Não minta: você não ama o próximo

Publicado: 22/07/2011 em Amor, Amor ao próximo, Espiritualidade, Igreja dos nossos dias, Igreja Emergente, Pecado

Cheguei a uma conclusão: eu não amo o próximo. Pior: você também não. A gente pode até tentar, mas não ama. E eu provo. Mas, para isso, precisamos entender antes de mais nada que estou usando aqui o conceito de “amor” da Bíblia e não o da sociedade secular e romantizada em que vivemos (para um aprofundamento sobre isso você pode ler se desejar o artigo Heresias em nome do amor). E como um dos conceitos hermenêuticos elementares no estudo das Escrituras é que “a Bíblia explica a si mesma”, vamos ao texto sagrado desencavar qual é o conceito bíblico de “amar”. O versículo epicêntrico da Bíblia sobre o assunto é o bom e velho João 3.16: “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. Vamos então destrinchá-lo.

Primeiro: Deus amou o mundo. E quem é o mundo? São absolutamente todas as pessoas que o rejeitaram, desobedeceram, que foram seus inimigos, que lhe viraram as costas. Ou seja: todo aquele que peca. Ou seja: todo mundo! “Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” (Rm 3.23). Então o que Jo 3.16 nos mostra, primeiro, é que Deus amou pessoas que o desprezaram, que lhe fizeram mal, que falaram mal dele, que roubaram dele, o caluniaram e fizeram todo tipo de desgraça contra Ele.

Aí, de repente, Deus decide fazer por esse grupo de bilhões e bilhões de pessoas algo impresionante: abre mão de sua posição confortabilíssima para ajudar cada um. Se você prestar atenção, verá que o Filho estava muito bem, obrigado, em sua glória celestial e não precisava ter mexido uma palha por essas pessoas. Mas Ele foi além: “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2.5-8).

Em outras palavras: o amor abre mão do seu conforto para ajudar outras pessoas.

E isso para quê? “Para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna”. A questão aqui é que aquele bando de miseráveis não merecia a vida eterna. Mereciam, em português bem claro, arder por toda a eternidade no fogo do inferno. Mas Deus chega e mostra outro aspecto do amor: dá a eles algo que não merecem. E aqui nos deparamos com as cinco letras mais lindas do Evangelho: GRAÇA. Pois isso é a essência da graça: AMOR.

Qual é a conclusão a que chegamos a partir disso tudo? Que AMAR significa abrir mão do seu conforto para fazer coisas boas por quem te fez coisas ruins. Simples assim.

E…você faz isso?

Para responder nós temos que aplicar o que dissemos acima a sua (e à minha) vida: Pense em todas as pessoas que te desprezaram, fizeram mal, te viraram o rosto, falaram mal de você, te roubaram, te caluniaram e fizeram todo tipo de desgraça contra você. Não tem pressa. Esqueça que você está na Internet e que aqui todo mundo só quer ler coisas rapidinho. Invista tempo, vai valer a pena.

Pare.

Tire um tempo.

Pense em rostos. Lembre de nomes. Recorde-se de situações. Gente que te fez chorar, que te ofendeu, que te acusou injustamente. Que te molestou sexualmente. Que roubou seu dinheiro. Que mentiu para todo mundo a seu respeito. Que armou esquemas para te prejudicar e puxar o tapete. Que fez tudo o que há de pior contra você. Pense. E, só depois de ter lembrado de todas essas pessoas continue a ler, não tenho pressa alguma.

Ainda tem tempo. Pense mais um pouco. Gente que te magoou feio. Você vai lembrar.

Ok. Agora que você já deu nome e rosto aos bois, segundo passo: Deus saiu de seu conforto e fez algo de bom por elas que certamente elas NÃO mereciam. E eu, então, te pergunto: o que você já fez de bom por essas pessoas de quem acabou de se lembrar? Pode pensar. Mais um tempo pra ti.

Me atrevo a dizer que você gastou muito tempo chorando pelo que elas te fizeram, as denunciando, ou então metendo o malho nelas para outras pessoas, falando ao maior número possível de pessoas o que elas lhe fizeram. E até mesmo se vingando, pagando na mesma moeda. As odiando com todas as suas entranhas! Eu garanto que você fez isso. E sabe por quê? Porque é o que eu fiz. Muitas vezes. Paguei mal com mal. Paguei com vingança. Com comentários depreciativos. Com minha natureza humana.

Chegamos então à questão inicial. Você ama o seu próximo? Pois já vimos que AMAR significa abrir mão do seu conforto para fazer coisas boas por quem te fez coisas ruins. Simples assim. Mas meu irmão, minha irmã, concorde comigo que nós não fazemos isso.

Não fazemos.

E com isso, simplesmente descumprimos o mandamento maior da fé cristã: “Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’ Respondeu Jesus:  ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas”. (Mt 22.36-40)

Aí você pode até dizer: “Ah, mas Jesus era Deus, pra Deus é fácil amar assim! Eu sou só um humano!”. Ao que Jesus de Nazaré te responde:  “Um novo mandamento lhes dou: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros”. (Jo 13.34,35)

ÚLTIMAS PALAVRAS

Não tem jeito. Eu não amo meu próximo segundo o modelo bíblico, fato. Pois não abro mão de meu conforto, de meu tempo, de dizer que tenho razão, de meu orgulho… para fazer o bem a quem me detonou. E, afirmo sem medo de errar: você também não. Pois eu olho em volta e é o que vejo, nas igrejas, no twitter, no Facebook, nos programas evangélicos de TV, nas pregações de pastores anti-igreja da internet, na Igreja Emergente…em todo lugar onde haja um coração manchado pelo pecado, em todo lugar onde haja alguém que se chame cristão: nós somos vingtivos, ofendemos, pagamos na mesma moeda. Não fazemos o bem a quem nos faz mal. Não fazemos! Isso é um fato!

Ignoramos solenemente o que Paulo diz em Romanos 12.14-20: “Abençoem aqueles que os perseguem; abençoem, e não os amaldiçoem. Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram. Tenham uma mesma atitude uns para com os outros. Não sejam orgulhosos, mas estejam dispostos a associar-se a pessoas de posição inferior Não sejam sábios aos seus próprios olhos. Não retribuam a ninguém mal por mal. Procurem fazer o que é correto aos olhos de todos. Façam todo o possível para viver em paz com todos.  Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: “Minha é a vingança; eu retribuirei” diz o Senhor.  Ao contrário: “Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber”.

Você já deu de comer ou de beber a quem te fez mal? Quantas vezes?

A BOA NOTÍCIA

Mas há uma boa notícia: é possível.

É possível viver o mandamento maior. Comece preferindo o outro em honra. Pondo em prática Filipenses 2.3b; “Humildemente considerem os outros superiores a si mesmos”.

Mas, Zágari, como se faz isso?

Não revide, abençoe. Não rebata, dê a outra face. Não se vingue, caminhe a segunda milha. Não fale pelas costas, elogie o que há de bom em quem só há coisa má. Só consegue amar o próximo da forma que Cristo espera quem faz o que Ele fez diante de Pilatos: engole sapos. Se cala. Se submete. Se humilha. É difícil? LÓGICO QUE É! E desde quando alguém disse que seria fácil? Jesus disse: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me” (Lc 9.23). E você acha que carregar uma cruz é fácil?

Em outras palavras, só ama verdadeiramente o próximo quem contraria sua natureza. Pois só quando você contrariar a sua natureza e injetar em suas veias a natureza de Cristo é que você começará a amar o próximo como a Bíblia ensina. Até lá…somos bons fingidores.

Paz a todos vocês que estão em Cristo.


About these ads
comentários
  1. Luiza Maria A. Santos. disse:

    Valeu! É isso mesmo. Vamos tirar a máscara e deixar o teatro para os artistas.

  2. Deivison disse:

    É difícil amar os que nos agradam, imagine então, os que nos contrariam.

    “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2.5-8).

    Amém.

  3. Alessandra Figueredo disse:

    Mauricio, texto brilhante! Eu tb nao amo o meu irmão! Aff… Essas verdades me fazem refletir que ainda falta muito para chegarmos lá! Mas eu tenho certeza que já é um bom começo termos a disposição e força de vontade de mudar! Só temos q sair do estado de paralisia q sempre nos deixa inertes para a mudança! E vc sabe o qt eu sou avessa ao novo….rs

    Apesar que nos últimos tempos tenho me surpreendido mt em relação a isso….rs

    Que Deus continue falando atraves de vc! Deus tem feito maravilhas, vidas estao sendo refeitas e o mais importante, com a certeza da verdade!

    Parabéns! Nao desista nunca!

  4. Regina disse:

    Puxa vida, é mesmo! Contrariar essa natureza decadente é atitude dificílima, quase inimaginável, porque o evangelho não é fácil (e ninguém disse que seria…). Sei que muitas vezes caio nessas ciladas, mas também sei que pela graça todas as vezes me arrependo e sou perdoada; se não o faço, meus ossos doem, meu espírito se inquieta e não consigo viver no caminho de Deus – é batata! Obscurece o espírito, o Espírito Santo se entristece, o caos do alvo errado!

    Pois é, Maurício, meu amor depende absolutamente do Amor que Ele tem por mim e do Espírito sobre minha vida.

    Bjs

  5. ana lúcia disse:

    Ah, se todos pensassem assim… Seria o céu na terra!

    Tenho duas filhas, uma de 20 anos e uma de 26. Quando elas eram pequenas, e eu percebia um princípio de tumulto, costumava não me meter logo de cara, assim, dava a elas a oportunidade de se entenderem sozinhas, sem que parecesse que eu estava protegendo alguém, porém, às vezes, a coisa esquentava, e, muitas vezes, iam para vias de fato, ou seja, algum empurrão, tapa, enfim, nada muito violento, acabava acontecendo. o engraçado é que sempre a mais nova é que engrossava o caldo, aí, a maior revidava, mas como sabia que não podia ir muito longe, vinha correndo choramingando e reclamando da irmã. Minha resposta era sempre a mesma nessas situações: “- Se você revidou, ficou em igualdade com ela, como posso castigar alguém que fez o mesmo que você?” Claro que o sermão sobrava para as duas. Acho que com Ele acontece, mais ou menos, assim. Como Ele pode ser imparcial se nós queremos fazer justiça com nossos próprios recursos? Na verdade, o que acontece é que esquecemos que sempre temos alguém advogando junto ao pai, que é justo, tão justo como o juiz que irá sentenciar, a despeito de qualquer valor humano, nossas causas!
    Definitivamente, vingança não é a maneira correta de resolver-mos os nossos problemas, mas, a meu ver, todas as questões devem ser resolvidas entre os santos, não se pode fazer de conta de que nada aconteceu, afinal, somos ou não somos responsáveis pelos nossos irmãos? Lembremos quando Deus inquiriu Caim sobre a ausência de seu irmão, imediatamente, ele fez uma retórica, demonstrando sua completa falta de amor por seu irmão, indagando de Deus se era ele, por acaso, protetor de seu irmão.
    O fato de entrarmos em desacordo com um irmão, não quer dizer que o odiamos, muito pelo contrário! Houve um momento que a coisa ficou preta entre Paulo e Pedro que é relatado no livro de Gálatas 2. [...] E, chegando Pedro à Antioquia, lhe resisti na cara, porque era repreensível.[...] Este não é um fato isolado na palavra de Deus, poderíamos lembrar muitos outros, um que me veio a mente agora foi a famigerada omissão do Rei Davi que resultou numa devastadora tragédia familiar, o fato de Davi não ter repreendido seu filho Amnom. Enfim, tantos outros que poderiam ter sido evitados, quem sabe não fosse a pura falta de coragem de se enfrentar o problema de frente.
    Deus continue te abençoando.
    Abraço grande.

  6. Irmão Maurício, cada vez me encanto mais com seu jeito de transmitir as verdades da Palavra do Pai. Sei que o amado tem abençoado muitas vidas que refletem sobre suas próprias vidas, quando se deparam com suas mensagens impactantantes.
    Até a ilustração foi perfeita!
    Que o Senhor o guarde na palma de sua mão!
    Soraya Barros

    • Querida Soraya, não abençôo tantas vidas quantas gostaria, mas aquelas que
      o Senhor conduz para compartilhar das nossas reflexões espero que sejam abencoadas.

      Nisso me alegro: em se benção para pelo menos uma vida.

      Um beijo grande, na paz do Mestre

  7. Sheyla disse:

    Texto arrebatador, me constrange…! Quando olho pra dentro de mim … vejo o quanto preciso de um coração igual do Mestre! Obrigada Mauricio por ser um canal que nos leva à prática das primeiras obras! Deus continue te usando! Super Abraço!

    • Eu que tenho de agradecer, Sheyla, por vc me permitir ser um canal para a
      transmissão de algo de bom que venha da parte do nosso Pai.

      Um beijo grande, na paz de Cristo.

  8. Selma Macêdo disse:

    Texto maravilhoso e real.
    “Realmente” não temos no nosso coração o verdadeiro amor de Cristo. Se pararmos pra pensar não é difícil tê-lo e se torna fácil quando quebramos barreiras e preconceitos. Barreiras da raiva, da desilusão, da traição e tantos outros sentimentos que afloram no coração que deveria só conter amor. Preconceitos de achar que a pessoa é da forma que moldamos e não vai mudar, porque se fez uma pode fazer mais. Isso acontece conosco quando somos atingidos por alguém que gostamos e nos desiludimos, talvez pela própria falta desse amor verdadeiro, e não queremos mais aproximação.
    “Realmente” não amamos verdadeiramente o nosso próximo…
    Beijo de sua aluna – IBADIG

  9. Thayanne disse:

    Meu Deus, me sinto um monstro! Só Deus pra nos dar misericórdia mesmo! Glórias a Deus pelo belo texto! :)

    • Não, Thayanne, vc não é nem de longe um monstro: vc é um ser humano. Pecador. Como eu e toda a humanidade.

      A questão é: o que fazer diante disso? A resposta? A graça de Deus e a obediência aos seus mandamentos.

      Um beijo grande, na paz do Mestre.

  10. Que benção mano!
    Estou saindo muito satisfeito da leitura desse post.
    Muito edificante.
    Que Deus continue te usando brother, paz!

  11. Ana maria disse:

    Que benção verdadeiramente tudo isso é verdade eu sofro com essa falta de amor em meu coração

  12. Drik's disse:

    Que a nossa Comunhão com Cristo aumente, assim pareceremos mais com ELE.
    “Que Ele cresça e eu diminua”.
    Então pensaremos menos em nós e poderemos Viver o Amor de Cristo uns com os outros.

    “Faz tua NOVA CASA na varanda do VELHO CHÃO,
    Convida o teu irmão pra vir morar CONTIGO,
    Planta paredes novas, feitas para servir de lar e abrigo.”

  13. Lucas Brito disse:

    “Os homens só aprenderam a amar o próximo, depois que aprenderem a amar a si mesmo.”(Lucas Brito De Souza)

  14. a mais pura verdade Maurício… e do mesmo modo nós como Cristãos só poderemos amar ao próximo biblicamente falando quando nós imitarmos a Cristo, rejeitando nossa natureza definitivamente!

    Toda glória a o Senhor.

  15. Desde que li 1 Co 13, a concepção de Amor fugiu das minhas mãos, mano “/ A partir do dia que ganhei essa consciência, passei a dizer: “Em verdade, EU NÃO AMO”. Todas as vezes que eu disse “eu te amo” pras minhas ex-namoradas, por exemplo. Elas se foram e não fazem mais falta =\ Mas como pelo menos uma delas não faria mais falta , se “O Amor jamais morre” ? Como eu digo que amo meu irmão, quando ele me corta rispidamente, me dando nos nervos, se o Amor “não se enfurece facilmente” ? Como eu digo que amo minha família, quando não ajudo ainda que tenha condições, se “o Amor é bondoso” ? Como eu digo que amo a Deus, quando minha pressa me consome, se o Amor “tudo espera” ?

    Mas dou graças a Deus, por Jesus Cristo, nosso Senhor! Aquele que habita em mim, mesmo não tendo eu bem algum a apresentá-Lo, ensinando-me que, para Amar, preciso:

    1° Ser Amado (e Ele me ama desde antes da consumação dos séculos dos séculos);
    2° Me Amar (amo o Jesus em mim, que me entritece, fazendo parte do meu ser);
    3° E, então, Amar os outros (o Jesus dentro de cada um, tratando-os como trataria Tal).

    Em Deus, nós Amamos SIM! =D

    Um beijo, mano.

    nEle, que “tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”.

  16. [...] http://apenas1.wordpress.com/2011/07/22/nao-minta-voce-nao-ama-o-proximo Share this:TwitterFacebookGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. Comentários [...]

  17. Rosemary Queiroz disse:

    Seu texto mostra claramente o nosso lado humano, perecível às nossas fraquezas, ao “bateu levou”, ao nosso primitivismo espiritual.

    Mas conheço pessoas que conseguem ser verdadeiramente cristãs, que ao invés de revidarem o tapa, viram a “outra face”, a face do perdão, da compreensão, da paciência, da misericórdia…

    Acredito que amar ou não amar o próximo dependa mesmo é do nível de evolução espiritual de cada um e Deus, conhecendo a etapa evolutiva de cada filho, compreende tanto seu amor, quanto seu desamor, mas considera muito a intensão de quem busca se melhorar e se superar. É para isso que estamos aqui…

    • Amém, Rosemary, vc tocou num ponto chave: o desejo de buscar amar. Infelizmente muitos nem ao menos pensam nisso. Quantas pessoas vc já ouviu orar pedindo “Senhor, ajuda-me a amar mais o meu próximo”? É raro e algo a ser pensado.
      Deus a abençoe, com Seu amor e Sua paz!

      • Rosemary Queiroz disse:

        Uhhh!!! corrigindo: INTENÇÃO (não intensão).

        “Senhor, ajuda-me a amar mais o meu próximo”. Gostei, vou fazer um “scrap” e incluir em minhas preces.

        Deus te abençoe sempre!

      • Amem, Rosemary.
        Bênçãos em dobro sobre ti.

  18. Rosemary Queiroz disse:
  19. Daniel disse:

    Parabéns Maurício…

    eu sempre me perguntava onde estão aqueles que pregam sobre amor ao próximo, agora encontrei esse blog maravilhoso

    continue assim irmão…

    abraços…

  20. Dalva disse:

    Oi Mauricio….
    não quero incomodar…só passei para dizer que compartilhei “ESTE TEMA no meu Blog…já há tempos vinha aqui ler e ler…é um dos mais incríveis que tu já escreveste…obrigada,desculpe.
    Abraços da minha família á ti.
    http://seguindoemfrente.blogs.sapo.pt/25112.html

    • Dalva,
      .
      Por favor, não se desculpe, você nunca incomoda. Pelo contrario, é uma alegria saber que o texto te abençoou e que você pode usa-lo par edificar teus leitores.
      .
      Abraço carinhoso para ti e os teus,
      mz

  21. PV disse:

    Brother mz,

    Faz algum tempo que havia lido esse seu texto. Hoje encontrei algo que me fez relembrá-lo, então resolvi retornar para compartilhar uma atitude que achei fantástica. Nem precisa descrever, pois o vídeo basta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s