para o reino de Deus,ajudar as pessoas não importa o que custe.Tenho 18 anos e gostaria que me respondesse,se voce sente a compreensão de Deus quanto a musica que ouve ou aquilo que escreve sem se tratar necessariamente de evangelho….por favor,eu preciso de ajuda…não posso estar ao lado de Deus e sentir saudade do mundo….

    • Paulo,
      .
      em primeiro lugar, a vc que tem 18 anos e eu 40, deixe-me te dizer que ao conversar com outra pessoa vc deveria usar de um pouco mais de tato nas suas palavras. Frases como “que moral você tem para falar sobre isso” são muito deselegantes e não soam bem nos lábios de alguém que deve ser manso e ter dominio próprio (leia Gálatas 5.22,23). Mas como vc é jovem eu compreendo tua impulsividade, já tive a tua idade e sei que a internet muitas vezes nos faz crer que temos o direito de falar de qualquer modo com as outras pessoas. Peço a gentileza de vc ser mais temperante na escolha de tuas palavras e argumentos, pois a mesma educação que vc deve ter com alguém na vida real deve ter tb no mundo virtual. Ainda mais com alguem que já viveu mais do que o dobro do tempo de vida que vc tem. Tenho certeza que é isso que teu pastor e teus pais te ensinaram.
      .
      Sobre o que vc falou, Deus não soprou nenhuma palavra em meu ouvido, elas são fruto de anos de estudo, vivência e conhecimento. Em especial teológico, depois de ter lido e estudado a Bíblia toda, cursado dois seminários teológicos e ensinado teologias em seminário por 9 anos. Isso ajuda a entender de onde vem o conhecimento que compartilho nesse post? Ou teria de vir por revelação divina, com profecia ou um anjo trazido do Céu? Nem a Bíblia foi escrita assim, querido, quanto mais meus posts.
      .
      Tudo o que falo no post é fato. É conhecimento. É histórico. E se vc tiver paciência de ler livros sobre o assunto vai adquirir o mesmo conhecimento com o passar do tempo. Se ouço hard rock de bandas que glorificam a Deus não tenho um pingo de dor na consciência, tenho paz com Deus e sei que Ele recebe meu louvor. Cassiane não canta forró e a mesma coisa acontece? E olha que forró, quando com letras e danças sensuais é a coisa mais demoníaca que há.
      .
      Fico feliz que vc escreveu um livro, o incentivo a isso e a continuar escrevendo. Já escrevi 5, sempre a partir de muito estudo e oração. Se vc ler “A Verdadeira Vitória do Cristão”, por exemplo, verá uma profunda análise bíblica e histórica.
      .
      Para concluir, querido, eu entendo a sua angústia e a sua preocupação. Se vc crê que não deve ouvir músicas seculares, não ouça. Eu ouço as que não são antibíblicas e não me distancio de Deus por isso. Mas se de algum modo elas atrapalham sua caminhada cristã, não ouça. Restrinja-se às “cristãs”. O importante é vc estar em paz, pois suas palavras mostram o grande conflito que vc está enfrentando e não quero que o meu texto seja emepecilho para sua intimidade com Cristo. O que escrevi é fato histórico e bíblico. Mas se te causa estranheza, ignore minhas palavras e ouça apenas o que te faz bem. Longe de mim querer abalar tua jornada como cristão. Ok?
      .
      Que a paz que excede todo o entendimento seja contigo. Te abraço, meu irmão.

  108. Paulo Ricardo Dos Santos disse:

    outra coisa,mas se algumas musicas forem apenas letras fantasiosas,e aí?
    vou propor uma nova discussão tendo em base isso,e os poetas,novelistas e diretores de cinema?alguns fazem histórias sobre mundos magicos,fantasiosos,outros sobre mundo apocalipticos ou historias de ficção em geral…como determinamos até que ponto uma coisa é um ponto de vista ou apenas um sonho,imaginação?

    • Pela confluência com os ensinos bíblicos. C.S.Lewis fez fantasias bíblicas na série Nárnia. 4 de meus livros são ficção cristã (vc pode ver aqui: http://migre.me/9fkfG ). Mas se vc vai ler a série Harry Potter, que diz que há feitiçaria do bem, obviamente é antibíblico.
      A Bíblia é sempre o parâmetro. Vai contra o que ela diz? Fuja. Não a fere? Desfrute.
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão.

  109. Paulo Ricardo Dos Santos disse:

    Bah amigo,desculpa se te ofendi ao não modelar minha palavras da maneira correta,não as disse com impulsividade ou desprezo,apenas com a minha falta de controle sobre o que digo e da falta de algum outro termo exato.Eu perguntei que moral voce tinha pra falar isso no não sentido de “quem voce pensa que é pra falar isso” e sim no sentido de “o que te qualifica para ser possibilitado de dizer tais palavras”…bah,nessa semana foram dois erros de controle,sem querer eu te ofendi de tarde sendo que na noite anterior falei paranóias demais pra uma pretendente e ela me largou…são coisas da vida,mas me desculpa mais uma vez,isso eu to tentando mudar mas é dificil,eu adoro dar opinião e debater.Quando perguntei se Deus tinha soprado essas palavras em seus ouvidos o fiz porque tenho muitas duvidas a respeito da visão do ser humano em relação a Biblia…sei lá,só é um receio frente a todo império de destruição e escuridão que por muito tempo a religião o fez com falsas justificativas biblicas e interpretações equivocadas…..

    Vou lhe fazer mais um questionamento:quais livros,especificamente?

    Não tenho muita paciencia pra ler,sinceramente,prefiro coisas mais sucintas e diretas,mas esses livros ou pensadores poderão me ser uteis,pois meu pouco conhecimento a respeito da palavra não é suficiente para que eu apresente argumentos digamos,”convincentes”,quando alguem diz barbaries sobre Deus ou se diz ateu.Eu debato algumas vezes com elas,mas é porque há muitas pessoas alienadas,que vão pela onda dos outros pra uma situação desesperançosa (o afastamento da pessoa de Jesus…),se afundando nas teorias do Crowley ou do Lavey,que por possuírem um embasamento argumentativo muito claro,faz com que esses “alienados”, aceitam a resposta com fundamentos da razão.Eu só quero poder ter uma referencia teórica de autores para que possa dizer a minha opinião frente a eles sem que questionem se sou um “crente fanatico”…e possa tomar a frente falando sobre como nosso Senhor é maravilhoso…a midia conta tantas mentiras que muitas pessoas que tem “cabeça,responsabilidade ou experiencia”,de todas as idades,acabam cedendo a opinião sem futuro desses contestadores…
    Obrigado pela atenção e desculpa mais uma vez se te ofendi ou constrangi,só foi uma certa falta de vocabulario e direção que perdi nas perguntinhas inuteis…
    Desculpa se eu falo demais,mas voce se converteu com que idade e quando começou a escrever e ir fundo nisso?traçar alguns exemplos pode ser util para minha auto-estima na busca por conhecimento….
    Valeu,que a paz esteja convosco…

    • Paulo, meu irmão,
      .
      nada alegra mais o meu coração do que ver alguém perceber que errou e buscar a reconciliação e o perdão. Compreendo que vc não falou o que falou por mal e sim, vc tem todo o meu perdão. Abraço-te feliz e com um sorriso nos lábios.
      .
      Se me permite, eu entendo que vc goste muito de debater. Mas tente mudar esse foco para gostar de aprender. A partir daí, debates deixam de ser debates e passam a ser exposição, proclamação, pois contra fatos não há argumentação. Fica a sugestão.
      .
      A solução para suas dúvidas virá justamente da leitura, do estudo e do aprendizado. Escrevi há alguns meses um post onde listo 10 livros que considero a “cesta básica” para um cristão aprender a sã doutrina, a boa teologia, a base e os alicerces da fé. Se vc ler esses dez livros (sem pressa) tenho certeza que sairá absurdamente mais maduro no conhecimento das coisas de Deus:
      .

      http://apenas1.wordpress.com/2012/03/07/os-10-melhores-livros-cristaos/

      .
      Espero que ajude.
      .
      Sobre suas perguntas, fui convertido aos 24 anos, aos 25 ingressei no meu primeiro Seminário Teológico, aos 34 no segundo, comecei a escrever livros cristãos há cerca de 10 anos e escrevo no blog há 1 ano. Antes de passar adiante, fiz questão de acumular muito conhecimento, senão seria achismo e não informação. ANunca é tarde para se começar e quanto mais cedo melhor. Creio que comecei tarde demais, mas como aprouve ao Senhor me salvar apenas aos 24 anos creio que estou no cronograma dele rs. Atenha-se sempre à doutrina ortodoxa da Bíblia e nunca ao que vc “acha”: é um dos maiores erros de nossos tempos.
      .
      Não se preocupe, tá perdoado pela impulsividade e seguimos juntos.
      .
      No amor de Cristo, que nos une num mesmo Corpo,
      mz

  110. Paulo Ricardo Dos Santos disse:

    ah,seu livro…vou adquirir um exemplar sim,já li alguns do líder da minha igreja e to atras de mais conselhos,apesar da minha falta de paciencia com esse livros desse tipo,eu prefiro poesias ou livros pequenos….o meu livro de poesias soa homogeneo demais,não sei se voce se interessaria (risos).Ai,mas dexa pra lá…valeu pelos conselhos.Obrigado mesmo.

    • Pode ler “A Verdadeira Vitória do Cristão” sem medo. Aposto que não testará sua paciência, busquei ser profundo nos argumentos mas simples nas palavras, justamente para tornã-lo acessível. Será como ler um post aqui do blog, só que um pouco maior.
      Paz e que o edifique!

  111. TONEY FONTES disse:

    Meu irmão, parabéns pelo seu blog e que Deus continue te inspirando a responder sobre essas questões polemicas.
    Eu trabalho com “música gospel” a mais de 20 anos, fazendo finalização de Cds e Dvds e sou obrigado a ouvir de tudo. Já trabalhei para as maiores gravadoras gospel do Brasil e conheci a maiorias desses “artistas” antes da fama. Todos eram muito pobres!
    Outro dia fui criticado porque falei no facebook algumas coisas que apertavam meu coração, como o enriquecimento de alguns cantores através de show e vendas de Cds. Estou simplesmente enojado dessa corja… pessoas que deixaram o evangelho pelo dinheiro. Gostaria de ver o que diriam para o João Batista quando ele dissesse: “Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?”
    Bom desculpa o desabafo e continuando; escuto músicas seculares como referencias e muitas até pq gosto. Precisamos saber examinar tudo e reter o bem.
    Quanto as músicas da Harpa Cristã, do Hinário e alguns corinhos que o irmão citou, é preciso lembrar da palavra que diz: Onde abundou o pecado, superabundou a Graça.
    As músicas evangélicas que consigo ouvir hoje são Vencedores Por Cristo, Grupo Logus, Semente, Ungido do Paulo Sérgio e outros que foram feitos sem fins lucrativos…
    Um forte abraço em Cristo Jesus e gostaria de saber qual a sua igreja.

    • Ola, querido!
      .
      Entendo perfeitamente bem o que vc fala. Não tenho pq nao postar seu comentário, fecho 100% com vc (apenas suprimi seu email para resguardar sua privacidade, ok?).
      .
      Tb conheço muitos desses cantores e grupos da moda e sei, como vc dos bastidores. Que bom que vc me entende, o cheiro de enxofre que vc sente eu tb ja senti muito.
      .
      Sobre a Harpa, eu comentei sobre a origem dos hinos, mas em momento algum disse para não cantá-los. Pelo contrario. O que eu quis dizer foi que mesmo sendo as musicas versões de canticos populares tornam-se sacros se voltam-se à adoração. Creio que concordamos nisso, perdoe-me se não me fiz entender bem.
      .
      Sou membro da Igreja Cristã Nova Vida (www.portalnovavida.com.br).
      .
      Outro abração pra ti, que Cristo te abençoe muito!

      • TONEY FONTES disse:

        Tranquilo meu irmão… eu falei sobre a possibilidade de vc ñ querer postar o endereço da sua igreja.
        Eu acho que vi em algum comentário o irmão falando que quando toca algum desses hinos que vc sabe a origem, não canta e fica em oração. Mas talvez eu fizesse a mesma coisa se viesse a saber… rs abraços

      • Não, querido, eu canto sem problema. O que Deus fez santo é santo. Eu não canto são músicas “cristãs” com letras antibíblicas.
        Desculpe o mal-entendido.
        Abraço e Deus te abençoe!

  112. Ruben disse:

    Sou cristão e gosto de algumas musicas da banda Disturbed (Ex.: Strcken, Prayer…). Mas gostaria de saber se posso ouvi-las ou não? Essa banda é satânica? É verdade que ao ouvir uma musica você está concordando OBRIGATORIAMENTE com a filosofia dela? Na verdade, ouço as musicas, mas nao por seu conteúdo, mas sim pelos instrumentos, etc… Mesmo assim, ao ouvir uma musica dessa por exemplo, influencia em alguma coisa?
    Obrg pela atenção

    • Ola, Ruben,
      eu nao conheço essa banda e, por isso, infelizmente, não posso me posicionar.
      Sobre ouvir a música, pense da seguinte forma: se alguem canta “eu gosto de meninos e meninas” e você canta junto…o que vc está dizendo? Creio que a resposta é óbvia.
      Sobre influenciar, vou te dar um exemplo: anos atrás eu tinha um primo que vivia jogando games de pancadaria. Aparentemente inocente, o que tem de mais, é só um jogo? Na época eu usava óculos. Certo dia, ele, que gostava muito de mim, brincando de mimica fez um gesto querendo dizer que ia me dar um soco. Entrei na brincadeira e respondi em mimica dizendo que nao, que tinha de dar um beijo. Repetimos isso umas 3 vezes. Na quarta vez ele simplesmente virou um cruzado de direita na minha cara que meus óculos voaram longe, tortos. Pergunto eu: onde o menino aprendeu isso? Onde ele assimilou? Pq um jovem dá um soco de quebrar óculos na cara do primo que ele ama? Na minha visão, influencia dos games que ele vivia jogando. Percebe? E ele não era violento, era um doce de menino.
      Então sim, creio que influencia, mesmo que subconscientemente (se vc estudar um pouco sobre marketing subliminar vai compreender mais sobre isso.
      Embora eu não seja contra ouvir boas músicas seculares, se o que vc gosta é metal pesado nesse estilo sugiro que busque bandas cristãs. Há algumas muito boas, como Bloodgood, Detonation, Poor Old Lu, Sacred Warrior, Whitecross (essa já é mais hard rock) e por aí vai.
      Ok?
      Deus te agracie com a verdadeira vitória do cristão.

      • Ruben disse:

        Valeu! Gostaria de parabenizar esse seu post pq faz muito tempo nao vejo nada igual: um post com fundamentos bíblicos, que é o que interessa… Antes, procurava a resposta para essas minhas dúvidas em sites que cada um tinha sua opinião… aí fica complicado voce se posicionar… mas que Deus continue te ajudando a ajudar outras pessoas assim como me ajudou! Valeu pelas dicas de bandas, estava precisando ;D
        Sobre essa banda Disturbed, não axei em lugar algum dizendo ela ser satânica (mas gostaria muito de saber, pq nao qero NADA nada nada com coisas do diabo), axava que voce sabia… curto muito o som da guitarra dessa banda, e por a mensagem deles ser, diríamos… não tão clara e não dizendo coisas como que odeia Jesus e etc., ainda nao sei ao certo se ouvir as musicas ou nao. Sobre oq vc disse no comentario do meu comentário, um jogo é diferente de uma musica (assim eu penso) porqe o jogo te deixa mais dentro da sua filosofia… agora uma música, axo dificil, ainda mais ela sendo em ingles… vc teria algo mais a dizer? Obg mais uma vez…

      • Ruben,
        obrigado pelas palavras gentis, fico feliz de ter ajudado.
        Não, penso que não tenho mais nada a dizer. Conheça a Biblia, estude-a e enxergue o mundo pelos olhos dela. Aí vc terá como discernir o que é bom “ingerir” do que não é.
        Deus te abençoe, mano!

  113. Deborah disse:

    Mauricio, vc realmente é um destemido.

    Conheci seu blog ontem e já li muita coisa de ontem pra hoje. Vc provavelmente vai ler muita coisa minha por aí nos comentários.
    Vc tem coragem de falar coisas que penso e confrontar tbm. Não tenho essa força, não. Ai quem dera…
    Mas este é um assunto bem polêmico.Diga-se: BEEEM POLÊMICO!! Uh!
    Sou ministra de louvor em minha igreja, e de um ano pra cá mudamos nossa forma de escolher músicas pra entoarmos em nossos cultos. A letra, a concordância bíblia, isso agora faz parte do nosso “ritual” de escolhas. Mas vc me cutucou. Logo eu quem faz o solo de “Apaixonado, apaixonado, apaixonado por vc Senhor estou”? Aaaah… Puxa! E agora? Me fez refletir. Mas vou ainda pensar direitinho sobre essa, viu?

    Vc hein?
    Gostaria de apresentá-lo pessoalmente ao meu namorado. Ah! Vcs bateriam longos papos.

    • Oi, Deborah,
      obrigado por suas palavras gentis.
      Fico feliz que meu blog tem te abençoado.
      Sobre o que você disse, lembre-se do que está em Atos: “Antes importa agradar a Deus do que aos homens”. E agora? Eu te diria: faça o que está na Biblia. O resto é o resto e só.
      Será um prazer bater longos papos, se forem para edificar e abençoar.
      Na paz do Onipotente,
      Mauricio

  114. Flávia Sérgio disse:

    Mauricio, seu discernimento é fantástico.
    Gostei muito do que escreveu e da forma clara com que tenta esclarecer tudo.
    Bom, gostaria de saber o que pensa de cantores como o Luan Santana que cantam o amor, a paixao, e até louvam o senhor em seus shows com musicas ditas evangélicas.
    Além de ouvir musicas seculares, é permitido cantar essas musicas para ganhar seu sustento?
    É um talento não?
    Assim como que faz mto bem um bolo…nao poderia vende-lo?
    Na verdade, quero saber se é pecado viver da música como o Luan Santana vive.
    Obrigada

    • Obrigado pela gentileza, Flávia.
      Nunca ouvi nada desse cantor, por isso não posso opinar, desculpe.
      A Bíblia diz que o trabalhador é digno do seu salário. A questão são os exageros e os absurdos.
      Viver da música não é pecado, mas como disse não conheço esse músico e portanto não posso dar um parecer mais abalizado sobre ele, especificamente.
      Deus te abençoe, no amor e na paz de Cristo!

  115. Cleber disse:

    Olá Maurício!
    concordo plenamente, e digo mais… o cristão precisa ter o discernimento e não tem deve buscar, pedir a Deus sabedoria! Nem tudo que não é propriamente de Deus, é necessariamente de satanás, existem coisas que são produtos dos sentimentos humanos (música, arte, teatro,poesia, enfim…)a cultura é um presente de Deus! porém é preciso entender quando ela se manifesta contrária a fé cristã, a ética de Cristo como você bem falou.
    Deus nos fez capazes de produzir, de trazer à existência tudo que nasce do nosso ser, de exteriorizar o que temos de bom e a música é apenas uma das diversas formas que o ser humano criou de se manifestar! Claro que o SENHOR deve estar em primeiro lugar em nossas vidas, acima de tudo! mas isso não quer dizer que tudo mais é do diabo ou nas afasta de Dele! os talentos são dons do criador!
    Parabéns e um abraço!

    • Amém, Cleber, é isso mesmo.
      Se vc tiver interesse, procure pesquisar sobre o conceito de “graça comum”. Certamente te trará muita luz sobre esse assunto.
      Abraço forte, na paz!

  116. [...] Cristão deve ouvir música do mundo? [...]

  117. LAYANNE disse:

    Louvarei ao Senhor por toda a minha vida; cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu viver.
    Salmos 146:2

    Li seu texto e respeito porém não concordo… Não concordo simplismente pq quando a biblia se refere a música e a louvores deixa claro que sempre devemos louvar somente a Deus!!! A muúsica quando escrita deve glorificar somente a Deus e nada mais !!! Ouvir música seculares não edifica a vida de ninguem! Jamais podemos deixar de nos edificar com uma música ”evangélica” para ouvir uma música sécular.

    fique na paz…

  118. Alberto Marinho disse:

    Parbéns Zágari. Aprendi muitas coisas com tua postagem, eu mesmo não sabia sobre o fato de muitos hinos que cantamos na igreja, serem originalmente entoados em bordéis, realmente fiquei muito feliz, pois aprendi mais da palavra de Deus. Que o Senhor te abençoe para que você possa sempre falar aquilo que convém com as sagradas escrituras! Abraços.

  119. Thiago disse:

    Devo ficar longe da ciência? e os canais ateus do Youtube? Posso ver aqueles que expressam idéias científicas? Afinal eles não demonstram ser satânicos

    • Thiago, olá,
      Fé e ciência, embora diferentes, não são excludentes. Conhecer a boa ciência não tem mal nenhum. E, se vc detectar erros bíblicos, busque a resposta para como combater os mesmos.
      Deus o abençoe.

  120. gerson disse:

    escutei uma musica não evangelica tirei minhas proprias conlusoes, o que vc acha dessa musica, Love Is Here – Sonohra (tradução) estou em duvida se essa musica é coerente com os ensinos biblicos.

    • Gerson,
      Procurei a letra na web e me parece apenas uma poesia de amor. Há uma frase em que o musico fala que a amada é a única razão para levantar de manhã. Aí desprezamos Deus. Mas se formos considerar apenas o lado antropológico da musica não vejo nada de mais.
      Espero ter ajudado.
      Deus o abençoe.

  121. GrazielleVitória disse:

    Olá Maurício
    Seu post sobre esse assunto foi libertador para mim, pois vinha sofrendo muito com essa questão. Quando me converti tomei uma atitude radical joguei fora cds e dvds, mas durante esses anos de convertida travei muitas lutas com a vontade de ouvir a música que hoje sei que algumas eram mundanas e outras seculares, cheguei a ter minha relação com Deus afetada por não resistir e ouvir as músicas, e me sentir culpada, indigna de falar com Deus, além da preocupação com a opinião dos irmãos cristãos e dos não cristãos também. Você não sabe o alívio que senti quando terminei de ler todo o post. Gostaria de saber se você pode me ajudar sobre uma outra dúvida que é sobre dançar ou simplesmente estar arrumando a casa ouvindo uma música e sentir vontade de mexer o corpo no rítimo da música, um exemplo eu gostava muito de dançar forró, isso é errado? é pecado? Espero que possa me ajudar. Obrigada e que Deus te dê mais e mais sabedoria para ajudar os irmãos.

    • Grazielle, olá,
      fico feliz que o texto te trouxe alívio e consolo.
      Fiz a mesma coisa que você ao me converter, jogar fora e queimar CDs, até que fui sendo ensinado, discipulado, fui aprendendo, lendo e vivendo uma fé real e não baseada em invenções humanas. Com isso aprendi como verdadeiramente deve ser nossa relação com a música e tudo o que consta no texto.
      Sobre dança, é como TV: não é pecado, mas se for usada de modo equivocado é. Um exemplo: se você vê na TV um documentário sobre a vida dos golfinhos não há mal. Mas se vê um filme pornô é pecado.
      Do mesmo modo, se você dança com seu marido ou na solitude da sua casa ao ritmo de uma música que não fere nossa fé não é problema. Mas se você dança de modo a despertar sensualidade (sua ou de outros), ao som de músicas antibíblicas ou em locais que despertarão escândalo entre os irmãos, aí é pecado.
      Sobre forró, a cantora “gospel” Cassiane canta dezenas de forrós, só que com letras cristãs. Logo, o estilo musical em si não configura pecado. Mas se você dança num ambiente questionável, ou com homens de modo a despertar lascívia (e convenhamos que forró é uma dança onde há um contato físico bem estimulante para isso) e coisas assim, então eu recomendaria que você evitasse, pois pode configurar pecado.
      Espero ter ajudado.
      Na paz do Mestre.

  122. Charles disse:

    Mauricio, olá,
    gostei bastante do texto e dos argumentos, porém eu ainda fiquei com uma dúvida.
    Por exemplo, uma banda qualquer tem dez músicas, oito contrariam os valores cristãos, mas duas não possuem nenhuma mensagem contraditória aos princípios bíblicos. É conveniente ouvir essas duas músicas, ou as outras oito músicas mundanas desqualificam a banda de ser ouvida ? (Claro que as músicas que me refiro para ouvir são as duas que não contrariam o ensinamentos de Cristo.)
    Muito obrigado pelos textos edificantes e práticos que você tem nos proporcionado.
    Deus o abençoe! A paz do Mestre.
    Charles

    • Charles, olá,
      minha visão é que não há problemas de ouvir as duas musicas. Pois se um cantor “gospel” canta uma música sem valores cristãos (o que é muito comum) vamos deixar de ouvir as demais? Por que faríamos então isso com uma cantor secular? Faz sentido o raciocínio?
      Deus o abençoe muito, com seu amor e sua paz.

      • Charles disse:

        Obrigado pela resposta, Maurício.
        Assim, usando um caso bem extremo. Se Iron Maiden, uma banda que possui algumas (não conheço muitas) letras bem anticristãs, mas há uma música que não vai contra a nossa fé. Ainda estaria dentro do raciocínio ouvir essa música? Pergunto, pois, parece contrariar que uma fonte não pode jorrar doce e amargo, uma vez que iron maiden e outras bandas falarem de maneira explícita sobre satanismo e coisas similares.

        Um abraço, a paz de Cristo!

        Charles

      • Oi, Charles,
        .
        conheço bem o Iron Maiden, pois antes de minha conversão eu ouvia muito essa banda.
        .
        Na verdade, se você pegar o repertório deles, verá que má maioria de suas musicas não é satânica. Por exemplo, “Run to the hills” fala sobre o massacre dos índios americanos com a chegada dos colonizadores. Então eu ouviria essa música sem problemas, embora não o faça mais porque escutar Iron Maiden me remete pessoalmente a uma época de minha vida que prefiro esquecer. Mas eu não posso de modo algum dizer que ouvir “Run to the hills” seja pecado nem posso oprimir quem ouve, pois isso seria legalismo.
        .
        Claro que sei que há quem discorde de mim, mas não consigo ver base bíblica para demonizar alguém porque ouve uma banda assim.
        .
        É uma questão de discernimento, Charles. Se faz mal a vc ouvir Iron Maiden não ouça. Mas não podemos condenar quem ouve sem cometer pecado.
        .
        Abraço, querido, na paz de Cristo,
        mz

  123. Andrea disse:

    OLÁ MAURÍCIO, SEU POST É MUITO PERTINENTE E RICO DE INFORMAÇÕES, PORÉM TENHO DÚVIDAS SOBRE O SEU COMENTÁRIO Q HINOS DA HARPA CRISTÃ TIVERAM MELODIAS TIRADAS DE PROSTÍBULOS… VC TEM ALGUMA MATERIA SOBRE ISSO??? SEI LA ARTIGOS… E OUTRA DÚVIDA É… GOSTO MUITO DE MÚSICA SECULARES TIPO POP ROCK INTERNACIONAL (ROXETTE, STEVIE WONDER, ELTON JOHN, BON JOVI, MANHATHANS, ETC), PORÉM NÃO SEI SE ESTES CANTORES CONSAGRARAM OU NÃO SUAS VIDAS E MÚSICAS AO DIABO… SEMPRO TENHO O CUIDADO DE ANALISAR AS LETRAS E ATEN ENTAO NAO VI NADA DEMAIS… O QUE FAÇO???
    ANDRÉA.

    • Andrea, olá,
      Infelizmente não tenho um artigo sobre o tema. Isso é História. Se você for pesquisar a origem de cada hino descobrirá.
      Sobre os cantores e grupos, não temos como saber quem consagrou ou não. Nessas horas uso a lei do trânsito: na duvida, não ultrapasse. Assim evito ferir minha consiência. Mas é aquela coisa: como saber se a pessoa que fabricou as suas roupas também não consagrou sua confecção? Ou que os carros e motos Honda não foram consagrados numa cerimonia xintoísta? Não há como saber. Então fico com o que Deus disse a Pedro na visão que lhe deu quando mandou que fosse à cada de Cornelio.
      Espero ter te ajudado.
      A paz do Mestre!

  124. Orlando fidelis disse:

    Eu sou de acordo que um verdadeiro cristão não precisa das musicas do mundo para ser feliz, mas uma vez eu estava conversando com um colega de igreja, e ele me disse se eu não posso escutar musica do mundo, você também não pode assistir filmes pois é coisa do mundo; o que você diz sobre isso??

    • Orlando,
      Nos ensinaram que “do mundo” é qualquer coisa produzida por quem não frequenta uma igreja evangélica. Biblicamente não é nada disso, é o que contraria a ética e os princípios cristãos. Se fossemos pensar do outro modo, não podemos tomar sorvete Kibon, pois, afinal, não é uma empresa cristã. Também não poderíamos dirigir carros Honda, pois é uma empresa de xintoístas e budistas. E mais, não poderíamos tomar banho, pois quem fabrica o sabonete não é cristão.
      Assim, a resposta é: depende. Há muitos filmes de Hollywood que transmitem excelentes valores morais. Esta semana assisti por exemplo a “Duelo de Titãs”, com Denzel Washington, que combate o racismo, mostra a importância de mudar de opinião quando se está errado e por aí vai. É “do mundo”? Não creio. Por outro lado, a série “evangélica” “Deixados para trás” ensina montes de coisas apócrifas. Nesse sentido, é algo do mundo. Compreende?
      Espero ter ajudado.
      Deus o abençoe,
      mz

  125. Larissa Dias disse:

    Olá Maurício! Eu gostaria que você me mandasse um resumo indo direto ao ponto “Influências da música mundana”
    Obrigada.

    • Olá, Larissa,
      me perdoe, não sei se entendi seu pedido. O post já é um resumo do assunto. Mas se pudesse resumir tudo em poucas palavras diria: “Na Bíblia, mundo é o conjunto de valores e práticas que se opõem à fé cristã e ao Evangelho. Portanto, música mundana é toda aquela que vai de encontro do Evangelho e dos ensinamentos de Jesus, seja ela composta e/ou interpretada por artistas seculares ou cristãos. Sua influência é nociva, pois transmite filosofias diferentes das que o Senhor ensinou e afasta as pessoas do caminho da salvação e da sã doutrina bíblica”.
      Ajudou?
      Deus a abençoe muito,
      mz

  126. Daimara disse:

    concordo com tudooo# DEUS abençoe vc sempree:)

  127. Gerson disse:

    Oi Maurício.Poxa eu canto no min. de louvor no lugar que eu trabalho,uma vez me pegaram cantarolando um trecho de um pagode que dizia apenas “…só de olhar pra você eu fiquei apaixonado”..Pronto!Já foi o bastante para que começassem a me crucificar,dizendo que eu não podia cantar essa música,não por causa do ritmo,mas da letra e talz.Mas o quê essa letra disse de mais???Fora que essas mesmas pessoas que me crucificaram são cristão afastados que estão,digamos,experimentando do mundo,fazendo todas as besteiras possíveis,mas que acham que têm base bíblica para julgar os outros.Outro fato foi quando cantava no min de louvor de uma igreja e quando souberam que eu escutava algumas músicas seculares,fizeram o mesmo comigo culminando na minha saída do ministério,sendo que esses mesmos jovens cristãos que me julgavam pela música como se fosse o maior pecado do mundo,eram os mesmos que estavam em pecado como fornicação e etc e ainda tocavam e cantavam lá na frente…
    Quero dizer que fico muito triste pelo fato das pessoas estando com a vida td errada,julgarem o outro,cujo único “pecado” é escutar música

    • Olá, Gerson,
      esse é o problema. Estamos tão condicionados a considerar meia-dúzia de pecados os grandes males da humanidade que nos esquecemos dos demais. A falta de amor e perdão é pecado terrível, porém um dos mais cometidos e ignorados.
      Temos que orar, mano, e fazer a nossa parte.
      Deus te abençoe muito,
      mz

  128. Hanna disse:

    Nossa, muito obrigada!!!
    Estou tão feliz por conhecer tantas verdades que antes não conseguia ver, por que desde pequenas pessoas me impunham coisas dizendo que é pecado, que não agrada a Deus, e então vivía com culpa e pressão. É maravilhoso conhecer a verdade através da bíblia e saber, que verdadeiramente ela liberta.
    Que Deus continue abençõando você e esse dom maravilhoso de transmitir às pessoas a única verdade, a palavra de Deus.
    Fique com Deus!

    • Ola, Hanna,
      .
      não tem o que agradecer, agradeça a Deus, que nos revelou sua verdade por meio de sua Palavra. Está tudo lá, é só sabermos procurar.
      .
      Deus te abençoe em dobro, minha irmão, com sua paz e seu amor,
      mz

  129. Caio Batista disse:

    Querido Maúricio, tudo bem? Voltei a ler o seu blog! Fiquei feliz que voltou a escrever.

    Recentemente ouvi uma música e lembrei desse post e voltei para ler novamente e tirar uma dúvida.

    Esse termo “ver a face de Deus” e também usado como “buscar a Tua face” como você mostrou é anti-biblico. Mas muitos louvores usam esse termo. Você poderia explicar de onde os compositores retiram esse erro? Qual a fonte biblica deles? Seria por Gn 32.30?
    Devemos abolir da igreja toda música que contenha esse termo?

    Obrigado pela sua disposição e que Deus lhe abençoe com a verdadeira vitória!

    • Olá, Caio, tudo bem? É um prazer tê-lo de volta.
      .
      Há que se fazdr uma distinção aqui. Ver a face de Deus no contexto das músicas que mencionei é literarmente vislumbrar as feições do Criador. Já no contexto bíblico, a expressão “buscar a face de Deus” significa “buscar a presença de Deus” ou, mais objetivamente ainda, “fazer tudo aquilo que nos aproxima de Deus”, como oração, leitura Bíblica, jejuns etc. Você pode encontrar essa expressão em passagens como Salmos 27.8. Então são duas coisas diferentes, ok?
      .
      Espero ter esclarecido.
      .
      Deus te abençoe com a verdadeira vitória do cristão,
      mz

  130. Fernanda disse:

    Tá, então rock cristão é permitido ? E se a música não tiver nada a ver com Deus também pode? Eu escuto rock,( sem ser cristão ) vejo sempre as traduções…Os cantores não são “Drogados” hehe e , sinceramente não vejo nada de mais porque , não é questão de estilo, de rítmo né? é das letras e do sentido da música.

  131. Alexandre Santos da Cunha disse:

    Glórias à DEUS pela atitude esclarecedora do irmão , continue assim querido sempre cuidando para que o verdadeiro proceder nos liberte de pesos e doutrinas que afastam os que querem viver em espírito e em verdade com O NOSSO SALVADOR E SENHOR JESUS CRISTO … DEUS nos abençoe e nos guarde sempre dos engodos desse mundo !!!! Amém !!!

  132. Muito bom o texto!
    Curti!
    Se puder, dê um acesso no meu blog, queria umas ideias ou opiniões!
    Abraços!

    • Olá, Felipe,
      .
      obrigado pelas palavras, mano. Muito gentil.
      .
      Gostei do seu blog. Recomendaria que na área “Sobre mim” você desse mais informações sobre você, em que cré etc, para que o leitor saiba de onde vêm as reflexões que ele está absorvendo. Como saber se você não é um herege rs? Entende? De resto está ótimo, visual clean e meditações bem ponderadas. Continue deixando Deus usar o dom que te concedeu para a edificação do Reino, mano. Tem meu total apoio!
      .
      Deus te abençoe muito, na paz do Mestre,
      mz

  133. Jéssica Martins disse:

    Olá, eu costumo ouvir bandas seculares e gosto muito da banda Lifehouse, as letras são românticas e falam de amor e algumas tristeza. Mas eu fico com um certo peso na consciência. Pois é muito confuso, será se soubemos interpretar a biblia direito? Eu sei que cristãos americanos ouvem essa banda. Mas eu fiz muitas pesquisas, e não vi nada falando que eles são cristãos.

    • Oi, Jéssica,
      .
      não conheço essa banda, por isso não posso emitir um parecer. Mas basta você buscar no Google as letras das musicas de que gosta e terá discernimento se as letras são mundanas ou apenas seculares. Peça discernimento a Deus.
      .
      Que Jesus te abençoe muito,
      mz

  134. Cassia Giovanna disse:

    Amei! Tava procurando para mandar para uma amiga que nao e crente e reclama que crente poe regra demais, mas mexeu ate comigo, valeu.

  135. Allan Pavani disse:

    Olá, Zagari! Paz!

    Acompanho suas postagens há um bom tempo e vejo que a maioria das duvidas que eu tenho são respondidas aqui. Graças a Deus pelas suas postagens.

    Como um fã seu – se é possível ser fã de um irmão na fé -, fiz uma “cópia” dessa postagem em meu recém-criado blog, e gostaria de sua avaliação – se possível, é claro. Eis o link:

    http://reticenciaseetcetera.wordpress.com/2012/11/25/musicas-do-mundo-e-musicas-seculares/

    Desde já obrigado pela força. Um grande abraço e que Deus te abençoe!

    A. Pavani.

    • Oi, Allan,
      .
      por favor, sem essa coisa de “fã”, somos manos, membros da mesma família. Tamo junto rs. Mas entendo que isso expressa carinho da sua parte e sou grato por tua vida.
      .
      Gostei do seu blog. Creio que o caminho é esse: trazer reflexões ponderadas e bíblicas para tentar ajudar a aproximar cada vez mais nossos irmãos de Deus e da sã doutrina. Tome cuidado só para não cometer um erro que eu cometi por muito tempo, de assumir um tom agressivo com relação a quem pensa diferente de nós. Já fiz isso e não gerou nenhum bom fruto. Creio que mais importante até do que falar é a forma como falamos. Você não foi agressivo no seu post, apenas te alerto a tempo para evitar qualquer tentação de sê-lo no futuro. O amor tem que prevalecer sempre.
      .
      Parabéns pela iniciativa, querido, siga pensando e levando a boa palavra pros seus leitores. Tenho certeza que Deus cai edificar muitas vidas por seu intermédio.
      .
      Abraço grande, na paz do Mestre,
      mz

  136. Natália disse:

    Durante um ano apenas ouvi musica gospel e apesar de todo o cuidado com as letras, infelizmente alguma heresia sempre escapa… (ouço apenas e tão somente louvor de adoração, mas ainda assim quando menos esperamos caimos em algo que não é exatamente bíblico) mas acabei sentindo falta sobretudo de MPB, amo Chico Buarque e o considero um grande poeta ( amar e muito diferente de idolatrar, por favor!).
    Agora que estou aprendendo que não dá para viver em uma bolha gospel, e me pergunto mesmo… será que seria da vontade do Senhor nos isolar do mundo? (mundo aqui no sentido espaço fisico criado por Ele onde convivem crentes e nao crentes, nao de pecado, que nesse sentido sim e pra nos retirarmos completamente!)

    • Natália, olá,
      .
      quem se isola da sociedade caminha na contramão de Cristo. Jesus saiu da pureza da glória para vir habitar conosco, pecadores. Do mesmo modo, devemos participar da vida social – sem comungar com os valores do mundo. Daniel participou da vida de Babilônia, sem, porém, se contaminar. A graça comum de Deus concede dons a cristãos e não cristãos. Há beleza na música secular que não ofende Deus ou os valores bíblicos.
      .
      Se não pudéssemos consumir o que não cristãos produzem, como usaríamos roupas e sapatos feitos por pessoas não evangélicas? Não usariamos eletrodomésticos made in japan pois, afinal, foram feitos por xintoístas e budistas. E por aí vai.
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

  137. Renan disse:

    Eu estou com uma grande dúvida em minha vida. Sempre escutei diversas músicas evangélicas, principalmente internacionais, como a Hillsong, por exemplo. Porém, quando comecei a me interessar por música e tocar violão há 4 anos descobri que adoro ouvir as músicas de um cantor chamado Jason Mraz. Meu estilo de música favorito é o Reggae, mas também adoro ouvir jazz e blues. As músicas de Jason Mraz se encaixam perfeitamente dentro desses estilos que eu gosto que são estilos que ele consegue trabalhar com um certo “swing” e no campo das músicas evangélicas e não encontrei nenhum cantor ou banda que me satisfizesse musicalmente como ele. Eu toco no grupo de louvor da minha igreja há quase 1 ano e sempre procuro me voltar para as músicas evangélicas. Porém, se por algum momento, em casa, eu sentir vontade de ouvir as músicas de Jason Mraz? Isso estaria errado?
    Eu não escuto as músicas de Jason Mraz exaltando ele, eu apenas escuto porque aprecio elas.
    Meus pais estão querendo que eu pare de ouvi-lo porque dizem que são “músicas do mundo”, mas pelo o que eu li nessa sua matéria, Jason Mraz se encaixa no grupo de cantores de músicas seculares, pois não vai contra a palavra de Deus.
    Gostaria de ouvir sua opinião.

    • Oi, Renan,
      .
      Confesso que não conheço as musicas de Jason Mraz, portanto não posso opinar sobre elas. O conceito que tenho de “música secular/música do mundo” creio que está bem explicado no texto, então creio que cabe a você analisar as letras das canções e verificar se são consistentes com a Bíblia ou não.
      .
      Procurei na internet informações sobre Mraz e vi que ele tem uma vida dedicada a causas altruístas ao mesmo tempo que defende causas LGBT. Cabe a você considerar o peso disso.
      .
      Me preocupa essa questão estar sendo motivo de conflito entre você e seus pais. Como é mandamento honrar pai e mãe acima da Musica que se ouve creio que você deve ponderar o que é mais importante para você.
      .
      Oro a Deus que você encontre paz sobre essa questão, mano. Abraço fraterno, na paz de Cristo,
      mz

  138. Rômulo disse:

    Meus Parabéns!!! pelo post abriu minha mente que Deus continue ti abençoando

  139. Fernando disse:

    Oi irmão parabéns pelo artigo, é o terceiro que eu li de seu blog, já percebi que você gosta de postar artigos cumpridos hahaha. Bem legal, vale a pena ler.

    Na música de seu exemplo que diz: “Quero te ver, quero te ver”, ela deve se referir a Jesus, então não pegaria em nada canta – lá, pois não seria suicida rsrs.

    E na música que diz: “Quero subir ao Monte santo de Sião”. Se quando o compositor escreveu subir ao Monte santo de Sião para se referir metaforicamente a crescer na palavra, aprender e conhecer mais Jesus e ai como ela diz louva-lo pelos seus feitos e ser purificado pela palavra. Nesse caso, também não vejo problemas em cantar.

    Não estou defendendo as músicas, mas analisando como você fez, se acha que estou equivocado comenta o meu comentário kkkkk. Graça e paz irmão !

  140. Jennifer Camila disse:

    beem RADICAL
    PARABENS é disso que os cristãos precisam!!
    Graça e Paz

  141. Rafael Ramos Pianna disse:

    Muito bom o artigo o artigo Mauricio, mais há algumas coisas que discordo, principalmente no que se refere ao alimento consagrado a ídolos, não somos nós filhos do Rei? porque deveríamos nos alimentar com comida consagrada a ídolos? Ainda em Salmos 23 a Palavra nos fala que o Senhor é o meu pastor e nada me faltará. isso significa que não preciso comer algo que não o venha do Senhor. Se assim o fosse até mesmo Daniel poderia consagrar os manjares do rei a Deus e comer deles sem problema algum, mas ele como verdadeiro servo do Deus vivo abriu mão dos manjares do rei, e nem por isso o Senhor o deixou passar necessidade.

    • Olá, Rafael,
      .
      entendo o seu argumento, querido. Só que você não pode pegar o exemplo veterotestamentário de Daniel e se esquecer da nova aliança. O que foi que Deus disse a Pedro quando lhe dá a visão no episódio da visita à casa de Cornélio?
      .
      Sobre o Salmo 23, temos que tomar muito cuidado. Se formos aplicar essa passagem isolada nos tornaremos “onipotentes”, quando na verdade você precisa ver o contexto em que esse salmo foi escrito. Senão a hermenêutica fic falha e, até, perigosa.
      .
      Sobre a comida sacrificada aos ídolos, temos que analisar, no âmbito da música, do que estamos falando. Música secular? Ou música gospel antibiblica? Assisti a um vídeo no YouTube de um cantor chamado Ricky Vallen, que está longe de ser um cristão, cantando um música de Aline Barros. Foi a coisa mais linda do mundo. Dentro dessa ótica esse seria um manjar sacrificado aos ídolos porque o cantor não é cristão? Como estabelecemos essa fronteira?
      .
      Percebe como a coisa não é tão simples, mano?
      .
      Fico feliz por você expressar sua opinião. Deus te abençoe muito,
      mz

  142. Rafael Ramos Pianna disse:

    Sim, sim obrigado pela resposta Mauricio
    Esse é um pensamento meu, preciso seriamente fazer um curso de Teologia, e esse é um assunto muito complexo e tenho muita duvida referente a isso,
    espero poder entender mais sobre o assunto, pois nessa semana me deparei com uma grande questão, fui convidado a tocar algumas músicas populares brasileiras em uma reunião que participarão 14 comandantes dos Exércitos que fazem parte da MINUSTAH no Haiti para mostrar um pouco da cultura brasileira e falei que não poderia devido a minha religião, aprendi que a música é apenas para a adoração a Deus, dai que me veio essa duvida se isto seria certo ou errado, até mesmo para mim poder explicar o porque disto e ter um argumento referente ao assunto, obrigado mais uma vez, Deus abençoe!!!

    • Rafael, olá,
      .
      meu conselho é: toque as músicas. Claro que estou falando em tese, pois não sei se entre elas haverá alguma que fale de Iemanjá ou coisa do gênero, mas se forem letras sem nenhum problema, toque.
      .
      Música é para a glória de Deus, assim como a calça jeans que você usa também é, pois na vida do cristão tudo deve ser para a glória de Deus. Mas se quem fabricou sua calça for umbandista você deixa de usar? Esse é o ponto.
      .
      Deus te abençoe muito, mano,
      mz

  143. [...] Cristão deve ouvir música do mundo? [...]

  144. [...] do mundo x música secular, como já expus em posts como O que é boa música evangélica? e Cristão deve ouvir música do mundo?, mas se você reparar, em nenhum desses textos abordei a questão da unção. Simplesmente porque [...]

  145. Maira bereana disse:

    A Paz, amado Maurício! Ainda bem que você classificou a minha música preferida “Eu sei que vou te amar” como a primeira secular :)
    Hoje, particularmente, minhas preferencias quanto à música sacra, são as acompanhadas ao piano, violino e harpa, não desmerecendo as demais; não gosto de barulho e também não aprecio bateria, pois onde a bateria entra, sempre acompanha um som insuportável…ou quase sempre. Hoje, mesmo, iniciei minha devocional ouvindo o Quarteto Arautos do Rei interpretando Por quê, ó Pai? Fez-me tão bem, Maurício, que já estou preparada para o Santo Sábado. No Eterno Amor do Senhor.

    • Maira, oi,
      .
      exemplos como o seu me fazem crer mais e mais que estilo é gosto e não tem nada a ver com espiritualidade. Se esse tipo de música é o que te agrada louvo a Deus por haver quem o produza para a sua adoração. Pois, desde que o religare seja estabelecido, o propósito foi cumprido.
      .
      A paz do Mestre, mana,
      mz

  146. Maira bereana disse:

    …corrigindo minha frase anterior: estou preparada para o santificado Sábado.

  147. Matheus Gomes disse:

    Mauricio, amei tudo o que você escreveu e me deu um alivio muito grande. Porque eu tenho vivido um grande conflito dentro da minha igreja por isso. Eu gosto de bandas como Bon Jovi, Aerosmith, Tarja Turunen (inclusive amo as músicas delas), Nightwish, Janis Joplin, Beatles,
    Kiss… E tantas outras. Eu sempre gostei de comprar o CD original e ter, mas antes de comprar eu sempre olhei a tradução de cada música, e se ela por acaso, falasse algo contra Deus e seus ensinamentos, eu não compro o CD. As pessoas na minha igreja me julgam muito por isso, desde dizer que é errado até dizer que vou pro inferno. Mas a grande discussão começou quando eu comprei o CD ‘Music From Another Dimension’ da banda Aerosmith. eu olhei todas as letras e nenhuma delas falava algo que você citou acima, e então comprei. Mas quando eu fui escutar o CD uma música que eu estava escutando falou um palavrão, e então eu me assustei na mesma hora porque eu tinha olhado a letra antes. Mas na tradução da música para português não colocaram-na com o palavrão. Eu me senti muito mal por ter comprado o CD e até porque a música em questão é minha preferida do CD, a música se chama ‘Lover Alot’, eu me senti muito mal, a música não diz nada contra Deus, mas xinga, e é somente ela no CD todo. Eu fui me abrir na igreja e disseram pra que QUEBRAR tudo o que eu tinha ou dar para eles quebrarem, e eu não vou fazer isso. Eu ainda to me sentindo mal por causa dessa música, apesar eu gosto muito dela, mas eu gostaria de sua opinião. E obrigado por esclarecer muitas coisas a meu coração. :D

    • Oi, Matheus,
      .
      fico feliz que o texto te trouxe alívio, mano. A verdade liberta, não é?
      .
      Querido, temos que tomar cuidado com o “gostar”. Pois eu gosto de muitas coisas que são pecado. Mas não pratico porque amo ao Senhor mais do que amo o prazer que tal coisa me proporciona. Do mesmo modo, se a música te incomoda mas você gosta, o que pesa mais?.
      .
      Antes de me converter eu era roqueiro, tinha banda e tudo mais. Fui a muitos shows de bandas como Titãs, Barçao Vermelho etc. Minha predileta do Barão era “Nunca existiu pecado”. A música é linda, mas depois que você conhece Cristo, tem como cantá-la? “Epitáfio” idem. E muitas outras. Creio que é isso que você precisa pôr na balança.
      .
      E lembre-se que você foi criado para a glória de Deus. Isso tem que estar em tudo o que você vive.
      .
      Abraço, querido, espero ter ajudado. Na paz do Mestre,
      mz

  148. Maira brasileira disse:

    Maurício, não priorizo a secularidade em minha vida; a música que eu citei fez parte da minha história (afinal, seis décadas de vida não são pouco…rs) Porém, hoje, minha prioridade é louvar e engrandecer o Santo e Bendito Nome do meu Senhor. O que preenche (e edifica) os meus dias, em matéria musical, são cânticos inspirados como “Única Saída” “Eu não me esqueci de ti” Jesus nos falando e “Eu te ajudo” Ele também nos tomando pela mão direita…Basta discernirmos, e concluiremos que, tudo o que vem do Alto nos religa, e nos faz exclamarmos diariamente “Senhor, como não dar valor ao Teu tão grande Amor? ” E nesse Eterno Amor, despeço-me, Maurício, declarando: Jesus, esperança nossa…Única! Desta pecadora: Maira.

  149. Bia disse:

    Gostei muiito do post no seu blog, estava pesquisando sobre aprender a ouvir musícas evangélicas e o seu texto me chamou atenção…me deu alívio em saber que também poderia ouvir músicas seculares… “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. Escutei uma pregação esta semana que a Pastora diz sobre pedirmos a Deus para sermos juizes espirituais a ponto de ouvirmos pacientemente porém selecionar o que é verdadeiro. Foi perfeito com o comentário do seu blog.
    Abraços, Deus te abençoe.

  150. Diego Esteves disse:

    Maurício conheci o seu blog por um acaso e estou profundamente alegre em ver um blog que ao invés de mostrar ”bombas” e fofocas, se preocupa em mostrar uma maneira melhor de vivermos aqui na terra em comunhão uns com os outros e quebrando tabus e heresias deixados à nossa geração por costumes.
    Você conseguiu expressar nesse post de maneira 100% clara o que eu sempre pensei mas nunca tive nem idéia de por onde começar, gostaria se possivel que vc me enviasse um post ou até mesmo um estudo mais detalhado sobre esse assunto tão debatido entre os músicos dentro da igreja.
    Agradeço muito a você e ao seu blog e que você possa tocar e ministrar as pessoas, assim como me ministrou a mim com seus post
    DEUS te abençoe
    Forte abraço !!!

    • Diego, olá,
      .
      Publiquei recentemente um post chamado “Música cristã e a unção de Deus” e outro chamado “O que é boa música evangelica”. Pode ser que te ajudem, ok,
      .
      Abraços, na paz de Cristo,
      mz

  151. manasses viana da silva disse:

    Entao ,eu posso ir com a minha familia prestigiar um show,da anacarolina ou seu jorge ou melhor djavan,luan santana ou revelacao ou ate mesmo u2…Mas neste cantos. Eu posso ir?????? Afinal,o que e ensinado que neste cantos eu nao poderia ir,estaria. Compartilhando do mesmo pecado???? Nao como esta na roda dos escarnecedores?????? E esta a minha maior duvida???? Pois e neste hambientes k posso prestigiar o show…Eu sempre. compartilhei desta linha do seu pensamento,mas. A quando aceitei a jesus ,eles falarao k nao podia mas escutar estas musicas ,pois eles. Falavao d amor,mas nao viviao o amor k falavao,foi esta a questao….quebrei cds raricimos…,DVDS k me derao d presente,pois eles falarao k isso ia trazer maldicao para minha casa……porfavor me responda,tira estas malditas duvdas que ainda sobrao.E porfavor c vc puder responder com base na biblia e nao apenas em raciocinio..

    • Olá, Manassés,
      .
      Veja que há uma boa diferença entre se ouvir uma música e se ir a um show de música.
      .
      Ir a um show é pecado? Não, não é. Mas há alguns pontos que você precisa observar: se algum irmão que não admite que você vá a um show se escandaliza, não vá (Rm 14.14-23). Ou se o ambiente é ruim, com pessoas consumindo drogas ou em atitudes de sexualidade ilícita, não vá (Sl 1). Ou se ir a um show de musicas que você ouvia antes da conversão faz despertar em ti antigas paixões e concupiscências, não vá.
      .
      Sobre os cantores seculares falarem de amor mas não viverem o amor, se você for olhar com honestidade para dentro das nossas próprias igrejas, verá que muitos de nós fazemos exatamente a mesma coisa: cantamos o perdao mas não perdoamos. Cantamos a soberania de Deus mas não o amamos acima de todas as coisas. Cantamos a paz mas criamos contendas. Cantamos o amor pelo próximo mas somos egocêntricos. E por aí vai. Então se fossemos tomar essa razão como parâmetro, ninguém mais cantava nada na igreja, percebe?
      .
      Sobre ter CDs de música secular trazer maldição… mano, há dois mil anos não paira maldição sobre aqueles que estão em Cristo. Gálatas 3:13 diz: “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado em madeiro”. Assim, Jesus se fez maldição na Cruz para que não estivéssemos sujeitos a mais nenhuma maldição. Portanto, se você está em Jesus, é um absurdo bíblico achar que ouvir uma música secular tem mais poder do que o sangue do Cordeiro de Deus. Isso é ignorância bíblica, querido.
      .
      Espero ter respondido tuas duvidas, mano. Que haja paz em teu coração. Oro a Deus para que esses irmaos que impõem jugos desnecessários sobre ti cheguem à maturidade do conhecimento para não impôr a Lei sobre quem está sujeito à graça.
      .
      Abraço carinhoso, no amor de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo,
      mz

  152. Rubens Felipe disse:

    Eu costumo ouvir bastante musicas do grupo owl city. Gosto muito das musicas dele , mas eu gostaria que você desse uma pesquisada melhor nas letras das musica dele para poder me alertar.
    Eu leio todas as musicas que escuto, mas eu não tenho um intendimento muito completo, e gostaria mesmo que você me ajudasse.
    Obrigado e fique com Deus.

  153. silmara disse:

    mauricio, encontrei o seu blog por um acaso, amei a publicação, tenho a mesma visão q a sua sobre a musica secular, o problema não está em ouvir, mas sim em não verificar as letras, mas nunca parei para pensar na questão das musicas tocadas na igreja, tu me ajudou mt para refletir um pouco mais sobre o assunto…

    Q nosso Pai maravilhoso continue te abençoando, um abraço.

  154. Elias disse:

    Nada a ver isso que você fez lá no começo da postagem, esse negócio de dizer que o texto é longo e cansativo.
    Assim você desestimula qualquer um que chegue aqui a partir do Google.

    • Obrigado pelo parecer, Elias, estarei atento a isso.Mas como minha oração a Deus é sempre que leia os textos do blog quem precisa ler, confio na direção do Senhor nesse sentido.
      .
      Abração, na paz de Cristo,
      mz

  155. Rafiska disse:

    Rapaz… quando eu abri o site, que vi o ícone da barra de “rolagem” da página minúsculo..Pensei comigo: “eu varo a noite mas leio tudo!” Estou decepcionada! Pensei que era tudo de matéria, mas na verdade 80% do comprimento da página são comentários do pessoal! =D
    Mas digo, nem foi extenso nem cansativo! Mas muito interessante!
    Acho que o começo dessa matéria foi um começo forte, me interessou desde aí, e foi muito bom poder ler.. Porquê na verdade são pontos muito críticos hoje em dia… E que são muitas vezes colocados em causa, principalmente no meio de músicos cristãos… Houveram coisas que foram surpreendentes e outras que eu não sei se concordo bem… Eu sei que não é uma questão de “concordar” ou não… Mas tipo… Eu não sei explicar bem… Não sei… Como aquela questão do “te tocar”, obviamente não podemos tocar, na forma literal da palavra, no Senhor, nem sequer quando formos arrebatados, e é provável que o autor dessa música soubesse disso… Mas ele poderia estar pensando, por exemplo, em “tocarmos” o Senhor com a nossa adoração, com a nossa entrega…Com o nosso louvor à Ele podemos tocar Nele, e nos sentir abraçados por Ele…É mais fácil nos sentirmos abraçados do que abraçar o Todo Poderoso né… Mas também, eu não sei no que o autor estava pensando exatamente quando escreveu..Portanto…!
    Não sei… Esse tipo de coisa sabe… Mas de resto foi uma matéria muito interessante, os versículos do começo estão de matar mesmo!
    Muito bom!
    Fique na paz do Senhor!

    • Oi, Rafaela, tudo bem?
      .
      Obrigado pelos comentários. Respeito a tua opinião, que bom que pelo menos o post levou você a refletir. Só isso já é dia ganho.
      .
      Abraço pra ti, na paz de alto,
      mz

  156. Victor Filgueiras disse:

    Ótimo texto irmão, não é só porque é o que eu penso, mas porque realmente é baseado na Bíblia. Só não concordei com algumas músicas “gospel” que você considerou mundanas, como por exemplo: “Eu só quero ver Tua face”, tá certo que Deus falou a Moisés que nós humanos não podemos ver a face de Deus porque se não morreríamos, mas no mesmo livro, no capítulo 33 vs 11 o escritor (Moisés) fala que “Deus falava a Moisés face a face, como qualquer fala ao seu amigo”. Então não podemos descartar a vontade de ver a face de Deus, ser amigo de Deus, como Moisés foi.
    Eu creio Maurício, que tem sim musicas “gospel” mundanas, mas boa parte delas são apenas letras cujo o compositor tem uma interpretação da Palavra diferente da sua. Por exemplo, a frase que você citou do cara que está em carreira solo agora: “Quero ter um romance contigo Deus”, não é anti bíblica, pois vamos ver, a Bíblia fala que somos a Noiva de Cristo, que está se preparando para o casamento, nada mais normal da noiva querer um romance com o noivo, concorda? Mas como eu disse, são interpretações diferentes.
    Fique na Paz de Cristo

  157. crionice chichava disse:

    pude aprender muito com o que acabei de ler

  158. Rafael Bernardino disse:

    Interessante! Gostei desse artigo! Só tenho uma questão: se a letra da música é o critério, então apenas a música é considerada mundana e descartada ou o músico é considerado mundano e descartado? Se uma ou duas músicas de um artista é mundana, todas deverão ser evitadas? Se a resposta for sim, então a razão para não ouvir não é apenas preservação própria de uma mensagem anti-bíblica nociva ou simplesmente inútil, mas também uma espécie de boicote. Como uma forma de protesto, visando preservar outros que possam ouvir ou simplesmente querendo lavar as mãos de estar compactuando e financiando aquilo. Na verdade isso me leva a outra questão: qual é o propósito de não ouvir alguma coisa?
    Sobre a primeira questão, uns diriam que uma árvore má não pode dar bons frutos, e outros diriam pra reter o que é bom (e descartar o que não é). O que voce diria?
    Um abraço!

    • Olá, Rafael,
      .
      uma música, se for mundana, deve ser descartada – seja ela evangélica ou secular.
      .
      Um músico, se for mundano, deve ser descartado enquanto aquilo que canta transmite ideologias mundanas – seja ele evangélico ou secular.
      .
      Nem todas as canções de um musico mundano – seja ele evangélico ou secular – devem ser descartadas, só as que forem mundanas.
      .
      O propósito de não se ouvir música mundana é não compactuar com uma filosofia ou ideologia mundana, o que fazemos ao reproduzi-la.
      .
      Não creio que haja boicote. Não ouvem porque lhes ensinaram que não devem ouvir. O fazem de boa vontade espiritual, crendo que assim agradam Deus. Não os condeno, é apenas uma cultura pessoal devido ao meio em que vivem e onde foram discipulados.
      .
      Eu diria que uma árvore má não pode dar bons frutos e que devemos reter o que é bom – pois ambos são ensinamentos bíblicos e, portanto, não posso descartar nenhum deles.
      .
      Espero ter esclarecido. Abraço fraterno, no amor de Cristo,
      mz

  159. Fernando Augusto disse:

    Incrível, um manual para a salvação de nossas almas. Parabéns.

  160. Felipe Castro disse:

    PAZ E GRAÇA DE DEUS EM NOSSO SENHOR E SALVADOR JESUS CRISTO.
    amado, logo mais cedo hoje, uma irmã me fez essa pergunta ” que mal tem ouvir musica do mundo, está certo funk apologia ao crime e desejo sexual blz e as outras?, eu respondi: sua carne vai ficar muito contente em escultar você cantando uma musica que não edifica, por que você não louva SANTO SANTO É O SENHOR isso vai edificar seu Espírito, e ela : a NÃO concordo, e eu disse: que vive na carne não compreende mesmo as coisa que são do Espírito. Que vive em Espírito entende coisas do Espírito, cantar musica que vai deixar você feliz é parecido com uma idolatria pois você venera algo para se alegrar. e eu EXALTO O SOBERANO DEUS, obrigado também por este estudo, que DEUS TE ABENÇOE, agora sei que anjos vem Deus, mais e os Serafins?

  161. Angélica Vieira disse:

    Perfeita a sua explicação!
    Tenho vívido momentos de reflexões sobre isto, sou vocalista de um ministério de louvor!
    E ultimamente tenho analisado cada palavra de cada música que pretendo cantar…
    #Glória a Deus por sua vida, conheci seu blog hoje e ele fará parte das minhas leituras daqui pra frente#

    • Olá, Angélica,
      .
      fico feliz que você se identificou com o texto, minha irmã. Sinto-me honrado com a sua leitura. Espero sempre poder edifica-la.
      .
      Abraço, na paz de Cristo,
      mz

  162. Rafael Bernardino disse:

    Olá novamente,
    o Felipe Castro parece ter uma boa pergunta. Será que a música sobre os anjos não se refere aos serafins de Isaías 6.2? Me parece que sim, pois os seres angelicais nesse texto realmente cobrem as faces.

    • Olá, Rafael,
      .
      querido, em questões bíblicas nao podemos trabalhar no campo das especulações. A letra da música fala “anjos” e nao “serafins”. Qualquer pessoa que nao tenha profundo conhecimento bíblico vai ouvir essa música e acreditar que todos os anjos estão incluídos nessa proposição. E mesmo os serafins seriam questionáveis. Veja que no versículo 6 um deles voa até Isaías. Poderíamos inferir que ele teve de descobrir os olhos para realizar essa ação. E, ao descobrir os olhos, veria a face de Deus. Acreditar que há um grupo de anjos no céu que fica o tempo inteiro com asas na frente dos olhos para nao ver Deus contraria um pouco o bom senso, você nao concorda? Até porque anjos não têm asas, eles são seres espirituais, as asas são simbologias, metáforas, e nao podemos toma-las em sentido literal.
      .
      De qualquer maneira, a letra da música fala sobre “anjos”. Nao especifica de que tipo. E anjos veem a face de Deus. Portanto, a afirmação é antibiblica.
      .
      Abraço e Deus o abençoe muito,
      mz

  163. Pablo disse:

    olá muito interessante eu li o texto todo eu carregava essa duvida por muito tempo e a fim de não querer saber a verdade mesmo sendo cristão e por gostar muito de ouvir musicas nunca procurava saber a verdade sobre se deveria ouvi-las ou não mas me incomodava ao pensar que poderia esta em pecado ouvindo musicas que não fossem para adorar a Deus… concordei com o texto já que sou sempre a favor do esta é escrito nas escrituras e de fato baseado nelas…mas fiquei com uma dúvida em relação ao estilo de musicas q um cristão deveria ou não ouvir.
    em relação ao estilo eu sempre pensei que musicas como rock ou com instrumentos agressivos (como guitarra,bateria) não seria conveniente a um cristão ouvir pois poderia ser influenciado pelo real propósito do rock que acredito influenciar a rebeldia fora esse modo de vestir de preto e cabelos arrepiados e todas essas coisas de rockeiro bem que um Cristão deve se parecer tbm como um cristão ou seja visivelmente… vc não acha que musicas como no estilo de rock poderia causar uma má influencia a um cristão ? rebeldia por exemplo ?

    • Olá, Pablo,
      .
      mano, recorro às palavras de Jesus em Mt 15: “Ouvi e entendei: não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem.” Conheço pessoas que só ouvem música clássica e são extremamente rebeldes. Conheço pessoas que ouvem heavy metal e são totalmente do bem. Será mesmo que um estilo musical tem o poder de mudar o coração de um homem? O que é que o contamina, será que é o que entra por seus ouvidos ou o que habita seu coração?
      .
      Um abraço, mano, no amor e na paz do manso Cordeiro,
      mz

  164. Jose Carlos de Queiroz disse:

    Meu querido, li todo o post e concordo com vc 100%, mas existem algumas barreiras em minha vida deixe me dizer porque…Eu pelo menos que tive uma vida devassa porque antes nao conhecia a graça salvadora de Cristo e ainda estou sendo curado de muitas feridas do passado, tenho uma certa dificuldade nesse aspecto, muitas musicas que ouço, lembra muitas coisas ruins do meu passado obscuro e procuro nao ouvir certas musicas que chamamos ‘seculares’…Como disse li e gostei muito desse seu post eme tirou muitas duvidas a respeito desse assunto…sempre ouço falar por amigos e até mesmo pelo meu proprio pastor que ouvir musica do mundo é pecado e outras coisas mais, mas entendi que isso acaba se tornado mesmo é em pura ignorancia e a busca pela informação correta eles tem a biblia como regra de fé e pratica mas na verdade acabam por fazer com que o religiosismo impere nas igrejas…Como vc disse esse é um assunto complicado e requer muita, mas muita humildade mesmo porque tenho certeza que 99,9% de pessoas que se dizem crentes, evangelicas, cristã nao estao de acordo com o que vc postou, mas eu gostei e quero te dar os parabéns por este maravilhoso comentario meu irmão…fica com Deus e na paz do Senhor Jesus Cristo e que Deus te abençoe….

    • Oi, José,
      .
      fico feliz por ter trazido luz a tua vida, mano. Nao condeno as pessoas de tua igreja, muitas vezes é difícil largar antigas tradições, se viverem em Cristo e seu amor isso torna-se secundário.
      .
      No seu caso, se essas musicas se tornam um empecilho a sua caminhada… nao as ouça. É preciso respeitar cada caso, sem fazer de necessidades individuais uma doutrina universal.
      .
      Abraço, querido, Jesus te abençoe,
      mz

  165. […] Cristão deve ouvir música do mundo? […]

  166. ROBERTO CUNHA disse:

    Que polêmica, em, Mauricio,gostei muito do esclarecimento,assunto excepcional,e muito inteligente,obrigado,eu,tinha muitas duvidas sobre o assunto,tuas palavras foram de sabedoria ok,fui criado em um lar cristão,mim afastei pelo um tempo determinado,conheci o mundão e as cousas que nela ar,entendo que nem todas as musicas são edificantes,mas devemos filtra-las,as musicas da harpa cristão estão ficando arcaicas e desvalorizadas por muito e a defendo são nossas raízes da vida de um cristão,queria que você fisese um comentário sobre o assunto,um grande abraço, sou da paraíba,campina grande,igreja metodista.

    • Ola, Roberto,
      .
      fico feliz que o texto te edificou, mano. Louvo a Deus por isso.
      .
      Ano passado fui à VINACC aí em CG. Dias memoráveis.
      .
      Abraço grande, na paz,
      mz

      • ROBERTO CUNHA disse:

        ok estamos trabalhando todos os anos na vinac .um dos eventos gram doroso,os cristãos em evidencia mostrando as indiferenças pelos nordestinos,muitas descriminações,nós estamos sendo abençoados com este evento, que esta se repercutindo em todos os estados da federação, inclusive,em outros países, espero que volte outras vezes,fico feliz de ter você como um amigo e irmão em cristo,somos um só corpo.gosto muito do teus comentários já imprimi muitos e compartilhei com os meu amigos.Um abraço.

      • Olá, Roberto,
        .
        obrigado pelo carinho, mano. A VINACC é uma benção, um evento maravilhoso.
        .
        Um abraço afetuoso, no amor de Deus,
        mz

  167. Diego de Lucca disse:

    Cara, cai nesse post por acaso. Me parece a coisa mais próxima de definitiva que já li sobre o assunto. Muito obrigado, e glórias a Deus por tua vida!

  168. Maurício eu também li todo o seu post e gostei moito! Mas o q vc tem a dizer sobre o Grupo IRON MAIDEN que já carregam em seu próprio Site o número 666 que é a marca da BESTA? E o q vc diz também sobra a musica THE NUMBER OF THE BEAST?

  169. Beatriz Amaral disse:

    Olá Maurício tudo bem? Já fiz um comentário no seu blog de que achei muito interessante o seu post sobre as músicas da igreja e do mundo mas gostaria que você falasse mais a respeito deste item que foi mencionado no seu último parágrafo…”Certa vez, ao ministrar numa Escola Dominical uma aluna ficou tão ofendida pela verdade que falei de que hinos da Harpa Cristã vinham de bordéis que se levantou e se retirou da sala. Sei que isso mexe com convicções e emoções. Mas não posso jamais fugir do que as Sagradas Escrituras dizem. Não podemos fugir da verdade.” Já cantei hinos da harpa cristã porém fiquei surpresa ao ver o seu comentário de que Hinos da harpa cristã vinham de bordéis, como? Você teria algo ou alguma história relatando isto? Fiquei curiosa pra saber mais a respeito. Abrços, Fica na paz!

    • Oi, Beatriz, tudo bem?
      .
      Querida, isso é histórico e se você pesquisar as origens dos hinos vai descobrir. Eu tenho por norma não dizer quais são, pois pessoas mais escandalizadas poderiam ser prejudicadas em sua devocionalidade quando os tais hinos fossem entoados na igreja. Porém posso te dizer dois exemplos de hinos que são versões de musicas do mundo: o 185 da Harpa Cristão “Vem tu ó rei dos reis” é o hino nacional da Inglaterra com letra cristã. o hino “Os guerreiros de preparam” é o hino nacional das ilhas Fiji com letras cristãs. E o hino “Vencendo vem Jesus’ era originalmente um hino militar, cantado por soldados da guerra civil americana, em homenagem a um colega deles morto em batalha. Chamava-se “John Brown´s Body” (“O cadáver de John Brown”). Creio que isso já é um começo :)
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

      • Beatriz Amaral disse:

        Ok obrigada Maurício, pesquisei mas parece ser um histórico pouco falado, não encontrei muito sobre isto, mas dos outros hinos que você comentou encontrei, interessante! Deus te abençoe tb!! :] abrços

  170. Luukas disse:

    Todas as musicas do mundo que esculto traduzo as letras e presto atenção nas mensagens principalmente as musicas inglesas Tirei minhas duvidas mais ainda tenho umas se poder me responde fico grato , gosto muito de musica eletrônica mais a maioria que esculto e instrumental estou errado em esculta esse tipo de musica mesmo sendo batizado ?
    Gosto também de charlie browb jr o que você acha deles ? são agradáveis ?

    • Lukas, música eletrônica é só música. Se você o ouve num contexto privado, sem ser numa rave em que rolam sexo, drogas e rock roll (rs) nao vejo problema. Quanto ao CB Jr nao sei dizer, pouco conheço, desculpe.
      .
      Abraço, na paz de Deus,
      mz

      • Em minha opinião, a Bíblia e o Mundo são todos duas coisas de Deus. Antes de tudo, quem criou o mundo? Fomos nós? Deus assumiu a figura humana na pessoa do seu filho Jesus Cristo foi para quê? Talvez meu caro quisesse dizer músicas mundanas e não musicas do mundo. Será que se quisermos ouvir músicas temos que trazer um coral de Anjos aqui na terra? Para dizermos que somos cristãos temos que analisarmos que existem muitos chamados de cristão dando uma de bonitão por aí apenas de Bíblia debaixo do braço, mas não vive o que prega. Jesus não se limitou em ensinar apenas com palavras. Mas, deu exemplo concreto dos seus ensinamentos e ordenou que fizéssemos o mesmo. Será que estamos fazendo, ou somente preocupando com aquilo que outros fazem e que consideramos pecaminoso, Não seria melhor se eu e você déssemos o nosso exemplo concreto como Jesus fez antes de ficarmos julgando o que alguém faz ou deixa de fazer.

      • Vicente, meu irmão,
        .
        pelo seu comentário, me parece que você não está famiarizado com o conceito bíblico de “mundo”. Recomendo que você procure estudar sobre o assunto, ok?
        .
        Um abraço, querido, no amor de Deus,
        mz

  171. Luukas disse:

    Tenho mais uma pergunta , trabalho de DJ em festas mundas porem só toco musicas instrumentais eletrônicas e quando tem letra fala sobre o amor e a vida nada negativo traduzir as musicas ..apesar de ter muita bebida nessas festas nunca bebi , nunca sai beijando qualquer uma por que tenho namorada e sou fiel , estou trabalhando de DJ a 2 anos desde que comecei nunca desviei da igreja toda semana vou a igreja , me ajoelho e falo com Deus , mantenho uma boa relação com todos , até agora não me atrapalho com a minha vida com Deus , eles me paga bem e tiro 30% do dinheiro para a igreja , mais as vezes vem aquela pergunta , se estou certou ou não sendo um DJ evangélico que trabalha em festas do mundo , você acha que posso continuar ? ou realmente devo parar ?

    • Oi, Lukas,
      .
      mano, nao sou eu que devo lhe dizer o que fazer. Penso que se você tem duvidas quanto a isso deve procurar o seu pastor e conversar com ele. Há muitas coisas envolvidas, em especial que tipo de situações o seu trabalho gera. Se, por exemplo, as musicas que você põe estimulam a sexualidade de quem esta dançando, você esta participando de algo um pouco complicado para um cristão. Entende? Então procure seu pastor, converse com ele, analise todos os ângulos da questão, ore e você chegara a uma conclusão.
      .
      Abraço, mano, no amor de Deus,
      mz

  172. Barbara Moreira disse:

    Sempre tive dúvidas quanto a letra dessa música …
    O que você acha ? É mundana ?

    http://letras.mus.br/maria-gadu/1795074/

    • Barbara,
      .
      nunca ouvi essa música. Mas pelo que entendi lendo a letra trata-se de um homem triste porque foi deixado pela mulher que ama. Nao consegui enxergar problema.
      .
      Deus te abençoe,
      mz

  173. Barbara Moreira disse:

    Gostaria de saber também sua opinião sobre assistir novelas.

    • Barbara, oi,
      .
      o conceito de assistir a novelas, em si, não tem mal. Mas para assistir às novelas que passam na televisão brasileira tem que gostar muito pouco da Bíblia e da moral cristã.
      .
      Pessoalmente nao entendo como uma mulher de Deus consegue se entreter com aquele horror antibíblico.
      .
      Deus a abençoe muito,
      mz

      • Bárbara Moreira disse:

        Obrigada por me responder, Mauricio. Sou nova convertida e tinha dúvidas quanto assistir novela. Você disse tudo que eu precisava ouvir. :)
        Achei seu blog um tempo atrás, mas como mudei de computador esqueci o link e ele ficava gravado em meus favoritos. Hoje achei por acaso e Deus falou comigo através de cada post que li. rs
        Obrigada por compartilhar um pouco da sua sabedoria.
        Que Deus continue te usando e abençoando ;*

  174. Arcy disse:

    Mauricio, tenho lido seu blog.. apesar de ter sido “criada” na igreja, só há algum tempo a palavra de Deus tem sido luz em minha vida. Por culpa minha, Tive muuitas dificuldades ao ter uma grande tristeza em minha vida, com a traição de meu esposo. Só o Senhor me sustentou, tamanha decepção. Deus tem trabalhado na minha vida em diversas áreas. Encontrei seu blog quando fui pesquisar “Desventurado homem que sou..” devido as falhas que descubro diariamente nos meus pensamentos, como orgulho, arrogância, soberba, e muitas outras. Resolvi só comentar a respeito do texto sobre música do mundo.. comentar minha experiencia..Gosto de ouvir música sertaneja e percebi que me sentia muito triste quando ouvia músicas de declarações de amor, exaltação à amada, etc. Tudo me levava a uma grande tristeza por lembrar o que tinha me acontecido. Chorei várias vezes. Percebi que até as músicas “sertanejas” que falam de amor, que não são antibíblicas, o inimigo pode usar como uma arma pra nos distanciar do Pai, nos levando a autopiedade e tristeza. Devemos vigiar. Após ler seu texto, ficarei mais alerta ainda, pois o diabo é astuto e de forma camuflada, tenta introduzir em nossas vidas, através da músicas aparentemente inocentes, sentimentos que enfraquecem nossa fé. Que o Senhor continue te usando..

  175. Se não vamos ouvir música do mundo, de onde vamos ouvir, do inferno.
    se é no mundo que estamos vivendo, Só que a grosso modo podemos fazer deste nosso mundo o que quisermos. um mundo alegre e feliz, cheio de fé. acreditando no único Deus que nos criou e criou o mundo também, ou então fazer dele um mundo triste, infeliz, pecador, e sem nenhuma esperança e nem fé em Deus. é claro que existem algumas coisas chamadas de música, que Deus me livre, mas existe uma grande parte de músicas de boa qualidade que podemos e devemos ouvir hora que quisermos, se gostar, é claro! desculpe minha critica mas, se você não pode ouuvir músicas do mundo onde você vive, vai ter esperar um pouco para ouvir músicas dos anjos. bons ou maus! vai depender o que fez neste mundo que estamos vivendo.

    • Vicente, olá,
      .
      querido, pelo seu comentário me parece que você nao está familiarizado com o significado bíblico do termo “mundo”, que não é sinônimo de “planeta” ou “universo”. Se tiver interesse, procure essa informação e você compreenderá o post.
      .
      Um abraço,
      mz

  176. Wellington Mance disse:

    e como fazer quando se gosta de um ritmo que não existe entre os cristãos????
    Eu tenho flautas diversas, didgeridoos, kalimbas e etc… curto instrumentos étnicos e “exóticos” como hangdrum, fujara, percussões diversas…gosto de sons que só vejo em bandas hindus ou xamanísticas, por exemplo. O problema não é ser cristão ou não, o problema é que muitos estão fechados em “caixinhas quadradas musicais” (baixo teclado guitarra e bateria). Então fica difícil quando os músicos ditos cristãos não saem do “convencional”.

    Yeshua veio para mudar meu caráter, não meu gosto musical né… Não existe nada de alternativo, porque isso não vende, e é “chato” para a “massa”…

    volto a perguntar:
    e como fazer quando se gosta de um ritmo que não existe entre os cristãos????

    • Oi, Wellington,
      .
      o instrumento ou o estilo musical em si nao configuram nenhum mal. Mas ouvir musicas hindus ou xamaníaticas – que, por definição, são doutrinas de demônios – não nos convém. Repare que, no caso, são musicas religiosas, com função religiosa. Então já fugimos da área do gosto musical e deixam de ser canções “inocentes”. Um cristão ficar ouvindo uma música composta para Sheeva, Brahma ou alguma deidade hindu, por exemplo, está mais na área da abominação. Tome cuidado, ok?
      .
      Gosto muito de heavy metal. Mas, quando me converti, aboli muitas bandas e artistas do gênero da minha playlist, por entender que a filosofia que transmitem por suas canções nao coadunam com minha fé.
      .
      Espero ter ajudado.
      .
      Na paz de Deus,
      mz

      • Wellington Mance disse:

        era só um exemplo… estes instrumentos não existem no meio cristão, é isto é um fato… mas estão em quase todos as outras músicas “religiosas”, tipo xamanísticas ou hindus, também no tai chi chuan e taoismo, no camdomble e no daime, Entende, sera que Lúcifer criou instrumentos???
        Não, definitivamente não.

        e tem outra…
        “Depois disto voltarei, e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído, levantá-lo-ei das suas ruínas e tomarei a edificá-lo”. “Para que o resto dos homens busque o Senhor, e todos os gentios (povos) sobre os quais o meu nome é invocado…” At 15:16 e 17.

        Existiam 4 mil tocadores de instrumentos neste tabernáculo, dos mais variados tipos, estes dias serão dias de adoração à Deus, não mais de músicas comerciais e feitas para “pegar fogo a igreja”, de ditas cristãs e não cristãs… será o homem adorando ao seu Criador com as mais diversas formas artísticas e com toda a criatividade que Ele depositou em nós.

        a proposito, gostei muito do seu post sobre as Artes, tendo em nós um Ajudador, podemos caminhar com seguranças enquanto desfrutamos de Suas maravilhas…

        Abraços….

  177. Genin disse:

    Irmão, parabéns pela coragem de falar sobre um assunto tão polêmico, e com tanta precisão. Só discordei um pouquinho da opinião de John Scott, pelo que imagino ter acontecido no dia de pentecostes, (mas respeito) e acho um milagre ser só isso dentre as várias coisas que você escreveu. Aprendi muita coisa com esse texto. Acredito que você tem o dom de Deus pra ensinar as pessoas. Que o Senhor te Abençoe.

  178. vidal disse:

    Sou muito grato por esta publicação. Pois apartir da mesma ja posso pensar diferente nesse contesto. Que Deus te abensoe

  179. alex disse:

    gostava muito do voz da verdade mas depois que eles começaram a pregar na televisão que musica e musica seja secular ou evangélica, percebi que satanás esta os enganando mesmo, pois tudo que não e de louvor a Deus e de louvor ao diabo, e mais como vou dizer a meus filhos que eles não podem ir a uma festa mundana se eu ouço musica mundana, daqui a pouco, ROBERTO CARLOS , BARÃO VERMELHO, INXS , ZEZE DE CAMAGO E LUCIANO, ZE RAMALHO ESTAO SE APRESENTANDO NAS IGREJAS DELES POIS PODE TUDO , A IGREJA CATOLICA SE PERDEU AI….então meus irmão não CONTAMINEIS COM O MUNDO NEM O QUENO MUNDO HÁ, eu estou vendo muitas igrejas pessoas indo para o brejo por isso aceita tudo mas, JESUS NOS alerta a LUZ NAO COMBINA COM AS TREVAS, não ouçam musicas mundanas os nossos filhos não sabem o que e certo ou errado e depois não tem como impedi -los de ouvir tudo…. obrigado orem muito pois satanás era do louvor….ele vai fazer de tudo para recebe louvor…

  180. luana Rodrigues disse:

    Olá Mauricio, seu texto serviu de ensino para mim. Só gostaria de tirar uma duvida sobre musicas católicas banda como Rosa de Saron, se isso contraria o evangelho ou se estou pecando ao fazer isso

  181. Flávio Cassarotti disse:

    Gente querida, nasci num lar evangélico pentecostal e sei muito bem a pressão que isto exerce sobre todos os crentes. Hoje, com 30 anos percebi o quanto fui infeliz em acreditar que Deus me impunha limites pra ouvir uma boa música. Sou músico e não podia tocar o que queria. Confesso que cantava “Eu sou livre – Fernandinho, mas na verdade estava preso num dogma autoritário.
    Após fazer teologia numa igreja “não pentecostal” minha cabeça abriu, o “véu se rasgou”. Hoje não só posso, mas ouço tudo que quero. Claro que ouço músicas boas, de ótima qualidade e com conteúdo bacana. Onde está Deus nisto tudo? A música vem Dele. “Porque Dele e por Ele, e para Ele, são todas as coisas…” Rm 11:36. E acrescento, Deus quer que nos realizemos e sejamos pessoas boas e amáveis. Somos santos (separados para propagar o Reino de Deus), e jamais exclusivos ou infelizes. Fiquem com Deus, abç

  182. Tudo pode ser avaliado. Deve? Penso que melhor é evitar coisas “duvidosas” ao próprio ver, ofensas a própria consciência. Quanto a questão do que é “antibíblico” muitas das interpretações dos estudiosos religiosos parecem “antibíblicas”. Até dizer que algo é “antibíblico” pode ser “antibíblico”. Melhor dizer: “não concordo com isso, não concordo com aquilo, isso não parece coerente com a Bíblia”. Conhecemos ainda como enigma, não? A Verdade vem do Pai, e não do homem errante. Lembremos dos sábios e de Jó, da forma como foram repreendidos pelo Senhor. Mas impor coisas aos outros é perigoso, pois podemos “aleijar” as pessoas com jugos e fardos inventados por nós. Amigo, sua teologia parece bem limitada como toda a teologia denominacionais ou não. Seus argumentos como o de todos os homens religiosos parecem frouxos. Mas como uma opinião pode valer, pois você também é um amado do nosso Senhor Jesus, o Cristo. Bacana e válida é toda sua exposição. Válida para pensarmos. Observo que nem toda música aparentemente mundana é mundana e nem toda música aparentemente “evangélica” é conforme o evangelho de Cristo. Se uma coisa ofende a um irmão deveríamos nos esforçar para evitar tal coisa, visto que Cristo morreu por ele, assim não será o homem em sua vaidade que vai anular o que Cristo fez na cruz. Aprendamos a negar a nós mesmos. Se comer carne ofende o seu irmão, que você nunca coma carne. Negue seu prazer, neguemos nossas vaidades. Queremos? Seguimos verdadeiramente a Cristo? Ou queremos negociar bênçãos em nosso disfarce de bom samaritano? Conseguiríamos enganar a Deus? Também tenho muitas coisas ainda a aprender com o Senhor Jesus através de vocês ou da forma que o Pai eterno quiser. Devemos ouvir música do mundo? Tudo o que fizermos deveria ser no Senhor Jesus, para honra e glória do Pai, conforme a vontade DELE. Devemos é guardar a Palavra de Deus, orar sem cessar, vigiar em todo o tempo, ser Um com o Pai através do Cristo. Que a nossa sede e fome seja de fazer a vontade do Pai. Que Deus nos ajude e nos livre de todo o mal. Paz.

    • Eduardo,
      .
      que bom que há pessoas como você, de teologia ilimitada e argumentos não frouxos, para ensinar a pobres almas religiosas como eu como pensar.
      .
      Apenas uma observação: da próxima vez que quiser discordar de alguém, evite o ad hominem. Isso é feio. E talvez você seja ouvido com mais atenção.
      .
      Deus o abençoe,
      mz

  183. Leticya disse:

    aquela musia tbm formoso es tem preblema ?? por que ela diz ” Senhor formoso es ,tua face eu quero ver….

  184. muito bom o artigo, queria apenas saber algumas referências bibliográficas sobre as músicas seculares adaptadas, aonde conseguir mais???parabéns, o artigo é muito edificante.

    • Olá, Ednando,
      .
      não saberia explicitar uma obra especifica, pois são informação de conhecimento público. No entanto, você pode buscar websites especializados em informar a origem de hinos tradicionais, já vi alguns na web.
      .
      Abraço pra ti, Deus o abençoe,
      mz

  185. Ingryd disse:

    A paz do Senhor…
    Irmão, o que dizer do estilo de musica FUNK?
    Pegarão uma musica que diz “ao pente”, ou “é o pente”, sei lá o que é… e Fica repetindo isso toda hora, dai um abençoado pegou a musica com o mesmo ritmo e colocou: é o crente, é o crente, é o crente.♫ ‘————-‘ Ah não, não concordo com isso, de boa mesmo.
    Se eu não for ligar para as musicas mundanas, então vou pegar as musicas que eu ouvia antigamente antes de convertida e voltar a ouvir tudo de novo e mudar só a letra. Não me sentiria bem de forma alguma! E iria ficar lembrando da musica mundana… É complicado demais ‘-‘

    • Olá, Ingryd, a paz de Cristo,
      .
      que bom que você concorda que não devemos ouvir música mundana. Ainda bem que há uma grande diferença entre música secular e música mundana.
      .
      Um abraço fraterno, na paz de Deus,
      mz

  186. Mauricio gosto muito dos seus artigos,eu gostaria de ter o meu blog como parceiro seu, há condicao,por favor me de uma resposta.Abraçoa,shalom.

  187. Bruno Marcelo disse:

    Olá Mauricio!
    Achei muito importante e necessário a abordagem deste assunto, concordo com seu ponto de vista. O povo de Deus precisa de um esclarecimento a respeito disso!!!

    Curti d+ o blog

    Abrass.

  188. Daniel Kaleb disse:

    Oficina!! \m/

  189. Kadu Guedes disse:

    olá, gostaria de saber se tem algum problema na letra da musica Walk do Foo Fighters, pois gosto muito dela e de sua traduçao. Tem um cover do Oficina G3 tocando ”My Hero” do Foo Fighters dentro de uma igreja, sera quem algum problema? desde já, parabens e obrigado pelo post.

    Andar (Walk – Foo fighters
    Um milhão de milhas de distância
    O seu sinal na distância
    Para quem possa interessar
    Acho que perdi meu caminho
    Ficando bons em começar de novo
    Toda vez que eu retorno

    Aprendendo a andar novamente
    Eu acredito que eu esperei o tempo suficiente
    Por onde eu começo?
    Aprendendo a falar novamente
    Você não pode ver Eu esperei o tempo suficiente
    Por onde eu começo?

    Você se lembra dos dias
    Que contruimos essas montanhas de papéis
    E sentamos e assistimos elas queimarem
    Acho que encontrei o meu lugar
    Você não pode sentir isso crescendo mais forte
    Pequeno conquistador

    Estou aprendendo a andar de novo
    Acredito que eu esperei o tempo suficiente
    Por onde eu começo?
    Estou aprendendo a falar novamente
    Acredito que eu esperei o tempo suficiente
    Por onde eu começo?

    Agora
    Pela primeira vez
    Você não paga nenhuma mentira
    Liberte-me outra vez

    Você mantem vivo um momento de um tempo
    Mas ainda dentro, um sussurro a um mentiroso
    Se sacrificar, mas sabendo como sobreviver
    O primeiro a chorar um outro estado da mente
    Eu estou de joelhos, estou rezando por um sinal
    Sempre, Sempre
    Eu nunca quero morrer

    Eu nunca quero morrer
    Eu nunca quero morrer
    Eu estou de joelhos
    Nunca quero morrer

    Dançando em minha sepultura
    Correndo através do fogo
    Para sempre, em qualquer altura
    Nunca quero morrer

    Nunca quero deixar
    Nunca diga adeus
    Sempre, sempre
    Sempre, sempre

    Estou aprendendo a andar de novo
    Eu acredito que eu esperei por muito tempo
    Por onde eu começo?
    Estou aprendendo a falar novamente
    Você não vê que eu esperei o tempo suficiente
    Por onde eu começo?

    Estou aprendendo a andar de novo
    Eu acredito que eu esperei por muito tempo
    Estou aprendendo a falar novamente
    Você não vê que eu esperei o tempo suficiente?

    • Oi, Kadu,
      .
      não conheço as músicas citadas. Ao ler a tradução que você postou eu vejo incoerência no desejo dele de nunca morrer. Morreremos, não é?
      .
      Abraço, mano, na paz de Deus,
      mz

  190. Vinicius G. disse:

    Olá Maurício!

    Tenho 15 anos, a aproximadamente 2 meses acompanho seu blog e antes de mais nada queria dizer que você é um homem muito abençoado. Seus textos são muito lúcidos e suas formas de expor ideias são sensacionais! Ainda sou “iniciante” na fé cristã, faz pouco tempo que decidi me comprometer com isso e seus textos tem me ajudado muito. Quando crescer quero ser igual você! hehehehe.

    Mas, relativo ao post, eu adoro música. Quero ser cantor e guitarrista (de músicas gospel), ainda estou “engatinhando” na carreira e ouço músicas de várias bandas, seculares e cristãs. Minha dúvida é quanto a músicas seculares: é lícito ouvir músicas sobre desilusões amorosas, partidas, saudades, protestos, lições de vida, fatos, histórias e acontecimentos (esses tipos de música você não citou no post)? É isso.

    A paz de Cristo!

    • Oi, Vinicius, tudo joia?
      .
      Obrigado pelas palavras carinhosas, você é muito gentil. Fico feliz por poder contribuir com teu crescimento na fé.
      .
      Sobre a tua pergunta, eu te responderia: depende da música. Porque uma música sobre desilusão amorosa, por exemplo, pode ser terrivelmente antibiblica ou absolutamente poética e bonita, sem nada que fira o evangelho. É preciso ter conhecimento e discernimento para analisar a letra de cada canção individualmente à luz da Bíblia. Mas, na dúvida, se você não tem certeza sobre se deve ou não ouvir uma música… não ouça.
      .
      Grande abraço, no amor de Deus,
      mz

  191. Mauricio, achei muita bom o seu blog e essa postagem. A minha grande dúvida é meu gosto por musica pop coreana(k-pop). Já li muitos artigos falando que os vídeos do cantores são satânicos ou illuminatis e blablabla…Alguns são bem sinistros,exemplo; essa semana uma banda chamada VIXX lançou uma musica que se chama ‘Vodoo Doll’, me recusei a ver o vídeo e nem ouvi a música.Bem,sobre os vídeos,na maioria das vezes o cantores coreanos não escolhem suas roupas,o que cantam,a ideia dos vídeos, são apenas interpretes(ou melhor, escravos da industria). Algumas bandas como 2ne1,BigBang,Shinee,B.A.P e principalmente EXO já me deixaram na duvida. Também gosto de uma banda japonesa que se chama ABK48,elas são bem conhecidas,ugh,por que elas praticamente vendem seus corpos(procurar fotos delas no google é a mesma coisa que procurar pornografia asiatica), mas a maioria de sua musicas são muito positivas, tão positivas que dá até nojinho de ouvir. Eu queria um pouco da sua opinião sobre alguns desses artistas.
    Beijos

    • Oi, Carolaine, tudo bem?
      .
      Mana, essa eu vou ficar te devendo, pois não conheço absolutamente nada desse estilo musical. Confesso que nem sabia que existia. Por isso, não tenho como dar um parecer responsável sobre isso. Perdoe-me, sim?
      .
      Abraço pra ti, no amor de Deus,
      mz

  192. Vinicius G. disse:

    Olá Maurício!

    Novamente estou aqui tomando seu tempo, hehe, mas possuo mais algumas dúvidas sobre o assunto música. Há uma música do Oficina G3, Eu Sou, em que a letra está em primeira pessoa. Me parece uma letra totalmente bíblica, mas em 1ª pessoa… Isso é legal? Aqui a letra:

    Muitos querem Me encontrar
    Mas não sabem onde ir
    Outros querem Me escutar
    Mas não param pra Me ouvir

    Eu Sou o principio e o fim
    Não há outro igual a Mim
    Todo poder está em Minhas mãos

    Muitos dizem Me conhecer
    Mas Me conhecem só de ouvir
    Outros tentam Me explicar
    Negar tudo o que Eu fiz

    Eu Sou o principio e o fim
    Não há outro igual a Mim
    Todo poder está em Minhas mãos

    Quem buscar Me encontrará
    Quem pedir receberá
    Quem invocar Eu vou ouvir
    Eu sou o Eu Sou

    Eu sou o Eu Sou
    Minha Palavra não tem fim
    Tudo está em Minhas mãos
    Não há impossíveis para Mim

    Quem buscar Me encontrará
    Quem pedir receberá
    Quem invocar Eu vou ouvir
    Eu sou o Eu Sou

    E essa não deve ser a única, deve haver várias outras músicas cristãs em primeira pessoa. A outra dúvida é sobre pirataria. Todas as músicas que tenho no computador são pirateadas. CDs são caros, há necessidades mais prioritárias que isso. O que você tem a dizer sobre o assunto? Pirataria é lícita? Merece atenção ou é um assunto que não merece muita discussão?

    A paz de Cristo!

    • Oi, Vinicius,
      .
      a música é biblica e não tem problema. Não é um louvor, mas sim uma canção evangelistica.
      .
      Pirataria não tem discussão, mano, é crime. Logo, pecado. Ter um produto pirata é como entrar em uma loja e roubar um CD sem pagar. Livre-se deles e passe a adquirir licitamente, ou sejam pagando.
      .
      Abraço carinhoso, na paz de Deus,
      mz

  193. Luccas Chaves disse:

    Olá, gostei muito do seu artigo.. Há muito tempo já tinha essa duvida na minha cabeça sobre ouvir ou não musica secular? Porém dês de que conheci a “Banda Catedral” não consigo parar de ouvir mais e as vezes me encontrava pensando se era pecado ou não ouvir eles, pelo fato de suas letras serem românticas, serem algumas em formas de declarações de amor entre um casal apaixonado, etc… Porém ao mesmo tempo que suas letras são assim, também tem aquela letra exclusivamente para Deus como, Chame a Deus, Com Toda Força do Amor entre outras, mas hoje percebo que não estou fazendo nada demais!
    Peço que me diga se há algo de errado com a Banda Catedral (Kim), claro se você conhece eles.
    Que Deus siga te abençoando e te de cada dia mais sabedoria para expor mais e mais artigos como esse!
    Você tem alguma PAG no facebook? Se tiver gostaria de saber qual , para segui-lo.

    • Oi, Luccas,
      .
      obrigado pelas palavras gentis, mano. Sobre o Catedral, nada contra. Dão irmãos em Cristo que faziam música cristã e optaram por seguir a linha secular. Ouça sem medo.
      .
      Deus te abençoe,
      mz

  194. Rafaela disse:

    ah, eu comecei a ter algumas dúvidas em relação ao que eu posso ouvir. Antigamente, quando eu comecei a ouvir música, com uns 13 anos, ouvia pop. Era a música de mais fácil acesso, e logo me viciei, como qualquer música, e ainda ouvia sem culpa, sem nem ligar se elas falavam de luxúria, vaidade, adultério, etc. Enfim, depois de uns dois anos ouvindo essas músicas eu comecei a ouvir rock. E rock que não era cristão. Mas sempre fugi das letras que, descaradamente, falavam coisas contra Deus. Mas ouvia aquelas que tinham letras razoáveis, normais… O Espírito Santo não costumava me alertar em relação ás músicas pop que eu ouvia, e gostava, até porque só algumas falavam coisas extremamente erradas, e nessas erradas sim Ele me dava um alerta. Já no rock Ele me alertava claramente todas as vezes. Qualquer banda de rock/metal, e estranho é que algumas delas até tinham letras invocando á Deus, falando como se tivessem fé, e estivessem pedindo ajuda de Deus. Mesmo as “do mundo”. Até hoje eu tento me livrar do rock, e ainda das suas más influências. Só que mesmo sem ouvir rock me sinto muito mal, porque não posso ouvir o que quero, apesar de muitas músicas não dizerem nada contra Deus diretamente, apesar de as letras geralmente serem sobre tristeza, e algumas até amor. Não entendia muito bem porque deveria parar com algo que, no fim das contas, me ajudava a me manter bem, e consequentemente a me manter firme. Logo que eu descobri as consequências das músicas pop na minha vida, e pesquisar sobre Deus x rock incessantemente, comecei a ver que o rock/metal tem sim consequências sobre minha vida cristã. Porém ainda sim fico dividida, pois ouço bandas pagãs, mas só as letras que não falam coisas contra Deus. Ouço algumas que citam certos pecados, porém não para focar neles, mas sim porque eles fizeram parte da história que a música conta, e principalmente me concentro em ouvir músicas com letras realmente relevantes: que falam sobre amor, esperança, e algumas até invocando a Deus, pedindo-Lhe perdão. Sei que os cantores dessas músicas não têm essa fé, são pagãos, e podem estar sim sendo irônicos em suas canções, mas a minha intenção ao ouvi-las não é essa, é realmente estar na letra da música (da letra boa, ou apenas contando coisas). Se essas letras me entendem, fazem eu me sentir melhor, e me passam MENSAGENS boas, apesar de ser rock (com algumas raízes demoníacas), e serem de bandas extremamente pagãs (os membros serem pagãos, como qualquer artista de qualquer estilo musical hoje é), não sei porque ainda o Espírito prefere me manter longe. Ou sou eu que só acho que é melhor eu me manter longe? Hoje tentei ouvir oficina g3, para tentar um rock totalmente cristão, e mesmo assim o Espírito parece preferir me manter afastada do rock de vez. Queria tanto entender exatamente cada pecado quando ele é cometido por mim, em cada música, estilo musical, ou artista… Porque estou frequentemente vendo as consequências dos meus pecados, que quando os cometi não sabia nem que eram pecados. Sei que o Espírito tem suas razões corretíssimas, e, por causa de Deus, com o único intuito de fazer o bem para mim (que é me manter longe de coisas que são pecaminosas), mas a cada lugar que eu leio sobre isso, para cada pessoa que eu converso sobre isso, tem uma opinião: alguns são radicais, outros não tanto, e tudo faz sentido, e todos usam passagens bíblicas. Se eu entendesse completamente onde estou pecando naquilo que eu estou ouvindo eu poderia me decidir largar ou não, cada coisa. Até chegar lá irei continuar pesquisando, e pedindo para Deus, por meio do precioso Espírito, me dar essa luz. Eu queria não me sentir mal por ouvir rock/metal, mas qualquer tipo deles me condenam um pouco. Até mesmo quando vejo/leio/ouço que está tudo completamente bem, e aceitável. Na minha igreja mesmo tem banda de rock e metal cristão, e eles fazem bastante o uso de guitarras e solos.

  195. Jéssica Lima disse:

    Olá Maurício , Paz !
    Bem , gostei muito do seu texto por ser muito esclarecedor , sou estudante de Música ,trabalho com Música , toco clarineta em uma Banda de Concerto , e bem , de uns anos pra cá não ouço música mundanas ,procuro evitá-las, me conscientizei que devo me separar .Eu ouvia muito rock , pop , músicas internacionais , mesmo sabendo das letras e outras eu nem sabia , porem isso não atrapalhava meu relacionamento com Deus , mas parei pra pensar se posso e consigo me separar o porque não fazer isso ?! enfim , hoje só escuto músicas evangélicas , mas depois de tudo o que você disse sobre elas , prestarei também mais atenção nelas também . Eu escuto muito música clássica por causa do meu instrumento e popular brasileira também, ultimamente Deus tem colocado no meu coração essa preocupação de tomar cuidado com o que eu ouço e toco , eu vejo a Música como um presente de Deus nas nossas vidas e devemos faze-la com excelência, por tocar numa Banda e ser meu trabalho , tocamos diversas músicas e sempre ando preocupada , peço sempre a Deus pra me perdoar se eu tocar algo que não agrade a ele , e que aquilo são apenas notas , e que minha adoração e louvor e sempre pra ele e que o som, independente de melodia , que é meu folego de vida que foi dado por ele será sempre um louvor a Ele , porque até na música clássica existem algumas peças com temas obscuros, então se deve tomar cuidado, ficar sempre em espírito de oração , para que isso não se torne uma brecha para o inimigo.
    Paz irmão . e Boa Noite !

  196. Jaqueline disse:

    Paz do Senhor. Ja curti muito musicas mundanas, como funks q induz a sexualidade entre outros e Deus me libertou, Mas ainda ouço alguns pagodes e gosto muito d sertanejo como Jorge e Matheus e Zeze de Camargo e Luciano , mas ultimamente nao estou me sentindo muito bem ouvindo pagode, devido meu tio ter falado q o som do pagode e o mesmo som que toca nos centros espiritas. Qual sua opiniao? E outra pergunta musicas do Jorge e Matheus fala na maioria das vzes d amor d homem e mulher, mas falando excessivamente pod se tornar uma idolatria? E qto ir a shows que toquem musicas seculares que nao va contrar a biblia, posso ir mesmo sabendo que la tera bebidas alcoolicas e que possa acabar tocando alguma musica mundana, mesmo que eu nao curta essa musica ou mesmo que eu nao beb, isso desagrada a Deus? E musicas que fale d amor mas que fale q a pessoa amada nao corresponde e so te usa, pode ouvi?

    • Jaquiline, oi,
      .
      querida, se você não se sente bem ouvindo pagode, não ouça.
      .
      Idolatria é quando algo toma o lugar de Deus. Gostar de cantores não significa idolatrá-los. Se a música de algum modo de afasta de Deus, aí sim é melhore você se afastar da música.
      .
      Sobre ir a shows de músicas seculares, é muito relativo. Se te incomoda, não vá. Analise as letras das músicas. Analise como teu coração fica durante o show. Analise em que você pensa durante o show. Analise se você ir ao show causa escândalo na tua igreja. E você mesma poderá responder.
      .
      Sobre “pode” ou “não pode” algo, faça sempre as seguintes perguntas a si mesma: isso me faz mais parecida com Cristo ou menos? Isso te aproxima de Deus ou afasta? Se a resposta for positiva, pode. Se negativa, não pode.
      .
      Deus te abençoe muito,
      mz

  197. Adriana disse:

    Oi. Me tira uma dúvida. Se um músico consagrar sua música ao demônio, ainda que essa música em sua letra não tenha nada antibíblico, podemos escutar? Sei que você pode perguntar: como vou saber se foi consagrada ou não ? Rs Mas é que vejo muito simbolismo maçônico / illuminati nos clipes de músicas que não são antibíblicas … Esses símbolos podem confirmar isso? Eu estava passando os comentários e vi um comentário seu citando esse versículo: ”Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte?”… Mas o que dizer de cantores que cantam músicas antibíblicas e também músicas que não ferem os princípios da mesma?

    • Oi, Adriana,
      .
      sua pergunta leva a outra pergunta. O Japão é um país majoritariamente xintoísta. Devemos, por isso, deixar de comprar aparelhos da Sony, automóveis da Honda e todos os aparatos tecnológicos que vêm do Japão? Poderíamos ir além: na China o cristianismo é perseguido e há de budistas a ateístas. Quase todos os brinquedos vendidos no Brasil atualmente são “Made um China”. Aliás, a maioria das Bíblias vendidas atualmente no nosso pais são impressas em gráficas na China, bem como muitos dos livros evangélicos. O que fazemos, deixamos de dar brinquedos aos nossos filhos e de ler a Bíblia e obras de escritores como Max Lucafo por terem sido fabricados por pessoas que seguem doutrinas de demônios? Minha filha ganhou uma boneca de aniversario fabricada na Indonésia, que é o maior pais islâmico do mundo. O que devo fazer, jogá-la fora?
      .
      A verdade, mana, é que você come alimentos plantados por macumbeiros, veste roupas fabricadas por católicos, compra dezenas de produtos no dia a dia feitos por espíritas. E aí, que fazer?
      .
      Não temos como viver numa “bolha gospel”. Não somos do mundo, mas estamos no mundo, como Jesus lembrou. Então tudo o que é santificado mediante a oração é puro para consumo. O único porém que a Bíblia estabelece é quanto ao escândalo, ou seja, se aquilo que você pratica escandaliza o irmão. Fora isso, você pode pegar a galinha de um despacho, santificá-la mediante a oração e comer num belo assado e nenhum mal lhe ocorrerá, porque maior é o Senhor.
      .
      Quanto aos símbolos maçônicos, eles estão presentes em muito mais lugares do que você imagina. Já fui a igrejas evangélicas, por exemplo, que eram cheios de símbolos da maçonaria.
      .
      Entendo biblicamente que a questão é: você se sente mal ouvindo musicas dos artistas A ou B? Não ouça. Mas não se torne acusador de quem ouve.
      .
      Quanto a sua pergunta “Mas o que dizer de cantores que cantam músicas antibíblicas e também músicas que não ferem os princípios da mesma?”, eu te perguntaria “e se os tais cantores forem evangélicos?”. Porque o que mais ouvimos por aí são cantores e grupos gospel que cantam algumas musicas bíblicas e outras que de Bíblia não têm nada. Entendo, mana, que o principio é o mesmo.
      .
      Desfrutemos do que é bom. Ignoremos o que é mau. E aproveitemos do que Deus fez de belo.
      .
      Na paz de Cristo, nosso Senhor,
      mz

  198. andrea disse:

    Oi, tudo bem? Queria que você me ajudasse… Quando ouvia música secular minha consciência pesava, e aí parava de escutar. Aí descobri esse texto e minha mente se abriu e eu passei a filtrar o que escuto. Algumas vezes continuei a me sentir mal por isso, e voltava aqui pra ler novamente seu texto e a consciência pesada passava. Nisso já li mais de 5 vezes rss Enfim … como saber se minha consciência pesa por causa do Espírito Santo ou se é porque cresci ouvindo que é proibido ouvir música secular? Será minha própria consciência ou o ES?

    • Olá, Andrea,
      .
      depende. Primeiro você tem que ver que música secular anda ouvindo. Se está escutando musicas que em nada ferem a santidade de Deus não há por que o ES incomodar você. Mas se está escutando musicas que pregam valores contrários aos do evangelho pode sim ser Deus incomodando. Como escrevi no post, depende da música.
      .
      É de se esperar que depois de 25 anos achando que isso é pecado você não se sinta imediatamente à vontade. Pode ser simplesmente força do hábito.
      .
      Como escrevi, mana, o fato de uma música não falar de Deus ou não ser composta/interpretada por alguém que se diz cristão não faz dela algo maldito. É o que na teologia chamamos de “graça comum”: do mesmo modo que Deus ilumina um não cristão para criar remédios, para escrever bons livros, para fabricar roupas novas, pode muito bem usar não cristãos para escrever musicas que fazem bem à alma sem que façam referência direta a Deus.
      .
      Tenha discernimento e critério para julgar o que ouve e desfrute da arte que o Senhor concedeu ao homem.
      .
      Deus a abençoe muito,
      mz

  199. Felipe disse:

    Qual sua opinião a respeito de artistas cristãos ingressarem em gravadoras seculares?
    Se pudesse, gostaria que lesse esse texto: http://nossabrasilidade.com.br/interpretando-o-movimento-gospel/
    E me desse sua opinião, principalmente sobre o último parágrafo.
    Abraço

    • Olá, Felipe,
      .
      um corredor de fórmula 1 cristão pode pilotar um carro de uma escuderia secular. Um cozinheiro cristão pode trabalhar num restaurante secular. Um jogador de futebol cristão pode jogar num time secular. Um jornalista cristão pode trabalhar num jornal secular. Um professor cristão pode ensinar numa escola secular.
      .
      Diante disso, por que um artista cristão não poderia trabalhar numa gravadora secular?
      .
      Sobre o artigo, é a opinião do Marcos e a respeito.
      .
      Um abraço fraterno pra ti, na graça do Senhor,
      mz

      • Ricardo disse:

        Boa Tarde,Paz do Senhor Jesus. Maurício quero te parabenizar e te agradecer por esse post maravilho. Estava lendo-o e senti muito a presença de Deus em seu texto.Que Deus continue te abençoando e te dando muita sabedoria, para que continue escrevendo.Sou líder de um grupo adolescente em minha igreja, e estamos justamente fazendo um estudo sobre esse tema : musicas na igreja e no mundo.Gostei demais dos seus comentário e confesso vou usar alguns trechos, se voce permitir é claro. Irmão fica na paz do nosso Senhor Jesus.

      • Oi, Ricardo,
        .
        obrigado pelas palavras carinhosas. Claro que pode usar o texto, que ele abençoe muitas vidas!
        .
        Grande abraço, na paz do Mestre,
        mz

  200. Maike Moura disse:

    Li os posts e concordo plenamente com voce, pois como diz um dos 10 mandamentos do senhor, Não terás outros deuses diante de mim. Amém.

  201. Helio Tomaz de Andrade disse:

    Graça e paz do senhor Jesus irmão Mauricio Zágari.Sou novo convertido,estou caminhado pra segunda leitura de toda a bíblia.Segunda de muitas que viram em nome de jesus.
    Eu comecei minha vida como pagodeiro aos 9 anos de idade.Aos 13 ja era traficante,mais alguns anos passei a ser receptador,mais um pouco e comecei atrepar carro mandava roubar carro e montar em cima de outro batido etc.Mas a 1 ano e meio atras me converti.Deus disse que ia me ensinar para que eu não aprendesse errado com o que as pessoas andam ensinando por ai,eu estava cego espiritualmente, chorando disse! beleza.Mas em fim eu estou de boca aberta aqui pois neste pouco tempo de conversão tudo que você falo eu tenho visto acontecer dentro e fora da igreja,pessoas se assentando na mesa de Jezabel,trocando a vida com Cristo por um prato de lentilha e por ai vai.Cheguei ate querer continuar a vida com musica,inclusive eu comecei a examinar musicas que não falavam de santos,musicas que não levassem as pessoas a pecar sofrer suicidar terminar relacionamento e por ai vai,mas cantar pro mundo temos que cantar o que eles gostam pra dar mídia, pois pagam bem, como seria impossível deixar de atender pedidos resolvi deixar pra la.devido a falta de compromisso do povo de Deus e a ganancia quase deixei tudo pra la.Mais sabe meu irmão eu vi que com Deus não tem a dubiedade quando você diz que tudo que for contra a palavra é mundano me fez refletir em Tiago 4:4 que diz.
    Adúlteros, vocês não sabem que a amizade com o mundo é inimizade com Deus? Quem quer ser amigo do mundo faz-se inimigo de Deus.E também em Apocalipse 3:16 Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca. Confirmou uma oração que fiz a Deus dizendo ,pai então vou cantar só hinos da harpa cristã pois ouvindo percebi que são hinos de conversão,mas mesmo assim fiquei tentando entender por que não poder adorar com outro ritmo de pagode e tal,mas graças a Deus você foi iluminado por Deus por ter vivido as “mesma coisas” e ter elaborado de uma forma pra mim mirabolante e me fazer ter tranquilidade e saber que a diferença não esta no ritmo nem no cantor mais sim na mensagem e como a pessoa esta levando a vida como cristão, qual e o foco da musica, enriquecer ou ganhar almas?Sabe meu irmão eu tenho um desejo enorme de ver pessoas se convertendo dos maus caminhos através do louvor juntamente com ministração da palavra,pessoas serem renovadas batizadas restauradas e por ai vai,mas não pela emoção de uma boa melodia ou uma linda letra mais pelo poder de Deus saindo da boca de um simples instrumento, um servo fiel, um remador de cristo em fim estou num proposito com Deus de levar a palavra através do louvor e sem remuneração ou seja sem exigir cache adorar por amor e trabalhar pra manter minha casa.Falei isso tudo pra pedir que você ore por mim pois isso tem feito pessoas dentro da igreja se levantarem contra mim,estou imaginando na ora que Deus colocar em lugares mais altos se não tiver na direção de Deus vai ser mais difícil perseverar.Quero estar sempre lendo suas postagens valeu graça e paz do senhor Jesus.

    • Olá, Helio,
      .
      louvo a Deus pelo que fez na tua vida e peço a Ele que siga mantendo você no único e estreito caminho que leva ao céu.
      .
      E pode deixar, você já está em minhas orações.
      .
      Um abraço carinhoso, que o Senhor te fortaleça e te dê paz,
      mz

  202. Douglas Miranda disse:

    Boa noite Mauricio, fiquei feliz no que li, sou convertido há 12 anos tenho 32, e antes de me converter e até depois quando desviei por volta de 1 ano afastado, toquei muitas musicas do Mundo, inclusive algumas citadas acima. Quando voltei para Igreja com o pensamento firme naquilo que queria para minha vida, decidi cortar tudo aquilo que antes pensava ´´Nada a ver“!
    Eu tenho pra mim que musica do mundo é tudo aquilo que não foi feito para Deus, mesmo que fale de amor, ou de cidades belas! há cantores com musicas muito boas mas seu estilo de vida e suas declarações influência que gosta deles ´´Isso acontece muito no mundo do Rock“ ou seja cortei todas da minha vida e escuto somente aquilo que eu entendo que edifica e louva ao Senhor. Preferi fazer desta forma, e percebi um grande avanço no meu crescimento e discernimento espiritual.
    Desde então falo para todos de minha igreja que não ouçam, mas eles muitas vezes me ignoram, e são adeptos da doutrina ´´Não tem nada a ver“.
    Achei muito coerente o que você colocou e acredito que mesmo por algumas pequenas coisas e divergência de muitos, estamos no caminho do Senhor, procurando conhecimento, creio que isso já faz uma grande diferença.
    Gostaria de pedir autorização para poder copiar essa reflexão e é claro darei todos os créditos onde publicar e o link também.
    Irmão fica com Deus e continue seu trabalho.

    • Olá, Douglas,
      .
      creio que o respeito pela convicção alheia é fundamental, por isso você conta com meu total respeito pela sua decisão. Se o incomoda ouvir musicas que não tenham temática bíblica, faz bem em não ouvir.
      .
      Tem toda autorização, mano, que o texto venha a edificar vidas.
      .
      Abraço fraterno, no amor de Deus,
      mz

  203. […] Oii Pessoal , hoje vim tirar a dúvida de muitas pessoas. Esse estudo é muito bom e o encontrei em um blog. se quiserem dar  uma passadinha lá , aqui deixo o link : http://apenas1.wordpress.com/2011/09/26/cristao-deve-ouvir-musica-do-mundo/ […]

  204. Anttony disse:

    Maurício, eu tenho uma dúvida sobre música (na verdade, que pode se ligar a ela) que pode ser, possivelmente, ingenuidade minha; mas acho que não há problema em perguntar-te. Soube recentemente que escutar música faz-nos produzir (ou liberar) dopamina/endorfina (não sei exatamente qual das duas ou se são as duas), ou seja, basicamente nos causa prazer. Daí procurei saber sobre o que nos causa a dopamina/endorfina e quais coisas nos fazem produzi-las (ou liberá-las). Gerou-me certa(s) dúvida(s) e tal. Enfim, talvez por certa insegurança, eu não saiba me responder com certeza. Então, eu te pergunto: é pecado sentir prazer? Não estou falando de “prazer” no sentido mais habitualmente usado, embora ele também esteja nesse contexto, estou querendo saber de prazer mesmo, do seu verdadeiro significado. Na verdade, quero mais sabê-lo em relação a música. Porque se é pecado sentir prazer, logo seria pecado ouvir música (que gosta). Sei que na Bíblia têm músicas, como os Salmos e até mesmo diz que Jesus cantou quando estava triste, tem Davi que também se relaciona com as músicas, mas não diz que eles gostavam de cantar, tocar e/ou ouvi-las, eram para a adoração. Ou seja, eles não sentiam, necessariamente, prazer em tocar as músicas e/ou ouvir as músicas, mas o faziam para agradar a Deus. Talvez sentissem prazer, não sei. Bem, espero que me possas tirar essas dúvidas.
    Se for possível, mostra-me nas Escrituras o porquê se for sim ou o porquê se for não. Eu meio que não tenho certeza. Enfim, espero que me respondas. Iria ajudar muito. Gostei do teu texto. Fica com Deus. =)

    • Oi, Anttony,
      .
      mano, absolutamente não há pecado algum em sentir prazer. Chega a ser difícil indicar uma passagem bíblica, porque a Bíblia inteira é uma prova disso, de Gn a Ap. Se formos pegar apenas uma passagem, veja o fruto do Espírito de Gl 5.22-23. Entre eles estão virtudes intrinsecamente ligadas ao prazer, como amor, alegria, paz, amabilidade e bondade.
      .
      Não sei quem poderia defender uma ideia tão esdrúxula como essa, mas não faz o menor sentido bíblico. Deleita-te das coisas boas que Deus criou, assim como Salomão demonstra tão bem em Cantares. O prazer dos filhos dá prazer ao Pai.
      .
      Abraço, na paz de Deus,
      mz

      • Anttony disse:

        Muito obrigado mesmo pela resposta. Mas, não sei se por causa do momento, acho que estou, mais uma vez, com certa insegurança. Acho que apoio a ideia de que podemos escutar músicas seculares, porém nos atentando a letra e mensagem das tais. Mas, tenho certo “receio” de que só apoio por ser, para mim, mais agradável (digamos assim). Só que, mais uma vez, ouvi outra opinião sobre o tema. Enfim, talvez eu esteja abusando da sua boa vontade, mas se me puder fazer um favor, seria ótimo pra mim. Ouvi um vídeo, cujo link é este: http://www.youtube.com/watch?v=4qyS-S9o9l8. E ele tem mais cinco partes. Ele diz o porquê de não escutar música secular. Então, será que seria pedir demais pra você dar uma olhada neste vídeo e, se possível, nos outros cinco? Entendo se não o quiser; os vídeos são, relativamente, longos. Mas, se não: você poderia me deixar, pelo menos, mais claro ou mais explicado de que é tranquilo eu poder escutar músicas seculares? Bem, agradeço de novo pela sua resposta ao meu comentário anterior e agradeço também pelo seu texto publicado. Obrigado, também, pela atenção. Que Deus esteja com você sempre. =)

      • Anttony,
        .
        ouvi o discurso do cavalheiro dos vídeos. Os argumentos dele são bem antigos e cheios de non sequitur. Tudo o que ele fala se refere a música secular mundana e música religiosa mundana. Por exemplo, um ritmo deixar você mais calmo ou mais agitado é algo óbvio, ninguém escuta heavy metal para relaxar. Isso não é nenhuma grande descoberta. A argumentação do colega tem buracos pueris, como dizer que “louvor é mais agitado e adoração é mais lento”, o que demonstra até mesmo falta de compreensão do que significa louvor e adoração. Erros básicos. Critica Frank Zappa e nem sabe se ele é jovem ou não, como ele mesmo diz, o que mostra que aglutinou um monte de frases de filósofos, artistas e outras pessoas e as leu sem maior conhecimento sobre os tais.
        .
        Haveria muito mais o que dizer, mas penso ser desnecessário.
        .
        Anttony, creio que está bem explicado no meu post os argumentos sobre ser tranquilo ouvir música secular ou não. Não tem como ir além daquilo, a explicação está ali. Mas se isso é algo que te preocupa tanto, minha recomendação é que não ouça. Seria triste, porque estaria perdendo muito daquilo que a graça comum de Deus delegou a pessoas cristãs e não cristãs no que se refere a talento musical e poético. Mas se te tira a paz, não ouça. Melhor isso que ser atormentado pela dúvida. Pois, se você amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo; exercer o perdão; ajudar órfãos e viúvas em suas tribulações; preferir os outros em honra, for manso e humilde de coração e praticar outras virtudes cristãs… o tipo de música que você ouvir será o que menos importa.
        .
        Um abraço, Deus o abençoe,
        mz

  205. […] Cristão deve ouvir música do mundo? […]

  206. Marcella disse:

    Boa noite! muito bom seu post serve para abrir os olhos de muitos cristãos que estão abitolados ai, olha sempre vejo por ai: cristão não deve ouvir musica do mundo porque só fala de prostituição, drogas, crime então quer dizer que nenhuma musica do mundo presta? ah faça me um favor né, tantas musicas boas de se ouvir principalmente as antigas como Milton nascimento, que tem tantas musicas bonitas agora falar que todas as musicas do mundo são do diabo, são do mal é ignorância né, agora vendo seu post fica bem claro agente só deve ter discernimento do que estamos ouvindo. Um dia eu li na net sobre musica mundana dizendo que todas as musicas do mundo nos afastam de Deus, o que você acha disso Maurício? gostaria de saber sua opinião.
    Abraço!

  207. Marcella disse:

    Como assim? musica gospel também? então o que podemos ouvir então? como a musica nos afasta ela pode fazer nosso relacionamento com Deus esfriar de alguma forma ou agente perder a vontade de louvar?
    Deus te abençoe!

    • Oi, Marcella,
      .
      eu recomendaria que você relesse o post. Creio que está bem explicado no texto o que considero “música do mundo”. Não confunda “música do mundo” com “música secular”. Muita coisa que é cantada por artistas evangélicos, tocada em rádios evangélicas e até cantada nas igrejas é antibíblico e, portanto, “do mundo”. Releia o texto e você compreenderá.
      .
      Um abraço e Deus te abençoe em dobro,
      mz

  208. Claudio disse:

    Paz em Cristo a todos, eu defendo a linha do bom senso, do tipo, nem tudo que é do mundo pertence ao mundo, nem tudo oque esta na bíblia, vem de uma inspiração direta dada aos apóstolos. como por exemplo: l Corintios 15:33, Atos 17:28, o texto é claro que são versos do mundo “vossos poetas” epicureus, e no entanto eram bons, do mesmo jeito algumas musicas tem sentidos e verdades praticas.

    Pr. Claudio Alencar

  209. Daniel disse:

    Paz Maurício!

    Creio que seja a primeira ou segunda vez que esteja escrevendo aqui no seu blog (não me lembro exatamente), mas tenho acompanhado e lido vários textos seus há algum tempinho. (fora de ordem cronológica, como você pode perceber haha). Não posso deixar de mencionar que o “salto de fé” e o “como eu sei os planos de Deus para a minha vida?” foram meus preferidos até hoje, depois comento lá!

    Enfim, quanto ao assunto do texto, eu concordo plenamente com você, antes mesmo da leitura já compartilhava de um pensamento semelhante, e vou explicar um pouco o porquê.

    Eu me lembrei dessa questão tão debatida, pois outro dia eu ouvi uma canção chamada “Rodo Cotidiano”, do Rappa e achei impressionante como a letra expressa uma crítica social referente ao trabalhador de classe média-baixa que pega trem para o expediente.E eu ouvi a canção simplesmente como uma forma de expressão, assim como vejo determinado programa ou leio tal jornal. Não consegui enxergar ali uma afronta a Deus ou aos preceitos bíblicos.

    O fato é que muitas das músicas ditas “evangélicas” são uma aberração (com todo respeito) a fé cristã, e contudo, quando as criticamos, as pessoas falam para não julgarmos e tudo mais. Criam uma proteção gospel pois tal música é de um cantor evangélico, então é quase que sagrada. O fato é que nem toda música gospel é cristã, essa é a verdade!

    O argumento da tal “consagração ao diabo” das músicas seculares é compreensível, mas é contraditório, porque quase tudo hoje em dia tem boas possibilidades de ter essa consagração! O que eu percebo é que nesse assunto as pessoas categorizam a música em um patamar diferente das outras formas de arte, expressão e comunicação. Por exemplo: Já vi muitos casos de gente que não ouve a tal da “música do mundo”, mas assiste “joia rara” (novela budista da globo) e “invocação do mal”.

    No mais, eu sempre vou me deleitar ao ouvir uma “In Christ Alone” ou “Blessed Redeemer”, e em alguns aspectos, sim, eu vou preferir ouvir uma música “mundana” como “Where is the love?” do Black Eyed Peas aos sabores de mel da vida. A primeira por sinal, retrata de forma categórica o desespero do ser humano incrédulo pelo amor perfeito de Cristo.

    Que Deus nos ajude a adorarmos a Ele e a nos enchermos de “tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro (…)”, seja ouvindo uma música cristã de engrandecimento como “Maior que Tudo”, seja ouvindo uma música secular falando sobre a amizade como “Amigo estou aqui – Toy Story”, seja até mesmo, como diria o Pr. Piper em uma de suas pregações: “adorando a Deus assistindo os documentários da Discovery Channel”. Talvez esse seja o nosso maior desafio: Enxergar a glória de Deus em Sua criação. O salmista percebeu isso no Salmo 19.1.

    No amor de Cristo,

    Daniel

  210. brenda katiuci disse:

    Concordo com você Zágari! ótimo artigo! me ajudou muito! (Não há como negar que a bíblia nos traz todas as respostas que precisamos!) mas, ás vezes é como se precisássemos ouvir ou ler de forma mais contextualizada aos nossos dias, e acredito que é por isso que Deus levanta pessoas assim como você! A Paz! Deus abençoe!

  211. Jackson Soares disse:

    Aí é que está… Se um cantor é consagrado ao demônio, deleta a música e não ouve nunca mais… agora a casa e o carro, feito por umbandista e hinduísta eu posso morar e “usar”… se eu posso usar a casa e o carro, feito por satanistas assumidos (claro, pois todo que rejeita a luz é trevas) eu não posso usar a música?! conflitou as idéias aí… Na verdade tudo pertence a Jeová Deus! O que falta acontecer nessas igrejas é o amor Cristão, União! Na Igreja que eu pertencia vi que a falta de união é tremenda, e nas suas devem ser a mesma coisa! ninguém sabe o que o irmão sentado do lado faz, ninguém se preocupa com ninguém, acreditam que ser cristão é apenas dar o dízimo e louvar e dar “glória a Deus”… pronto! nada disso… Nessa igreja enorme que eu pertencia, com 8 mil crentes, mas ninguém ajuda a ninguém… porque o Líder não cria mecanismos para que os irmãos se conheçam. Hoje tem tecnologia que Deus nos deu pra isso, mas parece que só o capeta sabe usar… e nós que somos filhos de Deus, não sabemos fazer uso daquilo que é de nosso pai. Uma vergonha! sabem porquê? por desobediência, por estarem “em cima do muro” na fé. O certo seria: procurar um irmão construtor, para construir sua casa… procurar uma irmã doceira para confeccionar os doces da festinha, procurar uma loja de carro de um irmão Cristão para comprar o carro (pois ele já consagrou os carros a Jeová em oração) Enfim, temos que nos unir! Mas isso é difícil, UNIÃO uma palavra pequena mas difícil de executar! como pastores vão ensinar UNIÃO se eles próprios estão desunidos, é um pastor pra cá e outro pra lá… na igreja que eu pertencia mesmo via isso, infelizmente, um pastor não fala com o outro, porque o outro tá crescendo e ele tá diminuindo… Ei!!!! quem tem que crescer é CRISTO e você pastor, diminua… você cantorzinho gospel… diminua! Hipócritas… por isso que digo: tomem cuidado em que “árvores” vocês se encontram, pois como diz no livro de Mateu, cap 7 ” a árvore será cortada e lançada ao fogo” e se você tiver nessa “árvore”, só lhe restará o enxofre! Pois é mandamento de Jeová Deus: ” Não servireis a outros deuses! E quando você está servindo numa árvore dessa, está servindo a outro deus sem saber… mas é pela falta de conhecimento que você vai perecer mesmo… então meu irmão LEIA A BÍBLIA…. LEIA A BÍBLIA!!! Agora fiquei sabendo de mais uma: camisa da seleção com vendida na igreja com o símbolo do Espírito Santo! é demais… estão misturando o Santo com o Profano… só pra ganhar dinheiro?? Aí o pastor vem com a justificativa: “melhor do que o crente gastar dinheiro comprando na rua” O melhor mesmo, pastor, é você ensinar que é errado esse tipo de comunhão! ( 2 Cor 6:16 E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos?) Copa do Mundo, olha o nome!!! copa do MUNDO! Isso é coisa do capeta… não tem vez dentro da igreja! eles louvam e adoram a uma taça feita de ouro!! Cujo o criador do ouro é Jeová Deus.. DONO DO OURO E DA PRATA!!! esse que eu louvo e adoro: Jeová Deus todo Poderoso…. sinceramente, vou parar de escrever é muita vergonha que vejo nessas igrejas… cuidados meus irmão e minhas irmãs, ontem mesmo tive uma visão do fim, não gostaria de vê-los passando por tamanha aflição. Fiquem na paz e que Jeová Deus seja exaltado.

  212. Dri disse:

    Mauricio, você conhece a banda intitulada Os Arrais? Se sim, indicaria?

  213. Aline disse:

    Oi, tudo bem? O que a bíblia diz sobre assistir filmes? Quais filmes podemos assistir? Se um filme tiver apenas uma cena antibíblica devemos descarta-lo?

    • Oi, Aline,
      .
      a Bíblia não diz nada sobre filmes, mas sim sobre santidade. Meu entendimento é que você deve evitar aqueles que influenciarão negativamente em sua espiritualidade. Se você tem fraquezas na área sexual, por exemplo, não deve ver filmes que esmiolem a libido. Se é propensa a violência, não deve ver filmes violentos. E assim por diante.
      .
      Abraço fraterno, no amor do Pai,
      mz

  214. Paulo disse:

    engraçado, eu duvido que só comprem roupas feitas por evangélicos, ou só comam comida feitas por evangélicos, o problema é realmente é o mundo, o não conseguir se controlar e começar fazer coisas e escolhas erradas? Televisão é do mundo, e várias igrejas tem acesso, internet é do mundo e muitos tem acesso, o pecado está em eu querer determinar para os outros o que é pecado, se me escondo atrás dele, é mais ou menos como a passagem do filho pródigo, a igreja é o filho mais velho, e os outros são o mais novo, DEUS é o pai, no centro observando desenrolar da história. Evangelizar quem está dentro da igreja é fácil, duro é evangelizar o pessoal de fora da igreja, com seus dogmas e etc, DEUS sempre foi e será amor, e não preconceitos estipulados pelo homem, você faz coisas certas e ou erradas, a mesma coisa na música você escolhe ouvir boas ou ruins, você escolhe ler um livro obsceno ou um livro romântico, a opção é sua, de nada adianta ou adiantaria ficar ouvindo música gospel e continuar cometendo os velhos pecados, dizendo que por ser evangélico ama mais a DEUS que os demais, já parou pra pensar que talvez DEUS não se agrade com essa sua forma arcaica de pensar? Reflete, talvez para chegarmos temos que conhecer , várias coisas são do mundo e estamos inseridos neste contexto, então a grosso modo estaremos perdidos, são nossas escolhas que vão agradar ou não ao Senhor.

  215. j.queiroz21@hotmail.com disse:

    Varão que mensagem proveitosa, estarei estudando muito mais e usarei esse ensinamento como base para para meus estudos, e com certeza estarei seguindo o que aqui foi escrito pois, concordo piamente em tudo.
    Que Deus continue lhe dando sabedoria e derramando Bençãos sobre sua vida.
    Que a Paz de Deus Esteja Contigo.

  216. Alinne disse:

    A paz do Senhor!
    Texto extenso porém proveitoso, valeu a pena parar e ler paragrafo por paragrafo :) .
    Descobrir seu blog hj e estou amando rs.
    Eu tenho esse mesmo pensamento só que eu sempre ia pela lógica, se não agrada a Deus ou contraria o q Ele ensina não devo ouvir. Das músicas seculares gosto das que falam de amor, mas amor puro e sincero (de pai/mãe para filho e vice versa, de homem e mulher), pq tens umas por aí que dizem que fala de amor, mas que de amor nao tem nem uma frase.
    Quanto as músicas evangélicas vou ficar mais atenta, há algumas que são bizarras mesmo e fazem um sucesso danado com o título de “cristã” o que é lamentável. Os hinos da Harpa Cristã por muitas vezes me peguei pensando em seus autores (o que faziam, como viviam) porém nunca pesquisei sobre os mesmos só que isso agora vai mudar rs pois depois do que vc falou fiquei muito curiosa ^^, não na intenção de deixa-los de ouvi-los/ canta-los pois são belíssimos.
    Parabéns pelo post, Deus o ilumine sempre.

    • Olá, Alinne,
      .
      louvo a Deus por ter abençoado a sua vida de algum modo com esse texto. Que desfrutemos sempre daquilo que Deus nos oferece de bom, em santidade e gratidão.
      .
      Um abraço pra ti, na paz de Cristo,
      mz

  217. Jota Oliveira disse:

    Oi Mauricio, Paz. Como está?

    Seu artigo oferece bastante material pra reflexão; as citações bíblicas fazem a diferença. Bom, eu trago, ainda assim, uma dúvida em relação ao jazz, que antes eu curtia muito, e gostaria, se possível, de ouvir sua opinião:

    Conhece o trompetista Chet Baker? Ele gravou músicas lindas, como Tenderly, e Alone Together. Ocorre que Alone Together foi gravada estando Chet Baker totalmente drogado, o cara quase não ficava em pé, segundo li na biografia. Ele viveu drogado e provavelmente morreu assim(se jogou de um prédio).

    Suas músicas parecem trazer à tona o mais belo que sequer existia, em sua triste vida.
    Então isso me traz certo desconforto, entende? Tipo, qual o “espírito” da música…? Já Tenderly, eu desconheço detalhes, mas é uma das músicas mais belas que já ouvi… que me acalma muito…

    O que vc acha??

    Grande abraço, Mauricio.

    Em Cristo,
    Jota.

    • Ou, Jota,
      .
      não acredito em “espírito” da música, mas em “mensagem” da música. Um dos meus louvores prediletos foi composto (como me contou o autor/interprete pessoalmente) quando o irmão estava completamente bêbado, num balcão de bar, numa época em que ele estava desviado. E é uma canção belíssima, quer abençoe milhares. Portanto me preocupo com o que a música diz e aonde ela nos leva no momento em que a entoamos, não em que circunstâncias foi composta.
      .
      Abraço fraterno, na paz de Cristo,
      mz

  218. Stephanie disse:

    Maurício, amei sua opinião a respeito a música….. Confesso que queria tirar algumas dúvidas e você tirou todas elas.
    Sou cristã, gosto de música gospel e canto na Igreja, mais também gosto muito da música sertaneja, antes mesmo de eu virar cristã eu já ouvia.. É difícil de desapegar.. Bom pelo menos em algum tempo…
    Nunca imaginei que músicas sertanejas fosse pecado e sim, contra as regras da Igreja. Agora você me convenceu de que temos que observar a letra da música, bom pelo menos as que eu ouço não fala nada contra Deus…… Vou observar as que eu gosto para ver se tem algo de errado! Obrigado Maurício!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s